Texto

(1)

-- Abrangência Atual

Abrangência Atual

---- Perspectivas para o ano de 2013

Perspectivas para o ano de 2013

(2)

O

O Sped

Sped éé instrumento

instrumento que

que unifica

unifica as

as atividades

atividades de

de

recepção

recepção,, validação

validação,, armazenamento

armazenamento ee autenticação

autenticação

de

de

livros

livros ee documentos

documentos que

que integram

integram aa

escrituração

escrituração comercial

comercial ee fiscal

fiscal

dos

dos empresários

empresários ee

escrituração

escrituração comercial

comercial ee fiscal

fiscal

dos

dos empresários

empresários ee

das

das sociedades

sociedades empresárias,

empresárias,

mediante

mediante fluxo

fluxo único,

único,

computadorizado,

computadorizado, de

de informações

informações

..

(3)

Tributos cobrados das empresas:

IPI

ICMS

CSLL

PIS

Imposto de Renda

EM PRESA

PIS

Cofins

ISS

Cont. Previd sobre Remunerações

Cont. Previd. sobre Receitas

(4)

Integração

ECD

NF-e

DW RFB

ReceitanetBX

EFD IRPJ

Abrangência Atual e Futura:

EFD

ICMS / IPI

CT-e

EFD Contribuições

--

PIS/Pasep

PIS/Pasep

--

Cofins

Cofins

--

Cont. Previ. s/Receita

Cont. Previ. s/Receita

EFD Social

EFD IRPJ

(5)

– Estrutura e Conteúdo das Escriturações Digitais:

Escrituração

Contábil

ICMS/IPI

IRPJ/CSLL

Bloco 0

Bloco 0

Bloco 0

Bloco 0

Bloco I

Bloco C

Bloco A

Bloco E

Dados da ECD

Bloco D

Bloco C

Bloco J

Plano de Contas/Mapeamento

Bloco D

Bloco K

Saldos Fiscais

Bloco F

Bloco I

Escriturações Fiscais Digitais

Contribuições

Bloco I

Bloco J

Bloco E

Bloco M

Bloco L

e-Lalur

Bloco G

Bloco P

Bloco P

Lucro Presumido

Bloco H

Bloco P

Lucro Real

Bloco P

Lucro Arbitrado

Bloco P

Imunes e Isentas

Bloco 1

Bloco 1

Bloco X

Informações Econômicas

(6)

EFD - Contribuições

EFD - Contribuições

(7)

EFD-CONTRIBUIÇÕES - BLOCOS DA ESCRITURAÇÃO DIGITAL

Bloco

Descrição

0

Abertura, Identificação e Referencias

A

Documentos Fiscais - Serviços (ISS)

C

Documentos Fiscais I - Mercadorias (ICMS/IPI)

D

Documentos Fiscais II - Serviços (ICMS)

F

Demais Documentos e Operações

F

Demais Documentos e Operações

I

Operações de Pessoas Jurídicas Componentes do Sistema

Financeiro, Seguradoras, Previdëncia Privada e Planos de

Assistência à Saúde

M

Apuração da Contribuição e Créditos de PIS/Pasep e COFINS

P

Apuração da Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta

1

Complemento da Escrituração

(8)

EFD

EFD--Contribuições

Contribuições –

– Fluxograma de apuração

Fluxograma de apuração

Bloco A

Receitas de Serviços

Bloco C

Bloco M

Receitas de Venda de Mercadorias

Apuração PIS e COFINS

2011

2013

Bloco D

Bloco P

Receitas de Serviços de Transporte e Comunicação

Apuração CP sobre Receita Bruta

Bloco F

(9)

EFD-Contribuições: Demonstração das Operações:

EMPRESA

Registros

CNPJ 0002

Registros

CNPJ 0001

Registros

CNPJ 0005

Registros

CNPJ 0009

PVA - EFD Contribuições

(10)

EFD – Contribuições – Penalidades:

Competência

Empresa Tributada IR - Lucro Real:

- PIS/COFINS Não-Cumulativo

SIM

- PIS/COFINS Cumulativo

SIM

Empresa Tributada IR - Lucro Presumido

SIM

SIM

ESPECIFICAÇÃO

REGIME DE APURAÇÃO

Caixa

Empresa Tributada IR - Lucro Arbitrado

SIM

Receita da Atividade Imobiliária

SIM

(11)

EFD – Contribuições - CRONOGRAMA DE ENTREGA:

ABRIL / DEZ

2011

PIS / COFINS: PJ LUCRO REAL

Entrega Facultativa

PERIODO DE APURAÇÃO

OBRIGATORIEDADE DE ENTREGA:

MARÇ0 /

JANEIRO /

2012

PIS / COFINS: PJ LUCRO REAL

(BLOCOS A, C, D e F)

JULHO /

2013

JANEIRO /

2013

PJ FINANCEIRAS E EQUIPARADAS

(BLOCO I)

PIS / COFINS: PJ LUCRO PRESUMIDO

(BLOCO F)

INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB nº 1.252

/

2012 e ADE COFIS nº 65

/

2012

MARÇ0 /

(12)

Incidências e Escrituração 2011 / 2012 / 2013:



Dezembro/2011 : MP 540/2011

(*)



Abril/2012 : Lei 12.546/2012



Agosto/2012 : MP 563/2012

Contribuição Previdenciária sobre a Receita:



Agosto/2012 : MP 563/2012



Janeiro/2013 : Lei 12.715/2012



Janeiro/2013 : MP 582/2012



Abril/2013 : MP 601/2013

(13)

– Multa pelo atraso na entrega:

MP nº 2.158-35/2001

R$ 5.000,00

Lei nº 12.766/2012

PJ Lucro Presumido

PJ Lucro real

Apresentação Expontânea

Por Intimação

R$ 1.000,00

R$ 500,00

R$ 1.500,00

(14)

CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIARIA S/ RECEITA

CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIARIA S/ RECEITA

(15)

Até

Até 31

31 de

de dezembro

dezembro de

de 2014

2014,, contribuirão

contribuirão sobre

sobre oo

valor

valor

da

da receita

receita bruta

bruta

,, excluídas

excluídas as

as vendas

vendas canceladas,

canceladas, os

os

descontos

descontos incondicionais

incondicionais concedidos

concedidos ee aa receita

receita de

de

exportação,

exportação,

em

em substituição

substituição às

às contribuições

contribuições previstas

previstas

Contribuição Previdenciária s/ Receitas – Base legal:

exportação,

exportação,

em

em substituição

substituição às

às contribuições

contribuições previstas

previstas

nos

nos incisos

incisos II ee III

III do

do art

art.. 22

22 da

da Lei

Lei nn

oo

88..212

212,, de

de 1991

1991

,, as

as

empresas

empresas prestadoras

prestadoras dos

dos serviços

serviços

ee as

as

empresas

empresas

fabricantes

fabricantes dos

dos produtos

produtos

,, especificadas

especificadas nos

nos art

art.. 77ºº ee 88ºº

da

(16)

CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIARIA SOBRE RECEITAS – SERVIÇOS:

EMPRESAS DO SETOR DE SERVIÇOS Março/2012 Abril/2012 Agosto/2012 Janeiro/2013 Ato Legal

prestadoras exclusivamente de serviços de

Tecnologia da Informação e Comunicação 2,50% 2,50% 2,00% 2,00% MP nº 540/2011

prestadoras de serviços de Tecnologia da Informação e Comunicação

prestadoras de serviços de call center do Setor Hoteleiro - CNAE Código 5510-8/01

Lei nº 12.546/2011

2,50% 2,00% 2,00%

do Setor Hoteleiro - CNAE Código 5510-8/01

que exercem as atividades de concepção, desenvolvimento ou projeto de circuitos integrados

Transporte rodoviário de passageiros 2,00%

Transporte aéreo de cargas e passageiros

Transporte marítimo de cargas e passageiros

Manutenção e reparo de aeronaves

MP nº 563/2012

Lei nº 12.715/2012

2,00% 2,00%

(17)

CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIARIA SOBRE RECEITAS – INDUSTRIA:

EMPRESAS FABRICANTES DE Março/2012 Abril/2012 Agosto/2012 Janeiro/2013 Ato Legal Vestuário e seus acessórios

Bolsas, malas e baus para viagens

Outras obras de couro natural ou reconstituído Roupas de cama, mesa e banho

Calçados

Suportes para cama, colchões, alomofadas, etc. Couros, peles e acessórios

Grampos, colchetes, rebites, botões, etc. Bolas infláveis

Plásticos e suas obras

Curativos e ataduras para uso medicinal Tubos e acessórios de plásticos

Correias de transmissão diversas Revestimentos para pavimentos (pisos) Fios e tecidos, lã, pêlos finos ou grosseiros

Juntas, pastilhas, discos de fricção, espelhos para veículos, etc. 1,50% 1,00% 1,00% MP nº 540/2011 Lei nº 12.546/2011 1,00% 1,00% MP nº 563/2012 1,50% 1,50% 1,00% 1,00% veículos, etc.

Turbinas, motores para máquinas e veículos, aparelhos para caldeiras, bombas de vácuo e a ar, etc.

Fornos e máquinas industriais. Condensadores Maquinas e aparelhos de terraplanagem

Aparelhos e dispositivos elétricos e digitais

Onibus, Veiculos de combate a incêndios, caminhões-betoneiras, carrocerias e partes de veículos.

Brinquedos 1,00% Lei nº 12.715/2012

Carne de aves, frescas ou congeladas

Peixes vivos e crustáceoa, frescos, congelados, etc. Gases, ataduras e artigos farmaceuticos

Tintas e Vernizes

Produtos de beleza e maquiagem, xampus, pastas.

Luvas, pastas de madeira, papel de jornal, outros papeis e cartões, vidro e suas obras, ferro e aço, ferramentas, refrigeradores, fornos, transformadores, aparelhos de óptica, ortopédicos, etc.

1,00% 1,00% MP nº 563/2012

(18)

CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA S/ A RECEITA BRUTA



Apuração

e

pagamento

de

forma

centralizada

pelo

estabelecimento matriz da pessoa jurídica



Escriturada no Sistema Publico de Escrituração Digital

(Sped)



Informada na Declaração de Débitos e Créditos Tributários

Federais (DCTF)



Recolhida,

em Documento de Arrecadação de Receitas

Federais (Darf), até o dia 20 (vinte) do mês subsequente ao

mês de competência

(19)

APURAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIARIA SOBRE RECEITAS:

EMPRESA FABRICANTE DE ONIBUS (POSIÇÃO 8702 DA TIPI)

R$

ESPECIFICAÇÃO

62.000.000,00 Receita da venda de onibus no mercado interno

40.000.000,00 Receita da venda de onibus no mercado externo

102.000.000,00 RECEITA BRUTA DA VENDA DE ONIBUS

(2.000.000.00) Vendas canceladas

(2.000.000.00) Vendas canceladas

(40.000.000.00) Exportações

60.000.000,00 BASE DE CÁLCULO

x 1% Alíquota

(20)

EMPRESA FABRICANTE DE ONIBUS (8702) E DE CAMINHÕES (8704):

EMPRESA FABRICANTE DE ONIBUS (8702) E DE CAMINHÕES (8704):

R$

ESPECIFICAÇÃO

% da Receita

Bruta

102.000.000,00 Receita mensal da venda de

ônibus

60%

68.000.000,00 Receita mensal da venda de

caminhões

40%

170.000.000,00 RECEITA BRUTA DO PERÍODO

100%

I - Cálculo da Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta

R$

ESPECIFICAÇÃO

102.000.000,00 Receita mensal da venda de ônibus

102.000.000,00 Receita mensal da venda de ônibus

(2.000.000.00) Vendas canceladas

(40.000.000.00) Exportações

60.000.000,00 BASE DE CÁLCULO

x 1% Alíquota

600.000,00 Contribuição Previdenciária s/ Receitas -

(Darf)

II - Cálculo da Contribuição Previdenciária Patronal

R$

ESPECIFICAÇÃO

5.000.000,00 Valor da CP Patronal calculado pelo Sefip

3.000.000,00 Valor da Redução (% da RB da venda de ônibus)

(21)

APURAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIARIA SOBRE RECEITAS – BLOCO P:

Registro P200

(Consolidado - Visão Empresa)

99.999.999/0001-91

Registro P100

(Visão CNPJ)

99.999.999/0001-91

99.999.999/0002-72

99.999.999/0003-53

Registro P110

(Detalhamento)

6101.20.00

6103.22.00

6115.10.14

Registro P110

6103.22.00

6104.32.00

6115.29.20

Registro P110

6104.19.20

6104.62.00

(22)

APURAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIARIA SOBRE RECEITAS – BLOCO P:

REGISTRO P100:

Receita Bruta Mensal e Contribuição Apurada, por Estabelecimento (segregado por produto/NCM)

