PTE Plano de Trabalho Emergencial

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

PTE – Plano de Trabalho Emergencial

REFORMULAÇÃO CURRICULAR

REGIME DIDÁTICO EMERGENCIAL (RDE)

Curso: Técnico Subsequente em Processos Fotográficos

Coordenação de Curso:

Dátames Acastro Egg Segundo

Uriah Izayra Marcilio

(2)

Professores do Colegiado

● Cícero José Albano

● Dátames A. Egg Segundo ● Diego Windmoller

● Ederson Prestes Santos Lima ● Juciane Branco

● Paulo Henrique Camargo Batista ● Uriah Izayra Marcílio

(3)

SUMÁRIO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO...4

1.1 Identificação das turmas em andamento em 16 de março de 2020;...4

1.2 Carga Horária total do curso;...4

1.3 Carga Horária prevista no PPC para cada turma em 2020;...4

1.4 Carga horária cumprida em 2020, por turma, por meio de atividades presenciais;...5

1.5 Carga horária cumprida em 2020, por turma, por meio de atividades pedagógicas não presenciais (APNP) facultativas com expectativa de validação:...5

2. Descrição das adaptações da matriz curricular a ser cumprida por cada turma até a conclusão do curso:...6

2.1 Indicação e justificativa acerca de componentes curriculares e demais atividades que não poderão ser implementados de forma não presencial, se for o caso:...6

2.2 Tratamento a ser dado aos estágios obrigatórios e atividades práticas...7

2.3 Diretrizes da avaliação do processo ensino-aprendizagem...7

2.4 Atendimento aos estudantes do curso com deficiências ou necessidades educacionais específicas:...7

3. Tratamento a ser dado para a recuperação dos estudantes que não fizeram APNP, nos limites da Resolução IFPR nº10, de 11 de maio de 2020:...8

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS DO COLEGIADO...8

4.1 Apontamentos Finais do Colegiado do Curso...8

(4)

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

Curso Técnico Subsequente em Processos Fotográficos, criado através da Resolução 19/2009 do Conselho Superior do IFPR retificada pela Resolução 102/2011 do Conselho Superior do IFPR

Nível: Educação Profissional Técnica de Nível Médio Modalidade: Presencial

Forma de Oferta: Subsequente

Tempo de duração do curso: 1 ano e meio Turno de oferta: Matutino

Horário de oferta do curso: 8h05h às 11h40h, de segunda à sexta-feira Número máximo de vagas do curso: 40

Número mínimo de vagas do curso: 20

Requisitos de acesso ao Curso: Ensino médio completo e aprovação no processo seletivo regulamentado pela Pró-Reitoria de Ensino em parceria com o campus.

Regime Escolar: Semestral

1.1 Identificação das turmas em andamento em 16 de março de 2020;

O curso subsequente em Processos Fotográficos é um curso semestral, atualmente com ingresso de novas turmas no segundo semestre. No início de 2020, tínhamos apenas uma turma, iniciando o segundo período. A segunda turma, que tinha previsão de ingresso no segundo semestre, iniciará as aulas apenas em março de 2021.

1.2 Carga Horária total do curso;

(5)

1.4 Carga horária cumprida em 2020, por turma, por meio de atividades presenciais;

Do início do período letivo, em 06 de fevereiro de 2020 até a suspensão do calendário, em 17 de março de 2020, os componentes curriculares do segundo período somaram 88 horas-aula em atividades presenciais, da seguinte maneira:

Fotografia de moda: 8 h-a Fotojornalismo: 8 h-a

Fotografia publicitária: 8 h-a Iluminação: 8 h-a

Tratamento de imagens avançado: 24 h-a

Fotografia de paisagens, arquitetura e interiores: 8 h-a Laboratório de Criatividade: 8 h-a

Mídia e Fotografia: 8 h-a

Projeto experimental em fotografia: 8 h-a

Carga horária total: 88 h-a

1.5 Carga horária cumprida em 2020, por turma, por meio de atividades pedagógicas não presenciais (APNP) facultativas com expectativa de validação:

Devido à necessidade de equipamentos e espaços específicos para o desenvolvimento das práticas inerentes aos componentes curriculares do segundo período, apenas dois deles tiveram atividades ofertadas em APNP, com as seguintes cargas horárias cumpridas:

(6)

2. Descrição das adaptações da matriz curricular a ser cumprida por

cada turma até a conclusão do curso:

De todos os componentes do segundo período, o que apresenta maior dificuldade em ser trabalhado de forma não-presencial é o de Tratamento de Imagens Avançado. Em primeiro lugar por demandar computadores com certa exigência de performance e softwares específicos, a que os alunos nem sempre tem acesso fora da instituição. Em segundo lugar, pela dinâmica das aulas, que exige que o professor acompanhe de maneira síncrona as práticas individuais e vá solucionando as dúvidas dos alunos durante os processos. Por esse motivo, o colegiado do curso optou por ofertar o componente, com carga horária de 80 h-a apenas no terceiro período e adiantar para o segundo período os componentes de Empreendedorismo e Composição Artística, com conteúdo mais adequável à forma de trabalho não-presencial, ambos com carga horária de 40 h-a, que normalmente seriam ofertados no terceiro período.

