• Nenhum resultado encontrado

Projeto Grãos. Centro-Sul de Feijão e Milho

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Projeto Grãos. Centro-Sul de Feijão e Milho"

Copied!
7
0
0

Texto

(1)

RESULTADOS SAFRA 2014-2015

PROPOSTA SAFRA 2015-2016

Projeto Grãos

(2)

De acordo com a FAO1, a produção

bra-sileira em 2013 foi de 2,9 milhões de to-neladas. Nesse ano, o Brasil foi o terceiro maior produtor mundial de feijões, com 12,7% da produção mundial, sendo pre-cedido por Myanmar e Índia.

O feijão é típico produto da alimentação brasileira. É cultivado por pequenos e grandes produtores em todas as regiões. Os maiores são Paraná, que colheu 808 mil toneladas na safra 2013/2014, repre-sentando 23,4%, e Minas Gerais, com a produção de 564 mil toneladas no mes-mo período, ou seja, 16,3% da produção nacional.

O milho é uma das culturas mais antigas e o cereal mais produzido no mundo. A

importância econômica do milho é ca-racterizada pelas diversas formas de sua utilização, que vai desde o consumo animal e humano, até a indústria de alta tecnologia. O Brasil ocupa a 3ª posição na produção mundial e o Paraná foi 2º no Brasil, com 16,2% da safra 2013/2014, após o Estado do Mato Grosso que dete-ve 20,8% da safra nacional.

O cultivo de feijão e milho são tradicionais na agricultura familiar da região sul do Pa-raná, compondo a renda nas proprieda-des rurais.

Fontes: Seab1/Deral2-PR; Embrapa3 Milho e

Sorgo – Sist. de Produção,1,7ª edição, set/2011; Emater4; Conab5 – Séries Históricas.

O Projeto Grãos Centro-Sul de Feijão e Milho, em sua história de 25 anos, abrange as regiões administrativas do Instituto Emater/ Seab de Guarapuava, Irati, Ponta Grossa, União da Vitória, Curitiba, Ivaiporã e Santo Antônio da Platina, num total de 61 municípios que possuem aproximadamente 120 mil agricultores; destes, 97 mil são familiares. Nestes, mais de 54 mil agricultores plantam Feijão numa área de 330 mil hectares. E mais de 78 mil plantam Milho, em área de 466 mil hectares, o que demonstra a importância dessas culturas para este público, em sua maioria, prioritário do serviço de Extensão Rural Oficial.

O FEIJÃO e o MILHO

têm grande importância

socioeconômica no Brasil.

(3)

O Instituto EMATER, ao longo de sua exis-tência, tem trabalhado com produtores de feijão e milho, entre outros, sempre acom-panhando a evolução das explorações, bem como o processo de crescimento desses produtores.

Apesar do rendimento das culturas ter melhorado nos últimos anos, ainda há vários desafios e problemas a superar. Os conhecimentos e as novas tecnologias evoluem constantemente e a aproxima-ção entre os geradores do conhecimento, a assistência técnica e o setor produtivo é fundamental para o aumento de

pro-ESPECÍFICOS – SAFRA 2015/2016

• Obter produtividades médias em Unidades Demonstrativas de Feijão, superiores a 2.600 kg/ha, com base em uma tecnologia mínima, adequada ao sistema predominante.

• Obter produtividades médias em Unidades Demonstrativas de Milho, superiores a 9.000 kg/ha, com base em uma tecnologia mínima, adequada ao sistema predominante.

• Obter produtividades médias superiores a 2.220 kg/ha na cultura do feijão e 7.500 kg/ha na cultura do milho para produtores participantes dos grupos de discussão/resultados.

• Profissionalizar 87 produtores colaboradores, responsáveis pelas unidades demonstrativas da cultura do feijão e 76 responsáveis pelas unidades demonstrativas da cultura do milho, bem como 3.000 produtores participantes dos grupos de resultados, com enfoque nas questões tecnológicas,

econômicas e de cuidados com o meio ambiente, segurança do produtor e produção de alimentos seguros com o uso de boas práticas na produção.

ESTRATÉGIA DE AÇÃO – SAFRA 2015/2016

• Articulação de parcerias.

• Envolvimento de 06 regiões administrativas do Sistema Seab-PR, onde o sistema de produção feijão/milho é considerado importante e estratégico para as economias locais, abrangendo 41 municípios com unidades demonstrativas (unidades de referência).

• Implantação de 87 unidades demonstrativas de feijão e 76 de milho, com área de 1,0 ha, cada uma delas, enfocando o uso do plantio direto e boas práticas na produção.

• Capacitação de 44 técnicos, responsáveis pelo acompanhamento das unidades demonstrativas e grupos de resultado.

