RELATÓRIO DE ESTÁGIO 3/3 Período: de 24/11/2007 a 24/01/2007. REIVAX Automação e Controle

Texto

(1)

Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico

Departamento de Engenharia Mecânica Coordenadoria de Estágio do Curso de

Engenharia Mecânica

CEP 88040-970 - Florianópolis - SC - BRASIL www.emc.ufsc.br/estagiomecanica

estagio@emc.ufsc.br

RELATÓRIO DE ESTÁGIO – 3/3

Período: de 24/11/2007 a 24/01/2007

REIVAX – Automação e Controle

Nome do aluno: Tiago Francisco

Nome do supervisor: Fernando Amorim da Silveira Nome do orientador: Dr. Eng. Daniel Martins

(2)

Índice

Introdução... 3

A REIVAX Automação e Controle ... 4

Política da empresa ... 4

Missão ... 4

Visão ... 5

Outras informações... 5

Área de atuação na empresa ... 6

Departamento de Engenharia – Equipe de Projeto Mecânico ... 6

Departamento Comercial – Confecção de propostas técnicas... 6

Sobre reguladores de velocidade... 6

Atividades realizadas durante o período do estágio ... 7

Treinamento... 7

NR 10 – SEP ... 7

Apresentação dos resultados do projeto RH Itinerante... 7

Atividades internas do Departamento de Engenharia – Equipe Mecânica ... 7

Catalogagem de peças e ferramentas ... 7

Fornecimentos ... 8

F07015 – Coaracy Nunes - ELETRONORTE ... 8

F07054 – PCH Caveiras – CELESC... 8

F07059 – AES Minas PCH... 8

F07060 – Botijlaca UG01 e UG02 – COBEE ... 10

F07062 – PCH Piedade – MECAMIDI... 15

F07063 – Sandillal – ICE ... 16

F07066 – PCH Los Chillos – PACACEVI ... 16

F07068 – ALTUS Argentina ... 20

Resumo das atividades... 21

Discussões e conclusões... 22

Estágio como parte do processo de formação profissional ... 22

A REIVAX como empresa concedente de estágio ... 22

Referências ... 24

Anexos... 25

(3)

Introdução

O presente relatório descreve as atividades realizadas durante o período de 24/07/2007 a 24/01/2008, referente ao estágio curricular obrigatório do curso de Engenharia Mecânica da UFSC.

Conforme consta no item 8 do Programa de Atividades de Estágio, sobre as características do estágio, seu escopo segue a seguir:

(4)

A REIVAX Automação e Controle

A REIVAX Automação e Controle, empresa genuinamente brasileira, iniciou suas atividades em abril de 1987 com um patrimônio fundamentalmente constituído pelo conhecimento tecnológico e a experiência de seus fundadores. A qualificação e especialização em Controle da Geração e Transmissão de Energia Elétrica eram suas principais credenciais para desenvolver estas atividades na área de Sistemas de Potência.

Desenvolvedora de tecnologia própria para projeto e fabricação de sistemas de controle e regulação da geração, foi pioneira na aplicação de Controladores Micro-processados em Sistemas de Excitação de Geradores e Reguladores de Turbinas.

A REIVAX Automação e Controle é especializada no projeto e fabricação de equipamentos de controle e supervisão de sistemas de geração e transmissão de energia elétrica (Reguladores de Velocidade e Tensão baseadas no mesmo hardware de controle).

Possui larga experiência na modernização parcial ou total de sistemas de regulação de velocidade e sistemas de excitação e regulação de tensão adequando o sistema às necessidades do cliente.

No ano de 2006, em estudo realizado pela parceria EXAME PME e a consultoria Deloitte, entre as empresas médias que mais crescem no Brasil, a REIVAX Automação e Controle figurou entre as TOP 15.

A REIVAX Automação e Controle possui um Sistema de Gestão Integrado da Qualidade e do Meio Ambiente buscando melhorar continuamente a sua eficácia, de acordo com os requisitos da NBR ISO 9001:2000, e prevenir a poluição, conforme os requisitos da NBR ISO 14001:2004.

Política da empresa

"Aprender, criar e aplicar soluções tecnológicas inovadoras e rentáveis para o controle da geração de energia, atendendo ao mercado nacional e internacional, com respeito às necessidades do cliente, à legislação pertinente e ao meio-ambiente".

Missão

(5)

Visão

"Ser a referência na América Latina na modernização do controle da geração de energia, até 2008".

