MANUAL DE PRODUÇÃO DE CONCRETO CELULAR ESPUMOSO

Texto

(1)

1 2

ª EDIÇÃO

CANAL CONSTRUÇÃO CELULAR Criado por: Eng. Thiago Melo

MANUAL DE

PRODUÇÃO DE CONCRETO

CELULAR

ESPUMOSO

(2)

2

Copyright © 2020

Por Thiago Melo

Todos os direitos reservados.

Nenhuma parte deste manual pode ser produzido, distribuído ou transmitido por qualquer meio, inclusive fotocópia, gravação e outros métodos eletrônicos ou mecânicos, sem a

prévia permissão do editor, por escrito, exceto no caso de citações breves incorporadas em revisões e artigos científicos,

e outros usos não comerciais permitidos pela lei de direitos

autorais.

(3)

3

Introdução

Bem vindo ao manual de produção de concreto celular espumoso, para

aplicação em peças pré moldadas de concreto e demais acessórios empregados na indústria da construção civil.

Me chamo Thiago Melo, sou engenheiro civil, formado pela Universidade de Pernambuco - POLI, com especialização em Gestão de Projetos, e mais de 9 anos de experiência atuando em projetos variados, com foco na construção civil.

Em busca da evolução dos métodos construtivos, e visando a popularização da construção civil em nosso país, a alguns anos venho realizando estudos na área de novos materiais, com foco na indústria de pré moldados. Muitas pesquisas e testes foram malsucedidos, até que em 2017 tive o primeiro contato com o concreto celular, e a coisa começou a mudar de rumo.

Neste manual eu explico os princípios básicos para a produção do concreto celular espumoso, e também para suas variações de concreto celular leve, com base nas pesquisas e obras que executei utilizando essa tecnologia.

Estou disponibilizando todo esse conhecimento de forma gratuita, espero que te ajude na realização dos seus objetivos.

Faça bom uso!

(4)

4

CAPÍTULO 1 – Principais Definições

O QUE É CONCRETO LEVE?

Os concretos leves são concretos com massa específica entre 300 e 1.600 kg/m³. A produção desses tipos de concreto se dá com a utilização de agregados leves em substituição aos mais pesados, como a pedra.

Esse tipo de concreto é objeto de pesquisas por todo o mundo. Existem estudos publicados sobre a utilização de diversos tipos de agregados leves em sua

composição, como polímeros, tecidos, eps, entre outros.

O QUE É CONCRETO CELULAR?

O concreto celular é um tipo de concreto leve, com ar incorporado a sua estrutura, por isso é chamado de celular.

Existem diversos tipos de agentes incorporadores de ar para o concreto, neste manual trataremos especificamente do concreto celular espumoso, quando utilizamos uma espuma produzida a partir de aditivos especiais como

incorporador de ar.

(5)

5

CAPÍTULO 2 – Materiais Utilizados

QUAL O TIPO DE AREIA MAIS INDICADO PARA O CONCRETO CELULAR ESPUMOSO?

O tipo de areia é decisivo para a produção de uma massa boa, homogênea e que produza um concreto que atenda as características desejadas.

Muitas literaturas sugerem a utilização de uma areia fina, quanto mais fina melhor, porém diante da nossa experiência na produção do concreto celular, eu sugiro a utilização de uma areia média lavada, livre de impurezas.

Um detalhe muito importante é que a areia a ser utilizada no traço precisa estar totalmente seca, pois se estiver úmida, mesmo que seja em pouca quantidade, poderá influenciar no fator água/cimento (a/c) e mudar as características da mistura.

QUAL O TIPO DE CIMENTO MAIS INDICADO PARA O CONCRETO CELULAR ESPUMOSO?

O cimento mais indicado é o CPV-Ari, que é um cimento portland de alta resistência inicial.

A espuma retarda a cura da massa, utilizando o cimento CPII a desforma irá demorar aproximadamente 3 dias para acontecer. Com o cimento CPV é possível reduzir essa desforma para 1 dia.

