Atlas Brasil Energia Holding 2 S.A. Demonstrações financeiras individuais e consolidadas em 31 de dezembro de 2021

Texto

(1)

Holding 2 S.A .

Demonstrações financeiras individuais e consolidadas em 31 de dezembro de 2021

(2)

Conteúdo

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras

individuais e consolidadas 3

Balanços patrimoniais 6

Demonstrações do resultado 7

Demonstrações do resultado abrangente 8 Demonstrações das mutações do patrimônio líquido 9 Demonstrações dos fluxos de caixa 10 Notas explicativas às demonstrações financeiras individuais e consolidadas 12

(3)

04711-904 - São Paulo/SP - Brasil

Caixa Postal 79518 - CEP 04707-970 - São Paulo/SP - Brasil Telefone +55 (11) 3940-1500

kpmg.com.br

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras individuais e consolidadas

Aos Acionistas e Diretores da  Atlas Brasil Energia Holding 2 S.A. 

São Paulo – SP  

Opinião 

Examinamos as demonstrações financeiras individuais e consolidadas da Atlas Brasil Energia Holding 2 S.A. 

(Companhia), identificadas como controladora e consolidado, respectivamente, que compreendem o  balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2021 e as respectivas demonstrações do resultado, do  resultado abrangente, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo  nessa data, bem como as correspondentes notas explicativas, compreendendo as políticas contábeis  significativas e outras informações elucidativas. 

Opinião sobre as demonstrações financeiras individuais 

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras individuais acima referidas apresentam adequadamente,  em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira, individual, da Atlas Brasil Energia  Holding 2 S.A. em 31 de dezembro de 2021, o desempenho individual e consolidado de suas operações e  os seus respectivos fluxos de caixa individuais para o exercício findo nessa data, de acordo com as práticas  contábeis adotadas no Brasil. 

Opinião sobre as demonstrações financeiras consolidadas 

Em nossa opinião, as demonstrações consolidadas acima referidas apresentam adequadamente, em todos  os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira, consolidada, da Atlas Brasil Energia Holding 2  S.A. em 31 de dezembro de 2021, o desempenho individual e consolidado de suas operações e os seus  respectivos fluxos de caixa consolidados para o exercício findo nessa data, de acordo com as práticas  contábeis adotadas no Brasil e com as normas internacionais de relatório financeiro (IFRS) emitidas pelo  International Accounting Standards Board (IASB). 

       

(4)

Somos independentes em relação à Companhia suas controladas, de acordo com os princípios éticos  relevantes previstos no Código de Ética Profissional do Contador e nas normas profissionais emitidas pelo  Conselho Federal de Contabilidade, e cumprimos com as demais responsabilidades éticas de acordo com  essas normas. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar  nossa opinião.

Responsabilidades da administração pelas demonstrações financeiras individuais e consolidadas  

A administração é responsável pela elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras  individuais de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, e pela elaboração e adequada  apresentação das demonstrações financeiras consilidadas de acordo com as práticas contábeis adotadas  no Brasil e com as normas internacionais de relatório financeiro (IFRS), emitidas pelo International  Accounting Standards Board (IASB), e pelos controles internos que ela determinou como necessários para  permitir a elaboração de demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se  causada por fraude ou erro. 

Na elaboração das demonstrações financeiras individuais e consolidadas, a administração é responsável  pela avaliação da capacidade de a Companhia continuar operando, divulgando, quando aplicável, os  assuntos relacionados com a sua continuidade operacional e o uso dessa base contábil na elaboração das  demonstrações financeiras, a não ser que a administração pretenda liquidar a Companhia e suas 

controladas ou cessar suas operações, ou não tenha nenhuma alternativa realista para evitar o  encerramento das operações. 

Responsabilidades dos auditores pela auditoria das demonstrações financeiras individuais e  consolidadas 

Nossos objetivos são obter segurança razoável de que as demonstrações financeiras individuais e  consolidadas, tomadas em conjunto, estão livres de distorção relevante, independentemente se causada  por fraude ou erro, e emitir relatório de auditoria contendo nossa opinião. Segurança razoável é um alto  nível de segurança, mas não uma garantia de que a auditoria realizada de acordo com as normas 

brasileiras e internacionais de auditoria sempre detectam as eventuais distorções relevantes existentes. As  distorções podem ser decorrentes de fraude ou erro e são consideradas relevantes quando, 

individualmente ou em conjunto, possam influenciar, dentro de uma perspectiva razoável, as decisões  econômicas dos usuários tomadas com base nas referidas demonstrações financeiras. 

Como parte da auditoria realizada de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria,  exercemos julgamento profissional e mantemos ceticismo profissional ao longo da auditoria. Além disso: 

Identificamos e avaliamos os riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras individuais e  consolidadas, independentemente se causada por fraude ou erro, planejamos e executamos 

procedimentos de auditoria em resposta a tais riscos, bem como obtemos evidência de auditoria  apropriada e suficiente para fundamentar nossa opinião. O risco de não detecção de distorção  relevante resultante de fraude é maior do que o proveniente de erro, já que a fraude pode envolver o  ato de burlar os controles internos, conluio, falsificação, omissão ou representações falsas intencionais. 

Obtemos entendimento dos controles internos relevantes para a auditoria para planejarmos 

procedimentos de auditoria apropriados às circunstâncias, mas, não, com o objetivo de expressarmos  opinião sobre a eficácia dos controles internos da Companhia e suas controladas. 

Avaliamos a adequação das políticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis e  respectivas divulgações feitas pela administração. 

(5)

divulgações forem inadequadas. Nossas conclusões estão fundamentadas nas evidências de auditoria  obtidas até a data de nosso relatório. Todavia, eventos ou condições futuras podem levar a Companhia  e suas controladas a não mais se manterem em continuidade operacional. 