Outras informações

Principais segmentos atualmente com equipamentos REIVAX: • Centrais Térmicas (Carvão, Óleo, Gás e Outras);

• Centrais Termonucleares;

• Centrais Hidráulicas de Grande e Médio Porte; • Pequenas Centrais Hidráulicas (PCHs);

• Setor Sucroalcooleiro – co-geração e geração independente; • Setor Petroquímico – geração independente;

• Setor Químico – co-geração de energia; • Setor Alimentício – co-geração de energia;

• Controles de Grandes Motores Síncronos e Compensadores; • Setor Siderúrgico;

• Setor de Mineração; • Setor de Metalurgia;

• Conversora de Freqüência (60/50 Hz);

• Soluções Especiais para controle de Geração na Indústria (Cascata de Kramer).

Equipamentos fornecidos:

• Sistema de Excitação e Regulação de Tensão RTX; • Sistema de Regulação de Velocidade RVX;

• Regulador Integrado de Tensão e Velocidade RTVX; • Estabilizador de Sistemas de Potência – PWX; • Regulador de Tensão Compacto RTX1000; • Regulador de Velocidade Compacto RVX1000; • Sistema Digital de Supervisão e Controle;

• Sincronizador Automático de Geradores SNX100; • Soluções Especiais e Customizadas em Controle. Serviços prestados:

• Comissionamento de Reguladores;

• Registro de Sinais para Análise da Performance Dinâmica dos Modos de Controle;

• Identificação de Parâmetros e Validação de Modelos; • Medição e Otimização dos Ajustes dos Reguladores;

• Estudos de desempenho transitório e dinâmico da rede elétrica; • Projeto e Aplicação de Novas Leis de Controle;

(6)

Área de atuação na empresa

A atuação dentro do estágio se divide entre dois departamentos distintos (Engenharia e Comercial) conforme a divisão abaixo:

Departamento de Engenharia – Equipe de Projeto Mecânico

Fornecimentos

• Projeto de mecanismos de regulação de turbinas hidráulicas; • Projeto e especificação de atuadores eletro-hidráulicos;

• Testes e simulação de campo de atuadores eletro-hidráulicos; • Projeto de sistemas eletro-hidráulicos de regulação de turbinas. Ensaios e testes

• Desenvolvimento de sistemas de teste, bancadas e simuladores; • Ensaios de painéis de controle;

• Ensaios de unidades hidráulicas (inclusive de acessórios/componentes).

Departamento Comercial – Confecção de propostas técnicas

• Modelagem de sistemas mecânicos;

• Dimensionamento de servomotores e válvulas; • Confecção de diagramas hidráulicos;

• Especificação de componentes e instrumentação; • Cotação de peças, equipamentos e instrumentação.

Sobre reguladores de velocidade

Apesar dos estudos sobre controle, automação de componentes, hidráulica, entre outras áreas ligadas à regulação de velocidade, estarem bem avançados, com produtos já em mercado que agregam alta tecnologia (produtos de fabricantes como Bosch e Parker, entre outros), o mercado de geração de energia elétrica ainda utiliza conceitos que se consagraram e obtiveram bons resultados de longo prazo.

Muitos destes avanços ainda são economicamente inviáveis, mas estão sendo incorporados nos projetos de maneira gradual. Esta postura do mercado pode ser verificada em projetos de empresas como General Electric e ABB, além da própria REIVAX.

(7)

Atividades realizadas durante o período do estágio

O último período do estágio curricular passou-se num momento de firmação e amadurecimento dentro da empresa, participando mais profundamente e atuando em atividades que demandam maiores responsabilidades.

Treinamento

NR 10 – SEP

A REIVAX Automação e Controle ofereceu para seus colaboradores o treinamento para certificação na Norma NR 10 – SEP (Segurança no Sistema Elétrico de Potência). Além das aulas teóricas, que englobaram todas as atividades, normas e peculiaridades do trabalho em Sistemas Elétricos de Potência e de trabalho em altura, houve também uma aula prática de resgate em altura.

Apresentação dos resultados do projeto RH Itinerante

O RH da empresa apresentou os resultados da pesquisa de clima organizacional realizada no departamento de engenharia, além das ações previstas para o ano de 2008.

Atividades internas do Departamento de Engenharia – Equipe

Mecânica

Catalogagem de peças e ferramentas

(8)

Fornecimentos

F07015 – Coaracy Nunes - ELETRONORTE

- Revisões

- Desenhos mecânicos dimensionais;

Conforme retorno da ELETRONORTE, realizei as modificações solicitadas no documento para adequação às normas da mesma.