Esse cimento tem a peculiaridade de atingir altas resistências já nos primeiros dias da aplicação. O desenvolvimento da alta resistência inicial é conseguido pela utilização de uma dosagem diferente de calcário e argila na produção do clinquer, bem como pela moagem mais fina do cimento, de modo que, ao reagir com a água, ele adquira elevadas resistências, com maior velocidade.

Esse cimento continua ganhando resistência até os 28 dias, diferente do que muitos falam, portanto a cura total do seu concreto celular apenas se dará após 28 dias.

(6)

6

A vantagem deste cimento é que seu concreto celular ficará firme mais rapidamente, permitindo a retirada das formas e a movimentação das peças pré moldadas.

QUAL A ESPUMA UTILIZADA PARA O CONCRETO CELULAR ESPUMOSO?

A espuma é o principal segredo para a obtenção de uma boa massa, trabalhável e que atenda as normas de aplicação do seu concreto celular espumoso.

Ela é obtida através de aditivos especiais, que são misturados com água em uma determinada proporção, e processados através de uma máquina geradora de espuma, ou gerador de espuma como é mais conhecido no mercado.

Atualmente existem várias empresas que vendem tanto o aditivo quanto o gerador de espuma, no final deste manual eu cito fornecedores onde você pode estar adquirindo esses produtos.

QUAL A ÁGUA UTILIZADA PARA O CONCRETO CELULAR ESPUMOSO?

A água segue os mesmos requisitos da norma de produção dos diversos tipos de concreto.

É importante lembrar que a água para produzir o concreto deve estar limpa. O vasilhame utilizado para seu transporte, assim como todo o objeto que entrar em contato com a mistura, deve ser armazenado corretamente para evitar a contaminação com óleos, graxas, açúcar, sal, serragem, etc.

(7)

7

CAPÍTULO 3 – Equipamentos Utilizados

COMO VOU MISTURAR O CONCRETO CELULAR ESPUMOSO?

Muitos especialistas sugerem a utilização de um misturador de argamassa, porém nos meus trabalhos os melhores resultados foram obtidos com o uso da betoneira convencional.

A massa do concreto celular espumoso adere com facilidade em qualquer superfície, sendo bem difícil sua remoção. Na utilização do misturador de argamassa muito material fica colado nas hélices, influenciando na dosagem final da mistura. Além disso, quando a massa já está bem misturada, muito dela fica aderido as hélices, desperdiçando bastante material.

Diante do exposto acima, eu sugiro a utilização de uma betoneira

convencional, nós utilizamos uma com capacidade de 400L para demandas menores, e uma de 600L para maiores produções.

Após o uso deve-se lavar a betoneira com água, o concreto celular espumoso adere muito as paredes do equipamento, porém com o uso da água é fácil removê-lo.

COMO VOU PRODUZIR A ESPUMA PARA O CONCRETO CELULAR ESPUMOSO?

Como mencionei anteriormente, para produzir a espuma utilizamos um gerador de espuma.

Essa máquina tem a função de misturar o aditivo com o ar, produzindo uma espuma muito leve e densa, parecida com uma espuma de barbear.

A espuma precisa ter as seguintes características:

• Ser resistente, para suportar os esforços da mistura na betoneira. Se a espuma tiver baixa densidade, facilmente ela será dissolvida dentro da betoneira;

• Ser leve, permitindo a incorporação de muito ar na massa. Muitos

especialistas sugerem utilizar uma espuma com densidade entre 75 e 100

(8)

8

g/L, porém nós tivemos bons resultados utilizando espumas com densidades inferiores, entre 50 e 70 g/L.

Minha sugestão é que teste o concreto utilizando a espuma com a menor densidade que conseguir produzir, e caso o resultado não seja satisfatório, aumente a densidade da espuma gradativamente, até encontrar o ponto ideal para a sua necessidade.

Quanto menor a densidade da espuma, mais leve o concreto celular espumoso ficará.

(9)

9

CAPÍTULO 4 – Vantagens e Desvantagens

QUAIS AS PRINCIPAIS VANTAGENS DO CONCRETO CELULAR ESPUMOSO?

