• Nenhum resultado encontrado

FISIOLOGIA DA CONTRAÇÃO MUSCULAR A- MÚSCULO ESQUELÉTICO: DISTÚRBIOS NEUROMUSCULARES

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "FISIOLOGIA DA CONTRAÇÃO MUSCULAR A- MÚSCULO ESQUELÉTICO: DISTÚRBIOS NEUROMUSCULARES"

Copied!
17
0
0

Texto

(1)

Lista de exercícios TURMA:

1 – 17

FISIOLOGIA DA CONTRAÇÃO MUSCULAR

A- MÚSCULO ESQUELÉTICO: DISTÚRBIOS NEUROMUSCULARES

1) (FCC 2010 - Agente Técnico Legislativo Especializado – Enfermagem) No ato cirúrgico, o enfermeiro deve considerar a possibilidade de ocorrência da hipertermia maligna. O tipo de doença, o fator desencadeante da crise e os sinais clínicos clássicos estão corretamente descritos em:

Tipo de doença Fator desencadeante da crise Sinais clínicos clássicos a) Doença vascular periférica Formação de trombos na

microcirculação

Hemiplegia, hipertermia, petéquias e edema de glote.

b) Doença autoimune Contato com iodo Hipertermia, taquicardia, edema e icterícia.

c) Doença hipermetabólica do sistema nervoso

Trauma cirúrgico Hipertermia, anúria, cianose e petéquias.

d) Doença farmacogenética do músculo esquelético

Anestesia geral Taquicardia, cianose, hipertermia e sudorese.

e) Doença hereditária do hipotálamo Anestesia raquimedular Hipertermia, convulsões, bradicardia e anúria.

2) A Hipertermia maligna é uma síndrome clínica hipermetabólica grave, de rápida evolução para o óbito e se caracteriza por hipertermia, rigidez muscular, rabdomiólise, acidose e insuficiência de múltiplos órgãos. Qual medicamento é recomendado administrar para tratamento dos casos de hipertermia maligna?

a) Dantroleno sódico. b) Halotano. c) Succinilcolina. d) Isoflurano. e) Desflurano. JUSTIFICATIVA:

3) (UFPR – Mod.) Sobre as distrofinopatias, julgue os itens a seguir, marcando V para os verdadeiros e F para os falsos e justifique cada uma de suas respostas.

(1) São doenças hereditárias causadas por mutações no gene da distrofina.

(2) Distrofina é uma proteína subsarcolemal com a função de sustentar a membrana. (3) O início dos sintomas se dá exclusivamente na infância e adolescência.

(4) São fenótipos relacionados: intolerância ao exercício, cãibras musculares e imunoglobinúria. (5) Pode ser uma rara causa de miosite, principalmente polidermatomiosite.

(6) Pode ser uma rara causa de hipotonia congênita.

4) (UFPR) Qual das enzimas abaixo se encontra mais elevada nas distrofias musculares? a) Creatinafosfoquinase.

b) Desidrogenase láctica. c) Aldolase.

d) Transaminase glutâmico-pirúvica. e) Transaminase glutâmico-oxalacética.

5) (UFPR – Mod.) Quanto à distrofia muscular de Becker, é CORRETO afirmar: a) É a forma mais maligna das distrofinopatias.

b) É semelhante à DMD, porém com início da doença mais precoce. c) A eletromiografia tem padrão neurogênico.

d) Há redução total da distrofina no músculo.

e) O início dos sintomas se dá após os 5 anos de idade.

6) (UFPR – Mod.) Paciente do sexo feminino, 29 anos. Há 5 anos, diagnóstico clínico e neurofisiológico de miastenia gravis, porém com anticorpo antirreceptor de acetilcolina negativo. Evoluiu com dificuldade de controle com tratamento medicamentoso. Submetida a timectomia, sem melhora dos sintomas. Houve melhora dos sintomas após a realização

(2)

2 – 17

de 5 sessões de plasmaférese (remoção do plasma, com retorno das células sanguíneas, separadas por centrifugação, em um circuito extracorpóreo). Sobre esse caso, é CORRETO afirmar:

a) Houve erro no diagnóstico: a paciente apresenta outra doença.

b) Provavelmente essa paciente tem anticorpos contra o receptor tirosina quinase músculo-específica (anti-MuSK). c) A plasmaférese é o tratamento de escolha na fase inicial de todos os pacientes com miastenia gravis.

d) O tratamento com interferon beta-1a (IFN 1a) pode ser uma opção nesse caso. e) A timectomia somente deve ser realizada nos casos de timoma.

7) (Acadepol 2013 – Fisioterapia mod.) A Doença do Neurônio Motor (DNM) ocorre pela degeneração progressiva das células do corno anterior da medula espinhal. Com o auxílio desta definição, marque a alternativa CORRETA e JUSTIFIQUE as incorretas:

a) Doenças como Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), Esclerose Lateral primária, Paralisia Bulbar Progressiva e Atrofia Muscular Progressiva são as quatro principais formas da doença.

b) Na ELA, as alterações dos neurônios superiores e inferiores caracterizam fraqueza muscular generalizada, com comprometimento cognitivo, sensorial ou autonômico.

c) Sintomas de fraqueza flácida, emaciação muscular e fasciculação muscular e reflexos ampliados estão presentes em lesões do neurônio motor inferior.

d) O tratamento fisioterapêutico da DNM, no estágio tardio, deve priorizar abordagens preventivas da fraqueza muscular, das úlceras de pressão e da incontinência urinária.

B- MÚSCULOS CARDÍACO E LISO 1) A figura ao lado esquematiza o coração humano.

a) Em qual das câmaras do coração, identificadas por A, B, C D, chega o sangue rico em O2?

b) Em qual dessas câmaras chega o sangue rico em CO2?

c) Qual dos vasos, identificados por I, II, III e IV, leva sangue do coração para os pulmões?

d) Qual desses vasos traz sangue dos pulmões?

e) Algumas crianças nascem com um defeito no coração denominado comunicação interventricular, ou seja, uma comunicação entre os dois ventrículos. Que consequência imediata o defeito traz para a circulação sanguínea da criança?

f) Os ventrículos direito e esquerdo possuem volume interno similar e ejetam o mesmo volume de sangue a cada contração. No entanto, a parede ventricular esquerda é cerca de 4 vezes mais espessa do que a direita. Como se explica essa diferença em função do trabalho realizado pelos ventrículos?

g) O miocárdio não entra em contato direto com o sangue contido nas cavidades do coração, sendo irrigado por artérias denominadas coronárias. Em muitas doenças cardíacas, ocorre o bloqueio (entupimento) das artérias coronárias, o que pode levar a lesões no miocárdio. Uma abordagem experimental para o tratamento de bloqueios coronarianos, testada com sucesso em animais, consiste em fazer minúsculos furos nas paredes internas do ventrículo esquerdo. Por que esse tratamento é eficaz no caso do ventrículo esquerdo, mas não no caso do ventrículo direito?

2) (UFLA-JULHO/2008 – mod.) Na figura a seguir, verifica-se a variação da pressão hidrostática no sistema sanguíneo humano em três vasos distintos (A, B e C).

Responda:

a) Quais são esses tipos de vasos sanguíneos? A –

B – C –

b) Cite duas diferenças estruturais entre as camadas dos vasos A e C.

c) A arteriosclerose ocorre geralmente em pessoas idosas e afeta o funcionamento de determinados vasos sanguíneos. Em que consiste a arteriosclerose? Apresente 2 (dois) efeitos causados por ela nas pessoas.

(3)

3 – 17

3) (UNESP/2003) Durante um exame médico para se localizar um coágulo sanguíneo, um indivíduo recebeu, via parenteral, um cateter que percorreu vasos, seguindo o fluxo da corrente sanguínea, passou pelo coração e atingiu um dos pulmões.

a) Cite a trajetória sequencial percorrida pelo cateter, desde sua passagem pelas cavidades cardíacas até atingir o pulmão.

b) Que denominação recebe a contração do músculo cardíaco que, ao bombear o sangue, possibilitou a passagem do cateter ao pulmão? Qual foi o tipo de sangue presente nessa trajetória?

4) Os números abaixo correspondem a alguns eventos relacionados ao trabalho do músculo cardíaco. Nas colunas dos parênteses estão relacionadas as estruturas responsáveis por cada um dos eventos. Enumere a 2ª coluna de acordo com a 1ª .

