Texto

(1)

A Casa Grande e Seus Vasos

Sermão nº 1348

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e

Editado por Silvio Dutra

Abr/2019

(2)

2

S772

Spurgeon, Charles H.- 1834-1892 A casa grande e seus vasos / Charles H.

Spurgeon

Tradução e adaptação Silvio Dutra Alves – Rio de Janeiro, 2019.

42p.; 14,8 x21cm

1. Teologia. 2. Pregação. 3. Alves, Silvio Dutra.

I. Título.

CDD 252

(3)

3

“Ora, numa grande casa não há somente utensílios de ouro e de prata; há também de madeira e de barro. Alguns, para honra; outros, porém, para desonra. Assim, pois, se alguém a si mesmo se purificar destes erros, será utensílio para honra, santificado e útil ao seu possuidor, estando preparado para toda boa obra.” (2 Timóteo 2:20, 21)

U

ma das calamidades mais graves que pode acontecer a uma igreja é ter seus próprios ministros ensinando heresia. No entanto, isso não é novidade, aconteceu desde o começo.

Paulo, Pedro, Tiago e João em suas epístolas tinham que falar de sedutores nas igrejas, mesmo naqueles dias primitivos, e desde então surgiram no meio da casa de Deus aqueles que subverteram a fé de muitos e levou-os longe das verdades fundamentais em erros de sua própria invenção. O apóstolo compara isso à gangrena, que é um dos mais perigosos e mortíferos danos que podem ocorrer ao corpo. Está dentro do corpo - ela come mais e mais profundamente na carne, apodrecendo e putrefando, e se não for detida, continuará sua devastação até que a vida seja extinta pela “mortificação negra”. Falsa doutrina e um espírito não-cristão no meio da própria igreja deve ser considerado como essa gangrena, um lobo silencioso roendo

(4)

4

vorazmente o coração, o abutre de Prometeu devorando os órgãos vitais. Nenhuma oposição externa deve ser temida sequer a metade.

No entanto, aqui está o nosso conforto quando afligidos pelos males da época presente, entre os quais este é um dos principais, que a verdade permanece para sempre a mesma. “O fundamento de Deus é seguro”. Não há como mover isso. Quer dez mil se oponham a ela ou a promulguem, a verdade continua a mesma em todos os momentos, mesmo quando o sol brilha ao mesmo tempo, quando as nuvens escondem seu brilho como quando de um céu claro derrama uma torrente de glória.

Os amantes de tagarelices profanas e vãs não nos tiraram, nem podem tirar de nós as verdades eternas.

O Senhor vive, embora digam: "Não há Deus". O precioso sangue de Jesus não perdeu sua eficácia, embora os sacerdotes tenham ocultado a expiação. O Espírito de Deus não é menos poderoso para vivificar e consolar embora os homens tenham negado a Sua Pessoa. A ressurreição é tão segura como se Himeneu e Fileto nunca tivessem dito que já se passou, e que o pacto eterno da graça permaneça ininterruptamente, embora os fariseus e os

(5)

5

saduceus se unam para insultá-lo. O fundamento de Deus é seguro e, além disso, o fundamento da igreja também é seguro, bendito seja Deus: "O Senhor conhece os que são seus."

Tudo o que Deus construiu sobre o fundamento que Ele mesmo estabeleceu mantém seu lugar, nem uma pedra viva que Ele colocou sobre o fundamento foi retirada de seu lugar de descanso. Terremotos de erro podem testar a estabilidade do edifício e causar grande sondagem de coração, mas mais cedo as montanhas que estão ao redor de Jerusalém começarão a ruir de seus assentos do que a obra ou a Palavra do Senhor sejam frustradas.

As coisas que não podem ser abaladas permanecem inalteradas nos piores momentos.

“Afinal de contas”, diz o apóstolo, embora em poucas palavras: “Não é uma maravilha tão grande que haja pessoas na igreja que não sejam do metal da sinceridade, nem do ouro e da prata da verdade. que suporta o fogo. Você não deve olhar para Himeneu e Fileto como se fossem prodígios. Houve muitos como eles e haverá muitos mais. Essas ervas daninhas crescem rapidamente, em todas as eras elas se multiplicam e aumentam.”

Onde, queridos irmãos, sob os céus, encontraremos pureza absoluta em qualquer

(6)

6

comunidade? A primeira família tinha um Caim e havia um Cão perverso mesmo entre os poucos que estavam dentro da arca. Na casa do pai dos fiéis havia um Ismael. Isaque, com toda a sua caminhada silenciosa com Deus, deve ser incomodado com um Esaú, e você sabe como na casa de Jacó havia muitos filhos que não andavam como deveriam. Quando a igreja de Deus estava no deserto e tinha uma barreira de deserto entre ela e o mundo exterior, ainda assim você sabe como Coré, Datã e Abirão estavam ali, além de muitos outros perturbadores em Israel. Sim, mesmo no meio da parte mais seleta da igreja visível de Deus, no sacerdócio, foram encontrados aqueles que a desonraram. Nadabe e Abiú foram mortos com fogo diante do Senhor e Hofini e Fineias morreram em batalha porque eles se fizeram vis, embora fossem sacerdotes ungidos de Deus.

Mesmo quando nosso divino Mestre formou para Si mesmo - “Um pequeno jardim, cercado de muros, escolhido e feito terreno peculiar”, no qual havia apenas doze árvores escolhidas, mas uma delas produziu maus frutos. "Eu escolhi vocês doze e um de vocês é um demônio." No grande campo que Cristo plantou, o joio brotará entre o trigo, pois o inimigo se esforça em plantá-lo. Nem é possível para nós arrancá-los. No jardim do rei, crescerão espinhos, abrolhos e cardos e também no solo

(7)

7

mais sagrado. Até os lírios de Cristo crescem entre os espinhos. Você não pode manter o melhor das igrejas completamente puro, pois embora o próprio Senhor tenha preparado uma vinha e feito um lagar e construído um muro sobre ela, ainda assim as raposas vêm e estragam as videiras. E embora nosso grande Senhor tenha um pomar que produz frutos raros, ainda quando Ele vem visitá-lo, Ele encontra uma figueira estéril, cavada e alimentada, é verdade, mas ainda estéril. Olhe para o rebanho de Cristo na terra e eis que há lobos em pele de ovelha ali. Olhe para a rede que Seus servos arrastam para a praia e há peixes bons e ruins nela. Sim, levante os olhos para os céus e, embora haja miríades de estrelas, ainda assim você deve marcar estrelas errantes entre elas - e meteoros que são e já não são - e são apagados para sempre na escuridão das trevas.