F07054 – PCH Caveiras – CELESC

- Teste dos transdutores de posição

Testei os transdutores de posição do fornecimento, verificando a sua alimentação, sua interação com o posicionador magnético e a variação do sinal de saída conforme a posição do ímã.

Além de variar seu sinal de saída entre 0 e 10V, respectivamente para as posições fechada e totalmente aberta, o transdutor emite um sinal de 11V quando o posicionador magnético está fora da faixa de medição, conferindo um sinal de erro ao sistema.

F07059 – AES Minas PCH

- Confecção da lista de materiais para instalação mecânica

Visando organizar o trabalho do comissionador deste fornecimento, confeccionei uma lista com todos os materiais e equipamentos que serão envolvidos na instalação dos equipamentos REIVAX, nas PCH’s de Congonhal I, Congonhal II, Henrique Portugal, Paes Leme, Pirambeira e Ribeirão.

A lista continha os equipamentos e peças dos seguintes itens: - Unidades Hidráulicas;

- Medição de pressão no conduto; - Medição de nível do poço;

- Medição de nível a montante; - Medição de nível a jusante;

- Medição de temperatura nos mancais do eixo da turbina; - Atuadores mecânicos;

(9)

Após a confecção da lista os materiais foram cadastrados e inseridos no SIGE (Sistema Integrado de Gestão Empresarial).

- Modificação no projeto de instalação dos medidores de nível dos poços Seguindo as orientações do supervisor de projeto mecânico, o projeto de instalação sofreu pequenas alterações, tomando a configuração mostrada a seguir.

Figura 1 - Instalação da medição de nível do poço

(10)

F07060 – Botijlaca UG01 e UG02 – COBEE

- Revisão dos desenhos mecânicos dimensionais

Para completar os desenhos mecânicos dimensionais do fornecimento (realizados no período do relatório anterior), revisei os desenhos existentes, incluindo indicações de soldas e a correção de tolerâncias, além de desenhar um novo atuador para o injetor na UG01, a sua instalação e o sistema de medição de posição através de um transdutor linear de posição. Também desenhei os sistemas de medições de posição dos defletores com transdutores lineares de posição e os sistemas de medição de velocidade através de rodas dentadas e sensores de rotação.

Figura 3 - Sistema de Medição de Velocidade de F07060

- Atualização da Planilha de Avaliação de Projeto

Verificando as ordens de compra para o fornecimento, preenchi a Planilha de Avaliação de Projeto, atualizando os valores relativos aos custos do projeto em equipamentos e materiais de instalação.

- Conferência das unidades hidráulicas

Assim que as unidades hidráulicas do fornecimento chegaram até a empresa, elas passaram por uma verificação onde atentei para os seguintes pontos:

(11)

- Verificação dos equipamentos instalados na unidade hidráulica;

- Verificação da especificação dos componentes instalados.

Figura 4 - Unidade Hidráulica de F07060

- Conferência das peças mecânicas

Ao chegarem na empresa, todas as peças mecânicas foram verificadas, onde conferi se todas elas condiziam com a especificação de pintura, se respeitavam as características dimensionais do projeto e se os acoplamentos e mecanismos cumpriam suas funções.

(12)

- Conferência dos cilindros hidráulicos

Após a chegada dos cilindros hidráulicos, conferi as suas dimensões principais, como o diâmetro das hastes, as roscas para as uniões dos cilindros e as roscas para fixação das conexões de saída para a tubulação de óleo.

Figura 6 - Cilindro hidráulico de acionamento do injetor

- Teste das unidades hidráulicas

Testei as unidades hidráulicas do fornecimento, juntamente com seus painéis de controle, visando o ensaio de fábrica com representantes do cliente.

Os testes foram compostos das seguintes atividades:

- Verificação das ligações elétricas, englobando testes de continuidade das ligações, batimentos de relés e acionamentos elétricos, assim como a identificação e fixação de todos os cabos;

- Medição da corrente em vazio e em carga dos motores elétricos, verificando se os valores estão dentro da faixa recomendada pelo fabricante;

- Ajuste dos indicadores de pressão e temperatura conforme N1500;

(13)

demais condições de funcionamento, obedecendo a intermitência prevista em projeto;

- Verificar a atuação dos indicadores de falhas;

- Ajustar as válvulas de alívio e segurança conforme pressão especificada no projeto;

- Verificar se há vazamentos com a unidade operando em alta pressão;

- Verificar o acionamento das válvulas direcionais e proporcionais manualmente;

- Verificar o funcionamento das válvulas reguladoras de vazão. - Ensaio de fábrica

Para o ensaio de fábrica, repeti todos os passos dos testes na presença dos representantes da COBEE, sendo que todos os equipamentos funcionarem perfeitamente.

