Consulta Produção e Emissão de Debates sobre o Portugal Sou Eu em Televisão Janeiro de 2014

15 

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

Consulta – Produção e Emissão de

Debates sobre o “Portugal Sou Eu”

em Televisão

Janeiro de 2014

Consulta para a produção e emissão de debates sobre o “Portugal Sou Eu” em televisão, com o objetivo de promover a Iniciativa.

(2)

Conteúdo

1. Introdução ... 2 2. Enquadramento ... 2 3. O Contexto Atual ... 3 4. Objetivos de Comunicação ... 4 5. Posicionamento ... 5 6. Público-Alvo ... 5

7. Comunicação e o Consumer Engagement... 6

8. Plataformas de Comunicação com o Consumidor ... 7

9. Objetivos da Consulta ... 9

10. Imagem do “Portugal Sou Eu” ... 11

11. Condições Administrativas ... 11

11.1. Forma da Proposta ... 11

11.2. Documentos que acompanham a Proposta ... 11

11.3. Apresentação e prazo da Proposta ... 12

11.4. Valor Base ... 12

11.5. Critérios de Seleção ... 12

11.6. Negociação ... 13

11.7. Dúvidas e Esclarecimentos ... 13

11.8. Análise e Exclusão das Propostas ... 13

11.9. Minuta do Contrato, Notificação e Obrigações Contratuais ... 13

11.10. Entidade Adjudicante ... 14

(3)

Consulta – Produção e emissão de debates televisivos no âmbito do Programa “Portugal Sou Eu”

1. Introdução

Este documento apresenta informação considerada relevante para a consulta a entidades visando a produção e emissão de debates televisivos sobre o programa “Portugal Sou Eu”, permitindo divulgar e esclarecer os propósitos do projeto junto dos empresários e do consumidor final.

2. Enquadramento

O programa “PORTUGAL SOU EU” (PtSouEu) é uma iniciativa do Governo Português, aprovada em Resolução do Conselho de Ministros nº 56/2011, cujo principal objetivo é a valorização da oferta nacional.

“PORTUGAL SOU EU” é também uma marca utilizada, sob a forma de selo, por múltiplos produtos das empresas nacionais, para que os consumidores finais e as entidades que adquirem bens intermédios, reconheçam a origem dos produtos, realizem uma escolha informada e valorizem a oferta nacional.

No imediato a atribuição do selo é destinada a produtos do setor primário e secundário.

Num futuro próximo, o selo poderá ser atribuído também ao setor dos serviços, nomeadamente aqueles que sejam considerados bens intangíveis.

A implementação do Programa é da responsabilidade das organizações AEP, AIP, CAP e IAPMEI, cabendo a atribuição do selo às entidades associativas.

O projeto dinamiza diversas iniciativas, eventos e ações promocionais, junto de consumidores assim como as orientadas para as empresas, segundo consta no Plano de Comunicação (em anexo).

(4)

3. O Contexto Atual

O atual contexto económico e social deve ser enfrentado por Portugal com medidas de recuperação da economia que incluam a valorização da imagem dos produtos nacionais e estimulem o aumento da produção e da competitividade das empresas portuguesas, em particular as de pequena e média dimensão (PME).

Importa, assim, aumentar a perceção da portugalidade ao consumo de produtos e serviços que produzem valor acrescentado para a economia nacional e cuja produção contribui para a criação de emprego, para a dinamização do mercado nacional e para o equilíbrio da balança de pagamentos, bem como para o alargamento do leque de produtos incluídos numa escolha que se pretende cada vez mais responsável e criteriosa por parte dos consumidores.

O sucesso da Iniciativa depende, em grande parte, da consciencialização do consumidor para o contributo que pode desempenhar na dinamização da economia nacional ao adquirir produtos portugueses.

Assim, importa sensibilizar os consumidores e associações representativas para as implicações do aumento do consumo de produtos produzidos em Portugal, nomeadamente o aumento do emprego (em particular nalguns setores da indústria e da agricultura), da competitividade das empresas nacionais, bem como os benefícios ambientais decorrentes da diminuição da dependência de transporte dos produtos e consequente redução da emissão de gazes com efeito de estufa.

A Iniciativa “PORTUGAL SOU EU” visa a valorização da oferta de produtos nacionais e a criação de um efeito positivo na sua implantação no mercado interno, e na sua capacidade concorrencial nos mercados internacionais e, garantirá o cumprimento das obrigações decorrentes do direito comunitário, nomeadamente as regras do Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia (TFUE) e da concorrência.

(5)

4. Objetivos de Comunicação

Para o período 2013 – 2014 destacamos como objetivos de comunicação:

Conferir reconhecimento e notoriedade à marca “PORTUGAL SOU EU” junto dos consumidores finais e empresas.

