TERAPIA AQUATICA NO PÓS OPERATÓRIO IMEDIATO DE VIDEOARTROSCOPIA DE JOELHO EM MILITARES 1

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

TERAPIA AQUATICA NO PÓS OPERATÓRIO IMEDIATO DE

VIDEOARTROSCOPIA DE JOELHO EM MILITARES

1

Jaqueline de Fátima Biazus2; Carla Mirella Giotto Mai3 ; Adriane Schmidt Pasqualoto4 ; Victor Luiz Florio Loureiro5 ; Ricardo Bertoldo Barreto6 ; Fabiane

dos Santos Ribeiro7 ; Lucian Peralta Ribeiro 8

1

Trabalho realizado pelo grupo de Pesquisa Promoção da Saúde e Tecnologias aplicadas a Fisioterapia _UNIFRA

2, 3, 4

Docentes do Curso de Fisioterapia do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil

5,6,7,8

Acadêmicos do Curso de Fisioterapia do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil

Resumo: O objetivo do estudo foi verificar a eficácia de um programa de terapia aquática no pós operatório imediato de video-artroscopia de joelho em pacientes com lesões de ligamento cruzado anterior(LCA). Método: Foram avaliados dez pacientes do gênero masculino, com média de idade de 28 anos, militares na ativa ,que apresentaram lesão de LCA durante a pratica de futebol. A avaliação constituiu de goniometria. Foram realizadas duas etapas: 1 avaliação 7 dias após a cirurgia e após 10 semanas de tratamento a reavaliação. Todos pacientes receberam dois atendimentos semanais. Resultado:Os resultados encontrados demonstraram 50% dos pacientes ganharam flexão e 70% ganharam extensão de joelho. Conclusão: a terapia aquática se mostrou eficaz com método de reabilitação no pós operatório imediato de videoartroscopia.

Palavras-chave: Futebol,Terapia Aquática, Videoartroscopia.

Abstract: The study objective was to verify the effectiveness of an aquatic therapy program in the immediate postoperative video-knee arthroscopy in patients with lesions of the anterior cruciate ligament (ACL). Method: A total of ten male patients with a mean age of 28 years, military personnel on active duty, who had ACL injury during football practice. The evaluation consisted of goniometry. There were two steps: an assessment 7 days after surgery and after 10 weeks of treatment reevaluation. All patients received two weekly visits. Result: The results showed 50% of patients gained 70% gained flexion and knee extension. Conclusion: aquatic therapy has proven effective as a method of rehabilitation in the immediate post operative arthroscopy.

INTRODUÇÃO

A fisioterapia age sobre as alterações causadas antes e depois da intervenção cirúrgica, mostrando que quanto mais precoce for a utilização de técnicas que melhorem a funcionalidade e anulem os fatores limitantes, melhor ocorrerá o processo de recuperação [1].

O aumento do interesse pela prática desportiva vem produzindo um número

considerado de lesões traumáticas do joelho. A ruptura do LCA é uma lesão frequente em atletas jovens, praticantes de esportes coletivos e de contato [2].

A artroscopia é um procedimento eficaz nas cirurgias de joelho. O desenvolvimento da técnica cirúrgica e sua reprodução fácil permitiram que o procedimento seja realizado com frequência nos centros cirúrgicos [3].

(2)

Um dos tipos de atividade de grande difusão na atualidade é a terapia aquática. A explicação para o grande auge desta modalidade são as grandes vantagens que apresenta em relação aos exercícios realizados na terra .

A terapia aquática é uma forma segura para programas aeróbios e programas destinados a aumentar a força muscular, bem como tratar patologias associadas ao envelhecimento como a osteoporose [9].

A água é, certamente, um meio diferenciado e bastante apropriado para a prática de fisioterapia de pessoas idosas, permitindo o atendimento de grupos e a facilitação da recreação, socialização e treinos de domínio da água como movimentos básicos da natação, que associadas a melhoras funcionais melhoram a auto-estima e autoconfiança.