Figura 7 - Vista frontal de uma das unidades hidráulicas do fornecimento

(14)

Figura 9 - Detalhe do sistema de bombeamento e intermitência

- Revisão dos diagramas hidráulicos

Revisei o diagrama hidráulico das unidades para adequar a numeração dos itens conforme os equipamentos da unidade hidráulica.

- Teste do transdutor de posição

Testei os transdutores de posição do fornecimento, verificando a sua alimentação, sua interação com o posicionador magnético e a variação do sinal de saída conforme a posição do ímã.

Além de variar seu sinal de saída entre 0 e 10V, respectivamente para as posições fechada e totalmente aberta, o transdutor emite um sinal de 11V quando o posicionador magnético está fora da faixa de medição, conferindo um sinal de erro ao sistema.

- Projeto de proteção dos contatos dos motores 125VCC

As características de construção dos motores 125VCC utilizados na unidade hidráulica deixam os seus contatos de alimentação muito expostos, prejudicando a segurança do equipamento.

(15)

F07062 – PCH Piedade – MECAMIDI

- Projeto de fixação do sistema de medição de posição

Para este fornecimento, projetei a fixação do transdutor linear de posição, assim como sua fixação no equipamento existente na usina. Desta forma é possível controlar a posição do cilindro e, conseqüentemente, a abertura do distribuidor da turbina.

Figura 10 - Instalação do Sistema de Medição de Posição

- Confecção da lista de material para instalação mecânica

(16)

F07063 – Sandillal – ICE

- Revisão do diagrama hidráulico

Revisei o diagrama hidráulico, verificando sua lógica de funcionamento e formatando o arquivo conforme o padrão da empresa.

Figura 11 - Diagrama hidráulico de F07063

F07066 – PCH Los Chillos – PACACEVI

- Estudo inicial do fornecimento

Antes do início das etapas de projeto do fornecimento, estudei a usina através de fotos e documentação, adquirindo dados e formulando conceitos iniciais.

- Projeto do sistema de medição de velocidade (SMV)

(17)

Figura 12 - Sistema de Medição de Velocidade de F07066

- Projeto de atuação do injetor e do sistema de medição de posição

Conforme a força exercida pelo fluxo de água no canal de adução e a área de contato da agulha do injetor, selecionei o cilindro hidráulico para sua atuação, projetando a instalação do sistema de atuação e do sistema de medição de posição.

(18)

- Projeto de atuação da válvula de adução

Para o controle da válvula de adução, projetei sua atuação utilizando um motor elétrico acoplado ao sistema de acionamento manual que existia na usina.

Figura 14 - Instalação do sistema de controle da válvula de adução

- Projeto de atuação da válvula By-pass

(19)

Figura 15 - Instalação do sistema de controle da válvula by-pass

- Confecção da lista de catálogos

Complementando a documentação do projeto, confeccionei a lista de catálogos dos equipamentos utilizados no fornecimento, proporcionando ao cliente informações adicionais aos desenhos mecânicos dimensionais e diagrama hidráulico.

- Confecção do Plano de Inspeção e Testes da unidade hidráulica (PIT UH) Baseado nos padrões de inspeção e testes da REIVAX Automação e Controle confeccionei o Plano de Inspeção e Testes da unidade hidráulica, considerando as ligações e lógicas elétricas, o acionamento dos alarmes pelos sensores e o funcionamento do sistema de atuação.

- Confecção do Manual Técnico da UH

Confeccionei o documento intitulado de Manual Técnico da UH, onde os componentes, o funcionamento e a manutenção da unidade hidráulica são explicitados.

(20)

- Funcionamento e recarga de acumuladores; - Funções do painel de controle;

- Instalação;

- Início de operação e funcionamento; - Limpeza dos filtros;

- Análise periódica do óleo; - Limpeza do reservatório;

- Manutenção da pressão e do nível de óleo no sistema; - Manutenção corretiva.