1 - contração das aurículas 2 - contração dos ventrículos

3 - diminuição da frequência cardíaca 4 - aceleração da frequência cardíaca

( ) feixe de Hiss ( ) nódulo sino-atrial

( ) terminações nervosas que liberam noradrenalina ( ) terminações nervosas que liberam acetilcolina

5) Em um exame médico de rotina com o cardiologista da família, um jovem descobre que sua pressão arterial é igual a 12/8 e que sua frequência de batimentos cardíacos é de 70 batimentos/minuto.

a) Qual o significado fisiológico do valor 12/8 obtido para a pressão arterial?

b) Explique resumidamente como funciona o sistema elétrico do coração na geração e propagação do potencial de ação.

6) Qual cardiopatia congênita é representada na figura abaixo? Explique para validar a questão.

7) Em um paciente que apresente riscos para um Infarto Agudo do Miocárdio (IAM), poderão ser reconhecidos os seguintes sinais e sintomas:

a) vômitos, ansiedade, torpor, hipotensão.

b) sudorese, hipertensão, perda da consciência, sede. c) dor precordial, náusea, ansiedade, sudorese. d) hipotensão, anorexia, torpor, sede.

e) hipertensão, vômitos, sudorese, torpor.

8) Os cardiomiócitos são células altamente diferenciadas e logo após os primeiros anos de vida param de se multiplicar, desta forma, o crescimento do coração é consequência da hipertrofia (aumento no tamanho e volume celular) e não da hiperplasia celular (aumento no número de células). A morte dos cardiomiócitos, como consequência de um infarto do miocárdio, por exemplo, faz uma fibrose ventricular, que dependendo da extensão pode levar à insuficiência cardíaca. (Texto adaptado de Acta Veterinaria Brasilica 2009; 3(3): 153-158).

Em relação ao tema e conhecimentos correlatos, responda: Como a fibrose ventricular pode levar à insuficiência cardíaca? Considere na sua explicação o funcionamento do sistema elétrico do coração na geração e propagação do potencial de ação.

9) Arritmia. Esse é o nome dado às alterações na frequência cardíaca. As arritmias apresentam uma diversidade de causas, gravidade e mecanismos de ocorrência. Isso significa que durante uma arritmia, o coração pode bater muito rápido, muito devagar ou de forma irregular. Normalmente, essas alterações se traduzem para o paciente como uma sensação de palpitação no peito ou de irregularidade no batimento cardíaco. Podem também ocorrer tonturas, suor frio, sensação de dor no peito, falta de ar ou mesmo desmaios. Em geral as arritmias são mais comuns em pessoas com problemas cardíacos tais como doença valvular, miocardiopatia ou doença coronária. Entretanto, podem também ocorrer em pessoas com corações absolutamente normais, sendo precipitadas por fatores externos como uso de

(4)

4 – 17

drogas estimulantes (café e cigarro, por exemplo) ou depressoras (álcool, por exemplo) e estresse. Para diagnosticá-la, é necessário um eletrocardiograma (ECG), que mostra a atividade elétrica do coração.

Observe os resultados de ECGs apresentados abaixo:

Baseando-se no texto, nos ECGs e em conhecimentos correlatos, responda:

a) Qual dos dois indivíduos pode estar sofrendo de arritmia? Justifique mediante cálculos das frequências cardíacas dos indivíduos, cujos ECGs estão representados nas figuras I e II. b) Cite, respectivamente, uma situação não apresentada no texto, que poderia justificar o resultado do ECG apresentado na figura I e uma situação que poderia representar o resultado obtido na figura II.

c) Levando em conta a atividade elétrica normal e o controle nervoso do coração, justifique a frequência apresentada no ECG da figura I.

10) O coração de um recém-nascido saudável costuma bater entre 120 e 140 vezes por minuto, pois seus sistemas de regulação do sistema circulatório ainda não estão bem desenvolvidos. A frequência cardíaca maior ajuda a fornecer mais oxigênio ao coração dos bebês. Conforme eles crescem, os batimentos vão diminuindo. Décadas mais tarde, na idade adulta, os batimentos provavelmente serão mais espaçados ainda, numa faixa entre 60 e 80 bpm (batimentos por minuto) em repouso. (Texto adaptado de Mundo Estranho, Ed. Abril).

Observe os resultados de eletrocardiogramas (ECGs) apresentados abaixo:

Baseando-se no texto, nos ECGs e em conhecimentos correlatos, responda:

a) Qual dos dois ECGs poderia representar, respectivamente, as frequências cardíacas de um recém-nascido e de um adulto normal em repouso? Justifique mediante cálculos das frequências cardíacas dos indivíduos cujos ECGs estão representados nas figuras I e II.

b) Em determinadas situações, o coração de um adulto normal trabalha em uma frequência semelhante à do recém-nascido. Cite três dessas situações.

c) Levando em conta o controle nervoso do coração, justifique a frequência apresentada no item b. Inclua na sua resposta o neurotransmissor associado a este tipo de estimulação.

11) E de repente... POW! – a bola acerta em cheio o peito do jogador. Imediatamente o garoto cai morto no chão, vítima de um dos casos raros e misteriosos registrados na literatura médica – a chamada Commotio Cordis ou comoção cardíaca. A Commotio Cordis é um trauma direto na região anterior-esquerda do tórax, que pode levar a uma arritmia cardíaca muito grave, chamada de fibrilação ventricular. Pode ser comparada a uma espécie de curto-circuito do coração, que leva a uma instabilidade elétrica do órgão. Vale ressaltar que não é qualquer pancada no peito que provoca esse quadro clínico. O traçado eletrocardiográfico revela que ela deve acontecer 15 a 30 milissegundos antes do pico da onda T do ciclo cardíaco. Uma pancada nesse momento pode ser fatal.

a) Explique por que apenas na onda T ocorre o risco dos indivíduos sofrerem a Commotio Cordis ao receberem uma pancada no peito.

b) A ativação de canais iônicos de potássio no sarcolema das fibras cardíacas tem sido apontada como candidata a contribuir para a iniciação da fibrilação ventricular. Explique o possível mecanismo envolvido.

12) Taquicardia pode ser sintoma da síndrome de Wolf-Parkinson-White.

A síndrome de Wolf-Parkinson-White, doença cardíaca congênita, foi descrita pela primeira vez em 1930. Caracteriza-se pela presença de um "feixe de fios elétricos" excedente no coração do portador. Isso às vezes gera "curto-circuito" no miocárdio, desencadeando o principal sintoma: taquicardia. Segundo as pesquisas, a síndrome atinge 0,3% dos brasileiros, sendo que cerca de 80% dos portadores vivem com a anomalia sem sintomas. Porém, nos 20% restantes, o problema pode levar à morte súbita. A anomalia permite que o coração atinja frequências elevadas, de até 300 batimentos por minuto. A manifestação de taquicardia pode iniciar-se em qualquer fase da vida, com duração que varia de alguns segundos até horas. A taquicardia pode vir acompanhada de palidez, sudorese e mal-estar. Nessa situação, o coração vive um quadro inusitado de stress intenso, como se estivesse "correndo" uma maratona. Pacientes sem

(5)

5 – 17

sintomas, que não apresentam risco de morte súbita, não precisam se tratar, mas precisam realizar exames médicos periódicos de acompanhamento. Nos casos mais graves o médico pode lançar mão de medidas clínicas, remédios antiarrítmicos, cardioversão elétrica (aplicação de um choque no tórax) e, finalmente, cirurgia (localiza-se e interrompe-se a corrente elétrica anômala, desativando o "curto-circuito" causador da taquicardia). A estimulação do nervo vago (fibras colinérgicas) através da indução do vômito e lavagem do rosto com água fria e/ou massagem do seio carotídeo (no pescoço) é uma medida clínica que também interrompe a taquicardia (Ricardo A. Maldonado, cardiologista assistente da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e diretor do Centro Médico Berrini).

a) Explique qual a relação entre a estimulação do nervo vago e a interrupção da taquicardia.

b) Abaixo estão apresentadas figuras de quatro ECG anormais. Explique de que maneira cada um dos ECGs apresentados poderia representar o ECG de uma pessoa com a síndrome de Wolf-Parkinson-White.

13) A fibrilação atrial é uma arritmia cardíaca, onde o estímulo elétrico que inicia o ciclo cardíaco não se origina no nódulo sinoatrial, mas sim no músculo atrial. É a taquicardia mais frequente no consultório dos cardiologistas e sua prevalência aumenta com o avanço da idade, atingindo mais de 10% dos idosos acima de 70 anos. Em vez de um único estímulo elétrico viajar até o nódulo atrioventricular, muitos impulsos originados nos dois átrios competem para atravessar o nódulo atrioventricular. Este, por sua vez, promove uma “filtração” desses impulsos e só deixa passar alguns, proporcionando um ritmo irregular. Em relação ao tema e conhecimentos correlatos, responda:

a) A fibrilação atrial é possível devido à comunicação por contato direto entre as células atriais. Que tipos de junções presentes nos discos intercalares seriam responsáveis por esta comunicação? Justifique.

b) Tanto no funcionamento cardíaco normal quanto na fibrilação atrial o nódulo atrioventricular retarda o impulso vindo dos átrios. O que torna isto possível?

