3.º 1.ª ENSINO MÉDIO. série volume. Leia atentamente as instruções seguintes: CORRETO ERRADO ESCOLA: NOME: QUESTÃO E QUESTÃO QUESTÃO QUESTÃO A D E E

Texto

(1)

NOME:

ESCOLA:

TURMA: N.º:

Leia atentamente as instruções seguintes:

D E S A F I O

QUESTÃO

A B C D E

CORRETO

QUESTÃO QUESTÃO

QUESTÃO

A D

E E E A B C D A B C D

BB CC

ERRADO

2021

1 Este CADERNO DE QUESTÕES contém 90 questões numeradas de 1 a 90.

2 Após as questões objetivas, escreva uma redação contemplando um dos gêneros estudados ao longo do livro e, para a produção, utilize o espaço disponível para rascunho.

3 Confira seu CADERNO DE QUESTÕES. Caso esteja incompleto, tenha qualquer defeito ou apresente divergência, comunique ao aplicador para que ele tome as providências cabíveis.

4 ATENÇÃO: Após a conferência, escreva e assine seu nome nos espaços próprios do CARTÃO-RESPOSTA com caneta esferográfica de tinta preta.

5 Não dobre, não amasse e não rasure o CARTÃO-RESPOSTA, pois ele não poderá ser substituído.

6 Para cada uma das questões objetivas são apresentadas 5 opções identificadas com as letras A, B, C, D e E.

Apenas uma responde corretamente à questão.

7 No CARTÃO-RESPOSTA, preencha todo o espaço compreendido no campo correspondente à opção escolhida para a resposta. A marcação em mais de uma opção anula a questão, mesmo que uma das respostas esteja correta.

8 Utilize a FOLHA DE REDAÇÃO para transcrever a versão final do seu texto.

série 3.º volume ENSINO MÉDIO

1.ª

(2)

Língua Inglesa

QUESTÃO 1

Leia o fragmento de uma notícia. Atente-se para o termo em destaque na manchete do texto.

Community helps support Albuquerque woman who had her car stolen

ALBUQUERQUE, N.M. — When Cheryl Vargas walked out her door Sunday morning, she was shocked to find that her SUV was stolen […]. Luckily, her neighborhood stepped up to support her.WANG,

Joy. Community helps support Albuquerque woman who had her car stolen.

KOB 4. Disponível em: www.kob.com/albuquerque-news/community- helps-support-albuquerque-woman-who-had-her-car-stolen/6075710/.

Acesso em: 29 abr. 2021.

Preservando a manchete da notícia em sua forma original, da maneira como está escrita no texto, e alterando apenas o termo em destaque, a palavra que deve ser empregada para substituí-lo é

A) “whose”, já que existe uma relação de posse entre uma mulher e o carro dela.

B) “that”, considerando que o termo em destaque na manchete retoma a mulher que sofreu o roubo.

C) “which”, uma vez que o termo em destaque na manchete faz referência a um objeto.

D) “when”, visto que a manchete da notícia enfatiza o momento em que o roubo ocorreu.

E) “where”, porque o termo em destaque na manchete se refere à cidade de Albuquerque.

QUESTÃO 2

Leia este diálogo, atentando-se para a utilização de

“will” e “be going to”.

Gwendoline: – Hi, Jaime! What are you going to do tonight?

Jaime: – I am going to have dinner with my parents.

What about you, Gwendoline?

Gwendoline: – I am going to watch a football match tonight. Here are my tickets!

Jaime: – Oops, you just dropped them. Don’t worry, I will get them for you.

Nesse diálogo, as formas “will” e “be going to” foram utilizadas, respectivamente, para

A) oferecer uma sugestão e fazer um convite.

B) falar sobre um hábito e fazer uma promessa.

C) dar uma ordem e contar sobre os acontecimentos do dia anterior.

D) indicar que uma decisão foi tomada instantaneamente e falar sobre planos.

E) sinalizar que uma ação que está acontecendo no presente e outra acontecia no passado.

QUESTÃO 3

Leia este texto, atentando-se para as palavras que contêm prefixos com sentido de negação.

Erika Bergman: Underwater Explorer

Engineer Erika Bergman totally understands the thrill Cruz probably felt when he stepped into the tiny submarine Ridley the very first time […]. She’s a deep- sea submersible pilot who explores places in the ocean few people have ever seen.

“Every single dive is completely different,” she says.

“It doesn’t matter if I’ve been to the spot a hundred times—I always see something new and unexpected whenever I dive.” […]

Bergman is an explorer […], piloting subs all over the world to discover unique underwater ecosystems. […]

Being an engineer is challenging […]. For instance, […] submersibles can become unstable at deep depths because of intense pressure.

BOSLEY, Lisa. Erika Bergman: underwater explorer. National Geographic Kids. Disponível em: https://kids.nationalgeographic.com/explorer- academy/article/erika-bergman. Acesso em: 12 maio 2021.

Entre as palavras apresentadas no texto, as que contêm prefixos com sentido de negação são

A) “unstable” e “unique”.

B) “unique” e “understands”.

C) “unexpected” e “unstable”.

D) “underwater” e “unexpected”.

E) “understands” e “underwater”.

QUESTÃO 4

Leia a manchete, atentando-se para a frase sublinhada.

Can Timothée Chalamet really play the piano?

Watch his Bach performance in Call Me By Your Name

ROBERTS, Maddy Shaw. Can Timothée Chalamet really play the piano?

Watch his Bach performance in Call Me By Your Name. Classic FM. Disponível em: www.classicfm.com/discover-music/instruments/piano/can-timothee- chalamet-play-guitar-call-me-by-your-name/. Acesso em: 12 maio 2021.

A frase sublinhada na manchete poderia ser reescrita, sem perda de sentido, como

A) “Will Timothée Chalamet really play the piano?”.

B) “May Timothée Chalamet really play the piano?”.

C) “Might Timothée Chalamet really play the piano?”.

D) “Should Timothée Chalamet really play the piano?”.

E) “Is Timothée Chalamet really able to play the piano?”.

(3)

QUESTÃO 5

Estes são alguns dos versos da letra da canção “How Long?”. Atente-se para o trecho em destaque.

How Long?

Sally, things close early It’s a holiday they tell me

How long have you lived here?

Have you seen the river?

HOLTER, Julia. How Long?. In: Have You in My Wilderness, 2015.

Disponível em: https://genius.com/Julia-holter-how- long-lyrics. Acesso em: 12 maio 2021.

O trecho em destaque na letra da canção corresponde a uma pergunta sobre

A) quando uma ação será realizada.

B) quando uma ação voltará a ser realizada.

C) quanto tempo durou uma ação específica.

D) com que frequência uma ação é praticada.

E) quantas vezes determinada ação foi praticada.

Língua Portuguesa

QUESTÃO 6

Leia este fragmento de uma reportagem sobre os povos indígenas, atentando-se ao uso dos pronomes.

Dia do Índio?

Não vai muito longe o tempo em que os livros escolares nos levavam a comemorar, em 19 de abril, o

“Dia do Índio”, sem fazer questionamentos ou leituras críticas.

Era o dia para confeccionar cocar, pintar o rosto, aprender o que era oca, taba, pajé, arco e flecha.

Uma simples descrição romantizada dos “primeiros habitantes do Brasil”. Povo calmo e hospitaleiro que recebeu os portugueses em troca de espelhos e outros mimos.

Esta relação depois encontrou algumas variantes em narrativa de amores livres e românticos, vividos entre as mulheres, belas e selvagens índias, e os portugueses.

Demorou um tempo para a pedagogia crítica começar a questionar esses conceitos. “Índios” e “índias”

não foram os primeiros habitantes do Brasil e sim o povo nativo, os primeiros donos da terra. Os portugueses não eram visitantes amáveis que traziam presentes, mas o invasor, o colonizador, produtores de um dos maiores extermínios de um povo, na face da terra. Diferente de amores, as mulheres indígenas foram violentadas e mortas, assim como também a todo um povo foram usados métodos de escravização.

LEITÃO, Teresa. Dia do Índio? Brasil de Fato. Disponível em: www.brasildefatope.

com.br/2021/04/19/dia-do-indio.