• Usar, além das visitas técnicas nas propriedades, metodologias grupais, para assistência técnica nas diversas fases de desenvolvimento das culturas. • Trabalhar com grupos de agricultores, considerados de discussão/resultados ou de UPFs (Unidades Produtivas Familiares), compostos por 20-25 pessoas, que possuem interesses e problemas comuns.

• Socialização dos resultados.

JUSTIFICATIVA

GERAL

• Profissionalizar agricultores familiares, nas lavouras de feijão e milho numa visão de desenvolvimento em que, por meio do aumento da produtividade, da produção e da renda, seja possível gerar poupança para a introdução de outras atividades na propriedade, porém, mantendo as lavouras de feijão e milho no sistema.

dutividade das culturas e renda para as famílias rurais de forma sustentável, ou seja, com visão de futuro, preocupada com a preservação ambiental e a segu-rança alimentar.

Trabalhos de campo realizados na parce-ria do Instituto Emater, empresa Syngenta, Iapar7, Embrapa e Prefeituras Municipais,

entre outros, têm mostrado produtivida-des superiores a 2.500 kg/ha para a cultu-ra do feijão e de 8.000 kg/ha pacultu-ra a cultucultu-ra do milho, mostrando um grande potencial a ser conquistado.

(4)

Tibagi Reserva Tijucas do Sul Mandirituba Rebouças Ponta Grossa Araucária Ventania Lapa Antonio Olinto São Mateus do Sul Guarapuava Fernandes Pinheiro Irati Guamiranga Prudentópolis Castro Tibagi Ortigueira Manoel Ribas Reserva Cândido de Abreu Mallet Paulo Frontin Paula Freitas Pinhão Imbituva União da Vitória Cruz Machado Cantagalo Candoi Campo do Tenente Bituruna Palmeira Ipiranga Teixeira Soares São João do Triunfo Agudos do Sul Imbaú Ivaí Reserva do Iguaçu Rio Negro Foz do Jordão Goioxim PARCERIAS

São vários os parceiros e colaboradores no desenvolvimento do projeto, que atuam de forma direta ou indireta como: SYNGENTA, IAPAR, EMBRAPA, SEAB, MDA8,

FEBRAPDP9, Forquímica, Prefeituras Municipais, Fundação ABC10, IAP11 e Fundação

Terra12 e, ainda, outros colaboradores participantes em diversos momentos e

atividades da safra.

• Empresa SYNGENTA, parceiro institucional, participa com o fornecimento de agroquímicos e sementes de milho para a implantação das Unidades Demonstrativas, bem como com recursos para treinamento de técnicos e agricultores, realização de eventos grupais, além da contratação de um engenheiro agrônomo para apoio ao projeto.

• O IAPAR, parceiro institucional, participa de forma conjunta, fornecendo sementes básicas de feijão para implantação das unidades demonstrativas e colabora com instrutores para capacitação de técnicos e agricultores e assessoria técnica ao projeto.

• A EMBRAPA, parceiro institucional, participa de forma conjunta, fornecendo sementes básicas de feijão para implantação das unidades demonstrativas e colabora com instrutores para capacitação de técnicos e agricultores e assessoria técnica ao projeto.

FONTE DE RECURSOS

EMATER, SYNGENTA, SEAB, MDA, Prefeituras Municipais e Colaboradores potenciais participantes nos diversos momentos e atividades da safra.

AVALIAÇÃO E REDIRECIONAMENTO

Em conjunto, parceiros e produtores anualmente avaliarão o projeto, buscando o aprimoramento e redirecionamento necessário para ações desenvolvidas.

ÁREA DE ATUAÇÃO DO

PROJETO GRÃOS CENTRO-SUL DE FEIJÃO E MILHO

(5)

Métodos Reuniões Dia de Campo Municipal Excursões Semana de Campo Encontros Cursos

Cultura Part. Part. Part. Part. Part. Part.

Feijão 43 801 30 1.620 45 1.243

1 1.431 7 1.455 1 16

Milho 39 671 27 1571 46 1.249 5 1.063 0 0

Total 82 1.472 57 3.191 91 2.492 1 1.431 12 2.518 1 16

ESFORÇO REALIZADO – RESUMO – SAFRA 2014/2015

ABRANGÊNCIA – SAFRA 2015/2016

ABRANGÊNCIA – SAFRA 2015/2016

Total Geral: Envolvimento de 12.551 Produtores em 244 eventos executados (Com Repetição).