Especificamente para o Consumidor Final:

• Diferenciar a marca “PORTUGAL SOU EU” orientada para os produtos das empresas, pois apresentam um total de incorporação nacional superior a 50%. Acentuar as mensagens chave de valorização da oferta nacional, (Ex: informar que o consumo de produtos portugueses contribui para gerar emprego

e promover o crescimento sustentado da nossa economia);

• Diferenciar a marca “PORTUGAL SOU EU” da marca “Compro o que é nosso”, posicionada como uma evolução natural e consequente da marca de empresa para uma orientada para o produto que é concedido após o cumprimento de condições específicas de acesso ao selo;

• Induzir alterações no comportamento do consumidor aquando do processo de decisão de aquisição de produtos, nomeadamente visando um reconhecimento automático e simplificado da origem do bem e do serviço;

• Aproximar a realidade das empresas portuguesas aos jovens estudantes ainda na fase do ensino básico e no secundário e superior, estimulando o conhecimento da produção nacional;

• Aumentar a visibilidade da oferta nacional junto das empresas instaladas em Portugal através da divulgação dos produtos com selo e atualização permanente da adesão.

Para as empresas:

• Estimular as empresas para a adesão dos seus produtos ao selo “PORTUGAL SOU EU”;

• Sensibilizar as empresas para o recurso a fornecedores e matérias-primas nacionais no fabrico e aquisição de produtos e para a criação de marcas nacionais que os diferenciem;

• Sensibilizar os distribuidores (grandes superfícies e retalhistas) para a exposição e aquisição dos produtos.

(6)

5. Posicionamento

“PORTUGAL SOU EU” é um programa nacional, inclusivo, que abrange todos os atores da economia – empresas, consumidores, administração pública.

O seu desígnio é nacional e transporta um objetivo comum: valorizar a ação coletiva através da ação individual.

O facto de ser um programa de iniciativa governamental aporta credibilidade e segurança às empresas aderentes.

Para o consumidor, e para a sociedade em geral, é uma iniciativa privada, uma vontade individual, que concorre para o bem-estar coletivo.

6. Público-Alvo

O programa “PORTUGAL SOU EU” apresenta ações dirigidas a diversos públicos-alvo.

Importa sensibilizar e informar a todo o público em geral, todos os portugueses que residem no Continente e Ilhas.

1. Público consumidor de bens, população em geral. 2. Público residente nos grandes centros urbanos. 3. Público que faz a compra doméstica.

4. Público utilizador das novas tecnologias, internet, matrixcode e barcode. 5. Media (meios tradicionais e new media)e Opinion Makers.

Noutra esfera de atuação, o programa intervém junto de públicos segmentados: Para a adesão ao selo:

6. Sensibilizar todas as empresas PME do setor primário e secundário produtoras de bens transacionáveis e em especial as empresas de bens de consumo.

(7)

Para os sensibilizar na escolha informada, os públicos a montante:

7. Público jovem, estudantes e escuteiros, com elevado potencial de mudança de atitudes.

Para se associar a este desígnio nacional e sejam ‘embaixadores/porta vozes’ da marca:

8. Público prescritor / embaixadores. 9. Estabelecimentos aderentes.

10. Superfícies de distribuição moderna.

11. Instituições ou Plataformas que se associam ao espírito da Iniciativa.

7. Comunicação e o Consumer Engagement

A abordagem de comunicação será a de “Public Engagement” e a comunicação será multi-plataforma, multi-marca, multi-conteúdo.

 As mensagens serão personalizadas para cada espaço de comunicação e com diferentes porta-vozes.

 O processo de adesão e manutenção do interesse de empresas e consumidores exige um processo de permanente follow on.

 Serão criadas e alimentadas plataformas de comunicação e ações de relações públicas que garantam o “continuum” e espelhem o crescimento e sucesso da Iniciativa.

A comunicação da nova marca “PORTUGAL SOU EU” convive, numa primeira fase, na mente dos consumidores, com a marca “Compro o que é nosso”.

 Há que posicioná-la como uma evolução natural de empresa para produto e marca-serviço; de projeto associativo para projeto também governamental.

 Essa diferenciação deverá ser feita de forma “natural”, através de oportunidades de resposta a dúvidas levantadas, por exemplo, nas redes sociais.

 O discurso institucional e a comunicação às empresas poderão também gerar oportunidades de explicar o “racional” da evolução.

(8)

As ações junto do consumidor organizam-se em duas fases:

 A fase de informação do programa (geração de notoriedade)  A fase de adesão, reconhecimento e recomendação.

