PROGRAMA DE APRENDIZAGEM UEL/CCS CURSO DE ODONTOLOGIA

29 

Texto

(1)

PROGRAM A DE APRENDIZAGEM UEL/CCS – CURSO DE ODONTOLOGIA 1 – DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

Docentes: Elisa Emi Tanaka Carloto (Coordenadora) Fabio Augusto Ito

Evelise Ono

Ademar Takahama Junior Heliton Gustavo de Lima Jeferson Luis Oshiro Tanaka

Código: 6MOD064 Nome: Clínica Integrada Diagnóstica e Triagem

Oferta: Anual Série: 2ª Ano Letivo: 2019

Curso: Odontologia Carga Horária Total: 306

Carga Horária Teórica: 102 Carga Horária Prática: 204

2 – EMENTA:

Estomatologia. Conceito. Divisão. Semiologia estomatológica: Semiotécnica, semiogênese, propedêutica clínica. Diagnóstico bucal. Aparelhos de Raios X e suas partes constituintes. Natureza, produção e propriedades dos raios X, filmes e acessórios radiográficos. Técnicas intra -orais e extra--orais. Interpretação radiográfica das lesões e anomalias buco -maxilo-faciais. Artifícios de técnicas. Métodos de localização radiográfica. Proteção em radiologia odontológica. Distúrbios do desenvolvimento da mucosa bucal. Distúrbios do desenvolvimento da Iíngua. Distúrbios do desenvolvimento dos maxilares e lábios. Distúrbios do desenvolvimento dos dentes. Alterações regressivas dos dentes. Cárie dentária. Patologia pulpar. Patologia periapical. Patologia periodontal. Cistos dos maxilares. Tumores odontogênicos. Tratamento restaurador atraumático. Métodos de prevenção e controle da doença cárie dentária.

3 – CONTRIBUIÇÕES DESTE MÓDULO AO PERFIL DO EGRESSO

Fomento à formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, para atuar em todos os níveis de atenção à saúde, com base no rigor técnico e científico, pautado em princípios éticos, legais e na compreensão da realidade social, cultural e econômica do seu meio, dirigindo sua atuação para a transformação da realidade em benefício da sociedade.

4 – OBJETIVOS

Professor Estudante

 Auxiliar o estudante a adquirir os

conhecimentos necessários para realizar e avaliar o exame clínico; indicar, realizar e avaliar exames de imagem; indicar e avaliar exame histopatológico; para realizar

diagnóstico diferencial, diagnóstico final, prognóstico e plano de tratamento das doenças da boca e sistema estomatológico;  Mediar a correlação das Ciências Básicas

 Desenvolver raciocínio lógico e análise crítica para tomada de decisões;  Indicar, obter, interpretar e registrar

eficientemente informações relativas ao exame clínico e de imagens, assim como solicitar e analisar adequadamente métodos/técnicas complementares para a construção do diagnóstico;

(2)

com a Clínica Odontológica, utilizando como substrato a elaboração do diagnóstico e plano de tratamento;

 Promover a correlação das demais disciplinas clínicas com a Propedêutica e Diagnóstico Bucal por meio do diagnóstico;

 Facilitar o conhecimento dos fatores biológicos e sociais que contribuem para o desenvolvimento da necessidade do tratamento buco-dentário;

 Promover o conhecimento dos fatores culturais e sociais da comunidade e dos recursos de que dispõe, que podem ser utilizados no diagnóstico, tratamento e prevenção das doenças do Sistema Estomatognático.

patológico;

 Diagnosticar as doenças da boca, as alterações sistêmicas das doenças bucais, os achados bucais das doenças sistêmicas, os efeitos farmacológicos sobre a cavidade bucal e condições genéticas que afetam a saúde bucal da população e realizar procedimentos adequados para investigação, prevenção, tratamento e controle;

 Utilizar correta e criteriosamente os recursos de imagem e do “Laboratório de Patologia Clínica” com vistas ao diagnóstico das doenças sob sua responsabilidade;  Desenvolver destreza e habilidade

necessárias para a utilização de seus conhecimentos de forma efetiva como procedimento diário na clínica;

 Atuar como vetor de promoção da saúde.  Estimular atitude favorável para com os

componentes sociais da Odontologia, para o reconhecimento das doenças e entendimento de que todos os ensinamentos ministrados correspondem aos conhecimentos da atualidade, sendo portanto, mutáveis para a investigação científica e seu próprio

aperfeiçoamento;

 Estimular a educação continuada e baseada em evidências;

 Auxiliar a interpretação de dados epidemiológicos (medidores de saúde, morbidade, mortalidade, incidência, prevalência);

 Auxiliar a leitura crítica e interpretação de textos científicos.

 Obter, avaliar e aplicar informações

científicas para o diagnóstico e controle dos problemas de saúde bucal em nível

individual e coletivo, nas diversas realidades epidemiológicas do país;

 Manusear as informações com vistas à elaboração do diagnóstico;

 Avaliar o valor científico e clínico das novas informações, produtos e técnicas

disponíveis para a profissão e aplicá-los de forma racional;

 Analisar e interpretar os resultados de pesquisas e atuar embasado na melhor evidência científica.

 Promover senso de responsabilidade e compromisso para com o módulo, o curso e a profissão;

 Promover iniciativa e interesse;

 Promover respeito e ética na relação com professores, colegas, funcionário e pacientes;  Estimular o trabalho em equipe, visando

atuação em equipes interdisciplinares, transdisciplinares e multiprofissionais a fim de obter os melhores resultados para a

promoção, proteção e recuperação da saúde individual ou coletivamente;

 Estimular a adoção de condutas de biossegurança e descarte correto dos resíduos gerados para o controle de infecções e menor impacto da prática odontológica à comunidade e ao meio ambiente;

 Estimular comunicação adequada, de forma oral e escrita, com colegas da profissão, profissionais de outras áreas da saúde, pacientes/comunidade e pessoal auxiliar.

 Analisar e articular os princípios éticos e incluí-los em sua prática profissional;  Discernir e controlar questões éticas e os

problemas que surgirem na prática odontológica;

 Inserir as normas/condutas de controle de infecção em sua prática diária;

 Reconhecer o impacto da prática odontológica sobre o meio ambiente (e sobre o próprio indivíduo) e colaborar para que esta seja o menos danosa possível;  Usar adequadamente a linguagem científica

para se comunicar com outros profissionais de saúde em relação à saúde do

paciente/comunidade;

 Comunicar-se adequadamente

considerando as características culturais, psicológicas, sociais e meio ambiente do paciente/comunidade.

