Plano anticrise reduz até 10% o preço do carro zero

Texto

(1)

RECICLE A INFORMAÇÃO: PASSE ESTE JORNAL PARA OUTRO LEITORO Jornal Metro é impresso em papel certificado FSC, com garantia de manejo florestal responsável, pela gráfica CGB Artes Gráficas.

Rodovia terá uma faixa sacrificada em horários de pico para agilizar o fluxo no sentido que apresenta congestionamento

{pág 03}

MG desafogará 381 com sistema de reversão

MINAS GANHA CAMINHÃO QUE VAI ESPALHAR CIÊNCIA E CONHECIMENTO

{pág 04}

Grupo leva 300 kg de dinamite de mineradora

Ação ousada de criminosos foi registrada em Contagem

{pág 02}

Chegada de Jô deixa artilheiro André satisfeito

Atacante acredita que eles irão formar dupla de sucesso

{pág 16}

GUSTAVO ANDRADE/METRO BH

O sombrio Caravaggio

A recém-descoberta ‘Medusa Murtola’ integra a maior exposição do pintor italiano já realizada na América do Sul, na Casa Fiat de Cultura

{págs 10 e 11}

A partir de hoje

GUSTAVO ANDRADE/METRO BH

Mín 13°C Máx 24°C

BELO

HORIZONTE

Terça-feira,

22 de maio de 2012 Edição nº 159, ano 1

QUERIDINHO

DEPOIS DE ‘CREPÚSCULO’, ROBERT PATTINSON CAI

NA GRAÇA DE CRONENBERG

Pacote que visa estimular o consumo diminui o IPI e libera R$ 18 bilhões em compulsórios para o financiamento de veículos IOF sobre o crédito também sofre redução Valor nas concessionárias deve cair a partir de hoje {pág 06}

Plano anticrise reduz até 10% o preço do carro zero

{pág 08}

(2)

O “escracho” promovido por militantes em frente à casa de um médico-legista da Polícia Civil na época da ditatura militar, no bairro Belvedere, no início do mês, foi apenas um ensaio da grande mobilização que ocorrerá em Minas, nos próximos meses, em conse- quência da instalação da Comissão da Verda- de, na semana passada, em Brasília. Grupos

de defesa de direitos humanos e parentes de vítimas da ditadura militar implantada pelo golpe de 1964 já começaram a agir para aju- dar a Comissão da Verdade a apurar as tortu- ras e assassinatos políticos ocorridos durante aquele período em nosso estado que conti- nuam impunes quase três décadas após a re- democratização do país.

O movimento para subsidiar a Comissão da Verdade será comandado pelo grupo cria- do em agosto do ano passado pela OAB de Mi- nas, a chamada Comissão da Verdade e do Memorial da Anistia. De acordo com levanta- mento feito pelo assessor especial desta co- missão, o ex-vereador Betinho Duarte, são 74 os crimes a serem apurados envolvendo mili- tantes políticos mineiros ou militantes de ou- tros estados assinados em Minas: são 25 casos de militantes mineiros assassinados fora de Minas, 25 mineiros desaparecidos (dos quais

oito na guerrilha do Araguaia) e 16 militantes políticos assassinados em Minas. A esses 66 casos, somam-se outros oito do período pré- golpe: as vítimas do Massacre de Ipatinga, co- mo ficou conhecida a repressão da Polícia Mi- litar a uma manifestação de operários da Usi- minas.

Um dos 16 casos de militantes de outros es- tados assassinados em Minas começou a ser desvendado recentemente, com a confissão de um ex-agente da repressão, Cláudio Guer- ra. Ex-delegado de polícia, ele revelou no li- vro “Memórias de uma guerra suja” o para- deiro do corpo do ex-militante do PCB Nestor Veras, que desapareceu em abril de 1975.

Guerra assume que executou Veras na Dele- gacia de Furtos e Roubos de BH e o enterrou numa mata próxima de BH, que Betinho pre- sume ser a Mata do Inferno, conhecido local de desova de corpos por policiais.

O jornalista Teodomiro Braga assina todas as terças-feiras esta coluna, que traz os bastidores da política local e regional.

MINAS EM REVISTA

HORA DA VERDADE

TEODOMIRO BRAGA

O jornal Metro circula em 22 países e tem alcance diário superior a 20 milhões de leitores. No Brasil, é uma joint venture do Grupo Bandeirantes de Comunicação e da Metro Internacional. É publicado e distribuído gratuitamente de segunda a sexta em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, ABC, Santos e Campinas, somando mais de 480 mil exemplares diários.

Editado e distribuído por SP Publimetro S/A. Endereço: avenida Raja Gabáglia, 2221, São Bento, CEP: 30350-453, Belo Horizonte, MG. Tel.: 031/3349-5307.

O jornal Metro é impresso na CGB Artes Gráficas.

EXPEDIENTE

Metro Brasil. Presidente: Cláudio Costa Bianchini.

Diretor de Redação: Fábio Cunha (MTB: 22.269). Diretor Comercial e Marketing: Carlos Eduardo Scappini.

Diretora Financeira: Sara Velloso. Diretor de Operações: Luís Henrique Correa. Editor Chefe: Luiz Rivoiro.

Editor de Arte: Vitor Iwasso. Coordenador de Redação: Irineu Masiero. Gerente Comercial Nacional: Ricardo Adamo.

Metro Belo Horizonte. Gerente Executivo: Pedro Lara Resende.

Editor Executivo (Interino): Juvercy Júnior (MTB 12.331/MG). Editor de Arte: Cláudio Machado.

Grupo Bandeirantes de Comunicação Minas. Diretor de Jornalismo: Teodomiro Braga.

Diretor Geral: José Saad Duailibi.

A tiragem e distribuição desta edição de 40.000 exemplares são auditadas pela BDO.

FALE COM A REDAÇÃO leitor.bh@metrojornal.com.br 031/3349-5342 COMERCIAL: 031/3349-5307

1 foco

www.readmetro.com

TERÇA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2012

02 belo horizonte

Audiência

Os vereadores de Be- lo Horizonte discu- tem hoje o fim do vo- to secreto na Câmara municipal. A Comis- são Especial da Casa vai analisar a proce- dência legal, jurídica e o mérito da pro- posta apresentada pelo vereador Gunda (PSL), que determina o voto aberto na aná- lise de vetos da Pre- feitura e em cassação de mandato. Na pró- xima terça feira, ha- verá outra audiência com a presença de representantes da OAB (Ordem dos Ad- vogados do Brasil) e de consultores do Se- nado, da Câmara dos Deputados e da As- sembleia Legislativa.

METRO BH

Câmara discute voto aberto

No primeiro dia útil após o anúncio de um pacotão an- tiviolência, o Governo levou um revés – e justamente na modalidade que mais causa trabalho às autoridades atualmente: as explosões de caixas eletrônicos. Mais de 300 quilos de explosivos fo- ram levados, ontem, de uma mineradora do bairro Sapucaias, em Contagem.

As bananas de dinamite são usadas para abrir os ter-

minais e os mineradoras são consideradas as fornecedo- ras, de forma indireta, do material pela polícia.

Desde o início da prática em Minas, foram anuncia- das diversas medidas, mas nenhuma acabou com o cri- me. A Polícia Civil chegou a anunciar parceria com o Exército para fiscalizar o co- mércio de explosivos. No pacote antiviolência, foi prometido um comitê que

vai ser se reunir frequente- mente para discutir estraté- gias a fim de acabar com as novas modalidades de cri- me. Também na semana passada, foi prometido um projeto para punir as mine- radoras que falharem na fis- calização. O crime ocorreu ontem pela manhã. Milita- res montaram uma opera- ção para tentar prender bandidos, mas ninguém foi encontrado. METRO BH

Mineradora tem 300 quilos de

‘TNT’ roubados

Dinamites são usadas para roubo de dinheiro em equipamentos eletrônicos

EUGENIO MORAES/HOJE EM DIA/FOLHAPRESS

Material é usado para o principal crime atualmente:

as explosões de caixas eletrônicos Suspeitos fogem

Lacerda barra projeto de estacionamento de graça

Shoppings e hipermercados da capital vão continuar a cobrar pelo estacionamento dos clientes. O prefeito Mar- cio Lacerda vetou um proje- to de lei que previa o fim da cobrança por parte dos esta- belecimentos. Para ele, o projeto é inconstitucional.

