motivo de muita alegria sabermos da sua companhia conosco. Obrigado por que você tem sintonizado

Texto

(1)

Olá amigo, estamos iniciando mais um programa da série "Através da Bíblia" e para nós é sempre

1

motivo de muita alegria sabermos da sua companhia conosco. Obrigado por que você tem sintonizado esse programa e tem sido fiel em nos acompanhar no estudo sistemático que fazemos da Palavra de Deus. Estamos dando seqüência aos estudos no livro dos Salmos. Hoje vamos estudar os salmos 112, 113, 114. Certamente teremos lições importantes para aprender e aplicar em nossas vidas. Por isso sugiro a você abrir a sua Bíblia e acompanhar atentamente o estudo da Palavra de Deus. Depois você pode escrever compartilhando como Deus falou ao seu coração. E é exatamente isso que o nosso irmão EB, da cidade de Londrina, estado do Paraná, fez, enviando-nos a seguinte mensagem: "Graça e paz.

Tenho escutado todas as noites os estudos do Através da Bíblia pela BBN. Estamos estudando Neemias. Como posso conseguir esses estudos? Você podem me mandar por e-mail? Ficaria muito grato. Forte abraço". Querido amigo obrigado por suas palavras de incentivo e apoio. Temos dado graças a Deus porque ele tem nos usado para abençoar o seu povo. Na verdade esse é o nosso objetivo.

Desejamos que através desse programa muitos sejam abençoados e desafiados a viverem de modo cada vez mais agradável a Deus, demonstrando ao mundo a necessidade que ele tem da salvação em Jesus Cristo. Quanto ao seu pedido, conforme já lhe respondi por e-mail infelismente não podemos atende-lo, pois, enviar o conteúdo completo dos livros que estudamos prejudicaria o nosso projeto que é também transformar esses comentários bíblicos que fazemos no rádio em livro, como já temos feito com Genesis, Mateus, Lucas e logo mais serão disponibilizados os livros de Marcos e João. A publicação dos livros faz parte integral do projeto e, para isso pedimos a oração de todos você que acompanham o programa. E é exatamente para isso que eu o convido, para àquele momento importantíssimo do nosso programa, quando buscamos a presença do Senhor. Vamos orar: "Pai amado, somos gratos por tua companhia conosco e por tua misericórdia. Como tu conheces a necessidade de cada um de nós, Pai buscamos a iluminação do teu Espírito. Que o Senhor fale a cada coração. Obrigado pela preciosa salvação em Jesus. Oramos em nome de Jesus. Amém!"

(2)

Querido amigo, hoje o nosso objetivo é estudarmos hoje os salmos 112, 113, 114

2

Deus, e somente Deus, merece a adoração. “Não a nós, SENHOR, não a nós, mas ao teu nome dá glória” (115:1). Ele dá esperança aos justos e promete justo castigo aos perversos. Ele está acima de todos e domina o universo que criou. Protegeu especialmente o povo de Israel, mas merece o louvor de todas as nações, “porque mui grande é a sua misericórdia para conosco, e a fidelidade do Senhor subsiste para sempre. Aleluia!” (117:2).

Salmo 112

Título: As características daquele que teme ao Senhor

Introdução: Este é mais um salmo acróstico, em que se usa uma das letras do alfabeto para iniciar cada um dos versos. É um salmo que faz dupla com o salmo 111 que estudamos no programa passado.

Naquele salmo foi-nos mostrado os caminhos de Deus, as suas grandiosas obras, e nesse salmo nos mostra os caminhos do homem de Deus, as suas características. Em certo sentido este salmo é um desenvolvimento do verso final do Salmo 111. Ali o salmista afirmou, como em outras passagens bíblica, que “o temor do Senhor é o princípio da sabedoria; revelam prudência todos os que o praticam”. Nesse salmo veremos as características desse homem que teme o Senhor.

Tema: As características, as bênçãos ou, a prosperidade daqueles que temem ao Senhor. Ao tratar desse homem sábio e abençoado devemos mais uma vez definir de modo claro o que é temer ao Senhor.