REGIÃO MUNICÍPIOS UDs / GRUPOS TÉCNICO RESPONSÁVEL

FEIJÃO MILHO

CURITIBA

Agudos do Sul 02 02 Dycezar de Lima

Araucária 02 02 Irani Castro da Silva Soares

Campo do Tenente 03 03 Dycezar de Lima

Lapa 01 01 Nilson de Paula Teixeira

Mandirituba 02 (01 é Org.) 01 Edson Roberto Kupka (Conv. Adapar)João de Ribeiro Reis Junior

Rio Negro 01 01 Jonas Daniel Ribas da Cruz

Tijucas do Sul 01 (Org.) - João de Ribeiro Reis Junior SUBTOTAL

CURITIBA (07 MUNICÍPIOS) 12 10 (06 TÉCNICOS)

GUARAPUAVA

Candói 01 01 Hilário P. Milanesi

Cantagalo 02 01 Ubiratan Edson de Freitas

Foz do Jordão 01 01 Cleberson Senhorin

Guarapuava 02 02 Nilo Patel

Goioxim 01 01 Silvio Antonio Campanha (Conv. Pref.)

Pinhão 01 01 Ivan Junior de Oliveira

Prudentópolis 04 01 Sidinei Silvério

Reserva do Iguaçu 01 01 Ivan Junior de Oliveira SUBTOTAL

GUARAPUAVA (08 MUNICÍPIOS) 13 09 (07 TÉCNICOS)

Regiões, Municípios, Técnicos Responsáveis e Unidades Demonstrativas (UDs) de Feijão e Milho

Regiões, Municípios, Técnicos Responsáveis e Unidades Demonstrativas (UDs) de Feijão e Milho

REGIÃO MUNICÍPIOS UDs / GRUPOS TÉCNICO RESPONSÁVEL

FEIJÃO MILHO

IRATI

Fernandes Pinheiro 03 02 José Kalusz

Guamiranga 05 06 Orestes Ramon Paladino eLeandro José Sperotto

Imbituva 02 01 Martinho Ricli Junior

Irati 02 01 Flávio Cardoso D’AngeloDécio Dalmolin Mallet 02 02 Bruno Luis Krevoruczka (Conv. Pref.)

Rebouças 04 04 José Elias Dombroski

Teixeira Soares 01 01 Reno João Neves (Conv. Pref.) SUBTOTAL

IRATI (07 MUNICÍPIOS) 19 17 (09 TÉCNICOS)

IVAIPORÃ

Cândido de Abreu 02 02 Osvaldo Matyak

Manoel Ribas 01 - Lauro Ianhaki Antunes

SUBTOTAL

IVAIPORÃ (02 MUNICÍPIOS) 03 02 (02 TÉCNICOS)

PONTA GROSSA

Castro 02 01 Hélcio Luiz Ferro eIrmo Schmitz

Imbaú 02 02 Josnei Martins de Oliveira

Ipiranga 01 01 Luiz Carlos Araujo

Ivaí 10 12 João Antonio Batista Junior eLaércio Marcelo Nass

Ortigueira 02 02 Henry Rosa

Palmeira 02 (01 é Org.) 02 Ingo Oscar Bauchrowitz

Reserva 02 02 Marcelo Ferreira Hupalo

São João do Triunfo 02 02 Fabrício Karas

Tibagi 02 02 Ronilton Esteveni Figueira (Pref.)Jurandir de Campos e Ventania 02 (01 é Org.) 02 Silmara de O. Mainardes (Conv. Pref.) SUBTOTAL

(6)

Brasil 2014/15 (Set/2015)

Produtividade Média Maior Produtividade (kg/ha)

4.500 4.000 3.500 3.000 2.500 2.000 1.500 1.000 500 0 1.050 1.775 1.304 1.087 1.830 2.585 3.960 Paraná 2014/15

(Set/2015) envolvidos MarcoMunicípios Inicial (1999) Produtores Participantes Marco Inicial (1999) Unidades Demonstrativas 2014/15 16.000 14.000 12.000 10.000 8.000 6.000 4.000 2.000 0 Produtividade kg/ha Brasil 2014/15

(Set/2015) Paraná 2014/15(Set/2015) envolvidos MarcoMunicípios Inicial (1999) Produtores Participantes Marco Inicial (1999) Unidades Demonstrativas 2014/15 5.382 6.457 5.325 3.779 5.405 9.318 14.520

Produtividade Média Maior Produtividade (kg/ha)

REGIÃO MUNICÍPIOS UDs / GRUPOS TÉCNICO RESPONSÁVEL

FEIJÃO MILHO

UNIÃO DA VITÓRIA

Antonio Olinto 01 01 Jaime Boniatti

Bituruna 01 02 Ademir Vitorio Peroni (Conv. Pref.) Cruz Machado 05 (01 é Org.) 02 Osmar Schipanski

Paula Freitas 01 01 João Dozorec

Paulo Frontin 02 02 Irineu Paulo Chilanti

São Mateus do Sul 01 01 Antônio Ziemniczak

União da Vitória 02 (01 é Org.) 01 José Eustaquio Pereira SUBTOTAL UNIÃO

DA VITÓRIA (07 MUNICÍPIOS) 13 10 (07 TÉCNICOS)