O concreto celular espumoso possui ótima trabalhabilidade, sendo auto

adensável. Preenche com facilidade todos os vazios da forma, sem necessidade de vibração.

Possui um peso muito inferior quando comparado a outros materiais de

construção, favorecendo a redução da carga estrutural e aplicação no campo.

Reduzida condutividade térmica, impedindo a transferência de calor entre o ambiente externo e o interno, favorecendo um ótimo conforto térmico em ambientes fechados com esse material.

Devido a grande porosidade do material, reduz bastante a passagem de ruídos, favorecendo um ótimo conforto acústico nos ambientes fechados com esse material.

Muito utilizado para paredes corta fogo, por ser um ótimo isolante contra chamas.

QUAIS AS PRINCIPAIS DESVANTAGENS DO CONCRETO CELULAR ESPUMOSO?

A principal desvantagem do concreto celular espumoso é a reduzida resistência a compressão.

Quanto mais ar incorporado a massa, ou seja, mais leve ele for, menor a resistência a compressão do material.

Para aplicações estruturais, o concreto precisa ter uma densidade muito alta, tornando o produto bem mais pesado e com custo de produção acima da

média, sendo inviável essa aplicação para a maioria dos casos.

(10)

10

CAPÍTULO 5 – Produção

COMO PRODUZIR O CONCRETO CELULAR ESPUMOSO?

E finalmente, agora que já temos todo o conhecimento básico, vamos iniciar o capítulo principal deste manual, a produção do concreto celular espumoso.

Inicie preparando todos os recursos descritos nos capítulos anteriores:

• Betoneira devidamente aterrada e em local de fácil carga e descarga;

• Gerador de espuma ligado e abastecido com aditivo;

• Sacos de cimento CP-V Ari;

• Areia média lavada, passada na peneira fina e totalmente seca;

• Água limpa e potável.

A areia precisa ser previamente peneirada com uma peneira fina, para eliminar os grãos maiores. De preferência deixar secar ao sol no dia anterior a

utilização.

A forma onde será aplicado o concreto celular deve ser previamente untada com desmoldante para concreto, ou até mesmo óleo queimado. Lembrando que o concreto celular espumoso adere muito mais a superfície da forma do que o concreto convencional, sendo necessário untar bem as superfícies que terão contato com a massa, ou na desforma a peça de concreto será

danificada.

Prepare previamente as dosagens corretas do traço que irá utilizar, na

proporção indicada na tabela do traço do concreto que irá executar. Na secção de anexos deste manual coloquei algumas tabelas com sugestões de traço para serem utilizadas como referência.

A sequência correta de lançamento na betoneira é a seguinte:

1. Coloque a areia com a água, misture um pouco até a areia molhar por completo;

2. Acrescente o cimento, misture até formar a argamassa;

3. Acrescente a espuma e misture até a massa se tornar homogênea.

ATENÇÃO: quanto mais tempo a massa ficar misturando na betoneira mais a espuma será dissolvida, se transformando em líquido novamente. O ideal é

(11)

11

misturar o mínimo possível para preservar o máximo de espuma, porém só devemos parar a mistura quando a massa estiver totalmente homogênea.

Após amassa ficar pronta, lance imediatamente na peça que irá concretar.

Lembre-se que o concreto celular espumoso é auto adensável, e não necessita de vibração. Cuidado com pequenas falhas na vedação da forma, qualquer orifício mesmo que muito pequeno permite a passagem da massa, é muito importante a forma estar bem vedada.

COMO CURAR O CONCRETO CELULAR ESPUMOSO?

Após a conclusão do lançamento do concreto celular espumoso nas formas, inicia-se o processo de cura. Caso esteja utilizando o cimento CPV-Ari, após 24 horas, dependendo da peça que concretou, já é possível a desforma.

Para a produção de peças pré moldadas é fundamental a utilização do cimento CPV-Ari, porque no outro dia será possível remover as formas e repetir o

processo de concretagem. Utilizando o cimento CPII o prazo de desforma é de aproximadamente 3 dias.

A cura mais indicada para o concreto celular espumoso é a cura seca. O ideal é evitar que o sol atinja a superfície da massa, e tentar manter a água da

mistura dentro do concreto durante os primeiros 7 dias de cura.