Temer a Deus não é ter medo de Deus, não é viver apavorado sabendo que um dia estaremos na presença dele, que é o supremo juiz de toda a sua criação. Temer a Deus é interessar-se por aquilo que Deus valoriza, é valorizar o que Deus diz que devemos colocar em primeiro lugar. Temer a Deus é buscar a sua justiça, é desejar viver segundo os padrões do seu reino. Temer a Deus é ter consciência de que ele está presente em nosso dia a dia, é reconhecê-lo em todos os nossos caminhos (Pv 3.6). Diante disso, o desafio do salmo para todos nós pode ser assim apresentado:

Desafio: Aquele que teme o Senhor tem prazer em ser usado para servir os que dele necessitam.

(3)

Divisões: Encontramos aqui cinco características daquele que teme o Senhor:

3

1. Aquele que teme ao Senhor caracteriza-se por se alegrar na lei do Senhor, vs. 1. Esse que teme ao Senhor é descrito como alguém feliz, com a felicidade celeste. Mas a sua alegria, a sua felicidade está baseada no seu amor à lei do Senhor. Assim como feliz era o homem do salmo 1, assim aqui também é feliz aquele que ama a lei do Senhor e nela tem o seu prazer. Essa é a alegria daquele que teme a Deus!

2. Aquele que teme ao Senhor caracteriza-se por ser justo em suas relações, vs. 2-3. O homem que teme ao Senhor, que tem prazer em obedecer ao Senhor, é abençoado. Tem uma descendência poderosa; é próspero; é rico, mas tudo isso só acontece porque ele é justo, porque a sua justiça é permanente. Ele não possui dois pesos e suas medidas.

3. Aquele que teme ao Senhor caracteriza-se por ser bondoso, vs. 4-6. Este servo mostra a sua bondade para com outros, e ganha o respeito deles. Esse respeito e reputação são baseados na sua benignidade, na sua misericórdia, na sua justiça, na sua compaixão e no socorro (empréstimo) como que atende os necessitados. Isso faz com que o seu nome seja sempre lembrado em todas as ocasiões.

4. Aquele que teme ao Senhor caracteriza-se por estar firmado no Senhor, vs. 7-9. Ele confia na justiça de Deus, sabendo que será estabelecido acima dos ímpios. Não se atemoriza, pois ama o Senhor.

Quem teme também ama o Senhor. Quem ama o Senhor lança fora o temor. Porque ele continua a distribuir e ajudar os necessitados cada vez mais o seu coração está firmado no Senhor

5. Aquele que teme ao Senhor caracteriza-se por não ser como o perverso, vs. 10. Os perversos não serão bem-sucedidos. Os perversos ficam enciumados, eles vêm a bênção de Deus sobre o justo, sobre aquele que teme ao Senhor e, certamente, gostariam que os justos fracassassem, porém o desejo dos perversos perecerá!

Conclusão: Como podemos concluir o estudo deste salmo? Podemos considerar essas declarações como promessas? Descendência, prosperidade, inabalável, sem temores, firmeza, confiança, segurança são promessas a serem reivindicadas pelos justos. Conforme os versos desse salmo parece que a esse

(4)

homem não falta nada. Mas é sempre bom lembrar que embora esse salmo descreva o homem justo

4

como adendo a descrição de Deus e seus atributos, no salmo 111, temos que lembrar que esse salmo começa com a expressão: “Aleluia!”, isto é, “louvai ao Senhor”, por isso ao invés de entendermos que é um salmo que exalta o homem é um salmo que honra e glorifica a Deus por tudo o que concede ao homem que o teme. Ao invés de vermos nesse salmo uma lista de promessas a serem reivindicadas devemos ver aqui uma lista de motivos para louvar o Senhor!

Aplicação: Querido amigo, minha oração é que você seja um homem ou uma mulher que teme ao Senhor e, oro também para que você, pela graça de Deus possa usufruir das bênçãos que generosamente ele nos concede!

XXX Salmo 113

Título: Louvor ao grande Deus

Introdução: Este é um salmo de sincero louvor ao Senhor Deus. Este é o primeiro de seis salmos, do 113 ao 118, conhecidos como o hallel egípcio (devido ao salmo 114; hallel significa “louvor”). Esses salmos estão associados à páscoa hebraica. Os dois primeiros (113-114) eram cantados antes da refeição, e os quatro seguintes (115-118) eram cantados após a refeição (conf. Mt 26.30; Mc 14.26).

Este salmo, em outras palavras convida a todos para o louvor ao grande Deus, transcendental e imanente.

