Proposta do programa

15 

Texto

(1)

Ano Base

2010

Área de Avaliação

ENGENHARIAS III

Área Básica

3.05.00.00-1

Instituição

Programa

33003017076P-2

CIÊNCIAS E ENGENHARIA DE PETRÓLEO

UNICAMP - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS (SP)

ENGENHARIA MECÂNICA

(2)

P-PG-01

Cursos Nível Início

Doutorado

33003017076D3 - CIÊNCIAS E ENGENHARIA DE PETRÓLEO 1999

Mestrado Acadêmico

33003017076M2 - CIÊNCIAS E ENGENHARIA DE PETRÓLEO 1999

Proposta do Programa - Áreas de Concentração / Linhas de Pesquisa (P-PG-02a/b)

Cursos Nível Início

EXPLOTAÇÃO Doutorado 1999

EXPLOTAÇÃO Mestrado Acadêmico

ENGENHARIA DE POÇO PRODUÇÃO DE ÓLEO E GÁS

1999

RESERVATÓRIOS E GESTÃO Doutorado 1999

RESERVATÓRIOS E GESTÃO Mestrado Acadêmico

GEOFÍSICA DE RESERVATÓRIOS ENGENHARIA DE RESERVATÓRIOS GEOENGENHARIA DE RESERVATÓRIOS

1999

Proposta do Programa - Recursos Humanos (P-PG-04)

Ref. Qtd.

Programas

1 Docentes 15,0 9,93 %

6 Outros Participantes 101,0 40,08 %

Proposta do Programa - Requisitos para Titulação (P-PG-05)

Créditos

Nível Carga horária exigida =

(Disciplinas +Outros) * Equivalencia horas Disciplinas Tese / Dissertação Outros Equivalência horas / crédito Doutorado 18 0 0 15 270 Mestrado Acadêmico 24 0 0 15 360

Proposta do Programa - Visão Geral, evolução e tendências (P-PG-06)

1. VISÃO GERAL

Este é o 10º Relatório do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências e Engenharia de Petróleo (CEP), envolvendo os cursos de Mestrado e Doutorado. O Programa CEP constitui a fusão do antigo Curso de Mestrado em Engenharia de Petróleo (1987) com o de Geoengenharia de Reservatórios (1991), e que passou, a partir de 2001 a incluir o Doutorado.

Em 1992, iniciou-se uma integração do Curso de Mestrado em Engenharia de Petróleo (criado em 1987 na FEM – Faculdade Engenharia Mecânica) com o Curso de Geoengenharia de Reservatórios (criado em 1991 no IG – Instituto de Geociências). Em 1999, iniciou-se a oficialização desta fusão, na UNICAMP e na CAPES. Durante o ano de 2000, o novo programa passou por uma implementação e transição do sistema antigo para o novo. A partir de 2001, o novo Programa de Pós-Graduação em Ciências e Engenharia de Petróleo (mestrado e doutorado) passou a responder pelas atividades do curso antigo e seus docentes, assim como herdou a infra-estrutura existente. Os dados relativos a este processo são encontrados no relatório SPGN da CAPES para criação de cursos novos.

O antigo curso de Mestrado em Engenharia de Petróleo obtivera, no triênio (98/99/00), o grau da CAPES para Mestrado- nível A (nota cinco), na área da Engenharia III (apenas 2 cursos dentre 28 atingiram este nível). Este resultado comprovou a competência da equipe, e justificou o empreendimento do atual programa.

Em 2002, a CAPES enviou uma equipe de avaliadores para uma atualização de status do Programa, que então já contava com os Cursos de Mestrado e Doutorado. O parecer da equipe foi muito positivo. No triênio 2001-2003, obtivemos nota 4. No triênio 2004-2006, apesar de significativo incremento em seus indicadores de produtividade, não bem reconhecido pela avaliação da Capes, o Programa continuou com a nota 4. Em 2008, o Programa incorporou uma nova linha de pesquisa em Geofísica de Reservatórios, estendendo assim seu espectro de atuação para a temática de detecção de novas jazidas. Desde o último triênio, todos os indicadores do Programa têm mostrado significativo

(3)

crescimento, conforme se poderá constatar percorrendo os relatórios deste triênio. Dessa forma, o Programa já possui um histórico de uma década de trabalho e tem trazido uma importante contribuição à sociedade – pesquisas aplicadas, teses, publicações, inovação tecnológica – e sobretudo profissionais de alto nível para atuarem na indústria e na própria academia.

O reconhecimento da excelência do Programa tem-se traduzido de várias formas:

a) Aumento signficativo do número de candidatos, sobretudo a partir de 2004, que vindos de todas as partes do Brasil e com formações diversas, buscam o Programa com vistas, principalmente a ingressar na indústria do petróleo;

b) Aumento expressivo do número de projetos de pesquisa e infraestrutura, coordenados pelos docentes do Programa e financiados diretamente pela indústria, em especial pela Petrobras (no triênio, o valor global dos projetos de pesquisa de docentes do Programa, financiados diretamente pela indústria, foi superior a R$ 50.000.000,00) ;

c) Aumento significativo do número de alunos do curso de Doutorado; d) Expressivo aumento nos indicadores de produção bibliográfica;

e) Evolução da avaliação do Programa feita anualmente pela ANP (base 100): em 2008 o Programa obteve 92,7 (4º lugar); em 2009 obteve 97,7 (2º lugar), em um universo de 36 Programas.

Destacamos, por fim, que a PETROBRAS e a UNICAMP assinaram recentemente um Termo de Cooperação visando à implantação de um Centro de Excelência em Carbonatos. Tal Centro se dedicará ao estudo das rochas onde se encontram as jazidas da camada pré-sal, e terá características inéditas no mundo.

Por todas as razões acima, o Programa acredita estar cumprindo seus objetivos iniciais e assumindo um papel de relevância social ao preservar sua característica de forte vínculo com a indústria do petróleo.

2. O PROGRAMA

Objetivo: Formar mestres com forte base científica para atuar na indústria de petróleo de forma crítica e criativa, na linha de frente de expansão do estado-da-arte. Formar doutores para elaborar pesquisas, na indústria ou em instituições, para desenvolver metodologias, processos e tecnologias, com a finalidade de aperfeiçoar a Exploração e Produção de Petróleo.

Propostas: curso MULTIDISCIPLINAR E INTERINSTITUCIONAL, mantendo um núcleo de docentes para manutenção da polarização e intercâmbio de conhecimento cientifico e tecnológico nas atividades de Exploração e Produção de Petróleo.

Articulação: mantém-se um corpo docente fixo dedicado exclusivamente a esta atividade, e promove-se a participação de docentes e colaboradores de outros programas sob demanda.

O Corpo Docente pleno do Programa compõe-se de 11 professores permanentes (RDIDP-DEP/FEM, DGRN/IG, DMA/IMECC): - FEM: A.C.Bannwart, C.K.Morooka, D.J.Schiozer, J.R.P.Mendes, O.V.Trevisan, P.R.Ribeiro, R.B.Z.L. Moreno, S.N.Bordalo; - IG: A.C.Vidal;

- IMECC:J.D.W. Schleicher, Schleicher, M.A.N.

Deve ser lembrada aqui a perda de três docentes plenos do IG, que estão sendo substituídos por dois novos docentes, que ainda não constam deste relatório, porém estão iniciando suas atividades no programa a partir de 2011, nas áreas de Geofísica e Geologia do Petróleo. Dessa forma, pretende-se manter a colaboração entre a FEM e o IG que é a base do Programa.