TOTAL GERAL –

06 REGIÕES 41 MUNICÍPIOS 87 76 TOTAL: 44 TÉCNICOS

GRUPO BASE: Germano do R. F. Kusdra (Implementador - Emater), Vânia Moda Cirino (Iapar), José Luiz Cabrera Diaz (Embrapa), Antonio Marques Sousa Neto (Implementador - Syngenta), Petterson J. Kremer (Syngenta), Altair Ganz (Emater), Emerson P. Baduy (Emater), Hilário P. Milanesi (Emater) e Rubens A. Sieburger Costa (Emater).

Fonte: Emater, Conab, Deral

Fonte: Emater, Conab, Deral

RESULTADOS: UNIDADES DEMONSTRATIVAS – SAFRA 2014/2015 FEIJÃO

A produtividade média das áreas demonstrativas do projeto foi 1,4 vez superior à média do Estado do Paraná e 2,4 vezes superior à média nacional.

MARGEM BRUTA = Receita da Produção (Valor de Venda) – Custo Variável (Despesa).

MILHO

A produtividade média das áreas demonstrativas do projeto foi 1,4 vez superior à média do Estado do Paraná e 1,7 vez superior à média nacional.

MARGEM BRUTA/ha (Unidades Demonstrativas) Safras: 12/13, 13/14 e 14/15 CULTURA MÉDIA MÁXIMA 2012/2013 2013/2014 2014/2015 2012/2013 2013/2014 2014/2015 FEIJÃO 3.745,00 2.235,36 3.051,27 9.892,90 5.638,02 6.509,74 MILHO 1.428,07 1.317,99 1.285,63 3.368,30 3.091,18 3.110,74

(7)

Elaboração do conteúdo: Germano do R. F. Kusdra – Engenheiro Agrônomo – Instituto EMATER

Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural - EMATER Rua da Bandeira, 500 – CEP 80.0355-2166 – Cabral – Curitiba – Paraná – Brasil Telefone: (41) 3250-2166 – e-mail: sac@emater.pr.gov.br - www.emater.pr.gov.br

Ano 2016 – Tiragem: 5.000 exemplar

es.

Referências bibliográficas:

IMPACTOS - MELHORIAS ESPERADAS

• Melhor qualidade dos produtos comercializados pelos agricultores.

• Manejo correto de solos e água - aumento na adoção do sistema de plantio direto na palha - melhoria da fertilidade e conservação do solo.

• Manejo correto de agroquímicos - proteção ao meio ambiente, segurança para o produtor e para o consumidor.

• Aumento da rentabilidade – para que os produtores possam investir mais na propriedade e no conforto da família.

• Aspecto social - promoção da permanência do homem na área rural, especialização e melhoria da utilização da mão de obra.

• Abastecimento alimentar da população com o feijão - tradicional alimento da população brasileira.

• Atividade econômica, ecologicamente sustentável e adequada à agricultura familiar. • Maior Valor Bruto de Produção (VBP) das explorações, dinamizando

as economias locais.

1 Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura. • 2 Secretaria de Estado

da Agricultura e do Abastecimento do Paraná. • 3 Departamento de Economia Rural. 4 Empresa

Brasileira de Pesquisa Agropecuária. • 5 Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão

Rural. • 6 Companhia Nacional de Abastecimento. • 7 Instituto Agronômico do Paraná. • 8 Ministério

do Desenvolvimento Agrário. • 9 Federação Brasileira de Plantio Direto e Irrigação. • 10 Fundação

ABC Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário. • 11 Instituto Ambiental do Paraná. • 12 Fundação

Referências

Documentos relacionados

Se você vai para o mundo da fantasia e não está consciente de que está lá, você está se alienando da realidade (fugindo da realidade), você não está no aqui e

xii) número de alunos matriculados classificados de acordo com a renda per capita familiar. b) encaminhem à Setec/MEC, até o dia 31 de janeiro de cada exercício, para a alimentação de

Considerando a importância dos tratores agrícolas e características dos seus rodados pneumáticos em desenvolver força de tração e flutuação no solo, o presente trabalho

A simple experimental arrangement consisting of a mechanical system of colliding balls and an electrical circuit containing a crystal oscillator and an electronic counter is used

For a better performance comparison, and due to the difficulty in categorizing ML approaches in a simple way, we began by characterizing them in agreement with Caret’s

As key results, we found that: the triceps brachii muscle acts in the elbow extension and in moving the humerus head forward; the biceps brachii, pectoralis major and deltoid

This relationship is direct that is to say that in different measures the independent variables such as: teenager intergroup influence (TII), the teenager attitude towards