CNPJ 0001

CNPJ 0002

CNPJ 0003

Receita NCM

XXX

(Detalhamento)

R$ 1.000.000,00

R$ 800.000,00

R$ 1.800.000,00

Receita NCM

YYY

R$ 1.700.000,00

R$ 1.200.000,00

R$ 1.700.000,00

Receita NCM

ZZZ

R$ 1.300.000,00

R$ 1.500.000,00

Receita NCM

WWW

R$ 1.500.000,00

Receita NCM

WWW

R$ 1.500.000,00

Receita Bruta Mensal

R$ 4.000.000,00

R$ 5.000.000,00

R$ 3.500.000,00

Contribuição Apurada

R$ 60.000,00

R$ 75.000,00

R$ 47.500,00

(23)

PIS/PASEP e COFINS

– Regime Cumulativo

– Regime Cumulativo

(24)

-PJ Lucro Presumido – Regime de Caixa:

As pessoas jurídicas submetidas ao regime de tributação

com base no lucro presumido somente poderão adotar o

regime de caixa, para fins da incidência da contribuição

para o

PIS/PASEP

e

COFINS

, na hipótese de adotar o

para o

PIS/PASEP

e

COFINS

, na hipótese de adotar o

mesmo critério em relação ao

imposto de renda das

pessoas jurídicas

e da

CSLL

.

(25)

PJ Lucro Presumido – Regime de Caixa:

A pessoa jurídica, optante

optante pelo

pelo regime

regime de

de tributação

tributação com

com

base

base no

no lucro

lucro presumido

presumido, que adotar o critério de

reconhecimento de suas receitas de venda de bens ou

direitos ou de prestação de serviços com pagamento a prazo

ou em parcelas na medida do recebimento e mantiver a

escrituração do livro Caixa, deverá:

escrituração do livro Caixa, deverá:

I - emitir a nota fiscal quando da entrega do bem ou

direito ou da conclusão do serviço;

II - indicar, no livro Caixa, em registro individual, a nota

fiscal a que corresponder cada recebimento.

(26)

Escrituração da PJ -Lucro presumido:



Registros de Apuração:

••

1

1 –

– Regime de Caixa

Regime de Caixa –

– Escrituração consolidada (Registro F500)

Escrituração consolidada (Registro F500)

••

2

2 –

– Regime de Competência

Regime de Competência -- Escrituração consolidada (Registro F550)

Escrituração consolidada (Registro F550)

••

9

9 –

– Regime de Competência

Regime de Competência -- Escrituração detalhada, com base nos registros

Escrituração detalhada, com base nos registros

dos Blocos “A”, “C”, “D” e “F”

dos Blocos “A”, “C”, “D” e “F”

dos Blocos “A”, “C”, “D” e “F”

dos Blocos “A”, “C”, “D” e “F”



Registros de Controle da Escrituração:

••

Registro 1900

Registro 1900 -

Consolidação dos documentos emitidos no período

Registro F525

– Demonstração da origem da receita recebida (Específico para o

Regime de caixa)

(27)

EFD

EFD--CONTRIBUIÇÕES: Pessoa Jurídica do Lucro Presumido

CONTRIBUIÇÕES: Pessoa Jurídica do Lucro Presumido

X

CADASTRO

REGIME DE COMPETÊNCIA

REGIME DE CAIXA

F525

1900

F550

1900

BLOCO A

BLOCO C

BLOCO D

BLOCO F

F500

(28)

PJ – Lucro Presumido – Saídas / Receitas Recebidas no Mês:



R$ 1.000.000,00 – Revenda de

Produtos Tributáveis



R$ 500.000,00 – Revenda de

Produtos Tributáveis a Alíquota Zero



R$ 800.000,00 – Revenda de

Produtos Monofásicos



R$ 70.000,00 – Revenda de

Produtos Subs. Tributária

(Cigarros)

(29)

DACON

(30)

EFD-CONTRIBUIÇÕES – Códigos CST [Receitas]

Código

Descrição

01

Operação Tributável com Alíquota Básica

02

Operação Tributável com Alíquota Diferenciada

03

Operação Tributável com Alíquota por Unidade de Produto

04

Operação Tributável Monofásica - Revenda a Alíquota Zero

05

Operação Tributável por Substituição Tributária

06

Operação Tributável a Alíquota Zero

06

Operação Tributável a Alíquota Zero

07

Operação Isenta da Contribuição

08

Operação sem Incidência da Contribuição

09

Operação com Suspensão da Contribuição

49

Outras Operações de Saída

99

Outras Operações

(31)

Slide 30

m1 Qual a definição de EFD?

Como já dito no início, o contribuinte possui duas obrigações, que são a obrigação acessória e a principal.

E uma das obrigações acessórias do contribuinte é efetuar a escrituração dos livros fiscais. A escrituração contém informações de documentos fiscais e outras informações de interesse dos fiscos.

A forma utilizada para o registro de todas essas informações era o lançamento dos dados no papel, constituindo os que chamamos de livros fiscais.

Em 2002, os primeiros contribuintes paulistas forma notificados para entregar o Sintegra (Sistema Integrado de Informações Econômico Fiscais, que foi a primeira tentativa de digitalizar esses registros, de passar as informações do papel para o meio digital para possibilitar a troca de informações entre as unidades federadas. Com o Sintegra, o contribuinte passou a prestar parte das informações contidas nos livros num arquivo magnético. Como ele apresentava apenas parte das inforamações, o Sintegra não substituia os livros. Então, a empresas entregavam o Sintegra e também mantinham os livros em papel.

(32)

EFD-CONTRIBUIÇÕES:PJ Lucro Presumido – Regime de Caixa

Produtos

Diversos

Frutas

e

Verduras

Cerveja

e

Refrigerante

Cigarros

01 REGISTRO

F500

F500

F500

F500

02 VL_RECECEBIDO_CAIXA

1.000.000,00

500.000,00

800.000,00

70.000,00

03 CST_PIS

01

06

04

05

04 VL_DESCONTO_PIS

0,00

0,00

0,00

0,00

EFD - PIS/COFINS

04 VL_DESCONTO_PIS

0,00

0,00

0,00

0,00

05 VL_BASE CALCULO_PIS

1.000.000,00

500.000,00

800.000,00

70.000,00

06 ALIQUOTA_PIS

0,65%

0,00%

0,00%

-07 VALOR_PIS

6.500,00

-

-

-08 CST_COFINS

01

06

04

05

09 VL_DESCONTO_COFINS

0,00

0,00

0,00

0,00

10 VL_BASE CALCULO_COFINS

1.000.000,00

500.000,00

800.000,00

70.000,00

11 ALIQUOTA_COFINS

3%

0,00%

0,00%

-12 VALOR_COFINS

30.000,00

-

-

-Linha 01

Linha 05

Linha 06

Linha 11

DACON - FICHAS 08A e 18A

m2

(33)

