• Nenhum resultado encontrado

FUNDAÇÃO TÉCNICO-EDUCACIONAL SOUZA MARQUES FACULDADES E ESCOLAS SOUZA MARQUES

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "FUNDAÇÃO TÉCNICO-EDUCACIONAL SOUZA MARQUES FACULDADES E ESCOLAS SOUZA MARQUES"

Copied!
14
0
0

Texto

(1)

NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO – NAP

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

BACHARELADO

(2)

QUADRO EXECUTIVO DA FUNDAÇÃO TÉCNICO-EDUCACIONAL SOUZA MARQUES – FTESM

Presidente da FTESM

Stella de Souza Marques Gomes Leal

Diretora Administrativa FTESM

Ielva de Souza Marques Gomes Leal

Coordenação Acadêmica – FTESM

Simone Aguiar Costa Lima Maranhão

Coordenação de Extensão – FTESM

Norma Franco

Coordenação de Pós-Graduação

Paulo Pimenta Gomes

Ouvidor

Flavio Ricardo Rebelo de Souza

Faculdade de Engenharia Souza Marques - FESM

José Eduardo Hasselmann  Coordenação do Curso de Engenharia Civil

Marcello José Crivelli

 Coordenação do Curso de Engenharia Mecânica Gilberto Penteado Dias

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Souza Marques - FFCLSM

Leopoldina de Souza Marques  Coordenação do Curso de Ciências Biológicas

Luciana Cresta de Barros Dolinsky  Coordenação do Curso de Física

Simone da Silva Fernandes  Coordenação do Curso de Letras

Fábio Galera Moreira  Coordenação do Curso de Pedagogia

Bárbara Terra Nova Gonçalves  Coordenação do Curso de Química

Delmo Santiago Vaistman

 Coordenação do Programa Especial de Formação de Docentes Bárbara Terra Nova Gonçalves

Escola de Medicina Souza Marques - EMSM

Pietro Novellino

Diretor Acadêmico

Raymundo Manno Vieira  Coordenação do Curso de Medicina

Yara Curvacho Malvezzi

Faculdade de Ciências Contábeis e Administração de Empresas - FCCAE

Ielva de Souza Marques Gomes Leal  Coordenação do Curso de Administração

Antônio Luiz Domingues  Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

Eduardo Souza Marques

Escola de Enfermagem Souza Marques - EESM

Sidney de Souza Peixoto  Coordenação do Curso de Enfermagem

(3)

INTRODUÇÃO

“ Como professor preciso me mover com clareza na minha prática. Preciso conhecer as diferentes dimensões que caracterizam a essência da prática, o que me pode tornar mais seguro no meu próprio desempenho. ” (Freire, 1999, p.76)

Inserida em uma sociedade em transformação acelerada, a escola vê-se diante de múltiplas expectativas de mudança para que possa adequar-se às exigências da contemporaneidade.

A sociedade espera que a escola seja propriamente o locus do exercício de ações educativas metodologicamente planejadas dentro de uma dinâmica que propicie em sua clientela o despertar de competências e atitudes que favoreçam a imediata inserção para a prática da cidadania. Tal expectativa torna imperiosos e inadiável que o preparo do profissional receba cuidados especiais. Sob tal ótica, o estágio supervisionado configura-se como oportunidade ímpar para que no próprio âmbito da profissional com todas as suas relações inter-humanas, possa o estagiário vivenciar a realidade concreta que contribuirá para construção de sua personalidade profissional

1. OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

O Estágio Supervisionado tem por objetivo possibilitar vivências nas diversas fases do processo de ensino-aprendizagem de maneira que seja estabelecida a vinculação entre o embasamento teórico e a prática propriamente dita.

Além de possibilitar o desenvolvimento de uma consciência a ser enriquecida pela participação efetiva nas diversas situações e problemas concretos da comunidade escolar nas múltiplas interações.

Diante de tais perspectivas, compete ao aluno estagiário:

... estar atento, demonstrar seu conhecimento pela teoria aprendida, realizar seu trabalho com dignidade procurando dentro de sua área de atuação, demonstrar que tem competência, simplicidade, humildade e firmeza, lembrando-se que ser humilde é saber ouvir para aprender, ser simples e ter conceitos claros e saber demonstrá-los de maneira cordial.