Acesso em: 19 abr. 2021.

Em relação ao uso de pronomes nesse texto, constata-se que

A) o termo “nos”, presente no primeiro parágrafo, é classificado como pronome pessoal do caso reto.

B) no primeiro parágrafo, é possível substituir “nos levavam” por “levavam a gente” sem causar alteração no sentido.

C) ao substituir “os portugueses”, presente no final do terceiro parágrafo, pelo pronome “eles”, não há prejuízo na compreensão do texto.

D) a substituição de “esses” por “estes”, no quarto parágrafo, mantém a correção gramatical do trecho.

E) no fragmento, há ao menos três ocorrências de pronomes demonstrativos.

QUESTÃO 7

Leia este fragmento de uma reportagem sobre as medidas para conter o avanço da Covid-19, atentando-se aos termos em destaque.

Marcelo Queiroga diz que meta do governo é vacinar 1 milhão por dia

Quando perguntado sobre medidas não farmacológicas, o novo titular do ministério descartou lockdown como uma resposta para conter a disseminação do vírus e citou outras formas de distanciamento.

“Quem quer o lockdown? Ninguém quer lockdown.

O que temos do ponto de vista prático é adotar medidas sanitárias eficientes que evitem lockdown. Até porque a população não adere. A vacina é importante, mas precisamos usar máscaras, precisamos manter um certo distanciamento. Vamos buscar maneiras de disciplinar o distanciamento social”, disse.

[...]

Queiroga afirmou que Bolsonaro lhe conferiu autonomia para montar sua equipe e mencionou alguns nomes. [...]

VALENTE, Jonas. Marcelo Queiroga diz que meta do governo é vacinar 1 milhão por dia. Agência Brasil. Brasília, 24 mar. 2021. Disponível em:

https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2021-03/queiroga- meta-1-milhao-vacinados-por-dia. Acesso em: 19 abr. 2021.

Considerando os termos em destaque no texto e a norma-padrão, constata-se que

A) a omissão do termo “uma” prejudica a compreensão do trecho.

B) o termo “outras” é classificado como pronome indefinido.

C) a palavra “ninguém” é morfologicamente classificada como substantivo comum.

D) o termo “certo” é classificado morfologicamente como adjetivo.

E) a substituição de “lhe conferiu” por “conferiu a ele” é gramaticalmente inadequada.

(4)

QUESTÃO 8

Leia este fragmento de uma reportagem sobre o auxílio do governo aos estados, atentando-se à expressão em destaque.

Governo auxilia estados com kit intubação, diz ministro

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, pontuou que a definição da destinação de insumos (entre eles os medicamentos do kit intubação) é definida de forma pactuada com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

O secretário de Atenção Especializada à Saúde, Sérgio Okane, reconheceu que a situação é grave e que a despeito das iniciativas adotadas há dificuldades de abastecimento diante do cenário da pandemia.

“Vivemos um momento crítico pela quantidade de casos que o país está enfrentando”, disse.

VALENTE, Jonas. Governo auxilia estados com kit intubação, diz ministro.

Agência Brasil. Brasília, 15 abr. 2021. Saúde. Disponível em: https://

agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2021-04/governo-auxilia- estados-com-kit-intubacao-diz-ministro. Acesso em: 19 abr. 2021.

A expressão em destaque no texto é classificada como uma

A) interjeição.

B) preposição.

C) locução prepositiva.

D) conjunção coordenativa.

E) conjunção subordinativa.

QUESTÃO 9

Leia este fragmento de uma reportagem sobre a relação entre homem e natureza, atentando-se ao termo em destaque.

Abril indígena: “Destruir a natureza é caminho para o suicídio”, alerta Gersem Baniwa

Filho de pai da etnia Baniwa e mãe da etnia Baré, Gersem José dos Santos Luciano [...] ou Gersem Baniwa, como é mais conhecido, nasceu na aldeia Yaquirana, no Alto Rio Negro, próximo ao município São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas.

Professor da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Baniwa integrou o Conselho Nacional de Educação (CNE) em 2016 e esteve à frente da Coordenação do Conselho da Educação Escolar Indígena (CGEEI), no Ministério da Educação. [...]

Baniwa afirma que o consumo desenfreado está levando toda a humanidade ao suicídio, e a única saída é o reencontro do homem com a natureza e consigo mesmo.

CASTRO, Mariana. Abril indígena: “Destruir a natureza é caminho para o suicídio”, alerta Gersem Baniwa. Brasil de Fato. Imperatriz, 19 abr. 2021.

Disponível em: www.brasildefato.com.br/2021/04/19/destruir-a-natureza-e- um-caminho-para-o-suicidio-alerta-gersem-baniwa. Acesso em: 19 abr. 2021.

O termo destacado no texto é classificado morfologicamente como

A) verbo.

B) conjunção.

C) preposição.

D) pronome relativo.

E) pronome reflexivo.

QUESTÃO 10

Esta é uma matéria do canal de notícias Correio Braziliense.

O Verão tardio, novo romance do escritor mineiro, radicado em São Paulo, Luiz Ruffato, tem como tela uma trama aparentemente simples, vivida, durante seis dias, pelo personagem Oséias, um homem comum que, vivendo em São Paulo, depois de longo período distante da cidade natal, volta ali para rever parentes e antigos amigos [...].

As mulheres, na figura da mãe, uma determinada e habilidosa costureira, é que mantêm a família articulada.

[...] A forma narrativa adotada pelo autor, sem ser pretensiosamente original, com seu fluxo acelerado, com repetições minuciosas de certos fatos e situações, sem descrições, lembra o ritmo pedalado da máquina de costura.

Outro recurso estilístico de efeito extraordinário neste romance é a forma como o autor mistura o passado com o presente [...].

Passagem intrigante é a que relata o encontro com o irmão João Lúcio, no final do livro. [...]

Enfim, Ruffato busca no homem comum, cidadão quase anônimo, perdido na própria insignificância perante o mundo, matéria para um romance que transcende o corriqueiro e o cotidiano para alçar-se à condição de obra literária de valor estético e humanístico só atingido por escritores do porte de Graciliano Ramos ou de Raduan Nassar [...].

PEREIRA, Wilson. Leia resenha sobre o novo romance de Luiz Ruffato. Correio Braziliense. Brasília, 03 ago. 2019. Disponível em: www.correiobraziliense.com.

br/app/noticia/diversao-e-arte/2019/08/03/interna_diversao_arte,775222/leia- resenha-do-novo-romance-de-luiz-ruffato-o-verao-tardio.shtml.

Acesso em: 20 abr. 2021.

O texto é considerado uma resenha porque

A) expõe, de forma imparcial, fatos que ocorreram no livro.

B) há uma breve descrição da história e apresentação de um ponto de vista crítico sobre a obra.

C) é escrito em terceira pessoa e não apresenta um ponto de vista sobre a obra de Ruffato.

D) busca exclusivamente apresentar ao leitor os principais aspectos da obra analisada.

E) existem relatos concisos de fatos do cotidiano, como conhecer a história antes de ler o livro.

(5)

QUESTÃO 11

Leia este trecho da obra “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis, atentando-se às formas de colocação pronominal.

Marcela franziu a testa, cantarolou uma seguidilha, entre dentes; depois queixou-se do calor, e mandou vir um copo de aluá. Trouxe-lho a mucama, numa salva de prata, que fazia parte dos meus onze contos. Marcela ofereceu-me polidamente o refresco; minha resposta foi dar com a mão no copo e na salva; entornou-se-lhe o líquido no regaço, a preta deu um grito, eu bradei- lhe que se fosse embora. Ficando a sós, derramei todo o desespero de meu coração; disse-lhe que ela era um monstro, que jamais me tivera amor, que me deixara descer a tudo, sem ter ao menos a desculpa da sinceridade; chamei-lhe muitos nomes feios, fazendo muitos gestos descompostos.