- Confecção da lista de materiais de instalação mecânica

Visando organizar o trabalho do comissionador deste fornecimento, confeccionei uma lista com todos os materiais e equipamentos que serão envolvidos na instalação dos equipamentos da REIVAX Automação e Controle.

F07068 – ALTUS Argentina

- Revisão do diagrama hidráulico

Revisei o diagrama hidráulico do fornecimento em questão, adicionando a lista de materiais e confeccionando a lista de catálogos.

- Revisão do Manual Técnico da UH

Anteriormente ao envio para o cliente, revisei todo o documento, verificando se todos os tópicos importantes constavam no mesmo.

- Projeto de atuação de turbina de máquina térmica

Projetei a instalação do cilindro que atua na movimentação de uma cremalheira, que por sua vez controla a turbina da máquina térmica.

- Teste do transdutor de posição

Testei os transdutores de posição do fornecimento, verificando a sua alimentação, sua interação com o posicionador magnético e a variação do sinal de saída conforme a posição do ímã.

Além de variar seu sinal de saída entre 0 e 10V, respectivamente para as posições fechada e totalmente aberta, o transdutor emite um sinal de 11V quando o posicionador magnético está fora da faixa de medição, conferindo um sinal de erro ao sistema.

(21)

Resumo das atividades

• Treinamentos técnicos e organizacionais;

• Participação em fornecimentos, englobando todas as etapas do projeto mecânico;

• Participação em ensaios e testes, reforçando os conhecimentos teóricos e aplicando-os na prática;

(22)

Discussões e conclusões

Estágio como parte do processo de formação profissional

Assim como o aprendizado em sala de aula e a participação atividades como a empresa júnior, o AeroDesign, laboratórios e os trabalhos práticos do curso, o estágio curricular vem se firmando como um passo essencial no processo de formação profissional.

O estágio curricular, em especial, desenvolve e reforça as habilidades necessárias para a profissão e propicia ao estagiário a oportunidade de colidir as experiências teóricas e práticas.

As experiências em projetos e testes realizados na empresa têm sido muito gratificantes, trazendo rapidamente muitos conhecimentos e a familiaridade com a área.

Durante o período de estágio, fazendo uma relação entre as atividades desenvolvidas e o aprendizado trazido do curso de engenharia mecânica, algumas questões ficaram evidentes:

- A importância de trabalhos de projeto, como em casos de disciplinas como Geração e Distribuição de Vapor, Elementos de Máquinas II, entre outras. Estes trabalhos exercitam e fortalecem os conceitos teóricos, além de se assemelharem com atividades de projeto no mercado, estimulando o aluno a desenvolver soluções próprias e trabalhar com as limitações teóricas e particularidades de atividades práticas.

- As poucas horas do curso dedicadas ao ensino de sistemas hidráulicos e pneumáticos, levando em consideração sua elevada aplicação no meio industrial.

- Poucas atividades relacionadas com conhecimentos em elétrica e automação. Apesar da disciplina de Circuitos Eletrônicos Aplicados a Engenharia Mecânica, seus conceitos foram pouco utilizados no decorrer do curso.

A REIVAX como empresa concedente de estágio

(23)

categoria média empresa. Estas qualificações foram confirmadas e ficaram evidentes no decorrer do período de estágio.

A versatilidade exigida pelas funções desempenhadas pela Equipe de Projeto Mecânico dentro da empresa possibilita ao estagiário absorver muitos conhecimentos de áreas diversas, contribuindo profundamente para sua formação como um profissional mais completo.

O aprendizado é ainda mais frutífero devido à qualidade da empresa e a competência dos seus colaboradores. Vale ressaltar a enorme disponibilidade dos colaboradores para tirar dúvidas, repassar experiências e orientar as atividades, que vem sendo muito importante neste processo de aprendizado.

(24)

Referências

LINSINGEN, IRLAN VON. Fundamentos de Sistemas Hidráulicos. 2. Ed. Florianópolis: Editora da UFSC, 2003.

PROVENZA, FRANCESCO. Projetista de Máquinas – PROTEC. 1. Ed. São Paulo: Editora F. Provenza, 1960.

MANNESMANN REXROTH. Princípios Básicos e Componentes da Tecnologia dos Fluidos. Volume 1. 2. Ed. Diadema: 1991.

MANNESMANN REXROTH. Proyecto y Construcción de Equipos Hidráulicos. Volume 3. 1. Ed. 1988.