Até que cheguemos ao céu do Altíssimo, devemos esperar encontrar palha misturada com o trigo, escória com o ouro, cabras com as ovelhas e moscas mortas no unguento. Apenas vamos fazer com que não estejamos com esse caráter ruim, mas sejamos preciosos aos olhos do Senhor.

Ao chegar ao texto, o apóstolo sugere o encorajamento que já dei, sob uma certa

(8)

8

metáfora. Ele diz que em uma grande casa naturalmente existirão variedades de móveis e haverá vasos e utensílios de muitos tipos.

Alguns deles serão de madeira e de barro, para fins mais humildes, mas outros de ouro e prata, para ocasiões especiais, quando a honra e a glória do grande proprietário devem ser exibidas.

Há vasos de metal precioso em uma grande casa e estes são sua honra, enfeitando as mesas em festivais especiais quando o Mestre está em casa. Mas há outras coisas mais básicas mantidas em segundo plano, nunca exibidas em momentos de alegria, mas destinadas a trabalhos comuns. Há xícaras e jarros de prata maciça valorizados como perpétuos herdeiros da família, cuidadosamente preservados. E há pratos e potes que logo são desgastados e são apenas de uso temporário, muitos dos quais são quebrados na vida de uma família. O semelhante é verdadeiro na igreja de Deus que está no mundo e tem seu lado comum e seus vasos comuns, mas sendo também uma casa celestial, tem sua mobília mais nobre, muito mais preciosa que o ouro que perece embora seja provada com fogo.

Para nossa instrução, que o Espírito Santo nos ajude enquanto olhamos, primeiro, para a casa

(9)

9

grande. Em segundo lugar, nos vasos medíocres, espiando a cozinha. Em terceiro lugar, nos vasos mais nobres, entrando no gabinete de porcelana para olhar a prata e o ouro. E então, em quarto lugar, antes de sairmos da casa, vamos pedir uma entrevista com o próprio Mestre.

I. Primeiro, vamos considerar a GRANDE CASA.

O apóstolo compara a igreja a uma grande casa.

Temos certeza de que ele não está falando do mundo. Não lhe ocorreu falar sobre o mundo e teria sido totalmente supérfluo nos dizer que existe no mundo todo tipo de gente - todo mundo sabe disso. A igreja é uma grande casa que pertence a um grande personagem, pois a igreja é a casa de Deus, de acordo com a promessa: “Eu habitarei neles e andarei neles”.

A igreja é o templo no qual o Senhor é adorado, o palácio em que Ele governa. É o Seu castelo e lugar de defesa para a Sua verdade. É o arsenal do qual Ele fornece seu povo com armas. A igreja é a mansão de Deus na qual Ele habita:

“Este é o meu descanso para sempre. Aqui habitarei porque assim desejei.” Ali está Ele em Seu amor e em infinita condescendência, manifestando-se como não o faz ao mundo. O Rei Salomão construiu uma casa para si mesmo na floresta do Líbano e eis que o Senhor de pedras vivas construiu para Si uma casa muito

(10)

10

mais gloriosa onde pode habitar. É uma casa grande porque é a casa do grande Deus. Quem pode ser tão grande como ele? É uma grande casa porque foi planejada e projetada em grande escala. Temo que alguns que moram na casa não tenham ideia de como é grande. Eles têm uma noção muito fraca de seu comprimento e largura. Os grandes pensamentos de Deus estão muito além de sua concepção mais elevada, para que Ele possa dizer a eles como disse aos outros: “Meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os Meus caminhos são os vossos caminhos, diz o Senhor”. O Rei dos reis é

"extraordinariamente magnífico", e o espaço supera todas as moradas dos príncipes terrenos.

Nós lemos sobre o palácio de ouro de Nero, que alcançou de colina a colina e com lagos fechados e córregos e jardins sob o seu telhado maravilhoso. Mas eis que o Senhor estendeu a linha da Sua graça eleitora sobre nações e tribos até os confins da Terra. Sua casa se prolonga em uma varredura poderosa da humanidade.

Muitos são os cômodos da casa e há moradores em um cômodo que nunca viram nenhuma parte da grande casa, senão a pequena câmara em que nasceram, nunca andaram pelos corredores maravilhosos ou se moveram pelos vastos salões que Deus construiu com pilares de cedro e vigas de cedro e trabalho esculpido de obra celestial. Alguns homens bons mal se

(11)

11

importam em ver as longas fileiras de colunas polidas, extraídas da graça da massa áspera da natureza, que agora resplandece como monumentos de amor e sabedoria divinos.