Avaliamos a apresentação geral, a estrutura e o conteúdo das demonstrações financeiras, inclusive as  divulgações e se as demonstrações financeiras individuais e consolidadas representam as 

correspondentes transações e os eventos de maneira compatível com o objetivo de apresentação  adequada. 

Obtemos evidência de auditoria apropriada e suficiente referente às informações financeiras das  entidades ou atividades de negócio do grupo para expressar uma opinião sobre as demonstrações  financeiras individuais e consolidadas. Somos responsáveis pela direção, supervisão e desempenho da  auditoria do grupo e, consequentemente, pela opinião de auditoria.  

Comunicamo‐nos com a administração a respeito, entre outros aspectos, do alcance planejado, da época  da auditoria e das constatações significativas de auditoria, inclusive as eventuais deficiências significativas  nos controles internos que identificamos durante nossos trabalhos.  

 

São Paulo, 27 de abril de 2022. 

KPMG Auditores Independentes Ltda. 

CRC 2SP014428/O‐6   

   

Daniel A. da S. Fukumori  Contador CRC 1SP245014/O‐2    

 

(6)

Ativo Nota 31/12/2021 31/12/2020 31/12/2021 31/12/2020 Passivo Nota 31/12/2021 31/12/2020 31/12/2021 31/12/2020

Caixa e equivalentes de caixa 8 3.303 7.301 56.462 8.049 Fornecedores 13 1.089 404 1.550 5.077

Contas a receber de partes relacionadas 19 454 7.222 454 7.166 Imposto de renda e contribuição social 18 205 - 419 -

Impostos a recuperar 7 15 12 93 Obrigações fiscais 52 87 55 117

Imposto de renda e contribuição social a recuperar 34 23 39 23 Obrigações sociais e trabalhistas 14 532 6.328 533 6.342 Adiantamento a fornecedores 34 55 2.046 782 Passivo de arrendamento 10 - 458 - 458 Outras contas a receber 7 13 1 19 Outras contas a pagar 13 45 60 209 269

Total do ativo circulante 3.839 14.629 59.014 16.132 Total do passivo circulante 1.923 7.337 2.766 12.263

Investimentos em controladas 9 67.103 3.591 - - Provisão a passivo descoberto 9 - 127 - -

Direito de uso 10 - 838 - 838 Imposto de renda e contribuição social diferidos - 2.255 - 2.255

Imobilizado 11 10 109 12.781 6.996 Passivo de arrendamento 10 - 404 - 404

Intangível 12 40.038 - 40.038 -

Total do passivo não circulante - 2.786 - 2.659 Total do ativo não circulante 107.151 4.538 52.819 7.834

Patrimônio líquido 15

Capital social 133.153 9.963 133.153 9.963

Prejuízos acumulados (24.086) (919) (24.086) (919)

Total do patrimônio líquido 109.067 9.044 109.067 9.044

Total do ativo 110.990 19.167 111.833 23.966 Total do passivo e patrimônio líquido 110.990 19.167 111.833 23.966

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

Controladora Consolidado Controladora Consolidado

(7)

Nota 2021 2020 2021 2020

Despesas operacionais

Despesas gerais e administrativas 16 (17.459) (4.663) (23.888) (6.998)

Outras receitas operacionais 144 1.154 144 971

Resultado antes das receitas (despesas) financeiras líquidas e impostos

(17.315) (3.509) (23.744) (6.027)

Despesas financeiras 17 (277) (23) (341) (117)

Receitas financeiras 17 487 79 1.162 81

Resultado financeiro líquido 210 56 821 (36)

Resultado de equivalência patrimonial 9 (6.040) (2.610) - -

Resultado antes dos impostos (23.145) (6.063) (22.923) (6.063)

Imposto de renda e contribuição social correntes 18 (205) - (427) -

Prejuízo líquido do exercício (23.350) (6.063) (23.350) (6.063)

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

Controladora Consolidado

(8)

2021 2020 2021 2020

Prejuízo líquido do exercício (23.350) (6.063) (23.350) (6.063) Outros resultados abrangentes - - - - Resultado abrangente do exercício (23.350) (6.063) (23.350) (6.063)

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

Controladora Consolidado

(9)

Nota Capital subscrito

Capital a integralizar

Prejuízos

acumulados Total

Saldos em 05 de março de 2020 - - - - Subscrição e integralização de capital social 9.963 - - 9.963 Transações de capital - - 767 767 Transações de capital 16.b - - 4.377 4.377 Prejuízo do exercício - - (6.063) (6.063) Saldos em 31 de dezembro de 2020 9.963 - (919) 9.044 Subscrição de capital social 164.274 (164.274) - - Integralização de capital social - 132.942 - 132.942 Capital social cindido em 30 de novembro de 2021 (9.752) - - (9.752) Reversão imposto de renda e contribuição diferidos sobre transação de

capital de 2020 16.b - - 2.255 2.255 Transferência de investimentos - - (6.541) (6.541) Transações de capital - - 4.469 4.469 Prejuízo do exercício - - (23.350) (23.350) Saldos em 31 de dezembro de 2021 164.485 (31.332) (24.086) 109.067

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

(10)

Nota 2021 2020 2021 2020 Fluxo de caixa das atividades operacionais

Resultado antes do imposto de renda e contribuição social (23.145) (6.063) (22.923) (6.063) Ajustes para reconciliar o resultado do período com recursos provenientes de

atividades financeiras:

Depreciação do ativo de direito de uso 10 457 152 457 152

Juros sobre passivo de arrendamento 10 41 20 41 20

Resultado de equivalência patrimonial 9 6.040 2.610 - - (16.607) (3.281) (22.425) (5.891) Redução (aumento) nos ativos operacionais: Contas a receber partes relacionadas (14.825) (7.222) (14.899) (3.269) Impostos a recuperar 15 (38) 87 (31)