Histórico:

1987 criação do CEPETRO - inicia-se a 1ª turma do mestrado em Eng. de Petróleo, na FEM 1991 iniciam-se a 1ª turma do mestrado em Geoengenharia, no IG

1993 formatura do centésimo Mestre em Eng. de Petróleo 1994 1ªs bolsas Capes e CNPq destinadas à Eng. Petróleo (FEM)

1996 designação "Núcleo de Excelência projeto PRONEX em Petróleo, MCT

1997 início da integração dos mestrados em Eng. do Petróleo (FEM) e a Geoengenharia.(IG) instituição da Agência Nacional do Petróleo (ANP) no País

projeto ANP de avaliação de campos de petróle

1º e 2º lugares no SPE Student Paper Contest of Latin America

1998 naugurada a BIBLIOTECA VIRTUAL DE PETRÓLEO (Prossiga/CNPq) 1999 1ªs Balsas PRH/ANP

1º e 2º Lugar no SPE Student Paper Contest of Latin America 2º lugar, mestrado, Prêmio Petrobras de Tecnologia de Dutos Prêmio Repsol-YPF, mestrado

1ªs bolsas PRH-ANP atribuídas ao programa

organização do 1º Simpósio de Petróleo da ABCM, no XV-COBEM 1999 1ªs Bolsas PRH/ANP

1ºe 2º Lugar no SPE Student Paper Contest of Latin America 2º lugar, mestrado, Prêmio Petrobrás de Tecnologia de Dutos

Prêmio Repsol-YPF, Mestrado - 1ªs bolsas PRH-ANP atribuídas ao programa organização do 1º Simpósio de Petróleo da ABCM, no XV-COBEM

2000 1º e 3º Lugar no SPE Student Paper Contest of Latin America Outstanding International Student Chapter of SPE Capes aprova o programa de Ciências e Engenharia de Petróleo

2001 início do mestrado e doutorado em Ciências e Eng. de Petróleo 1º e 2º lugares no SPE Student Paper Contest of Latin America organização do 2o Simpósio de Petróleo da ABCM, no XVI-COBEM

2002 1ºlugar na Seção de Graduação no SPE Student Paper Contest of L.America 2003 1ºs lugares -Graduação e Mestrado- no SPE Stud. Paper Contest of L.America

(4)

organização do 3o Simpósio de Petróleo e Offshore no XVII COBEM

2004 1os lugares – Categ. Graduação e Mestrado no SPE Stud. Paper Contest of L. America 1º Lugar - Categoria Mestrado - SPE International Student PaperContest, Houston, EUA

Melhor Trabalho Tema Livre UNICAMP, XII Congresso Interno de Iniciação Científica, PIBC/CNPq 2005 1ºs lugares – Categ. Graduação e Mestrado no SPE Stud. Paper Contest of L. America 2006 1os lugares – Categ. Doutorado no SPE Stud. Paper Contest of L America

Prêmio Inventor 2006 da Petrobras para o Prof. Rodrigo de Sousa Portugal

Prêmio Excelência em Formação de Recuros Humanos, concedido pela SPE-Brasil (Society of Petroleum Engineers) ao Prof. Denis Schiozer 2007 1º lugar na categoria doutorado do "Student Paper Contest", concedido pelo SPE para a discente Ana Teresa F.S.Gaspar Ravagnani 1º lugar na categoria mestrado do "Student Paper Contest", concedido pelo SPE para o discente Sergio Henrique de Sousa

1º lugar do "Estudante Destaque 2007", concedido pelo SPE para a discente Ana Teresa F. S. Gaspar Ravagnani

2008 1º lugar na categoria doutorado do "SPE Studente Paper Contest" concedido pelo SPE da América Latina e Caribe, para o discente Valcir Tadeu Beraldo - Denver, Colorado - 21/09/2008;

O discente de doutorado Fernando Perin Munerato foi selecionado para participar do "Programa Star" pela Society of Petroleum Engineers na Conferência Anual realizada nos Estados Unidos

O discente de mestrado Guilherme Blaitterman Ribeiro Junior foi selecionado para participar da "Education Week" em Kuala Lumpur, Malásia , pela International Petroleum Technology

Conference

2009 Prêmio de 'Melhores Trabalhos" concedido pela "Santos Offshore Conference" ao aluno RICARDO DE MELO CAMIZÃO, orientado pelo Prof. Dr. Antonio Carlos Bannwart e Natache Arrifano

Sassim, classificado em 2º lugar. Evento realizado em Santos, SP em 23 de outubro de 2009

No Latin American and Caribbean Region Paper Contes, o doutorando NILO RICARDO KIM foi selecionado para representar a UNICAMP. O concurso foi realizado em Cartagena, Colombia,

durante a Latin American and Caribbean Petroleum Engineering Conference & Exhibition no período de 31 de maio a 03 de junho de 2009 Por iniciativa da National Sience Foundation (NSF) e com o apoio do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), foram selecionados dez trabalhos de pesquisa de doutorado para

participarem do Worksho to Foster US-Brazilian Research Collaborations, no Rio de Janeiro. Entre os dez trabalhos brasileiros, três foram de alunos da Unicamp, dentre eles o trabalhode NILO

RICARDO KIM. No período de 16 a 26 de setembro, juntamente com 12 alunos norte-americanos, esses alunos trabalharam em grupo elaborando projetos de pesquisa de interese mútuo. A organização do evento foi coordenada pela Northwestern University, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Paralelamente ao Workshop, os alunos foram contemplados com a participação na 11ª International Conference on Advanced Materials (ICAM)

"Homenagem de 10 anos" por Serviços Prestado ao Prof. Dr. Sérgio Nascimento Bordalo, como Coordenador do PRH-15/ANP, pela agência Nacional de Petróleo

2010 Prêmio "International Student Contest" categoria doutorado, concedido pela Society of Petroleum Engineers - SPE, ao aluno NILO RICARDO KIM, orientado pelo Prof. Dr. Paulo Roberto Ribeiro.

Evento realizado em Florença, Itália

Prêmio "Latin American Regional Paper Contest 2010" ,1º lugar na categoria Doutorado, concedido pelo SPE ao aluno NILO RICARDO KIM, orientado pelo Prof. Dr. Paulo Roberto Ribeiro. Evento realizado na UNICAMP em 01/07/2010

Prêmio "Latin American Regional Paper Contest 2010" , 1º lugar na categoria Mestrado, concedido pelo SPE ao aluno FERNANDO ANTONIO GRANGEIRO FILHO, orientado pelo Prof. Dr. Antonio

Carlos Bannwart. Evento realizado na UNICAMP em 01/07/2010

Prêmio "Latin American Regional Paper Contest 2010", 2º lugar na categoria Graduação concedido pelo SPE ao aluno Diogo Melo Paes, orientado pelo Prof. Dr. Antonio Carlos Bannwart. Evento

realizado na Unicamp em 01/07/2010

Prêmio "Latin American Regional Paper Contest 2010" 3º lugar na categoria Graduação concedido pelo SPE ao aluno Ricardo Malagodi Caliari, orientado pelo Prof. Dr. Antonio Carlos Bannwart.

Evento realizado na Unicamp em 01/07/2010

Prêmio "Jovem Profissional" conferido pelo Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis - IBP, aos alunos de mestrado: 1) Igor Gimenez Cesca, orientado pelo Prof. Dr. Gabriel Alves da

Costa Lima; 2) André Neves do Amaral e 3) Paulo César Pagotto, ambos orientados pelo Prof. Dr. Denis José Schiozer. A premiação foi realizada durante o Rio Oil & Gas 2010, um dos principais

eventos de Petróleo e Gás da América Latina, realizado no Rio de Janeiro, RJ, em setembro 2010

Incluindo o histórico do Curso de Mestrado em Geoengenharia de Reservatórios o total acumulado de alunos titulados pelo Programa até Dezembro/2010 é:

MESTRADO 365 DOUTORADO 24.

