JOANA VASCONCELOS I M YOUR MIRROR

Texto

(1)

I’M YOUR MIRROR

JOANA

VASCONCELOS

(2)

Capa Cover: Joana Vasconcelos, I'll Be Your Mirror, 2018. Bronze e espelhos Bronze and mirrors. Edição de Edition of 7 + 1 PA AP. Coleção da artista Collection of the artist.

VISITAS ORIENTADAS GUIDED TOURS

23 FEV FEB | Sáb Sat | 15h30 3:30 p.m.

Por By Laredo, Associação Cultural Cultural Association (Língua Gestual Portuguesa Portuguese Sign Language)

10 MAR | Dom Sun | 12h00 12 p.m.

Por By José Costa, educador educator (português Portuguese)

31 MAR | Dom Sun | 12h00 12 p.m.

Por By Rita Faustino, educadora educator (português Portuguese)

28 ABR APR | Dom Sun | 12h00 12 p.m.

Por By José Costa, educador educator (português Portuguese)

11 MAI MAY | Sáb Sat | 15h30 3:30 p.m.

Por By Laredo, Associação Cultural Cultural Association (Língua Gestual Portuguesa Portuguese Sign Language)

26 MAI MAY | Dom Sun | 12h00 12 p.m.

Por By Rita Faustino, educadora educator (português Portuguese)

09 JUN | Dom Sun | 12h00 12 p.m.

Por By José Costa, educador educator (português Portuguese)

16 JUN | Dom Sun | 12h00 12 p.m.

Por By Rita Faustino, educadora educator (português Portuguese)

VISITA-OFICINA PARA FAMÍLIAS VISIT-WORKSHOP FOR FAMILIES

19 MAI MAY | Dom Sun | 11h00 11 a.m.

Por By José Costa e and Rita Faustino, educadores educators

(português Portuguese)

CONVERSAS TALKS

19 FEV FEB | Ter Tue | 18h30 6:30 p.m.

Com With Joana Vasconcelos e and Enrique Juncosa, comissário da exposição exhibition curator

10 MAI MAY | Sex Fri | 18h30 6:30 p.m.

Conversa sobre "A Máscara na Arte" com with Joana Vasconcelos e and Alain Grouette, terapeuta e naturopata therapist and naturopath

OFICINA WORKSHOP

16 MAR | Sáb Sat | 10h00 10 a.m.

Oficina para professores e educadores Workshop for teachers and educators com with Joana Vasconcelos

11 MAI MAY | Sáb Sat 12 MAI MAY | Dom Sun

Workshop "Behind your Mask – A Journey to your Authentic Self" com with Alain Grouette, terapeuta e naturopata therapist and naturopath e and Fausta Rendall, terapeuta therapist

PERCURSO ITINERARY

15 JUN | Sáb Sat | 17h00 5 p.m.

Por By José Costa, educador educator

(3)

JOANA VASCONCELOS

I'M YOUR MIRROR

Em finais de 1990, duas exposições patentes em Nova Iorque e Paris exploravam temas afins: High & Low, Modern Art and Popular Culture, no MoMA, e Art et Publicité, no Centre Georges Pompidou. Ambas refletiam, em última instância, o empenho de muitos artistas, visível sobretudo a partir dos anos 1960, de reconectar a arte com a vida real.

O trabalho de Joana Vasconcelos, artista portuguesa nascida em Paris em 1971 que co- meçara a expor em meados dos anos 1990, está claramente relacionado com esse em- penho. Além disso, o início da sua trajetória acontece num momento em que a forma de fazer arte está a mudar. Numerosos ar- tistas, renegando o formalismo, procuram significados complexos e a participação do espectador. Estes mesmos artistas interes- sam-se por questões de identidade cultural, sexual e individual e pela experiência que pressupõe viver num mundo totalmente me- diado por imagens. O significado converte-se numa questão central.

Neste contexto, a forma como a arte de Vasconcelos se aproxima da vida real passa pelo emprego de imagens, materiais e téc- nicas que fazem parte da cultura popular do seu país, algo que no seu trabalho se traduz no uso recorrente a azulejos, bordados ou cerâmicas populares; na forma como faz as suas próprias versões de imagens icónicas de Portugal, como o galo de Barcelos, o coração de Viana ou os fados de Amália Rodrigues;

ou a sua preferência por formas complexas e barrocas e a sua mistura de cores e ma- teriais. Como sugere o título da exposição, homenagem à célebre canção de Nico & The Velvet Underground — que Vasconcelos alte- rou pondo o verbo no presente —, a artista quer que a sua arte reflita o momento histó- rico em que surge. E fá-lo, além do mais, de uma forma aliciante e divertida, explorando temas que encerram problemáticas muito

complexas, como a emigração, a condição da mulher, as desigualdades sociais e culturais ou a omnipresença da violência. O espelho que a obra de Vasconcelos configura é um espelho crítico, uma vez que sugere uma vontade de mudar a sociedade que reflete.