O documento de autoria do vereador Léo Burguês de- terminava que consumido- res que comprovassem des- pesa de pelo menos R$ 30 e utilizassem o estacionamen- to por menos de quatro ho- ras fossem isentos de taxas.

A proposta foi aprovada pela Câmara, mas o prefeito considerou que o projeto fe- ria os princípios da livre concorrência, a livre inicia- tiva e a propriedade priva- da, garantidos pela Consti- tuição. O veto foi publicado no Diário Oficial do Municí- pio do último sábado.

Um projeto de lei similar a esse, aplicado ao estado do Rio de Janeiro, já foi vetado por inconstitucionalidade pelo Supremo Tribunal Fe- deral, no ano de 1992.

METRO BH

Texto queria proibir cobrança para estacionar

PAULO ASSIS/FUTURA PRESS

Trabalhadores estariam sendo maltratados

DENÚNCIA. Quatorze ope- rários vindos da cidade de Araci, na Bahia, foram res- gatados do regime de tra-

balho escravo em Sete La- goas, na região metropoli- tana da capital. De acordo com o STIC-BH (Sindicato dos Trabalhadores na In- dústria da Construção de BH), os trabalhadores esta- riam prestando serviços para uma construtora mi- neira, onde eram submeti- dos a regime de explora- ção, passando fome e dor- mindo no chão.

METRO BH

Breve

Cotações

Dólar

+ 1,33%

(R$ 2,04)

+ 1,76%

(R$ 2,60)

+ 3,81%

(56.590 pts) Euro

Bovespa Selic (9%) Salário mínimo (R$ 622)

(3)

www.readmetro.com

TERÇA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2012

belo horizonte 03

Começam inscrições para licitação de táxi

Estão abertas, a partir de ho- je, as inscrições eletrônicas para a licitação de táxis da capital. São 545 permissões para táxi convencional e 60 para táxi acessível.

As inscrições devem ser feitas pelo site bhtrans.pbh.

gov.br até o dia 27 deste

mês. Após esse processo, os interessados devem compa- recer à sede da BHTrans (av.

Engenheiro Calos Goulart), 900 – Buritis) para preen- cher os demais documentos até o dia 4 de junho. Outras informações no site da BHTrans. METRO BH

Para desafogar o trânsito, uma faixa do percurso com menos fluxo será sacrificada no horário de pico

BR-381 vai ter sistema de reversão de sentido

Sistema promete equilibrar fluxo de veículos entre os dois sentidos em horário de pico

ALEX DE JESUS/O TEMPO/FOLHAPRESS

A BR-381, na saída para São Paulo, vai ganhar uma no- vidade para tentar aliviar o fluxo de veículos em horá- rios de pico. A Fernão Dias, como a rodovia é chamada, vai ter o sistema de re- versão de sentido, priori- zando onde o movimento é maior, no trecho entre Be- lo Horizonte e Betim.

A ideia é sacrificar uma faixa do sentido que tem menos fluxo em um deter- minado horário para au- mentar a capacidade da pista contrária. Das 6h às 10h, o motorista que segue em direção a Belo Horizon- te vai ganhar uma faixa do sentido contrário da BR- 381. Das 16h às 20h, será a vez do sentido Betim rece- ber uma pista adicional.

Se dependesse da PRF (Polícia Rodoviária Fede- ral), o sistema seria im- plantado ainda neste se- mestre. Mas como precisa de reformas para retirar a mureta central, a novidade deve começar no segundo semestre. “Ainda vamos identificar o ponto inicial para abrir a faixa contrá- ria”, diz o Superintendente da PRF em Minas, inspetor

David Stanley.

Ele afirma que a medida vai aliviar o trânsito, evitar que os motoristas tentem compensar o tempo perdi- do e, consequentemente, os acidentes. “A compen- sação sai em ultrapassa- gens proibidas, excesso de velocidade e desrespeito à sinalização”, afirma.

A novidade foi comemo- rada por estudiosos. “De- morou para acontecer. Po- deria ser adotada nas ave- nidas Cristiano Machado, Antônio Carlos e Amazo- nas, que têm claramente um volume de carro maior em um sentido na manhã e outro durante a tarde”, acredita o especialista em engenharia de transporte e tráfego, Ronaldo Gouvêa.

THIAGO RICCI

METRO BELO HORIZONTE

“Isso já acontece no mundo há mais de 30 anos. Vai ajudar muito e poderia ser usado dentro da capital.”

RONALDO GOUVÊA, ENGENHEIRO

CBTU não oferece reajuste e greve do Metrô continua

Os belo-horizontinos ainda terão dificuldades para utili- zar o sistema de metrô fora dos horários de pico. A gre- ve dos metroviários conti- nua o os trens seguirão par- tindo em escala mínima.

Em tentativa de concilia- ção realizada ontem no (Tri- bunal Regional do Traba- lho), a CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos) se recusou a oferecer reajus- te salarial aos funcionários.

“Eles alegam que o Ministé- rio do Planejamento é quem tem autonomia para fazer uma proposta”, afirma o presidente do Sindimetro- MG (Sindicato dos Emprega- dos em Empresas de Trans- portes Metroviários e Cone- xos de Minas Gerais), Sérgio Leôncio.

De acordo com o Sindi- metro-MG, a procuradoria do Ministério do Trabalho deve encaminhar, ainda ho- je, um pedido para que o Tribunal Superior do Traba- lho decida se a CBTU será ou não obrigada a conceder reajuste à categoria.

METRO BH

Trens continuarão partindo em escala mínima

GUSTAVO ANDRADE/METRO BH GUSTAVO ANDRADE/METRO BH

Haverá permissões para táxis convencionais e acessíveis

Câmara debate soluções para inundações

PAMPULHA. As constantes inundações no bairro Santa Terezinha e Ita- taiaia, na região da Pam- pulha, serão discutidas hoje em audiência na Câ- mara Municipal. Os ve- readores vão debater so- luções para o problema e avaliar a possibilidade de remissão parcial ou total do IPTU dos donos de imóveis da região em ca- sos de prejuízo material, econômico ou social de- corrente dos alagamen- tos. METRO BH

Breve

(4)

FOTOS: GUSTAVO ANDRADE/METRO BH

TERÇA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2012

belo horizonte

Veículo com salas temáticas pretende levar ciência e aprendizado ao Estado Visitas devem começar em junho

Cadeira vibratória que si- mula os movimentos do útero, salas climatizadas para reproduzir a sensação dos biomas, além de um ambiente idêntico a uma cabine de submarino, são algumas das atrações do Museu Itinerante da UFMG, um caminhão que promete levar conheci- mento para jovens de MG.

O projeto começou a ser desenvolvido em 2006, pe- la professora Tânia Marga- rida Costa, hoje diretora do Centro Pedagógico da Esco- la de Educação Bá́sica e Profissional da UFMG.

“Queria planejar algo para instigar o gosto pelo apren- der nas pessoas”, diz.

Com a ajuda de outros quatro professores para pensar nas temáticas, a educadora aprimorou o plano inicial para criar um projeto inédito no Brasil.

“Começou com uma carre- tinha até chegar nesse pon- to. Quero que o museu aju- de na formação de profes- sores em espaços não con- vencionais, além de des- pertar o interesse dos jo-

vens”, afirma Tânia Costa.

O caminhão já está na UFMG e as visitas devem começar em junho. A ideia é levar o museu a cidades mineiras. “Queremos criar vínculo com os municípios visitados, articular diversas áreas e propôr um inter- câmbio”, diz a professora.

Salas do conhecimento A viagem do visitante co- meça justamente pelo úte- ro. Uma sala avermelhada tem uma cadeira que simu- la as vibrações sentidas por um feto. Através de um fo- ne de ouvido, os sons da barriga de uma grávida são

reproduzidos. Para comple- tar a primeira etapa, um monitor mostra filmes so- bre o desenvolvimento em- brionário e os períodos mais críticos na formação.

No ambiente seguinte, o foco é os sentidos. Desde a parede, que estimula a vi- são, até quadros para agu- çar o tato do visitante. Em seguida, os biomas são re- produzidos, com direito à sensação térmica específi- ca de cada local.

A quarta sala vai mos- trar o fundo do mar e o am- biente seguinte, simular uma cabine de submarino.

Para finalizar, imagens de- talhadas de algumas das mais importantes cidades.

Liga da Ciência

Para estimular o interesse dos visitantes, foram cria- dos cinco personagens pa- ra representar elementos:

Zambo (ar), Martin (fogo), Pandora (terra), Virna (água), Astro (universo).