Slide 31

m2 Não confundir SPED Fiscal PIS/Cofins com SPED Fiscal ICMS/IPI

(34)
(35)
(36)
(37)

Dacon x EFD-Contribuições:

DACON - Ficha 08A – Cálculo da Contribuição para o PIS/Pasep - Regime Cumulativo

APURAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO

Receita

Base de

Cálculo Contribuição

01.Receita de Vendas de Bens e Serviços – Alíquota de 0,65% 1.000.000,00 1.000.000,00 6.500,00

02.Demais Receitas - Alíquota de 0,65% 100.000,00 100.000,00 650,00

03.Receita Tributada no Regime de Substituição Tributária 0,00 0,00 0,00

04. Valor da Contribuição Apurada

7.150,00

OUTRAS RECEITAS AUFERIDAS

05.Receita Tributada à Alíquota Zero

Preenchimento dos campos

05.Receita Tributada à Alíquota Zero

06.Receita Tributada à Alíquota Zero – Revenda de Produtos Monofásicos 07.Receita de Vendas de Bens do Ativo Permanente

08.Receita Sem Incidência da Contribuição – Exportação

09.Receita Isenta e Demais Receitas Sem Incidência da Contribuição 10.Receita com Suspensão da Contribuição

11.Receita de Revenda Decorrente de Operações Sujeitas a ST 12.Receita Tributada pelo RET – Patrimônio de Afetação

(38)

DACON

Ficha 08A – Cálculo da Contribuição para o PIS/Pasep - Regime Cumulativo

F500

F550

APURAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO

01.Receita de Vendas de Bens e Serviços – Alíquota de 0,65%

02.Demais Receitas - Alíquota de 0,65%

03.Receita Tributada no Regime de Substituição Tributária – Alíquota de 0,65%

04. Valor da Contribuição Apurada

OUTRAS RECEITAS AUFERIDAS

EFD-CONTRIBUIÇÕES

01

01

05

CST

-Dacon x EFD-Contribuições:

OUTRAS RECEITAS AUFERIDAS

05.Receita Tributada à Alíquota Zero

06.Receita Tributada à Alíquota Zero – Revenda de Produtos Tributação Monofásica

07.Receita de Vendas de Bens do Ativo Permanente

08.Receita Sem Incidência da Contribuição – Exportação

09.Receita Isenta e Demais Receitas Sem Incidência da Contribuição

10.Receita com Suspensão da Contribuição

11.Receita de Revenda Decorrente de Operações Sujeitas a Substituição Tributária

12.Receita Tributada pelo RET – Patrimônio de Afetação

06

Registro 1800 (RET)

04

49

08

07

09

08

(39)

Dacon x EFD-Contribuições:

EFD-CONTRIBUIÇÕES - REGISTROS F500 (Caixa) e F550 (Competência)

Campo do Registro

01. Receita Auferida/Recebida

Digitado

02. CST PIS/Pasep

Combo box

03. Valor das Exclusões PIS/Pasep

Digitado

04. Base de Cálculo PIS/Pasep

Calculado

05. Alíquota PIS/Pasep

Calculado

06. Valor do PIS/Pasep

Calculado

07. CST Cofins

Calculado

08. Valor das Exclusões Cofins

Calculado

09. Base de Cálculo Cofins

Calculado

10. Alíquota Cofins

Calculado

(40)

Dacon x EFD-Contribuições:

EFD-CONTRIBUIÇÕES

REGISTROS F500 (Caixa) e F550 (Competência)

Empresa

P V A

01. Receita Auferida/Recebida

1.200.000,00

02. CST PIS/Pasep

01

03. Valor das Exclusões PIS/Pasep

200.000,00

04. Base de Cálculo PIS/Pasep

1.000.000,00

05. Alíquota PIS/Pasep

0,65%

Preenchimento do campo

05. Alíquota PIS/Pasep

0,65%

06. Valor do PIS/Pasep

6.500,00

07. CST Cofins

01

08. Valor das Exclusões Cofins

200.000,00

09. Base de Cálculo Cofins

1.000.000,00

10. Alíquota Cofins

3%

(41)
(42)

PVA – Escrituração das Operações:



Importação de arquivo:

Arquivo “txt” elaborado pelo contribuinte



Edição de dados no PVA:



Edição de dados no PVA:

Edição completa da escrituração (dados cadastrais,

operações geradoras de receitas, operações geradoras de

créditos, etc), mediante digitação no próprio Programa

Validador e Assinador (PVA)

(43)
(44)

Um novo idioma para o profissional contábil ???

תישארב

תישארב

,

,

ץראה תאו םימשה תא םיהולא ארב

ץראה תאו םימשה תא םיהולא ארב

,

,

תישארב

תישארב

..

ץראה תאו םימשה תא םיהולא ארב

ץראה תאו םימשה תא םיהולא ארב

..

(45)
(46)

Documento Auxiliar da NF-e (DANFE)

Registro C100

(Um por Documento)

(47)

Estrutura dos registros da Escrituração Digital:

|

C100

|

0

|

1

|

SAPF0000119496

|

55

|

00

|

1

|

35466

|

43120

|

06082012

|

06082012

|

890,77

|

1

|

0

|

0

|

890,77

|

1

|

0

|

0

|

0

|

0

|

0

|

10,63

|

48,95

|

0

|

|

C170

|

1

||

TEMPERAR\REVENIR SE

|

1,00000

|

SV

||

56

|

13,08

|

1,6500

||

1102

|

0,22

|

56

|

13,08

|

7,6000

|||

0,99

|

11401

|

(48)

No princípio, criou Deus os céus e a terra.

No princípio, criou Deus os céus e a terra.

E o SPED ?

E o SPED ?