(3)
(4)

5 – CONTEÚDOS

Unidades Conteúdos das unidades Objetivos da unidade

Professor Estudante

Unidade I – Compreendendo a

Semiologia

APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA (detalhamento do Programa de Aprendizagem / Contrato de convivência) INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA SEMIOLOGIA (definição, objetivos, importância, métodos semiológicos, divisão da semiologia, conceituações: sinais e sintomas, classificação dos sinais e sintomas, sintomatologia, síndrome, diagnóstico, tipos de diagnóstico, prognóstico, classificação do prognóstico, tratamento, proservação)

 Fundamentar a definição de termos técnicos ligados ao processo diagnóstico.  Fundamentar métodos

semiológicos.

 Possibilitar o aluno identificar o método adequado para cada caso no processo diagnóstico.

 Identificar os termos técnicos utilizados no processo diagnóstico.

 Entender cada manobra semiológica no contexto da sua aplicação durante o processo diagnóstico. Unidade II – Compreendendo anamnese, exame físico extra e intrabucal.

ESTUDO ESTRUTURAL DA ANAMNESE (conceito,

importância, fatores básicos, técnicas de anamnese, divisão da anamnese: identificação do paciente, queixa principal, queixas mais comuns, história da doença atual (HDA): início e evolução da doença, tipo de evolução, características da dor; pesquisa de hábitos e vícios, tratamento prévio)

 Fundamentar as etapas da anamnese e a importância de cada uma delas dentro do exame clínico.

 Fundamentar as técnicas de exame físico definição de termos técnicos ligados ao processo diagnóstico.

 Possibilitar o aluno identificar o método adequado para cada caso no processo diagnóstico.

 Compreender a importância de cada etapa da anamnese.  Compreender as manobras

utilizadas durante o exame físico adequados para cada caso.

 Identificar a importância do exame clínico no processo diagnóstico.

DETALHAMENTO E INTERPRETAÇÃO DA ANAMNESE (avaliação da saúde do paciente como um todo: dados pessoais, queixa principal, história da doença atual (HDA), história médica: questionário de saúde)

EXAME CLÍNICO I: EXAME FÍSICO EXTRA E INTRA-BUCAL: Inspeção, palpação, percussão, olfato, auscultação, cadeias linfáticas, semiologia da mucosa bucal, acidentes anatômicos.

Unidade III – Diagnóstico clínico

EXAME CLÍNICO II: EXAME FÍSICO DENTAL E

PERIODONTAL ASSOCIADO AO EXAME RADIOGRÁFICO (objetivos, semiotécnica clássica e básica, pré-requisitos, semiotécnica: sequência do exame dental; diagnóstico da doença cárie dental, avaliação de restaurações e próteses; tipos de desgastes da estrutura dental; avaliação de fraturas coronárias, de cálculo dental, de mobilidade dental, de anomalias de desenvolvimento dental, de pulpites, de tipos

 Propiciar conhecimento de métodos de diagnóstico específicos de alterações dentárias.

 Possibilitar o aluno identificar as alterações de

desenvolvimento dos dentes.

 Conhecer os métodos de diagnóstico das alterações dentárias.

 Identificar as principais

alterações de desenvolvimento dos dentes.

(5)

de pólipos e de vitalidade pulpar)  Conceituar as lesões fundamentais e metodologia de descrição de alterações de mucosa.  Fundamentar métodos semiológicos de alterações da face. fundamentais e realizar descrição detalhada das alterações orais.

 Desenvolver habilidades para exame semiológico da face. EXAME CLÍNICO III: ALTERAÇÕES DE

DESENVOLVIMENTO DENTAL (Classificação, alteração do número de dentes: anodontia, hipodontia, oligodontia, hiperdontia. Alteração do tamanho de dentes: microdontia, macrodontia. Alteração da forma de dentes: geminação, fusão, concrescência, dilaceração, invaginação, evaginação, taurodontia, pérolas de esmalte, hipercementose. Alteração na estrutura dental: amelogênese imperfeita, dentinogênese imperfeita, displasia dentinária tipo 1, displasia dentinária tipo 2, odontodisplasia regional)

EXAME CLÍNICO IV: LESÕES FUNDAMENTAIS DA MUCOSA BUCAL (Conceitos. Classificação. Mancha, pápula, nódulo, placa, vesícula, bolha, ulceração, úlcera, erosão, atrofia, outros (pústula, fístula,...)

Unidade IV – Solicitação, estudo e interpretação de exames complementares laboratoriais

EXAME COMPLEMENTAR I: BIÓPSIA (conceito, objetivos, aplicações, indicações, contra-indicações, técnicas de biópsias: biópsia excisional, biópsia incisional, biópsia com punch, biópsia por punção e aspiração, preparo e envio da peça biopsiada para exame, preparo da mesa cirúrgica)

 Fundamentar o conceito, objetivos, indicações e

contraindicações das biópsias em lesões da cavidade bucal.  Propiciar o conhecimento da

técnica e principais tipos de biópsia.

 Fundamentar os objetivos do hemograma na prática clínica.  Possibilitar o aluno indicar e

interpretar os resultados do hemograma.

 Explicar a importância dos exames relacionados à hemostasia na prática clínica odontológica.

 Compreender os objetivos e indicações das biópsias em lesões da cavidade bucal.  Conhecer as técnicas de

biópsias e conseguir determinar o tipo a ser realizado para cada caso.  Entender os principais os

principais objetivos do

hemograma na prática clínica odontológica.

 Ter habilidade para interpretar os resultados do hemograma. EXAME COMPLEMENTAR II: HEMOGRAMA (Hemograma.

Conceito, Indicações. Subdivisão: eritrograma, leucograma, plaquetograma. Alterações no eritrograma, Alterações no leucograma, Alterações na contagem de plaquetas) EXAME COMPLEMENTAR III: EXAMES LIGADOS À HEMOSTASIA (Hemograma. Conceito, Indicações. Subdivisão: série vermelha (eritrograma), série branca (leucograma), trombócitos (plaquetograma). Alterações no eritrograma, Alterações no leucograma, Alterações na contagem de plaquetas)

(6)

Unidade V – Bases da aplicação dos raios X na Odontologia

Introdução à Radiologia (importância, relacionamento com as demais disciplinas. Histórico dos raios-x e partes

constituintes dos aparelhos de raios X).

 Explicar o funcionamento dos aparelhos de RX, sua

produção, propriedades e interações com a matéria, inclusive seus efeitos biológicos;

 Possibilitar a compreensão dos princípios de formação de imagem, filmes e

processamento radiográfico;  Orientar tomadas de decisões

quanta dosagem, acessórios, filmes, processamento e proteção radiológica a serem utilizadas;

 Discutir o impacto da prática odontológica sobre o meio ambiente (e sobre o próprio indivíduo)

 Estimular raciocínio lógico, análise crítica e capacidade de comunicação com paciente e colegas em equipes

multidisciplinares de saúde;  Estimular o aluno a ser vetor de

informação e fomentar a promoção de saúde.