4

1.Sala Útero: reproduz as sensações durante a estadia na barriga materna 2.Sala Cidades: através de telões, os visitantes são levados a diversas cidades do mundo, podendo até

interagir com o local 3.Sala submarino: simula

sala de controle de um submarino. Nas escotilhas, serão reproduzidas imagens de seres do fundo do mar

4.Sala Projeção 3D: a extensão do caminhão vira uma sala de cinema 5.Sala Sentidos: pretende aguçar os sentidos. O ambiente reúne atrações como uma projeção tridimensional

6.Sala Biomas: ambientes do planeta serão simulados em três salas: cerrado, geleiras e florestas tropicais

1

3

Minas ganha caminhão do conhecimento

5

6

R$ 1,2

milhão foi o custo do Museu Itinerante. O projeto desenvolvido pela professora Tânia Margarida Costa teve apoio da Fapemig, da Secretaria de Estado de Educação e do Mi- nistério da Ciência e Tecnologia.

THIAGO RICCI

METRO BELO HORIZONTE

2

(5)

www.readmetro.com

TERÇA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2012

05

brasil

Comissão da Verdade terá encontros a cada 15 dias Na tentativa de acelerar a análise, haverá subcomissões formadas por 14 servidores

Desafio é apurar um ano de violações a

cada dia de trabalho

Na segunda reunião desde que foi criada na semana passada, a Comissão da Verdade decidiu que vai buscar as informações já disponíveis sobre o período da ditadura militar. Ficou acertado que documentos em posse das comissões de Anistia, criada em 1995, e dos Mortos e Desapareci- dos, em funcionamento desde 2002, serão o ponto de partida dos trabalhos.

A Comissão da Verdade vai apurar a violação dos di- reitos humanos entre 1946 e 1988. A apresentação do relatório final, prevista pa- ra maio de 2014, já é vista com ressalvas. O temor é o de que as conclusões pos- sam ser superficiais, em função justamente do tem- po para a investigação.

Como os encontros ocor- rem a cada 15 dias, estão previstas 48 reuniões até a

conclusão dos trabalhos.

Em média, cada um dos 42 anos de história que preci- sam de versão oficial vão ser analisados apenas por um dia pelo colegiado.

Para tentar acelerar os trabalhos serão montadas

subcomissões formadas por 14 servidores.

No encontro de ontem, apenas quatro dos sete inte- grantes participaram: Gil- son Dipp, Cláudio Fonteles, Rosa Maria Cardoso da Cu- nha e José Carlos Dias.

Criada como “órgão de Estado”, a comissão ainda tem olhar atento do gover- no. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, vol- tou a participar da reunião, mas afastou qualquer in- tervenção nos trabalhos.

“Quando forem decidir sobre quem presta depoi- mentos, sobre qual a estra- tégia de investigação, é ab- solutamente autônoma e nenhum membro do go- verno irá participar”, ga- rantiu o ministro.

O coordenador do gru- po, ministro Gilson Dipp, também negou que haja in- terferência. “Não há orien- tação para essa comissão, essa é uma comissão de Es- tado, que não se subordina a ninguém”, afirmou.

MARCELO FREITAS

METRO BRASÍLIA

Os prazos

O tempo é adversário da Comissão da Verdade.

48

42

730

15

NÚMERO DE REUNIÕES PREVISTAS ATÉ MAIO DE 2014

ANOS DE HISTÓRIA SERÃO ANALISADOS

DIAS É O INTERVALO

ENTRE AS REUNIÕES DIAS DE TRABALHO DA COMISSÃO DA VERDADE

Convênios têm de informar sobre descredenciamento

Os planos de saúde são ob- rigados a informar indivi- dualmente seus clientes so- bre o descredenciamento de hospitais e médicos. A decisão foi divulgada on- tem pelo STJ (Superior Tri- bunal de Justiça).

A Terceira Turma do STJ julgou um pedido de inde- nização da família de um paciente cardíaco que, ao buscar atendimento de emergência, foi surpreen- dida pela informação de que o hospital não era mais conveniado.

Segundo a família, a es- colha do hospital tinha si- do feita porque o paciente já havia sido atendido no local em outras ocasiões.

Para conseguir interná-lo, eles foram obrigados a ar-

car com as despesas, que superaram R$ 14 mil.

Na ação, os parentes ale- garam ofensa a diversos arti- gos do Código do Consumi- dor, como falta de adequada informação ao segurado.

Os ministros do STJ julga- ram a ação procedente e de- terminaram que o plano de

saúde deverá indenizar a mulher e a filha do pacien- te, que morreu quatro dias após ser internado.

Para a relatora do pro- cesso, ministra Nancy An- drighi, a operadora tem di- reito de trocar a rede de hospitais conveniados, mas é obrigada a manter os se-

gurados informados. “Se, por um lado, nada impede que a operadora altere a re- de conveniada, cabe a ela manter seus associados de- vidamente atualizados so- bre essas mudanças.”

A ANS (Agência Nacio- nal de Saúde Suplementar), que regula os planos de saúde, informou que, a partir de junho, as opera- doras deverão manter atua- lizada na internet uma lis- ta com os hospitais e médi- cos credenciados. METRO

“Cabe à operadora manter seus

associados devidamente atualizados.”

MINISTRA NANCY ANDRIGHI

Decisão foi divulgada ontem pelo STJ

DIVULGAÇÃO

Hospital de Porto Alegre investiga abusos

Abuso sexual ocorreu na ala pediátrica do hospital

GABRIELA DI BELLA/METRO

Depois de duas crianças te- rem sido violentadas sexual- mente dentro do Hospital Conceição, em Porto Alegre, a instituição decidiu come- çar buscas por outras ocor- rências, para verificar possí- veis casos semelhantes.

As agressões acontece- ram no quarto em que as vítimas estavam interna- das, na ala pediátrica do Hospital Conceição. O fun-

cionário terceirizado Ivanir Moreira, de 31 anos, foi pe- go em flagrante por um co- lega de trabalho quando acariciava as crianças. Ele está preso e aguarda julga- mento.

Por meio do Serviço So- cial, o hospital deve rastrear e identificar outras possí- veis vítimas com ajuda de famílias dos pacientes e fun- cionários. METRO POA

Cachoeira vai à CPI, mas pode ficar calado

O bicheiro Carlos Augusto Ramos fracassou na tentati- va de adiar mais uma vez o depoimento e vai ser ouvi- do hoje na CPI do Cachoei- ra. O Supremo Tribunal Fe- deral derrubou ontem a li- minar que beneficiava o contraventor. O ministro Celso de Mello entendeu que depois da liberação do acesso às provas contra Ca- choeira, na semana passa- da, houve tempo hábil para análise do processo.

Os advogados pediam três semanas para analisar toda a documentação das operações Vegas e Monte Carlo. Como não foram atendidos, provavelmente, recomendarão que Ca- choeira permaneça em si- lêncio para não produzir provas contra si.

O bicheiro deixa a Peni- tenciária da Papuda (DF) no início da tarde. Ele vai ser levado num camburão da Polícia Federal. A entrada vai ser feita pelo subsolo do Congresso. Durante a sessão, o contraventor vai

ficar sentado numa cadeira ao lado da mesa da CPI. Te- rá a companhia de dois po- liciais legislativos do Sena- do. Não vai ficar algemado e poderá conversar com os advogados durante o de- poimento.

Será a primeira aparição pública dele desde a prisão ocorrida há mais de dois meses em Goiânia. A trans- ferência de Cachoeira do presídio de Mossoró, no Rio Grande do Norte, para Brasília, no dia 18 de abril, foi feita de forma discreta.

A sessão promete ser longa. Apenas o relator da CPI, deputado Odair Cu- nha (PT/MG), preparou 136 perguntas sobre a relação do bicheiro com autorida- des, políticos e empresá- rios. M.F.

“A defesa teve acesso aos documentos e foi propiciada a ampla consulta ao acervo em poder da CPI.”

CELSO DE MELLO, RELATOR DO STF

(6)

Os brasileiros terão que trabalhar 150 dias, quase cinco meses inteiros, so- mente para pagar toda a carga tributária exigida pe- lo governo. Segundo estu- do do IBPT (Instituto Brasi- leiro de Planejamento Tri- butário), este ano os consu- midores trabalham até o dia 28 de maio só para pa- gar impostos.