(49)

Profissional Contábil - Nova Realidade:

|

C100

|

0

|

1

|

SAPF0000119496

|

55

|

00

|

1

|

35466

|

43120

|

06082012

|

06082012

|

890,77

|

1

|

0

|

0

|

890,77

|

1

|

0

|

0

|

0

|

0

|

0

|

10,63

|

48,95

|

0

|

|

C170

|

1

||

TEMPERAR\REVENIR SE

|

1,00000

|

SV

||

56

|

13,08

|

1,6500

||

1102

|

0,22

|

56

|

13,08

|

7,6000

|||

0,99

|

11401

|

As

As escriturações

escriturações em

em meio

meio digital,

digital, contábil

contábil ou

ou fiscal,

fiscal, requer

requer do

do profissional

profissional

contábil

contábil conhecimento

conhecimento na

na área

área de

de Tecnologia

Tecnologia ee Sistemas

Sistemas de

de Informação

Informação..

|

C170

|

2

||

CEMENTAR/TEMPERAR\REVENIR SERV EXT

|

1,00000

|

SV

|

208,00

|

0

|

1

|

090

|

1124

|||

0

|

56

|

208,00

|

A

A simples

simples ausência

ausência de

de um

um pipe

pipe em

em um

um registro

registro (como

(como aa falta

falta de

de pipe

pipe no

no final

final do

do

registro

registro C

C100

100,, acima),

acima), pode

pode resultar

resultar em

em erros

erros de

de estrutura

estrutura na

na validação

validação do

do

arquivo

arquivo da

da escrituração

escrituração aa ser

ser importado,

importado, conforme

conforme relatório

relatório aa seguir

seguir..





(50)
(51)

PIS/PASEP e COFINS

Regime Não-Cumulativo

(52)

-EFD-Contribuições: PVA x Tabelas

CFOP

PVA

C S T

Tipos de Créditos

Tipos de Contribuições

Bases de Cálculo

do Crédito

Cadastros:

Estabelecimentos

Clientes

CFOP

PVA

Produtos Monofásicos

Clientes

Fornecedores

Itens

Créditos da Agroindústria

Produtos Subs. Tributária

Operações com Suspensão

Produtos com Alíquota 0

Operações com Isenção

Operações Sem Incidência

(53)

DA ESCRITURAÇÃO DOS CRÉDITOS:

As pessoas jurídicas submetidas ao regime de apuração não

cumulativa deverão apurar e registrar, de forma segregada, os

créditos de que tratam o art. 3º das Leis nº 10.637/02 e 10.833/03

(Mercado Interno)

, e os arts. 15 e 17 da Lei nº 10.865, de 2004

(Importações)

, e os créditos presumidos previstos nas Leis da

(Importações)

, e os créditos presumidos previstos nas Leis da

Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins,

discriminando-os em

função

da

natureza,

origem

e

vinculação

desses

créditos

,

observadas as normas a serem editadas pela Secretaria da Receita

Federal do Brasil.

(54)

EFD-CONTRIBUIÇÕES – DEMONSTRAÇÃO DOS CRÉDITOS

DACON

EFD - Contribuições (Créditos de PIS e Cofins)

FICHAS 06A E 16A

REGISTROS

01.Bens para Revenda

C100

C190

F100

02.Bens Utilizados como Insumos

C100

C190

F100

03.Serviços Utilizados como Insumos

A100 / C100

D500

F100

04.Despesas de Energia Elétrica e Energia Térmica

C500

05.Despesas de Aluguéis de Prédios Locados de PJ

A100

F100

06.Despesas de Aluguéis de M aquinas/Equipamentos Locados de PJ

A100

F100

07.Despesas de Armazenagem e Fretes na Operação de Venda

A100

D100

F100

08.Despesas de Contraprestações de Arrendamento M ercantil

A100

F100

09.Bens do Ativo Imobilizado - Crédito s/ Encargos de Depreciação

F120

10.Bens do Ativo Imobilizado - Crédito s/ o Valor de Aquisição

F130

10.Bens do Ativo Imobilizado - Crédito s/ o Valor de Aquisição

F130

11.Encargos de Amortização de Edificações e Benfeitorias

F120

12.Devoluções de Vendas Sujeitas à Alíquota de 1,65%

A100 / C100

C190

F100

13.Outras Operações com Direito a Crédito

F100

14.BASE DE CÁLCULO DOS CRÉDITOS

M105

15.Créditos a Descontar à Alíquota de 1,65%

M100

16. Créditos Calculados a Alíquotas Diferenciadas

C100

C190

F100

17. Créditos Calculados por Unidade de M edida de Produto

C100

C190

F100

18. Crédito Presumido da Subcontratação de Transporte de Cargas

D100

F100

19. Crédito Presumido Relativo a Estoque de Abertura

F150

20. Créditos da Atividade Imobiliária

F205

F210

21. Outros Créditos a Descontar

F100

22. Ajustes Positivos de Créditos

M110/M510

23. (-) Ajustes Negativos de Créditos

M110/M510

(55)

EFD-CONTRIBUIÇÕES – Códigos CST [Receitas]

Código

Descrição

01

Operação Tributável com Alíquota Básica

02

Operação Tributável com Alíquota Diferenciada

03

Operação Tributável com Alíquota por Unidade de Produto

04

Operação Tributável Monofásica - Revenda a Alíquota Zero

05

Operação Tributável por Substituição Tributária

06

Operação Tributável a Alíquota Zero

06

Operação Tributável a Alíquota Zero

07

Operação Isenta da Contribuição

08

Operação sem Incidência da Contribuição

09

Operação com Suspensão da Contribuição

49

Outras Operações de Saída

99

Outras Operações

(56)

Slide 53

m1 Qual a definição de EFD?

Como já dito no início, o contribuinte possui duas obrigações, que são a obrigação acessória e a principal.

E uma das obrigações acessórias do contribuinte é efetuar a escrituração dos livros fiscais. A escrituração contém informações de documentos fiscais e outras informações de interesse dos fiscos.

A forma utilizada para o registro de todas essas informações era o lançamento dos dados no papel, constituindo os que chamamos de livros fiscais.

Em 2002, os primeiros contribuintes paulistas forma notificados para entregar o Sintegra (Sistema Integrado de Informações Econômico Fiscais, que foi a primeira tentativa de digitalizar esses registros, de passar as informações do papel para o meio digital para possibilitar a troca de informações entre as unidades federadas. Com o Sintegra, o contribuinte passou a prestar parte das informações contidas nos livros num arquivo magnético. Como ele apresentava apenas parte das inforamações, o Sintegra não substituia os livros. Então, a empresas entregavam o Sintegra e também mantinham os livros em papel.