 Relacionar os fatores que podem influenciar na obtenção de uma imagem de boa

qualidade para diagnóstico;  Tomar decisões com relação à

dosagem, acessórios, filmes, processamento e proteção radiológica a serem utilizadas  Colaborar para que o impacto

da prática odontológica sobre o meio ambiente seja o menos danosa possível

 Desenvolver raciocínio lógico, análise crítica e capacidade de comunicação com paciente e colegas em equipes

multidisciplinares de saúde;  Comportar-se como vetor de

informação e promotor de saúde

Filmes e acessórios radiográficos

Princípios de revelação (solução reveladora e fixadora, câmara escura, métodos de revelação).

Natureza, produção e propriedades dos raios-x.

Estudo dos principais fatores que concorrem na produção de uma boa radiografia.

(7)

Unidade VI – Técnicas radiográficas

Técnica radiográfica intrabucal periapical Métodos de Localização

Artifícios de técnica radiográfica Técnica Oclusal

Técnica Interproximal

Técnica radiográfica extrabucal panorâmica Técnicas extra-bucais

 Fundamentar as técnicas radiográficas mais utilizadas Odontologia;

 Propiciar conhecimentos necessários para indicar e interpretar exames de imagem adequadamente;  Orientar a execução de técnicas radiográficas intrabucais (periapical, interproximal e oclusal) e processamento radiográfico.

 Indicar exames por imagem adequadamente

 Executar técnicas radiográficas intrabucais e processamento radiográfico

 Aplicar princípios das técnicas radiográficas na solução de casos que fogem da

normalidade

Unidade VII – Interpretação

radiográfica

Anatomia radiográfica intrabucal  Possibilitar o reconhecimento de estruturas anatômicas e suas variações

 Possibilitar o reconhecimento de processos patológicos  Proporcionar conhecimentos

necessários para a formulação de hipóteses diagnósticas das doenças da boca e sistema estomatológico, baseadas nos dados da anamnese, exames clínico e de imagem.

 Mediar o processo diagnóstico, prognóstico e construção de plano de tratamento (inclusive alternativas) das doenças da boca e sistema estomatológico.

 Identificar estruturas

anatômicas e suas variações  Identificar processos

patológicos

 Relacionar conhecimentos básicos à prática odontológica utilizando como substrato a elaboração do diagnóstico e plano de tratamento

 Formular hipóteses de diagnóstico

Cárie, pericementite, abcesso ,Granuloma, cisto periapical

Distúrbios de desenvolvimento: anomalias dentárias

Reabsorção alveolar, raiz cariada, raiz residual

Reabsorção interna/externa, Fraturas, Corpos Estranhos - Dentes retidos, agenesia, hipoplasia

Cistos dos maxilares

Tumores

Unidade VIII – Introdução a Patologia Bucal

O papel do patologista bucal  Expor a definição de patologia

bucal, assim como, as atribuições e o papel do patologista oral no diagnóstico das diversas doenças que

 Conhecer o papel do patologista bucal

 Conhecer o processamento de tecidos para o exame

Funcionamento do laboratório de anatomia patológica Preparo das lâminas de microscopia

(8)

O processo de diagnóstico: integrando dados epidemiológicos, clínicos e histopatológicos. (qual a

importância dos dados epidemiológicos, qual a importância dos dados clínicos, para que serve o exame histopatológico)

acometem a cavidade oral e estruturas anexas;

 Estimular o aluno a aplicar conhecimentos básicos de patologia geral, bioquímica, biologia molecular, imunologia, microbiologia e histologia no processo de diagnóstico das principais alterações da região oral e maxilofacial.  Propiciar o conhecimento de um laboratório de anatomia patológica;  Propiciar o conhecimento do processamento de material humano retirado através de procedimento cirúrgico até o preparo das lâminas

histológicas.

 Possibilitar o aluno a fundamentar o papel do Patologista Bucal no processo de diagnóstico.

histopatológico

 Estabelecer a importância dos dados epidemiológicos, clínicos e histopatológicos no processo de diagnóstico Unidade IX – Alterações de desenvolvimento da região oral e maxilofacial  Conceituar as principais alterações de desenvolvimento da região oral e maxilofacial.  Estimular o aluno a

correlacionar dados clínicos e histopatológicos para o desenvolvimento do processo de diagnóstico das principais

 Classificar as principais

alterações de desenvolvimento da região oral e maxilofacial  Relacionar dados clínicos e

histopatológicos para o desenvolvimento do processo de diagnóstico das principais alterações de desenvolvimento

(9)

Fendas Orofaciais, grânulos de Fordyce, leucoedema, tireóide lingual, glossite migratória benigna, língua fissurada, língua pilosa, macroglossia, lábio duplo, varicosidades, tecido linfóide hiperplásico, pigmentação melânica racial, exostoses e defeito da cortical lingual mandibular

alterações de desenvolvimento da região oral e maxilofacial.  Possibilitar ao aluno realizar o

diagnóstico clínico das principais alterações de

desenvolvimento da região oral e maxilofacial.

da região oral e maxilofacial.  Identificar e diferenciar as

principais alterações de

desenvolvimento da região oral e maxilofacial.

 Fundamentar o tratamento das principais alterações de

desenvolvimento da região oral e maxilofacial.

 Estabelecer diagnósticos diferenciais para as alterações de desenvolvimento da região oral e maxilofacial. Unidade X – Injúrias físicas e químicas da mucosa bucal

Ulcerações traumáticas; Morsicatio Bucarum, Queratose friccional; Queimaduras químicas; Tatuagem por amálgama; pigmentação por drogas; Melanose do fumante; Efeitos da radioterapia e da quimioterapia; Osteonecrose

medicamentosa

 Possibilitar ao aluno identificar os diferentes agentes químicos e físicos capazes de lesar a mucosa bucal e o tecido ósseo de suporte.

 Possibilitar ao aluno identificar e diferenciar as manifestações das agressões físicas e químicas de outras lesões que apresentam características clínicas semelhantes.  Possibilitar ao aluno propor

medidas de prevenção e tratamento das principais injúrias físicas e químicas da mucosa bucal.

 Classificar as principais injúrias físicas e químicas da mucosa bucal

 Identificar os diferentes agentes químicos e físicos capazes de lesar a mucosa bucal e o tecido ósseo de suporte.