Marcela deixara-se estar sentada, a estalar as unhas nos dentes, fria como um pedaço de mármore. [...] fui eu que me atirei aos pés dela, contrito e súplice; beijei-lhos, recordei aqueles meses da nossa felicidade solitária, repeti-lhe os nomes queridos de outro tempo, sentado no chão, com a cabeça entre os joelhos dela, apertando- lhe muito as mãos; ofegante, desvairado, pedi-lhe com lágrimas que me não desamparasse... Marcela esteve alguns instantes a olhar para mim, calados ambos, até que brandamente me desviou e, com um ar enfastiado:

— Não me aborreça, disse.

ASSIS, Machado de. Memórias Póstumas de Brás Cubas.

Disponível em: www.dominiopublico.gov.br/download/

texto/bn000167.pdf. Acesso em: 19 abr. 2021.

Em relação à colocação pronominal, analise as afirmativas a seguir, identificando as corretas.

I. Não ocorre mesóclise nesse fragmento da obra.

II. Em “queixou-se”, o pronome “se” poderia ser colocado em próclise sem prejudicar a correção gramatical.

III. A colocação pronominal em “ofereceu-me” pode ocorrer em próclise sem prejuízo da correção gramatical.

IV. O trecho “que jamais me tivera amor” poderia ser reescrito como “que jamais tivera-me amor” sem prejuízo na correção gramatical.

V. O fragmento “Não me aborreça” poderia ser reescrito como “Não aborreça-me” sem comprometer a correção gramatical do trecho.

Estão corretas as afirmativas A) I e II.

B) II e III.

C) IV e V.

D) II, III e IV.

E) III, IV e V.

QUESTÃO 12

Leia este fragmento da obra “Livro do desassossego”, de Fernando Pessoa, atentando-se aos termos em destaque.

Há em Lisboa um pequeno número de restaurantes ou casas de pasto [em] que, sobre uma loja com feitio de taberna decente se ergue uma sobreloja com uma feição pesada e caseira de restaurante de vila sem comboios. Nessas sobrelojas, salvo ao domingo pouco frequentadas, é frequente encontrarem-se tipos curiosos, caras sem interesse, uma série de apartes na vida. O desejo de sossego e a conveniência de preços levaram-me, em um período da minha vida, a ser frequente em uma sobreloja dessas. Sucedia que quando calhava jantar pelas sete horas quase sempre encontrava um indivíduo cujo aspecto, não me interessando a princípio, pouco a pouco passou a interessar-me.

Era um homem que aparentava trinta anos, magro, mais alto que baixo, curvado exageradamente quando sentado, mas menos quando de pé, vestido com um certo desleixo não inteiramente desleixado. Na face pálida e sem interesse de feições um ar de sofrimento não acrescentava interesse, e era difícil definir que espécie de sofrimento esse ar indicava — parecia indicar vários, privações, angústias, e aquele sofrimento que nasce da indiferença que provém de ter sofrido muito.

PESSOA, Fernando. Livro do desassossego. Disponível em: http://www.

dominiopublico.gov.br/download/texto/vo000008.pdf. Acesso em: 20 abr. 2021.

Considerando os termos em destaque no texto e a norma-padrão, analise as afirmativas a seguir, identificando as corretas.

I. A expressão “em que” poderia ser substituída por

“onde” sem prejuízo do sentido e da correção gramatical.

II. No trecho “definir que espécie”, a substituição de

“que” por “qual” não compromete o sentido original do fragmento.

III. O pronome presente em “não me interessando”

pode ser colocado após o verbo sem comprometer a correção gramatical.

IV. O acréscimo do artigo definido “o” antes da palavra

“aspecto” não compromete a correção gramatical do trecho.

V. Em “levaram-me”, o pronome “me” poderia ser colocado em próclise sem prejudicar a correção gramatical do período.

Estão corretas as afirmativas A) I e II, apenas.

B) III e IV, apenas.

C) IV e V.

D) I, II e V.

E) I, III e IV.

(6)

QUESTÃO 13

Leia este trecho de uma matéria publicada em um site de notícias, atentando-se aos termos em destaque.

A culpa não é só da pandemia

Hoje, 59,3% do povo brasileiro, o que equivale a 125,6 milhões de pessoas, não come em quantidade e qualidade ideais. Os dados são da pesquisa “Efeitos da pandemia na alimentação e na situação da segurança alimentar no Brasil”, divulgados na terça-feira (13).

Números ainda piores que o da Rede Penssan, do início de abril, mostram que 19 milhões de brasileiros passam fome e que outros 116,8 milhões convivem com algum grau de insegurança alimentar. [...]

Como disse o pernambucano Josué de Castro, “a fome não é um fenômeno natural. É um fenômeno social, produto de estruturas econômicas defeituosas”. Por isso, não se pode responsabilizar apenas a pandemia de Covid-19 pela volta da fome. A crise sanitária, na verdade, expôs as fraturas do desmonte da política de soberania e segurança alimentar iniciada a partir de 2016 e aprofundada com o governo Bolsonaro.

VERAS, Carlos. A culpa não é só da pandemia. Brasil de Fato. Pernambuco, 15 abr. 2021. Disponível em: www.brasildefatope.com.br/2021/04/15/a- culpa-nao-e-so-da-pandemia. Acesso em: 20 abr. 2021.

Considerando os termos em destaque e a norma- padrão, constata-se que

A) no trecho “mostram que 19 milhões de brasileiros”, o termo destacado se classifica morfologicamente como pronome relativo.

B) em “o que equivale a 125,6 milhões de pessoas”, o termo em destaque é classificado morfologicamente como conjunção integrante.

C) se houver acréscimo de “que” antes de “produto de estruturas econômicas defeituosas”, ocorrerá mudança no sentido do trecho original.

D) no trecho “outros 116,8 milhões convivem com algum grau de insegurança alimentar”, se a palavra em destaque for posicionada após a palavra “grau”, haverá alteração semântica.

E) o trecho “não se pode responsabilizar apenas a pandemia” pode ser reescrito da seguinte forma, sem comprometer a correção gramatical: “não pode-se responsabilizar apenas a pandemia”.

QUESTÃO 14

Leia este fragmento de uma reportagem sobre a vacinação contra a Covid-19 no Brasil, atentando-se ao uso de intertextualidade.

Últimas notícias da vacina: insumo para 5,3 milhões de doses da CoronaVac chega em SP

Os números mostram que o ritmo de vacinação continua lento. Mas a situação deve mudar no segundo semestre deste ano, quando a velocidade de entrega de insumos deve acelerar.

Também há a perspectiva do desenvolvimento de vacinas integralmente nacionais, como a ButanVac, do Instituto Butantan, a Versamune, desenvolvida pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP), e o imunizante da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O estudo da vacina desenvolvida pela UFMG, em parceria com o Instituto René Rachou (Fiocruz Minas), concluiu a etapa de prova de conceito com resultados

“bastante animadores”. [...]

Um dos pesquisadores participantes, Ricardo Gazzinelli afirmou que, no decorrer de 2020, foram utilizadas diversas formas para a produção da vacina.

A que se mostrou mais viável foi a técnica de fusão de duas proteínas. “Usamos uma proteína recombinante (Spyke) e proteína do coronavírus. Fizemos, então, uma proteína, que estamos chamando ‘quimera’, que é a junção dessas duas proteínas em um único antígeno”, afirmou o pesquisador.

OLIVEIRA, Caroline. Últimas notícias da vacina: insumo para 5,3 milhões de doses da CoronaVac chega em SP. Brasil de Fato. Disponível em: www.

brasildefato.com.br/2021/04/19/ultimas-noticias-da-vacina-insumo-para-5- 3-milhoes-de-doses-da-coronavac-chega-em-sp. Acesso em: 20 abr. 2021.

Sobre o uso de intertextualidade nesse fragmento, constata-se que

A) no quarto parágrafo, há citação direta da fala de Ricardo Gazzinelli.

B) a intertextualidade está explícita no emprego dos nomes das vacinas.

C) a presença das aspas no último parágrafo indica o uso de linguagem coloquial.

D) no fragmento, há uma paródia, tendo em vista a crítica em relação ao andamento da vacinação e das pesquisas.

E) no texto, identifica-se a presença de citação, indicada pelo uso de aspas que marcam a transcrição de um discurso.

(7)

QUESTÃO 15

Leia este fragmento de “Don Quixote de La Mancha”, de Miguel Cervantes, atentando-se aos termos em destaque.