(57)

EFD-Contribuições – Escrituração Consolidada das Vendas com NF-e:

NCM

Item

PRODUTO A

8703.22.10

C180

Rec. Bruta Mensal

R$ 20.000.000,00

C185 C185 C185 C185 CST

VENDA

TRIBUTÁVEL

VENDA

ALÍQUOTA ZERO

VENDA COM

SUSPENSÃO

EXPORTAÇÃO

(CST 08)

TRIBUTÁVEL

(CST 01)

(CST 06)

SUSPENSÃO

(CST 09)

(CST 08)

CFOP 5101 5101 5101 7101 VALOR ITEM R$ 11.000.000,00 R$ 560.000,00 R$ 5.440.000,00 R$ 3.000.000,00 BASE DE CÁLCULO R$ 10.000.000,00 R$ 560.000,00 ALÍQUOTA 7,6% 0 - -COFINS R$ 760.000,00 R$ 0,00

(58)

EFD-

Contribuições

– Escrituração das Aquisições:

C190

Item

INSUMO "X"

NCM = 8714.99.10

VL Mensal Aquisição

R$ 85.000.000,00

C195

C195

C195

C195

Fornecedor

Fornecedor PJ "A"

Fornecedor PJ "B"

Fornecedor Merc. Ext.

Fornecedor PJ "X"

CST

56

56

56

70

CFOP

1101

1101

3101

1101

Valor do Item

R$ 22.000.000,00

R$ 15.000.000,00

R$ 20.000.000,00

R$ 28.000.000,00

Base de Cálculo

R$ 22.000.000,00

R$ 15.000.000,00

R$ 20.000.000,00

Alíquota

7,6%

7,6%

7,6%

COFINS

R$ 1.675.000,00

R$ 1.140.000,00

R$ 1.520.000,00

(59)

EFD- CONTRIBUIÇÕES – Códigos CST [Aquisições/Custos]

Código

Descrição

50 a 56

Operação com Direito a Créditos Básicos da Não Cumulatividade

60 a 67

Operação com Direito a Créditos Presumidos

70

Operação de Aquisição sem Direito a Crédito

71

Operação de Aquisição com Isenção

72

Operação de Aquisição com Suspensão

73

Operação de Aquisição a Alíquota Zero

73

Operação de Aquisição a Alíquota Zero

74

Operação de Aquisição sem Incidência da Contribuição

75

Operação de Aquisição por Substituição Tributária

98

Outras Operações de Entrada

99

Outras Operações

(60)

Slide 56

m1 Qual a definição de EFD?

Como já dito no início, o contribuinte possui duas obrigações, que são a obrigação acessória e a principal.

E uma das obrigações acessórias do contribuinte é efetuar a escrituração dos livros fiscais. A escrituração contém informações de documentos fiscais e outras informações de interesse dos fiscos.

A forma utilizada para o registro de todas essas informações era o lançamento dos dados no papel, constituindo os que chamamos de livros fiscais.

Em 2002, os primeiros contribuintes paulistas forma notificados para entregar o Sintegra (Sistema Integrado de Informações Econômico Fiscais, que foi a primeira tentativa de digitalizar esses registros, de passar as informações do papel para o meio digital para possibilitar a troca de informações entre as unidades federadas. Com o Sintegra, o contribuinte passou a prestar parte das informações contidas nos livros num arquivo magnético. Como ele apresentava apenas parte das inforamações, o Sintegra não substituia os livros. Então, a empresas entregavam o Sintegra e também mantinham os livros em papel.

(61)

CLASSIFICAÇÃO DOS CRÉDITOS

CST

NATUREZA DO CRÉDITO

TRIBUTADAS NÃO-TRIBUTADAS DA EXPORTAÇÃO

50

Vinculado Exclusivamente a Receitas

51

Vinculado Exclusivamente a Receitas

52

Vinculado Exclusivamente a Receitas

52

Vinculado Exclusivamente a Receitas

53

Vinculado Concomitantemente a Receitas

54

Vinculado Concomitantemente a Receitas

55

Vinculado Concomitantemente a Receitas

56

Vinculado Concomitantemente a Receitas

(62)

PIS e COFINS – CFOP Geradores de Crédito

Registros C170 (Nota Fiscal) e C191/195 (consolidação)

Código

CFOP

Descrição CFOP Geradores de créditos, informados nos Registro C170 (Doc. Fiscal) e C191/C195 (Consolidação de Doc. Fiscais)

Aquisição de Bens para Revenda - Código 01:

1102 Compra para comercialização

1113 Compra para comercialização, de mercadoria recebida anteriormente em consignação mercantil 1117 Compra para comercialização originada de encomenda para recebimento futuro

1118 Compra de mercadoria para comercialização pelo adquirente originário, entregue pelo vendedor remetente ao destinatário, em venda à ordem 1121 Compra para comercialização, em venda à ordem, já recebida do vendedor remetente

1251 Compra de energia elétrica para distribuição ou comercialização

1403 Compra para comercialização em operação com mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária do ICMS (bares, restaurantes etc.) 1652 Compra de combustível ou lubrificante para comercialização

2102 Compra para comercialização

2113 Compra para comercialização, de mercadoria recebida anteriormente em consignação mercantil 2113 Compra para comercialização, de mercadoria recebida anteriormente em consignação mercantil 2117 Compra para comercialização originada de encomenda para recebimento futuro

2118 Compra de mercadoria para comercialização pelo adquirente originário, entregue pelo vendedor remetente ao destinatário, em venda à ordem 2121 Compra para comercialização, em venda à ordem, já recebida do vendedor remetente

2251 Compra de energia elétrica para distribuição ou comercialização

2403 Compra para comercialização em operação com mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária do ICMS (bares, restaurantes etc.) 2652 Compra de combustível ou lubrificante para comercialização

3102 Compra para comercialização (Importação)

3251 Compra de energia elétrica para distribuição ou comercialização (Importação) 3652 Compra de combustível ou lubrificante para comercialização (Importação)

Aquisição de Bens Utilizados como Insumo - Código 02:

1101 Compra para industrialização ou Produção Rural

1111 Compra para industrialização, de mercadoria recebida anteriormente em consignação industrial 1116 Compra para industrialização originada de encomenda para recebimento futuro

1120 Compra para industrialização, em venda à ordem, já recebida do vendedor remetente

1122 Compra para industrialização em que a mercadoria foi remetida pelo fornecedor ao industrializador sem transitar pelo estabelecimento adquirente 1126 Compra para utilização na prestação de serviço sujeito ao ICMS

(63)

Slide 58

m1 Qual a definição de EFD?

Como já dito no início, o contribuinte possui duas obrigações, que são a obrigação acessória e a principal.

E uma das obrigações acessórias do contribuinte é efetuar a escrituração dos livros fiscais. A escrituração contém informações de documentos fiscais e outras informações de interesse dos fiscos.