 Relacionar dados clínicos e histopatológicos para o desenvolvimento do processo de diagnóstico das injúrias físicas e químicas da mucosa bucal

 Identificar e diferenciar as principais injúrias físicas e químicas da mucosa bucal.  Fundamentar o tratamento e

prevenção das principais injúrias físicas e químicas da mucosa bucal

(10)

 Estabelecer diagnósticos diferenciais para as principais injúrias físicas e químicas da mucosa bucal

Unidade XI – Processos Proliferativos

Não-neoplásicos

Hiperplasias fibrosas, hiperplasia papilar inflamatória, granuloma piogênico, lesão periférica de células gigantes, fibroma ossificante periférico.

 Possibilitar ao aluno diferenciar processos reacionais de processos neoplásicos.  Fundamentar a etiologia,

fisiopatologia e histopatologia das principais lesões nodulares da mucosa bucal.

 Proporcionar a correlação das características clínicas e histopatológicas das principais lesões nodulares da mucosa bucal.

 Possibilitar ao aluno identificar e diferenciar as principais lesões nodulares da mucosa bucal, assim como estabelecer diagnósticos diferenciais para essas lesões.

 Classificar os principais processos proliferativos não-neoplásicos

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia dos principais processos proliferativos não-neoplásicos  Relacionar dados clínicos e

histopatológicos para o desenvolvimento do processo de diagnóstico dos principais processos proliferativos não-neoplásicos

 Identificar e diferenciar os principais processos

proliferativos não-neoplásicos  Fundamentar o tratamento dos

principais processos

proliferativos não-neoplásicos  Estabelecer diagnósticos

diferenciais para as principais processos proliferativos não-neoplásicos

(11)

Unidade – XII Doenças Infecciosas de

Boca

Infecções Virais (Herpes simples, Herpes Zoster, Epstein-Barr, HHV-8, HIV)

Lesões causadas pelo HPV (papiloma, verruga vulgar, condiloma acuminado, hiperplasia epitelial focal)

Infecções bacterianas (Sífilis, Tuberculose, Hanseníase) Infecções fúngicas (Candidose, Paracoccidioidomicose, Histoplasmose)

 Possibilitar ao aluno diferenciar processos reacionais de processos neoplásicos.  Fundamentar a etiologia,

fisiopatologia e histopatologia das principais lesões nodulares da mucosa bucal.

 Proporcionar a correlação das características clínicas e histopatológicas das principais lesões nodulares da mucosa bucal.

 Possibilitar ao aluno identificar e diferenciar as principais lesões nodulares da mucosa bucal, assim como estabelecer diagnósticos diferenciais para essas lesões.

 Classificar as principais lesões nodulares bucais

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia das principais lesões nodulares da mucosa bucal.

 Relacionar dados clínicos e histopatológicos para o desenvolvimento do processo de diagnóstico das lesões nodulares bucais

 Identificar e diferenciar as principais lesões nodulares bucais

 Fundamentar o tratamento das principais lesões nodulares bucais

 Estabelecer diagnósticos diferenciais para as lesões nodulares bucais.

Unidade XIII – Cárie, Doenças da

polpa e do periápice

Cárie, Pulpite reversível, irreversível e hiperplásica; Pericementite aguda; Abscesso periapical; Granuloma periapical; Cisto periapical.

 Fundamentar o processo de saúde/doença da cárie, das pulpopatias e das

periapicopatias.

 Expor as características clínicas, radiográficas e histopatológicas da cárie, das pulpopatias e das

periapicopatias.  Possibilitar ao aluno

compreender o processo de evolução da cárie, das pulpopatias e das

 Fundamentar o processo de saúde/doença da cárie, das pulpopatias e das

periapicopatias.

 Compreender o processo de evolução da cárie, das pulpopatias e das

periapicopatias e suas inter-relações.

 Classificar as principais lesões nodulares bucais

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia

(12)

periapicopatias e suas inter-relações.

 Possibilitar ao aluno identificar e diferenciar as pulpopatias e periapicopatias agudas e crônicas e suas possíveis implicações.

das principais lesões nodulares da mucosa bucal.

 Relacionar dados clínicos e histopatológicos para o desenvolvimento do processo de diagnóstico das lesões nodulares bucais

 Identificar e diferenciar as principais lesões nodulares bucais

 Fundamentar o tratamento das principais lesões nodulares bucais

 Estabelecer diagnósticos diferenciais para as lesões nodulares bucais.

Unidade XIV – Sialoadenopatias

Sialoadenopatia não neoplásica (xerostomia, mucocele, rânula, cisto do ducto salivar, sialolitíase, sialoadenite, síndrome de Sjögren)

Sialoadenopatia neoplásica (adenoma pleomorfo, carcinoma mucoepidermóide, carcinoma adenoide cístico)

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia das principais sialoadenopatias não neoplásicas.

 Proporcionar a correlação das características clínicas e histopatológicas das principais sialoadenopatias não

neoplásicas.

 Possibilitar ao aluno identificar e diferenciar as principais sialoadenopatias não neoplásicas, assim como estabelecer diagnósticos diferenciais para essas lesões.

 Classificar as principais sialoadenopatia não neoplásica

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia das sialoadenopatia não neoplásica

 Relacionar dados clínicos e histopatológicos para o desenvolvimento do processo de diagnóstico das sialoadenopatia não neoplásica  Identificar e diferenciar as principais sialoadenopatia não neoplásica

(13)

 Fundamentar o tratamento das sialoadenopatia não neoplásica  Estabelecer diagnósticos diferenciais para as sialoadenopatias não neoplásicas Unidade XV – Doenças dos tecidos periodontais

Gengivite; Periodontite; Hiperplasias gengivais; Consequências sistêmicas da doença periodontal.

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia das doenças dos tecidos periodontais.

 Proporcionar a correlação das características clínicas, imaginológicas e

histopatológicas das doenças dos tecidos periodontais.  Possibilitar ao aluno identificar

e diferenciar as principais doenças dos tecidos

periodontais e estabelecer a relação destas doenças com a saúde geral do paciente.

 Classificar as principais doenças dos tecidos periodontais

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia das doenças dos tecidos periodontais

 Relacionar dados clínicos e histopatológicos para o desenvolvimento do processo de diagnóstico das doenças dos tecidos periodontais  Identificar e diferenciar as

principais doenças dos tecidos periodontais

 Fundamentar o tratamento das doenças dos tecidos

periodontais

 Estabelecer diagnósticos diferenciais para as doenças dos tecidos periodontais

(14)

Unidade XVI – Neoplasias Benignas da boca

Hemangioma e malformação vascular, Linfangioma, Lipoma, tumor de células granulares, epúlide congênita, neuroma traumático, schwanoma, neurofibroma, Neurofibromatose. nevo melanocítico, nevo azul

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia das principais condições ulcerativas bucais.

 Proporcionar a correlação das características clínicas e histopatológicas das principais condições ulcerativas bucais.  Possibilitar ao aluno identificar

e diferenciar as principais condições ulcerativas bucais, assim como estabelecer diagnósticos diferenciais para essas lesões.