O número é superior ao de países como México (95 dias), Chile (97 dias), Ar- gentina (101 dias), Estados Unidos (102 dias) e Espa- nha (137 dias). “O Brasil fi- ca atrás apenas da Suécia, onde o contribuinte desti- na 185 dias para pagar tri- butos”, diz o presidente do IBPT, João Eloi Olenike.

A quantidade de dias do- brou em relação à década

de 1970, quando eram ne- cessários em média 76 dias de trabalho por ano so- mente para pagar tributos.

Dependendo da faixa de

renda, o contribuinte terá de trabalhar mais dias no ano para ficar quites com o Leão: os que têm rendi- mento mensal de até R$ 3

mil trabalharão 143 dias;

os que possuem rendimen- to de R$ 3 mil a R$ 10 mil, 159 dias, e aqueles que ga- nham acima de R$ 10 mil trabalharão152 dias.

A renda comprometida com os impostos também aumentou nos últimos anos. De todo o rendimen- to bruto, o brasileiro terá que destinar 40,98% em 2012 para pagar essa tri- butação. Em 2003, a fatia foi de 36,98%.

Além da tributação so- bre os rendimentos, como Imposto de Renda, INSS, previdências oficiais e con- tribuições sindicais, o bra- sileiro paga tributos indire- tos sobre o consumo e so- bre o patrimônio. Os cálcu- los também consideram ta- xas e contribuições. METRO

Previdência privada cresce 38%

Os planos de previdência complementarmcaptaram R$ 5,6 bilhões no mês de março, valor 38,5% supe- rior ao volume registrado em março de 2011, segun- do a Fenaprevi (Federação Nacional de Previdência

Privada e Vida). É o melhor resultado no mês desde 2008.

Os recursos acumulados somam R$ 274,8 bilhões, alta de 21,56% sobre 2011.

Os planos individuais apre- sentaram a maior expan-

são, de 43,41%, para R$ 4,9 bilhões. Já a previdência privada voltada a menores de idade cresceu 12,3%, pa- ra R$ 155,1 milhões.

O VGBL, indicado para quem não declara imposto de renda pelo modelo

completo, arrecadou R$

4,8 bilhões, alta de 48,27%.

Já os aportes em planos PGBL, destinados aos que declaram pelo modelo completo, subiram 2,59%, para R$ 544,7 milhões.

METRO

A serviço do Leão

Quanto o brasileiro trabalha em um ano para pagar tributos

Fonte: IBPT

0 42 84 126 168 210

2 meses e 17 dias 2 meses e 17 dias

3 meses e 12 dias 4 meses e 1 dia

4 meses e 29 dias década de 1970

década de 1980 década de 1990 2000 2012

Comparação com outros países, em dias

0 50 1 100 1 150 2 200

México Chile Argentina EUA Espanha França Brasil Suécia

185 150 149 137

102 101 97 95

Cotação é a maior desde maio de 2009

ALEXANDER PORTER C /IMAGE SOURCE

Dólar fecha

acima de R$ 2

O dólar iniciou a semana mantendo a trajetória de alta e atingiu o maior pata- mar desde maio de 2009 após se valorizar 1,4% e en- cerrar ontem cotada a R$ 2,046. Em 18 de maio de 2009, o dólar encerrou a R$ 2,076. No ano, o dólar acumula alta de 9,5%. Em maio, a alta é de 7,3%.

O mercado vem testan- do o patamar de R$ 2 do dólar, alcançado na sema- na passada, o que começa a ser visto com contornos de especulação no mercado.

Segundo operadores, hou- ve um movimento especu- lativo para verificar se o Banco Central voltaria a

atuar. Na sexta-feira, o BC fez um swap cambial tradi- cional – acordo de troca de contrato de moedas por co- tações diferentes – após a moeda ter subido mais de 2% e ter atingido R$ 2,05, segundo a “Reuters”.

A Bovespa recuperou quase metade dos prejuízos acumulados na semana pas- sada (-8,30%). Os investido- res aproveitaram o clima de trégua nos mercados exter- nos para buscar “barga- nhas” no mercado. O Ibo- vespa fechou em alta de 3,81%, aos 56.590,24 pontos.

No mês, o índice acumula prejuízo de 8,46% e no ano, de 0,29%. METRO COM AGÊNCIAS

Brasileiro trabalha 5 meses só para pagar impostos

Corte de IPI derruba preços de veículos em até 10%

Governo incentiva a

compra do carro zero

A compra de um automóvel novo vai ficar entre 4% e 9,9% mais barata. A partir de hoje entram em vigor as medidas de estímulo à eco- nomia anunciadas ontem pelo governo. É um socorro ao setor automotivo para re- tirar mais de 360 mil veícu- los que ficaram parados nos pátios das fábricas em abril.

Foi reduzido o IPI (Impos- to sobre Produtos Industria- lizados) para carros popula- res, modelos mais potentes e até utilitários como pick- ups e caminhonetes. “Para a maioria das montadoras instaladas no país, o IPI será zerado", declarou o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

O benefício vai vigorar até 31 de agosto e representará uma renúncia fiscal de R$

1,2 bilhão para o governo.

As montadoras fizeram um pacto para não demitir e prometeram cobrar preços de tabela. Além de desconto nos preços, a indústria ga- rantiu redução no valor exi- gido de entrada e ampliação no número de parcelas. Para isso, os bancos públicos e privados vão aumentar o di- nheiro disponível para em- préstimos. O Banco Central também liberou R$ 18 bi- lhões para que os bancos fi- nanciem carros novos.

“Queremos recuperar o se- tor e fazer de tudo para que a prestação caiba no bolso do consumidor", disse o pre- sidente da Anfavea (Associa- ção Nacional dos Fabrican- tes de Veículos Automoto- res), Cledorvino Bellini.

A falta de crédito era a principal reclamação do se-

tor. Os empresários aponta- vam que a dificuldade para o comprador de ter o em- préstimo aprovado aumen- tou de 30 para 45 dias o pra- zo entre a fabricação e a venda do veículo. Os ban- cos, por sua vez, alegavam que a inadimplência, que fi- cou em 5,7% em abril, justi- ficava a cautela.

Para estimular o consu- mo, o governo reduziu de 2,5% para 1,5% o IOF (Impos- to Sobre Operações Finan- ceiras) sobre empréstimos para pessoas físicas. O índice volta ao mesmo patamar do início de 2011. O benefício vai representar menos R$

900 milhões de arrecadação.

Empurrãozinho

Confira as medidas de estímulo para o setor automotivo

Imposto Como era Como fica Prazo

Quanto pode cair

IPI

7%

0%

11%

5,5%

Até o f im de agosto nacionais*

até 1.ooo cilindradas até 2.ooo cilindradas flex

13%

6,5%

até 2.ooo cilindradas gasolina

4%

1%

até 2.ooo cilindradas utilitários

IPI

37%

30%

41%

35,5%

Até o f im de agosto importados**

até 1.ooo cilindradas até 2.ooo cilindradas flex

43%

36,5%

até 2.ooo cilindradas gasolina

34%

31%

até 2.ooo cilindradas utilitários

Carros até 1.000

cilindradas Carros até 2.000 cilindradas

Gol 1.0 CrossFox 1.6 Novo Fox 1.6 Prime Fiat Punto Essence 1.8

R$ 30.970 R$ 50.530 R$ 44.110 R$ 45.210

R$ 27.873 R$ 46.992,90 R$ 41.022,30 R$ 42.045,30 Hoje

Modelo Com desconto

da montadora

Fonte: Ministério da Fazenda e Anfavea

*Ou com um percentual de peças brasileiras

**Fora do novo regime automotivo, que estabelece vantagens para veículos produzidos no país ou que usem mais peças nacionais

10% 7%

1,5%

O IOF sobre operações de crédito para bens de consumo cai de 2,5% para

www.readmetro.com

TERÇA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2012

06 economia

MARCELO FREITAS

METRO BRASÍLIA

(7)

www.readmetro.com

TERÇA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2012

07

mundo

Pelo menos 96 pessoas morreram e 222 ficaram fe- ridas em um ataque suicida em Sanaa, capital do Iê- men, na manhã de ontem.

A ação foi reivindicada pe- lo braço da rede terrorista Al-Qaeda no país. Foi o atentado mais violento des- de fevereiro do ano passa- do, quando um novo gover- no assumiu o poder com a missão de lutar contra os radicais islâmicos.