A estratégia de comunicação ao consumidor baseia-se em dois factos essenciais:

o O consumidor precisa, cada vez mais, de sentir que faz as escolhas certas. O conceito de portugalidade tem de ser positivamente alimentado através do “Engagement” e da partilha entre marcas e consumidores, entre embaixadores e consumidores e entre consumidores.

o O ciclo de vida do Consumer Engagement:

O novo “mantra” do consumidor é a “justificação imediata” da sua escolha- Quando compra um produto, quer sentir que fez “a escolha certa”. Tem de receber feedback positivo em contínuo.

O Consumer Engagement pressupõe “Call to Action”, mas também “Call to

Share”, partilha, interação, recomendação e conteúdos gerados pelo consumidor

(“consumer-generated content”).

8. Plataformas de Comunicação com o Consumidor

O consumidor será impactado pela publicidade, nos canais de maior cobertura e afinidade com os targets definidos no macro-plano de meios. Será impactado nos pontos de venda aderentes ao programa. Será influenciado por líderes de opinião, celebridades, jornalistas e por outros consumidores:

- Em Programas de Televisão.

- Em jornais e revistas e programas de rádio.

- Em comunidades online que partilham com paixão os temas da portugalidade. - Nas redes sociais.

- Em blogues os jovens serão também envolvidos em passatempos nas redes sociais e concursos escolares.

(9)

O programa “Portugal Sou Eu” terá de ser ele próprio gerador de conteúdos passíveis de serem utilizados, partilhados e comentados. Esses conteúdos serão partilhados junto dos media, blogs e redes sociais, para além do site institucional do programa, bem como em eventos.

Exemplos de Conteúdos:

- Histórias de produtos / marcas

- Resultados de estudos (Estudo da Portugalidade e Estudo das Boas Práticas de incorporação nacional que o “Portugal Sou Eu” tem planeado desenvolver)

- Imagens de produtos

- Vídeos (anúncios publicidade, vox pop e empresas)

- Passatempos, incluindo promoção dos barcodes e matrixcodes - Debates

- Eventos

- Concursos e passatempos para jovens do ensino básico e secundário

MENSAGENS

Para as empresas produtoras, essencialmente PME, a mensagem principal deverá estar ancorada na perspetiva da integração numa rede ganhadora.

As empresas potenciais aderentes ao selo não vão querer ficar “fora do comboio”.

Para os consumidores, as questões de identidade, valores, prosperidade e sustentabilidade são os argumentos emocionais do “Portugal Sou Eu”.

Uma segunda dimensão será o efeito económico do consumo no desenvolvimento das empresas nacionais e na geração de emprego.

(10)

9. Objetivos da Consulta

Por se tratar de uma marca promovida pelo governo português, em parceria com entidades da sociedade civil, de âmbito nacional, tem que ser comunicada de forma clara e transparente, garantindo que os propósitos da Iniciativa são bem compreendidos.

O âmbito da consulta para produção de debates televisivos sobre a temática do “Portugal Sou Eu” deverá abranger vários interlocutores públicos e privados, versar diversos setores de atividade e decorrer entre a data da adjudicação do objeto da presente consulta e outubro de 2014.

O objeto da presente Consulta centra-se nos seguintes aspetos que deverão ser garantidos, entre outros que a entidade proponente tenha por conveniente:

1. Produção e emissão de vários programas televisivos de debate sobre a temática do “Portugal

Sou Eu”, na ótica de diferentes setores de atividade;

2. A originalidade dos programas deverá ser marcada pela diversidade de intervenientes e de

pontos de vista, sempre com o foco na forte incorporação nacional, no sentido de divulgar o Selo “Portugal Sou Eu” e incrementar a sua notoriedade.

3. Criação de interações com outros suportes de comunicação, nomeadamente meios online.

A entidade proponente deve apresentar:

a) Memória descritiva dos serviços a prestar: âmbito de atuação. b) Programação dos trabalhos e metodologias de execução.

c) Formas de articulação com o Órgão Operacional do “Portugal Sou Eu”.

(11)

10. Imagem do “PORTUGAL SOU EU”

Fazem parte dos elementos gráficos da marca:

1. Família tipográfica EZZO.

2. Portal portugalsoueu.pt elementos gráficos segundo Manual de Normas. Tipo de letra no portal Lucida Sans.

3. Vídeo de apresentação da marca. Música cedida pelo autor Sam The Kid. 4. Assinatura do programa:

Portugal somos todos nós… Portugal é cada um de nós… PORTUGAL SOU EU!

Programa de valorização da oferta nacional.

Devem fazer parte dos elementos gráficos a aparecer de forma permanente

De acordo com as regras de publicitação do QREN, que podem ser consultadas em

http://www.pofc.qren.pt/compete/logotipos.