DON QUIXOTE, nobre cavaleiro da Mancha, amigo e protetor dos sofredores, amante da imortal Dulcinéia del Toboso e dono do fiel Rocinante: cobre teu rosto com ambas as mãos para que não se note sua vergonha ante a ofensa que acabam de infligir-te; porque nunca te ofenderam tanto como hoje, trezentos anos depois daquele dia inesquecível em que abandonaste pela primeira vez tua casa e teus amigos para percorrer o mundo em defesa da justiça e para fazer ressuscitar a fama eterna da cavalaria andante.

Muito padeceste em tua vida, grande cavaleiro da Triste Figura! Combateste uma batalha desesperada contra gigantes, mas afinal os gigantes eram apenas moinhos de vento e tiveste de pagar teu erro com a cabeça quebrada e alguns ossos partidos. Rústicos aldeães quebraram teus dentes cavalheirescos, pastores de ovelhas vulgares pisaram-te com seus pés, gente ingrata, incapaz de compreender a grandeza cavalheiresca, te encerrou numa jaula de madeira e te convenceu de que estavas encantado; até corrias o perigo de que em tua estranha clausura se sentisse o mau cheiro, e se não fosse o bom Sancho, a poesia de tua empresa heroica teria terminado num fato demasiado prosaico...

CERVANTES, Miguel. Don Quixote de La Mancha.

Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/

texto/eb00008a.pdf. Acesso em: 21 abr. 2021.

Considerando os termos em destaque no texto e a norma-padrão, constata-se que o

A) pronome “teus” se refere aos dentes dos aldeães.

B) termo “teu” é um pronome possessivo de 3ª pessoa.

C) termo “grande cavaleiro da Triste Figura” classifica-se como aposto.

D) pronome “te” deveria ser colocado em ênclise, em “te encerrou”, para garantir a correção gramatical.

E) trecho “porque nunca te ofenderam” poderia ser reescrito como “porque nunca ofenderamte”, sem comprometer a correção gramatical.

QUESTÃO 16

Leia este fragmento de uma notícia sobre a participação do Brasil na Cúpula do Clima, atentandose aos termos em destaque.

Brasil chega à Cúpula do Clima sob cobrança e descrédito dos líderes mundiais

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (sem partido), chega à Cúpula do Clima, [...] tentando afastar do país o título de pária ambiental, para conseguir recursos financeiros.

O evento virtual [...] reúne 40 líderes mundiais e marca o retorno oficial dos EUA ao Acordo de Paris, um tratado no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU) que determina metas de redução de emissão de gases do efeito estufa, a fim de conter o aquecimento global. [...]

[...] o brasileiro enviou uma carta ao norte-americano uma semana antes do encontro, na qual prometeu acabar com o desmatamento ilegal no Brasil até 2030, desde que haja investimento internacional para tal.

Enquanto Salles estima que o país precise de 10 bilhões de dólares por ano em investimentos estrangeiros [...], a Casa Branca exige políticas concretas e imediatas de combate ao desmatamento ilegal para liberar o dinheiro. [...]

Mas, mesmo com a pressão internacional e cobranças diretas de John Kerry, diplomata especial para o Clima do governo Biden, representantes de organizações ambientais não enxergam a mudança de rota na política ambiental como uma possibilidade real.

SUDRÉ, Lu. Brasil de Fato. São Paulo, 21 abr. 2021. Disponível em: www.

brasildefato.com.br/2021/04/21/brasil-chega-a-cupula-do-clima-sob- cobranca-e-descredito-dos-lideres-mundiais. Acesso em: 21 abr. 2021.

Em relação à organização e à estruturação do texto, constata-se que a substituição de

A) “a fim de” por “para” altera o sentido original do período.

B) “na qual” por “onde” não compromete a correção gramatical.

C) “para” por “com o objetivo de” causa alterações no sentido original do trecho.

D) “mesmo com a” por “apesar da” mantém o sentido original e a correção gramatical do trecho.

E) “enquanto” por “na medida em que” mantém o sentido original e a correção gramatical do trecho.

(8)

Literatura

QUESTÃO 17

Vanitas still-life, do pintor neerlandês Harmen Steenwyck, é uma pintura que mostra elementos do Barroco. Vanitas, em latim, significa vaidade, algo vão, sem valor.

STEENWIJCK, Harmen. Vanitas still-life. 1640. National Gallery, London.

Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Harmen_

Steenwijck_-_Vanitas_Still-Life_-_WGA21768.jpg. Acesso em: 22 abr. 2021.

Um conjunto de elementos essenciais à arte barroca estão presentes nessa pintura, como:

I. A ideia trágica da vida do ser humano;

II. A oposição entre materialidade e espiritualidade;

III. A consciência da efemeridade da vida e do tempo;

IV. A iluminação e a escuridão, o jogo de claro e escuro.

É correto o que se afirma apenas em:

A) I, apenas.

B) I, II e III, apenas.

C) II e IV, apenas.

D) III e IV, apenas.

E) I, II, III e IV, apenas.

QUESTÃO 18

Em alguns de seus sermões, Antônio Vieira aborda a questão da escravidão. Busque analisar a tese expressa neste fragmento.

Sermão XIV do Rosário, de 1633

Foi tão bem recebida aquela breve e discreta definição de quem chamou a um engenho de açúcar doce inferno. [...] O ruído das rodas, das cadeias, da gente toda da cor da mesma noite, trabalhando vivamente, e gemendo tudo ao mesmo tempo, sem momento de tréguas nem de descanso; quem vir, enfim, toda a máquina e aparato confuso e estrondoso daquela Babilônia, não poderá duvidar, ainda que tenha visto Etnas e Vesúvios, que é uma semelhança de inferno.

Mas, se entre todo esse ruído, as vozes que se ouvirem forem as do Rosário, orando e meditando os mistérios dolorosos, todo esse inferno se converterá em paraíso, o ruído em harmonia celestial, e os homens, posto que pretos, em anjos.

VIEIRA, Antônio. Sermão do décimo quarto do Rosário, de 1633. In: PÉCORA, Alcir (org.). 

Sermões do Padre Antônio Vieira. São Paulo: Hedra, 2001. p. 655-656.

A partir do Sermão XIV do Rosário, de 1633, Antônio Vieira pregou a uma comunidade de africanos e afrodescendentes de um engenho baiano. No trecho, percebe-se que o padre, por meio de uma tese, busca convencer os escravizados de que

A) a luta pelo direito ao descanso é dever dos escravizados da produção de açúcar.

B) o ambiente de engenho é comparável ao inferno, devido ao sofrimento das pessoas.

C) os algozes serão direcionados ao inferno devido aos males proporcionados pela escravidão.

D) o sofrimento ao qual estão submetidos no doce inferno pode ser compensado pela salvação.

E) a escravidão de negros e indígenas é necessária para o desenvolvimento econômico do país.

(9)

QUESTÃO 19

A obra de Claudio Manuel da Costa pode ser considerada de transição entre duas estéticas literárias: Barroco e Arcadismo. Leia este soneto buscando relembrar as características das obras barrocas e árcades.

Memórias do presente, e do passado Fazem guerra cruel dentro em meu peito;

E bem que ao sofrimento ando já feito, Mais que nunca desperta hoje o cuidado.

Que diferente, que diverso estado É este, em que somente o triste efeito Da pena, a que meu mal me tem sujeito, Me acompanha entre aflito, e magoado!

Tristes lembranças! e que em vão componho A memória da vossa sombra escura!

Que néscio em vós a ponderar me ponho!

Ide-vos; que em tão mísera loucura Todo o passado bem tenho por sonho;

Só é certa a presente desventura.

COSTA, Cláudio Manuel da. Obras poéticas de Glauceste Satúrnio. Disponível em http://www.dominiopublico.gov.br/

download/texto/fs000040.pdf. Acesso em: 26 abr. 2021.

Esse soneto apresenta elementos que afastam Claudio Manuel dos ideais árcades. Um exemplo é

A) a valorização do presente (carpe diem).

B) a relação direta com a natureza (locus amoenus).

C) o rebuscamento sintático, com versos em ordem inversa.