Imposto de renda e contribuição social a recuperar (294) - (302) -

Outras contas a receber (395) (13) (1.122) 126

Adiantamento a fornecedores (300) (56) (1.661) (360)

Aumento (redução) nos passivos operacionais: Fornecedores 6.209 405 15.024 (669)

Obrigações sociais e trabalhistas 3.275 4.263 3.262 4.263 Obrigações fiscais (35) 87 (6) (6)

Outras contas a pagar 35 25 386 62

Caixa aplicado nas atividades operacionais (22.922) (5.830) (21.656) (5.775) Impostos renda e contribuição social pagos - - (8) -

Caixa líquido aplicado nas atividades operacionais (22.922) (5.830) (21.664) (5.775) Fluxo de caixa das atividades de investimento Aporte de capital em investidas 9 (63.418) - - - Aquisição de intangível 12 (40.038) - (40.038) 68

Aquisição de ativo imobilizado 11 (55) (109) (12.320) (109)

Caixa líquido aplicado nas atividades de investimento (103.511) (109) (52.358) (41)

Fluxo de caixa das atividades de financiamento Pagamento de principal e juros de passivo de arrendamento 10 (499) (148) (499) (148) Caixa líquido gerado (cindido) do processo de reorganização societária 22 (10.008) 13.388 (10.008) 14.013

Integralização de capital social 15.a 132.942 - 132.942 -

Caixa líquido gerado pelas atividades de financiamento 122.435 13.240 122.435 13.865

Aumento líquido / (Redução) líquida no saldo de caixa e equivalentes de caixa (3.998) 7.301 48.413 8.049 Caixa e equivalentes de caixa no início do exercício 8 7.301 - 8.049 - Caixa e equivalentes de caixa no final do exercício 8 3.303 7.301 56.462 8.049

(3.998)

7.301 48.413 8.049

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

Controladora Consolidado

(11)

Notas explicativas às demonstrações financeiras individuais e consolidadas

1 Contexto operacional

A Atlas Brasil Energia Holding 2 S.A. (“Companhia”) é uma holding, constituída na forma de sociedade anônima de capital fechado domiciliada no Brasil, com sede na cidade de São Paulo, estado de São Paulo.

A Companhia tem como controlador integral a Sociedade Brasil Solar Fundo de Investimento em Participação Multiestratégia.

A Companhia foi constituída em 05 de março de 2020 com o objetivo de centralizar os projetos e investimentos em fase de desenvolvimento. Em fevereiro de 2021, a Companhia realizou a cisão parcial com o objetivo de segregar o acervo do Grupo, afim de manter na Companhia apenas os projetos em fase pré-operacional, conforme descrito na nota explicativa nº1.3a.ii.

As movimentações dos investimentos em suas controladas podem ser observadas na nota explicativa n° 9.

As demonstrações financeiras individuais e consolidadas da Companhia abrangem a Companhia e suas controladas (conjuntamente referidas como “Companhia” ou “Grupo”). O Grupo está envolvido primariamente na geração de energia elétrica por fonte fotovoltaica.

1.1 Efeitos COVID-19

Em 31 de janeiro de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou que o corona vírus (COVID-19) é uma emergência de saúde global. O surto desencadeou decisões significativas de governos e entidades do setor privado, que somadas ao impacto potencial do surto, aumentaram o grau de incerteza para os agentes econômicos.

A portaria 188 de 03 de fevereiro de 2020 assinada pelo Ministro da Saúde, declara Estado de Emergência Pública e o Congresso Nacional aprova em caráter de urgência um projeto de Lei com medidas contra o Covid-19, promulgando o isolamento e separação de pessoas doentes ou contaminadas; quarentena, restrição de atividades; realização de exames médicos e vacinação;

restrição de entrada e saída no país entre outras.

Em virtude dos efeitos causados pela pandemia e com intuito de garantir a saúde de seus colaboradores, a Administração instituiu uma equipe de técnica de saúde na planta em construção, composta por um médico e duas enfermeiras para acompanhamento periódico das equipes em campo.

A Administração instituiu alguns procedimentos para entrada e permanência na planta, atendendo aos requerimentos básicos de saúde instituído pela ONS. Sendo assim a Administração mantém a obrigatoriedade do uso de máscaras, álcool em gel, distanciamento social, medição periódica da temperatura, testes de COVID periódicos para entrada na planta, desinfecção periódica dos ambientes da planta, além do acompanhamento diário da vacinação da equipe e promoção de campanhas de alertas e informativos a respeito dos cuidados com a COVID-19 para equipe e população na região do entorno da planta.

(12)

A Companhia e suas controladas não aderiram ao longo deste período nenhuma suspensão temporária de cunho trabalhista, tributário ou financeiro junto a seus credores.

Na data de emissão destas demonstrações financeiras, a Companhia e suas controladas avaliaram os possíveis impactos do COVID-19 em seus negócios, e concluiram que não são detectados riscos substanciais que possam afetar o curso normal de suas operações.

1.2 Autorizações para exploração

As Controladas receberam autorização para geração de energia elétrica por fonte fotovoltaica, conforme apresentado no quadro abaixo.

A tabela a seguir resume as características de cada controlada:

As controladas indiretas Lar do Sol I, II e III terão suas operações dedicadas ao suprimento dos contratos de venda de energia firmados diretamente com sua controladora Atlas Lar do Sol Holding Ltda, com o início a partir 01 de janeiro de 2024 para suprir os contratos de venda firmados, pela controlada, bilateralmente no ambiente de contratação livre.

1.3 Reorganização societária

a) Reorganizações societárias ocorridas durante o exercício findo de 31 de dezembro de 2020

i. Incorporação

Conforme Assembleia Geral Extraordinária, em 10 de julho de 2020, foi aprovada a cisão parcial da Atlas Energia Renovável do Brasil S.A., deliberando a reorganização societária na qual parte de seus investimentos foram cindidos para a Companhia.

