Apresentando-se bem com o Currículo Lattes. Eduardo Graziosi Silva Bibliotecário da EESC/USP

Texto

(1)

Eduardo Graziosi Silva Bibliotecário da EESC/USP

(2)

• Histórico da Plataforma Lattes

• Currículo Lattes: criação e preenchimento • Perguntas?

• Currículo Lattes: atualização e manutenção

(3)
(4)

• Histórico

• Ferramentas

• Currículo Lattes

(5)

• 1980: necessidade de criação de um formulário padrão para o registro dos currículos dos pesquisadores brasileiros. • 1990: lançamento do formulário.

• 1999: lançamento do Currículo Lattes, desenvolvido pelo Stela (UFSC) e C.E.S.A.R. (UFPE).

(6)

Como acessar?

(7)

• Diretório de Instituições: informações de

instituições e entidades que possuem

relacionamento com o CNPq. (SOBRE..., 2014). • Diretório dos Grupos de Pesquisa: recursos

humanos, linhas de pesquisa, setores envolvidos,

especialidades do conhecimento, produção

intelectual e padrões de interação com o setor produtivo. (SOBRE..., 2014).

• Painel Lattes: estatísticas da base de currículos da Plataforma Lattes (PAINEL..., 2014).

(8)
(9)
(10)
(11)
(12)

• Texto inicial do Currículo Lattes: o texto padrão deve ser alterado.

• Outras informações relevantes: Neste local você pode cadastrar informações adicionais relativas ao seu currículo, não contempladas nos outros módulos.

• Exemplos: Resumo, descrição sobre seu perfil curricular, comentário sobre o conjunto da obra, projetos recentes, apoios financeiros recebidos, etc.

(13)
(14)

• Formação complementar: campo utilizado para todo tipo de curso que não seja curso acadêmico formal.

• Exemplos: programas de formação, aperfeiçoamento, atividade de extensão, cursos de línguas, oficinas, cursos de

extensão, cursos de formação

profissional, dentre outros.

(15)
(16)

• Atuação profissional:

vínculo (relação empregatícia) x

atividade (ação realizada)

• Linhas de pesquisa: Atuação > Atuação profissional > Incluir novo item > Instituição, vínculo, período e outras informações.

(17)
(18)

Projetos

• Quando o projeto for associado, vinculado ou realizado no âmbito de uma instituição, deve ser cadastrado em Atuação profissional > Instituição > Atividade > projeto de pesquisa.

(19)
(20)

Produções

• Produção Bibliográfica > Apresentação de trabalho e palestra

• Inserir trabalhos apresentados desvinculados de outro evento, tais como, palestras isoladas, aulas magnas, dentre outros.

• Produção Bibliográfica > Outra produção bibliográfica

• Qualquer outra produção bibliográfica que não possa ser inserida nas demais opções é

cadastrada neste campo, inclusive artigos

(21)
(22)

• Algumas informações comuns para os documentos deste módulo são:

– Número do registro (patente, programa de computador registrado, desenho industrial registrado, marca registrada, topografia de circuito integrado registrada).

– Número do processo (cultivar protegida e cultivar registrada).

(23)
(24)

• Inclui os mesmos campos dos módulos “Projetos” e “Patentes e Registros”, porém, aqui devem ser registrados aqueles que geraram, exclusivamente, novos produtos ou processos.

• Além disso, inclui os campos “Programa de computador sem registro”, “Produtos” e “Processos ou técnicas”.

(25)
(26)

• Possui campos existentes em outros

módulos, mas aqui devem ser

preenchidos com informações de documentos de divulgação científica.

• Também apresenta campos específicos, tais como “Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia” e “Redes sociais, websites e blogs”.

(27)
(28)

• Permite cadastrar informações sobre participação de organização de eventos a partir do campo “Apresentação de trabalho e palestra” do módulo Produções > Produção Bibliográfica:

– clique na lupa para visualizar os eventos cadastrados;

– selecione o evento desejado.

(29)
(30)
(31)

• Módulo utilizado para preencher as informações de orientações concluídas e em andamento.

• Alguns campos disponíveis são: tipo de trabalho, título, país, idioma, autor, opção para bolsa de estudos, dentre outros.

(32)
(33)

• Subdivide-se em:

– Participação em bancas de trabalhos de conclusão.