 Classificar as principais condições ulcerativas bucais  Fundamentar a etiologia,

fisiopatologia e histopatologia das condições ulcerativas bucais

 Relacionar dados clínicos e histopatológicos para o desenvolvimento do processo de diagnóstico das condições ulcerativas bucais

 Identificar e diferenciar as principais condições ulcerativas bucais

 Fundamentar o tratamento das condições ulcerativas bucais  Estabelecer diagnósticos

diferenciais para as condições ulcerativas bucais

(15)

Unidade XVII – Doenças Autoimunes e Imunologicamente mediadas Pênfigo Vulgar

Penfigoide das Membranas Mucosas Líquen Plano Oral

Lúpus Eritematoso

Estomatite aftosa recorrente

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia das principais doenças vesicobolhosas.

 Proporcionar a correlação das características clínicas e histopatológicas das principais doenças vesicobolhosas.  Possibilitar ao aluno identificar

e diferenciar as principais doenças vesicobolhosas, assim como estabelecer diagnósticos diferenciais para essas lesões.  Classificar as principais doenças vesicobolhosas da mucosa bucal  Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia das doenças vesicobolhosas da mucosa bucal

 Relacionar dados clínicos e histopatológicos para o desenvolvimento do processo de diagnóstico das doenças vesicobolhosas da mucosa bucal  Identificar e diferenciar as principais doenças vesicobolhosas da mucosa bucal

 Fundamentar o tratamento das doenças vesicobolhosas da mucosa bucal

 Estabelecer diagnósticos diferenciais para as doenças vesicobolhosas da mucosa bucal

(16)

Unidade XVIII – Condições Potencialmente

Malignas e Malignas de Boca

Nova classificação da Organização Mundial da Saúde de 2005 para as desordens potencialmente malignas.

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia das condições potencialmente malignas e malignas bucais.  Proporcionar a correlação das

características clínicas e histopatológicas das condições potencialmente malignas e malignas bucais.

 Possibilitar ao aluno constatar a possibilidade de ocorrência de neoplasias bucais menos frequentes e buscar

suposições para realização do diagnóstico.

 Estimular o aluno a promover ações de prevenção do câncer de boca.

 Estimular o aluno a ações de diagnóstico precoce do câncer de boca.

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia das condições potencialmente malignas e malignas bucais.  Relacionar dados clínicos e

histopatológicos para o desenvolvimento do processo de diagnóstico das condições potencialmente malignas e malignas bucais.

 Promover ações de prevenção do câncer de boca.

 Estabelecer o diagnóstico precoce do câncer de boca Definição de desordens potencialmente malignas.

Etiologia, patogênese, características clínicas e características histopatológicas da leucoplasia, leucoplasia verrucosa proliferativa, eritroplasia, leucoeritroplasia, queilite actínica e carcinoma de células escamosas oral.

Outras neoplasias malignas menos frequentes: Linfoma Leucemia Metástases Unidade XIX – Cistos dos Maxilares

Cistos Odontogênicos Inflamatórios: Cistos Periapical; Cisto Residual, Cisto Paradentário;

Cisto Odontogênicos de Desenvolvimento: Cisto Dentígero; Cisto de Erupção; Queratocisto Odontogênico; Sindrome de Gorlin-Goltz; Cisto Periodontal Lateral; Cisto Gengival do Adulto

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia dos principais cistos dos maxilares.

 Proporcionar a correlação das características clínicas, radiográficas e

histopatológicas dos principais cistos dos maxilares.

 Possibilitar ao aluno identificar e diferenciar os principais cistos dos maxilares, assim como estabelecer diagnósticos

 Classificar os principais cistos dos maxilares

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia dos cistos dos maxilares  Relacionar dados clínicos e

histopatológicos para o desenvolvimento do processo de diagnóstico dos cistos dos maxilares

 Identificar e diferenciar os principais cistos dos maxilares  Fundamentar o tratamento dos Cistos Não-Odontogênicos - Cisto do Ducto Nasopalatino

Cisto Nasolabial; Cisto Epidermóide / Dermóide; Cisto Linfoepitelial Cervical e Oral; Cisto do Ducto Tireoglosso. Pseudocistos (Cisto Ósseo Simples)

(17)

diferenciais para essas lesões. cistos dos maxilares  Estabelecer diagnósticos

diferenciais para os cistos dos maxilares

Unidade XX – Tumores Odontogênicos

Tumores Odontogênicos (Ameloblastoma; Tumor

Odontogênico Epitelial Calcificante ou Tumor de Pindborg; Tumor Odontogênico Cístico Calcificante ou Cisto de Gorlin; Tumor Odontogênico Adenomatóide; Fibroma Ameloblástico; Fibro-Odontoma Ameloblástico; Odontoma; Mixoma

Odontogênico; Cementoblastoma).

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia dos principais tumores odontogênicos.

 Proporcionar a correlação das características clínicas, radiográficas e

histopatológicas dos tumores odontogênicos.

 Possibilitar ao aluno identificar e diferenciar os principais tumores odontogênicos, assim como estabelecer diagnósticos diferenciais para essas lesões.

 Classificar os principais tumores odontogênicos  Fundamentar a etiologia,

fisiopatologia e histopatologia dos tumores odontogênicos  Relacionar dados clínicos e

histopatológicos para o desenvolvimento do processo de diagnóstico dos tumores odontogênicos

 Identificar e diferenciar os principais cistos dos maxilares  Fundamentar o tratamento dos

tumores odontogênicos  Estabelecer diagnósticos

diferenciais para os c tumores odontogênicos

Unidade XXI – Patologia Óssea

Doença óssea de Paget; Displasia cleidocraniana; Lesão central de células gigantes; Querubismo; Tumor Marrom do hiperparatireoidismo, Displasia fibrosa; Fibroma ossificante; Displasia óssea periapical, focal e florida; Osteoma,

Osteossarcoma.

 Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia das principais patologias ósseas de interesse odontológico.

 Proporcionar a correlação das características clínicas, radiográficas e

histopatológicas das principais patologias ósseas de interesse odontológico.

 Possibilitar ao aluno identificar e diferenciar as principais  Classificar as principais patologias ósseas maxilofaciais  Fundamentar a etiologia, fisiopatologia e histopatologia das patologias ósseas

maxilofaciais

 Relacionar dados clínicos e histopatológicos para o desenvolvimento do processo de diagnóstico das patologias ósseas maxilofaciais

(18)

patologias ósseas de interesse odontológico, assim como estabelecer diagnósticos diferenciais para essas lesões.

principais patologias ósseas maxilofaciais

 Fundamentar o tratamento das patologias ósseas

maxilofaciais

 Estabelecer diagnósticos diferenciais para as patologias ósseas maxilofaciais

(19)

6 – MÉTODOS E ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM Estratégias Elementos a serem acompanhado: Aula expositiva

dialogada

Participação dos estudantes contribuindo na exposição, com utilização de recursos audiovisual, perguntando, respondendo, questionando...