D) o fingimento poético, para suprimir a subjetividade e delegá-la.

E) a atmosfera solar, evidente pelo passado feliz e a desventura do presente.

QUESTÃO 20

Identifique o contexto histórico narrado nessa estrofe do canto primeiro do poema O Uraguai, de Basílio da Gama.

Fumam ainda nas desertas praias Lagos de sangue tépidos e impuros Em que ondeiam cadáveres despidos, Pasto de corvos. Dura ainda nos vales O rouco som da irada artilheria.

GAMA, Basílio da. O Uraguai. Rio de Janeiro: Agir, 1964.

Ao relacionar o poema de Basílio da Gama com os fatos históricos do século XIX, verifica-se que esse fragmento retrata

A) o resultado da batalha entre as tropas luso- castelhanas e os indígenas.

B) as práticas religiosas dos jesuítas que colocaram em risco a cultura indígena.

C) a exaltação da população sulista em razão dos feitos de Marquês de Pombal.

D) as migrações dos indígenas e espanhóis do Rio Grande do Sul para o Uruguai.

E) o momento de assinatura do Tratado de Madri, restabelecendo o Tratado de Tordesilhas.

QUESTÃO 21

Moraliza o poeta nos Ocidentes do Sol a inconstância dos bens do mundo Nasce o Sol, e não dura mais que um dia, Depois da Luz se segue a noite escura, Em tristes sombras morre a formosura, Em contínuas tristezas a alegria.

Porém se acaba o Sol, por que nascia?

Se formosa a Luz é, por que não dura?

Como a beleza assim se transfigura?

Como o gosto da pena assim se fia?

Mas no Sol, e na Luz, falte a firmeza, Na formosura não se dê constância, E na alegria sinta-se tristeza.

Começa o mundo enfim pela ignorância, E tem qualquer dos bens por natureza A firmeza somente na inconstância.

MATOS, Gregório de. Poemas escolhidos: Gregório de Matos. São Paulo: Companhia das Letras, 2010. p. 336.

O poema de Gregório de Matos reconhece no processo de descoberta que a única coisa estável no mundo é o(a)

A) Sol.

B) Luz.

C) Beleza.

D) Ignorância.

E) Inconstância.

(10)

História

QUESTÃO 22

Leia este excerto do livro Duas viagens ao Brasil, de Hans Staden.

Em meu quinto mês entre os selvagens, apareceu novamente um navio vindo da ilha de São Vicente. Era comum os portugueses irem também para as terras de seus inimigos, embora viajassem bem armados, para fazer comércio com eles. Eles dão aos selvagens facas e foices em troca de farinha de mandioca, que os selvagens têm em abundância em algumas regiões.

Os portugueses precisam da farinha para alimentar os numerosos escravos que mantêm em suas plantações de cana-de-açúcar. Quando os navios dos portugueses chegam, um ou dois selvagens se aproximam num barco e lhes entregam as mercadorias tão rapidamente quanto possível. Então pedem o que quiserem em troca, e os portugueses dão.

STADEN, Hans. Duas viagens ao Brasil. L & PM Pocket: Porto Alegre, 2008, p. 77.

As trocas narradas por Hans Staden eram aceitas pelos indígenas, porque

A) as foices e facas eram utilizadas pelos indígenas para repelir invasores os franceses.

B) as sociedades indígenas eram primitivas, uma vez que praticavam o escambo.

C) os indígenas não dominavam a metalurgia, por isso tinham interesse nas ferramentas portuguesas.

D) os materiais eram de extrema importância para os indígenas, que os vendiam nas outras aldeias.

E) os indígenas viam os portugueses como divindades, e os materiais recebidos deles eram sagrados.

QUESTÃO 23

Leia o fragmento da Bula do Papa Marinho V, promulgada em 1418.

Tanto pelo minucioso relato de pessoas dignas de fé, como pela voz da fama, soubemos que o nosso muito prezado filho em Cristo, D. João, ilustre rei de Portugal, ardendo em zelo de propagação da fé cristã, resolveu empregar o poderio, que pelo Sumo Rei lhe foi dado, na exaltação do seu glorioso nome e no extermínio de seus inimigos. E, organizado um exército de soldados cristãos, para combater os sarracenos e outros infiéis, que nas terras de África e convizinhas afligiam os cristãos com repetidos assaltos, cativeiros e morticínios, partiu para os territórios e lugares que eles retinham em seu poder, e arrancou valorosamente da sua intolerável opressão o lugar de Ceuta, que eles, de há longos tempos atrás, haviam ocupado, restituindo-o ao suavíssimo jugo da fé cristã.

Fragmento da Bula do Papa Martinho V, Sane Carissimus (1418). In: SALLES, Bruno Tadeu. A administração do Infante D. Henrique na Ordem de Cristo e os inícios da expansão marítima portuguesa no século XV (1420-1460).

Revista Tempo de Conquista, 2008.

O fragmento da Bula Papal traz evidências de que, além da busca de novas rotas para o comércio de especiarias, a Expansão Marítima portuguesa se orientava

A) pela aspiração em conquistar terras para obter a matéria-prima da região.

B) para o combate ao hinduísmo, considerado o grande inimigo do catolicismo.

C) pelo desejo de conquistar novos espaços para propagar a fé cristã.

D) para a expulsão dos muçulmanos que ocupavam a Península Ibérica.

E) pelo interesse dos portugueses em colonizar o continente asiático.

QUESTÃO 24

A expansão islâmica para além da Península arábica é explicada por alguns fatores. Este texto apresenta um deles.

Efetivamente, os povos do Livro gozavam de grande liberdade religiosa, mediante a condição de pagarem a djizya, imposto de capitação do qual estavam isentos os muçulmanos. Este imposto servia para financiar as pensões que os guerreiros árabes muçulmanos e as suas famílias (igualmente beneficiárias de um estatuto social privilegiado) recebiam do Tesouro Central do Estado (dīwān). Os povos conquistados dificilmente podiam ignorar as vantagens da adesão à fé do vencedor e, portanto, muitos dentre eles se converteram ao islã.

FASI, Mohammed El. e HRBEK, Ivan. Etapas do desenvolvimento do Islã e da sua difusão na África. In: FASI, Mohammed El. História geral da África, III: África do século VII ao XI. Brasília: UNESCO, 2010, p. 72.

Glossário

Povos do Livro: Pessoas que possuem religião monoteísta.

Compreende-se, pela leitura do texto, que a tributação imposta pelos muçulmanos aos povos conquistados, não islamizados, contribuiu para o êxito da segunda expansão árabe considerando que

A) ajudou os árabes no controle das rotas comerciais do mar mediterrâneo, aumentando os lucros.

B) contribuiu para que os muçulmanos tivessem uma unidade político-religiosa nas áreas conquistadas.

C) enfraqueceu o poderio militar dos adversários ao aumentarem os impostos dos militares inimigos.

D) obrigou os povos conquistados a se converterem ao islamismo, aumentando a arrecadação.

E) possibilitou a reunificação do território ocupado pelos povos árabes convertidos ao islamismo.

(11)

QUESTÃO 25

“Em 20 de setembro de 1702, o bispo do Rio de Janeiro escreveu uma carta ao rei de Portugal pedindo providências contra as ‘pretas, pardas, e ainda mulheres de outra cor’ que costumavam andar à noite pelas ruas daquela cidade. O bispo pedia então ao rei que todas as ‘escravas ou livres’ ficassem proibidas, sob pena de prisão e pagamentos de multa pecuniária, de circular pelas ruas depois de ‘acabado o sino (e seria conveniente que acabasse antes)’. Solicitava ainda que se lhes proibisse ‘vestirem sedas, garças, e trazerem ouro, mais que as publicamente expostas, porque estes enfeites que vêem em outras, as move poderosamente a imitá-las nos erros’.”

LARA, Silvia Hunold. Fragmentos setecentistas: Escravidão, cultura e poder na América portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 2007, p. 94-95 (adaptado).

O pedido do bispo do Rio de Janeiro contido na carta ao rei de Portugal exemplifica a hierarquização da sociedade colonial, pois demonstra que

A) o acesso a bens materiais poderia promover o questionamento da escravidão.