Colossal é o plano do Eterno - a igreja de Deus é digna da mente infinita. Anjos e principados se deleitam em estudar o plano estupendo e bem seguro - enquanto o grande Arquiteto desenrola Seus desenhos, peça por peça, para deixá-los ver as várias seções do desenho completo, eles ficam impressionados com admiração e exclamam: “Oh, as riquezas da sabedoria e do conhecimento de Deus.” A igreja não é uma cabana estreita onde alguns podem desfrutar de fanatismo, mas é uma grande casa, digna do infinito coração de Jeová, digna do sangue de Jesus, o Deus encarnado, e digna do poder do Espírito sempre bendito. É uma grande casa porque foi erguida a grande custo e com grande trabalho. O custo desta mansão quem pode dizer? É um preço além do preço, pois Deus deu o Seu Filho unigênito - Ele teve apenas um e o Céu não poderia se igualar a Ele - para que Ele pudesse redimir para Si um povo que deveria ser Sua morada para sempre. O templo de Salomão, agora que eles desnudaram uma parte das fundações, mesmo estando em completa ruína, espanta todos os observadores enquanto eles marcam o tamanho enorme e o ajuste

(12)

12

preciso das pedras - o que deve ter sido em sua glória? Que custo foi gasto naquela casa gloriosa? Mas pense no trabalho e na habilidade, na arte divina e na engenharia com que Jeová partiu da rocha da natureza pecaminosa as pedras com as quais Ele edifica Sua casa espiritual. Que energia o Espírito Santo mostrou! Que poder de ressurreição! Mais duros do que qualquer granito nós éramos por natureza, contudo Ele nos separou da rocha da qual nós formamos uma parte, e nos tem construído juntos para uma habitação de Deus através do Espírito. Diga-o para o louvor da glória de Sua graça, que o poder onipotente do Senhor e a ilimitada riqueza de amor são revelados em Sua igreja.

Quando nossos olhos virem a igreja de Deus por fim, em toda a sua beleza, descendo do céu de Deus, tendo a glória de Deus e sua luz como uma pedra preciosa, como uma pedra de jaspe - quando vermos que seu comprimento, a largura e a altura são iguais - quando vermos seus fundamentos profundos depositados no propósito eterno e seus muros construídos com elevados pináculos de glória, elevados como a pessoa divina de seu Senhor. E quando marcarmos sua maravilhosa dimensão, larga o suficiente para manter a glória e a honra das nações, então devemos gritar de alegria ao

(13)

13

contemplarmos as riquezas e o poder e o esplendor do grande Rei dos reis, que construiu para Si mesmo esta grande casa.

É uma grande casa, ainda, porque seus arranjos domésticos são conduzidos em grande escala.

Você sabe como os camponeses, quando há algum senhor rico vivendo na aldeia, falam sempre de sua mansão como “a grande casa”. É a grande casa para a qual esses bois estão sendo engordados e aquelas ovelhas e cordeiros serão consumidos na casa grande, pois há muitos na família e ninguém pode ficar em falta.

Salomão manteve uma grande casa. Quando você lê o relato da provisão diária para sua mesa, percebe que era uma grande casa, na verdade - um vasto e real estabelecimento real. Sim, mas nem por qualidade nem por quantidade o palácio de Salomão pôde igualar a grande casa de Deus em sua abundância. Fala da boa farinha - eis que nos deu comida de anjos. Fala das delícias reais - eis que o Senhor nos deu coisas gordas cheias de medula, vinhos bem refinados.

Que festa perpétua o Senhor Jesus mantém para todos os Seus seguidores. Se algum deles tem fome, não é porque suas rações são limitadas. Se houver alguma queixa, não é porque os bois e os cevados do Mestre não são fornecidos gratuitamente. Ah, não, para cada homem há

(14)

14

um bom pedaço de carne e um jarro de vinho tratado, assim como Davi fez no dia em que ele removeu a arca até o monte de Sião. Glória a Deus. Ele disse: “Comei, ó amigos. Bebei, sim, bebei em abundância, ó amados.”

Neste monte a mão do Senhor descansará e Ele fará a todas as nações uma festa de coisas gordas. Eis que os seus bois e cevados estão mortos, tudo está pronto. É uma grande casa, onde grandes pecadores são alimentados com grandes iguarias e cheios da grande bondade do Senhor. É uma grande casa para o número de seus habitantes. Quantos viveram debaixo daquela árvore por telhado por muito tempo.

“Senhor”, eles dizem como um grande exército:

“Você tem sido a nossa morada por todas as gerações.” Deus é o lar de Seu povo e Sua igreja é a morada de Deus, e que multidões estão habitando lá agora. Não apenas as companhias que conhecemos, com quem é um prazer nos encontrarmos para a adoração solene, mas em todo o mundo o Senhor tem um povo que habita no meio de Sua igreja. E embora os homens tenham desfigurado a casa de seu Mestre, anotando sinais estranhos em alguns dos quartos e chamando-os por outros nomes que não os do proprietário, ainda assim o povo do Senhor é uma igreja e qualquer parte ou partido a que eles pareçam pertencer, se Cristo está

(15)

15

neles, eles pertencem àquele de quem toda a família no céu e na terra é nomeada e eles constituem apenas uma casa espiritual. Que enxame há dos filhos do Senhor e, ainda assim, nenhum membro da família permanece sem alimento.

A igreja é uma grande casa onde moram milhares, sim, um número que nenhum homem pode contar.

Ainda, é uma grande casa por causa de sua importância. As pessoas falam da “grande casa”

em nossos condados remotos porque, para todo o bairro, tem uma relação especial, estando conectada com alguns de seus interesses mais vitais - política do condado - dignidade e riqueza encontram seu centro na “casa grande”. A igreja é uma grande casa, porque é o lar de Deus onde Ele distribui pão e vinho para refrigerar o cansado e abrigar os viajantes que de outra forma se perderiam na tempestade. É o hospital de Deus no qual Ele leva os doentes e ali os nutre até que eles renovem sua juventude como as da águia. É o grande farol de Deus com sua lanterna projetando um raio direcionador para que os errantes distantes sejam direcionados para o refúgio da paz. "De Sião, a perfeição da beleza de Deus resplandeceu." É a sede da magistratura de Deus, pois há tronos definidos de julgamento, os

(16)

16

tronos da casa de Davi. Eis que o Senhor colocou o seu Rei sobre o seu santo monte de Sião e, portanto, o poder do seu cetro vai até os confins da Terra. A grande casa da igreja é a universidade para ensinar todas as nações, a biblioteca na qual os oráculos sagrados são preservados, o tesouro em que a verdade é depositada e o registro dos herdeiros recém- nascidos do céu. É importante tanto para o céu quanto para a Terra, pois suas torres mais altas alcançam a glória e nela há uma escada, cujo pé repousa sobre a Terra, mas o topo dela alcança o céu - de cima abaixo, que os anjos vêm e vão continuamente. Eu não disse bem que o apóstolo tinha escolhido sabiamente a figura quando chamou a igreja de uma grande casa?