14) Indivíduos idosos, que se submetem a voos de longa distância, por permanecerem por muito tempo sentados, podem ser acometidos por uma trombose venosa profunda (TVP), caracterizada pela formação de um coágulo de sangue (trombo) no interior das veias profundas das pernas ou da região pélvica. O coágulo de sangue bloqueia o fluxo sanguíneo e faz com que a pressão aumente dentro da veia. Parte do coágulo pode libertar-se e mover-se através da circulação sanguínea até aos pulmões, o que é denominado tromboembolismo pulmonar (TEP), por vezes fatal.

Baseando-se no texto e em conhecimentos correlatos, responda: a) Em qual das cavidades do coração o trombo chegará primeiro?

b) Que vaso sanguíneo conduzirá o coágulo à cavidade cardíaca especificada no item a?

c) Caso o coágulo se desloque até os pulmões, provocando uma embolia pulmonar, que vaso seria responsável por sua condução do coração aos pulmões?

d) Que componente importante, ausente no indivíduo que permanece por longo tempo sentado em um voo longo, é fundamental para auxiliar o retorno do sangue venoso ao coração?

Utilize o texto abaixo para responder as questões 15 a 17

A doença de Chagas é uma das principais moléstias infecto-parasitárias da América Latina, com cerca de 16 a 18 milhões de sul americanos afetados, e uma das principais causas de cardiopatia em nosso meio. A cardiopatia chagásica parece estar associada a eventos cerebrovasculares, sendo um fator de risco independente para acidente vascular cerebral (AVC) isquêmico (provocados por bloqueio parcial ou total de fluxo sanguíneo), possivelmente por mecanismo cardioembólicos. A infecção provocada pelo tripanossomo e sobretudo as reações e mediadores inflamatórios por ele desencadeados são causas de lesão endotelial, incluindo o acometimento endocárdico. Esses mesmos mediadores possuem efeito pró-agregante plaquetário, predispondo à hipercoagulabilidade. Existem ainda os

(6)

6 – 17

fatores que promoveriam a estase intra-cardíaca, como fibrilação atrial, miocardiopatia dilatada e aneurismas ventriculares.

Portadores da forma cardíaca da doença podem apresentar distúrbio de condução e necessidade da utilização de estimulação cardíaca permanente por meio do implante de marcapasso definitivo. Apesar da disponibilidade de uma infinidade de recursos visando diminuir o impacto da morbidade e buscando a contínua melhoria na qualidade de vida dos pacientes, a prática clínica ainda aponta alto desconhecimento, tanto da parte dos doentes como de muitos profissionais sobre a segurança e recursos envolvidos nesta tecnologia. (Texto adaptado de:

MAGNANI et al. Representações, mitos e comportamentos do paciente submetido ao implante de marcapasso na doença de Chagas. Cad. Saúde Pública 23(7):1624-1632, 2007; PAIXÃO, L.C.. Doença de Chagas: um fator de risco independente para acidente vascular cerebral isquêmico. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Ciencias da Saúde: Infectologia e Medicina Tropical. Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais, 2007.)

Dados:

(1) Estase: o sangue flui muito lentamente, propiciando a formação de coágulos (trombos).

(2) Quando existe comprometimento da ejeção ventricular, diz-se que a insuficiência cardíaca é sistólica. Quando o comprometimento é do enchimento ventricular, a insuficiência cardíaca é dita diastólica.

(3) Miocardiopatia dilatada: doença do miocárdio que deixa coração aumentado (cardiomegalia) e impede o bombeamento adequado de sangue para o corpo, causando complicações como arritmias, coágulos de sangue e morte súbita.

15) Baseando-se no texto e em conhecimentos sobre fisiologia cardíaca, responda: Qual a estrutura do coração que está danificada em pacientes que necessitam de marcapasso?

16) A fibrilação atrial é possível devido à comunicação por contato direto entre as células atriais. É uma arritmia cardíaca, onde o estímulo elétrico que inicia o ciclo cardíaco não se origina no nódulo sinoatrial, mas sim no músculo atrial. Em vez de um único estímulo elétrico viajar até o nódulo atrioventricular, muitos impulsos originados nos dois átrios competem para atravessar o nódulo atrioventricular. Este, por sua vez, promove uma “filtração” desses impulsos e só deixa passar alguns, proporcionando um ritmo irregular.

Em relação ao tema, responda:

a) Qual o nome da estrutura que permite que o coração seja chamado “sincício funcional”?

b) Que tipos de junções presentes na estrutura respondida no item a seriam responsáveis por esta comunicação? Justifique.

c) Tanto no funcionamento cardíaco normal quanto na fibrilação atrial o nódulo atrioventricular retarda o impulso vindo dos átrios. O que torna isto possível?

17) Em relação ao texto e conhecimentos sobre fisiologia cardíaca, marque a alternativa INCORRETA.

a) Complicações tromboembólicas são associadas de modo clássico á insuficiência cardíaca de etiologia chagásica, motivando alguns autores a definir a doença como “cardiopatia emboligênica”.

b) Pacientes chagásicos com comprometimento cardíaco podem apresentar insuficiência cardíaca sistólica e diastólica.

c) Palpitações e quadros sincopais (de desmaio) decorrentes de distúrbios da condução atrioventricular e/ou arritmia ventricular podem ser as primeiras manifestações clínicas da doença.

d) Em pacientes chagásicos, o quadro de insuficiência cardíaca pode se manifestar com sinais de baixo débito cardíaco e taquicardia (aumento da frequência cardíaca); este último devido à ação do sistema nervoso autônomo parassimpático em decorrência da redução da disponibilidade de oxigênio nos tecidos (na tentativa de enviar mais sangue e, consequentemente, mais oxigênio para os tecidos).

e) Entre os sinais de baixo débito cardíaco podemos citar: palidez, extremidades frias e hipotensão arterial. Utilize o texto, os diagramas e os dados abaixo para responder as questões 18 e 19.

O treinamento aeróbio contribui para a prevenção e o tratamento de doenças cardiovasculares. O aumento do número de capilares (densidade capilar) e do número de mitocôndrias permite que seja captada maior quantidade de oxigênio e que haja melhor utilização do combustível metabólico pela célula.

O esquema abaixo descreve resumidamente essas adaptações do sistema cardiovascular submetido ao treinamento aeróbio, em uma sequência numerada de 1 a 4.

(7)

7 – 17

(Figura adaptada de: POWER, S.K.; HOWLEY, E.T. Fisiologia do Exercício. 3ª Ed. Barueri: Manole, 2000)

Dados:

1- Volume de ejeção = volume sistólico ventricular. O valor do volume sistólico resulta de uma interação entre a contratilidade cardíaca (força sistólica exercida), o volume de sangue antes da ejeção (volume diastólico final ou pré-carga) e a resistência periférica total (pós-pré-carga).

2- VO2 max = consumo máximo de oxigênio ou capacidade máxima que o organismo tem de captar, transportar e utilizar o oxigênio. O VO2 max proporciona uma medida quantitativa da capacidade do indivíduo para a ressíntese aeróbia de ATP.

3- OVO2 maxdepende de duas variáveis: o débito cardíaco e a diferença arteriovenosa de oxigênio (diferença entre a

quantidade de oxigênio que chega às células e a quantidade de oxigênio que deixa as células). 4- Diferença a-v O2 = diferença arteriovenosa de O2.

5- Resistência periférica total é o somatório das resistências que todos os pequenos vasos do sistema circulatório opõem ao fluxo sanguíneo.

18)A partir dos diagramas, dos dados fornecidos e de conhecimentos correlatos, julgue os itens a seguir, marcando V para os verdadeiros e F para os falsos. Em seguida, justifique os itens falsos.

(1) Quanto maior a pré-carga, maior será a distensão das paredes ventriculares e, consequentemente, maior será a ejeção.

(2) O volume plasmático aumenta com o treinamento, o que significa que há mais sangue disponível para entrar no ventrículo, produzindo um maior volume diastólico final.

(3) O aumento da frequência cardíaca num menor tempo de enchimento conduz a uma diminuição da pré-carga e do volume sistólico.