3. EVOLUÇÃO E TENDÊNCIAS

O crescimento das atividades do setor de Petróleo na última década tem sido muito expressivo. A quebra do monopólio e a criação da ANP trouxeram uma nova dinâmica ao setor, propiciando a criação de um modelo avançado de financiamento de pesquisa. O crescimento da demanda de profissionais qualificados por parte da indústria do petróleo causou grande aumento da procura pelo Programa por parte de diversos tipos de profissionais - engenheiros, geólogos, físicos e químicos, que vêem no Programa, sobretudo no Mestrado Acadêmico, a porta de entrada para a indústria.

Cabe lembrar que o Programa sempre teve, desde a implantação do Mestrado em Engenharia de Petróleo (1987), uma vinculação muito estreita com a indústria do petróleo, em particular com a Petrobras. Esse vínculo com a indústria tem sido o principal fator atrativo de alunos, propiciando pronta empregabilidade pela indústria. Da mesma forma, boa parte dos doutores formados pelo Programa costumam retornar à

(5)

indústria, assumindo funções que requerem liderança em pesquisa, enquanto o restante permanece na universidade.

Com as recentes descobertas de enormes jazidas na camada pré-sal na Bacia de Santos, vislumbra-se um crescimento ainda mais significativo tanto na procura pela área, por um lado, como nos investimentos em pesquisa. Neste sentido, deve ser destacada a criação do Sistema de Capacitação e Tecnologia em Carbonatos-SCTC, criado através de parceria entre a PETROBRAS e cinco universidades brasileiras, entre as quais a UNICAMP.

No que diz respeito ao crescimento do número de alunos, constata-se já há vários anos que as cotas de bolsas do programa – CAPES, CNPq – não se mostram suficientes, requerendo o importante suplemento de bolsas da ANP, através do programa PRH-15 iniciado em 1999. A FAPESP também tem contribuído com bolsas, conforme a demanda individual dos docentes. O número de candidatos interessados tem aumentado continuamente, possibilitando uma melhor seleção dos candidatos.

A maioria dos candidatos inscritos não provém da UNICAMP, ou de São Paulo, e sim de outros estados; tendo em vista que os egressos da UNICAMP, USP e UNESP, em geral, verificam boas oportunidades de trabalho, enquanto que estudantes de outros estados com menor atividade industrial têm procurado o setor de petróleo, mais ativo nestas regiões (Rio de Janeiro, Norte e Nordeste do Brasil), ou procurando obter uma melhor qualificação para se obter melhor posição no mercado de petróleo.

Por fim, destacamos a evolução positiva do conceito do programa junto à CAPES, passando do conceito "4" no triênio 2004-2006, para o conceito "5" no triênio 2007-2009. Essa evolução foi sem dúvida fruto do amadurecimento do corpo docente do programa.

Estadual de Campinas (Unicamp), Estadual do Norte Fluminense (Uenf), Federal Fluminense (UFF) e Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Estadual de Campinas (Unicamp), Estadual do Norte Fluminense (Uenf), Federal Fluminense (UFF) e Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Estadual de Campinas (Unicamp), Estadual do Norte Fluminense (Uenf), Federal Fluminense (UFF) e Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Estadual de Campinas (Unicamp), Estadual do Norte Fluminense (Uenf), Federal Fluminense (UFF) e Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

(6)

Proposta do Programa - Integração com a Graduação

Benefícios recíprocos da integração com cursos de graduação. Resultados obtidos (P-PG-07)

A participação de docentes na graduação ocorreu da seguinte forma:

(a) Os docentes lecionaram, cada um, em média, 3 disciplinas de graduação por ano ao longo do triênio;

(b) Os docentes trabalharam, em média, com 4 alunos de graduação em iniciação cientifica e trabalhos de conclusão de curso, além de outros estagiários contratados para fins específicos em projetos.

Cerca de 60 alunos apresentaram seus trabalhos no Congresso Interno de Iniciação Científica realizado na Unicamp em 2009.

(c) Desde 1994, o Departamento de Engenharia de Petróleo oferece disciplinas eletivas de Engenharia de Petróleo na Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM), caracterizando uma ênfase em Petróleo. A partir de 2003, essa ênfase foi transformada em Modalidade Petróleo, com base em uma opção feita pelos alunos interessados quando atingem 70 % da carga horária do curso de Engenharia Mecânica. A M o d a l i d a d e P e t r ó l e o s e c o m p õ e d e 8 d i s c i p l i n a s , c o m m é d i a d e 3 , 5 h o r a s c a d a u m a , d e s c r i t a s n o e n d e r e ç o : h t t p : / / w w w . d e p . f e m . u n i c a m p . b r / i n d e x . p h p ? p = m o d _ p e t r o

São oferecidas pelo menos 2 destas disciplinas por semestre. Este programa de graduação foi pioneiro no Brasil, tendo sido implantado muito antes da ANP induzir este tipo de atividade na graduação de outras universidades, conforme se observa atualmente.

(d) No Instituto de Geociências (IG), também há disciplinas eletivas de Petróleo que fazem parte da graduação em Geologia.

(e) Desde 1999, o programa vem recebendo bolsas de iniciação científica da ANP para graduandos da FEM e do IG que desenvolvam atividades em Petróleo, através do PRH-15/ANP.

(f) Em 2003, foi estabelecido um convênio, com apoio da CAPES-FIPSE, com os EUA, visando ao intercâmbio de alunos de graduação. Esse convênio envolve a UNICAMP, a Universidade Federal do Ceará (UFC), a Universidade de Louisiana e a Universidade de Houston. Assim, a UNICAMP tem recebido alunos dessas três instituições e enviado seus alunos em fim de curso às Universidades de Louisiana e Houston.

(g) Em 2009 foi assinado convênio de cooperação entre a UNICAMP e a NTNU-Norwegian University of Science and Technology. Através deste acordo o programa já recebeu um estudante de intercâmbio em 2010, e deverá receber outros três em 2011.

Através desse convênio procura-se propiciar aos graduandos a oportunidades de conhecer aplicações de seus cursos básicos de engenharia e geologia aos sistemas petrolíferos, assim como visitar campos de petróleo com instalações de produção e plataforma marítimas.

Entretanto, verifica-se nos últimos anos, uma tendência de graduandos da UNICAMP permanecerem cada vez mais no Programa, após conclusão de sua graduação. Para reforçar essa tendência, a Faculdade de Engenharia Mecânica regulamentou, em 2007, o Plano Integrado de Capacitação Continuada (PICC) que possibilita aos alunos de graduação em Engenharia Mecânica, que já tenham cumprido 70 % da carga horária do curso, antecipar a maior parte dos créditos de disciplinas da pós-graduação e transformando a apresentação do trabalho de graduação em uma pré-qualificação do aluno para o Mestrado. A aceitação formal do aluno no Programa de Pós, após a graduação, mantém-se sob os mesmos critérios de aceitação que os demais concorrentes. Por permitir a formação de Mestres ao fim do mantém-sexto ano, o PICC apresenta grandes atrativos e poderá repercutir de forma positiva para o Programa, sobretudo no que diz respeito à produção científica.