2.1 Indicação e justificativa acerca de componentes curriculares e demais atividades que não poderão ser implementados de forma não presencial, se for o caso:

A maior parte dos componentes curriculares do curso utiliza laboratório de informática, estúdio e/ou equipamentos fotográficos específicos, aos quais os discentes não tem acesso senão nas dependências do IFPR.

Por esse motívo, poucos componentes foram trabalhados em regime de APNP durante o ano. A fim de possibilitar a oferta desses componentes no RDE, a solução encontrada pelo colegiado foi a de ofertar os componentes todos com flexibilização de conteúdos e com práticas simuladas. A execução das atividades práticas de cada componente se dará em um segundo momento, em formato de Cursos de Extensão ou de Projetos de Ensino, a depender do momento em que puderem ser ofertados, quando forem possíveis os encontros presenciais nas dependências da instituição.

(7)

2.2 Tratamento a ser dado aos estágios obrigatórios e atividades práticas

O curso Técnico em Processos Fotográficos não possui estágio obrigatório.

2.3 Diretrizes da avaliação do processo ensino-aprendizagem

A avaliação do processo de ensino-aprendizagem nos componentes curriculares do curso é normalmente realizada com base na Resolução IFPR nº 50, de 14 de julho de 2017, sendo de acordo com o art. 7°:

I – diagnóstico: considera o conhecimento prévio e o construído durante o processo de ensino-aprendizagem, abrange descrição, apreciação qualitativa acerca dos resultados apresentados pelos envolvidos em diferentes etapas do processo educativo e indica avanços e entraves para intervir e agir, redefinindo ações e objetivos; II – formativo: ocorre durante todo o processo de ensino-aprendizagem, é contínuo, interativo e centrado no processo por meio do qual o estudante (re)constrói seus conhecimentos, possibilitando esse acompanhamento, bem como fornecendo subsídios para a avaliação da própria prática docente; III – somativo: possibilita a avaliação dos objetivos pretendidos; apresenta os resultados de aprendizagem em diferentes períodos e seus dados subsidiam o replanejamento do ensino para próxima etapa;

Durante a vigência do RDE, os mesmos critérios embasarão as diretrizes de avaliação, que prevêem como ferramentas a execução de atividades práticas, a produção de trabalhos de pesquisa e demais atividades que possibilitem ao professor diagnosticar e avaliar se os objetivos propostos estão sendo alcançados.

2.4 Atendimento aos estudantes do curso com deficiências ou necessidades educacionais específicas:

(8)

3. Tratamento a ser dado para a recuperação dos estudantes que

não fizeram APNP, nos limites da Resolução IFPR nº10, de 11 de

maio de 2020:

Para a recuperação dos estudantes que não participaram das APNP, o professor irá reofertar o conteúdo trabalhado de forma paralela às demais atividades do RDE, em horário definido em grade horária. Como os componentes que trabalharam com as APNP praticamente já cumpriram sua carga horária total, a reoferta poderá ocorrer no mesmo turno previsto para as aulas presenciais (manhã), paralelamente aos componentes trabalhados no Regime Didático Emergencial.

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS DO COLEGIADO

4.1 Apontamentos Finais do Colegiado do Curso

Embora o atual momento apresente grandes desafios e mutas limitações no que diz respeito a diversos aspectos da vida cotidiana e especificamente aos processos de ensino-aprendizagem até então baseados nos encontros presenciais, percebemos claramente no Instituto Federal do Paraná todo o esforço desprendido no sentido de propiciar maneiras alternativas de atender às necessidades e anseios dos envolvidos no processo, sejam professores, técnicos, alunos, familiares de alunos e comunidade em geral. Obviamente isso não se dará de maneira plena. A plena formação dos discentes do curso técnico em Processos Fotográficos demanda uma quantidade bastante significativa de horas investidas em aulas práticas em laboratórios e estúdio fotográfico, no manejo de equipamentos e na interação constante entre discentes e docentes.

Cremos, entretanto, que com as medidas implantadas em caráter emergencial, poderemos nesse momento ofertar aos nossos alunos conteúdos importantes e motivadores, mantendo ativo o processo de ensino e o vínculo entre os alunos e a

(9)

5. REFERÊNCIAS (se houver)

INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ. Portaria nº 120, de 02 de agosto de 2009, estabelece critérios de avaliação sobre o processo de ensino e aprendizagem do IFPR.

INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ. Resolução nº 29, de 28 de setembro de 2020, estabelece o Regime Didático Emergencial (RDE) em todos os níveis e modalidades de ensino, no âmbito do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná.

Imagem

Referências

temas relacionados :