(4) Durante o exercício, o aumento do consumo cardíaco e a elevação do retorno venoso ao coração acarretam aumento do débito cardíaco e do fluxo sanguíneo, tanto da circulação da musculatura esquelética quanto da coronariana, onde a utilização de oxigênio é maior.

(5) O aumento do débito cardíaco durante o exercício se deve a um aumento da frequência cardíaca e do volume sistólico.

(8)

8 – 17

(6) A pressão arterial sistêmica aumenta em resposta ao aumento do débito cardíaco, enquanto há queda da resistência periférica total, causada pela dilatação dos vasos sanguíneos dos músculos em exercício, o que resulta numa diminuição da pressão sistólica.

(7) Quando a resistência vascular periférica é aumentada, há uma consequente redução na pós-carga, ou seja, para o mesmo volume de ejeção é necessário empreender uma força menor.

(8) Quanto maior a pressão arterial, menor é a pós-carga, ou seja, mais fácil é a ejeção.

(9) Durante o exercício, o estímulo simpático do coração e a noradrenalina circulante produzem um aumento da contratilidade ventricular e da frequência cardíaca, o que leva a um aumento do débito cardíaco e, consequentemente do VO2 max.

(10) Além da estimulação simpática, os metabólitos locais produzidos pelos músculos em atividade, como por exemplo o óxido nítrico, promovem vasodilatação, produzindo uma diminuição da resistência periférica total.

19)A prevenção de doenças cardiovasculares se dá principalmente:

a) Pela vasodilatação e aumento da densidade capilar, redução da carnitina transferase, melhor eficiência cardíaca que pode ser sintetizada e medida pelo aumento do volume de ejeção.

b) Pela vasodilatação e aumento da densidade capilar, maior utilização das gorduras, melhor eficiência cardíaca que pode ser sintetizada e medida pelo VO2 max.

c) Pelo aumento da enzima lactato desidrogenase (LDH), que permite maior utilização das gorduras pelas mitocôndrias, reduzindo a gordura visceral.

d) Pela redução do pré-carga e aumento do pós-carga, o que favorece a redução do volume de ejeção, reduzindo o trabalho do músculo cardíaco.

20) Compare os músculos esquelético, cardíaco e liso em relação a:

- características e estrutura geral: estriações transversais, células, núcleo, discos intercalares, junções gap ou comunicantes, contração, retículo sarcoplasmático e sistema T, fonte interna de Ca2+ para a contração, inervação; - unidades contráteis;

- potencial de ação; - neurotransmissor;

- acoplamento excitação-contração.

21) A tabela mostra os efeitos da ação de dois importantes componentes do sistema nervoso humano.

X Y

Contração da pupila Dilatação da pupila

Redução dos batimentos cardíacos Aumento dos batimentos cardíacos Estímulo dos movimentos peristálticos do estômago e

dos intestinos

Inibição dos movimentos peristálticos do estômago e dos intestinos

a) A que correspondem X e Y?

b) Qual o nome das moléculas sinalizadoras liberadas, respectivamente, por X e Y?

c) Em uma situação de emergência, como a fuga de um assalto, por exemplo, qual deles será ativado de maneira mais imediata? Forneça um outro exemplo, diferente dos da tabela, da ação desse componente do sistema nervoso coração.

d) Descreva o mecanismo molecular de acoplamento excitação-contração envolvido no estímulo dos movimentos peristálticos do estômago e dos intestinos, a partir do efeito de X.

22) Acredita-se que 7,2% da população mundial seja asmática. A doença parece estar tornando-se mais grave nas últimas décadas. Apesar da asma ser uma doença cujos mecanismos patogenéticos e terapêuticos são relativamente bem conhecidos, a mortalidade aumentou de maneira estatisticamente significante na década de 80, em nível mundial.

O músculo liso brônquico é um dos principais alvos de atenção entre os estudiosos da asma. Vários estudos em asma fatal e não fatal mostraram que há hipertrofia e hiperplasia da camada muscular lisa em brônquios de asmáticos. O aumento da massa muscular poderia refletir: (a) uma proliferação muscular induzida por mediadores inflamatórios; (b) hipertrofia por repetidos episódios de broncoespasmo; (c) controle inibitório muscular reduzido resultando em atividade miogênica aumentada. Segundo estudiosos do assunto, poderia haver uma degradação dos elementos da matriz extracelular entre as fibras musculares, resultando em uma menor carga contrátil e, consequentemente, uma maior contração brônquica. (Texto adaptado de: J. Pneumol. 2000; 26(2): 91-98.)

Justifique o trecho grifado, incluindo na sua explicação o mecanismo de contração da célula muscular e da camada muscular lisa como um todo.

(9)

9 – 17

SINALIZAÇÃO CELULAR

1) Qual importância da comunicação/sinalização celular para a manutenção da homeostase no organismo? 2) Diferenciar:

- ligante e receptor:

- célula sinalizadora e célula-alvo:

3) Explique as características fundamentais da sinalização celular e as vantagens elas trazem para a célula.

4) Explique por que determinadas células são incapazes de responder a eventos de sinalização, mesmo quando há concentração de ligante extracelular é muito alta.

5) Como moléculas hidrofílicas e hidrofóbicas atuam na sinalização celular?

6) Como moléculas que não atravessam a membrana podem transmitir informação para o ambiente intracelular? 7) O que se entende por transdução de sinal? Qual é a sua importância para a célula?

8) Diferencie primeiros e segundos mensageiros. Dê exemplos. 9) De que forma a célula responde a um evento de sinalização?

10) O que é uma cascata de sinalização? Qual a vantagem da sinalização em cascata?

11) Dentro do assunto “comunicação/sinalização celular”, sabemos que há dois tipos básicos de comunicação: por contato direto e por moléculas de sinalização. Diferencie-os.

12) Diferencie as formas de comunicação por moléculas: autócrina, intrácrina, parácrina, por contato (justácrina), endócrina, por neurotransmissor (sináptica) e neuroendócrina.

13) Na corrente sanguínea circulam muitos hormônios (moléculas sinalizadoras), secretados por diferentes células sinalizadoras, e que atingirão várias células. Por que apenas um pequeno número dessas células responderá ao sinal?

14) O que determina a especificidade de uma resposta gerada por sinalização celular?

15) Explique porque um mesmo ligante pode levara respostas diferentes em células diferentes.

16) Existem 3 grandes famílias de receptores de superfície celular: receptores ligados a canais iônicos, receptores catalíticos (enzimáticos) e receptores acoplados à proteína G. Estas famílias diferem na natureza do sinal que geram, após sua ligação com a molécula sinalizadora extracelular. Compare-as.

17) Como funciona a sinalização mediada por canais iônicos? Que tipo de alteração celular provocam?

18) Como funciona a sinalização mediada por receptores de tirosina-quinase (RTKs)? Que tipo de alteração celular provocam?

19) Os receptores que têm atividade de serina/treonina quinase se associam a proteínas de qual família? No caso das serina/treonina quinases, por que receptores distintos promovem respostas diferentes nas células?

20) Quais aminoácidos podem ser fosforilados em eventos de sinalização celular?

21) Que vantagem apresenta um sistema de sinalização celular em diversas etapas, como ocorre na via da proteína quinase ativada por mitógenos (MAPK)?

22) Como funciona a sinalização mediada por receptores intracelulares? Que tipo de ligante apresentam? 23) Como a transcrição de certos genes pode ser influenciada em resposta a um sinal extracelular?

24) Qual o tipo de modificação covalente reversível em proteínas mais frequente nas cascatas de sinalização intracelular? Quais são as enzimas que catalisam esta modificação?

(10)

10 – 17

26) Como funciona a sinalização mediada por proteína G? Quais vias de segundo mensageiro podem estar vinculadas a este tipo de receptor? Que tipo de alteração celular provocam?

27) Como é feita a terminação da sinalização celular mediada por proteína G?

28) Explique como ocorre a finalização da resposta associada a proteína G e mediada por AMPc.

29) Na sinalização celular, quinases e GTPases têm papel importante. Explique como estas enzimas são ativadas. 30) Explique o que são, como funcionam e de quais vias de sinalização participam: proteína quinase A (PKA), proteína quinase C (PKC), adenilato ciclase, trifosfato de inositol (IP3), diacilglicerol (DAG), proteína quinase ativada por mitógenos (MAPK), Ca2+, calmodulina.

31) Como ocorre a sinalização celular na via do óxido nítrico?

32) Dê exemplos de vias de sinalização que agem e que não agem na expressão gênica.

33) Explique o processo de apoptose com base nos receptores com domínio de morte celular (para pesquisar).

