WORKSHOP CIÊNCIA DA CONSERVAÇÃO EM MOÇAMBIQUE

25 

Texto

(1)

APLICAÇÃO DE MARCADORES MOLECULARES PARA AVALIAÇÃO DA WORKSHOP

CIÊNCIA DA CONSERVAÇÃO EM MOÇAMBIQUE

21 – 22 de Abril de 2014

Rebublica de Moçambique Ministério do Turismo

(2)
(3)

Miombo em Moçambique

 2/3 do território nacional –

ecossistema de maior

relevância económica, social e ambiental.

 90% da população rural

depende deste ecossistema: alimentação, saúde, habitação e energia.

 Maior fonte de madeira para

(4)

 Área 42 000 km2.

 Zona mais valiosa e intacta do

miombo África.

 Considerada uma das maiores

e mais importantes áreas de conservação a nível mundial.

(5)

Reserva Nacional de Niassa

Riscos

 Temperaturas elevadas e baixa

precipitação (mudanças climáticas).

Herbivoros

(6)

INTRODUÇÃ

O

 Desiquilíbrio entre indivíduos jovens e adultos.

Alteração da estrutura e da composição da vegetação:

 Com espécies

sub-dominantes a sobreporem-se ás típicamente

dominantes.

(7)

INTRODUÇÃ

O

 Desiquilíbrio entre indivíduos jovens e adultos.

Alteração da estrutura e da composição da vegetação:

Fonte: Arménio Cangela

 Com espécies

sub-dominantes a sobreporem-se ás típicamente

(8)

INTRODUÇÃO

Programa de conservação da biodiversidade

Programas de conservação de recursos genéticos

In situ Ex situ Conhecimento da biodiversidade Conservação e preservação de spp. Selecção de genótipos de elite

Graus de tolerância /adaptação

(9)
(10)

OBJECTI

VOS

Desenvolvimento de marcadores ISSR para duas espécies típicas de miombo Brachystegia bohemii Taub. e Burkea africana Hook. f.

Avaliação preliminar da biodiversidade das espécies seleccionadas através de marcadores moleculares desenvolvidos, em áreas com diferente incidência de fogos.

Específicos:

Geral:

(11)
(12)

• Brachystegia bohemii (Bb)

ME

TODO

LOGIA

• Burkea africana (Ba)

Susceptíveis ao fogo

Tolerantes ao fogo

Grau de importância socio-económico e ambiental

Grau de tolerância ao fogo

(13)

Marcadores moleculares para relação intra-específica.

ME

TODO

(14)
(15)

RESULTAD

OS

E DI

SCUSSÃO

Primer Sequência (5’-3’) NTB NBP P% pR ISSR-1 (AG)8YT 11 9 81.8 13.20 ISSR-2 (AGC)4YT 14 14 100.0 15.07 ISSR-3 (CA)8R 9 9 100.0 9.07 ISSR-5 DBD (CA)7 11 11 100.0 14.80 ISSR-6 VHV (GT)6 10 10 100.0 6.80 ISSR-7 HVH (TG)7 11 9 81.8 13.33 ISSR-8 HVH (CA)7 11 11 100.0 13.20 ISSR-10 (AC)8YT 13 13 100.0 6.80 TOTAL 90 86 MÉDIA 11.25 10.75 95.6 11.53

(16)

Primer Sequência (5’-3’) NTB NBP P% pR ISSR-1 (AG)8YT 11 11 100.0 5.29 ISSR-5 DBD(CA)7 12 9 75.0 9.43 ISSR-7 HVH(TG)7 13 12 92.3 7.29 ISSR-10 (AC)8YT 7 7 100.0 4.57 ISSR-24 (GA)8YC 12 7 58.3 12.00 ISSR-25 (AG)8GYT 11 11 100.0 4.43 ISSR-26 (AG)8YC 15 15 100.0 9.14 ISSR-27 (AG)8YA 13 12 92.3 10.14 TOTAL 94 84 MÉDIA 11.75 10.50 89.4 7.79

RESULTAD

OS

E DI

SCUSSÃO

 Os ISSR’s demonstraram ser marcadores adequados em estudos de diversidade de ambas espécies, gerando altos

(17)

Burkea africana

RESULTAD

OS

E DI

SCUSSÃO

 Para ambas espécies, foram formados 4 grupos (I, II, III e IV).

(18)

Brachystegia bohemii

RESULTAD

OS

E DI

SCUSSÃO

Burkea africana

 A distribuição dos indivíduos colhidos pelos grupos

(19)

RESULTAD

OS

E DI

SCUSSÃO

Locus Ne He (Total) He (Este) He (Oeste) Média 1.4969 0.2972 0.2184 0.2977 SD 0.3365 0.1588 0.2106 0.1685 Locus Ne He (Total) He (Este) He (Oeste) Média 1.3055 0.1965 0.2059 0.1482 SD 0.3146 0.1601 0.179 0.1803 Brachystegia bohemii Burkea africana

 A média de variabilidade genética na Burkea africana é maior

que na Brachystegia bohemii.

 Contrariamente, a Brachystegia bohemii apresenta maior grau de

diversidade genética na zona Este (de maior frequência de fogo) -

 Decréscimo da diversidade genética da Burkea africana de Oeste

(20)
(21)
(22)

 Os marcadores ISSR geraram perfis genéticos para a validação

dos marcadores, análise da diversidade genética bem como a distribuição da amostragem de acordo com a sua origem geográfica.

 Potencial genético para as duas espécies em ambos os

sectores da reserva.

 A actual frequência de fogos ainda não comprometeu a

diversidade disponível.

(23)
(24)

Alargamento da amostragem na RNN e extensão de

estudos para outras regiões do país.

Identificação de biocompostos e de marcadores de

(25)

Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Fundo Nacional de Investigação (FNI)

Imagem

Referências

temas relacionados :