O objetivo geral desta pesquisa foi verificar a eficácia de um programa de terapia aquática no pós-operatório imediato de videoartroscopia de joelho em pacientes com lesões de LCA, estudo realizado na piscina terapêutica do Laboratório de ensino prático em Fisioterapia do Centro Universitário Franciscano - UNIFRA.

O objetivo específico foi verificar a amplitude de movimento, antes e depois da intervenção da terapia aquática.

MATERIAS E MÉTODOS

A pesquisa em estudo é considerada quantitativa de intervenção. Para Piazza e cols (2008) a pesquisa quantitativa é aquela

que utiliza instrumentos de coleta de informações numéricas, medidas ou contatos, para fornecer resultados probabilístico, numérico e estatístico.

População e Amostra:

A população foi composta de dez militares da ativa que realizaram cirurgia de videoartroscopia de joelho devido a ruptura do LCA decorrente jogo de futebol.

A amostra será composta através dos seguintes critérios de inclusão:

- Indivíduos que aceitem e tenham disponibilidade para participar da pesquisa nos horários pré-determinados.

- Com atestado do dermatologista para utilizar a piscina terapêutica.

Procedimentos da Coleta de Dados: Os participantes tiverão um horário pré-determinado para assinar o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido.

Para a realização da avaliação e posterior reavaliação foi utilizado o seguinte instrumento: A força muscular teve como base a Tabela de Eficiência Muscular [5,4,6].

Para aplicar a Terapia Aquática, foi utilizada a Piscina Terapêutica do Laboratório de Ensino em Fisioterapia da UNIFRA, com temperatura controlada a 32º, altura de 80 centímetros a 1 metro e 40 centímetros.

Os atendimentos foram realizados duas vezes por semana (segundas, quintas

(3)

feiras), durante 50 minutos, durante os meses de maio a julho de 2011.

Análise estatística

O tratamento dos dados coletados foi realizado através de instrumentos próprios da estatística descritiva (médias e desvios padrões). As análises das correlações foram feitas com as variáveis normais essa correlação foi de Pearson. O nível de significância utilizado para os testes foi de p< 0.05 (5%).

RESULTADOS

A força muscular teve como média na 1ª 1,9 / 2º 3,9 D = 2. Em 80% dos indivíduos ocorreu aumento da força muscular e em 20% permaneceram iguais.

Figura 1: Resultado da escala de força muscular na 1ª avaliação e na

reavaliação.

DISCUSSÃO

O objetivo do tratamento fisioterapêutico no pós-operatório de videoartroscopia de joelho é promover uma reabilitação precoce através de técnicas que facilitem o ganho de ADM, força e estabilidade, evitando os processos limitantes como dor e edema [7,8]. ROSS [9] investigou a relação da dor e do medo de novas lesões na realização de atividades de vida diária e esportes, concluindo que os mesmos poderiam influenciar negativamente na reabilitação.

Na pesquisa a força muscular obteve uma aumento de 2 pontos entre a 1ª 1, 9 em relação à 2ª com 3, 9, representando significância na ADM do joelho. O uso de exercícios de fortalecimento não interferem de forma

negativa na reconstrução do LCA [10],

(4)

levando a uma recuperação mais rápida aos níveis pré lesão [11].

MÜLLER [21] numa revisão bibliográfica comparou os principais estudos de reabilitação realizados na área de reconstrução de LCA e em especial dois, o de Beynnon et al.(2005) sobre dois programas de reabilitação e de Isberg et al.(2006) sobre o uso da extensão passiva precoce em diferentes graus, chegando a conclusão que em nenhum houve problemas de restrição nos movimentos de flexão ou extensão.

CONCLUSÃO

A articulação do joelho participa ativamente da funcionalidade do membro inferior, interferindo na qualidade de vida dos indivíduos. Entre as lesões mais limitantes está a ruptura do LCA e as lesões associadas.