Devem fazer parte dos elementos gráficos a aparecer de forma permanente ou isoladamente os seguintes logótipos das entidades que gerem o programa:

(12)

11. Condições Administrativas

11.1. Forma da Proposta

A Proposta deve ser entregue em 4 exemplares no caso de ser em suporte papel. No caso de ser entregue pela via eletrónica, a Proposta deve ser entregue em ficheiro tipo pdf, que permita a leitura sem restrições tecnológicas.

A Proposta deve ser redigida em língua portuguesa, deverá ser acompanhada por dossier, no qual a empresa apresentará a seguinte informação:

e) Preço expresso em euros, por extenso e algarismos, com inclusão do IVA. Em caso de dúvida ou

discordância, prevalecerá o valor indicado por extenso;

f) Condições de pagamento;

g) Lista dos meios técnicos e humanos necessários à execução do trabalho;

h) Memória descritiva dos serviços a prestar: âmbito de atuação; programação dos trabalhos e metodologias de execução;

i) Formas de articulação com o Órgão Operacional do “Portugal Sou Eu”.

11.2. Documentos que acompanham a Proposta

A Proposta deve ser instruída com os seguintes documentos:

a) Declaração comprovativa de que não se encontra em dívida ao Estado Português por impostos

liquidados nos últimos três anos.

b) Documento comprovativo de que se encontra regularizada a sua situação relativamente às

contribuições para segurança social em Portugal.

c) Documento comprovativo da última entrega da declaração periódica de rendimentos, para efeitos de

IRC.

d) Lista de referência ou carteira de clientes.

e) Caso seja associado da AEP, comprovativo da condição de associado com as quotas em dia.

f) Demais documentação que o concorrente entenda por conveniente no sentido de atestar as

(13)

11.3. Apresentação e prazo da Proposta

A Proposta bem como os documentos que a acompanham podem ser entregues na AEP – Associação Empresarial de Portugal, até às 18h00 do dia 17 de janeiro de 2014, em envelope fechado, dirigido a:

AEP – Associação Empresarial de Portugal Serviço de Compras

Edifício de Serviços – Av. Dr. António Macedo, S/N; 4450-617 Leça da Palmeira

Ou, em alternativa, por correio eletrónico, para o endereço Compras@aeportugal.com, fazendo referência à identificação da presente consulta.

A proposta considerar-se-á válida e inalterada em todas as suas condições por um período de 66 dias úteis contados desde a data do termo do prazo fixado para a sua apresentação.

11.4. Valor Base

O valor máximo é de 12.750 € (Doze mil, setecentos e cinquenta euros), incluindo este valor o IVA à taxa legal em vigor.

11.5. Critérios de Seleção

As propostas serão classificadas em função dos seguintes critérios de avaliação:

o Originalidade e criatividade do programa – 20% o Nível de audiência do programa televisivo – 30% o Número de emissões – 30%

(14)

11.6. Negociação

As propostas apresentadas poderão ser objeto de negociação.

11.7. Dúvidas e Esclarecimentos

a) Os esclarecimentos necessários à boa compreensão e interpretação das peças de procedimento devem ser solicitados por escrito, através de correio eletrónico para Compras@aeportugal.com.

b) Os esclarecimentos a que se refere o número anterior serão prestados por escrito e dirigidos a todos os proponentes.

11.8. Análise e Exclusão das Propostas

São consideradas inaceitáveis as propostas que:

a) Respondam parcialmente aos elementos mencionados no ponto 9 e

b) Impliquem um preço contratual superior ao preço base fixado. Por preço contratual entende-se o preço da proposta apreentende-sentada.

A entidade adjudicante reserva o direito de não vir a selecionar nenhuma das propostas à presente consulta se após a ponderação criteriosa as circunstâncias assim o determinarem.

11.9. Minuta do Contrato, Notificação e Obrigações Contratuais

a) Ao adjudicatário, com base na presente consulta, será enviada cópia da minuta do contrato a celebrar,

para sua aprovação;

b) O adjudicatário terá que devolver a minuta aprovada ou com proposta de alterações, no prazo de

cinco dias úteis a contar da data da sua receção;

c) Será celebrado o contrato, em data a fixar pela entidade adjudicante com o acordo do adjudicatário; d) Os direitos de autor e conexos dos trabalhos adjudicados ficarão pertença da AEP. Os diferentes

suportes da proposta selecionada poderão ser utilizados em qualquer forma de comunicação e em qualquer altura.

(15)

11.10. Entidade Adjudicante

AEP – Associação Empresarial de Portugal Serviços de Compras

Avenida Dr. António Macedo, s/n 4450-617 Leça da Palmeira

12. Anexos

Plano de Comunicação - pdf

Imagem

Referências

temas relacionados :