RESULTADOS DE AÇÕES DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E COLETA SELETIVA EM RESTAURANTE INDUSTRIAL DA REGIÃO DE FEIRA DE SANTANA - BA. Yullo Costa Bomfim 1

10 

Texto

(1)

RESULTADOS DE AÇÕES DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E COLETA SELETIVA EM RESTAURANTE INDUSTRIAL DA REGIÃO DE FEIRA DE SANTANA - BA

Yullo Costa Bomfim 1

1. Pós graduando em Meio Ambiente e Desenvolvimento pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Itapetinga-Bahia-Brasil (yullo@pop.com.br)

Data de recebimento: 02/05/2011 - Data de aprovação: 31/05/2011

RESUMO

A crise ambiental é conseqüência do modelo de sociedade que estimula valores consumistas e como resultado desse consumo, milhares de toneladas de lixo são geradas diariamente. Algumas empresas vêm investindo em ações de educação ambiental através de palestras, cursos e comunicação interna sobre o processo de coleta seletiva com o intuito de que haja uma mudança cultural e assim o ato de selecionar lixo passe a ser um hábito na empresa. Diante disso, o presente trabalho tem como objetivo avaliar as ações de educação ambiental e praticas da coleta seletiva no refeitório de uma indústria alimentícia. Foi utilizado como método para a obtenção de dados a aplicação de um questionário semi-estruturado com 300 trabalhadores que freqüentam o refeitório. Na amostra, 92% dos entrevistados responderam saber o que é coleta seletiva, 67% responderam não ter dificuldades em realizar a separação correta do lixo em seus recipientes, 18% disseram que as cores dos recipientes os confundem, 26% das pessoas informam não haver informações sobre a coleta seletiva na empresa. Portanto, conclui-se que a coleta seletiva se acompanhada de ações de educação ambiental podem ter resultados positivos dentro das empresas e também fora, uma vez que, esta prática poderá ser difundida para as famílias dos colaboradores através de uma educação não formal. Embora tenha sido constatado o conhecimento sobre algumas ações de conservação ambiental e percebido intenções da empresa em se adequar a legislação ambiental, estas ainda podem ser aprimoradas como um todo partindo da aplicação efetiva da coleta seletiva e investimento em ações de educação ambiental. PALAVRAS-CHAVE: coleta seletiva, educação ambiental, resíduos sólidos.

RESULTS OF ENVIRONMENTAL EDUCATION ACTIVITES AND SELECTIVE COLLECTION OF INDUSTRY´S RESTAURANT OF FEIRA DE SANTANA´S

REGION

ABSTRACT

The environmental crisis is a consequence of the social model that encourages consumer values and consumption as a result of this, thousands of tons of garbage are generated daily. Some companies have been investing in environmental

(2)

education through lectures, courses and internal communication about the process of selective collection in order that there is a cultural change and thus the act of selecting garbage becomes a habit in the company. Thus, the present study aims to evaluate the environmental education and practices of the collection at the canteen of a food industry. Method was used to obtain data for the application of a semi-structured questionnaire with 300 employees who frequent the restaurant. In the sample, 92% of employees responded to know what is the selective collection, 67% reported not having difficulty achieving the correct separation of waste into their appropriate buckets, 18% said that the colors of buckets confuse them, 26% of people report there aren’t information on the selective collection in the company. Therefore, the selective collection is accompanied by environmental education can have positive results within companies and also outside, since this practice can be disseminated to the employees' families through a non-formal education. Although it has been noted some knowledge about environmental conservation actions by officials and perceived intentions of undertaking environmental law suit, they could still be improved as a whole based on the effective implementation of selective collection and investment in environmental education.

KEYWORDS: selective collection, environmental education, solid waste.

INTRODUÇÃO

Nos últimos anos a sociedade tem se mostrado cada vez mais preocupada com as questões ambientais, a quantidade de resíduos que são lançadas no meio ambiente causam danos e continuam crescendo exponencialmente.

O modelo de desenvolvimento econômico da sociedade contemporânea baseado no incentivo ao aumento da produção e consumo é tido como sinônimo de progresso e bem-estar, aumentando a pressão sobre os recursos naturais causando cada vez mais degradação ambiental. A geração dos resíduos é resultado do atual modelo de industrialização e de sociedade baseado no alto consumo, que juntamente com o acelerado crescimento populacional estão contribuindo para o aumento da poluição causada ao meio ambiente.

As destinações desses materiais indesejáveis vêm tornando-se cada vez mais delicadas devido às exigências de normas ambientais. Neste contexto, a gestão dos resíduos constitui um dos maiores desafios para a sociedade moderna frente o desenvolvimento tecnológico e aos problemas sociais.

A reciclagem pode ser entendida, como uma série de atividades e processos, industriais ou não, que permitem separar, recuperar e transformar os materiais recicláveis componentes dos resíduos (BRASIL, 2004).