A presente pesquisa buscou avaliar a importância da intervenção fisioterapêutica no pós-operatório imediato das cirurgias artroscópicas de reconstrução de LCA. Os resultados encontrados na força demonstram que um protocolo de terapia aquatica, focado em exercícios para manter força facilitam o desenvolvimento de uma reabilitação precoce.

A terapia aquática e o exercício físico, quando associados, atuam na recuperação da força muscular. Através da análise dos resultados obtidos na pesquisa e conforme os objetivos propostos pelo

estudo, pode-se concluir que a terapia aquatica é um método eficaz para a reabilitação precoce de joelho.

REFERÊNCIAS

1 Villa ACSR. O estagiário de fisioterapia no centro cirúrgico: investigando as possibilidades e os desafios [Dissertação mestrado]. Universidade Tuiuti do Paraná. Curitiba, 2006.

2 Benajaminse A, Lemmink KA, Diercks RL, Otten B. An investigation of motor learning during side-step cutting: design of a randomised controlled trial. BMC musculoskeletal disorders. 2010 Oct 25;11:246.

3 Almeida A, Valin, MR; Almeida NC, Ferreira R. Avaliação da dor após a reconstrução artroscópica do ligamento cruzado anterior do joelho. Revista Brasileira de Ortopedia, São Paulo,2006. Disponível em: <http//www.rbo.org.br> acesso em 28 agosto 2010.

4 Oliveira GK, Schmiedt I, Schwartsnann CR. Artrotomia "versus" Artroscopia: avaliação pós-operatória da reconstrução do ligamento cruzado anterior. Revista Brasileira de Ortopedia. São Paulo, janeiro/fevereiro, 2002.

5 Clarkson HM. Avaliação Musculoesquelética. Amplitude de Movimento Articular e Força Muscular Manual. 2.ed. Traduzido por Giuseppe Taranto. São Paulo: Guanabara Koogan, 2002. Tradução de: Musculoskeletal Assessment. Joint Range of Motion and Manual Muscle Strength.

6 Kendall FP. Músculos: Provas e Funções com Postura e Dor. 5.ed. São Paulo: Manole, 2007.

(5)

7 Fatarelli IFC, Almeida GL, Nascimento BG. Lesão e reconstrução do LCA: uma revisão biomecânica e do controle motor. Revista Brasileira de Fisioterapia, Vol. 8, nº 3 (2004), 197-206.

8 Elseify ZA, El-Khattab SO, Khattab AM, Atta EM, Ajjoub LF. Combined parecoxib and I. V. Paracetamol provides additional analgesic effect with better postoperative satisfaction in patients undergoing anterior cruciate ligament reconstruction. Saudi Hournal of Anaesthesia. 2001 Jan;5(1):45-9.

9 Ross MD. The relationship between fuctional levels and fear-avoidance beliefs following anterior cruciate ligament reconstruction. J Orthop Traumatol. 2010 Dec;11(4):237-43.

10 Ruoti RG, Morris DM, Cole AJ. Reabilitação Aquática. São Paulo: Manole, 2000, 463p.

11 Müller R, Moraes JP. Reabilitação após reconstrução do ligamento cruzado

anterior: uma revisão de literatura [TCC]. Santa Maria – Universidade Federal de Santa Maria -RS, 2010.

12 Glass R, Waddell J, Hoogenboom B. The effects of open versus closed kinetic chain exercises on patients with ACL Deficient or reconstruction knees: a systematic review. North American Journal of sports physical therapy. 2010 Jun;5(2):74-84.

13 Lorenz D, Reiman M. The role and implementation of eccentric training in athletic rehabilitation: tendinopaty, hamstring strains, and ACL reconstruction. International journal of sports physical therapy. 2010 Mar;6(1):27-44.

e-mail:

jaquebiazus@hotmail.com

Imagem

Referências

temas relacionados :