O objetivo da reorganização societária, teve por finalidade segregar os portfólios do grupo que estão em estágio de desenvolvimento e pré-operacionais, daqueles que se encontram em operação comercial. Os ativos líquidos recebidos pela Companhia correspondem a projetos em desenvolvimento e pré-operacionais.

O balanço patrimonial base para a reorganização societária foi de 31 de julho de 2020. Assim, os resultados apurados a partir de 01 de agosto de 2020 fazem parte das demonstrações financeiras consolidadas. Abaixo seguem os acervos patrimoniais cindidos e incorporados nas demonstrações financeiras individuais e consolidada da Companhia:

Usina Período da

autorização Potência (MW) Início de operação

comercial Status Ambiente

Contratação Estado

UFV LAR DO SOL I 09/04/2019 a

09/03/2054 99,00 01/2023 Em construção ACL MG

UFV LAR DO SOL II 09/04/2019 a

09/03/2054 49,50 01/2023 Em construção ACL MG

UFV LAR DO SOL III 09/04/2019 a

09/03/2054 49,50 01/2023 Em construção ACL MG

(13)

Nota Controladora Acervo incorporado - 31 de julho de 2020

Atlas Brasil Energia Holding

2 S.A.

Ativo

Equivalentes de caixa 8 13.388

Total do ativo circulante 13.388

Investimento - Atlas Brasil Comercializadora de Energia 9 (580)

Total do ativo não circulante (580)

Total do ativo 12.808

Passivo

Obrigações sociais e trabalhistas 14 2.078

Total do passivo circulante 2.078

Patrimônio Líquido

Capital social 15 10.730

Total do patrimônio líquido 10.730

Total do passivo e patrimônio líquido 12.808

(14)

Nota Consolidado Acervo incorporado - 31 de julho de 2020

Atlas Brasil Energia Holding 2

S.A.

Ativo

Equivalentes de caixa 8 13.467

Contas a receber partes relacionadas 19 3.898

Impostos a recuperar 102

Total do ativo circulante 17.467

Imobilizado 11 413

Intangível 12 67

Total do ativo não circulante 480

Total do ativo 17.947

Passivo

Fornecedores 13 46

Obrigações fiscais 81

Obrigações sociais e trabalhistas 14 1.952

Fornecedores partes relacionadas 19 5.136

Total do passivo circulante 7.215

Patrimônio Líquido

Capital social 15 26.025

Prejuízos acumulados 15 (15.293)

Total do patrimônio líquido 10.732

Total do passivo e patrimônio líquido 17.947

(15)

ii. Compra de participações societárias

a. Em 04 de novembro de 2020, em complemento ao processo de reorganização societária, a Companhia adquiriu o controle direto das Companhias fotovoltaicas de Lar do Sol, que são as seguintes: Usina de Energia Fotovoltaica Lar do Sol I S.A., Usina de Energia Fotovoltaica Lar do Sol II S.A e Usina de Energia Fotovoltaica Lar do Sol III S.A, sendo que os saldos dos patrimônios líquido na data da aquisição do controle encontravam-se negativos em R$

38.

O objetivo de tal aquisição está relacionada ao processo adiantado de obtenção das licenças e autorizações para construção das fontes fotovoltaicas destas Companhias. Em 31 de dezembro de 2020, a Companhia registrou uma provisão para passivo a descoberto relativa a esses investimentos no montante de R$ 128, uma vez que a Companhia assumiu determinadas obrigações legais em relação a essa investida.

b. Em 13 de dezembro de 2020, em complemento ao processo de reorganização societária a Companhia adquiriu de sua parte relacionada Atlas Casablanca Comercializadora de Energia Ltda., o controle integral das Companhias fotovoltaicas que formam o complexo CasaBlanca. Como consequência dessa aquisição conforme demonstrado resumidamente abaixo, a Companhia reconheceu os ativos líquidos das Companhias Central Fotovoltaica CasaBlanca I Ltda., Central Fotovoltaica CasaBlanca II Ltda., Central Fotovoltaica CasaBlanca III Ltda., Central Fotovoltaica CasaBlanca IV Ltda., Central Fotovoltaica CasaBlanca V Ltda., Central Fotovoltaica CasaBlanca VI Ltda.

Nota Controladora

Ativo 13/12/2020

Investimento em Controladas 8 6.692

Total do ativo reconhecido 6.692

Total do acervo líquido comprado 6.692

Ganho reconhecido pela compra 15.b 6.692

Nota Consolidado

Ativo 13/12/2020

Caixa e equivalentes de caixa 8 546

Impostos a recuperar 3

Adiantamento a fornecedores 420

Outras contas a receber 1

Imobilizado 11 6.474

Total do ativo reconhecido 7.444

(16)

Passivo 13/12/2020

Fornecedores 13 600

Outras contas a pagar 13 152

Total do passivo reconhecido 752

Total do acervo líquido comprado 6.692

Valor pago pelos ativos líquidos (60)

Imposto de renda e contribuição social diferidos (2.255)

Ganho reconhecido pela venda, líquido dos tributos diferidos 4.377

b) Reorganizações societárias ocorridas durante o exercício findo de 31 de dezembro de 2021

i. Transferência de investimentos

Conforme alteração contratual ocorrida em 28 de fevereiro de 2021 foi realizada transferência dos investimentos nas SPEs Usina de Energia Fotovoltaica Lar do Sol I S.A., Usina de Energia Fotovoltaica Lar do Sol II S.A. e Usina de Energia Fotovoltaica Lar do Sol III S.A. para a Controlada do Grupo, Lar do Sol Holding Ltda., passando a Companhia a deter o controle indireto dos respectivos investimentos. Os saldos objeto da transferência de controle estão demonstrados a seguir:

Saldos transferidos

Ativo 28/02/2021

Caixa e equivalentes de caixa 111

Adiantamento a fornecedores 1

Total do ativo 112

Passivo 28/02/2021

Fornecedores 204

Outras contas a pagar 135

Total do passivo 339

Patrimônio líquido transferido

Capital social 5.548

Prejuízos acumulados (5.775)

Patrimônio líquido (227)

(17)

ii. Cisão parcial

Conforme Assembleia Geral Extraordinária, em 30 de novembro de 2021, foi aprovada a cisão parcial da Companhia, deliberando a reorganização societária na qual parte de seus investimentos foram cindidos para o Grupo Atlas Brasil Energia Holding 3 S.A.

