Efeito do medicamento Canova sobre a infecção experimental em camundongos pela cepa Y de Trypanosoma cruzi

Download (0)

Full text

(1)

U

U

N

N

I

I

V

V

E

E

R

R

S

S

I

I

D

D

A

A

D

D

E

E

E

E

S

S

T

T

A

A

D

D

U

U

A

A

L

L

D

D

E

E

M

M

A

A

R

R

I

I

N

N

G

G

Á

Á

C

C

e

e

n

n

t

t

r

r

o

o

d

d

e

e

C

C

i

i

ê

ê

n

n

c

c

i

i

a

a

s

s

B

B

i

i

o

o

l

l

ó

ó

g

g

i

i

c

c

a

a

s

s

P

P

r

r

o

o

g

g

r

r

a

a

m

m

a

a

d

d

e

e

P

P

ó

ó

s

s

g

g

r

r

a

a

d

d

u

u

a

a

ç

ç

ã

ã

o

o

e

e

m

m

C

C

i

i

ê

ê

n

n

c

c

i

i

a

a

s

s

B

B

i

i

o

o

l

l

ó

ó

g

g

i

i

c

c

a

a

s

s

A

A

U

U

R

R

E

E

A

A

R

R

E

E

G

G

I

I

N

N

A

A

T

T

E

E

L

L

L

L

E

E

S

S

P

P

U

U

P

P

U

U

L

L

I

I

N

N

Efeito do medicamento Canova sobre a infecção experimental

em camundongos pela cepa Y de Trypanosoma cruzi

Tese apresentada ao Programa de Pós graduação em Ciências Biológicas (Área de concentração – Biologia Celular e Molecular) da Universidade Estadual de Maringá, para obtenção do grau de Doutor em Ciências Biológicas.

MARINGÁ

A

(2)

Efeito do medicamento Canova sobre a infecção experimental

em camundongos pela cepa Y de Trypanosoma cruzi

Profa. Dra. Ciomar Aparecida Bersani Amado

Orientadora

(3)

Dados Internacionais de Catalogação-na-Publicação (CIP) (Biblioteca Central - UEM, Maringá – PR., Brasil)

Pupulin, Aurea Regina Telles

P984e Efeito do medicamento Canova sobre infecção experimental em camundongos pela cepa Y de

Trypanossoma cruzi / Aurea Regina Telles Pupulin. -- Maringá : [s.n.], 2009.

108 f. : il. color.

Orientadora : Prof. Dr. Ciomar Aparecida Bersani Amado.

Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Maringá, Programa de Pós-graduação em Ciências Biológicas, área de concentração: Biologia Celular e Molecular, 2009.

1. Doença de Chagas - Tratamento. 2. Doença de Chagas - Canova - Tratamento. 3. Trypanossoma cruzi - Canova - Tratamento. I. Universidade Estadual de Maringá, Programa de Pós-graduação em Ciências Biológicas, área de concentração: Biologia Celular e Molecular. II. Título.

CDD 21.ed.616.9363

(4)

Áurea Regina Telles Pupulin possui graduação em Farmácia Bioquímica pela

Universidade Estadual de Maringá e mestrado em Ciências Biológicas (Biologia Celular) pela Universidade Estadual de Maringá. Atualmente é docente da Universidade Estadual de Maringá, Departamento de Análises Clínicas-Setor de Parasitologia Básica. Líder do Grupo de pesquisa “Doenças Infecciosas e Parasitárias: a patologia e a epidemiologia”.

(5)

À DEUS criador: “O Senhor fez a terra produzir os medicamentos: O

homem sensato não os despreza” Eclo38,4.

AGRADECIMENTOS

A meu esposo Mauro e meus filhos Thiago, Rodrigo, Matheus e João Gabriel, por todo incentivo e compreensão durante a realização deste trabalho

(6)

A Professora Dra Ciomar Aparecida Bersani-Amado por estes anos de orientação e amizade

A Professora Dra Silvana Marques Araújo pelas orientações compartilhadas e também pela amizade e apoio durante estes anos

Aos Professores Dra Monica L Gomes, Dra Márcia Machado de Oliveira Dalalio e Max Jean O Toledo pela colaboração nos experimentos realizados

Aos Técnicos de Laboratório Jailson Araujo Dantas, Sandra Vieira e Maristela Gabriel pela colaboração nos experimentos realizados, companheirismo e amizade

Ás auxiliares do laboratório de Parasitologia Básica Maria Betania de Pádua e Silvana Pereira da Silva pela colaboração nos experimentos com animais.

Ao acadêmico Igacy Rossi Neto pela participação nos experimentos realizados

Aos colegas professores do Setor de Parasitologia Básica pelo carinho e companheirismo durante este percurso.

Ao Dr Miguel Spack Jr pelas informações compartilhadas

Ao Dr Roberto Piraíno e Maria da Glória Teixeira de Mello, da Empresa Canova do Brasil, pela doação do medicamento Canova utilizado nos experimentos.

APRESENTAÇÃO DO TRABALHO

Esta tese é composta de uma revisão bibliográfica e dois artigos científicos sobre o efeito do medicamento Canova sobre a infecção experimental pela cepa Y de

Trypanosoma cruzi.

A revisão descreve a patologia e o tratamento da doença de Chagas, e algumas informações sobre o medicamento Canova.

(7)

O primeiro artigo mostra o efeito do medicamento Canova sobre os aspectos parasitológicos da infecção, e o segundo artigo mostra os efeitos do medicamento Canova sobre aspectos imunológicos da infecção. O primeiro artigo foi redigido de acordo com as normas da revista Parasitology Research.