A explosão ocorreu du- rante o ensaio de uma pa- rada militar inicialmente marcada para hoje, Dia Na-

cional do Iêmen. Testemu- nhas contaram que um ho- mem-bomba, vestido com o uniforme do Exército, de- tonou os explosivos quan- do a marcha estava na pra- ça Sabein, próximo à sede do governo iemenita.

Em um comunicado emi- tido horas depois da explo- são, a Al-Qaeda informou que o objetivo do atentado era assassinar o ministro da Defesa do Iêmen, Naser Ah- mad, que assistia ao ensaio.

Ahmad saiu ileso.

Nos últimos anos, o Iê- men se tornou um dos

maiores redutos da Al-Qae- da no Oriente Médio. A si- tuação piorou com a eclo- são da Primavera Árabe no país e com a saída do dita- dor Ali Abdullah Saleh, em fevereiro do ano passado. O presidente norte-america- no, Barack Obama, enviou sinceras “condolências” aos iemenitas. Os EUA têm aju- dado o governo do país ára- be em ações militares con- tra os terroristas.

Radicais da Al-Qaeda reivindicaram a autoria da ação Ataque, realizado durante parada militar, foi o mais sangrento em um ano

Atentado deixa 90 mortos no Iêmen

Al-Qaeda reagiu a ofensivas do governo

KHALED ABDULLAH/REUTERS

Italianos dormem na rua após réplicas de terremoto

Assustados com as mais de 100 réplicas que sucede- ram o terremoto de 6 graus na escala Richter, que deixou 7 mortos no úl- timo domingo, milhares de habitantes do norte da

Itália passaram a madruga- da de ontem nas ruas.

A chuva aumentou os problemas para as cerca de 3 mil pessoas que tive- ram de abandonar suas ca- sas e dificultou o trabalho

dos funcionários da Defe- sa Civil italiana.

Além das mortes, o tre- mor causou enormes estra- gos na região de Emilia-Ro- magna, incluindo o desaba- mento de igrejas históricas

e danos graves em um cas- telo do século 14, que so- breviveu a guerras e inva- sões. Acreditava-se que a área do Vale do Rio Pó esta- va livre do risco de abalos sísmicos. METRO

OMÃ

Mar Arábico

Sanaa

IÊMEN

E TIÓPIA SOMÁLIA AR ÁBIA SAUDITA

Localização

Oriente Médio, ao sul da Arábia Saudita

STRINGER/REUTERS

Eclipse cria anel de fogo no céu

Na última madrugada, o Sol e a Lua se alinharam em um eclipse anu- lar. Durante quatro minutos, o posicionamento dos astros formou um anel de fogo no céu, que só é observado quando a Lua está no seu ponto mais distante da Terra. Ao passar diante do Sol, o satélite co- bre o centro dos raios, deixando apenas a borda exposta. METRO

Espetáculo visual

Fenômeno só pode ser observado no Hemisfério Norte

Funcionário japonês só pode beber em casa

O prefeito da cidade japo- nesa de Fukuoka, Soichiro Takashima, proibiu os fun- cionários públicos de inge- rir bebidas alcóolicas fora de casa durante um mês.

A medida foi tomada após a polícia local pren- der um funcionário por- tuário e um trabalhador do departamento de prote- ção infantil que se envolve- ram em brigas. Em ambos os casos, os trabalhadores estavam bêbados.

Takashima advertiu tam-

bém que a prefeitura revi- sará suas normas internas para endurecer as medidas disciplinares contra os em- pregados que participem desses tipo de incidente.

A administração munici- pal recomenda aos funcio- nários que tomem água, refrescos ou outro tipo de bebida sem álcool durante reuniões e festas. Vinho, cerveja e licores só estão li- berados para os funcioná- rios em suas próprias festas de casamento. METRO

Em Maryland, gays só podem se divorciar

EUA. A corte suprema do estado norte-americano de Maryland aprovou o divór- cio de um casal homosse- xual, apesar de o casamen- to gay ainda não ser per- mitido no estado. O tribu- nal aceitou o divórcio de duas habitantes que se ca- saram na Califórnia e que tiveram a separação nega- da em 2010. A lei que libe- ra o casamento gay em Maryland só vale a partir do ano que vem. METRO

Strauss-Kahn é investigado

ESCÂNDALO. Não bastasse a confusão com a camarei- ra norte-americana, Do- minique Strauss-Kahn te- rá de responder por uma acusação de estupro cole- tivo. Segundo a Justica francesa, o ex-diretor do FMI (Fundo Monetário In- ternacional) teria forçado prostitutas a manterem relações sexuais com ele durante a polêmica visita a Washington, em 2010.

Duas mulheres já presta- ram depoimento, com versões contraditórias so- bre o caso. Os advogados de Strauss-Kahn recla- mam de perseguição ao seu cliente. METRO

Breves

CAROLINA VICENTIN

METRO SÃO PAULO

(8)

JÉRÔME VERMELIN

METRO WORLD NEWS

cultura 2

cultura

08 www.readmetro.com

TERÇA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2012

Poucos meses após lidar com Freud e Jung em “Um Método Perigoso”, o dire- tor canadense David Cro- nenberg está de volta com

“Cosmópolis”. A adaptação do romance de Don DeLil- lo acompanha o jovem empresário Erick Packer durante um passeio cheio de violência e sexo pelas ruas de Nova York.

Ao lado do galã Robert Pattinson, de “Crepúsculo”, estão Paul Giamatti, Juliette Binoche e Mathieu Almaric.

Cronenberg falou ao Metro antes da première de seu fil- me no 65oFestival de Can- nes, na próxima sexta.

Como foi adaptar o romance?

Escrevi o roteiro em seis dias. Nos primeiros três eu trabalhei em cima dos diá- logos. Nos seguintes, acres- centei descrições às cenas.

Estou incrivelmente em- polgado com este filme, ainda mais pela perfor- mance de Pattinson.

Escolhê-lo como protagonista deve ter chocado alguns fãs...

Rob é um ator maravilho- so, e acho que ele vai sur- preender muita gente. Al- gumas pessoas chegaram à conclusão injusta de que ele é mau ator, mas posso assegurar que é um traba- lhador dedicado. Mal posso esperar para trabalhar no- vamente com ele.

Alguma celebridade já pediu para trabalhar com você?

A maioria das vezes eles di- zem a seus agentes para fa- lar com o meu. Às vezes, peço para trabalhar com

um ator sem saber se ele viu algum dos meus filmes.

Foi assim com Rob. Aconte- ceu de ele ter muita fami- liaridade com meu traba- lho. Lembro dele no set tendo conversas profundas com Juliette Binoche sobre filmes franceses obscuros.

Ele é vidrado em cinema.

Contratá-lo foi uma maneira de chamar a atenção de quem não era fã da sua obra?

Quando confirmamos Rob no elenco todos começa- ram a falar sobre isso. Os que forem assistir ao filme somente por serem fãs de

“Crepúsculo” arriscam sair desapontados. Mas os fãs de Rob vão adorar. Uma vez que você gosta do ator, de- ve estar aberto a apreciar todos os seus trabalhos.

Você adaptou vários ro- mances. Que tipo de leitor você diria que é?

Leio livros que acho recom- pensadores. Adoro os de Da- vid Foster Wallace. “The Pa- le King”, seu livro póstumo, é absolutamente brilhante.

CANNES 2012

‘Robert Pattinson é um ator maravilhoso’

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Metro entrevista

Prestes a exibir ‘Cosmópolis’ em Cannes, o diretor canadense David Cronenberg elogia seu protagonista Cineasta levou prêmio especial do júri do festival em 1996, com ‘Crash’

Novo 007 tem trailer divulgado

A Sony Pictures divul- gou ontem o primeiro trailer de “Operação Skyfall”, novo longa do agente 007. O fil- me começa com Bond (Daniel Craig) sendo interrogado aos olhos de M (Judi Dench). A produção tem estreia prevista para 2 de no- vembro. METRO

Nova MPB é retratada em programa de canal de TV

A cantora Tiê é a primeira biografada do “Música.

Doc”, que estreia hoje, às 23h, no canal de televisão VH1. Cada episódio do programa, exibido às ter- ças, mostrará os bastido- res da nova MPB, com re- tratos de Cidadão Instiga- do, Tulipa Ruiz, Marcelo Jeneci, Bárbara Eugênia, Vanguart, Ana Cañas e Thiago Pethit. METRO

Tropa de elite em versão norte-americana

Sylvester Stallone aparece com a maior pinta de Capitão Nascimento em nova foto de “Os Mercenários 2”.