34) A eritropoietina (EPO), um fator de crescimento secretado pelos rins, é essencial para a diferenciação terminal dos glóbulos vermelhos (eritrócitos) do sangue na medula óssea. A EPO se liga a um receptor (da) EPO de (a) transmembrana encontrado nas células precursoras do eritroide. A EPO é um exemplo de um sinal autócrino, parácrino, por contato, endócrino, por neurotransmissor ou neuroendócrino? Justifique.

35) A concentração intracelular de íons cálcio é mantida baixa por vários mecanismos, como trocadores iônicos e ATPases cálcio dependentes presentes na membrana plasmática e na membrana do retículo endoplasmático, ou também por transporte ativo da membrana mitocondrial interna ou proteínas que se ligam ao cálcio no citosol. Quando ocorre uma sinalização, a súbita elevação de concentração (um pico de concentração) é prontamente percebida e provoca modificações no comportamento celular. Sendo assim, o cálcio funciona como mensageiro. Em relação ao texto e conhecimentos correlatos, responda:

Em que tipo de classe de mensageiro os íons cálcio se encaixam? Justifique sua resposta a partir de informações do texto e dê um exemplo de sinalização envolvendo os íons cálcio.

36) A evolução dos organismos multicelulares exigiu o desenvolvimento de mecanismos para coordenar precisamente as atividades das diferentes células. Para isso, as células enviam sinais que devem ser reconhecidos por outras células e resultem em respostas específicas. Como exemplo, podemos citar os neurônios olfativos que possuem centenas de receptores acoplados à proteína G (cada neurônio tem receptores para apenas um tipo de odor). Quando as moléculas odoríferas se ligam a esses receptores transmembranares, eles ativam uma proteína G especial, que ativa a enzima adenilato ciclase, que produz AMP cíclico (AMPc). Uma das funções mais interessantes do AMPc é servir de mensageiro secundário em neurônios olfativos, abrindo canais de sódio desses neurônios.

Em relação ao tema, responda:

a) As moléculas odoríferas mencionadas no trecho grifado funcionam como ligantes hidrofílicos ou hidrofóbicos? Justifique para validar o item.

b) Qual a relação entre a abertura dos canais de sódio na membrana celular dos neurônios olfativos e a possibilidade de percepção do cheiro pelo cérebro?

37) Todo mensageiro secundário que se preza normalmente está presente em baixíssimas concentrações no citoplasma. Quando ocorre uma sinalização, a súbita elevação de concentração (um pico de concentração) é prontamente percebida e provoca modificações no comportamento celular. Nos músculos, por exemplo, o cálcio pode ser apenas um intermediário na cascata. Mas nem sempre o efeito do cálcio é direto; ele também modifica o comportamento de várias outras proteínas, como a troponina e a calmodulina. Baseando-se no tema e em conhecimentos correlatos, responda:

a) Que tipo de sinalização promove a súbita elevação da concentração de cálcio no sarcoplasma? Qual é o nome da molécula sinalizadora?

b) Onde o cálcio é armazenado (fontes internas de cálcio) durante o período de relaxamento muscular: - no músculo esquelético:

- no músculo cardíaco: - no músculo liso:

(11)

11 – 17

c) Como ocorre o efeito modificador do cálcio no comportamento da troponina nos músculos esquelético e cardíaco, e da calmodulina nos músculos lisos, de modo a permitir o deslizamento dos filamentos de actina sobre os de miosina? - troponina:

- calmodulina:

38) No pênis, a liberação de óxido nítrico (NO) pela inervação autônoma local age sobre a musculatura lisa, ativando enzimas cujos produtos dilatam os vasos que se enchem de sangue, causando a ereção. Sabendo-se que o NO atravessa a membrana plasmática por difusão simples, saindo da célula na qual foi produzido e se espalhando rapidamente pelas células vizinhas, onde ativa diretamente enzimas intracelulares, responda ao que se pede:

a) A sinalização por NO exemplifica uma sinalização por ligante hidrofílico ou hidrofóbico? Justifique.

b) O texto faz menção a 2 tipos de comunicação por moléculas entre as células. Quais são eles? Justifique a sua resposta mediante trecho do texto.

39) a) Para que um recém-nascido seja capaz de respirar independentemente, os alvéolos pulmonares devem ser capazes de permanecerem abertos e cheios de ar após o nascimento. Eles conseguem fazê-lo em grande parte graças a uma substância denominada surfactante. O surfactante é produzido por células dos próprios alvéolos pulmonares à medida que os pulmões do feto amadurecem, frequentemente em torno da 34ª semana e quase sempre em torno da 37ª semana de gestação. (Texto adaptado de

http://prematuridade.com/saude-do-prematuro/sindrome-da-angustia-respiratoria-ou-doenca-da-membrana-hialina.html).

O surfactante é um exemplo de que tipo de sinalização? Justifique.

b) A síndrome da angústia respiratória (denominada antigamente doença da membrana hialina) é um distúrbio respiratório no qual os alvéolos pulmonares do recém-nascido não permanecem abertos por causa da elevada tensão superficial resultante da produção insuficiente de surfactante. Os recém-nascidos muito prematuros podem ser incapazes de começar a respirar, pois sem o surfactante os seus pulmões são muito rígidos. Os recém-nascidos um pouco maiores podem começar a respirar, mas, como os pulmões tendem a colapsar, ele apresenta dificuldade respiratória. Nestes casos, a respiração é rápida e trabalhosa, com dilatação das narinas. Eles contraem a parede torácica à inspiração e emitem ruídos que lembram grunhidos durante a expiração. A dificuldade respiratória pode iniciar logo após o parto ou ocorrer em algumas horas. Quando a síndrome da angústia respiratória é grave, os músculos respiratórios acabam apresentando fadiga, a respiração torna-se ainda menos eficaz e a pele torna-se azulada. Quando não tratado, um recém-nascido com síndrome da angústia respiratória pode morrer. Em relação ao tema e conhecimentos sobre fisiologia muscular, responda:

b.1) A que tipo de músculo o trecho grifado no texto se refere? Justifique.

b.2) Que tipo de sinalização seria responsável pelo trecho grifado no texto? Qual é o nome da molécula sinalizadora? Justifique.

40) Dado um estímulo ao nível de receptores de membrana, a contração muscular ocorre pela entrada de cálcio para a célula. O aumento do cálcio intracelular na musculatura lisa leva à sua contração. No processo de relaxamento ou vasodilatação ocorre o contrário.

Sabe-se que na célula muscular lisa a ativação da proteína Gq induz aumento da atividade da fosfolipase C (PLC), que degrada fosfolípidos da membrana aumentando a concentração sarcoplasmática de trifosfato de inositol (IP3) e diacilglicerol (DAG). O IP3 por sua vez leva à liberação para o sarcoplasma de íons cálcio sequestrados no interior da célula, o que induz a contração muscular. Já para o relaxamento muscular, o endotélio, pela inervação autônoma local, libera um fator capaz de relaxar a musculatura lisa vascular, óxido nítrico (NO). Este gás difunde-se facilmente para a musculatura vascular, onde vai induzir uma ativação da guanilciclase e consequente aumento da concentração intracelular de GMPc, um potente relaxador da musculatura lisa. Em relação à musculatura lisa e conhecimentos sobre sinalização celular, responda:

a) A sinalização pela proteína Gq e por NO exemplificam, respectivamente, sinalização por ligante hidrofílico ou hidrofóbico? Justifique para validar o item.

b) Como a entrada de cálcio para o sarcoplasma da célula leva à contração da musculatura lisa?

c) O texto faz menção a 2 tipos de mensageiros importantes na sinalização celular. Quais seriam, respectivamente, os mensageiros primário(s) e secundário(s) mencionados no texto? Justifique.

d) O texto também faz menção a 2 tipos de comunicação por moléculas entre as células. Quais são eles? Justifique a sua resposta mediante trecho do texto, indicando os nomes das moléculas sinalizadoras.

e) Geralmente, células de mamíferos são cultivadas em placas de cultura de tecido para o estudo de suas propriedades de crescimento. Se uma população de células primárias de músculo liso for colocada em uma placa com meio de cultura onde foi adicionado soro contendo um fator de crescimento epidérmico e as células possuem somente receptores de fator de crescimento derivado de plaquetas em sua superfície, o crescimento será estimulado? Explique sua resposta para validar o item.

