OS PROVOCADORES, OS FALA -BARATO, OS FALSOS AMIGOS... E TU!

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

OS PROVOCADORES, OS FALA -BARATO,

OS FALSOS AMIGOS... E TU!

Os provocadores...

Conheces o género, são os que te dão ordens, te fecham as portas na cara, te encostam à parede, te ameaçam, te tiram o dinheiro para o lanche, estragam as tuas coisas, fazem troça de ti e te inferiorizam. Os fala -barato...

Conheces o género. Fazem comentários sarcásticos a teu res‑ peito, espalham boatos maldosos e dizem coisas insolentes nas tuas costas.

Os falsos amigos...

Não são os piores de todos? Voltam ‑te as costas sem dizer por‑ quê, contam os teus segredos a toda a gente e põem ‑te de parte. Tu...

Ninguém gosta de provocadores, de fala ‑barato e de falsos ami‑ gos, mas há pessoas que conseguem lidar melhor com eles do que outras. E tu, como reages? Responde ao questionário «Consegues lidar com estas situações?» e descobre o resultado.

(2)

Consegues lidar com estas situações?

Chamam ‑te «monte de banhas». O que fazes? 1. Respondes que cada um sabe de si

2. Dizes ‑lhes que te deixem em paz

3. Dizes que te deixem em paz... e decides não almoçar 4. Resolves fazer dieta

Alguém te dá um empurrão pelas costas. O que fazes? 1. Dás um belo pontapé para trás, atingindo ‑o nos joelhos 2. Dizes ‑lhe que se chegue mais para trás

3. Avanças mais depressa

4. Entras em pânico e cais no chão

Os teus amigos põem ‑te de parte e ignoram ‑te. O que fazes?

1. Procuras outra companhia

(3)

3. Decides nunca mais falar com eles 4. Achas que já ninguém gosta de ti

Três dos elementos da tua equipa de futebol ameaçam que vão dar ‑te uma tareia.

O que fazes?

1. Vais fazer queixa a um professor

2. Vais fazer queixa ao teu irmão mais velho e aos amigos dele 3. Evitas ficar perto deles e esperas que esqueçam o assunto 4. Deixas de ir à escola

Um miudinho malcriado dá ‑te um pontapé. O que fazes?

1. Dizes ‑lhe que lhe bates se ele tentar fazer isso outra vez — e falas a sério

2. Dizes ‑lhe que lhe bates se ele tentar fazer isso outra vez — mas receias que faça

3. Não ligas importância (ao fim e ao cabo, não doeu) 4. Foges

(4)

Se respondeste quase sempre 1...

Dá este livro a um bazar de caridade — e parte à conquista do mundo!

Se respondeste quase sempre 2...

Consegues lidar com estas situações, mas mesmo assim lê o livro, porque tem muitos questionários e dicas úteis.

Se respondeste quase sempre 3...

Talvez não consigas lidar muito bem com esse género de pes soas quando te sentes mais vulnerável, como quando tens pro blemas em casa. Lê este livro quanto antes.

Se respondeste quase sempre 4...

Deixa tudo o resto e começa a ler já.

Como (não) lidar com provocadores,

fala--barato e falsos amigos...

Mesmo as pessoas que nos parecem muito sensatas saem ‑se às vezes com conselhos surpreendentemente maus, como...

«Bate -lhes também!»

Esta parece uma boa ideia, se fores maior e mais agressivo do que a pessoa que te bateu, mas qual é a probabilidade? Os que te batem têm o dobro do teu tamanho ou fazem parte de um

gang. Além disso, de modo geral os provocadores, os fala ‑barato

e os falsos amigos não te batem, portanto não podes reagir baten‑ do ‑lhes.

(5)

(Se te baterem mesmo, conta a um professor. Nas escolas esses problemas são devidamente resolvidos porque são levados a sério, são fáceis de averiguar e não há dúvidas sobre quem é culpado.) «Faz de conta que não ligas!»

Como se alguém fosse acreditar!

(A não ser, é claro, que sejas um ótimo ator, mas mesmo assim não deves tolerar tal situação.)

«Ignora!»

Como se fosse possível...

«Evita os lugares onde eles costumam estar» Como se não fizesses já isso!

«Tem pena deles — provavelmente têm inveja de ti ou estão com problemas em casa»

Valia a pena tentares se fosses santo, mas qual é a pessoa normal que sente pena de alguém que lhe faz a vida negra?

«Mostra -te altivo!»

É muito difícil uma pessoa querer parecer uma girafa quando o que mais lhe apetecia era rastejar para debaixo da pedra mais próxima...

(6)

«Pensa nalguma coisa engraçada para dizeres»

O resultado mais provável é dares ‑lhes mais um motivo para fazerem troça.

Este tipo de conselho irrita ‑me. Como é que alguém pode assu‑ mir um ar altivo e duro quando se sente um trapo? É como dizer a uma pessoa que nunca jogou boxe: «Põe as luvas, avança com ar altivo, faz de conta que não tens medo e deixa ‑o KO.»

Essa pessoa ficaria desfeita!

Como lidar (a sério) com provocadores,

fala--barato e falsos amigos...

Os pugilistas preparam ‑se. Vão para o ginásio e exercitam ‑se para ficar em forma. Desenvolvem as suas potencialidades. Se estás a ser vítima de provocadores, fala ‑barato e falsos amigos não podes muito simplesmente armar ‑te em valentão e olhar para eles com ar de mau, pois o mais certo é rebentarem ‑te como a um balão. Tens de conseguir uma boa dose de autoconfiança e de coragem. Leva tempo, mas toda a gente o consegue e vale bem o esforço.

Os três porquinhos

Havia três porquinhos que andavam sempre a fazer uma barulheira em casa e a mãe disse ‑lhes que se pusessem a andar e construíssem as suas próprias casas. O primeiro apanhou um molho de palha e construiu uma

(7)

casa de palha; o segundo apanhou um molho de paus e construiu uma casa com os paus. Nenhum deles demorou mais de dez minutos e ficaram muito satisfeitos consigo próprios. Fartaram ‑se de rir por verem o irmão, com grande esforço, a construir uma casa como devia ser, com tijolos e argamassa.

Mas foi então que apareceu por ali o lobo mau! Com um sopro, deitou abaixo a casa de palha e devorou o pri‑ meiro porquinho. Fez o mesmo com a casa de paus e com o segundo porquinho. Mas consegue deitar abaixo a casa de tijolo? Não! Se quiser pode ficar a soprar até ao Natal, que não consegue apanhar o terceiro por quinho.

E os malvados dos provocadores, dos fala ‑barato e dos falsos amigos também não conseguirão fazer ‑te mal se tu fores capaz de adquirir certas defesas.

Os pugilistas não entrariam no ringue se não acreditas sem que são capazes de vencer. Olha para um grupo de pessoas. Se quisesses gozar com alguma delas, qual é que escolhias?

Agora pensa bem, por que razão escolheste essa pessoa? Será porque é especialmente feia, débil, pirosa, porque tem ar de intelec‑ tual ou de estúpida?

A verdade é que essa pessoa tem ar de vencida porque se sente vencida. Não é capaz de se defender porque está vergada sob o peso dos seus pensamentos negativos.

Imagem

Referências

temas relacionados :