Proposta do Programa - Integração com a Graduação

Estágio de docência do pós graduando junto aos alunos da graduação (P-PG-07a)

Nos últimos anos temos estimulado os alunos de pós-graduação, principalmente de Doutorado, a participar de atividades do Programa de Estágio Docente (PED), tendo em vista esta experiência ter se mostrado de grande valor para a formação acadêmica do aluno, inclusive à sua pesquisa de pós-graduação.

Alguns dados de envolvimento com o programa PED dos últimos cinco anos são os seguintes:

Em 2003 - 2 doutorandos participaram do PED. Em 2004 - 3 doutorandos. Em 2005 - 3 doutorandos. Em 2006 - 5 mestrandos e 2 doutorandos. Em 2007 - 3 mestrandos e 1 doutorando. Em 2008 - 5 mestrandos e 1 doutorando. Em 2009 - 2 mestrandos e 1 doutorando. Em 2010 - 2 mestrandos e 2 doutorandos.

Proposta do Programa - Infraestrutura - Laboratórios (P-PG-08)

Os laboratórios nos quais os alunos do Programa atuam, situam-se na Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM), no Instituto de Geociências (IG) e no Centro de Estudos de Petróleo (CEPETRO), assim distribuídos:

FEM – Faculdade de Engenharia Mecânica: · Laboratório de Reologia de Fluidos de Perfuração · Laboratório de Escoamento em Meios Porosos · Laboratório de Estimulação de Poços

- Laboratório de Métodos Térmicos de Recuperação · Laboratório de Métodos Miscíveis de Recuperação · Laboratório de Simulação Numérica de Reservatórios · Laboratório de Inteligência Artificial

IG – Instituto de Geociências:

· Laboratório de Análises Geoeconômicas · Laboratório de Informática Geológica · Laboratório de Petrofísica

(7)

· Laboratório de Caracterização Geológica de Reservatórios

CEPETRO – Centro de Estudos de Petróleo · Labpetro – Laboratório de Petróleo · Laboratório de Geofísica Aplicada · Laboratório de Óleos Pesados

· Laboratório de Risers e Estruturas Submarinas · Laboratório de Simulação de Reservatórios

Proposta do Programa - Infraestrutura - Biblioteca (P-PG-09)

Biblioteca do DEP - Departamento de Engenharia de Petróleo

Nosso acervo local na Biblioteca de Petróleo no DEP/FEM/UNICAMP inclui:

Teses: 665 Apostilas: 826 Livros: 2348 Vídeos: 41

Períodicos:

- SPE Drilling and Completion

- SPE Reservoir Evaluation Engineering - SPE Production and Facilities

- Journal of Petroleum Engineering (JPT)

- Journal of Canadian Petroleum Technology (JCPT) - Journal of Petroleum Science and Engineering (JPSE)

- Internacional Journal of Offshore and Polar Engineering (IJOPE) - Journal of Offshore Mechanics and Arctic Engineering (ASME-JOMAE) - Oil & Gas Science an Technology

- Journal of Energy Resources Technology (ASME-JERT) - Offshore

- Oil & Gas Journal - World Oil

-Petrophysics (SPWLA) -Brasil Energia -Boletim Técnico

Consulta e Index Local:

- Offshore Techonology Conference –OTC paper collection (cd-rom) 1969 –2006 - Transactions of AIME 1925 –1991

- SPE ( em cd-rom) 1951 –1997 - SPE ( em microfiche) 1955 –1994 - Petroleum Abstracts 1987-1998

- Unibibli (USP, UNESP, UNICAMP) 4º edição

Consulta em Rede: - Univ. Cornell - Univ. New México - ONPETRO (SPE online)

A Biblioteca está conectada em rede com a Unicamp e o exterior. Há ainda um acervo do DGRN com 269 livros e 10 periódicos. A biblioteca do IG contém 9000 livros e 150 periódicos.

Proposta do Programa - Infraestrutura - Recursos de Informática (P-PG-10) Proposta do Programa - Infraestrutura - Recursos de Informática (P-PG-10)

Administração\Secretarias

3 Microcomputadores Core 2 Quad 2,83GHz; 1 Microcomputador Pentium IV 1,8GHz; 1 Microcomputador Dual Core T4200 2GHz; 1 HP LaserJet 1300; 1 HP LaserJet 3015; 1 HP Deskjet 895 cxi; 3 No-breaks; Biblioteca 1 Microcomputador Pentium IV 3Ghz; 1 Microcomputador Dual Core T4200 2GHz; 1 Impressora HP LaserJet dn

Recursos de informática

10 Microcomputadores Pentium IV 3Ghz; 5 Microcomputadores Pentium IV 3.4GHz; 9 Microcomputadores Pentium D 945

(8)

3 Microcomputadores Pentium D 2.8GHz; 4 Microcomputadores Core 2 duo 1.86GHz; 2 Microcomputador Pentium D 3.4GHz; 1 Microcomputador Pentium 3 800MHz; 1 Microcomputador Xeon 2.4GHz; 1 Microcomputador Pentium IV 3.2GHz; 1 Microcomputador Pentium IV 2GHz; 1 Microcomputador Core Duo 1.86GHz; 19 No-break

1 câmera Canon digital; 1 Scanner de mesa HP;

1 Equipamento para videoconferência Sony; 2 Notebooks;

3 Impressoras laser HP; 1 Impressoras jato de tinta HP; 3 Projetores;

2 servswitch;

1 Unidade combinada de monitor e teclado Dell para rack; 2 Servidores Dell Xeon 1.6GHz;

2 Servidores Dell 2Ghz Quad Core; 1 Servidor Xeon 2.4GHz;

3 Servidores Xeon 3.2GHz; 1 Unidade de fita Dell 400/800GB; 1 Storage Dell EMC2;

3 access point wireless D-link; 1 access point 3COM; 1 roteador wireless D-link;

Laboratório de grupos de pesguisa:

11 Microcomputadores Pentium IV 3GHz; 2 Microcomputadores Pentium IV 2.6GHz; 3 Microcomputador Pentium IV 2.8GHz; 5 Microcomputadores Core 2 duo 3.33GHz; 4 Microcomputadores Pentium IV 3.2GHz; 7 Microcomputadores AMD X2 5000 2.6GHz 3 Microcomputadores Pentium D 2.8GHz; 1 Microcomputador Pentium IV 3.4GHz; 2 Microcomputador Core 2 duo E6400; 4 Microcomputador Core 2 Duo 3Ghz; 1 Microcomputador Pentium IV 2.4GHz; 1 Microcomputador Pentium IV 1.7GHz; 1 Microcomputador Xeon x3323 2.5GHz; 1 Microcomputador Core 2 Duo vPro; 1 Microcomputador Pentium 3 1Ghz; 3 Microcomputadores Pentium 3 933Mhz; 5 Microcomputador Pentium 4 2Ghz; 4 Microcomputadores Pentium 4 1,6GHz; 2 Microcomputadores Pentium D 3GHz; 1 AMD semprom 2.11GHz; 1 AMD semprom 1.81GHz;

2 Microcomputadores Core 2 Duo 1.86GHz; 1 Servidor Xeon Quad Core 2.33GHz;

5 Microcomputadores para aquisição de dados stand-alone; 1 Estação Silicon Graphics (SGI fuel) 2 processadores 500MHz; 25 No-breaks;

1 Impressora HP laser Jet; 2 Impressoras HP deskjet; 1 Impressora HP color laser Jet; 2 Projetores;

1 roteador wireless; 1 Notebook;