Atividades discentes ao final da aula (forma escrita pela entrega de

perguntas, construção de quadros síntese, esquemas, complementação de dados no mapa conceitual e outras atividades complementares).

Solução de Problemas

Observação das habilidades dos estudantes na apresentação das idéias quanto a sua concisão, logicidade, aplicabilidade e pertinência, bem como seu desempenho na descoberta de soluções apropriadas ao problema apresentado.

Aulas teóricas precedidas imediatamente de aulas práticas e demonstrativas.

Estudo dirigido e estudo em grupo

Produção construída pelo estudante na execução das atividades

propostas, nas questões que formula ao professor, nas revisões que este lhe solicita, a partir do que vai se inserindo gradativamente nas atividades do grupo a que pertence.

Seminário Clareza e coerência na apresentação do tema proposto pelo professor orientador; domínio do conteúdo apresentado; participação do grupo durante a exposição; utilização de dinâmicas e/ou recursos audiovisuais na apresentação.

Aulas prática / práticas clínicas

Atendimento do Ambulatório de Estomatologia, tomadas radiográficas em diferentes técnicas, interpretação radiográfica com auxílio de pranchas radiográficas montadas de forma a ressaltar aspectos normais e

patológicos de diferentes processos, solicitação, execução e interpretação de exames complementares, práticas de patologia bucal

Lista de discussão por meios

informatizados

Participações, qualidade das inclusões e das elaborações apresentad as a respeito de determinado assunto.

7 – AVALIAÇÃO

Forma Critérios

Provas teórico/práticas Quatro provas teóricas e uma prova teórico/prática ao longo do ano. São avaliados: interpretação do texto, conteúdo, coerência da redação, clareza de ideias, objetividade, vocabulário e gramática.

Trabalhos práticos (radiografias) Avaliação prática diária,

Seminários

Apresentação de casos clínicos Estudos dirigidos

Avaliação atitudinal. 300

6ª nota = Média da nota avaliação prática diária + nota seminário + nota da avaliação prática radiologia + nota da apresentação de casos clínicos

Formulários de avaliação Anexo 1.

MÉDIA FINAL Média das 6 avaliações

8 – CRONOGRAMA Anexo 2.

(20)

9 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 9.1 – Bibliografia básica

ALMEIDA, O. P. Patologia oral. São Paulo: Artes Médicas, 2016.

FREITAS, A. Radiologia odontológica. 6.ed. São Paulo: Artes Médicas, 2004, 2000, 1998, 1994. LANGLAND, O. E.; LANGLAIS, R. P. Princípios do diagnóstico por imagem em odontologia. São Paulo: Santos, 2002.

NEVILLE, D. et al. Patologia oral e maxilofacial. 4.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2016, 2009. REGEZI, J. A.; SCIUBBA, J. J. Patologia bucal: correlações clinicopatológicas. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002, 1991.

TOMMASI, A. F. Diagnóstico em patologia bucal. 4. ed. São Paulo: Pancast, 2014, 2002. WHITE, S. C.; PHAROAH, M. Radiologia oral: fundamentos e interpretação. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

9.2 – Bibliografia complementar

ALVARES, L. C. Curso de radiologia em odontologia. 5.ed. São Paulo: Santos, 2011, 2002, 1998, 1993.

BORAKS, S. Diagnóstico bucal. 3.ed. São Paulo: Artes Médicas, 2001.

CURSO de radiologia. São Paulo: Medisa, [19--]. (Ars Cvrandi em Odontologia).

FARTHING, C. F. Atlas coloridos de AIDS e da doença do HIV. 2.ed. São Paulo: Artes Médicas, 1989.

FREITAS, L. Radiologia bucal: técnicas e interpretação. 2.ed. São Paulo: Pancast, 2000, 1992. GOMEZ MATALDI, R. A. Radiologia odontológica. 3.ed. Buenos Aires: Mundi,1979.

HIGASHI, T. Atlas de diagnóstico oral por imagens. 2.ed. São Paulo: Santos, 1999.

LITTLE, J. W. et al. M anejo odontológico do paciente clinicamente comprometido. 7.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

PASLER, F. A. Radiologia odontológica. 3.ed. Rio de Janeiro: Medsi, 1999.

PEREIRA, A. C. Odontologia em saúde coletiva: planejando ações e promovendo saúde. São Paulo: Artmed, 2003.

PEREIRA, M. G. Epidemiologia: teoria e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013, 2002.

ROSA, J. E. M étodos radiográficos especiais para o dentista clínico. 2.ed. Rio de Janeiro: PUME, 1988.

SHAFER, W. G.; HINE, M. K.; LEVY, B. M. Tratado de patologia bucal. 4.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1987, 1985.

(21)

SILVERMAN JUNIOR, S. Atlas colorido das manifestações bucais da AIDS. São Paulo: Santos, 1989.

WHITE, S. C.; PHAROAH, M. J. Radiologia oral: princípios e interpretação. 7.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

WHAITES, E. Princípios de radiologia odontológica. 4.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. WOOD, N. K.; GOAZ, P. W. Diagnóstico diferencial das lesões bucais. 2.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1983.

WUEHRMANN, A. H.; MANSON – HIUNG, L. R. Radiologia dentária. 5.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1985, 1977.

SHAFER, W. G.; HINE, M. K.; LEVY, B. M. Tratado de patologia bucal. 4.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1987, 1985.

SILVERMAN JUNIOR, S. Atlas colorido das manifestações bucais da AIDS. São Paulo: Santos, 1989.

WHITE, S. C.; PHAROAH, M. J. Radiologia oral: princípios e interpretação. 7.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

WHAITES, E. Princípios de radiologia odontológica. 4.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. WOOD, N. K.; GOAZ, P. W. Diagnóstico diferencial das lesões bucais. 2.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1983. DEPOSITO

WUEHRMANN, A. H.; MANSON – HIUNG, L. R. Radiologia dentária. 5.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1985, 1977.