O objetivo da reorganização societária é segregar os portfólios do Grupo que estão em diferentes estágios. Os ativos líquidos cindidos pela Companhia correspondem a projetos em desenvolvimento e pré-operacionais.

O balanço patrimonial base para a reorganização societária foi de 30 de novembro de 2021.

Assim, os resultados apurados, com base no valor de custo, a partir de 30 de novembro de 2021 fazem parte das demonstrações financeiras individuais e consolidadas. Abaixo seguem os acervos patrimoniais cindidos nas demonstrações financeiras individuais e consolidadas da Companhia:

Acervo cindido - 30 de novembro de 2021 Atlas Brasil Energia Holding 2 S.A.

Nota Controladora Consolidado

Ativo

Equivalentes de caixa 8 10.008 10.008

Contas a receber 1 18

Partes relacionadas 18 21.593 21.593

Imposto de renda e contribuição social 283 286

Impostos a recuperar (7) (7)

Adiantamento a fornecedores 322 333

Outras contas a receber 390 1.130

Total do ativo circulante 32.590 33.361

Ativo direito de uso 10 419 419

Imobilizado 11 154 607

Intangível - 68

Total do ativo não circulante 573 1.094

Total do ativo 33.163 34.455

(18)

Passivo Nota Controladora Consolidado

Fornecedores 436 947

Obrigações sociais e trabalhistas 13 9.071 9.071

Obrigações fiscais - 56

Partes relacionadas 18 10.455 17.043

Outras contas a pagar 12 277 449

Passivo de arrendamento 443 443

Total do passivo circulante 20.682 28.009

Provisão para passivo a descoberto (b) 9 6.035 -

Total do passivo não circulante 6.035 -

Patrimônio Líquido

Capital social – data do laudo de cisão 14 6.446 6.446

Total do patrimônio líquido 6.446 6.446

Total do passivo e patrimônio líquido 33.163 34.455

a. Decorrente do processo de reorganização societária, a Companhia reconheceu um ganho no montante de R$ 4.469 como transação de capital, decorrente à variação ocorrida no acervo cindido entre a data do laudo de cisão, realizado com data base em 31 de outubro de 2021, e a data da efetivação do processo de cisão, ocorrida em 30 de novembro de 2021, conforme informado na nota explicativa 15.c.;

b. Corresponde aos investimentos nas Companhias:

 Atlas Brasil Comercializadora de Energia Ltda;

 Central Fotovoltaica Boa Sorte 1 SPE Ltda.;

 Central Fotovoltaica Boa Sorte 2 SPE Ltda.;

 Central Fotovoltaica Boa Sorte 3 SPE Ltda.;

 Central Fotovoltaica Boa Sorte 4 SPE Ltda.; e

 Central Fotovoltaica Boa Sorte 5 SPE Ltda..

(19)

2 Relação de entidades controladas

Segue abaixo lista das controladas do Grupo:

Participação acionária %

Participação acionária %

Controladas País 2021 2020

Altas Lar do Sol Holding Ltda. (a) Brasil Direta 100% Direto 100%

Usina de Energia Fotovoltaica Lar do Sol I S.A. (b) Brasil Indireta 100% Direto 100%

Usina de Energia Fotovoltaica Lar do Sol II S.A. (b) Brasil Indireta 100% Direto 100%

Usina de Energia Fotovoltaica Lar do Sol III S.A. (b) Brasil Indireta 100% Direto 100%

Central Fotovoltaica Boa Sorte 1 SPE Ltda. (c) Brasil - Direto 100%

Central Fotovoltaica Boa Sorte 2 SPE Ltda. (c) Brasil - Direto 100%

Central Fotovoltaica Boa Sorte 3 SPE Ltda. (c) Brasil - Direto 100%

Central Fotovoltaica Boa Sorte 4 SPE Ltda. (c) Brasil - Direto 100%

Central Fotovoltaica Boa Sorte 5 SPE Ltda. (c) Brasil - Direto 100%

Atlas Brasil Comercializadora de Energia Ltda Brasil - Direto 100%

a. Anteriormente denominada Central Fotovoltaica Casablanca I Ltda. A Companhia passou por reorganização a fim de centralizar os investimentos das Companhias Lar do Sol I, II e III.

b. As controladas foram constituídas entre setembro e outubro de 2018, e tem como objeto social a implantação e exploração da usina de geração de energia elétrica por fonte fotovoltaica;

c. As Companhias sofreram alteração na denominação social. As Companhias com alteração na denominação referem-se: Central Fotovoltaica CasaBlanca II Ltda., Central Fotovoltaica CasaBlanca III Ltda., Central Fotovoltaica CasaBlanca IV Ltda., Central Fotovoltaica CasaBlanca V Ltda., Central Fotovoltaica CasaBlanca VI Ltda.

3 Base de preparação

Declaração de conformidade

As demonstrações financeiras, individuais foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, e as demonstrações financeiras consolidadas foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com as normas internacionais de relatório financeiro International Financial Reporting Standards – IFRS emitidas pelo International Accounting Standards Board (IASB). No caso da Companhia, essas práticas diferem das normas internacionais de contabilidade (International Financial Reporting Standards – IFRS), somente no que se refere à provisão para passivo a descoberto na controladora, em relação aos investimentos mantidos em suas controladas.).