1. Pupulin ART; Marques-Araujo S; Toledo MJO; Gomes ML; Takejima E; Cuman RKN; Bersani-Amado CA. Canova medication modifies parasitological and histopathological parameters in mice infected with Trypanosoma cruzi.

2. Pupulin ART, Marques-Araujo S; Dalalio MO, Caparroz-Assef, SM; Bersani-Amado CA. Nivel de TNF-α e IL-10 em camundongos infectados com a cepa Y de T cruzi e tratados com medicamento Canova.

RESUMO GERAL

Introdução e Objetivos: A doença de Chagas representa importante problema de saúde

pública, gerado principalmente pela falta de medicamentos eficazes nas duas fases da doença (aguda e crônica) e da consequente morbidade, que origina uma série de debilitações e restrições ao paciente. Assim como em outras parasitoses, a doença de Chagas tem a resposta imunológica como um importante fator na resistência e controle da infecção pelo Trypanosoma cruzi (T. cruzi). Além disso, alguns trabalhos têm evidenciado a importância do sistema imune na eficácia do tratamento da doença de

(8)

Chagas. Estudos relatam que alguns produtos de origem natural podem ser utilizados para auxiliar a cura de doenças e para manter a resistência do organismo contra infecção. O provável mecanismo pelo qual estes agentes provocam estes efeitos é através da ativação da imunidade. As novas formas de terapia imunomoduladora podem ser direcionadas às células específicas ou seus produtos, as quais contribuem para a resposta imune. Estas formas de imunoterapia são conhecidas como “modificadores da resposta biológica”. O Medicamento Canova, constituído de um complexo de substâncias naturais conhecidas na Farmacopéia Mundial (Aconitum napellus,

Arsenicum álbum, Bryonia alba, Lachesis muta e Thuaya occidentalis, diluídos em

água destilada, contendo 0,01% de álcool de cereais) (v/v) vem sendo utilizado clinicamente, em associação com outros agentes, no tratamento de doenças onde o sistema imunológico do paciente encontra-se comprometido como na síndrome de imunodeficiência adquirida e neoplasias. Neste trabalho foi investigado o efeito do tratamento com o medicamento Canova sobre a infecção experimental induzida pela cepa Y do T. cruzi. Métodos: Camundongos suíços machos, com quatro semanas de idade, foram inoculados com 10 x 103 tripomastigotas/animal. Os animais foram divididos em cinco grupos experimentais: (1) infectado não tratado (I); (2) infectado tratado com Benzonidazol (Bz); (3) infectado e tratado com medicamento Canova (MC), (4) infectado e tratado com Bz+MC e (5) não infectado não tratado (C). O tratamento foi iniciado no quinto dia após a infecção e continuado até o 20º dia. Os parâmetros avaliados foram: período patente (PP), pico de parasitemia máximo (PM), dia da parasitemia máxima (DPM), parasitemia total (PT) e mortalidade. A curva de parasitemia foi elaborada a partir da determinação diária do número de parasitos em amostras de sangue coletada da cauda dos animais. O parasitismo tecidual foi realizado no 7º e 12º dia de infecção. Para isso, os animais foram anestesiados e sacrificados para a coleta de órgãos (coração, músculo esquelético, intestino, fígado, baço). O material foi processado utilizando técnica de rotina para histologia e embebidos em parafina. Após a coloração pela técnica da hematoxilina-eosina foi avaliado o número de parasitos e de ninhos de parasitos “in locu”, utilizando microscópio óptico comum. Para verificar a ocorrência de cura parasitológica, foram realizados dois testes independentes, hemocultura e reação em cadeia da polimerase (PCR) Os animais que apresentaram resultados negativos nestes testes foram considerados curados. Além disso, foram determinados os níveis séricos de TNF-α e IL-10 em alíquotas de soro de animais dos diferentes grupos experimentais, aos 4, 7, 10, 13 e 29 dias de infecção. A técnica

(9)

empregada foi ELISA de captura, utilizando pares de anticorpos da R&D System Inc. (Minneapolis-USA). Resultados e Discussão: Os resultados mostraram que a evolução da infecção experimental pela cepa Y do T. cruzi foi modificada pelo tratamento com MC e que doses diárias e consecutivas desse medicamento foram prejudiciais para os animais, causando um aumento da morbidade e 100% de mortalidade dos animais em período precoce. A análise do parasitismo realizada nos órgãos mostraram que nos animais infectados e tratados com MC, o número de amastigotas/ninhos no baço estava significativamente reduzido, enquanto no coração, intestino e fígado estava significativamente aumentada quando comparado com os animais infectados controles. Adicionalmente, foi observado que os animais que apresentaram maior número de amastigotas no tecido cardíaco coincidentemnete morreram mais precocemente. Além disso, os animais tratados com MC apresentaram menor taxa de cura parasitológica. Tais resultados indicam que o MC tem uma influência negativa sobre a relação hospedeiro-parasita, modificando o tropismo do parasito para os tecidos e aumentando o pico de parasitemia neste modelo experimental. Também foi observado que no grupo de animais infectados e tratados com o MC, no regime de tratamento usado, ocorreu uma grande elevação dos níveis de ambas citocinas, TNF-α e IL-10, quando comparado aos outros grupos experimentais. Tais achados nos levam a especular que o MC pode alterar o balanço entre estas citocinas, com conseqüências importantes que levam ao agravamento da infecção. Conclusão: Estes resultados indicam que o medicamento Canova altera a evolução da infecção experimental pela cepa Y de T. cruzi, possivelmente devido seu efeito sobre a resposta imune do hospedeiro.

Figure

Updating...

References