A exposição que agora se apresenta inclui mais de trinta e cinco obras, realizadas de 1997 até à atualidade, cobrindo um período de pouco mais de duas décadas e reunindo algumas das obras mais conhecidas e emble- máticas da artista, como Cama Valium (1998);

Burka (2002); A noiva (2001–05); Coração independente vermelho (2005); Marilyn (2011); ou Lilicoptère (2012). Além destas, a mostra inclui também um considerável número de obras novas, incluindo vários ani- mais de cerâmica de Rafael Bordalo Pinheiro revestidos de bordados em croché. Esta mesma técnica é ironicamente usada por Vasconcelos numa série de urinóis, tam- bém revestidos de croché, à qual pertence Ni te tengo, ni te olvido [Nem te tenho, nem te esqueço] (2017), peça em que a artis- ta se apropria do célebre urinol de Marcel Duchamp. Finisterra (2018), outra obra iné- dita, pertence à série Pinturas em croché, através da qual a artista se refere com hu- mor à pintura. A sua escala é monumental, mas a técnica com que foi elaborada é do- méstica e feminina: volumes de tecidos são cosidos de modo a configurar imagens ou estruturas abstratas multicolores e são a seguir encaixilhados em molduras douradas, que sublinham o seu aspeto paródico, e pen- durados na parede como quadros.

Joana Vasconcelos: I’m Your Mirror inclui ainda várias obras de escala monumental instaladas ao ar livre, como Solitário (2018).

Esta obra, apresentada pela primeira vez em Portugal, tem a forma de um anel de sete me- tros de altura, realizado com jantes douradas e coroado por um suposto enorme diamante constituído por copos de whisky de cristal, sendo o todo acoplado sobre uma estrutu- ra de ferro e aço. Mais uma vez a escala, as

(4)

conotações da imagem, as jantes douradas que sugerem automóveis caros e os copos de whisky em cristal — característicos de um esti- lo de vida afim a tudo isto — apresentam uma visão irónica do luxo e do poder de compra, e da sua fundamentação na superficialidade.

Os trabalhos de Vasconcelos convertem- -se em emblemas do feminino, ao mesmo tempo que sugerem a existência de diferen- tes pontos de vista. Um dos aspetos mais atraentes da obra da artista, em paralelo com o impacto visual dos seus trabalhos e o sentido de humor que denotam, é justa- mente a forma como devolve às imagens um sentido de mistério, depois das múltiplas crises da representação que a arte contem- porânea explorou até à saciedade.

A obra de Vasconcelos continua uma tradição analítica da arte que vai de Duchamp a Jeff Koons, passando por Jasper Johns e Andy Warhol. Tal como estes artistas, ela recorre a imagens e objetos encontrados de natureza distinta, que podem ser coisas úteis, come- morativas, lúdicas, ameaçadoras, infantis ou estéticas, transformando-as em algo digno de uma atenção que normalmente não recebe- riam. Ao fazê-lo, Vasconcelos cria o relato de uma transformação que, apesar de toda a sua parafernália externa, pode também entender- -se como o espelho de uma aventura interior.

Exposição organizada pelo Museo Guggenheim Bilbao, em parceria com a Fundação de Serralves, Museu de Arte Contemporânea, e Kunsthal Rotterdam, Holanda.

Comissariada por Enrique Juncosa.

OUTRAS OBRAS DA ARTISTA A DESCOBRIR

Porto — Avenida Marechal Gomes da Costa Portugal a Banhos, 2010

Aeroporto Francisco Sá Carneiro Obra e data a definir

Barcelos — Avenida da Liberdade Pop Galo, 2016

A Câmara Municipal do Porto, a ANA Aeroportos de Portugal, S.A. e a Câmara Municipal de Barcelos são Fundadoras de Serralves.

EXPOSIÇÃO

Coordenação: Isabel Braga

Produção: Isabel Braga e Atelier Joana Vasconcelos Registo: Inês Venade

Equipa de montagem: Adelino Pontes, João Brites, Atelier Joana Vasconcelos e Iterartis

Arquitetura de exposição: Atelier Joana Vasconcelos Vídeo: Carla Pinto

Som: Nuno Aragão

Aprovisionamento: Carlos Teixeira e Susana Meireles

CATÁLOGO

O catálogo da exposição é uma coedição da Fundação de Serralves, do Museo Guggenheim Bilbao e La Fábrica, e in- clui textos de Enrique Juncosa, Idalina Conde, Petra Joos e José Luís Peixoto em conversa com Joana Vasconcelos.