Professores

1 Microcomputador Xeon Quad Core 2.4GHz; 1 Microcomputador Pentium IV 2GHz; 1 Microcomputador Pentium 3 700MHz; 2 Microcomputador Pentium IV 2.8GHz; 1 Microcomputador Core 2 Quad 3Ghz; 3 Microcomputadores Pentium IV 3.2GHz; 1 Microcomputador Core 2 Quad 2.4GHz; 1 Microcomputador Core 2 Duo 2.8GHz; 1 Microcomputador I5 3.33Ghz;

(9)

24 Notebook;

5 Impressora Deskjet HP; 11 No-break;

2 Impressora Laser Jet HP; 1 Impressora HP Office Jet Pro; 1 Projetor;

1 impressora Canon; 1 Impressora HP Photosm

Proposta do Programa - Infraestrutura - Outras Informações (P-PG-10a)

-1 estação Silicon Graphics (SGI Fuel) 2 processadores 500MHz; -1 estação SUN (Ultra 60);

-1 estação SUN (Ultra 10); -2 estações SUN (Ultra 1);

-3 microcomputadores Pentium III 650 Mhz; -9 microcomputadores Pentium IV 2 Ghz; -10 microcomputadores Pentium IV 3 Ghz; -10 microcomputaodres Pentium D 3,4 Ghz; -5 microcomputadores Pentium IV 3,4Ghz; -2 microcomputadores pentium D 2,8Ghz; -2 microcomputador Pentium IV 2,4Ghz;

Proposta do Programa - Intercâmbios Institucionais (P-PG-11)

O Programa mantém ou manteve no passado, intercâmbios institucionais importantes para a sua consolidação (atividades conjuntas e sistemáticas do Programa com seus Congêneres) com as seguintes Instituições:

. Colorado School of Mines, USA . Louisiana State University, USA . Texas A&M University, USA . University of Texas at Austin, USA . University of Tulsa, USA

. University of New South Wale, Australia . Universidade de Comahue, Argentina . University of Tokyo , Japão

. U. Louisiana, Lafayette (USA), U. Houston (USA) e U.F. Ceará (BR) . NMRI - National Maritime Research Institute

. NTNU - Norwegian University of Science and Technology

O Programa vem mantendo, sistematicamente, atividades conjuntas na graduação com a UFC no Brasil e University of Louisiana at Lafayette e University of Houston nos EUA, para intercâmbio de alunos da graduação na área de Engenharia de Petróleo. O principal objetivo deste programa institucional é aproximar os Estados Unidos e o Brasil através de um programa de formação de recursos humanos em nível de graduação, pós-graduação e pesquisa, atentando-se aos pontos considerados importantes, a saber:

a) promoção, através da imersão, de um mútuo entendimento da cultura social e profissional do ambiente de produção de petróleo em ambos os países;

b) proporcionar contatos com profissionais da área de petróleo, através de atividades presenciais, em especial aulas, palestras, visitas técnicas, trabalhos de campo e workshops;

c) desenvolvimento de conhecimento técnico específico à área do projeto em que o aluno está envolvido, incorporando ao currículo regular os tópicos da especialização em petróleo; inclusive o ensino da língua anfitriã;

d) oferecer oportunidade de crescimento pessoal, através dos desafios de uma experiência de vida em uma cultura diferente, interagindo com diversos integrantes - professores, estudantes, população em geral; também enriquecendo a formação individual com o aprendizado instrumental de uma língua estrangeira.

O Programa até o ano de 2007 envolveu um total de mais de 50 alunos de graduação, cerca de 30 alunos do Brasil para os EUA e, 20 alunos dos EUA para as UFC e Unicamp.

Proposta do Programa - Quais os pontos fortes do programa? (P-PG-12)

Observa-se uma significativa evolução em todos os indicadores de Produção Bibliográfica do Programa, relativamente à última avaliação trienal, sobretudo no que se refere à Produção em Periódicos; não só essa produção aumentou em termos quantitativos, como também o número de publicações com participação discente. O Programa poderá melhorar ainda mais esse indicador nos próximos anos.

Outro aspecto em que o Programa vem melhorando substancialmente se refere à razão entre o número de dissertações e o número de teses (D/T). Como o Programa fora concebido (anteriormente a 2000) na forma de dois programas isolados de mestrado - um em Engenharia de Petróleo e outro em Geoengenharia de Reservatórios, é natural que, após a fusão de ambos para formar o atual Programa (2000), a razão D/T iniciasse com um valor elevado. De fato, no triênio 2001-2003 essa razão era 9, caindo para 7 no triênio 2004-2006. No TRiênio 2007-2009, a valor já está próximo de 3. Esse número não é elevado, se for considerada a característica do Programa de ser visto pelos profissionais recém-graduados como forma de acesso à indústria do petróleo.

Proposta do Programa - Auto-Avaliação - Em quais pontos o programa precisa melhorar? (P-PG-12a)

O Programa de Pós-Graduação em Ciências e Engenharia de Petróleo da UNICAMP goza de excelente reputação por parte dos membros mais proeminentes do setor de petróleo, tanto da indústria (Petrobras, Schlumberger, Halliburton, Society of Petroleum Engineers-SPE, entre outras), como estatais (Ministério de Ciência e Tecnologia, do Ministério de Minas e Energia e da Agência Nacional de Petróleo-ANP). Não é sem razão que os profissionais que formamos são altamente disputados no mercado de trabalho.

(10)

pela indústria (principalmente Petrobras) e por parte dos órgãos governamentais (Finep-CTPetro e CNPq-CTPetro). Através desses projetos, os alunos desenvolvem suas teses e dissertações em temas aplicados e de grande apelo prático.

Outro ponte forte do Programa diz respeito à sua abrangência temática na grande área de Exploração e Produção de Petróleo. Em 2007, o Programa tomou coletivamente a decisão de incorporar uma nova linha de pesquisa à área de Reservatórios e Gestão: Geofísica de Reservatórios. Esta linha responde a uma enorme necessidade de integração das atividades de pesquisa em Reservatórios Petrolíferos na UNICAMP, por um lado, e à grande demanda da indústria por geofísicos, por outro.

Proposta do Programa - Outras Informações (P-PG-13)

A. INTEGRAÇÃO COM A GEOENGENHARIA

Desde 1991, professores e alunos atuando nos então Cursos de Mestrado em Engenharia de Petróleo e de Geoengenharia de Reservatórios têm trabalhado juntos em disciplinas, teses e projetos. A multidisciplinaridade destas atividades é atestada pelo variado perfil da formação dos alunos e professores (engenheiros, geólogos, químicos, físicos) e pelos trabalhos desenvolvidos dentro das linhas de Engenharia de Reservatórios, Geoengenharia de Reservatórios e Gestão de Recursos de Óleo e Gás. Estes trabalhos transcorrem em geral na Faculdade de Engenharia Mecânica e no Instituto de Geociências; uma integração que tem sido muito elogiada pelos especialistas estrangeiros que nos visitam, e que serve de inspiração para outros programas da área de petróleo. No atual momento, de descobertas significativas no pré-sal, tal integração se mostra ainda mais importante.

B. INTEGRAÇÃO COM A GEOFÍSICA

Em 2007, o Programa tomou coletivamente a decisão de agregar uma nova linha de pesquisa à área de Reservatórios e Gestão: Geofísica de Reservatórios. Esta linha responde a uma enorme necessidade de integração das atividades de pesquisa em Reservatórios Petrolíferos na UNICAMP, por um lado, e à grande demanda da indústria por geofísicos, por outro. Essa incorporação já se reflete no presente relatório, através do envolvimento de professores participantes do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica (IMECC) da UNICAMP. Por ter sido iniciada em 2007 esta participação deverá se consolidar progressivamente ao longo do triênio 2007-2009.