II. Vamos agora para dentro da casa grande e de imediato observamos que ela está bem mobiliada. Nosso texto, no entanto, nos convida a notar que ela contém um número de VASOS MEDIANOS, artigos do tipo mais grosseiro para usos comuns. Aqui estão pratos e baldes de madeira e jarros e panelas e vários vasos de cerâmica grosseira. Alguns pensaram que essa figura de vasos para desonrar se relaciona com cristãos de grau inferior, pessoas de pouca graça e de conversa menos santificada. Agora, embora os crentes possam ser, de alguns pontos de vista, comparáveis aos vasos de barro, ainda assim,

(17)

17

não ouso olhar para qualquer filho de Deus, por menor que seja em graça, como um vaso para desonra. Além disso, a palavra “estes” refere-se aos vasos de barro e de madeira e certamente eles não podem representar santos ou nunca devemos ser instruídos a nos purificar deles. Se um homem é filho de Deus, em qualquer estado e condição que possa cair, é nosso dever cuidar dele e tentar restaurá-lo, lembrando-nos também de que também não sejamos tentados.

Mas não pode ser certo nos purificarmos do menor dos nossos irmãos crentes. Além disso, essa não é a aplicação do capítulo. O verdadeiro significado é que na igreja de Deus existem pessoas indignas que servem a propósitos inferiores e temporários, que são vasos para desonra. Eles estão na igreja, mas eles são como vasos de madeira e vasos de barro, eles não são o tesouro da mansão, eles não são trazidos para fora em ocasiões especiais, e não são muito guardados, pois eles não são "preciosos" à vista do Senhor. O apóstolo não nos diz como eles chegaram lá, pois não era sua intenção fazê-lo e nenhuma parábola ou metáfora poderia ensinar tudo. Tampouco ficarei para descrever como alguns professantes entraram na igreja de Deus - alguns por falsidade distinta e fazendo profissões que eles sabiam ser falsas - outros pela ignorância e outros ainda sendo autoenganados e levados com excitação. A

(18)

18

parábola não diz como chegaram lá, mas eles estão lá, e ainda assim são apenas vasos de madeira e vasos de barro. Não é crédito para eles que eles estejam onde estão, pois não são vasos para honrar, embora estejam em um lugar honrado. Não é uma honra para qualquer homem ser membro de uma igreja cristã, se ele é intrinsecamente inútil, embora eles façam dele um ministro ou o elejam como diácono.

Não é uma honra para ele estar no cargo, se o metal de que ele é feito não lhe serve para um propósito tão honrado. Ele é um intruso em uma posição honrosa e é uma desonra para ele estar onde ele está. Não é uma honra para uma erva daninha crescer na melhor parte do jardim, nenhuma honra para uma figueira estéril que perturba o melhor solo da vinha. Ah, querido amigo, se você está na igreja de Deus, mas não sendo verdadeiramente um do povo do Senhor, é uma coisa desonrosa você ter vindo para lá e é igualmente desonroso para você permanecer lá, sem cumprir o grande requisito que é exigido de todos os que levam o nome de Jesus - que ele se aparte de toda a iniquidade.

Os vasos na casa grande são, no entanto, de alguma utilidade, mesmo sendo feitos de madeira e barro, e por isso há pessoas na igreja de Deus a quem o Senhor Jesus não possuirá como Seu tesouro, mas Ele, todavia, transforma-

(19)

19

os em algum propósito temporário. Alguns são úteis como o andaime para uma casa, ou o ancoradouro para um navio, ou as cercas para um campo. Acredito que alguns membros indignos da igreja são úteis no modo de vigiar os cães para manter os outros acordados. Alguns membros briguentos da igreja ajudam a vasculhar os outros vasos, para que não enferrujem ao serem pacíficos. A igreja é composta de homens que ainda estão no corpo e têm que lidar com o mundo exterior, e às vezes os homens mundanos que estão nela têm algum propósito em relação a isso, apesar de sua menor necessidade. Judas foi um bom tesoureiro, pois sua economia economizava mais do que ele roubava. Joabe era um bom guerreiro para Davi, embora não fosse de modo algum um santo. Professantes falsos não tornam o evangelho falso e, às vezes, quando o falam, Deus o abençoou. Você pode ver, se você descer a estrada do Parque Kennington hoje, uma fileira de árvores jovens plantadas à beira da estrada - como elas são mantidas enquanto ainda são esguias? Porque, pequenos postes de madeira morta as seguram. E de igual modo, um professor morto da escola dominical pode ainda ser útil para uma criança cristã genuína e um diácono morto pode ser o suporte financeiro de uma igreja viva. Ai, e há pregadores mortos também, que, no entanto, servem para

(20)

20

preencher um espaço, mas que vasos para desonra eles são! É uma coisa terrível, no entanto, para aqueles que são como os postes que acabei de mencionar, porque quanto mais rápido a árvore jovem cresce, mais cedo a postagem será tirada, não participando da vida que ela ajudou a sustentar. Você vê, então, que os professantes para desonra que entram na igreja são transformados em alguma conta pelo nosso grande Mestre. Os servos da grande casa podem usar a louça de madeira e a louça de barro por um tempo para propósitos cotidianos, mesmo que meros formalistas possam ser empregados em algum trabalho de copeiro ou outro. Há uma coisa notável, a saber, os vasos de madeira e barro não são para uso do Mestre quando Ele realiza festas especiais, Suas taças são todas de metal precioso. “Todos os vasos de beber do rei Salomão eram de ouro.” Você teria o rei dos reis colocando um pote de barro sobre a sua mesa real? Os convidados da mesa dele comerão de taças de madeira? Assim, os falsos professantes são úteis apenas para os servos, não para o Mestre - eles servem a propósitos básicos e não devem ser vistos naqueles grandes dias em que Ele manifesta Sua glória. O Grande Mestre se opõe a todas as coisas, sendo o Mestre dos servos e, na medida em que o que responde ao propósito de Seus servos, é útil a Ele, mas pessoalmente, entre o Rei em Sua mesa e o vaso