(5)

Néctar Nectar, 2006

Marilyn (PA AP), 2011 Pavillon de Thé, 2012

Solitário Solitaire, 2018

Lycée Français de Porto Museu Museum Portugal a Banhos

Portugal Swimming, 2010

Avenida Mar echal Gome

s da Costa

(6)

JOANA VASCONCELOS

I'M YOUR MIRROR

Two exhibitions, shown in New York and Paris at the end of 1990, explored related themes: High & Low: Modern Art and Pop- ular Culture at MoMA, and Art et Publicité at Centre Georges Pompidou. Ultimately, they both reflected the commitment on the part of many artists, particularly from the 1960s onwards, to reconnect art and real life. The work of Portuguese artist Joana Vasconcelos (Paris, 1971) is clearly linked to that commitment. Vasconcelos’ first exhibi- tions date from the mid-1990s, a moment of change for art making when numerous artists refused formalism, turning instead to a search for complex meaning and the participation of viewers. Cultural, sexual and individual identity and the experience of liv- ing in a totally image-mediated world were main objects of their interest. Meaning be- came a core issue.

In pace with the spirit of the time, Vascon- celos’ art merges with real life. Images, materials and techniques from her coun- try’s folk culture translate into the recurrent use of azulejo tiles, embroidery or vernac- ular pottery; the production of her own versions of iconic Portuguese images, such as the Barcelos cockerel, the Viana filigree heart or Amália Rodrigues’ fados; her pen- chant for complex, baroque shapes; and the combination of colours and materials.

As suggested in the exhibition’s title — a tribute to the famous song by Nico & The Velvet Underground which Vasconcelos al- tered by changing the verb to the present tense —, the artist wants her art to reflect its time. With wit and humour, Vasconcelos addresses complex issues, such as emigra- tion, women’s condition, social and cultural inequality or the omnipresence of violence.

The mirror that Vasconcelos’ oeuvre puts together is a critical one inspiring a will to change the society it reflects.

The exhibition now on show features more than thirty-five works from 1997 to date, spanning a period of just over two decades and bringing together some of her bet- ter-known and iconic pieces, such as Cama Valium [Valium Bed] (1998); Burka (2002);

A noiva [The Bride] (2001–05); Coração in- dependente vermelho [Red Independent Heart] (2005); Marilyn (2011); or Lilicoptère (2012). The show also features a consid- erable number of new works, including several animals in ceramics, in the style of Portuguese artist Rafael Bordalo Pinheiro, covered in crochet. This needlework is also ironically used by Vasconcelos in a series of urinals that includes Ni te tengo, ni te olvido [I Neither Have You, Nor Forget You] (2017), a piece that appropriates Marcel Duchamp’s famous urinal. Another new work, Finisterra (2018), from the series ‘Crochet Paintings’

which discusses the status of painting.

Despite its monumental scale, the piece was made using a contrastingly domestic and feminine technique: volumes of fabric stitched to create multi-coloured abstract images or structures are mounted on gold- en frames hung on walls like paintings.

Joana Vasconcelos: I’m Your Mirror also features several outdoor monumental scale works, including Solitário [Solitaire] (2018), here shown for the first time in Portugal.

Mounted on an iron and steel structure, the work consists of a seven-metre tall ring made with golden wheel rims topped with a huge diamond formed with crystal whisky glass- es — the accoutrements of a whole lifestyle.

Here again the scale and the connotations associated with the materials used and the object created offer an ironic vision on luxury and acquisitive power, as well as on their fun- damental superficiality.

Vasconcelos’ works become the emblems of the feminine while acknowledging the existence of different points of view. This capacity to restore a sense of mystery to images, by-passing the multiple crises of

(7)

representation that contemporary art has explored to exhaustion, is, alongside their strong visual impact and the humour they convey, one of their most attractive features.

Pursuing an analytical tradition in art that spans from Duchamp to Jeff Koons, via Jasper Johns and Andy Warhol, Vascon- celos explores a disparate pool of found images and objects — utilitarian, com- memorative, ludic, threatening, infantile or aesthetical — now the recipients of renewed attention. The result in an account of a transformation that, despite all its external paraphernalia, can be understood as the mirror of an inner adventure.

Exhibition organized by the Guggenheim Museum Bilbao, in partnership with the Serralves Foundation, Museum of Contemporary Art and Kunsthal Rotterdam, The Netherlands. Curated by Enrique Juncosa.