A forma utilizada para o registro de todas essas informações era o lançamento dos dados no papel, constituindo os que chamamos de livros fiscais.

Em 2002, os primeiros contribuintes paulistas forma notificados para entregar o Sintegra (Sistema Integrado de Informações Econômico Fiscais, que foi a primeira tentativa de digitalizar esses registros, de passar as informações do papel para o meio digital para possibilitar a troca de informações entre as unidades federadas. Com o Sintegra, o contribuinte passou a prestar parte das informações contidas nos livros num arquivo magnético. Como ele apresentava apenas parte das inforamações, o Sintegra não substituia os livros. Então, a empresas entregavam o Sintegra e também mantinham os livros em papel.

(64)

EFD-CONTRIBUIÇÕES – Escrituração por Nota Fiscal

Campo

Descrição

Texto fixo contendo "C170"

C170

Número seqüencial do item no documento fiscal

1

Código do item (campo 02 do Registro 0200) - NCM

65747884

Descrição complementar do item como adotado no

Quantidade do item

2.000

Unidade do item(Campo 02 do registro 0190)

Unid

Valor total do item (mercadorias ou serviços)

100.000,00

Valor total do item (mercadorias ou serviços)

100.000,00

Valor do desconto comercial / exclusão

Código Fiscal de Operação e Prestação

2101

Código da Situação Tributária referente ao PIS.

56

Valor da base de cálculo do PIS

100.000,00

Alíquota do PIS (em percentual)

0,0165

Valor do PIS

1.650,00

Código da Situação Tributária referente ao COFINS.

56

Valor da base de cálculo da COFINS

100.000,00

Alíquota do COFINS (em percentual)

0,0760

Valor da COFINS

7.600,00

Código da conta analítica contábil debitada/creditada

30.019.200

(65)

Slide 59

m1 Qual a definição de EFD?

Como já dito no início, o contribuinte possui duas obrigações, que são a obrigação acessória e a principal.

E uma das obrigações acessórias do contribuinte é efetuar a escrituração dos livros fiscais. A escrituração contém informações de documentos fiscais e outras informações de interesse dos fiscos.

A forma utilizada para o registro de todas essas informações era o lançamento dos dados no papel, constituindo os que chamamos de livros fiscais.

Em 2002, os primeiros contribuintes paulistas forma notificados para entregar o Sintegra (Sistema Integrado de Informações Econômico Fiscais, que foi a primeira tentativa de digitalizar esses registros, de passar as informações do papel para o meio digital para possibilitar a troca de informações entre as unidades federadas. Com o Sintegra, o contribuinte passou a prestar parte das informações contidas nos livros num arquivo magnético. Como ele apresentava apenas parte das inforamações, o Sintegra não substituia os livros. Então, a empresas entregavam o Sintegra e também mantinham os livros em papel.

(66)

EFD CONTRIBUIÇÕES: Validação de Dados – Registro C170

QUADRO COMPARATIVO DE BLOCOS - SPED

REGISTRO C170 (Visão Documento) ou C190 (Visão Consolidada)

Registro 0111 - Tabela de Receita Bruta para Fins de Rateio

Descrição

Receita Bruta

Especificação

"C170 / C190"

2.500.000,00 Rec. Bruta Não-Cumulativa - Tributada Merc. Interno

65747884 (Matéria-Prima)

1.000.000,00 Rec. Bruta Não-Cumulativa - Não Tributada MI

100.000,00

Campo

REG

COD_ITEM

VL_BC

100.000,00

1.500.000,00 Rec. Bruta Não-Cumulativa - Exportação

56 (Trib + N-Trib +Exp)

0,00 Receita Bruta Cumulativa

1,65%

5.000.000,00 Receita Bruta Total

1.650,00

825,00

Créditos Vinculados a Receitas Tributadas - Mercado Interno

330,00

Créditos Vinculados a Receitas Não Tributadas

495,00

Créditos Vinculados a Receitas da Exportação

CST_PIS

ALIQ_PIS_

VL_PIS (Cred)

VL_BC

(67)

Documentos Fiscais

Documentos Fiscais

(68)

Obrigatoriedade de informar os tributos incidentes, na venda de

mercadorias e serviços a consumidor, incidente no preço de

venda.

1. Prazo para Implantação:

Julho de 2013

Lei nº 12.741/2012

2. Tributos a Destacar:

ICMS, IPI, ISS, PIS/Pasep, Cofins, IOF e CIDE

3. Operacionalidade:

A informação deverá constar no documento fiscal

ou em Painel afixado em local visível

4.

A indicação relativa ao PIS e à Cofins limitar-se-á à tributação

incidente sobre a operação de venda ao consumidor.

(69)

ALÍQUOTAS APLICÁVEIS

PIS/Pasep COFINS

Básica - Cumulatividade

0,65

3,0

Básica - Não-Cumulatividade

1,65

7,6

Gasolina

0

0

Oleo Diesel

0

0

GLP

0

0

Al

Alííquotas PIS e Cofins: Visão nas vendas a Consumidor:

quotas PIS e Cofins: Visão nas vendas a Consumidor:

GLP

0

0

Produtos Farmaceuticos

0

0

Artigos de Perfumaria

0

0

Veiculos

0

0

Autopeças

0

0

Agua, Cerveja e Refrigerantes

0

0

Álcool - Produtor/Importador

0

0

(70)

ALÍQUOTAS APLICÁVEIS

PIS/Pasep COFINS

Básica - Cumulatividade

0,65

3,0

Básica - Não-Cumulatividade

1,65

7,6

Gasolina

5,08

23,44

Oleo Diesel

4,21

19,42

GLP

10,20

47,40

Al

Alííquotas PIS e Cofins: Visão nas vendas por Fabricantes

quotas PIS e Cofins: Visão nas vendas por Fabricantes

GLP

10,20

47,40

Produtos Farmaceuticos

2,10

9,90

Artigos de Perfumaria

2,11

10,30

Veiculos

2,00

9,60

Autopeças

2,30

10,80

Agua, Cerveja e Refrigerantes

3,50

16,65

Álcool - Produtor/Importador

1,50

6,90

(71)

Outras Informações

Outras Informações

(72)

EFD – Contribuições – Penalidades:

O descumprimento das obrigações acessórias exigidas nos termos do

art. 16 da Lei n

o

9.779, de 1999, acarretará a aplicação das seguintes

penalidades:



R$ 5.000,00 (cinco mil reais) por mês-calendário

, relativamente às

pessoas jurídicas que deixarem de fornecer, nos prazos estabelecidos,

as informações ou esclarecimentos solicitados;

MP nº 2.158-35, art. 57



Cinco por cento, não inferior a R$ 100,00 (cem reais)

, do valor das

transações comerciais ou das operações financeiras, próprias da pessoa

jurídica ou de terceiros em relação aos quais seja responsável tributário,

no caso de informação omitida, inexata ou incompleta

.