(21)

21

de madeira, não há congruência - seria um insulto servir-lhe vinho em qualquer um, exceto numa suntuosa taça de metal precioso, ou trazer-lhe manteiga em qualquer prato que não fosse um santo. Quão triste é que muitos cristãos são úteis à igreja de várias maneiras, mas quanto ao serviço pessoal prestado ao próprio Senhor Jesus Cristo, eles não têm parte alguma e nunca podem tê-la até que a graça os transforme da madeira para a prata ou do barro para o ouro.

Observe que nesses vasos, dos quais o apóstolo fala, a substância é básica. Eles são de madeira, ou são de barro, nada mais. Então, somos todos nós por natureza de material básico e a graça deve nos tornar em prata ou em vasos de ouro ou o Mestre não pode nos usar, nem nosso uso na igreja pode ser para honrar. Os vasos de madeira da igreja são muito facilmente cortados, esculpidos e estragados - se um homem é inclinado ao mal, ele pode colocar sua faca neles e pode cortar grandes entalhes neles, arruinar seu caráter e torná-los sem valor.

Professantes astutos podem em breve tirar de cristãos meramente nominais aquilo em que professam acreditar, pois são muito facilmente cortados por aqueles que jogam esses jogos.

Quanto aos vasos de barro, quão logo eles estão quebrados. Do lado de fora de qualquer casa

(22)

22

grande, há os restos de muitos potes quebrados que caíram no chão e se despedaçaram, e lamento dizer que também podemos encontrar o suficiente de tais relíquias para nos entristecer a todos. Havia alguns nesta casa que eram atraentes, mas veio uma tentação e os arrancou da mesa e eles foram quebrados em um momento. Outros metais preciosos sofreram muito mais choques e testes de um tipo mais severo, mas aqueles que eram apenas de barro foram quebrados de uma só vez.

Montes de louças se acumulam fora de toda grande casa e certamente fora da grande casa de Cristo. Esses vasos para a desonra, embora voltados para alguma aplicação, exigem muito cuidado por parte dos servos. Quando nossos antepassados costumavam comer de pratos de madeira, o tempo que as boas esposas costumavam gastar em escaldar e limpá-los para mantê-los adequados para comer era algo terrível. E há membros da igreja que tomam um mundo de tempo de pastores e anciãos para mantê-los - estamos continuamente tentando ajustá-los corretamente ou mantê-los nos relacionamentos comuns da vida. Há brigas em suas famílias que precisam ser resolvidas para que não se tornem escândalos e estas ocupem o cuidadoso pensamento de seus irmãos cristãos que têm que cuidar de seu bem. Ou eles ficam frouxos em suas doutrinas, ou são tolos em seus

(23)

23

hábitos, ou perdem suas transações comerciais, e nós temos que limpá-los e limpá-los vezes sem número. Com certos tipos de vasos de barro você tem que ser muito particular no manuseio.

Como porcelana de casca de ovo, você dificilmente pode olhar para eles. Graças a Deus eu não tenho muitos nesta igreja, talvez nenhum desse tipo no que diz respeito à minha manipulação, mas os toques de outras pessoas, apesar de tão sábios, não são tão bem-vindos.

Certos vasos de barro ficam terrivelmente lascados, a menos que tenham um manuseio delicado. Se um irmão não leva seu chapéu para eles em um estilo muito humilde e se comporta com muito respeito, eles estão prontos para se ofender. Eles se sentem magoados e desprezados quando nada disso foi planejado.

Eles permanecem em sua dignidade e esperam o mais completo reconhecimento disso. Estes são vasos de barro de verdade, muito aptos a serem lascados, talvez um pouco rachados e precisando de muito cuidado e preocupação da parte dos servos do Senhor, para que não se quebrem e derramem tudo o que é colocado neles. Há tantos destes em todas as grandes casas e na grande casa do Mestre há, temo, não poucos. Eles são úteis até certo ponto, mas eles não trazem nenhuma honra para a casa, porque há muitas coisas boas em outras casas, cada chalé pode ter jarros de barro comuns. São vasos

(24)

24

em que não há prazer. Eles não são peculiares ou preciosos. Ninguém nunca proclama a fama do Mestre porque Ele tem tantos milhares de tigelas de madeira ou potes de barro. Não, a honra do rei vem do prato - os vasos de ouro e prata, o tesouro peculiar dos reis. As pessoas falam sobre esses bens ricos e dizem: “Você deve ver os aparadores carregados com os enormes serviços de ouro e prata. Você deve ver como as mesas gemem sob o esplendor da festa real quando o rei traz seus tesouros. ” Os cristãos verdadeiros são a glória de Cristo, mas os falsos professantes, no seu melhor, são para a desonra.

Melhor o menor vaso de prata que o maior de barro. Melhor o menor de todos os santos do que o maior dos professantes vãos.

III. Estamos indo agora para a tesouraria, ou sala de chapas, e vamos pensar nos VASOS NOBRES.

Estes são, antes de tudo, de metal sólido - vasos de prata e vasos de ouro. Nem todos são igualmente valiosos, mas são todos preciosos.

Aqui está o peso para você - aqui está algo que vale a pena valorizar - algo que durará por muito tempo e a qualquer momento suportará o fogo.

Agora, em cristãos verdadeiros, aqueles que realmente amam o Senhor, há algo substancial e pesado, e quando você os pega, você sabe a diferença entre eles e o professante de madeira.