C. BOLSISTAS DE PRODUTIVIDADE CNPq 1) Prof. Dr. Alexandre Campane Vidal Bolsista de Produtividade em Pesquisa 2 2) Prof. Dr. Antonio Carlos Bannwart Bolsista de Produtividade em Pesquisa 2 3) Prof. Dr. Denis José Schiozer

Bolsista de Produtividade em Pesquisa 1D 4) Prof. Dr. Joerg Dietrich Wilhelm Schleicher Bolsista de Produtividade em Pesquisa 1C 5) Prof. Dr. Lúcio Tunes dos Santos

Bolsista de Produtividade em Pesquisa 1C 6) Profª Drª Maria Amélia Novais Schleicher Bolsista de Produtividade em Pesquisa 2 7) Prof. Dr. Martin Tygel

Bolsista de Produtividade em Pesquisa 1A

D. PRINCIPAIS PROJETOS DE PESQUISA COORDENADOS POR DOCENTES PERMANENTES 1) Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico em Reservatórios e Explotação de Óleo e Gás. Coordenador: Prof. Dr. Antonio Carlos Bannwart

Órgão Financiador: PETROBRAS Valor aprovado: R$ 930.152,00

2) Visualização de Escoamento Bifásicos Gás-Líquido em BCS's. Coordenador: Prof. Dr. Antonio Carlos Bannwart

Órgão Financiador: PETROBRAS Valor aprovado: R$ 570.442,00

3) Laboratório de Computação de Alto Desempenho e Ambiente 3D Imersivo e Interativo de Visualização Científica. Coordenador: Prof. Dr. Celso Kazuyuki Morooka

Órgão Financiador: PETROBRAS Valor aprovado: R$ 3.893.137,50

4) Implantação do Laboratório Experimental para Risers de Produção em Águas Ultra-Profundas e Sistemas Marítimos de Produção. Coordenador: Prof. Dr. Celso Kazuyuki Morooka

Órgão Financiador: PETROBRAS Valor aprovado: R$ 6.270.000,00

5) Ampliação do Espaço Físico e Infraestrutura para Estudos de Técnicas Avançadas de Simulação de Reservatórios. Coordenador: Prof. Dr. Denis José Schiozer

Órgão Financiador: PETROBRAS Valor aprovado: R$1.822.500,00

6) Migração por Extrapolação de Ondas em 3D. Coordenador: Prof. Dr. Joerg Dietrich W. Schleicher Órgão Financiador: PETROBRAS

Valor aprovado: R$ 270.300,00

(11)

Coordenador: Prof. Dr. Osvair Vidal Trevisan Órgão Financiador: PETROBRAS

Valor aprovado: R$ 1.141.197,00

8) Métodos Térmicos de Recuperação.

Coordenador: Prof. Dr. Osvair Vidal Trevisan Órgão Financiador: PETROBRAS

Valor aprovado: R$ 1.294.438,30

9) Implantação do Laboratório PVT.

Coordenador: Prof. Dr. Paulo Roberto Ribeiro Órgão Financiador: PETROBRAS

Valor aprovado: R$ 975.975,00

10) Avaliação da Invasão de Fluidos de Perfuração em Reservatórios de Óleo. Coordenador: Profª Drª Rosângela Barros Zanoni Lopes Moreno

Órgão Financiador: PETROBRAS Valor aprovado: R$ 1.247.031,56

11) Modelagem de Parâmetros Dinâmicos da Caracterização de Reservatórios. Coordenador: Prof. Dr. Alexandre C. Vidal

Órgão Financiador: PETROBRAS Valor aprovado: R$ 2.943.409,13

12) Aperfeiçoamento de Metodologias para Aumentar a Produtividade e a Aplicabilidade dos Estudos de Simulação de Reservatórios. Coordenador: Prof. Dr. Denis José Schiozer

Órgão Financiador: PETROBRAS Valor aprovado: R$ 5.248.612,55

13) Imageamento Sísmico 2D e 3D Incorporando o Método CRS e Análise de Velocidade. Coordenador: Prof. Dr. Martin Tygel

Órgão Financiador: PETROBRAS Valor aprovado: R$ 1.820.808,84

E. INTERAÇÃO COM A INDÚSTRIA ATRAVÉS DE PROJETOS DE PESQUISA. SALIENTAR A CONTRAPARTIDA FINANCEIRA DO SETOR INDUSTRIAL NESTES PROJETOS.

O Programa sempre teve, desde a implantação do Mestrado em Engenharia de Petróleo (1987), uma vinculação muito estreita com a indústria do petróleo, em particular com a Petrobras. Um dado importante a ser enfatizado é que, no triênio 2007-2009 os projetos de pesquisa financiados diretamente pela indústria ultrapassam o montante global de RS 50.000.000,00, em sua quase totalidade financiados pela Petrobras. Esse vínculo com a indústria tem sido o principal fator atrativo de alunos, propiciando pronta empregabilidade dos alunos egressos. Da mesma forma, boa parte dos doutores formados pelo Programa costumam retornar aos centros de pesquisa das indústrias, assumindo funções que requerem liderança em pesquisa, enquanto o restante estabelece carreira na universidade.

F. PALESTRANTES EXTERNOS CONVIDADOS EM 2010

- 06/08/2010 - "Blowout no Golfo do México: Reflexões sobre as Possíveis Causas e Consequências" - Dr. Kazuo Miura - PETROBRAS/RJ 13/08/2010 "A importância das Atividades Experimentais de Laboratório no Contexto da Produção de Petróleo" Prof. Euclides José Bonet -Prof. Colaborador UNICAMP

- 20/08/2010 - "Aspectos Relevantes de Escoamento na Produção de Petróleo" - Engº Eduardo Ferreira Gaspari - PETROBRAS/CENPES/RJ - 27/08/2010 - "O Pré-sal e o Desenvolvimento Nacional" - Dr. Daniel Teixeira Machado - PETROBRAS/REPLAN

- 03/09/2010 - "A Exploração e Produção de Petróleo no Brasil" - Geóloga Mônica Rebelo - PETROBRAS/RJ

- 24/09/2010 - "Recuperação Avançada de Petróleo por Combustão In-situ" - Engª Lucia Inês Bonet Gonçalves - UNICAMP - 01/10/2010 - "Desenvolvimento do Campo de Polvo: Curva e Aprendizado" - Dr. Shiniti Ohara - DEVON ENERGY DO BRASIL/RJ

01/10/2010 "Perfuração de Poços de Longo Alcance Recorde Brasileiro e "Perfuração Direcional: Controle da Trajetória Como é Feita?" -Dr. Grover Orellana - HALLIBURTON - SPERRY DRILLING/RJ

- 08/10/2010 - "Elevação Artificial de Petróleo em Poços de Pré-sal" - Dr. Valdir Estevam - PETROBRAS/RJ

- 15/10/2010 - "Introdução à Mecânica das Rochas com Aplicações na Indústria do Petróleo" - Dr. Wellington Campos - PETROBRAS/RJ - 22/10/2010 - "Estimulação de Poços: Uma Visão Prática" - Engº Luis Neumann - PETROBRAS/RJ

- 05/11/2010 - "Ações para Reduzir a Incidência de Blowouts" - Dr. Otto Luiz Alcântara Santos - PETROBRAS/BA - 12/11/2010 - "Avaliação de Formações: Uma Visão Integrada - Dr. Antonio Carlos Decnop Coelho - PETROBRAS/RJ - 26/11/2010 - Simulação Otimizada do Acoplamento Poço Reservatório" - Prof. Dr. Philipe Remy Bernard Devloo - UNICAMP

G. VISITAS TÉCNICAS ORGANIZADAS PELOS ALUNOS E APOIADAS PELO PROGRAMA 1) REPLAN - Refinaria do Planalto Paulista

Local: Paulínia, SP Data: 10/08/2010 Nº de Participantes: 07

Objetivo: A visita técnica à REPLAN teve por objetivo apresentar aos estudantes do Programa de Pós-Graduação em Ciências e Engenharia de Petróleo, o funcionamento de uma refinaria de petróleo, os processos e atividades desenvolvidas na refinaria, desde o recebimento, armazenamento e análise do óleo e gás até aos processos químicos e de refino do mesmo.