Minha sugestão é curar a peça concretada em local coberto, e cobrir essa peça com uma lona, evitando que a água da massa evapore no ambiente. Desta forma é possível garantir o melhor processo de cura para esse tipo de concreto.

(12)

12

Conclusão

Espero que este manual o ajude a entender melhor como funciona o concreto celular espumoso.

Importante salientar que todas as recomendações que descrevi neste documento são sugestões minhas, a partir da experiência adquirida durante minhas pesquisas e trabalhos relacionados a este tipo de material. Sugiro que consulte outras fontes e especialistas da área para definir o melhor processo de produção para a sua necessidade.

Se quiser aprender mais sobre concreto celular e suas aplicações, o convido a seguir o canal Construção Celular no Youtube. Estarei postando novos vídeos com novidades e futuros projetos.

Se quiser fazer parte da minha rede de relacionamentos, você

também pode me encontrar no Instagram e Linkedin. Deixo abaixo os links de acesso.

Um grande abraço, te desejo sucesso em seus projetos!

thiago@construcaocelular.com.br

(13)

13

Anexos

Indicação de fornecedor para consulta:

• ADITIVO PARA PRODUÇÃO DE ESPUMA:

- ECOPORE: (11) 4544 3638 - José Menezes

• GERADOR DE ESPUMA:

- ECOPORE: (11) 4544 3638 - José Menezes

• CIMENTO CPV-ARI:

- Votorantin;

- Lafarge;

- Nacional;

- Entre outros.

A seguir a tabela com sugestões de traços para a produção de

concreto celular espumoso, produzida e distribuída gratuitamente

pela empresa ECOPORE.

(14)

TWISTER R15

Manual de Uso e Manutenção Rev. 03/2018

SUGESTÕES DE TRAÇO PARA CONCRETO CELULAR ESPUMOSO para uso com

TWISTER R15

DENSIDADE (Kg/m3) 1600 1400 1200 1000 800 600 400

CIMENTO (Kg) 350 350 350 350 350 350 350

AREIA SECA (Kg) 1160 960 760 560 360 160 -

ÁGUA (L) 160 160 160 160 160 160 140

ESPUMA – quantidade (L) ±190 ±290 ±380 ±470 ±580 ±660 ±760

ESPUMA – densidade (g/L) 100 100 100 100 100 100 100

ESPUMA – peso (Kg) 19 29 38 47 58 66 76

Densidade Úmida Kg/m3 ±1735 ±1533 ±1331 ±1129 ±927 ±724 ±531 RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO

(N/mm2 Mpa) Após 28 dias 12,0~18,0 8,0~10,0 4,8~6,0 2,8~3,5 1,8~2,0 1,0~1,5 0,5~0,8 CONDUTIVIDADE TÉRMICA

(W/m.K) )lambda) 0,525 0,445 0,400 0,315 0,205 0,175 0,090

As informações exibidas são aproximadas e baseadas em nosso conhecimento e experiência atual.

Os parâmetros alteram-se com base na qualidade do cimento, no tipo de cimento (32,5, 42,5, 42,5), no tipo de areia (areia seca, areia molhada, areia fina, etc), dos equipamentos utilizados e das condições do local da obra …

Tal como acontece com o concreto convencional, a resistência em qualquer densidade e a proporção da mistura também irão variar, com base o teor de água final do traço.

Em nenhum caso implicam quaisquer garantias pela ECOPORE ou responsabilidades pela utilização do produto, uma vez que as condições de uso estão além do nosso controle.

Recomenda-se que antes de usar o produto em ambiente de produção, sejam realizados testes práticos e ensaios que confirmem a adequação para o uso pretendido, em condições reais de operação …

ECOPORE CONSTRUCTION LTDA

Avenida Presidente Castelo Branco 272 · Mauá · SP · BRAZIL · 09320-590 · Tel. +55 11 4544-3638 · Página 31 de 46 web: www.ecopore.com · e-mail: info@ecopore.com

Imagem

Referências

  1. www.ecopore.com
temas relacionados :