Mesmo aqueles que não gostam deles - gosto

(25)

25

estranho de quem não aprecia prata e ouro - são, no entanto, compelidos a dizer: “Esse é um artigo genuíno, valendo muito, pesado e substancial”.

Agora, nenhum de nós jamais seríamos vasos de prata e ouro, a menos que o Senhor nos fizesse assim pela graça divina. Vasos de barro são coisas da natureza - qualquer oleiro pode fazê- los. Vasos de madeira são bastante comuns, e alguém logo produz um, mas um vaso de prata ou de ouro é uma coisa mais rara. Custa mineração e pesquisa, trabalho de forno e forja, trabalho de arte e habilidade. Em cada vaso para honra, o próprio Jesus colocou Sua mão para moldá-lo e torná-lo “preparado para a glória”.

Você alguma vez ouviu como os vasos se tornaram de ouro? Ouça isso e você saberá.

Alguém muito querido para mim pôs a história em rima –

“Oh que eu fosse um copo, um cálice de ouro.

Achado para o uso do Mestre!

Cheio e tremendo com aquele gole de alegria (O amor de seus amados e redimidos)

que enche seu coração de alegria.

(26)

26

Então falou uma coisa pobre, vil, quebrada, terrena,

Um náufrago sem valor.

O Mestre ouviu e,

quando passou por esse caminho, inclinou-se e tocou-o com a mão ferida.

Sua baixeza desapareceu, e em vez disso ficou

um cálice de ouro maravilhoso e transbordante de profundo amor por ele.

Ele levantou-o para os Seus lábios graciosos e bebeu o vinho que alegra o coração de Deus, Então levou o copo para o céu.”

Nos vasos de honra, você pode ver a marca registrada. Qual é a marca que denota a pureza dos vasos de ouro do Senhor? Bem, ele tem apenas um selo para tudo. Quando Ele colocou o fundamento, qual foi o selo que Ele colocou

(27)

27

sobre ele? “O Senhor conhece os que são seus e todos os que levam o nome de Cristo se desviem de toda a iniquidade”. Esse era o selo de Deus.

Essa foi a marca do grande rei sobre a pedra fundamental. Nós o encontramos aqui? Sim nós encontramos. "Se, pois, um homem se purificar destas coisas, será um vaso para honra." Você vê que o homem que é o vaso de ouro ou de prata, se afasta de toda a iniquidade e esse é o sinal de seu caráter genuíno. O homem que é verdadeiramente do Senhor procura ser purificado, não apenas do pecado aberto do mundo, mas do pecado comum dos cristãos professos. Ele trabalha para ser expurgado aquilo em que o vaso de madeira e o vaso de barro se deleitariam. Ele quer ser puro por dentro e por fora. Ele deseja a perfeição. Ele trabalha diariamente para vencer todo pecado e se esforça com todas as suas forças para servir ao seu Senhor. Ele não se contenta em ter uma aparência justa, como a madeira e o barro podem ter - ele deseja ser metal sólido e substancial, purificado no mais alto grau possível e adequado aos propósitos mais elevados.

Agora, essa busca pela pureza é a marca dos vasos de ouro e prata do rei. Observe, no entanto, que eles são purificados, pois o Senhor não usará vasos imundos, sejam eles o que

(28)

28

puderem ser. Ele só usará aqueles que são limpos e Ele teria Seu verdadeiro povo purificado, como eu disse antes, não apenas do pecado grosseiro, mas do erro doutrinário e da associação com os de mente ímpia. Devemos ser purificados de Himeneu e Fileto e das tagarelices vãs de que o apóstolo esteve falando na parte anterior do capítulo. Eu temo que os homens cristãos façam um grande mal por sua cumplicidade com aqueles que estão ensinando o que é absolutamente falsidade. Se devemos servir ao Senhor na questão de avançar Sua verdade, devemos ser fiéis à verdade, mas se nos unimos a outros e assim formamos uma confederação quando os próprios pilares do templo estão sendo derrubados por nossas mãos rudes, pode ser que sejamos participantes dos pecados de outros homens. Nós devemos ser limpos neste assunto.

E então, observe que esses vasos de ouro e prata estão reservados e purificados. Eles são feitos para o uso do Mestre. Ninguém deve beber deles, senão o próprio rei. Esta é a bem- aventurança do filho de Deus quando ele vem a ser o que ele deve ser, para que ele possa cantar como fizemos agora –

“Eu sou teu e sozinho,

(29)

29

isso de bom grado, possuo completamente.

E em todas as minhas obras e caminhos, Somente agora buscaria seu louvor.

Como José tinha uma taça da qual ele bebia sozinho,

o Senhor leva o Seu povo para ser Seu tesouro peculiar,

vasos para Seu uso pessoal.”

Irmãos, eu considero uma honra ser útil para o menor filho de Deus, mas confesso que a honra reside principalmente no fato de eu estar servindo assim o próprio Mestre. Oh, ser usado por Deus! Isso é responder ao fim do nosso ser.

Se você pode sentir que Deus usou você, então você pode se alegrar de fato.

Há alguns cristãos que o Senhor não pode usar muito, porque, antes de tudo, eles não são purificados do egoísmo. Eles têm um olho para sua própria honra ou engrandecimento. O Senhor não estará em cumplicidade com objetivos egoístas.

(30)

30

Alguns homens são autoconfiantes - há muito do “eu” sobre eles e nosso Mestre não os usará.

Ele terá a nossa fraqueza, mas não a nossa força e se formos alguém grande, Ele passará por nós e não tomará ninguém e fará uso dele.

O Senhor não pode usar outros homens porque eles são muito aptos para serem orgulhosos. Se ele fosse dar-lhes um pouco de sucesso, seria perigoso para sua existência cristã. Seu pobre cérebro começaria a nadar e eles pensariam que o Senhor dificilmente poderia passar sem eles.