2) IMBIL

Local: Itapira, SP Data: 25/10/2010 Nº de Participantes: 10

(12)

Objetivo: A visita técnica à Imbil teve como foco os alunos da Graduação em Eng. Mecânica, para que eles pudessem ter maior contato com a fábrica, bem como com o funcionamento dos equipamentos apresentados.

Proposta do Programa - Ensino a Distância (P-PG-14)

Não.

Proposta do Programa - Trabalhos em Preparação (P-PG-15)

ARTIGOS EM PERIÓDICOS ARBITRADOS

1) Moreno, R.B.Z.L.; Santos, R.G.; Okabe, C.P.; Schiozer, D.J.; Trevisan, O.V.; Bonet, E.J.; Iatchuk, S.P.; Comparison of Residual Oil Saturation CO2 Flooding in a Long Core, with Live Oil at Reservoir Conditions,

Journal of Porous Media, New York, Estados Unidos da América. (Aceito para publicação)

2) Santos, R.G.; Bannwart, A.C.; Briceño, M.I.; Loh, W.; Physico-chemical Properties of Heavy Crude Oil-in-water Emulsions Stabilized by Mixtures of Ionic and Non-ionic Ethoxylated Nonylphenol Surfactants and

Medium Chain Alcohols,Chemical Engineering Research & Design, Rugby, Reino Unido. (Aceito para publicação)

3) Maschio, C.; Becerra, G.G.; Schiozer, D.J.; Petroleum Reservoir Uncertainty Mitigation through the Integration with Production History Matching; Journal of the Brazilian Society of Mechanical Sciences and

Engineering, Agosto, 2010. (Aceito para publicação)

4) Ravagnani, A.T.F.S.G.; Muñoz E.O.M.; Schiozer, D.J.; A Case Study of the Structure of the Process for Production Strategy Selection; International Journal of the Modeling and Simulation for the Petroleum Industry,

Julho 2010. (Aceito para publicação)

Proposta do Programa - Atividades Complementares (P-PG-16)

PRÊMIOS E MENÇÕES

Prêmio "International Student Contest" categoria doutorado, concedido pela Society of Petroleum Engineers - SPE, ao aluno NILO RICARDO KIM, orientado pelo Prof. Dr. Paulo Roberto Ribeiro. Evento

realizado em Florença, Itália

Prêmio "Latin American Regional Paper Contest 2010" ,1º lugar na categoria Doutorado, concedido pelo SPE ao aluno NILO RICARDO KIM, orientado pelo Prof. Dr. Paulo Roberto Ribeiro. Evento realizado na

UNICAMP em 01/07/2010

Prêmio "Latin American Regional Paper Contest 2010" , 1º lugar na categoria Mestrado, concedido pelo SPE ao aluno FERNANDO ANTONIO GRANGEIRO FILHO, orientado pelo Prof. Dr. Antonio Carlos

Bannwart. Evento realizado na UNICAMP em 01/07/2010

Prêmio "Latin American Regional Paper Contest 2010", 2º lugar na categoria Graduação concedido pelo SPE ao aluno Diogo Melo Paes, orientado pelo Prof. Dr. Paulo Roberto Ribeiro. Evento realizado na

Unicamp em 01/07/2010

Prêmio "Latin American Regional Paper Contest 2010" 3º lugar na categoria Graduação concedido pelo SPE ao aluno Ricardo Malagodi Caliari, orientado pelo Prof. Dr. Antonio Carlos Bannwart. Evento

realizado na Unicamp em 01/07/2010

Prêmio "Jovem Profissional" conferido pelo Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis - IBP, aos alunos de mestrado: 1) Igor Gimenez Cesca, orientado pelo Prof. Dr. Gabriel Alves da Costa Lima;

2) André Neves do Amaral e 3) Paulo César Pagotto, ambos orientados pelo Prof. Dr. Denis José Schiozer. A premiação foi realizada durante o Rio Oil & Gas 2010, um dos principais eventos de Petróleo e

Gás da América Latina, realizado no Rio de Janeiro, RJ, em setembro 2010.

PARTICIPAÇÃO DOS DOCENTES EM ATIVIDADES RELEVANTES FORA DO ÂMBITO DO PROGRAMA

1) PROF. DR. ALEXANDRE CAMPANE VIDAL

- Representante da Área de Reservatórios e Gestão na Comissão de Programa em Ciências e Eng. De Petróleo da FEM/IG/UNICAMP;

- Representante do DGRN/IG/UNICAMP na Comissão de Biblioteca do Instituto de Geociências.

2) PROF. DR. ANTONIO CARLOS BANNWART

- Coordenador do Curso de Pós-Graduação em Ciências e Engenharia de Petróleo da FEM/IG/UNICAMP;

- Membro da Comissão Local de Avaliação Docente - CLAD/FEM/UNICAMP; - Membro do Conselho Consultivo do CEPETRO/UNICAMP;

- Membro Convidado junto à Comissão de Pós-Graduação da Faculdade de Engenharia Mecânica da Unicamp;

- Assessor Técnico ad-hoc do CNP, FAPESP, FINEP-PADCT, FAEPEX; - Revisor de Artigos Técnicos dos seguintes Periódicos: 1) International Journal of Multiphase Flow - 2) Journal of Energy Resource Technology - ASME – 3) Journal of Petroleum Science and Engineering.

(13)

3) PROF. DR. CELSO KAZUYUKI MOROOKA - Membro do Corpo Editorial de Periódicos da ABCM;

- Membro do Conselho Editorial de Periódicos/Revisor Técnico da RBCM; - Membro do Conselho Consultivo do CEPETRO/UNICAMP - Centro de Estudos do Petróleo;

- Membro Titular do PIBIC/UNICAMP;

- Presidente da Comissão de Pesquisa da FEM/UNICAMP;

- Chefe do Departamento de Engenharia de Petróleo da FEM/UNICAMP; - Membro do Conselho do Departamento de Engenharia de Petróleo da FEM/UNICAMP;

- Assessor ad-hoc da FAPESP; - Assessor ad-hoc do CNPq; - Assessor ad-hoc da CAPES; - Assessor ad-hoc PIBIC/UNICAMP; - Editor Associado do Journal ABCM.

4) PROF. DR. DENIS JOSÉ SCHIOZER

- Membro do Conselho Editorial da JPSE - Journal Petroleum Science & Engineering;

- Membro Titular do Conselho Científico do CEPETRO/UNICAMP; - Membro Titular da Comissão de Avaliação Docente - CLAD;

- Membro do Conselho Superior da Agência de Inovações - INOVA/UNICAMP; - Assessor Técnico ad-hoc da FAPESP e CNPq.