(12)

12 – 17

41) O agente causador da cólera, uma das mais graves doenças gastrintestinais, é o Vibrio cholerae, um bastonete gram-negativo levemente curvo, com um único flagelo polar. Os bacilos da cólera crescem no intestino delgado e produzem uma exotoxina, a toxina colérica, que induz as células do hospedeiro a secretarem água e eletrólitos. O resultado são fezes aquosas contendo massas de muco intestinal e células epiteliais – chamadas de “fezes de água de arroz”, devido à sua aparência. Em torno de 12 a 20 litros de líquido podem ser perdidos em um dia, e a perda súbita desses líquidos e eletrólitos causa choque, colapso e, frequentemente, morte.

Sabendo-se que a toxina colérica causa uma superativação de receptores de proteína G, elevando a concentração intracelular de AMPc, o qual aumenta a secreção do íon cloro (Cl ) e diminui a absorção do íon sódio (Na+) pelas células das vilosidades, responda:

a) Que tipo de proteína G a toxina colérica superativa? Justifique.

b) Que tipo de receptor estaria relacionado à abertura desses canais? Justifique. FATORES DE CRESCIMENTO

1) Os fatores que promovem o crescimento de um órgão ou organismo podem ser funcionalmente divididos em três classes principais. Quais são elas? Cite e explique.

2) Defina fator de crescimento.

3) De que forma e quando agem os fatores de crescimento no ciclo celular? Explique diferenciando os fatores de competência e de progressão e exemplifique.

4) De forma semelhante aos fatores de crescimento, as citocinas e os hormônios alteram o funcionamento da célula através da sinalização celular. Todavia, apesar de citocinas e hormônios poderem atuar como fatores de crescimento, a grande maioria não está incluída nas famílias dos fatores de crescimento. Por quê?

5) Além de atuarem como fatores de competência e de progressão no ciclo celular, alguns fatores de crescimento também atuam também na (1) adesão e migração celular, (2) diferenciação/maturação celular, (3) angiogênese/vasculogênese. Em relação ao tema, responda:

a) Dos fatores de crescimento relacionados abaixo, qual(is) atuaria(m) mais especificamente em cada um desses processos? Dê os nomes, cite o(s) número(s) da(s) função(ões) relacionada(s) e explique.

- PDGF: - VEGF: - EGF: - TGF- : - TGF- : - FGFA (ácido): - FGFB (básico): - HGF: - NGF: - BDNF:

b) Dos fatores de crescimento relacionados no item a, a grande maioria atua mediante ligação a receptores do tipo tirosina quinase, estimulando a proliferação, a diferenciação e outras funções em muitos tipos celulares, exceto um deles, que se liga a receptores do tipo serina-treonina quinase e pode tanto estimular como inibir a proliferação celular. Que fator de crescimento seria este? Como ele atua na inibição da proliferação celular?

c) Apesar dos termos angiogênese e vasculogênese se referirem à formação de novos vasos sanguíneos, os nomes são diferentes porque trata-se de processos distintos. Diferencie os termos e cite quais dos fatores de crescimento do item a estariam mais associados a cada um dos processos.

d) A gestação é um período onde ocorrem muitas alterações adaptativas fisiológicas. Estas alterações permitem que a mulher tolere a incompatibilidade genética da unidade feto-placentária, tendo como consequência, relativa imunossupressão, insulino-resistência, trombofilia e hipervolemia. A maioria das mulheres evolui bem apesar destas adaptações, levando a gestação até o termo. Entretanto, mesmo alterações fisiológicas podem somar-se às predisposições herdadas ou adquiridas gerando complicações próprias da gestação, como por exemplo, a pré-eclâmpsia. Em relação ao tema, responda:

d.1.) Que família de fatores de crescimento relacionada no item a estaria diretamente envolvida na pré-eclâmpsia? d.2.) Qual o nome do fator de crescimento mais intimamente relacionado à pré-eclâmpsia e qual a sua relação com a pré-eclâmpsia?

(13)

13 – 17

6) A perda ou diminuição da necessidade de fatores de crescimento específicos é uma ocorrência comum em células transformadas neoplasicamente e pode levar a uma vantagem de crescimento, uma característica fundamental das células cancerosas. Isto pode ser justificado pela secreção autócrina de fatores de crescimento, como por exemplo, o PDGF e também pela perda de receptores para o TGF- por certas células transformadas. Como a secreção autócrina de PDGF e a perda de receptores para o TGF- poderiam dar à célula cancerosa uma vantagem de crescimento em relação à célula normal?

7) Alguns tipos celulares podem se dividir continuamente; outros tipos celulares, apesar de originalmente não se dividirem, podem fazê-lo em resposta a estímulos específicos, como por exemplo, lesão no órgão. Já os neurônios, esses são classificados como células terminalmente diferenciadas, ou seja, permanecem indefinidamente no período G0 do ciclo celular e, no caso de perda celular por lesão, não poderão ser substituídos, o que poderia ser justificado pela ausência de receptores para neurotrofinas, mas este não é o caso. Sabe-se que membros desta família de fatores de crescimento permanecem ativando neurônios mesmo nos adultos, e que a chamada “ginástica para o

cérebro” pode retardar o aparecimento de doenças neurodegenerativas, como a doença de Alzheimer, por exemplo.

Que função(ões) desta família de fatores de crescimento poderia(m) justificar este fato?

8) O IGF-1 é um peptídeo produzido pelo fígado que tem efeito anabólico sobre as fibras musculares esqueléticas, estimulando o aumento da absorção de aminoácidos e de glicose e inibição da proteólise. Em relação ao tema, responda:

a) Que tipo de sinalização (autócrina/parácrina/endócrina) é promovida pelo IGF-1? Justifique.

b) A sinalização por IGF-1 exemplifica uma sinalização por ligante hidrofílico ou hidrofóbico? Justifique.

c) Visto que a massa muscular de um adulto cresce por hipertrofia e não por hiperplasia, qual seria a principal implicação do IGF-1, relacionada ao trecho grifado?

SISTEMA SENSORIAL

1) Por que ao taparmos o nariz ou quando estamos gripados não sentimos o gosto da comida?

2) Se as papilas gustativas da língua identificam apenas os quatro sabores primários (doce, salgado, azedo e amargo), como conseguimos distinguir o sabor de uma maçã do sabor de uma goiaba, se ambas são adocicadas? 3) Quais são os sentidos que nos permitem perceber que um alimento está em boas condições para ser consumido? 4) A língua dos seres humanos apresenta papilas gustativas, cada uma delas constituídas por, aproximadamente, 200 botões gustativos, que são responsáveis pelas sensações de doce, salgado, amargo e azedo.

Analise os gráficos abaixo, em que está representada a atividade de dois neurônios em um mesmo botão gustativo, na presença de diferentes substâncias.

a) A sensibilidade a sabores é considerada um fator de proteção contra a ingestão de substâncias tóxicas, que são comumente azedas ou amargas. A partir das informações contidas nos dois gráficos, justifique essa afirmação.

b) Considerando a estrutura e função dos neurônios associados às papilas gustativas, cite o processo pelo qual a informação sensorial chega ao cérebro.

5) Quando ouvimos bem, a orelha externa capta e canaliza as ondas sonoras para a orelha média. O tímpano vibra; o som é amplificado e transmitido para a cóclea, na orelha interna. Nesse tubo espiralado cheio de líquido, milhares de pequeninas células sensoriais têm seus cílios flexionados em resposta às vibrações, gerando impulsos elétricos que se propagam pelo nervo auditivo até os centros auditivos do tronco encefálico e do córtex cerebral, onde a informação sonora é processada e interpretada. Qualquer imprevisto ao longo do caminho pode causar problemas. Se o som não consegue atravessar a orelha média, temos a chamada perda auditiva condutiva. Ela pode ser causada por grande variedade de condições, como por exemplo, acúmulo de cerume, perfuração da membrana timpânica por infecção bacteriana, ou ainda imobilização do estribo, um dos ossículos da orelha média (otosclerose do estribo, uma condição

(14)

14 – 17

hereditária). Os tratamentos em geral são bem-sucedidos com medicamentos ou cirurgia e só ocasionalmente algum dano permanente se instala. Em relação ao tema e conhecimentos correlatos, responda:

Como o excesso de cera, a perfuração da membrana timpânica e a otosclerose do estribo podem conduzir à perda auditiva condutiva? Considere na sua explicação todo o mecanismo envolvido no processo da audição.