(22)

________________________________

Eliza Emi Tanaka Carloto

Coordenadora do Módulo

Aprovado pelo Departamento em ____/____/____

Profa. Dra. Fernanda Akemi Nakanishi Ito Chefe do Departamento MOOI

Aprovado pelo Colegiado em ____/____/____

Prof. Dr. Ademar Takahama Junior Colegiado do Curso de Odontologia

(23)

ANEXO 2 UEL – ODONTOLOGIA

6MOD064 - MÓDULO CLÍNICA INTEGRADA DIAGNÓSTICA E DE TRIAGEM CRONOGRAMA PARA O ANO DE 2019

FEVEREIRO

Data Dia Atividade

25/02 (2ª f) RECEPÇÃO DOS CALOUROS 28/02 (5ª f) Apresentação do módulo

MARÇO

Data Dia Atividade

04/03 (2ª f) Feriado

07/03 (5ª f) Aula teórica (Radiologia) – Introdução à Radiologia (importância, relacionamento com as

demais disciplinas. Histórico dos raios-x e partes constituintes dos aparelhos de raios X). 11/03 (2ª f) Aula teórica (Radiologia) - Técnica radiográfica intrabucal periapical da bissetriz.

14/03 (5ª f) Aula teórica (Radiologia) - Filmes e acessórios radiográficos. Princípios de revelação

(soluções reveladora e fixadora, câmara escura, métodos de revelação)

18/03 (2ª f) Aula teórica (Estomatologia) – Fundamentos de Diagnóstico, Exame Clínico – Anamnese

21/03 (5ª f) Aula teórica (Estomatologia) – Exame Clínico – Anamnese – Cardiovascular (HAS,

Endocardite, AVC)

25/03 (2ª f) Aula teórica (Radiologia) – Natureza, produção e propriedades dos raios-x

Aula teórica (Radiologia) – Estudo dos principais fatores que concorrem na produção de uma boa radiografia

28/03 (5ª f)

Aula teórica (Estomatologia) –

Exame Clínico – Anamnese – Diabetes, Nefropatias, Hepatopatias, Osteoporose

ABRIL

Data Dia Atividade

01/04 (2ª f) Aula teórica (Radiologia) – Anatomia radiográfica intrabucal (maxila)

04/04 (5ª f) Aula teórica (Radiologia) – Anatomia radiográfica intrabucal (mandíbula)

08/04 (2ª f) Aula teórica (Estomatologia) – Exame Clínico – Exame Físico

11/04 (5ª f) Aula teórica (Estomatologia) – Lesões fundamentais

15/04 (2ª f) – Anamnese (aula prática – TURMA A)

- Técnica radiográfica intrabucal periapical da bissetriz e anatomia radiográfica (clínica

radio – TURMA B)

18/04 (5ª f) Aula teórica (Estomatologia) – Descrição de lesões – Fabio

22/04 (2ª f) - Anamnese (aula prática – TURMA B)

- Técnica radiográfica intrabucal periapical da bissetriz e anatomia radiográfica (clínica

(24)

25/04 (5ª f) Aula teórica (Estomatologia) – Alterações de desenvolvimento e variações da normalidade

29/04 (2ª f) 1ª PROVA TEÓRICA

MAIO

Data Dia Atividade

02/05 (5ª f) Aula teórica (Estomatologia) – Exames complementares– hemograma, coagulograma,

exames sorológicos e bioquímicos – Ademar 03/05 TÉRMINO DO 1º BIMESTRE

06/05 (2ª f) Aula teórica (Estomatologia) – Exames complementares– exames de imagem,

citopatologia. Biópsia.

09/05 (5ª f) Aula teórica (Radiologia) – Aula teórica (Radiologia) – Técnicas Interproximal e Oclusal

13/05 (2ª f) - Exame Físico (clínica estomato – TURMA A)

- Técnica radiográfica intrabucal periapical da bissetriz (clínica radio – TURMA B) 16/05 (5ª f) Aula teórica (Radiologia) – Métodos de Localização e Artifícios de técnica radiográfica

20/05 (2ª f) - Exame Físico (clínica estomato – TURMA B)

- Técnica radiográfica intrabucal periapical da bissetriz (clínica radio – TURMA A) 23/05 (5ª f) VISTA DA 1ª PROVA

27/05 (2ª f) 300

30/05 (5ª f) 300 – AVALIAÇÃO

JUNHO

Data Dia Atividade

03/06 (2ª f) Aula prática (1):

Turma A– Estomatologia (SALA DE AULA) Turma B– Radiologia

06/06 (5ª f) Aula teórica (Patologia) – Fundamentos de Patologia Oral - Fábio

10/06 (2ª f)

Aula Prática (2):

Turma B– Estomatologia (SALA DE AULA) Turma A– Radiologia

13/06 (5ª f) Aula teórica (Radiologia) – Efeitos biológicos das radiações - Elisa

17/06 (2ª f) Aula Prática (3):

Turma A – Estomatologia (Patologia) Turma B - Radiologia

20/06 (5ª f) FERIADO

24/06 (2ª f) Aula Prática (4):

Turma B – Estomatologia (Patologia) Turma A – Radiologia

(25)

JULHO

Data Dia Atividade

01/07 (2ª f) Aula teórica (Estomatologia) – Processos proliferativos não-neoplásicos - Heliton

04/07 (5ª f) Aula teórica - Biossegurança

08/07 (2ª f) 2ª PROVA TEÓRICA

11/07 (5ª f) Estudo dirigido

12/07 TÉRMINO DO 2º BIMESTRE RECESSO

29/07 (2ª f) Aula teórica (Estomatologia) - Lesões por injúrias físicas e químicas da mucosa bucal

30/07 (3ª f) Aula teórica (Patologia) – Inflamação

31/07 (4ª f) Aula Prática (01):

TURMA A (1011/1012/1013) – RADIOLOGIA TURMA B (1014/1015/1016) – ESTOMATOLOGIA

AGOSTO

05/08 (2ª f) Aula teórica (Patologia) – Patologia da cárie e da polpa – Fabio

06/08 (3ª f) Aula teórica (Patologia) – Patologia periapical – Ademar

07/08 (4ª f)

Aula Prática (02):

TURMA A (1011/1012/1013) – RADIOLOGIA TURMA B (1014/1015/1016) – ESTOMATOLOGIA

12/08 (2ª f) VISTA DA 2a PROVA / Aula teórica – Patologia Periodontal

13/08 (3ª f)

Aula teórica (Radiologia) – Cárie, patologia pulpar, periapical e periodontal (Reabsorção alveolar, raiz cariada, raiz residual)

14/08 (4ª f)

Aula Prática (03):

TURMA A (1011/1012/1013) – RADIOLOGIA TURMA B (1014/1015/1016) – ESTOMATOLOGIA

(26)

19/08 (2ª f)

Aula teórica (Radiologia) – Cárie, patologia pulpar, periapical e periodontal (Reabsorção alveolar, raiz cariada, raiz residual)

20/08 (3ª f) PROVA TEÓRICA 3 21/08 (4ª f) Aula Prática (04): TURMA A (1011/1012/1013) – RADIOLOGIA TURMA B (1014/1015/1016) – ESTOMATOLOGIA 26/08 (2ª f)