Para CALDERONI (1999), o processo de reciclagem surge como uma alternativa para a redução da exploração dos recursos naturais, para uma correta destinação dos resíduos e para geração de emprego e renda às pessoas que atuam nesta área.

(3)

É então através da educação ambiental que o homem se perceberá como parte da natureza e construirá sua própria mudança de comportamento buscando assim um modo de vida mais sustentável.

O presente trabalho procurou constatar se os funcionários da indústria alimentícia acham importante praticar a coleta seletiva, verificar se os trabalhadores reconhecem a existência do sistema de separação de resíduos sólidos no refeitório e constatar quais as ações de educação ambiental e coleta seletiva são implementadas pela empresa.

Neste sentido, por perceber essa problemática como reversível é que foi pesquisado e analisado o assunto. Portanto, o desenvolvimento desse trabalho de pesquisa se faz relevante, pois mostrará a importância da educação ambiental, da coleta seletiva e da reciclagem como prática que deve ser incentivada com o intuito de provocar uma mudança positiva no comportamento das pessoas e assimilação da temática ambiental, servindo assim de subsídio para futuros projetos de intervenção.

METODOLOGIA

Foi realizado um estudo entre os meses de Maio e Outubro de 2010 com 300 trabalhadores de uma indústria alimentícia no município de Feira de Santana, onde foi aplicado um questionário com 10 perguntas subjetivas para avaliar o entendimento dos funcionários sobre a temática ambiental, no refeitório, no horário das refeições buscando maior difusão da pesquisa em ambiente com fluxo considerável de pessoas.

Esta pesquisa se classifica como exploratória e foram utilizadas a observação direta e a entrevista como métodos de coleta de dados. Segundo LUDKE e ANDRÉ (1986), a observação ocupa um lugar privilegiado nas pesquisas educacionais, pois possibilita um contato pessoal e estreito do pesquisador com o fenômeno pesquisado.

Todo o material foi organizado e tabulado em planilhas e gráficos utilizando o software Excel 2007 e através de uma pré-análise foram levantados pontos que mostraram relações entre a importância das ações de educação ambiental e da coleta seletiva em restaurante industrial. Através dessas relações foram construídas categorias que pudessem subsidiar reflexões quanto aos objetivos propostos, levando assim a uma avaliação de fatores que agem diretamente sobre o problema da pesquisa.

RESULTADOS E DISCUSSÕES

Com base na apresentação das respostas às perguntas, foi verificado nos gráficos 1 e 2, que 92% dos colaboradores que participaram do questionário responderam saber o que é coleta seletiva e 81% confirmaram existir coleta seletiva no refeitório da empresa.

(4)

Gráfico 1: Os funcionários sabem o que é coleta seletiva? Fonte: Dados da pesquisa

Gráfico 2: Os funcionários sabem da existência de coleta seletiva no refeitório da empresa?

Fonte: Dados da pesquisa

Nos gráficos 3 e 4, 76% responderam que obedece a separação do lixo orgânico, do papel e do plástico dentro do refeitório, mas 55% desconhecem o destino e a importância dessa separação, evidenciado assim que é necessário implementação de ações de educação ambiental para que a prática seja mais difundida.

(5)

Gráfico 3: Os trabalhadores obedecem a separação dos resíduos de acordo com os coletores?

Fonte: Dados da pesquisa

Gráfico 4: Os funcionários sabem sobre a destinação dos resíduos do refeitório? Fonte: Dados da pesquisa

Quando indagados sobre o tempo de decomposição de copos descartáveis, 39% responderam não saber, 38% responderam corretamente, e os demais 23% erraram ou anularam a resposta, mostrando que há uma grande lacuna a ser trabalhada quanto ao repasse de conhecimentos, criando assim o interesse nos assuntos ambientais.

(6)

Gráfico 5: Os funcionários sabem o tempo de decomposição do copo descartável? Fonte: Dados da pesquisa

A pergunta ao qual o gráfico 6 é referência avaliou se os colaboradores tinham dificuldades em realizar a separação correta do lixo em seus recipientes, 67% responderam não ver dificuldades, 18% disseram que a cor dos recipientes os confunde, 11% Jogam errado pois observam outros fazendo o mesmo e 4% não acham importante separar o lixo ou votaram nulo.

Gráfico 6: Qual a dificuldade encontrada pelos colaboradores na separação do lixo no refeitório?

Fonte: Dados da pesquisa

No gráfico 7, verificou-se a importância dada a coleta seletiva para o meio ambiente pelos participantes da pesquisa, 89% acham importante a separação e reciclagem dos copos plásticos do refeitório, 2% não acham importante e 9% abstiveram sua resposta. Segundo o INSTITUTO AKATU (2003), é possível transformar materiais aparentemente inúteis em produtos novos ou em matéria-prima, diminuindo assim a quantidade de resíduos nos aterros e poupando os recursos naturais e energia elétrica.