Nesta continuação do blockbuster de ação, Van Damme e Chuck Norris se somam à equipe já formada por Jason Statham, Bruce Willis, Jet Li e Dolph Lundgren. A produção tem estreia prevista para 31/8.

Pesos-pesados

David Cronenberg (à esq.) dirige a câmera a Robert Pattinson durante as gravações de “Cosmópolis”

Sylvester Stallone (à esq.) e parte de sua equipe

(9)

cultura www.readmetro.com

TERÇA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2012

09

Dalton Trevisan, o Vampiro de Curitiba, foi o vencedor deste ano do Prêmio Ca- mões, o principal da litera- tura de língua portuguesa.

O nome foi anunciado on- tem em Lisboa, onde os seis membros do júri se reuni- ram para a escolha.

O curitibano, que fará 87 anos no próximo mês, foi consagrado por sua “de- dicação ao fazer literário”, segundo o escritor brasilei- ro Silviano Santiago, mem- bro do júri. Além de um troféu, Trevisan receberá ainda cem mil euros.

Ele é autor de livros co- mo “Vozes do Retrato –

Quinze Histórias de Menti- ras e Verdades” (1998), “O Maníaco do Olho Verde”

(2008), “Violetas e Pavões”

(2009), “Desgracida” (2010) e “O Anão e a Ninfeta”

(2011). Uma de suas obras mais conhecidas é “O Vam- piro de Curitiba” (1965), que lhe rendeu o apelido.

Famoso por ser avesso a aparições públicas, Trevisan

“sumiu” até para seus ami- gos mais próximos depois do anúncio. O livreiro Ara- mis Chain, que costuma en- contrá-lo quase diariamen- te, tem um palpite: “Ele vai se recolher até o pessoal es- quecer do prêmio.”

Instituído em 1988, o Prêmio Camões foi criado para intensificar as rela- ções culturais entre Brasil e Portugal e conta com a ade- são de outros Estados da CPLP (Comunidade de Paí- ses da Língua Portuguesa).

Nesta edição, participa- ram do júri os brasileiros Alcir Pécora e Silviano Santiago; os portugueses Abel Barros Baptista e Ro- sa Maria Martelo; o mo- çambicano João Paulo Bor- ges Coelho e a angolana Ana Paula Tavares.

METRO CURITIBA

Trevisan leva Camões, principal prêmio da

língua portuguesa

Trevisan em agosto de 2010; escritor foge de fotógrafos e nunca dá entrevistas

LUCÍLIA GUIMARÃES

Escolha foi anunciada ontem em Lisboa Recluso, escritor não foi visto nem pelos amigos após anúncio

Quem mais ganhou?

Conheça os nove autores brasileiros já agraciados com o Prêmio Camões 2010 - Ferreira Gullar 2008 - João Ubaldo Ribeiro 2005 - Lygia Fagundes Telles 2003 - Rubem Fonseca 2000 - Autran Dourado 1998 - Antonio Candido 1994 - Jorge Amado 1993 - Rachel de Queiroz 1990 - João Cabral de

Melo Neto

RECUPERAÇÃO

Pedro Dantas deve ter perna operada hoje

Após sair do coma no últi- mo domingo e se comuni- car com parentes, o can- tor Pedro Dantas, filho do sertanejo Leonardo, deve enfrentar uma cirurgia hoje para corrigir uma fratura na perna. De acor- do com o jornal “Folha de S.Paulo”, ele reclamou de dores no local. Segundo boletim do hospital Sírio- Libanês, o paciente apre- senta melhora progressiva neurológica, mas segue internado na UTI. METRO

NA ACADEMIA MINEIRA DE LETRAS

Fernando Brant lança hoje novo livro de crônicas

O escritor e compositor Fernando Brant lança hoje

“Casa Aberta”, que reúne crônicas de sua autoria pu- blicadas em um jornal da capital mineira. Em um trabalho de releitura e sele- ção, os contos ganham no- va dimensão. Os textos re- latam, por exemplo, as pri- meiras notas sobre a morte do pai até o nascimento da neta. Será às 19h30 na Aca- demia Mineira de Letras (r.

da Bahia, 1.466 – Lourdes).

METRO BH

(10)

Encontro com o mi

O fascínio provocado pelas obras do pintor italiano Mi- chelangelo Merisi Caravag- gio vai muito além do seu talento em dramatizar ce- nas a partir do intenso jogo de luzes e sombras. Uma certa aura de mistério que encobre o artista e seus se- guidores desperta a atenção de admiradores e coleciona- dores por todo o mundo.

Luzes que gradativamen- te emergem à escuridão re- velando dramas e feições de figuras cristãs num realis- mo tão extraordinário que influenciou pintores por sé- culos. Passagens sobre a morte e a melancolia que, após longas negociações, fi- nalmente podem ser con- templadas pelos brasileiros.

“Caravaggio e seus segui- dores” pode ser conferida a partir de hoje na Casa Fiat de Cultura, no Belvedere. As obras passam por três mo- mentos de sua vida: os tra- balhos consagrados, novas descobertas e as figuras que suscitam dúvidas quanto a sua autenticidade.

Em Minas, a maior expo- sição do mestre já realizada na América Latina fica até

15 de julho. Em seguida, o acervo de 6 telas originais e de 14 obras de seus seguido- res, os “caravaggescos”, será levada para o Masp, Museu de Arte de São Paulo.

Pelo mundo, só 62 telas do italiano tem sua autoria comprovada. São verdadei- ros caravaggios. Várias ou- tras são alvo de estudos para verificar sua autenticidade.

A “Medusa Murtola”, por exemplo, é uma das mais recentes descobertas. Pensa- va-se que ela seria uma có- pia da Medusa original.

Após radiografias, especia- listas comprovaram que o

exemplar, de uma coleção particular da Itália, é sim uma Medusa de Caravaggio, inclusive, pintada antes de sua “irmã gêmea”.

Durante a vida, o artista realizou cópias de suas telas originais. “São Francisco em Meditação” pode ser con- templada de duas maneiras – a original, ou sua cópia, devidamente autenticada.

“Caravaggio teve uma re- levância extraordinária.

Criou um impacto com a sua pintura e influenciou ar- tistas por toda a Europa”, conta o curador brasileiro Fábio Magalhães.

A mostra é inédita. E con- cluir essa façanha não foi nenhuma tarefa fácil. “Tra- zer Caravaggio é excitante, motivador e surpreendente.

A exposição chegou a ser cancelada três vezes e quase não se realizou, por conta das negociações com mu- seus e colecionadores parti- culares”, conta o presidente da Casa Fiat de Cultura, José Eduardo de Lima Pereira. A Casa espera receber mais de 80 mil visitantes.

“San Girolamo Che Scrive”, de 1605: jogos de luzes e sombras, temas melancólicos e figuras cristãs são as principais marcas do pintor italiano

Casa Fiat de Cultura recebe a partir de hoje a maior exposição do pintor italiano Caravaggio já realizada na América do Sul Acervo é composto por 6 obras Há ainda 14 pinturas de seus seguidores, os ‘Caravaggescos’

GUSTAVO CUNHA

METRO BELO HORIZONTE

cultura

10

“San Girolamo”, de Hendrick Van Somer, apresenta elementos que também com- põem o caravaggiano “San Girolamo Che Scrive”, como figuras com feições bíblicas, desnudas e destacadas em feixes de luz. GC

O erotismo também está presente nas obras de seus seguidores. “Maddalena Sve- nuta”, do século XVII, é um óleo sobre tela da italiana Artemisia Gentileschi, abrigada na Galeria Nacional de Arte em Roma. GC

A cópia de “San Francesco in Meditazione”, de Caravaggio, foi descoberta recentemen- te numa coleção particular de Malta. Sua autenticidade ainda é questionada. A ver- são original também integra a mostra. GC

“Ritratto di Cardinale” mostra toda a densi- dade luminosa do mestre. A identidade da figura central não foi identificada. Há quem diga ser o cardeal Baronio. Outros, di- zem ser o cardeal Benedetto Giustiani. GC

De Leonello Spada, vem “Incoronazione di Spine”, um óleo sobre tela de 1616 com uma série de composições e cores que che- gam a ser vistosas. GC

Para

contemplar

1 2 3 4 5

FOTOS: GUSTAVO ANDRADE/METRO BH

2

4 1

5 3

É a primeira vez que a recém-descoberta “Medusa Murtola” deixa a Europa

(11)

sterioso Caravaggio

FOTOS: GUSTAVO ANDRADE/METRO BH

Historiadores e filósofos detalham curiosidades sobre a obra de Tommaso Salini

Uma vida conturbada

Natural da região de Mi- lão, Michelangelo Merisi viveu de 1571 a 1610. Sua técnica do “chiaroscuro”, emprego de luzes e som- bras, foi um de seus prin- cipais legados. Tanta dra- maticidade e melancolia pode revelar um pouco de sua conturbada vida pessoal. Caravaggio se en- volveu numa série de bri- gas, fruto, em grande par- te, de seu temperamento explosivo e dos proble- mas financeiros.