Aula teórica (Radiologia) – Distúrbios de desenvolvimento: anomalias dentárias /

Reabsorção interna/externa, fraturas, corpos estranhos – Dentes retidos, agenesia, hipoplasia

27/08 (3ª f) Aula teórica (Estomatologia) – Doenças infecciosas (Bacterianas e Fúngicas) - Heliton

11:00 – reunião dos grupos do seminário

28/08 (4ª f)

Aula Prática (05):

TURMA A (1011/1012/1013) – RADIOLOGIA TURMA B (1014/1015/1016) – ESTOMATOLOGIA

SETEMBRO

02/09 (2ª f) Aula teórica (Estomatologia) – Doenças infecciosas (Virais) – Ademar 03/09 (3ª f) Aula teórica (Estomatologia) – Doenças infecciosas (virais)

04/09 (4ªf)

Aula Prática (06):

TURMA A (1011 /1012/1013) – RADIOLOGIA TURMA B (1014/1015/1016) – ESTOMATOLOGIA

09/09 (2ª f) Aula teórica (Estomatologia) – Doenças infecciosas (HIV) - Fábio 10/09 (3ª f) Atividade em grupo (patologia da cárie, pulpar e periapical)

11/09 (4ª f)

Aula Prática (07):

TURMA A (1011 /1012/1013) – RADIOLOGIA TURMA B (1014/1015/1016) – ESTOMATOLOGIA

16/09 (2ª f) Atividade em grupo (patologia da cárie, pulpar e periapical)

17/09 (3ª f)

VISTA DA 3ª PROVA

Atividade em grupo (patologia da cárie, pulpar e periapical)

18/09 (4ª f)

Aula Prática (08):

TURMA A (1011 /1012/1013) – RADIOLOGIA - prova prática – turma A TURMA B (1014/1015/1016) – ESTOMATOLOGIA

(27)

23/09 (2ª f)

Aula teórica (Estomatologia/Patologia): Doenças imunologicamente mediadas –

Ademar

24/09 (3ª f) Aula teórica (Estomatologia/Patologia): Neoplasias benignas

25/09 (4ª f)

Aula Prática (09):

TURMA A (1011 /1012/1013) – ESTOMATOLOGIA TURMA B (1014/1015/1016) – RADIOLOGIA

28/09 TÉRMINO DO 3º BIMESTRE

30/09 (2ª f) Aula teórica (Estomatologia/Patologia): Desordens potencialmente malignas – Fábio

OUTUBRO

01/10 (3ª f) Aula teórica (Estomatologia/Patologia): Neoplasias Malignas – Fábio 02/10 (4ª f)

Aula Prática (10):

TURMA A (1011/1012/1013) – ESTOMATOLOGIA TURMA B (1014/1015/1016) – RADIOLOGIA

07/10 (2ª f) Aula teórica (Estomatologia/Patologia): Patologia das glândulas salivares – Ademar 08/10 (3ª f) Aula teórica (Radiologia): Lesões intra-ósseas

09/10 (4ª f) Aula Prática (11): TURMA A (1011/1012/1013) – ESTOMATOLOGIA TURMA B (1014/1015/1016) – RADIOLOGIA 14/10 (2ª f) RECESSO 15/10 (3ª f) FERIADO 16/10 (4ª f) Aula Prática (12): TURMA A (1011/1012/1013) – ESTOMATOLOGIA TURMA B (1014/1015/1016) – RADIOLOGIA 21/10 (2ª f) PROVA TEÓRICA 4

22/10 (3ª f) Aula teórica (Estomatologia/Patologia): Cistos odontogênicos e não-odontogênicos

23/10 (4ª f)

Aula Prática (13):

TURMA A– ESTOMATOLOGIA TURMA B– RADIOLOGIA 28/10 (2ª f) FERIADO TÉRMINO DO 3º BIMESTRE 29/10 (3ª f)

(28)

30/10 (4ª f)

Aula Prática (14):

TURMA A– ESTOMATOLOGIA TURMA B– RADIOLOGIA

NOVEMBRO

04/11 (2ª f) VISTA DA 4ª PROVA

05/11 (3ª f) Aula teórica (Estomatologia/Patologia): Patologia óssea – Ademar

06/11 (4ª f)

Aula Prática (15):

TURMA A– ESTOMATOLOGIA TURMA B– RADIOLOGIA

11/11 (2ª f) Aula teórica (Estomatologia/Patologia/Radiologia): Estudo de casos 12/11 (3ª f) Aula teórica (Estomatologia/Patologia/Radiologia): Estudo de casos 13/11 (4ª f)

Aula Prática (16):

TURMA A– ESTOMATOLOGIA

TURMA B– RADIOLOGIA - prova prática – turma B

18/11 (2ª f) Aula teórica (Estomatologia/Patologia): Seminário – turma A 19/11 (3ª f) Aula teórica (Estomatologia/Patologia): Seminário – turma B 20/11 (4ª f) FERIADO

25/11 (2ª f) APRESENTAÇÃO DE CASOS – TURMA A 26/11 (3ª f) APRESENTAÇÃO DE CASOS – TURMA B

27/11 (4ª f)

Aula Prática (17):

TURMA A– ESTOMATOLOGIA TURMA B– RADIOLOGIA

DEZEMBRO

02/12 (2ª f) PROVA TEÓRICA 5

03/12 (3ª f) *ENTREGA TRABALHOS PRÁTICOS RADIOLOGIA VISTA DA 5ª PROVA

04/12 (4ª f)

Aula Prática (18):

TURMA A– ESTOMATOLOGIA TURMA B– RADIOLOGIA

PUBLICAÇÃO

(29)

16/12 (2ª f) EXAME

OBS: Este calendário está sujeito a modificações de acordo com determinações do calendário escolar desta Instituição.

Uniforme: para a frequência às aulas práticas será exigido roupas brancas (calças, camisa,

sapatos fechados, jaleco) acrescidos de gorro, máscara, luvas para atividades clínicas.

Material necessário: - Colgadura para 14 filmes

- 50 Filmes periapicais

- 04 grampos individuais para radiografias - Espelho clínico

- Pinça clínica - Sonda exploradora

- 1 par de afastador labial para fotografia formato "C" transparente - esfigmomanômetro e estetoscópio

Docentes:

Prof ADEMAR TAKAHAMA JUNIOR Profa ELISA EMI TANAKA CARLOTO Profa EVELISE ONO

Prof FABIO AUGUSTO ITO Prof HELITON GUSTAVO DE LIMA Prof JEFFERSON LUIS OSHIRO TANAKA

Imagem

Referências

temas relacionados :