Tema: Em palavras que podem ser resumidas, esse salmo é um hino de louvor para o excelso Deus.

Seu tema é a grandeza e a bondade condescendente de Deus, pois ao se interessar e levantar os que estão necessitados, abatidos e caídos o salmista demonstra e reforça a grandiosidade divina. Assim o desafio do salmo para nós pode ser colocado através da seguinte frase:

Desafio: Diante da grandiosidade de Deus que é excelso nas alturas, mas que cuida dos necessitados somos convocados a louvá-lo

(5)

Divisões: Encontramos aqui cinco motivos de louvor

5

1. Louvamos a Deus porque ele é o Senhor, vs. 1-3. Deus eterno e onipresente merece a adoração de todo homem. A expressão “do nascimento do sol até ao ocaso” indica que o nosso louvor a Deus deve ser constante, da manhã à noite, durante todos os momentos devemos louvar a Deus. E, é interessante destacarmos também que num pequeno salmo de nove versos, por cinco vezes Deus é chamado de Senhor (1, 1, 2, 3, 4, 5).

2. Louvamos a Deus porque ele é excelso, vs. 4. Deus está acima dos céus, acima das nações, está acima de todos os homens, sejam grandes ou pequenos, pobres ou poderosos. Em tudo isso se confirma que Deus é excelso e merece ser louvado!

3. Louvamos a Deus porque ele é único, vs. 5-6. Ele é tão superior a todos que ele se inclina para ver os céus e a terra. Nesses versos verifica-se a transcendência de Deus, isto é, a noção de que Deus é elevado acima e independente ao universo que ele criou. Deus ultrapassa a sua propria criação. Mas verifica-se também a imanência de Deus, isto é, a presença desse mesmo Deus glorioso e acima de nós, intervindo e agindo em nosso mundo. A imanência divina é o conceito religioso e metafísico que defende a existência de um ser supremo e divino, de Deus, dentro do mundo físico. Deus aqui é visto como combinar em si os opostos de transcendência e imanência, em que tanto ele transcende o universo e está ativo em ele. Deus tem seu trono nas alturas, mas se inclina para erguer do pó o desvalido! Por isso ele merece o nosso louvor!

4. Louvamos a Deus porque ele cuida do desamparado, vs. 7-8. Mesmo sendo sublime e incomparável, ele se importa com os pequenos. Ele exalta os carentes e lhes dá lugar ao lado dos poderosos e governantes. Assim como oraram Ana e Maria (1Sm 2.3-8; Lc 1.46-55) Deus cuida daquele que está sozinho e desamparado.

5. Louvamos a Deus porque ele é o doador da vida, vs. 9. Deus atendeu a oração de Sara e de Ana, concedendo-lhes a fertilidade para darem à luz, respectivamente a Isaque e a Samuel. Assim também

(6)

ele concede a bênção da gestação, ele concede filhos à mulher estéril para alegrar o seu coração, ao

6

viver em família. O nosso Deus nos abençoa com a possibilidade de gerar vida. Vida que vem apenas dele. Ele é o doador da vida!

Conclusão: Querido amigo quando contemplamos a natureza, a imensidão do céu, e a grandiosidade do mar, certamente reconhecemos a grandiosidade e a sublimidade de Deus. Mas quando estamos aflitos e recorremos a ele certos de que ele nos ouve e nos atente, certamente reconhecemos que ele é nosso Pai e está bem junto a nós!

Aplicação: Diante disso, para que você usufrua dessa maravilhosa ação do Senhor, contemple e ore e você experimentará esses dois maravilhosos atributos de Deus.

XXXXX Salmo 114

Título: A libertação do Senhor

Introdução: Este Salmo não tem autoria comprovada e por isso também não se tem idéia de quando foi composto. Porém o conteúdo do salmo supera quaisquer preocupações que pudéssemos ter. Spurgeon (2005, p.316) nos diz que nenhuma mente humana foi capaz de igualar, muito menos exceder a grandeza desse salmo.