Na hipótese de pessoa jurídica optante pelo SIMPLES, os valores e o

(73)

EFD – Contribuições – Pessoas Jurídicas Dispensadas:



Microempresas (ME) e as Empresas de Pequeno Porte

(EPP) *



Pessoas jurídicas imunes e isentas do Imposto sobre a

Renda, cuja soma do PIS/Pasep e da Cofins seja menor ou

inferior a R$ 10.000,00 *



Pessoas jurídicas que se mantiveram inativas desde o

(*) INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB nº 1.252/2012



Pessoas jurídicas que se mantiveram inativas desde o

início do ano-calendário ou desde a data de início de

atividades *



órgãos públicos, as autarquias e as fundações públicas *



Pessoas jurídicas sujeitas ao Imposto de Renda com base

no Lucro Presumido, em relação aos meses em que não

tenha auferido ou recebido receitas

(74)

Arquivo Original da EFD – Contribuições:



arquivo com todas as informações relativas à

EFD-Contribuições (Blocos de Operações + Bloco de

Apuração)

Registro 0000: Tipo de Escrituração – Indicador 0

 Prazo para Transmissão de Arquivos Originais da

EFD-Contribuições:

(75)

Arquivo Retificador da EFD – Contribuições:



Novo arquivo com todas as informações relativas à

EFD-PIS/Cofins

 Informar o numero de recibo da EFD-PIS/Cofins

retificada

retificada

 Registro 0000: Tipo de Escrituração – Indicador 1

 Prazo para Transmissão de Arquivos Retificadores:

-EFD-PIS/COFINS de 2011:

Até 30 de dezembro de 2012

(76)

Leiaute e Guia Prático da EFD-Contribuições:



Disciplinado nos Atos Declaratórios Executivo Cofis/RFB

nº 31, 34 e 37, de 2010, nº 11 e 24, de 2011 e nº 20, de

2012.

 Guia Prático da EFD - orientações sobre a geração dos

 Guia Prático da EFD - orientações sobre a geração dos

dados concernentes à EFD:

Disponível no site da RFB



O leiaute da EFD está organizado em blocos de

informações

dispostos

por

tipos

de

documentos

e

detalhados por registros

(77)
(78)
(79)

Leiaute



Após o Bloco 0, inicial, a ordem de apresentação dos

demais blocos é a seqüência constante na Tabela de Blocos

 A apresentação de todos os blocos é obrigatória e o

 A apresentação de todos os blocos é obrigatória e o

respectivo registro de abertura indicará a presença ou a

ausência de dados informados

 Registros dispensados – Identificados como “OC” nas

Tabelas

dos

Blocos

constante

no

leiaute

da

EFD-Contribuições

(80)

Leiaute



Após o Bloco 0, inicial, a ordem de apresentação dos

demais blocos é a seqüência constante na Tabela de Blocos

 A apresentação de todos os blocos é obrigatória e o

 A apresentação de todos os blocos é obrigatória e o

respectivo registro de abertura indicará a presença ou a

ausência de dados informados

 Registros dispensados - Identificados como “OC” nas

Tabelas

dos

Blocos

constante

no

leiaute

da

EFD-Contribuições

(81)

Leiaute



Após o Bloco 0, inicial, a ordem de apresentação dos

demais blocos é a seqüência constante na Tabela de Blocos



A apresentação de todos os blocos é obrigatória e o



A apresentação de todos os blocos é obrigatória e o

respectivo registro de abertura indicará a presença ou a

ausência de dados informados

 Registros dispensados - Identificados como “OC” nas

Tabelas

dos

Blocos

constante

no

leiaute

da

(82)

Legislação

SPED:

 Decreto nº 6.022/2007

 MP nº 2.200-2/2001

EFD – PIS/COFINS:

 IN RFB nº 1.052/2010

[

IN RFB nº 1.085/2010, 1.161/2011 e 1.218/2011

]

 ADE Cofis/RFB nº 34 e 37, de 2010.

 MP nº 2.200-2/2001

 ADE Cofis/RFB nº 34 e 37, de 2010.

 ADE Cofis/RFB nº 11 e 24, de 2011.

 IN RFB nº 1.252/2012

 ADE Cofis/RFB nº 20, de 2012.

(83)

Programa Validador e Assinador - PVA

 Validação de consistência de leiaute

 Assina e verificação a autenticidade da

assinatura

(84)

Programa Validador e Assinador - PVA

Importar Arquivo.Gerar a Escrituração

Verifica Inconsistências da EFD

Editar Registros da Escrituração

Gerar Arquivo para Transmissão

Gerar Arquivo para Transmissão

Assinatura Digital do Arquivo

Transmissão do Arquivo

(85)

Certificação Digital

 Assinatura Digital - garantia de autenticidade, de

integridade e de validade jurídica da EFD-Contribuições



O arquivo assinado digitalmente tem validade jurídica



O arquivo assinado digitalmente tem validade jurídica

para todos os fins, nos termos dispostos na

MP-2200-2/2001

(86)

Certificação Digital

Poderão assinar a EFD-Contribuições:



e-CNPJ que contenha a mesma base do CNPJ da

Pessoa Jurídica



e-CPF do representante legal da empresa no cadastro

CNPJ



Pessoa Física ou Pessoa Jurídica com procuração

eletrônica cadastrada no site da RFB

(87)

Guarda das informações

 O contribuinte deverá conservar pelo menos uma cópia

do arquivo da escrituração pelo prazo decadencial ou

para o reconhecimento de direitos creditórios.

Prazo mínimo de 5 anos

Prazo mínimo de 5 anos

 Todos os documentos contábeis e fiscais relacionados

com a EFD-Contribuições deverão ser conservados pelo

prazo previsto para comprovar os valores escriturados.

(88)

ReceitanetBX



Sistema transmissor de arquivos da base da Receita

Federal diretamente para contribuintes



Download no site da Receita Federal



Permite o download da EFD do próprio contribuinte

enviada ao ambiente nacional

(89)

Obrigado!

Imagem

Referências

temas relacionados :