B) os escravizados eram proibidos por lei de comprar tecido de seda e nem joias.

C) os escravizados tinham grande possibilidade de conseguir a carta de alforria.

D) as mulheres que usavam ornamentos e roupas de seda eram mal vistas na sociedade.

E) as vestimentas eram uma forma de distinção entre os grupos sociais.

QUESTÃO 26

Este é um excerto sobre a utilização de mão de obra indígena no Brasil colônia.

No Estado do Grão-Pará e Maranhão, desde meados do século XVII, luso-brasileiros e padres jesuítas disputavam a mão-de-obra ameríndia existente. Os colonos alegavam que dependiam dos “naturais da terra” para o seu sustento cotidiano, utilizando-os para as mais diferentes tarefas, desde a exploração das drogas dos sertões, até a realização de atividades domésticas.

Devido o alto custo para se adquirir escravos africanos, a utilização da mão-de-obra ameríndia foi a solução encontrada para atender às demandas produtivas desses grupos sociais. Os jesuítas estabelecidos no Vale amazônico justificavam que o controle sobre os

“naturais da terra” significava protegê-los das investidas dos colonos interessados apenas na exploração do seu trabalho.

CHAVES, Otávio Ribeiro. América portuguesa do Tratado de Madri ao Tratado de Santo Ildefonso. Territórios e Fronteiras. Disponível em: https://dialnet.

unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4948006. Acesso em: 22 abr. 2021.

A disputa na região do Grão-Pará e Maranhão envolvendo luso-brasileiros e padres jesuítas provocou mudanças sociais e políticas, pois ela foi resolvida com o

A) o Tratado de Madrid, que anexou terras paraguaias ao território brasileiro.

B) o Marquês de Pombal, que decretou o fim da escravização de indígenas.

C) o Tratado de Santo Idelfonso, que entregou à Espanha a Colônia e as missões.

D) o Tratado de El Pardo, que gerou a invasão espanhola e ocupação de terras do sul.

E) o Tratado de Badajós, que reafirmou: Sacramento para espanhóis e missões para Portugal.

QUESTÃO 27

Leia o texto buscando compreender o papel das duas instituições na colônia portuguesa na América.

No principio da expansão colonizadora das Américas existiam duas instituições - o Estado e a Igreja - estavam responsáveis por organizar o domínio nas colônias locais. A função destas inicialmente estava dividida da seguinte maneira: O Estado tinha consigo a função de administrar e desenvolver uma política de povoamento;

enquanto a Igreja tinha a função de “controle das almas”, cujo objetivo era pregar a obediência ao Estado.

SIGNES, Alice Faria. Apóstolos Divinos ou da Coroa: Jesuítas no Brasil e no Paraguai. Disponível em: http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/

publicacoes/perspectivas-historicas/artigos/11.pdf Acesso em: 14 jun. 2021.

No contexto do Brasil Colônia, as duas instituições se completavam com a função política de

A) acabar com as disputas entre os indígenas e catequizá-los.

B) catequizar os indígenas e promover a unificação das nações.

C) inserir o indígena no modelo de trabalho europeu e catequizá-lo.

D) instruir as indígenas no modelo feminino europeu e batizá-las.

E) promover o assentamento dos colonos e batizar os indígenas.

(12)

QUESTÃO 28

Analise os territórios que compõem o Mapa de Martin Waldseemüller, publicado em 1507.

Martin Waldseemüller. Mapa de Waldseemüller. 1507. Wikimedia Commons.

Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/

File:Waldseemuller_map.jpg. Acesso em: 23 abr. 2021.

Com base na análise dos componentes do mapa, compreende-se que uma das contribuições das Grandes Navegações foi

A) a ampliação do conhecimento cartográfico do mundo.

B) a confirmação de que a terra era, de fato, plana.

C) a consolidação do absolutismo na Península Ibérica.

D) a ausência de inovações em tecnologia de navegação.

E) para os europeus, o descobrimento do continente asiático.

QUESTÃO 29

O Governo-geral foi um sistema administrativo implementado em 1548 pela Coroa Portuguesa face ao fracasso das Capitanias Hereditárias, que centralizava as prerrogativas dos capitães donatários, sempre submetido aos desígnios do monarca português.

Sobre o assunto, analise as atribuições e características a seguir:

I. Centralização da administração da Colônia;

II. Hereditariedade do cargo de Governador-geral;

III. Divisão dos impostos arrecadados entre a Colônia e a Metrópole;

IV. Cargos auxiliares do governador-geral: Ouvidor-mor e Provedor-mor;

V. Objetivo de atrair portugueses interessados em ocupar o território.

Eram características e atribuições do Governo-geral as características indicadas em:

A) I, II e III, apenas.

B) I, II e V, apenas.

C) I, IV e V, apenas.

D) II, III e IV, apenas.

E) II, IV e V, apenas.

QUESTÃO 30

Leia o excerto de um artigo disponibilizado na Revista Brasileira de História, analisando o contexto.

Durante 60 anos, Portugal e Espanha deram novo sentido à Monarquia Católica, controlando além das possessões europeias, grandes áreas ultramarinas na América, África e Ásia. Assim, nas primeiras duas décadas do século XVII o objetivo central da burocracia hispano-lusa era assegurar a posse das imensas regiões de ultramar, nas quatro partes do mundo conhecido, constantemente ameaçadas pelos concorrentes oceânicos: França, Inglaterra, e principalmente Holanda.

No caso do Estado do Brasil essa política iria traduzir-se na criação de novas unidades administrativas que desembocariam na criação do Estado do Maranhão e Grão-Pará em 1621.

CARDOSO, Alírio. A conquista do Maranhão e as disputas atlânticas na geopolítica da União Ibérica (1596-1626). Revista Brasileira de História. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-

01882011000100016&script=sci_arttext. Acesso em: 21 abr. 2021.

A criação dos dois estados brasileiros, em 1621, foi possível graças:

A) à criação da Companhia das Índias Orientais.

B) à promulgação das Ordenações Filipinas.

C) à suspensão do Tratado de Tordesilhas.

D) ao decreto da Trégua dos Doze Anos.

E) ao estabelecimento do Governo-geral no Brasil.

(13)

QUESTÃO 31

Analise o gráfico sobre a produção de açúcar no Nordeste brasileiro durante a presença holandesa no Brasil.

Fonte: SIMONSEN, Roberto. In: AVANCINI, Elsa Gonçalves. Doce inferno: açúcar- guerra e escravidão no Brasil holandês (1580-1654). São Paulo: Atual, 1991, p. 33.

CHAVES, Pollyanna Rodrigues Alves. Banco de imagens.

Belo Horizonte: Instituto Avaliar, 2021.

O motivo que explica o perfil do gráfico após 1645 foi o fato de o açúcar brasileiro ter deixado de ser

A) produzido na região nordestina e passado a ser produzido na região paulista, onde o solo fértil para cultivo propiciava a concentração de engenhos.

B) produzido na região nordestina, pois, com os holandeses expulsos do Brasil, a produção aumentou nas regiões cariocas e paulistas, ultrapassando o Nordeste.

C) um produto de alto valor agregado, obrigando os senhores de engenho a investirem na produção de café, comercialmente mais lucrativa.

D) uma prioridade para os holandeses, que começaram a investir na produção de café na região Nordeste, produto concorrente do açúcar.

E) uma prioridade para os investimentos holandeses que, após a expulsão do Brasil, se voltaram para a produção do açúcar anlhano, concorrente do brasileiro.

Geografia QUESTÃO 32

Leia o trecho da matéria veiculada no jornal espanhol El País.

Nos últimos 30 anos aumentou muito o consumo de carne e também da proteína animal de carne bovina, mas o que cresceu mais é o consumo de frango e de carne suína. De fato, hoje 77% dos animais criados para a alimentação no mundo são frango e porco; e 22%, carne bovina. Os porcos estão ligados fundamentalmente a um sistema de produção intensiva, enquanto na carne bovina isso depende do contexto e da região. E cada espécie contribui para as mudanças climáticas de maneira diferente.