Tema: Este salmo fala de Deus saindo à frente do seu povo na caminhada do Egito à Canaã. Este salmo é um hino de louvor ao Deus que libertou seu povo da escravidão do Egito. Como o salmista reconhece a libertação de Israel das garras escravagistas do Egito foi providenciada por Deus. E como criador e Deus soberano sobre tudo e todos, Deus faz com que toda a terra criada se mova com a sua caminhada diante do povo de Israel. Em figura poética do mais elevado nível o salmista louva a Deus pela libertação da escravidão. Portanto, o desafio do salmo para nós pode ser percebido nessa sentença:

Desafio: Diante das ações poderosas divinas que culminaram na libertação da escravidão devemos proclamar a salvação do Senhor.

(7)

Divisões: Encontramos aqui cinco aspectos do testemunho que devemos dar sobre salvação do Senhor:

7

1. Testemunhamos que Deus liberta, vs. 1. Aqui encontramos mais um paralelismo bem fácil de ser identificado. “Quando saiu Israel do Egito”, na primeira porção do verso e, “a casa de Jacó, saiu do meio de um povo de língua estranha” na segunda porção do verso são frases que afirmam a mesma verdade, porém com palavras diferentes. Ao usar o paralelismo o salmista enfatiza essa verdade: Deus trouxe o povo de Israel do Egito para a Terra prometida. Isso quer dizer, que os israelitas não precisaram lutar. Deus foi na frente, nas laterais e na retaguarda protegendo e levando-os em segurança.

Foi o próprio Deus quem fez a obra de libertação.

2. Testemunhamos que Deus habita entre o seu povo, vs. 2. Temos aqui novamente mais um paralelismo apontando outros nomes pelos quais o povo de Deus era chamado nas páginas do Antigo Testamento. No verso um os nomes de Israel e casa de Jacó formaram o paralelismo. Aqui, no verso 2 os nomes Judá e Israel também são paralelos e nos mostram que foi em meio ao seu povo que habitou.

Deus escolheu, simbolicamente, através da Arca e do propiciatório habitar no meio do seu povo. Deus fez do povo judeu o seu santuário e o seu domínio. Ainda hoje não são os templos os lugares de habitação de Deus, mas, certamente, na vida pessoal de cada um que Deus quer habitar.

3. Testemunhamos que Deus conduz por caminhos seguros, vs. 3-4. Estes versículos mostram uma série de quatro elementos da natureza que foram abalados pela gloriosa presença de Deus. 1) O mar, certamente, o mar Vermelho, fugiu, isto é, as suas águas pararam. 2)O rio Jordão, também fugiu retendo as suas águas para que os israelitas comandados por Josué pudessem atravessá-lo a seco. 3)Os montes e, 4) As colinas, também se abalaram e se movimentaram diante da gloriosa presença de Deus.

4. Testemunhamos que Deus tem controle sobre a natureza, vs. 5-6. Aqui o salmista faz quatro perguntas retóricas sobre o motivo das reações desses mesmos elementos que foram abalados. Aqui o salmista, queria que a sua poesia transmitisse uma idéia da personificação da própria natureza. Ele queria demonstrar como a natureza reagiu, ficou emocionada, rendeu-se aos atos poderosos de Deus.

(8)

Na condução do seu povo à terra prometida Deus ia à frente do seu povo e, a natureza apenas ia se

8

manifestando diante da poderosa presença divina. Para todas as quatro perguntas a resposta poderia ser:

todas essas reações ocorreram porque estivemos diante da gloriosa presença de Deus. Não é só o homem que não suporta ficar na presença de Deus, por causa da sua santidade (Is 6). A própria natureza também é abalada, como aconteceu com o monte Sinai (Êx 19.16-19). Deus é grandioso e glorioso e tem total controle sobre a natureza.

5. Testemunhamos que Deus é onipresente, vs. 7-8. Todos os elementos da natureza fugiram e tremeram porque o Senhor é grande! Porque a presença de Deus é tremenda.

Conclusão: Querido amigo, se Deus tem todo o controle sobre a natureza e a própria natureza lhe rende louvor e adoração, certamente nós que não somos seres inanimados, devemos racional e alegremente nos rendermos ao Senhor em louvor e adoração pela sua preciosa salvação.

Aplicação: Decida agora mesmo colocar-se submisso diante do Senhor, renda-lhe louvor e adoração.

Faça mais do que a natureza. Celebre a Deus com entusiasmo pela sua grandeza!

2706

Imagem

Referências

  1. metafísico
  2. do mundo
temas relacionados :