– Participação em bancas de comissões julgadoras.

• Esta área permite o cadastro das seguintes informações: natureza, título, ano, país, idioma, home page do trabalho e instituição.

(34)
(35)

• Citações no ISI:

– Os dados podem ser recuperados pelo ResearcherID do pesquisador.

• Citações no SciELO, Scopus e outra base bibliográfica:

− A inclusão dos dados (total de citações, total de trabalhos, data e forma do nome do autor citado) é manual. Em outra base bibliográfica também é possível inserir o nome da base.

(36)
(37)

Onde devo colocar uma iniciação científica?

(38)

Estágios: Atuação Profissional ou Formação Complementar?

Medicina Veterinária: Formação Complementar

(39)

Eventos: cadastrar em Eventos ou Educação e Popularização de C&T?

(40)

• Sim, desde que você tenha o documento comprobatório em mãos, mesmo que tenha sido apresentado por outra pessoa. • Currículo documentado: comprovantes de

participação.

Posso colocar um evento em que tive um artigo publicado e pôster exposto, mas

(41)

Qual a carga horária para se definir um “curso de curta duração” ou “outros”?

(42)

Sim. Lembre-se de ter uma cópia do resumo e da publicação.

(43)

Onde incluir co-orientação de trabalhos acadêmicos?

(44)

• Devem ser cadastrados separadamente, a não ser que sejam eventos conjuntos.

• Observe o nome do evento no documento comprobatório e registre-o da mesma forma.

(45)

• Cadastrar todos os autores mencionados no trabalho em que você é co-autor(a).

• “Síndrome do primeiro autor”: cadastrar os autores conforme a ordem em que são

citados na publicação.

(46)
(47)
(48)

• Mostra o desenvolvimento de sua vida acadêmica/profissional, projetos, publicações, dentre outros.

• Quando atualizar?

– Sugestão: a cada 3 meses.

– O ideal é que você defina seu próprio período ou método de atualização.

(49)

• Processo de revisão das informações: cada informação no lugar correto está adequada e completa?

• Exemplo:

– Atividade de extensão no módulo Eventos

– Correto: módulo Formação > Formação Complementar (cursos acadêmicos não formais)

(50)

• possui o registro completo das informações;

• mostra consideração em relação aos usuários;

• facilita a pesquisa;

• contribui para dar visibilidade da ciência nacional no Brasil e no mundo.

(51)

Site do CNPq abriga currículos falsos (SCHAWARSMAN; CAPRIGLIONE, 2009)

Fonte: Macêdo Jr (2010).

(52)

• Questões:

– Vulnerabilidade da Plataforma Lattes.

– Controle mais rígido, já que é utilizada para decidir sobre a destinação de verbas públicas.

– Verificação das informações: CNPq? Usuário? Instituição?

(53)

• Entre em contato com o proprietário do currículo ou com o CNPq.

(54)

• Não encontrei uma publicação, e agora?

– Biblioteca!

• Não encontrei uma maquete, blog ou outro documento mais específico...

– Entre em contato com o proprietário do currículo.

(55)
(56)

MACÊDO JR. Currículo Lattes – coisa de nerd? 2010. Disponível em:

<

http://cienciaxeret.blogspot.com.br/2010/06/curriculo-lattes-coisa-de-nerd.html>. Acesso em: 27 out. 2014.

SCHWARTSMAN, H.; CAPRIGLIONE, L. Site do CNPq abriga currículo falsos.

Folha de S. Paulo, São Paulo, 8 jul. 2009. Folha Ciência. Disponível em:

<http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ciencia/fe0807200901.htm>. Acesso em: 27

out. 2014.

PAINEL Lattes. Disponível em: <http://estatico.cnpq.br/painelLattes/>. Acesso em: 13 ago. 2014.

SOBRE a Plataforma Lattes. Disponível em: < http://www.cnpq.br/web/portal-

lattes/sobre-a-plataforma;jsessionid=AB6B240CDC4668AE6A10E67592A5A543>. Acesso

em: 13 ago. 2014.

(57)

Mais sobre o Currículo Lattes?

http://www.contentmind.com.br/cursos/lattes/

(58)

Eduardo Graziosi Silva Bibliotecário

edu.gs@sc.usp.br

(16) 3373-9208

Imagem

temas relacionados :