De fato, quando eles se encontram com um pouco de encorajamento eles incham em pessoas tão maravilhosas que esperam que todos caiam de joelhos e os adorem. Deus não os usará, nem colocará sobre os seus vasos de mesa porque, de algum modo, estão contaminados. Deve haver pureza e um homem pode trabalhar seu coração no ministério ou na escola dominical, mas se ele estiver praticando algum pecado secreto, ele não poderá prosperar - não é possível que Deus o honre. Pode haver uma medida de aparente sucesso por um tempo e a soberania divina pode usar a verdade em si, apesar do homem, mas o próprio homem não será útil para o Mestre.

A pequenez da graça e do contentamento com essa pobreza espiritual também coloca muitos

(31)

31

homens de lado. Nós devemos estar cheios se Deus derramar de nós para o sedento. Nós devemos estar cheios de Sua luz, se quisermos iluminar a escuridão dos outros. Não podemos revelar ao mundo o que o Senhor não nos revelou. Oh, um caráter santo e comunhão santa com Deus. Então nós seremos vasos de ouro aptos para o uso do Mestre e assim, de acordo com o texto, nós estaremos prontos para toda obra - prontos para o trabalho quando vem e prontos no trabalho quando realizado, porque é completamente consagrado a Deus e sujeito à Sua mão. Nessa prontidão para o que vier, seremos honrados. Os homens podem nos desprezar como quiserem, mas o que importa se Deus nos honra? Esta altura da graça pode nos custar uma experiência afiada, mas não deve ser provado com o fogo? Como os ladrões estão mais ansiosos para roubar não as panelas e vasos de madeira, mas o ouro e a prata, assim podemos esperar sermos expostos a maiores tentações e maiores perseguições do que outros. Mais graça envolve mais provações, mas então teremos o prazer de glorificar mais a Deus.

Oh, sermos vasos para honra! Amados membros desta igreja, aspirem a isso. Vocês o carregam em seus nomes como cristãos. Você foi batizado no nome sagrado da divina

(32)

32

Trindade. Você tem suportado até agora um caráter moral consistente, mas, veja, a substância interior é o metal real - o ouro e a prata. Cuide para que você esteja reservado para o uso especial do próprio Senhor. Seja tão consagrado a Ele como as taças diante do altar.

Nunca deixe o mundo beber de você, como fez Belssazar dos vasos tomados em Jerusalém. Que o Senhor permita que você nunca seja contaminado, mas possa ser guardado por Sua graça, puro e consagrado a Ele.

IV. Em quarto lugar, por um momento devemos falar sobre o Mestre. Ele é apresentado aqui, veja, como tendo certos vasos reunidos para o Seu uso e isso mostra que Ele está na casa. Não haveria necessidade de reservar vasos para o Seu uso se Ele não estivesse lá, mas Ele está no meio da Sua igreja pelo Espírito que habita em nós. Como isso deve nos fazer desejar ser purificados, santificados e prontos para Ele. Seu Mestre não está longe. Sua presença na igreja é prometida: “Eis que estou sempre convosco até o fim do mundo”. Que tipo de pessoas, portanto, você deve ser? Em segundo lugar, o mestre sabe tudo sobre a casa e conhece a qualidade de todos os vasos. Não há como enganá-lo com o vaso de madeira - ele sabe que não é ouro. E quanto a esse cálice de barro, embora possa estar todo dourado, Ele sabe que não é ouro. Ele lê o

(33)

33

coração de todos os presentes - madeira ou barro, prata ou ouro - e o Mestre nos conhece. E então reflita que o Mestre usará todos nós na medida em que estivermos aptos para sermos usados. Estamos na casa de Deus e se formos madeira, Ele nos colocará em uso de madeira.

Existem muitos pregadores de madeira. Se somos barro e tivermos uma mentalidade terrena, Ele pode nos colocar nos usos terrenos, como fez com Judas, que carregava a sacola, mas não tinha graça alguma. Se você é de prata, Ele lhe dará prata, e se você for ouro, Ele lhe dará serviço de ouro no qual você será feliz, honrado e abençoado.

O que vem disso, então, por último? Porque, irmãos, vamos nos convencer de que seremos purificados, pois o texto diz: “Se um homem, portanto, se purificar”. Ele lança esse negócio sobre cada um de nós pessoalmente - um homem deve se purificar da companhia doente, mas quando confessamos a responsabilidade, vamos nos dirigir a Deus em oração e sentir que a purificação completa é uma obra que não podemos realizar e, portanto, clamamos:

“Purifica-me, ó Deus. Santifica-me. Faz-me pronto para o teu serviço e preparado para toda boa obra.”

(34)

34

Amados, terminem com fervorosa oração. Ore a Deus para que você não seja hipócrita. Suplique ao Senhor que lhe sonde e prove, para que não seja achado enganado, e quando tiver a certeza de que é dEle, peça-lhe que não lhe faça meramente de prata, pois é muito apto a manchar, mas do precioso ouro que quando exposto às piores influências, dificilmente mostra um traço de embotamento. Ouro puro e limpo podemos ser e, então, o Mestre, tanto em segredo quanto em público, pode nos usar para sua própria alegria. Que Ele se refrigere com nosso amor e fé, sim, que Sua alegria seja cumprida em nós, que nossa alegria pode ser cheia. Deus conceda que isto possa ser assim, por causa de Cristo.

2 Timóteo – 2

1 Tu, pois, filho meu, fortifica-te na graça que está em Cristo Jesus.

2 E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros.

(35)

35

3 Participa dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus.

4 Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou.

5 Igualmente, o atleta não é coroado se não lutar segundo as normas.

6 O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a participar dos frutos.

7 Pondera o que acabo de dizer, porque o Senhor te dará compreensão em todas as coisas.

8 Lembra-te de Jesus Cristo, ressuscitado de entre os mortos, descendente de Davi, segundo o meu evangelho;

9 pelo qual estou sofrendo até algemas, como malfeitor; contudo, a palavra de Deus não está algemada.

10 Por esta razão, tudo suporto por causa dos eleitos, para que também eles obtenham a salvação que está em Cristo Jesus, com eterna glória.