6) “Os ouvidos não têm pálpebras”. A frase do poeta e escritor Décio Pignatari mostra que não podemos nos proteger dos sons desconfortáveis simplesmente “fechando as orelhas”, como fazemos naturalmente com os olhos. O ruído excessivo, que atinge o auge em concertos de rock, causa problemas auditivos. Nesses concertos, cerca de 120 decibéis são transmitidos durante mais de duas horas seguidas quando, de acordo com recomendações médicas, deveriam ser limitados a 3 minutos e 45 segundos. Quem ouve música alta, em fones de ouvido, também está sujeito a danos graves e irreversíveis, já que, uma vez lesadas, as células sensoriais da orelha não se regeneram. Neste caso falamos que houve perda auditiva neurosensorial. O problema é que a lesão auditiva não acontece da noite para o dia: é cumulativa. Uma hora usando um iPod acima de 100 decibéis hoje, somada a outras, pode, com o tempo, dificultar a compreensão durante a conversa. Enquanto muitos trabalhadores usam protetores auriculares, as pessoas em geral não se preocupam com o barulho durante o lazer. Em relação ao tema e assuntos correlatos, responda: a) A orelha é constituída por três partes. Quais são elas? Indique a função de cada uma na audição.

b) Em qual parte da orelha estão as células sensoriais que podem ser lesadas pelo excesso de ruído?

c) No caso de trauma acústico, a lesão ocorre principalmente na região onde estão as células responsáveis pela percepção de sons agudos. Nesse caso, há perda na capacidade de se discriminarem palavras ou sílabas que apresentem maior concentração de agudos. Com base nestas informações, que região da membrana basilar seria afetada pelo trauma acústico? Explique.

7) Uma pessoa é portadora de um grave distúrbio que atinge a orelha interna. Que problemas essa pessoa pode ter em consequência desse distúrbio? Explique resumidamente.

8) Apesar da orelha interna ser a responsável por enviar estímulos sensoriais ao sistema nervoso central, quando rodopiamos e paramos de repente ou balançamos muito rapidamente a cabeça para frente e para trás, geralmente temos uma sensação de tontura, o que não acontece quando aumentamos e diminuímos um som repetidas vezes e depois paramos. Em relação ao tema, responda:

a) Quais são as partes da orelha interna responsáveis, respectivamente, pelas sensações de tontura e audição relatadas no texto?

b) Que estruturas sensoriais são responsáveis pela:

- sensação de tontura ao rodopiarmos e pararmos de repente:

- sensação de tontura ao balançamos muito rapidamente a cabeça para frente e para trás: - audição:

c) Explique o porquê da sensação de tontura de ambos os casos relacionados no texto. Considere na sua explicação os mecanismos sensoriais envolvidos.

9) Sons são basicamente energia na forma de vibrações no ar. Essas vibrações também podem se propagar através de corpos sólidos ou líquidos, incluindo os que constituem o nosso corpo. Quando chegam à orelha interna, essas ondas estimulam as células receptoras existentes na cóclea. Descreva como se dá o mecanismo da audição desde a chegada da onda sonora na orelha externa até a transmissão do impulso nervoso pelo nervo auditivo.

10) O daltonismo é uma perturbação da percepção visual caracterizada pela incapacidade de diferenciar todas ou algumas cores, manifestando-se muitas vezes pela dificuldade em distinguir o verde do vermelho. Esta perturbação tem normalmente origem genética, mas pode também resultar de lesão em uma das túnicas do globo ocular, ou de lesão de origem neurológica. Pergunta-se:

a) Qual o nome dos fotorreceptores diretamente envolvidos no daltonismo? Justifique. b) Qual o nome região do globo ocular grifada?

c) Como uma lesão de origem neurológica pode provocar o daltonismo?

11) O glaucoma é uma doença ocular causada principalmente pela elevação da pressão intraocular que provoca lesões no nervo óptico. Como consequência, ocorre comprometimento visual e, se não for tratado adequadamente, pode levar à cegueira. Existem várias formas de glaucoma, sendo as principais: o glaucoma primário de ângulo aberto ou glaucoma crônico simples, o glaucoma primário de ângulo fechado, o glaucoma congênito e de desenvolvimento e os glaucomas secundários. O glaucoma de ângulo aberto, que representa mais ou menos 80% dos casos e ocorre em aproximadamente 2% a 4% da população acima de 40 anos, é causado por uma alteração anatômica na região do

(15)

15 – 17

ângulo da câmara anterior do olho, que impede a drenagem do fluido que preenche esta câmara, provocando aumento da pressão intraocular. É caracterizado pela tríade:

• aumento da pressão intra-ocular (PIO) • alteração típica do nervo óptico

• defeito de campo visual correspondente.

Baseando-se no texto e em conhecimentos correlatos, responda:

a) Qual o nome do fluido referido no texto? Que estrutura(s) ocular(es) necessariamente deve(m) ser nutrida(s) por ele? Justifique.

b) Como o aumento da pressão intraocular no glaucoma de ângulo aberto pode conduzir a alterações no nervo óptico e defeito de campo visual?

c) Por que as lesões no nervo óptico podem comprometer a visão de uma maneira irreversível?

12) Uma paciente do sexo feminino de 45 anos de idade vai consultar um oftalmologista com queixa de dor de forte intensidade em olho esquerdo. Ao exame, detectou-se uma elevação da pressão do humor aquoso na câmara anterior do globo ocular, diagnosticando-se um glaucoma primário de ângulo aberto.

a) Descreva a formação e a circulação do humor aquoso.

b) Qual o mecanismo responsável pela manutenção da pressão intraocular normal? 13) Identifique no olho humano, as estruturas associadas às seguintes expressões: a) branco dos olhos:

b) cor dos olhos: c) menina dos olhos:

14) Por que se diz que os supercílios (sobrancelhas), os cílios e as lágrimas protegem os olhos? 15) Compare a função do diafragma de uma máquina fotográfica com a íris do olho humano.

16) Quais são os papéis dos meios transparentes e das túnicas no mecanismo da visão? Inclua na sua resposta os responsáveis pelo fornecimento de oxigênio e nutrientes para a córnea e a retina.

17) Quando o eixo ântero-posterior do olho é alongado, a imagem forma-se antes da retina. Essa anomalia do aparelho da visão é conhecida como:

a) presbiopia b) hipermetropia c) miopia d) astigmatismo e) estrabismo

18) O olho humano produz continuamente um fluido para nutrição de estruturas do segmento anterior. Após cumprir sua função, este fluido deve ser drenado através do canal de Schlemm, localizado no ângulo da câmara anterior. Esse contínuo fluxo de entrada e saída de fluido confere um certo grau de pressão (normal) no interior do olho. Qualquer obstrução no sistema de drenagem acarreta um represamento desse fluido dentro do olho, com consequente elevação da pressão intraocular. O glaucoma ocorre quando o aumento da pressão intraocular for nocivo aos filamentos nervosos que formam o nervo óptico. Com o tempo, o nervo óptico vai se atrofiando e comprometendo a visão, de maneira irreversível (texto adaptado de http://www.iobh.com.br).

Em relação ao tema e conhecimentos correlatos, responda:

a) Qual o nome do fluido que texto faz referência? Que estrutura(s) ocular(es) necessariamente deve(m) ser nutrida(s) por ele? Justifique.

b) Por que a atrofia do nervo óptico pode comprometer a visão de uma maneira irreversível? 19) Por que a deficiência de vitamina A leva à chamada cegueira noturna?

20) Com relação ao olho humano e ao sentido da visão, julgue os itens, colocando V para verdadeiro e F para falso. Em seguida, justifique os itens falsos.

(01) A retina garante a nutrição dos tecidos dos olhos humanos e é pigmentada, formando a câmara escura, que funciona como uma máquina fotográfica.

(02) A coroide é a parte fibrosa de sustentação do olho humano. Mantendo os olhos abertos, a coroide representa a parte pigmentada do olho.

(16)

16 – 17

(03) A córnea é o primeiro meio de refração do feixe luminoso que incide no olho. O cristalino é a lente responsável por uma espécie de "ajuste-focal" que torna possível a visão nítida da imagem.

(04) Os bastonetes, apesar de possuírem um só tipo de fotopigmento, a rodopsina, são mais sensíveis à luz porque possuem maior concentração de fotopigmento do que os cones, contribuindo para a visão em ambientes com baixa luminosidade.

(05) Por existirem três tipos diferentes de cones no olho humano, cada um contendo um tipo de pigmento diferente, esses fotorreceptores permitem discriminar diferentes comprimentos de onda, permitindo a visão em cores. 21) Perda parcial da visão de maneira súbita, flashes luminosos, manchas que se mexem conforme o movimento dos olhos. Esses sintomas podem estar associados ao descolamento de retina, problema que pode gerar graves sequelas se não for diagnosticado e tratado logo. Não dói, mas a sensação é extremamente desconfortável. O descolamento da retina ocorre por causa de uma rasgadura ou buraco nessa camada que permite a entrada do fluido existente no próprio olho, fazendo com que o tecido da retina se descole da coroide. É considerado um caso de urgência oftalmológica, pois se não tratado emergencialmente, pode conduzir à perda irreversível da visão.