Seu afeito a figuras mórbidas surgiu após ter sido condenado à decapi- tação, em 1606. Época em que ele se refugiou após ter sido culpado por um assassinato. Mesmo as- sim, não teve sossego.

Passando por Nápoles, Malta e Sicília, chegou a sofrer um atentado.

O mestre morreu em 18 de julho de 1610, após adquirir uma doença nu- ma viagem de barco. Mas as causas de sua morte nunca foram totalmente esclarecidas, o que contri- bui para enaltecer sua au- ra de mistério. GC

Um pintor que inspirou não só seus amores, mas inclusi- ve seus desafetos. O realis- mo dos quadros de Caravag- gio cativou outros pintores que decidiram seguir as téc- nicas empregadas pelo mes- tre. Daí, surgiu a expressão

“caravaggescos”, ou carava- gistas, para designar esses artistas de seu tempo.

Serão expostas 14 obras de alguns de seus mais reno- mados seguidores. São re-

presentantes de três gera- ções – há contemporâneos e de pelo menos duas gera- ções seguintes.

De Giovanni Baglione, um dos mais importantes caravagistas e rival declara- do do italiano, vem o cristo escarnecido de “Ecce Ho- mo”, um óleo sobre tela abrigado numa galeria de Roma. Bartolomeo Cavaroz- zi apresenta a iconografia cristã de “Madonna Col

Bambino”, a “Virgem com Menino”, pintada no início do século XVII.

Artemisia Gentileschi en- canta com sua “Maddalena Svenuta”, a “Madalena Des- maiada”, um óleo sobre tela de uma coleção da Galeria Nacional de Arte de Roma.

Há também uma tela do es- panhol Mattia Preti, “Nega- zione di Pietro”, considera- do o último intérprete do mestre italiano. GC

Os Caravaggescos

Confira horários de

Roteiro

visitação e informações sobre o transporte gratuito disponibilizado pela Casa Fiat de Cultura.

Endereço da Casa Fiat Rua Jornalista Djalma Andrade, 1.250 – Belvedere.

Horários

De terça a sexta, das 10h às 21h. Sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h.

A entrada é franca Transporte Gratuito Ida e volta, saindo da Praça da Liberdade, em horários programados, das 9h30 às 19h30.

Visitas escolares Agendar pelo 3289-8910.

Programação adicional Estão previstos 4 debates nos dias 23/5, 30/5, 15/6 e 4/7 com museólogos e historiadores. A partir do dia 26/5, serão exibidos 5 filmes sobre a vida do pintor, aos fins de semana.

Outras informações Pelo telefone 3289-8900 ou casafiatdecultura.com.br.

TERÇA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2012

60 segundos

Para curador, mostra é imperdível

FABIO MAGALHÃES

‘SÃO OBRAS DRAMÁTICAS E MUITO INTENSAS’

De onde vem o fascínio pelo pintor italiano?

Há muita empatia dos te- mas que ele trata com a nossa contemporaneida- de. Caravaggio foi um pintor que influenciou outros artistas na Euro- pa. Nos pós-guerra, um crítico de arte italiano fez uma grande exposi- ção demostrando sua im- portância para a pintura.

Desde os anos 1950, cada vez mais as pessoas têm interesse pelas sua obras.

E seu nome está envolto numa aura de mistério...

Assim como na vida dele, as obras mostram um desassossego, um de- sequilíbrio. Elas são dra- máticas e muito inten- sas. Por outro lado, são de um realismo extraor- dinário. Ele modificou cenas consagradas da Bí- blia, o que trouxe, já na época, um certo descon- forto.

Ele usou técnicas que revo- lucionaram em seu tempo?

É uma pintura inteli- gente, veloz. O jogo de

luz e sombras já tem ori- gem no Renascentismo.

Mas, em Caravaggio, é revolucionário, é mais radical. A luz vem, emer- gindo da escuridão, reve- lando seus personagens, os dramas, os objetos, criando pontos onde a vista não enxerga.

Sua obra teve alguma in- fluência no Brasil?

É bom destacar que o barroco mineiro não traz uma influência ita- liana, mas sim espanho- la e portuguesa. Na pin- tura, o neoclassicismo, trazido por Dom João VII, está próximo de Ca- ravaggio. Na contempo- raneidade temos artistas que se interessaram pela obra dele, como o Vik Muniz, que fez a sua Me- dusa.

E o exemplar da Medusa que está em exposição, é a original ou a cópia?

É a que está gerando a maior discussão atual- mente pois, após estu- dos, concluiu-se que é a original. GC

(12)

Pergunta

Siga o Metro no Twitter:

@jornal_metrobh

variedades

12

Qual é a principal causa de BH re- gistrar diariamente 3.250 multas aplicadas a motoristas?

@João_silveira:O principal problema é a imprudência. Percebo que muitos não respeitam as paradas obrigatórias e as demais leis.

@Paulopereira02: Avalio que a velocidade em algumas vias tem que ser aumentada, já que 60 km/h é muito pouco.

Participe também no Facebook: www.facebook.com/metrojornal

Web

Para falar com a redação: leitor.bh@metrojornal.com.br

Leitor fala

A tendência é piorar

Transito caótico na cidade de Belo Horizonte, em certas áreas causado pelas obras. A cidade, que se diz planejada, não tinha em seus planos a evolução exigida pelos eventos internacionais que estão chegando, e como nós brasileiros estamos acostumados a deixar tudo para a última hora, todos sofremos. Que venha a Copa e as Olimpíadas, e junto com elas mais paciência, porque a

tendência é piorar.

Evison Sarmento – Belo Horizonte

Moradores de rua

Já não tenho mais paciência com os mendigos que residem na principal praça do Santa Amélia.

Eles brigam todos os dias, pedem esmolas quando saímos das padarias e comércios da região e, muitos deles, bêbados, cometem pequenos delitos contra os moradores do bairro. Não consigo entender o motivo da prefeitura não fazer nada contra isso. A praça, que recebia festas no Carnaval, está completamente destruída pelo grupo.

Joana Silvana Machado – Belo Horizonte

TERÇA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2012

por Farini Os invasores

Cruzadas

Sudoku

Horóscopo Está escrito nas estrelas www.estrelaguia.com.br

Áries (21/3 a 20/4)

Tente alinhar seus objetivos com os objetivos de pessoas mais experientes que você e que estão com o poder nas mãos, desta forma você poderá ser vencedor.

Touro (21/4 a 20/5)

Bom discurso e momento positivo para atividades que utili- zem o seu intelecto ou meios de expressão pessoal. Dia favo- rável para ter destaque em público.

Gêmeos (21/5 a 20/6)

Contato com pessoas poderosas pode acabar atraindo a aten- ção e a inveja das pessoas. Seja mais discreto para não virar o alvo de ataques da concorrência.

Câncer (21/6 a 22/7)

Sua vez de atuar de forma mais segura e firme para garantir que os seus objetivos sejam alcançados. A presença de pes- soas influentes poderá lhe ajudar.

Leão (23/7 a 22/8)

Dia de cumprir acordos e também fazer um média com os parceiros, tente se livrar de situações nas quais você possa ser mal interpretado, fique mais atento.

Virgem (23/8 a 22/9)

Preocupações com problemas materiais podem ser resolvi- das através de parcerias com pessoas mais maduras e expe- rientes que estarão disponíveis para você.

Libra (23/9 a 22/10)

Bom tato para lidar com as pessoas pode criar oportunida- des para você liderar o seu grupo, procure reunir todos em prol de objetivos positivos para todos.

Escorpião (23/10 a 21/11)

Está na hora de conversar mais com as pessoas e se acertar com elas, não dá para ficar brigando só por teimosia, faça a coisa certa, mesmo que seja difícil.