OTHER WORKS OF THE ARTIST TO DISCOVER

Porto — Avenida Marechal Gomes da Costa Portugal Swimming, 2010

Aeroporto Francisco Sá Carneiro Work and date to be determined Barcelos — Avenida da Liberdade Pop Rooster, 2016

The Porto City Council, ANA Aeroportos de Portugal, S.A. and the Barcelos City Council are founders of the Serralves Foundation.

EXHIBITION

Coordination: Isabel Braga

Production: Isabel Braga and Atelier Joana Vasconcelos Registrar: Inês Venade

Installation team: Adelino Pontes, João Brites, Atelier Joana Vasconcelos and Iterartis

Exhibition design: Atelier Joana Vasconcelos Video: Carla Pinto

Sound: Nuno Aragão

Logistics: Carlos Teixeira and Susana Meireles

CATALOGUE

The catalogue of the exhibition is a coedition of the Serralves Foundation, Guggenheim Museum Bilbao and La Fábrica, and includes texts by Enrique Juncosa, Idalina Conde, Petra Joos and José Luís Peixoto in con- versation with Joana Vasconcelos.

(8)

Fundação de Serralves Rua D. João de Castro, 210 4150—417 Porto — Portugal serralves@serralves.pt Geral General line:

(+ 351) 808 200 543 (+ 351) 226 156 500

Apoio institucional Institucional support

www.serralves.pt /fundacaoserralves /serralves_twit /fundacao_serralves /serralves

LOJA SHOP

Uma referência nas áreas do design, onde pode adquirir também uma recordação da sua visita.

A leading retail outlet for the areas of design, where you can purchase a souvenir to remind you of your visit.

Todos os dias Everyday: 10h00—19h00 loja.online@serralves.pt

www.loja.serralves.pt

LIVRARIA BOOKSHOP

Um espaço por excelência para todos os amantes da leitura.

The perfect place for all book lovers.

Ter Tue—Dom Sun—Fer Holidays: 10h00—19h00 Seg Mon - Encerrado Closed

RESTAURANTE RESTAURANT

Desfrute de um vasto número de iguarias e deixe-se contagiar pelo ambiente que se faz viver com uma das mais belas vistas para o Parque.

Enjoy a wide range of delicacies and allow yourself to be captivated by the environment associated to one of the most beautiful views over the Park.

Seg Mon—Sex Fri: 12h00-19h00

Sáb Sat-Dom Sun-Fer Holidays: 10h00—19h00 restaurante.serralves@ibersol.pt

BAR

Onde pode fazer uma pausa acompanhada de um almoço rápido ou um lanche, logo após à visita às exposições.

In the Bar of Serralves Auditorium you can take a break, with a quick lunch or snack, after visiting the exhibitions.

Todos os dias Everyday: 10h00—19h00

VISITAS ORIENTADAS ÀS EXPOSIÇÕES GUIDED TOURS TO THE EXHIBITION

Realizar uma visita orientada permite aprofundar o conhecimento e a vivência das exposições a partir de percursos desenvolvidos pelos educadores do Serviço Educativo.

The guided tour provides a unique framework and context, allowing visitors to become more familiar with contemporary artistic production.

Acesso: Mediante aquisição de ingresso Museu+Parque

Access: Museum+Park admission ticket

VISITAS PARA ESCOLAS TOURS FOR SCHOOLS

Sujeitas a marcação prévia, com uma antecedência mínima de 15 dias.

Para mais informações e marcações, contactar (2ª a 6ª feira, 10h-13h/14h30-17h) Minimum two—week advance booking is required. For further information and booking, please contact (Monday to Friday, 10 a.m.—1 p.m.

and 2:30—5:00 p.m.)

Cristina Lapa: ser.educativo@serralves.pt Tel. (linha direta/direct line): 22 615 65 00 Tel: 22 615 65 46

Fax: 22 615 65 33

Marcações online emOnline booking at www.serralves.pt

PT

Dom 12h00—13h00 PT

Sun 12 p.m.— 1 p.m.

CASA DE CHÁ TEAHOUSE

O local ideal para a sua pausa do ritmo citadino ou para o descanso de uma visita pelo Parque.

The ideal place to take a break from the bustling city or rest during a visit to the Park.

Seg Mon—Sex Fri: 12h00—18h00

Sáb Sat—Dom Sun—Fer Holiday: 11h00—19h00 FEV 2019

Mecenas Exclusivo da Exposição e do Museu Exclusive Sponsor of the Exhibition and the Museum Media partners

Apoio Support

Imagem

Referências

temas relacionados :