11 Fiel é esta palavra: Se já morremos com ele, também viveremos com ele;

(36)

36

12 se perseveramos, também com ele reinaremos; se o negamos, ele, por sua vez, nos negará;

13 se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo.

14 Recomenda estas coisas. Dá testemunho solene a todos perante Deus, para que evitem contendas de palavras que para nada aproveitam, exceto para a subversão dos ouvintes.

15 Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.

16 Evita, igualmente, os falatórios inúteis e profanos, pois os que deles usam passarão a impiedade ainda maior.

17 Além disso, a linguagem deles corrói como câncer; entre os quais se incluem Himeneu e Fileto.

18 Estes se desviaram da verdade, asseverando que a ressurreição já se realizou, e estão pervertendo a fé a alguns.

19 Entretanto, o firme fundamento de Deus permanece, tendo este selo: O Senhor conhece

(37)

37

os que lhe pertencem. E mais: Aparte-se da injustiça todo aquele que professa o nome do Senhor.

20 Ora, numa grande casa não há somente utensílios de ouro e de prata; há também de madeira e de barro. Alguns, para honra; outros, porém, para desonra.

21 Assim, pois, se alguém a si mesmo se purificar destes erros, será utensílio para honra, santificado e útil ao seu possuidor, estando preparado para toda boa obra.

22 Foge, outrossim, das paixões da mocidade.

Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor.

23 E repele as questões insensatas e absurdas, pois sabes que só engendram contendas.

24 Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente,

25 disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade,

(38)

38

26 mas também o retorno à sensatez, livrando- se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade.

Esta interpretação de Spurgeon do texto de 2 Timóteo 2.20,21, especialmente em dizer que os vasos para desonra na citada passagem não é uma referência a verdadeiros crentes, uma vez que todos eles são vasos de misericórdia, e não sujeitos à ira divina para uma condenação eterna, como é o caso dos vasos para desonra, é perfeitamente ajustada ao que é dito pelo apóstolo Paulo em Romanos 9.

Romanos – 9

1 Digo a verdade em Cristo, não minto, testemunhando comigo, no Espírito Santo, a minha própria consciência:

2 tenho grande tristeza e incessante dor no coração;

3 porque eu mesmo desejaria ser anátema, separado de Cristo, por amor de meus irmãos, meus compatriotas, segundo a carne.

4 São israelitas. Pertence-lhes a adoção e também a glória, as alianças, a legislação, o culto e as promessas;

(39)

39

5 deles são os patriarcas, e também deles descende o Cristo, segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito para todo o sempre.

Amém!

6 E não pensemos que a palavra de Deus haja falhado, porque nem todos os de Israel são, de fato, israelitas;

7 nem por serem descendentes de Abraão são todos seus filhos; mas: Em Isaque será chamada a tua descendência.

8 Isto é, estes filhos de Deus não são propriamente os da carne, mas devem ser considerados como descendência os filhos da promessa.

9 Porque a palavra da promessa é esta: Por esse tempo, virei, e Sara terá um filho.

10 E não ela somente, mas também Rebeca, ao conceber de um só, Isaque, nosso pai.

11 E ainda não eram os gêmeos nascidos, nem tinham praticado o bem ou o mal (para que o propósito de Deus, quanto à eleição, prevalecesse, não por obras, mas por aquele que chama),

(40)

40

12 já fora dito a ela: O mais velho será servo do mais moço.

13 Como está escrito: Amei Jacó, porém me aborreci de Esaú.

14 Que diremos, pois? Há injustiça da parte de Deus? De modo nenhum!

15 Pois ele diz a Moisés: Terei misericórdia de quem me aprouver ter misericórdia e compadecer-me-ei de quem me aprouver ter compaixão.

16 Assim, pois, não depende de quem quer ou de quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia.

17 Porque a Escritura diz a Faraó: Para isto mesmo te levantei, para mostrar em ti o meu poder e para que o meu nome seja anunciado por toda a terra.

18 Logo, tem ele misericórdia de quem quer e também endurece a quem lhe apraz.

19 Tu, porém, me dirás: De que se queixa ele ainda? Pois quem jamais resistiu à sua vontade?

(41)

41

20 Quem és tu, ó homem, para discutires com Deus?! Porventura, pode o objeto perguntar a quem o fez: Por que me fizeste assim?

21 Ou não tem o oleiro direito sobre a massa, para do mesmo barro fazer um vaso para honra e outro, para desonra?

22 Que diremos, pois, se Deus, querendo mostrar a sua ira e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita longanimidade os vasos de ira, preparados para a perdição,

23 a fim de que também desse a conhecer as riquezas da sua glória em vasos de misericórdia, que para glória preparou de antemão,

24 os quais somos nós, a quem também chamou, não só dentre os judeus, mas também dentre os gentios?

25 Assim como também diz em Oseias:

Chamarei povo meu ao que não era meu povo; e amada, à que não era amada;

26 e no lugar em que se lhes disse: Vós não sois meu povo, ali mesmo serão chamados filhos do Deus vivo.

27 Mas, relativamente a Israel, dele clama Isaías:

Ainda que o número dos filhos de Israel seja

(42)

42

como a areia do mar, o remanescente é que será salvo.

28 Porque o Senhor cumprirá a sua palavra sobre a terra, cabalmente e em breve;

29 como Isaías já disse: Se o Senhor dos Exércitos não nos tivesse deixado descendência, ter-nos-íamos tornado como Sodoma e semelhantes a Gomorra.

30 Que diremos, pois? Que os gentios, que não buscavam a justificação, vieram a alcançá-la, todavia, a que decorre da fé;

31 e Israel, que buscava a lei de justiça, não chegou a atingir essa lei.

32 Por quê? Porque não decorreu da fé, e sim como que das obras. Tropeçaram na pedra de tropeço,

33 como está escrito: Eis que ponho em Sião uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, e aquele que nela crê não será confundido.

Imagem

temas relacionados :