PLANELLES, Manuel. A culpa pela mudança climática não é das vacas, é das pessoas. El País. Madri, 9 ago. 2019. Disponível em: https://brasil.elpais.com/

brasil/2019/08/08/ciencia/1565285624_326508.html. Acesso em: 19 abr. 2021.

O texto permite reconhecer que

A) a produção extensiva é utilizada na criação de todos os tipos de animais para o consumo humano.

B) o alto consumo de carne na alimentação humana está contribuindo com as alterações climáticas.

C) a forma de criação intensiva é responsável por atender todo consumo mundial de carne.

D) o modelo de pecuária extensiva é praticado por todos os países produtores de carne.

E) a carne bovina só pode ser produzida pela pecuária que é praticada de forma intensiva.

QUESTÃO 33

Leia o trecho da matéria sobre o desenvolvimento rural brasileiro.

Ano após ano, o agronegócio brasileiro se mantém como fonte de boas notícias, com as safras crescendo em produtividade e o setor ganhando cada vez mais peso nas exportações e no PIB do país. O trabalho realizado por décadas em laboratórios, como os da Embrapa, para desenvolver sementes e insumos adequados às peculiaridades brasileiras, tornou o país o quinto maior produtor de alimentos do globo e o segundo maior exportador de commodities agropecuárias.

KLANEK, Alessandra. Agronegócio atinge o recorde de 55,8% do total exportado pelo Brasil. Veja. 15 de maio de 2020. Economia. Disponível em: https://veja.abril.com.br/economia/agronegocio-atinge-o-recorde- de-558-do-total-exportado-pelo-brasil/.Acesso em: 19 abr. 2021.

Considerando as informações apresentadas no texto, pode-se reconhecer que o agronegócio brasileiro

A) prioriza a conservação e a proteção do meio ambiente em detrimento da produção.

B) investe em pesquisas e tecnologias para melhorar a produção.

C) possui pouco destaque no mercado internacional.

D) representa uma pequena fatia do PIB do país.

E) abastece somente o mercado interno.

(14)

QUESTÃO 34

Leia o trecho da matéria sobre uma característica do desenvolvimento contemporâneo.

São José dos Campos é a cidade mais inovadora do Brasil, segundo pesquisa mais recente da Endeavor (organização de apoio a empreendedorismo e empreendedores). […] A pesquisa leva em consideração aspectos como a média de investimentos na cidade, infraestrutura tecnológica, além da proporção de mestres e doutores em Ciência e Tecnologia. Segundo a organização, esses são fatores de sucesso para transformar novas ideias em negócios lucrativos.

São José dos Campos é a cidade mais inovadora do país; especialista dá dicas para empreender. G1. Vale do Paraíba e região. 14 nov. 2017. Disponível em: https://g1.globo.

com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/sao-jose-e-a-cidade-mais-inovadora-do-pais-diz-pesquisa-especialista-da-dicas-para-empreender.ghtml. Acesso em: 20 abr. 2021.

A análise do texto indica que São José dos Campos é um tecnopolo porque A) dispensa parcerias com instituições de ensino e pesquisa.

B) coíbe investimentos em infraestrutura avançada.

C) rejeita empresas de tecnologia de ponta.

D) incentiva a criação de novas empresas.

E) atrai mão de obra pouco especializada.

QUESTÃO 35

Observe esta pirâmide etária brasileira dos anos de 2012 e 2019:

IBGE. Pirâmide Etária. Disponível em: https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/18318-piramide-etaria.html. Acesso em: 17 abr. 2021.

Interpretando a pirâmide, pode-se afirmar que, entre 2021 e 2019 houve A) crescimento da população abaixo dos 34 anos de idade.

B) manutenção da população localizada na faixa etária dos 35 aos 39 anos.

C) queda da população de homens e mulheres na faixa dos 45 a 49 anos de idade.

D) aumento da população cujas faixas etárias estão localizadas no topo da pirâmide.

E) ampliação da população masculina sobre a feminina na faixa acima dos 80 anos de idade.

(15)

QUESTÃO 36

Leia o texto que apresenta uma análise sobre o cenário da força de trabalho brasileira.

A taxa média de desocupação para o ano de 2020 foi de 13,5%, a maior desde 2012. [...] Em um ano, o número de empregados com carteira assinada no setor privado teve redução recorde. […] A taxa de informalidade representa 33,3 milhões de pessoas sem carteira assinada, sem CNPJ ou trabalhadores sem remuneração. […] Os desalentados, que desistiram de procurar trabalho devido às condições estruturais do mercado, chegaram a 5,5 milhões de pessoas 2020, uma alta de 16,1% em relação ao ano anterior.

BARROS, Alexandre. Desemprego recua para 13,9% no 4º tri, mas taxa média do ano é a maior desde 2012. Agência IBGE Notícias, 26 fev. 2021. Estatísticas Sociais.

Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012- agencia-de-noticias/noticias/30130-desemprego-recua-para-13-9-no-quarto- trimestre-mas-e-o-maior-para-o-ano-desde-2012. Acesso em: 18 abr. 2021.

A análise dos dados apresentados permite compreender que

A) o mercado de trabalho informal apresentou redução em 2020 apesar do aumento de empregos com carteira assinada.

B) o Brasil se recuperou da crise econômica e reduziu o número de desempregados, trabalhadores informais e desalentados em 2020.

C) o aumento do desemprego, da precarização do trabalho e da informalidade em 2020 acentua a desigualdade social existente no Brasil.

D) a geração de emprego e renda para os brasileiros em 2020 não foi influenciada pelas consequências da pandemia da COVID-19.

E) a alta do desalento no Brasil indica que o mercado de trabalho manteve-se dinâmico e cheio de oportunidades para quem buscasse emprego em 2020.

QUESTÃO 37

Leia o trecho de um relatório publicado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada.

A história da imigração venezuelana é um fenômeno que remonta à década de 1980, por motivos econômicos, seguido por saída de trabalhadores qualificados, nos anos 1990, e recentemente por deslocamentos forçados, fugindo de grave crise de governança. […] A partir dos anos 2000 […] teve início período de forte instabilidade política, social e econômica, que resultou em intenso movimento de saída de venezuelanos, principalmente por terra, para Brasil e Colômbia.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Imigração Venezuela- Roraima: evolução, impactos e perspectivas. Brasília, 2021, p. 41.

Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/

relatorio_institucional/201101_ri_213611.pdf. Acesso: em 18 abr. 2021.

A análise do excerto permite afirmar que a Venezuela A) correspondeu a uma área atrativa para

deslocamentos populacionais até recentemente.

B) atraiu trabalhadores pela sua prosperidade econômica na década de 1980.

C) afugentou a população pela sua estabilidade social nos anos 2000.

D) recebeu imigrantes pela sua solidez política nos anos 2000.

E) repeliu sua mão de obra qualificada na década de 1990.

QUESTÃO 38

Leia o trecho da matéria publicada no jornal Beira do Rio.

O crescimento econômico que vem ocorrendo nas cidades médias nem sempre pode ser traduzido em bem-estar social. “A impressão de prosperidade econômica atrai pessoas para as cidades médias, que nem sempre serão imediatamente inseridas no mercado de trabalho. Um elemento que agrava essa situação é a ausência de planejamento por parte do poder público, que não consegue transformar o crescimento econômico em qualidade de vida” aponta o pesquisador Marcus Vinicius Mariano de Souza.

Cidades médias apresentam crescimento desordenado. Jornal Beira do Rio.

Universidade Federal do Pará, 2019.

Disponível em: https://www.beiradorio.ufpa.br/index.php/2019/110- 149-junho-e-julho/exclusivo-online/331-cidades-medias-apresentam- crescimento-desordenado. Acesso em: 18 abr. 2021.

Considerando o texto, analise as afirmativas:

I. A expansão do tecido urbano sem planejamento dificulta a oferta de equipamentos públicos bem dimensionados para a população, como escolas, postos de saúde, praças e linhas de ônibus.

II. A ampliação descontrolada da área urbana gera aumento da poluição, degradação e até extinção de áreas verdes, reduzindo a qualidade de vida.

III. A orientação de uso e ocupação do solo está relacionada com o melhor desenvolvimento econômico, físico e social dos municípios.