(4)

2. O SETOR DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Deverá ser procurado pelos alunos em situação de estágio para o recebimento de orientações e material concernente às atividades a serem efetivadas.

Objetivando possibilitar adequação entre as disponibilidades individuais e as tarefas do estágio caberá aos próprios alunos procurarem em Estabelecimento que conceda estágio aos alunos dos Cursos de Bacharelado. Podendo ser estabelecimento de rede pública ou privada.

2.1 UMA VEZ ENCONTRADO O ESTABELECIMENTO, O ALUNO DEVERÁ:

a) Informar ao Setor de Estágio Supervisionado para que seja providenciada a liberação do modelo de termo de compromisso (TCE) entre o educando, a parte concedente e FTESM;

b) Tomar ciência das Normas prescritas pelo Estabelecimento a fim de que elas sejam norteadas para sua conduta como estagiário;

c) Tão logo o aluno tenha em mãos as três vias do termo de compromisso de estágio assinadas por ele e pela concedente, deverá entregá-lo no protocolo da FTESM para assinatura do Coordenador de Estágio.

d) Os estagiários deverão ter o cuidado de registrar todas as atividades observadas e desenvolvidas para a composição do RELATÓRIO DO ESTÁGIO, que julgado satisfatório, será arquivado no Setor competente.

2.2 EQUIVALÊNCIAS AO ESTÁGIO (CONVALIDAÇÃO):

Consideram-se equivalentes ao estágio curricular supervisionado os exercícios profissionais, listados abaixo, desde que devidamente comprovados, de acordo com o PPC do curso, e enquadrados nesta norma, quando couber:

a)

Empregado em empresa privada, comprovado através de cópia do contrato de trabalho

e cópias da CTPS atualizada;

(5)

b)

Empregado em empresa pública, fundação ou organização militar, comprovado através

de ato de nomeação (ou equivalente);

c)

Empreendedor individual, comprovado através de registro pertinente; e

d)

Sócio de empresa privada, comprovado através de cópia do Contrato Social e

alterações contratuais (se houver).

2.2.1 O aluno deverá preencher o Termo de Compromisso de Estágio-CONVALIDAÇÃO e entregá-lo com a documentação que comprove o exercício profissional à Secretaria do Curso, que encaminhará ao Coordenador.

2.2.2 O Coordenador do Curso, mediante a análise de toda a documentação pelos membros do Núcleo Docente Estruturante (NDE), poderá convalidar o estágio e abrir prazo para a entrega do Relatório de Estágio.

2.2.3 O Relatório de Estágio, após protocolado na Secretaria do Curso, será encaminhado ao Professor orientador designado pelo Coordenador.

2.2.4 O Professor orientador verificará o Relatório de Estágio e emitirá parecer de “APROVADO” ou “REPROVADO” ao Coordenador. O Coordenador do Curso encaminhará à Secretaria do Curso o Relatório de Estágio, mediante despacho final.

ATENÇÃO: O ESTÁGIO NÃO PODE SER INICIADO SEM ASSINATURA NO TERMO DE COMPROMISSO PELAS TRÊS PARTES INTERESSADAS (CONCEDENTE, INSTITUIÇÃO DE ENSINO E

(6)

3. EM QUE CONSISTE O ESTÁGIO

O Estágio Supervisionado consiste no desempenho de atividades de:  OBSERVAÇÃO

 COPARTICIPAÇÃO  EXECUÇÃO

 ELABORAÇÃO DOS RESULTADOS E DISCUSSÃO

As atividades em questão irão compor os itens a serem desenvolvidos no Relatório de Estágio. A carga horária estabelecida para o Estágio é determinada pela legislação específica em vigor. Conforme o inciso II do artigo 61 da LDBEN/96 haverá aproveitamento de experiências anteriores em instituições de ensino, desde que devidamente comprovadas e tenham sido cumpridas por período mínimo de um ano dentro dos últimos cinco anos.

O estágio ocorrerá nos termos da Lei 11.788 de 25/09/08.