Sagitário (22/11 a 21/12)

Balanços e controles podem ajudar você a ter uma visão mais apurada de como estão as suas finanças pessoais, aproveite para se atualizar e ficar ligado.

Capricórnio (22/12 a 20/1)

Boa estabilidade emocional pode garantir ótimos momentos no seu relacionamento, aproveite para fortalecer os laços afeti- vos que unem você à pessoa amada.

Aquário (21/1 a 19/2)

Dificuldades em conter a sua ansiedade pode colocar os seus objetivos em risco, tente se concentrar e ser mais discreto para não ser sabotado pelos outros.

Peixes (20/2 a 20/3)

Tente se alinhar com as pessoas que estão decidindo as coisas que passam pelo seu caminho, não lute contra elas pois você pode acabar ficando em desvantagem.

iPhone

reconhece

rosto em foto

Aplicativo que se conecta ao Facebook permite publicar imagens com a identificação das pessoas

Um novo aplicativo para o iPhone realiza reconheci- mento facial em tempo real para identificar pes- soas em fotos. O KliK, dis- ponível gratuitamente na iTunes (a loja virtual da Apple), é compatível com o Facebook.

Ao ser conectado à re- de social, o app examina fotos de amigos para de- senvolver um perfil facial de todos os integrantes de uma rede de usuário. O programa identifica as pessoas ao comparar os rostos mostrados pelas fo- tos a esses perfis.

Apenas os membros da rede de um usuário serão

identificados. “Não será possível fotografar um desconhecido na rua e conseguir sua identidade”, explica Gil Hirsch, presi- dente-executivo da plata- forma Face.com, que lan- çou o aplicativo. METRO

App identifica usuário a partir do perfil no Facebook

DIVULGAÇÃO

“Percebemos que em festas ou eventos, muitas fotos estavam sendo tiradas, mas poucas estavam sendo

identificadas.”

GIL HIRSCH, PRESIDENTE DA FACE.COM

(13)

Mergulho no gelo requer preparo especial

+

turismo www.readmetro.com 13

TERÇA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2012

De cara com o

RADICAL

Bungee jumping

A ponte do rio Colorado é um dos locais mais altos (265 metros de altura) e popu- lares do mundo para a prática do bungee jumping.

Além do esporte radical, as cachoei- ras e as paisagens são outros atrati- vos do país.

Havaí

Para quem gosta de admi- rar uma bela paisagem, a dica é fazer um passeio de helicóptero pelo Havaí, que oferece uma vista panorâ- mica da cidade, de suas ilhas e do vulcão Kilauea.

Metro selecionou quatro destinos para os viajantes que gostam de aventura e adrenalina

Mergulho gelado

Mergulhar é uma expe- riência fantástica e prati- cada em águas quentes.

Pelo menos é isso que a maioria dos aventureiros pensa. Mas se o objetivo é sair do convencional, que tal desvendar as águas extremamente ge-

ladas do Ártico?

Para se arriscar nesse programa é necessário fazer um curso intensivo de mergulho no gelo.

Também é importante tomar cuidado com os ursos polares.

As opções de pacote de viagem oferecidas pela Arctic Direct incluem voos, alojamento e obser- vação de baleias. Para mais informações, acesse o site:

www.arcticdirect.co.uk

Nova

Zelândia

Bonita por natureza, a Nova Zelândia é consi- derada a ilha-mãe dos esportes radicais. Ca-

noagem, bungee jum- ping, alpinismo e raf- ting são as práticas de maior destaque na re- gião. O site canyo- ning.co.nz têm uma sé- rie de programações pa- ra os aventureiros.

Do Ártico à Nova Zelândia.

Independentemente do cli- ma, algumas regiões reser- vam atrações e esportes pa- ra radicalizar as férias dos turistas que procuram aventura. Para aumentar os níveis de adrenalina, o Me- tro selecionou quatro desti- nos impressionantes.

Para os amantes do mer- gulho, a dica são as baixas temperaturas das águas do Ártico. Além do esporte, a região oferece diversos pas- seios, como conhecer a re- gião em um trenó e até se hospedar em um hotel de gelo igual a um iglu.

Havaí, Nova Zelândia e Costa Rica são outras opções radicais, para quem prefere clima mais quente. Entre os esportes encontrados nesses destinos destacam-se a ca- noagem e o bungee jum- ping. O turista também po- de aproveitar as belas praias e suas paisagens.

Após escolher o destino, é importante verificar quais são os requisitos pa- ra a prática do esporte na região, se é necessário to- mar vacinas e qual é o cal- çado mais apropriado.

Uma boa alimentação e hidratação também são es- sencias para manter o rit- mo, não ficar doente e aproveitar a viagem.

METRO

(14)

KENYA HUNT

METRO INTERNACIONAL

Falar sobre meio ambiente é comum nos tempos moder- nos. Muitos países estão evo- luindo no conceito total- mente verde.

Copenhague, capital da Dinamarca, sai na frente e se enquadra entre um dos lugares com mais áreas ver- des. A cidade foca na redu- ção de emissão de gases que ampliam o efeito estufa.

Birmingham, na Inglater- ra, e o Brasil também en- tram na onda e traçam alter- nativas para reduzir o im- pacto das atitudes da popu- lação no ambiente.

Transformar todos os re- síduos de alimentos em energia é uma das opções da Inglaterra. Já a cidade sueca de Malmö utiliza os resíduos dos moradores para os ôni- bus funcionarem.

O Brasil, por sua vez, é re- presentado por Curitiba, que se remodelou, conse- guiu reduzir o desperdício em 70% e construiu um no- vo sistema de trânsito com baixo custo.

“Ser verde é a tendência e as cidades estão fazendo um grande esforço para se

tornarem ‘politicamente corretas com o ambiente’”, diz Sascha Haselmayer, di- retora-geral da Living Labs, uma organização de inova- ção urbana.

É importante ter uma re- novação nos hábitos em prol da natureza, mas qualquer atitude sai por um preço sal- gado. Tem que pensar nos gastos e no retorno que o projeto vai dar. “O governo têm que responder à per- gunta: por que alguém deve- ria viver na minha cidade, e por que alguém deveria in- vestir aqui? De certa forma, a globalização está forçando- os a agir”, comenta Sascha.

A consciência ecológica tem que estar presente du- rante as 24 horas dos 365 dias do ano. Não adianta di- minuir emissão gasosa, se adaptar à vida verde e dar umas escapadinhas de vez em quando.

“Tem que se esforçar to- dos os dias, não adianta se privar em casa e pegar um avião para a Índia durante as férias”, disse Dr. David Satterthwaite, especialista em vida urbana no Instituto Internacional para Ambien- te e Desenvolvimento de Londres.

meio ambiente

TERÇA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2012

FOTOS:METRO INTERNACIONAL

Copenhague, a cidade mais verde

Consciência ecológica está cada vez mais presente no mundo Brasil é representado por Curitiba na onda ambiental Diminuir emissão de gases não é o bastante

“Plantamos frutas e legumes sem usar

combustíveis fósseis. Estamos favorecendo a saúde das

pessoas e dando emprego aos jovens carentes.

Horticultura urbana é rentável e bem-sucedida.”

STEVE RITZ, FUNDADOR DO PROJETO DE AGRICULTURA URBANA EM NOVA YORK.

Como criar uma cidade verde?

Taichi Goto

[Fukuoka, Japão]

As cidades podem investir em usinas de energia renovável em áreas rurais.

É interessante desenvolver uma rede de transporte público eficaz e ao mes- mo tempo reduzir as emissões de CO2.

Mary-Ann Schreurs

[Eindhoven, Holanda]

O passo mais fácil para criar a cidade verde perfeita é a redução do uso de energia. O passo mais subestimado é a disposição das pessoas para cumprir o proposto. O maior obstáculo é capacitar as pessoas a fazer o correto.

Alderman Berlinda Walker

[Cape Town, África do Sul]

Assegurar que existam ligações entre o consumo de recursos e a forma de administrar a cidade. Você não pode alcançar o sucesso de um sem o outro. Tem que ter planejamento e integração em todos os setores, além de entender essas ligações.

Franka Kuhn

[Hafencity Hamburg, Alemanha]

Podemos oferecer um transporte público eficiente

e confortável para que a população abandone os carros. Outra opção é fazer ciclovias para economizar energia e reduzir as emissões de CO2.

Domínio verde

Imagem

Referências

temas relacionados :