As informações relevantes próprias das demonstrações financeiras individuais e consolidadas, e somente elas, estão sendo evidenciadas e correspondem às utilizadas pela administração na sua gestão.

A emissão das demonstrações financeiras individuais e consolidadas foi autorizada pela Diretoria

(20)

Base de mensuração

As demonstrações financeiras individuais e consolidadas foram preparadas com base no custo histórico, com exceção dos seguintes itens materiais reconhecidos nos balanços patrimoniais:

 Aplicação financeira que é mensurada ao valor justo.

4 Moeda funcional e moeda de apresentação

A moeda funcional da Companhia e suas controladas é o Real, e essas demonstrações financeiras estão sendo apresentadas em milhares de reais. Todos os saldos foram arredondados para o milhar mais próximo, exceto quando indicado de outra forma.

5 Uso de estimativas

Na preparação destas demonstrações financeiras individuais e consolidadas, a Administração utilizou estimativas que afetam a aplicação das políticas contábeis do Grupo e os valores reportados dos ativos, passivos, receitas e despesas. Os resultados reais podem divergir dessas estimativas.

As estimativas e premissas são revisadas de forma contínua. As revisões das estimativas são reconhecidas prospectivamente.

a. Incertezas sobre premissas e estimativas

As informações sobre as incertezas relacionadas a premissas e estimativas em 31 de dezembro de 2021 que possuem um risco significativo de resultar em um ajuste material nos saldos contábeis de ativos e passivos no próximo ano fiscal estão incluídas nas seguintes notas explicativas:

Vida útil dos ativos tangíveis – Nota Explicativa nº 11: Refere-se a ativos de imobilizados de uso, a depreciação é feita pelo método linear, com base nas taxas anuais. A determinação da vida útil dos ativos é estimada pela Administração com base na estimativa de tempo de geração de recursos que tal ativo espera prover

Redução ao valor recuperável de ativos (Impairment) – Nota explicativa nº 11:Análise de eventos que possam indicar a perda do valor recuperável dos ativos reconhecidos até 31 de dezembro de 2021.

Intangível – Nota explicativa nº 12: Principais premissas em relação aos valores recuperáveis;

Instrumentos financeiros – Nota explicativa nº 20: Principais premissas utilizadas na mensuração do valor justo.

6 Principais políticas contábeis

As principais políticas contábeis utilizadas na preparação dessas demonstrações financeiras individuais e consolidadas estão definidas abaixo. Essas políticas foram aplicadas de maneira consistente em todos os períodos apresentados e evidenciam todas as informações relevantes próprias das demonstrações financeiras individuais e consolidadas.

(21)

a. Base de consolidação (i) Controladas

O Grupo controla uma entidade quando está exposto a, ou tem direito sobre, os retornos variáveis advindos de seu envolvimento com a entidade e tem a habilidade de afetar esses retornos exercendo seu poder sobre a entidade. As demonstrações financeiras individuais e consolidadas de controladas são incluídas nas demonstrações financeiras individuais e consolidadas da Companhia a partir da data em que obtiver o controle até a data em que o controle deixa de existir.

Nas demonstrações financeiras individuais da controladora, as informações financeiras de controladas são reconhecidas por meio do método de equivalência patrimonial.

(ii) Perda de controle

Quando a entidade perde o controle sobre uma controlada, o Grupo desreconhece os ativos e passivos e qualquer participação de não-controladores e outros componentes registrados no patrimônio líquido referentes a essa controlada. Qualquer ganho ou perda originado pela perda de controle é reconhecido no resultado. Se o Grupo retém qualquer participação na antiga controlada, essa participação é mensurada pelo seu valor justo na data em que há a perda de controle.

(iii) Investimentos em entidades contabilizados pelo método da equivalência patrimonial Os investimentos do Grupo em entidades contabilizadas pelo método da equivalência patrimonial compreendem suas participações em controladas.

(iv) Transações eliminadas na consolidação

Saldos e transações intragrupo, e quaisquer receitas ou despesas não realizadas derivadas de transações intragrupo, são eliminados. Ganhos não realizados oriundos de transações com investidas registradas por equivalência patrimonial são eliminados contra o investimento na proporção da participação do Grupo na investida. Perdas não realizadas são eliminadas da mesma maneira de que os ganhos não realizados, mas somente na extensão em que não haja evidência de perda por redução ao valor recuperável.

(22)

b. Receitas financeiras e despesas financeiras

As receitas e despesas financeiras do Grupo compreendem:

 receita de juros;

 despesa de juros; e

 ganhos/perdas líquidos de variação cambial sobre ativos e passivos financeiros.

A receita e a despesa de juros são reconhecidas no resultado pelo método de juros efetivos. A 'taxa de juros efetiva' é a taxa que desconta exatamente os pagamentos ou recebimentos em caixa futuros estimados ao longo da vida esperada do instrumento financeiro ao:

 valor contábil bruto do ativo financeiro; ou

 ao custo amortizado do passivo financeiro.