Baseando-se no texto e em conhecimentos correlatos, responda: a) A que fluido se refere o texto?

b) Por que o descolamento de retina pode conduzir à perda irreversível da visão se não tratado emergencialmente? 22) O ceratocone é uma doença não-inflamatória progressiva do olho, na qual mudanças estruturais na córnea (que alteram sua biomecânica - resistência e elasticidade) a tornam mais fina e modificam sua curvatura normal (praticamente esférica) para um formato mais cônico. Sua principal consequência é a diminuição da acuidade visual proveniente do astigmatismo irregular (distorção da imagem causada pela alteração da curvatura normal da córnea). Em relação ao tema e conhecimentos correlatos, responda:

Por que no ceratocone a principal consequência é a diminuição da acuidade visual proveniente do astigmatismo irregular, visto que o cristalino é o meio transparente considerado como principal responsável pela acuidade visual? Considere na sua explicação os papeís da córnea e do cristalino no mecanismo da visão e o que acontece no astigmatismo para responder à questão.

23) Certos problemas de visão são decorrentes da incapacidade do olho de focalizar as imagens exatamente sobre a retina. É o que acontece em certos tipos de MIOPIA, onde o globo ocular da pessoa é um pouco mais longo que o normal, fazendo com que a imagem se forme antes da retina.

Responda:

a) A HIPERMETROPIA é causada por um problema OPOSTO ao da miopia. Explique o que acontece no olho de uma pessoa hipermétrope.

b) Qual a estrutura responsável pela focalização da imagem na retina?

24) A visão é um dos sentidos que nos permite aprimorar a percepção do mundo. Em relação ao tema, analise as situações abaixo e responda ao que se pede.

a) Hiperemia (olho vermelho), fotofobia (sensibilidade à luz), dor, visão turva, embaçada e pequenos pontos escuros que se movimentam. Esses sintomas podem estar associados à uveíte, classificada em anterior, intermediária e posterior, conforme o segmento ocular em que o distúrbio se manifesta. Como os sintomas podem ser confundidos com conjuntivite, estabelecer o diagnóstico diferencial é de extrema importância, uma vez que as uveítes, quando não tratadas, podem comprometer a visão definitivamente.

Em relação ao tema e conhecimentos correlatos, responda:

a) Quais são as partes que formam a úvea, que justificam o trecho grifado? Responda indicando os nomes das partes e sua localização no globo ocular.

b) Por que a uveíte não tratada pode comprometer a visão definitivamente?

c) “Todo tremia, quase sem coragem de dizer o que tinha vontade. Por fim, disse, pediu. O doutor entendeu e achou

graça. Tirou os óculos, pôs na cara de Miguilim...” “Miguilim olhou. Nem não podia acreditar! Tudo era uma claridade, tudo novo e lindo e diferente, as coisas, as árvores, as caras das pessoas. Via os grãozinhos de areia, a pele da terra, as pedrinhas menores, as formiguinhas passeando no chão de uma distância. E tonteava. Aqui, ali, meu Deus, tanta coisa, tudo...” (João Guimarães Rosa).

Os fragmentos de textos sugerem que Miguilim era portador de miopia. Quando o doutor José Lourenço empresta-lhe os óculos, um novo mundo descortina-se diante dele. A miopia é uma deficiência que tem como causa uma:

(17)

17 – 17

(a) anormalidade no globo ocular, que é mais curto, assim a imagem de um objeto é projetada depois da retina; a correção é feita como uso de lentes divergentes.

(b) anormalidade no globo ocular, que é mais longo, assim as imagens formam-se antes da retina; a correção é feita com o uso de lentes divergentes.

(c) assimetria na curvatura da córnea, projetando imagens sem nitidez; a correção é feita com lentes convergentes. (d) disfunção no cristalino, que projeta a imagem no ponto cego ou fóvea; a correção é feita com lentes cilíndricas. (e) incapacidade de acomodação do cristalino, gerando dificuldade na focalização de objetos; a correção é feita com lentes convergentes.

25) A catarata é a principal causa de cegueira no mundo. Entretanto, devido ao sucesso do tratamento cirúrgico, tornou-se um dos procedimentos oftalmológicos mais frequentemente realizados, responsável por significativo benefício na qualidade de vida de idosos de todo o mundo. A catarata é um problema de saúde pública se considerarmos os elevados números de incidência e prevalência. Estima-se que a incidência da catarata seja de aproximadamente 20% da população mundial, anualmente. A prevalência pode chegar à metade dos indivíduos acima de 65 anos. Com o envelhecimento da população mundial, projeções apontam para números ainda maiores: acredita-se que nos próximos 15 anos o número de portadores de catarata dobrará em relação à prevalência atual.

Em relação ao tema e conhecimentos correlatos, responda: a) O que é catarata?

b) Como a catarata pode conduzir à cegueira? Inclua na sua resposta o papel da estrutura ocular afetada no mecanismo da visão.

26) A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é a maior causa de cegueira acima de 65 anos de idade. Os pacientes se queixam de perda visual lenta ou abrupta. Os sinais correspondem a alterações exclusivas no fundo do olho, envolvendo quase sempre a região macular. Pode-se encontrar edema de retina, hemorragias sub-retinianas e intra-retinianas, entre outros.

Em relação ao tema e conhecimentos correlatos, responda:

a) Por que a degeneração da região macular pode conduzir à perda visual?

b) Como o edema e as hemorragias citadas podem contribuir com o desenvolvimento e progressão da patologia? 27) Apesar do tato ser classificado como um dos cinco sentidos clássicos, ele pode ser dividido em quatro outros sentidos: identificação de texturas e formas, identificação de pressão, percepção da temperatura (termocepção) e percepção da dor (nocicepção). Em relação ao tema, responda:

a) Por que a boca e as pontas dos dedos são mais sensíveis à percepção tátil, se possuímos receptores cutâneos táteis distribuídos por toda a pele?

b) Existem pessoas que em situações desagradáveis como, por exemplo, esperar para ser atendido em uma fila de banco ou no consultório do dentista, distraem-se introduzindo a ponta de pequenas agulhas ou alfinetes em finas e superficiais camadas da pele. Embora questionável, tal hábito não provoca dor nem sangramento. Qual a explicação biológica para a ausência da dor?

c) Durante o processo de leitura em Braile, os cegos utilizam determinada estrutura sensorial. Qual o tipo de estrutura sensorial e qual sua variedade específica?

d) As sensações de frio ou calor, acompanhadas ou não de dor, dependem de receptores sensoriais específicos da pele. Em relação ao tema, qual(is) estrutura(s) sensorial(is) está(ao) envolvida(s), respectivamente, quando:

- queimamos a mão com água quente:

- seguramos uma garrafa de água gelada suavemente:

28) Insensibilidade congênita à dor ou analgesia congênita é uma condição de natureza genética rara na qual uma criança não tem possibilidade de sentir dor física. Não há nenhuma anormalidade física detectável, mas essas crianças sofrem frequentemente de danos na cavidade oral e em torno da cavidade oral por mordidas na ponta da língua; fraturas ósseas e danos na córnea também podem estar presentes. Porque a criança não pode sentir a dor, não há ajuda, tendo assim um risco mais elevado que as doenças se tornem mais severas.

Referências

Documentos relacionados

dois gestores, pelo fato deles serem os mais indicados para avaliarem administrativamente a articulação entre o ensino médio e a educação profissional, bem como a estruturação

No código abaixo, foi atribuída a string “power” à variável do tipo string my_probe, que será usada como sonda para busca na string atribuída à variável my_string.. O

literárias que aparecem mais de uma vez, para, desta forma, tentar compreender melhor quais são as temáticas predominantes nos textos que fazem parte da Revista, quais

Para analisar as Componentes de Gestão foram utilizadas questões referentes à forma como o visitante considera as condições da ilha no momento da realização do

Neste estudo foram estipulados os seguintes objec- tivos: (a) identifi car as dimensões do desenvolvimento vocacional (convicção vocacional, cooperação vocacio- nal,

Foi membro da Comissão Instaladora do Instituto Universitário de Évora e viria a exercer muitos outros cargos de relevo na Universidade de Évora, nomeadamente, o de Pró-reitor (1976-

Also due to the political relevance of the problem of repressing misguided employment relationships, during the centre-left Prodi Government (2006-2008) and the

No direito brasileiro, a transmissão da propriedade imóvel acima de determinado valor (art. 108 Código Civil brasileiro) exigirá documento elaborado exclusivamente pelo notário e