IV. A elaboração de planejamento territorial para as cidades atende interesses econômicos sem considerar o bem-estar da população.

Está correto o que se afirma apenas em A) I e II.

B) I e III.

C) I e IV.

D) I, II e III.

E) II, III e IV.

(16)

QUESTÃO 39

Leia o texto que apresenta uma breve explicação sobre o objetivo das leis antitruste.

As leis antitruste visam garantir a livre concorrência ao impedir a formação de monopólios comerciais, limitando práticas econômicas abusivas e estimulando a competitividade empresarial. Para evitar processos judiciais, grandes empresas que buscam expansão optam por adquirir companhias menores em setores diferentes da sua área de atuação original, tornando-se cada vez maiores e mais poderosas.

Ao analisar o texto, ele descreve o processo de formação do A) cartel.

B) holding.

C) dumping.

D) terceirizado.

E) conglomerado.

QUESTÃO 40

Leia o inciso referente ao primeiro artigo da Lei 9.491 de setembro de 1997 que compreende uma das dinâmicas econômicas do país.

I – Reordenar a posição estratégica do Estado na economia, transferindo à iniciativa privada atividades indevidamente exploradas pelo setor público.

BRASIL. Lei nº 9.491 de 09 de setembro de 1997. Disponível em: http://www.

planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9491.htm#art35. Acesso em: 21 de abr. de 2021.

O texto faz referência ao processo conhecido como A) exportação.

B) estatização.

C) importação.

D) privatização.

E) incorporação.

QUESTÃO 41

Leia o fragmento de uma monografia que aborda parte das consequências da guerra fiscal para a indústria automobilística brasileira.

[…] a estabilização e liberalização da economia brasileira, na década de 1990, resultaram na atração do capital internacional para o país, despertando o interesse dos estados em abrigar tais investimentos em seus territórios. Para isso, os governos estaduais e municipais, principalmente dos estados menos desenvolvidos, estavam dispostos a abrir mão de parte da receita fiscal gerada por esses empreendimentos, bem como em prover, através de gastos públicos, a estrutura necessária à instalação das novas empresas.

SILVA, Nathália Dib da. A guerra fiscal e seus efeitos sobre a indústria automobilística brasileira. Monografia (Bacharelado em Economia) – Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2014. p. 32. Disponível em:

https://pantheon.ufrj.br/bitstream/11422/678/1/MONOGRAFIA%20NATHALIA%20 DIB%20DA%20SILVA%20v2.pdf.

Acesso em: 21 abr. 2021.

Considerando o cenário apresentado no texto, analise as afirmativas.

I. A guerra fiscal retrata a competição entre os estados e municípios para atração de investimentos.

II. A distribuição espacial das indústrias pelo território nacional é influenciada pela disputa fiscal.

III. A isenção de impostos é o único benefício concedido para empresas interessadas.

IV. A política de isenção tributária é fornecida somente pelos estados mais ricos.

Está correto o que se afirma em:

A) I e II.

B) I e III.

C) II e III.

D) II e IV.

E) II, III e IV.

Matemática

QUESTÃO 42

Esta figura representa, de forma esquemática, uma árvore que partiu devido à ação de uma forte ventania. Antes da ventania a árvore tinha altura igual a 8 metros. Sabe-se que ela quebrou no ponto B, sua extremidade tocou o chão no ponto C e o segmento AC mede 4 metros.

LABORÃO, Guilherme Guimarães. Banco de imagens.

Belo Horizonte: Instituto Avaliar, 2021.

Calcula-se que a medida, em metros, da parte da árvore que ficou tombada é igual a:

A) 3 B) 4 C) 5 D) 6 E) 8

(17)

QUESTÃO 43

Leia estas informações para resolver o problema apresentado:

Estudos apontam que o número N de pessoas de determinada cidade está decrescendo em função do tempo t, dado em anos, segundo a função:

N t N0.30 02, t, onde N0 é a população inicial dessa cidade.

Em quantos anos a população dessa cidade será reduzida à sua terça parte?

A) 5 B) 20 C) 25 D) 50 E) 100

QUESTÃO 44

Preste atenção nestas informações para resolver o problema apresentado.

Ao longo dos últimos anos alguns biólogos estudaram o crescimento de determinada espécie de árvore. Após analisar os resultados, concluíram que essa espécie cresce de acordo com a função ht = 0,02 ∙ 20,08t, sendo t o tempo em meses, a partir do instante que a muda começou a ser analisada e h(t) a altura, em metros, em cada mês observado.

Avalia-se que o tempo necessário para que essa planta atinja a altura de 20,48 metros é de

A) 1,25 meses.

B) 12,5 meses.

C) 50 meses.

D) 125 meses.

E) 500 meses.

QUESTÃO 45

A figura representa a área do quintal de uma casa. Neste quintal será construído um jardim, formado por dois setores circulares de 90° e uma parte retangular.

LABORÃO, Guilherme Guimarães. Banco de imagens.

Belo Horizonte: Instituto Avaliar, 2021.

Considere π = 3,14. Identifica-se que o tamanho da área em m2 desse jardim é de

A) 62,24 m2. B) 59,24 m2. C) 41,12m2. D) 37,12 m2. E) 34,12 m2.

QUESTÃO 46

O compasso é um instrumento de medida muito utilizado no desenho técnico. É constituído de duas hastes de mesmo comprimento, cujas extremidades se afastam e se aproximam, tendo como principais funcionalidades traçar circunferências e marcar medidas.

Disponível em: https://pixabay.com/illustrations/pen-brush-compass- pencil-drawing-1340001/Acesso em: 21 abr. 2021 (adaptado).

Em um curso de desenho técnico um aluno utiliza seu compasso com hastes medindo 10 cm ajustado com uma abertura de 120º. Ele marca em uma reta o segmento AB, conforme a figura. Considerando a aproximação 3 1 7= , verifica-se que a medida, em centímetros, do segmento AB é igual a

A) 8,5.

B) 10.

C) 11,8.

D) 17.

E) 34.

(18)

QUESTÃO 47

Em prédios comerciais é comum a instalação de dois elevadores (as vezes até mais) para agilizar o fluxo de pessoal entre os andares.

Em um prédio comercial foram instalados 2 elevadores para o trânsito de pessoas. Em determinado momento um dos elevadores estava parado no 7º andar, enquanto o outro estava parado em um andar x, com x ≠ 7.

A expressão que representa o número de andares que um elevador estará acima do outro é:

A) 7−x B) x+7 C) 7 − x D) x − 7 E) x + 7

QUESTÃO 48

Preste atenção nestas informações para resolver o problema apresentado.

Alguns supermercados fazem vendas no atacado, ou seja, permitem que os clientes comprem grandes quantidades de um mesmo produto. Oferecem aos clientes preços diferenciados em relação aos preços praticados em um supermercado comum.

Um determinado supermercado que realiza vendas no atacado oferece os seguintes preços para um determinado produto: levando até 10 caixas o cliente paga R$ 7,50 por cada caixa e levando acima de 10 caixas o preço da caixa passa a ser R$ 5,50.

O preço P, a ser pago pela compra de n caixas desse produto pode ser representado pela lei

A) P n n se n n se n

( ) , ,

, ,

7 5 10

5 5 10

B) P n n se n n se n

( ) , ,

, ,

7 5 10

5 5 10

C) P n n se n n se n

( ) , ,

, ,

5 5 10

7 5 10

D) P n n se n n se n

( ) , ,

, ,

5 5 10

7 5 10

E) P n n se n n se n

( ) , ,

, ,

5 5 10

7 5 10

QUESTÃO 49

Uma cultura de bactérias tem crescimento modelado pela função N t( )No3kt2 , sendo N o número de bactérias, em função do tempo t, dado em horas, N0 o número de bactérias para t = 0 e k um número natural diferente de zero. Alguns pontos dessa função estão destacados neste gráfico:

LABORÃO, Guilherme Guimarães. Banco de imagens. Belo Horizonte:

Instituto Avaliar, 2021.

Na situação descrita, calcula-se que o valor da incógnita k é igual a

A) 2,5.

B) 4.

C) 5.

D) 6.

E) 10.

Imagem

Referências

temas relacionados :