5) JOERG DIETRICH WILHELM SCHLEICHER - Revisor para a revista internacional "Geophysics";

- Revisor para a revista internacional "Geophysical Prospecting"; - Revisor para a revista internacional "Journal of Seismic Exploration"; - Revisor para a revista internacional "Revista Brasileira de Geofísica"; - Revisor para a revista internacional "Pure and Applied Geophysics"; - Membro do Consórcio WIT - Wave Inversion Technology;

- Revisor para a revista internacional "Journal of Applied Geophysics"; - Revisor para a revista internacional "Studia Geophysica et Geodaetica"; - Membro do Comitê "SEGTeX" da Soc. Expl. Geophys.;

- Membro do Comitê Editorial da revista internacional "Journal of Seismic Exploration"; - Revisor para a revista internacional "Geophysical Journal International";

- Revisor para a revista internacional "Journal of Geophysics and Engineering"; - Membro do Comitê Técnico da Rede de Geofísica Aplicada da Petrobras;

- Membro do Comitê Editorial da revista internacional "International Journal of Geophysics";

- Membro do Comitê Gestor do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Geofísica Ad-hoc da CAPES; - Membro Suplente do Comitê de Assessoramento (CA) de Geociências do CNPq;

- Assessor científico da FAPESB; - Assessor Científico da FAPESP; - Assessor ad-hoc do CNPq;

- Chefe do Departamento de Matemática Aplicada (2009-2011); - Membro Suplente da Comissão de Publicações do IMECC; - Presidente da Banca do Exame de Língua Estrangeira do IMECC.

6) PROF. DR. JOSÉ RICARDO PELAQUIM MENDES - Vice-Chefe do Departamento de Engenharia de Petróleo – DEP/FEM/UNICAMP;

- Membro Titular da Comissão do Programa de Pós-Graduação em Ciências e Engenharia de Petróleo;

- Responsável pelo Laboratório de Informática - DEP/FEM/UNICAMP; - Responsável pela Biblioteca do DEP/CEPETRO/UNICAMP;

- Membro Titular da Comissão de Graduação da - Faculdade de Engenharia Mecânica - FEM/UNICAMP;

- Membro da Congregação da FEM/UNICAMP;

- Membro Suplente do Conselho Inter-Departamental da FEM/UNICAMP; - Membro Titular do Conselho Consultivo do Centro de Estudos do Petróleo – CEPETRO/UNICAMP.

7) PROF. DR. MARTIN TYGEL

- Membro de Corpo Editorial: JOURNAL OF SEISMIC EXPLORATION 0651) - (2006 - atual);

- Membro da Comissão Permanente PIBIC/UNICAMP;

- Membro Titular do Conselho Consultivo do CEPETRO/UNICAMP - Centro de Estudos de Petróleo;

- Membro Titular do Conselho Científico do CEPETRO/UNICAMP - Centro de Estudos de Petróleo;

- Coordenador do Laboratório de Geofísica Computacional (LGC) do IMECC/UNICAMP.

(14)

8) OSVAIR VIDAL TREVISAN

- Faculty Sponsor do SPE - Student Chapter of Campinas;

- Membro do Comitê de Seleção de Trabalhos do SPE Student Paper Contest realizado no 2010 SPE Latin America and Caribbean Petroleum Enginnering Conference (LACPEC), Lima, Peru;

- Membro do Comitê Técnico de Tecnologia e Inovação da Comissão Especial de Petróleo e Gás Natural do Estado de São Paulo;

- Diretor do CEPETRO/UNICAMP - Centro de Estudos de Petróleo; - Membro da Comissão do PRH-15 da ANP - Agência Nacional de Petróleo;

9) PAULO ROBERTO RIBEIRO

- Membro do Comitê de Avaliação de Projetos MCT/FINEP/CTPETRO – Redes Temáticas;

10) PROF. DR. SÉRGIO NASCIMENTO BORDALO

- Coordenador e Executor do PRH-15/ANP/CEPETRO - Concessão de Bolsas ao Programa de Ciências e Engenharia dos Recursos Naturais de Óleo e Gás;

- Membro Titular do Conselho Fiscal da ABPG - Associação Brasileira de Petróleo e Gás;

- Membro do Comitê de Offshore e Petróleo ABCM - Associação Brasileira de Engenharia e Ciências Mecânicas.

Proposta do Programa - Críticas/Sugestões para Comitê de Avaliação (P-PG-17)

Proposta do Programa - Solidariedade

O Programa mantém intercâmbio com outras instituições nacionais, dentre elas, a Universidade Federal do Ceará (UFC) e Universidade Estadual Paulista (UNESP). Através da interação com estas Universidades e outras, vem recebendo alunos de forma sistemática formando recursos humanos qualificados para a área de petróleo. Os docentes do Programa têm contribuído com a UFC em sua iniciativa de criação de um programa de ênfase na área de engenharia de petróleo e tem sido solidários na iniciativa daquela Universidade em iniciar um programa de pós-graduação nesta área.

Além disso, o Programa submeteu à CAPES em 2009 um projeto de Doutorado Interinstitucional (DINTER) com o Instituto Federal Tecnológico da Bahia (IFBA), envolvendo também o IF-Sergipe.

Destacamos ainda, que o programa recebeu em 2010, candidatos procedentes de diversos países da América Latina, conforme a relação abaixo:

Olivier Guillou - França

Njalo Sócrates Chipongue Chipindu - Angola Eduin Orlando Muñoz Mazo - Colômbia Janeth Alina Vidal Vargas - Bolívia Sergio Fernando Celis Ariza - Colômbia Lisbet Greenup Carrazana - Cuba Manuel Gomes Correia - Portugal Andrés Felipe Cándelo Aguiar - Colômbia Christian Fabian Araque Maldonado - Venezuela Dany Rueda Serrano - Colômbia

Em 2010 o programa recebeu as inscrições dos candidatos abaixo para início do curso em 2011:

Carlos Espinosa Leon - Colômbia Diana Milena Ochoa Suárez - Colômbia Diana Patricia Mercado Sierra - Colômbia Ismael Orlando Ochoa Lara - Colômbia Mauricio Pardo Varon - Colômbia Omar Yesid Duran Triana - Colômbia Yuly Cristina Galvis - Colômbia

Proposta do Programa - Nucleação

Ao longo dos anos, o esforço permanente dos docentes do Programa vem resultando na formação de grupos de pesquisa nas diferentes linhas de pesquisa nas duas áreas de concentração do Programa. Estes grupos têm crescido sistematicamente com a participação efetiva da pesquisa dos alunos do Programa e, muitas vezes resultando não só na nucleação dos respectivos grupos integrando docentes internos à Instituição como também agregando e fazendo intercâmbio com outros grupos de outras Instituições no País.

A nucleação de grupos de pesquisa potencializados pelas descobertas do pré-sal é considerada um alvo importante para o Programa. Nesse caso, os docentes do Programa, tanto da FEM quanto do IG, deverão atuar em conjunto com a UNESP-Rio Claro.

Proposta do Programa - Visibilidade

Continuando a iniciativa do ano de 2005, o Programa tem melhorado sistematicamente sua página Web, atualizando informações essenciais aos alunos e docentes, tais como:

(15)

- Regulamento do Programa, recentemente modificado - Normas de inscrição e seleção de alunos regulares e especiais - Formulários diversos

- Projetos de Pesquisa em andamento

Através dessa página, o Programa tem estabelecido um canal importante para disponibilizar as informações para a comunidade em geral, com outros dados e informações de interesse na área.

Imagem

Referências

temas relacionados :