3.1 FASE DE OBSERVAÇÃO E CO-PARTICIPAÇÃO

É a fase em que o estagiário tomará conhecimento das características intrínsecas do Estabelecimento e da operacionalização de suas atividades, normas e práticas. A observação de como se trabalha, as normas e regras para cada atividade a ser executada futuramente mostrará ao aluno a forma correta de se conduzir – Observe, mas não esqueça de perguntar o que não ficou claramente entendido, pois a próxima fase será por sua conta. A co-participação, ou trabalho sob supervisão direta, é a fase em que o Estagiário manipulará equipamentos e peças de estudo, muitas vezes pela primeira vez, sob o olhar de um profissional. Não se esqueça de questionar sua conduta.

Ao ingressar numa Instituição em que o trabalho com material biológico, radioativo, cancerígeno ou tóxico de qualquer natureza seja oferecido, o aluno deverá ser devidamente treinado e orientado quanto às normas vigentes de Biossegurança por profissionais qualificados.

(7)

OBJETIVOS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

 Possibilitar vivências nas diferentes áreas de atuação, seja em laboratório de pesquisa e/ou em laboratório de serviço, no intuito de mostrar ao aluno o dia- a dia da profissão embasado na formação teórica e prática.

 Possibilitar que o aluno adquira com a prática da experimentação, e com a convivência com profissionais da(s) área(s), a consciência crítica, tão necessária a profissão.

 Estimular a decisão de escolha da futura área de atuação do aluno, mostrando seus prós e contras.

II FASE DE EXECUÇÃO

Nesta fase o estagiário após estar seguro das atividades a serem executadas, das normas que regem casa uma delas e de entender os protocolos de experimentação, será capaz de executar as tarefas necessárias para a conclusão de um determinado objetivo.

Está é a fase da liberdade, da criatividade e onde será determinada a capacidade do estagiário a seguir as normas das instituições, do laboratório e do protocolo experimental. Lembre-se que em instituições de pesquisa a leitura é necessária e primordial, mas também as questões não entendidas.

III –ELABORAÇÃO DOS RESULTADOS E DISCUSSÃO

Nesta fase aprenderá como analisar os resultados gerados numa determinada pesquisa ou como tabular os dados de uma instituição de prestação de serviço. A análise estatística talvez seja necessária, assim como a confecção de tabelas, gráficos e ilustrações diversas.

Toda observação deverá ser registrada e reproduzível – esta é a primeira grande regra de um pesquisador.

A discussão dos resultados se dará com a supervisão do orientador, mas é importante que o estagiário tenha conhecimento da literatura publicada sobre o assunto para poder discutir e acompanhar os pensamentos em vigor

ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Assim como as monografias, os Relatórios devem adequar-se à metodologia apropriada segundo as normas da ABNT. Devem ter o formato tamanho A4(120mmx297mm), com Capa e Contracapa (página de rosto) conforme os modelos apresentados pelo SETOR DE ESTÁGIO. Páginas de dedicatória e de agradecimentos são opcionais, visto que são facultativas em Relatórios. Devem ser encadernados em espiral ou em pastas plásticas, devendo ser digitalizado ou datilografado. Deve ser seguida a seguinte ordenação:

(8)

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO.

O Setor de Estágio Supervisionado recomenda que na fase da elaboração do Relatório sejam observadas as orientações relativas as fases descritas acima.

Assim, insira no Relatório os seguintes dados:

1- A característica da Instituição de Pesquisa ou Serviço.

Nome da Instituição ou instituições, bem como o (s) laboratório (s) onde ocorreu o estágio, o nome e titulação (caso haja) do orientador (es)

2- As atividades desenvolvidas e as fases em que estas foram executadas (Observação,

co-participação, execução, elaboração e discussão).