SCHREIBER, GERHARD P. Usinas Hidrelétricas. Ed. Rio de Janeiro: Editora Edgard Blücher: 1977.

FOX, ROBERT W.; McDONALD, ALAN T. Introdução à Mecânica dos Fluidos. 4. Ed. Rio de Janeiro: Editora LTC, 1998.

DE NEGRI, VICTOR JULIANO. Sistemas Hidráulicos e Pneumáticos. LASHIP - UFSC - Apostila. 1. Ed. Florianópolis: 2001.

VOITH. Reguladores Eletro-Hidráulicos para Turbinas Hidráulicas. VOITH. REIVAX Automação e Controle. Manuais Internos e Memoriais de Cálculo.

(25)

Anexos

Reguladores de Velocidade

O regulador de velocidade deve agir no sentido de fornecer uma rotação constante (na velocidade síncrona) durante a operação em regime permanente de um gerador síncrono. Durante o regime transitório, este atua no sentido de minimizar as variações de velocidade e freqüência, melhorando desta forma a estabilidade global de um sistema elétrico. É, no entanto, importante enfatizar que um bom projeto de um regulador de velocidade, associado aos ajustes adequados de seus controles, são fatores imprescindíveis para alcançar esta estabilidade.

Mais especificamente, um regulador de velocidade deve ser capaz de:

a) Manter a freqüência da máquina no valor definido pelo operador, ou manter uma determinada relação entre freqüência e potência ativa (estatismo) em toda região de operação;

b) Manter a velocidade dentro dos limites aceitáveis de trabalho mesmo em rejeições de plena carga ou outros distúrbios severos no sistema de potência;

c) Ser capaz de propiciar uma partida rápida e sem sobre-elevações na rotação; d) Ser capaz de responder, com desempenho adequado, aos comandos do operador ou sincronizador automático quando da sincronização da unidade com o sistema;

e) Possuir razoável velocidade de resposta de maneira a corrigir as variações de freqüência impostas por variação de carga, geração ou por chaveamentos no sistema;

f) Ser capaz de tomar carga de maneira linear e rápida de acordo com os comandos do operador, controlador conjunto ou controle de carga e freqüência, sem que para isto seja necessário degradar a regulação da malha de controle de velocidade;

(26)

h) Ser capaz de conjugar abertura do distribuidor e roda, em função da queda bruta, em turbinas Kaplan, de modo a maximizar o rendimento;

i) Ser capaz de conjugar agulha e defletor de forma a que o defletor seja inserido no menor tempo possível durante rejeições de carga em turbinas do tipo Pelton;

Estas funções são as mais importantes. Há outras funções, com as quais o RV deve ser dotado, tal como proteção, alarme e sinalização.

Modernização

Na sua forma mais simples os reguladores de velocidade de turbinas hidráulicas incluem as seguintes partes:

1. Um sensor de velocidade e uma referência de velocidade; 2. Amplificadores do erro de velocidade;

3. Um ou mais servomotores para variar a posição do distribuidor da unidade.

No passado, outras partes consistiam de dispositivos mecânicos ou oleodinâmicos. Recentemente, amplificadores magnéticos ou eletrônicos têm sido usados, tornando mais fácil o controle da abertura do distribuidor por outros sinais além da velocidade. O projeto do regulador de velocidade eletro-hidráulico vem sofrendo grandes mudanças com respeito ao regulador mecânico convencional, com as possibilidades advindas do uso de sinais elétricos sendo cada vez mais exploradas.

Seria desejável desvincular o regulador propriamente dito dos atuadores, isto é, da parte de potência que executa os comandos e a que age sobre o distribuidor. Esta é a idéia fundamental da configuração moderna do regulador de velocidade.

COMPOSIÇÃO DO REGULADOR DE VELOCIDADE

O Regulador de Velocidade completo, na maior parte dos casos, é composto pelos seguintes componentes:

(27)

• Painel de Operação (IHM - LCD) • Controlador Lógico Programável • Fontes de alimentação

• Amplificadores isoladores

• Amplificador de saída (para o transdutor eletro-hidráulico) • Transdutor de Potência

• Relés auxiliares, opto-acopladores, disjuntores e régua de bornes • Unidade Hidráulica com válvulas e transdutor(es) eletro-hidráulico(s) • Acumulador Ar-óleo

• Compressor de Ar

• Dispositivo de detecção de velocidade (Sondas de rotação + roda dentada) • Transdutor de Posição do Distribuidor

Imagem

Referências

temas relacionados :