(7)

Gráfico 7: Se os funcionários acham importante a separação dos copos descartáveis refeitório da empresa.

Fonte: Dados da pesquisa

Gráfico 8: Os funcionários estão dispostos a auxiliar na correta destinação dos resíduos do refeitório?

Fonte: Dados da pesquisa

Foi constatado no gráfico 9 que, 72% informam que é realizado através de campanhas educativas/palestras/cartazes/treinamentos mas, ainda 26% das pessoas informam não haver informações sobre a coleta seletiva e 2% votaram nulo. DIAS (2004) concorda que, o uso intensivo de cartilhas, cartazes, treinamentos e

folders é uma estratégia importante a ser utilizada para a disseminação de

informações sobre o processo de coleta seletiva, de forma continuada para fixar esse assunto junto aos trabalhadores.

(8)

Gráfico 9: Quais ações a empresa utiliza para sensibilizar os empregados quanto a coleta seletiva?

Fonte: Dados da pesquisa

Com o Programa de Coleta Seletiva pretende-se obter outros valores no processo interativo dos colaboradores e seus familiares com o meio ambiente. MONTEIRO (2001) considera também “a Coleta Seletiva um importante instrumento de iniciação para a aquisição do conhecimento das interações ambientais, estimulando o desenvolvimento de uma maior consciência ambiental e dos princípios de cidadania pela população”

O gráfico 10 mostra que 92% dos entrevistados concordam que para se haver um ambiente com qualidade para as gerações futuras a pratica da coleta seletiva deve ser feita também nas residências.

Gráfico 10: Os funcionários concordam que com a coleta seletiva nas residências é possível garantir um ambiente com qualidade para as gerações futuras?

(9)

CONCLUSÃO

O presente trabalho constatou que os colaboradores têm em sua maioria, conhecimento sobre coleta seletiva e sua da importância como ação de conservação ambiental. Porém, ainda há muito a se fazer principalmente no que se refere ao incentivo à coleta seletiva, pois se percebe algumas discrepâncias entre as respostas aos questionamentos e a prática de fato.

Nessa entrevista foi observada a existência de projetos que viabilizam a reflexão dos colaboradores quanto a Educação Ambiental, assim como, projetos direcionados a comunidade, tentando conscientizá-la da importância da coleta seletiva e da reciclagem do lixo, uma vez que a mesma minimiza impactos ambientais e pode ser geradora de renda para a população.

Observou-se que, a maior dificuldade encontrada para que o programa de coleta seletiva se torne parte integrante do comportamento comum referente ao descarte de lixo na rotina dos trabalhadores da empresa, é que, ainda há pessoas que não se interessam pelas atividades e informações difundidas, tornando-se resistentes às mudanças de atitudes. Desta forma, estes trabalhadores devem receber atenção especial para que através de um trabalho de sensibilização eles adotem o descarte seletivo do lixo como procedimento essencial em suas rotinas de vida.

Os coletores de lixo, embora identificados, estavam misturados lixo orgânico com lixo reciclável, indo de encontro com alguns achados da pesquisa, onde a maioria dos participantes afirma não ter dificuldade em fazer a separação da forma correta.

Nota-se intenções da empresa em se adequar a legislação ambiental, porém ainda devem ser aprimoradas, com ações que estimulem os colaboradores a apoiarem a conservação ambiental, com um programa de educação ambiental continuo, estimulo visual rico e desenvolvimento da responsabilidade ambiental de cada um para que de fato haja aplicação efetiva da coleta seletiva e assim ser possível garantir um meio ambiente com qualidade para as gerações futuras conforme preconiza o conceito de desenvolvimento sustentável.

Com a Educação Ambiental não-formal como base informacional dos processos de coleta seletiva, trabalhada nas empresas, é possível desenvolver metodologias eficazes para que a população alcance um grau de sensibilização para mudança dos seus hábitos em suas casas e formação de novos valores com relação à conservação do meio ambiente.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL, Fundação Nacional de Saúde - FUNASA. Manual de Saneamento. Brasília: Fundação Nacional de Saúde, 2004

CALDERONI, S. Os Bilhões Perdidos no Lixo 3. ed. – São Paulo: Humanistas Editora. FFLCH/USP, 1999.

DIAS, G. F.. Educação Ambiental: princípios e práticas. 9. ed. São Paulo: Gaia, 2004.

(10)

INSTITUTO AKATU. A nutrição e o consumo consciente. São Paulo: Instituto Akatu, 2003.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986. (Temas básicos de educação e ensino).

MONTEIRO, J.H.P. Manual de Gerenciamento Integrado de resíduos sólidos. Rio de Janeiro: IBAM, 2001.200 p

Imagem

Referências

temas relacionados :