Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

Um dos temas mais delicados da dogmática criminal é o Erro. Vejamos, a propósito, o seguinte

exemplo da nossa jurisprudência: “Inspetor de quarterão que, supondo injusta agressão de multidão

que fugindo da policia corria em sua direção, saca revólver e atira para o alto projetil que vem

acertar menor que se encontrava postado na sacada de apartamento, provocando a sua morte”. A

hipótese ventilada merece ser equacionada no âmbito da figura: I - Do erro de tipo invencível.

II - Do erro de tipo vencível.

III - Das descriminantes putativas fáticas. IV - Do erro de proibição indireto. V - Do erro de proibição evitável. a) Apenas a alternativa I é verdadeira. b) Apenas a alternativa II é verdadeira. c) Apenas a alternativa III é verdadeira. d) Apenas a alternativa V é verdadeira.

e) Apenas as alternativas II é III são verdadeiras.

Há algum ponto de semelhança entre condutas praticadas com culpa consciente e dolo eventual? Aponte a alternativa correta a Sim. Tanto na culpa consciente quanto no dolo eventual há a aceitação do resultado

b. Sim. Tanto na culpa consciente quanto no dolo eventual o agente prevê o resultado.

c. Não. Não há nenhum ponto de semelhança nas condutas em

(2)

I. Na desistência voluntária, o processo de execução do delito ainda está em curso; no arrependimento eficaz a execução já foi encerrada.

II. O instituto do arrependimento posterior é incompatível com os crimes cometidos com violência ou grave ameaça à pessoa.

III. Há que se falar em crime impossível quando uma gestante, querendo por termo à sua gravidez, não obtém o resultado pretendido por fazer uso de medicação abortiva com o prazo de validade expirado.

É correto afirmar que

(A) somente uma das afirmativas está correta. (B) somente duas das afirmativas estão corretas. (C) todas as afirmativas estão incorretas. (D) todas as afirmativas estão corretas.

É certo que no crime progressivo há

(a) pluralidade de condutas delitivas encadeadas por uma seqüência causal e certa unidade de contexto, sendo a posterior mais grave que a anterior, com desdobramento do elemento subjetivo em momentos distintos. (b) um tipo penal, abstratamente considerado, que contém implicitamente outro, o qual deve necessariamente ser realizado para se alcançar o resultado.

(c) o cometimento de duas infrações penais, sendo a primeira menos grave que a segunda, a qual, por isso, considera-se pós-fato não punível.

(d) o cometimento de duas ou mais infrações penais, num mesmo contexto e contra a mesma vítima, com unidade de desígnios.

Imagem

Referências

temas relacionados :