No cálculo da receita ou da despesa de juros, a taxa de juros efetiva incide sobre o valor contábil bruto do ativo (quando o ativo não estiver com problemas de recuperação) ou ao custo amortizado do passivo.

c. Imposto de renda e contribuição social

i. Regime de tributação pelo Lucro Real – Controladora

O imposto de renda e a contribuição social do exercício corrente são calculados com base nas alíquotas de 15%, acrescidas do adicional de 10 % sobre o lucro tributável excedente de R$ 240 mil para imposto de renda e 9% sobre o lucro tributável para contribuição social sobre o lucro líquido, e consideram a compensação de prejuízos fiscais e base negativa de contribuição social, limitada a 30% do lucro real do exercício.

ii. Regime de tributação pelo Lucro Presumido – Demais controladas

O imposto de renda e a contribuição social correntes registrados no resultado são calculados conforme sistemática do lucro presumido, cujas bases de cálculo do imposto de renda e da contribuição social foram apuradas as alíquotas de 8% e 12% respectivamente, aplicadas sobre o montante da receita bruta segundo legislação vigente. Sobre a base de cálculo, para a apuração do imposto de renda, são aplicadas às alíquotas de 15% acrescidas de 10% sobre o que exceder R$

60 trimestrais e a contribuição social corrente calculada à alíquota de 9%.

iii. Despesas de imposto de renda e contribuição social corrente

A despesa de imposto corrente corresponde ao imposto a pagar ou a receber estimado sobre o lucro ou prejuízo tributável do exercício e qualquer ajuste aos impostos a pagar com relação aos exercícios anteriores. O montante dos impostos correntes a pagar ou a receber é reconhecido no balanço patrimonial como ativo ou passivo fiscal pela melhor estimativa do valor esperado dos impostos a serem pagos ou recebidos que reflete as incertezas relacionadas a sua apuração, se houver. Ele é mensurado com base nas taxas de impostos decretadas na data do balanço.

Os ativos e passivos fiscais correntes são compensados somente se certos critérios forem atendidos.

d. Transações em moeda estrangeira

Transações em moeda estrangeira são convertidas para as respectivas moedas funcionais das entidades do Grupo pelas taxas de câmbio nas datas das transações.

(23)

Ativos e passivos monetários denominados e apurados em moedas estrangeiras na data do balanço são reconvertidos para a moeda funcional à taxa de câmbio naquela data. Ativos e passivos não monetários que são mensurados pelo valor justo em moeda estrangeira são reconvertidos para a moeda funcional à taxa de câmbio na data em que o valor justo foi determinado. Itens não monetários que são mensurados com base no custo histórico em moeda estrangeira são convertidos pela taxa de câmbio na data da transação. As diferenças de moedas estrangeiras resultantes da conversão são geralmente reconhecidas no resultado.

e. Imobilizado

(i) Reconhecimento e mensuração

Itens do imobilizado são mensurados pelo custo histórico de construção, que inclui principalmente os custos de obtenções de licenças ambientais, serviços de construção e compra de equipamentos para montagem das usinas fotovoltaicas.

Quaisquer ganhos e perdas na alienação de um item do imobilizado são reconhecidos no resultado.

(ii) Custos subsequentes

Custos subsequentes são capitalizados apenas quando é provável que benefícios econômicos futuros associados com os gastos serão auferidos pelo Grupo.

(iii) Depreciação

O imobilizado em andamento registrado pelo Grupo corresponde aos gastos ocorridos até o momento para a obtenção de licenças, aquisição de equipamentos e contração de serviço para a construção das usinas fotovoltaicas das controladas Lar do Sol. Neste período de construção estes gastos ativados estão sujeitos apenas as eventuais reduções por perda do valor recuperável (impairment), caso sejam detectadas evidências substâncias de perda. A depreciação destes ativos iniciará assim que terminar o período de construção e os ativos estiverem nas condições pretendidas pela Administração.

O Grupo não possui despesas de depreciação, tendo em vista que as Controladas se encontram em fase pré-operacional.

f. Ativos intangíveis

Inclui os Direitos de aceeso à Rede Básica de Transmissão de Pirapora – MG.

Conforme determinado no CPC 04 – Ativo Intangível, correspondente ao IAS 38 – Intangible Assets, a Companhia deve reconhecer o Ativo Intangível quando do cumprimento das seguintes premissas:

i. Ativo identificável

A Administração compreende que um ativo satisfaz o critério de identificação, em termos de definição do ativo intangível, quando:

• for separável, ou seja, puder ser separado da entidade e vendido, transferido, licenciado, alugado ou trocado, individualmente ou junto com um contrato, ativo ou passivo relacionado,

(24)

• resultar de direitos contratuais ou direitos legais.

ii. Controle

A Administração compreende que um ativo satisfaz o critério de controle do ativo quando detém o poder de obter benefícios econômicos futuros gerados pelo recurso subjacente e de restringir o acesso de terceiros a esses benefícios.

iii. Benefício econômico futuro

A Administração compreende que um ativo satisfaz o critério de obter os benefícios econômicos futuros quando tais benefícios incluem a receita da venda de produtos ou serviços, redução de custos ou outros benefícios resultantes do uso do ativo pela entidade

Após confirmado a consonância dos requerimentos de identficação de um ativo intangível, a Administração segue com o reconhecimento do Ativo Intangível.

iv. Reconhecimento e mensuração

Os ativos intangíveis que são adquiridos pelo Grupo e que têm vidas úteis finitas são mensurados pelo custo, deduzido da amortização acumulada e quaisquer perdas acumuladas por redução ao valor recuperável.

v. Gastos subsequentes

Os gastos subsequentes são capitalizados somente quando eles aumentam os benefícios econômicos futuros incorporados ao ativo específico aos quais se relacionam. Todos os outros gastos são reconhecidos no resultado conforme incorridos.

vi. Amortização

A amortização é calculada utilizando o método linear baseado na vida útil estimada dos itens, líquido de seus valores residuais estimados. A amortização é geralmente reconhecida no resultado.

A Administração compreende como vida útil do Ativo de Direito de acesso à Rede Básica de Trasnsmissão de Pirapora – MG, o período da vigência deste direito que compreende 35 anos, a contar a partir do inicio da operação comercial do Grupo, previsto para primeiro semestre de 2023.

g. Instrumentos financeiros

(i) Reconhecimento e mensuração inicial

O contas a receber de clientes emitidos são reconhecidos inicialmente na data em que foram originados. Todos os outros ativos e passivos financeiros são reconhecidos inicialmente quando o Grupo se tornar parte das disposições contratuais do instrumento.

Um ativo financeiro ou passivo financeiro é inicialmente mensurado ao custo amortizado acrescido dos custos de transação que são diretamente atribuíveis à sua aquisição ou emissão.

(ii) Classificação e mensuração subsequente (a) Ativos financeiros

No reconhecimento inicial, um ativo financeiro é classificado como mensurado:

(25)

 ao custo amortizado;

 ao VJR (Valor Justo por meio do Resultado).

Os ativos financeiros não são reclassificados subsequentemente ao reconhecimento inicial, a não ser que o Grupo mude o modelo de negócios para a gestão de ativos financeiros, e neste caso todos os ativos financeiros afetados são reclassificados no primeiro dia do período de apresentação posterior à mudança no modelo de negócios.

Um ativo financeiro é mensurado ao custo amortizado se atender ambas as condições a seguir e não for designado como mensurado ao VJR (Valor Justo por meio do Resultado):

 é mantido dentro de um modelo de negócios cujo objetivo seja manter ativos financeiros para receber fluxos de caixa contratuais; e

 seus termos contratuais geram, em datas específicas, fluxos de caixa que são relativos somente ao pagamento de principal e juros sobre o valor principal em aberto.

(b) Ativos financeiros - Avaliação do modelo de negócio:

O Grupo realiza uma avaliação do objetivo do modelo de negócios em que um ativo financeiro é mantido em carteira porque isso reflete melhor a maneira pela qual o negócio é gerido e as informações são fornecidas à Administração. As informações consideradas incluem:

 as políticas e objetivos estipulados para a carteira e o funcionamento prático dessas políticas;

 como o desempenho da carteira é avaliado e reportado à Administração do Grupo;

 os riscos que afetam o desempenho do modelo de negócios (e o ativo financeiro mantido naquele modelo de negócios) e a maneira como aqueles riscos são gerenciados; e

 a frequência, o volume e o momento das vendas de ativos financeiros nos períodos anteriores, os motivos de tais vendas e suas expectativas sobre vendas futuras.

As transferências de ativos financeiros para terceiros em transações que não se qualificam para o desreconhecimento não são consideradas vendas, de maneira consistente com o reconhecimento contínuo dos ativos do Grupo.

Os ativos financeiros mantidos para negociação ou gerenciados com desempenho avaliado com base no valor justo são mensurados ao valor justo por meio do resultado.

Ativos financeiros - avaliação sobre se os fluxos de caixa contratuais são somente pagamentos de principal e de juros:

Para fins dessa avaliação, o ‘principal’ é definido como o valor justo do ativo financeiro no reconhecimento inicial. Os ‘juros’ são definidos como uma contraprestação pelo valor do dinheiro no tempo e pelo risco de crédito associado ao valor principal em aberto durante um determinado período e pelos outros riscos e custos básicos de empréstimos (por exemplo, risco de liquidez e custos administrativos), assim como uma margem de lucro.

O Grupo considera os termos contratuais do instrumento para avaliar se os fluxos de caixa contratuais são somente pagamentos do principal e de juros. Isso inclui a avaliação sobre se o ativo financeiro contém um termo contratual que poderia mudar o momento ou o valor dos fluxos

(26)

Ativos financeiros - Mensuração subsequente e ganhos e perdas:

Ativos

financeiros a VJR

Esses ativos são mensurados subsequentemente ao valor justo. O resultado líquido, incluindo juros ou receita de dividendos, é reconhecido no resultado.

Ativos

financeiros a custo

amortizado

Esses ativos são subsequentemente mensurados ao custo amortizado utilizando o método de juros efetivos. O custo amortizado é reduzido por perdas por impairment. A receita de juros, ganhos e perdas cambiais e o impairment são reconhecidos no resultado. Qualquer ganho ou perda no desreconhecimento é reconhecido no resultado.

Passivos financeiros - classificação, mensuração subsequente e ganhos e perdas Os passivos financeiros foram classificados como mensurados ao custo amortizado ou ao VJR.

Um passivo financeiro é classificado como mensurado ao valor justo por meio do resultado caso for classificado como mantido para negociação, for um derivativo ou for designado como tal no reconhecimento inicial. Passivos financeiros mensurados ao VJR são mensurados ao valor justo e o resultado líquido, incluindo juros, é reconhecido no resultado. Outros passivos financeiros são subsequentemente mensurados pelo custo amortizado utilizando o método de juros efetivos. A despesa de juros, ganhos e perdas cambiais são reconhecidos no resultado. Qualquer ganho ou perda no desreconhecimento também é reconhecido no resultado.

(iii) Desreconhecimento (a) Ativos financeiros

O Grupo desreconhece um ativo financeiro quando os direitos contratuais aos fluxos de caixa do ativo expiram, ou quando o Grupo transfere os direitos contratuais de recebimento aos fluxos de caixa contratuais sobre um ativo financeiro em uma transação na qual substancialmente todos os riscos e benefícios da titularidade do ativo financeiro são transferidos ou na qual o Grupo nem transfere nem mantém substancialmente todos os riscos e benefícios da titularidade do ativo financeiro e também não retém o controle sobre o ativo financeiro.

(b) Passivos financeiros

O Grupo desreconhece um passivo financeiro quando sua obrigação contratual é retirada, cancelada ou expira. O Grupo também desreconhece um passivo financeiro quando os termos são modificados e os fluxos de caixa do passivo modificado são substancialmente diferentes, caso em que um novo passivo financeiro baseado nos termos modificados é reconhecido a valor justo.

No desreconhecimento de um passivo financeiro, a diferença entre o valor contábil extinto e a contraprestação paga (incluindo ativos transferidos que não transitam pelo caixa ou passivos assumidos) é reconhecida no resultado.

Imagem

Referências

temas relacionados :