3- Indique suas expectativas e seu aproveitamento (Conclusão)

4- Atividades complementares realizadas neste período nas instituições de pesquisa e/ou serviço,

tais como participações em seminários, palestras, cursos, congressos, eventos, discussão em grupos, apresentações de teses de mestrado e doutorado, discussões de casos, etc... Tudo deve ser registrado para não haver esquecimento e tudo é válido para aumentar o conhecimento do Estagiário. (Anexo: Registro de Atividades)

5- Incluir a avaliação do seu orientador (Anexo: Avaliação do Estagiário) 6- Incluir a sua avaliação (Anexo: Auto Avaliação)

(9)
(10)

AVALIAÇÃO DO ESTAGIÁRIO

ESTAGIÁRIO (A)________________________________________________________________________ LOCAL DE REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO _______________________________________________________ PERÍODO DE REALIZAÇÃO: DE _____/_____/_____ A _____/_____/_____

ASPECTOS CONSIDERADOS NA AVALIAÇÃO SEMPRE ÀS VEZES NUNCA

01 – PONTUALIDADE

02- INICIATIVA NO PLANEJAMENTO DO TRABALHO 03- PARTICIPAÇÃO ATIVA E COOPERAÇÃO ESPONTÂNEA 04- EXECUÇÃO DAS TAREFAS ESTABELECIDAS

05- COMPREENSÃO DO ESQUEMA DE TRABALHO 06- APRESENTAÇÃO DE CONTRIBUIÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO

07- RESPEITO AOS REGULAMENTOS INTERNOS

08- DEMONSTRAÇÃO DE HABILIDADE NOS RELACIONAMENTOS 09- DEMONSTRAÇÃO DE CAPACIDADE DE ADAPTAÇÃO

10- APRESENTAÇÃO DE BOA APARÊNCIA PESSOAL

COMENTÁRIOS:

CONSIDERAMOS O ESTÁGIO REALIZADO PELO ALUNO (A): _____________________________________ ÓTIMO ( ) BOM ( ) REGULAR ( ) NÃO SATISFATÓRIO ( )

_______________________, ______ DE _________________ DE _______.

_____________________________ ______________________________ VISTO E CARIMBO DA DIREÇÃO/ RESPONSÁVEL SUPERVISOR (A)

(11)

AUTO-AVALIAÇÃO

ESTAGIÁRIO (A): ______________________________________________________________________ CURSO: __________________________________ TURMA: ____________________________________

ASPECTOS CONSIDERADOS NA AVALIAÇÃO SEMPRE ÀS VEZES NUNCA

01 –PROCUREI DEDICAR-ME ÀS TAREFAS PROPOSTAS NO ESTÁGIO? 02- FIZ OS DEVIDOS REGISTROS DAS ATIVIDADES?

03- ELABOREI OS PLANEJAMENTOS DE MINHAS ATIVIDADES? 04- PROCUREI CONCILIAR MINHAS OPINIÕES COM OS PROCEDIMENOS DO LOCAL DE ESTÁGIO?

05- COMPREENDI AS NORMAS QUE ME FORAM APRESENTADAS NO LOCAL DE ESTÁGIO?

06- ESTABELECI CLIMA COOPERATIVO DURANTE O ESTÁGIO? 07- CONSEGUI ESTABELECER INTERATIVIDADE COM A CLIENTELA? 08- SOLICITEI ESCLARECIMENTOS QUE CONTRIBUÍSSEM PARA MEU APRENDIZADO E MELHOR DESEMPENHO DURANTE O ESTÁGIO? 09- CONSEGUI CONCILIAR MINHAS ATIVIDADES LABORATIVAS E/OU ACADÊMICAS COM OS HORÁRIOS E TAREFAS DO ESTÁGIO?

10- O ESTÁGIO PROPORCIONOU-ME OPORTUNIDADES PARA COLOCAR EM AÇÃO TÉCNICAS E CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS?

COMENTÁRIOS:

EM MINHA AVALIAÇÃO GERAL, ACREDITO QUE MEU ESTÁGIO FOI:

ÓTIMO ( ) BOM ( ) REGULAR ( ) INSATISFATÓRIO ( )

Rio de Janeiro, ______ de _________________ de _______.

_____________________________________________ ALUNO

(12)

MODELO DE DECLARAÇÃO

DECLARAÇÃO DE ESTÁGIO

Para fins de comprovação junto à FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO, declaro que _____________________________________________________________________________ cumpriu

__________ horas de atividades relativas a ESTÁGIO SUPERVISIONADO realizado no período de ________/_________/________ a ________/________/________, neste estabelecimento.

_______________________, _______de _______________ de 2016.

_______________________________ Diretor (a)/ ou Responsável

1) Papel timbrado do estabelecimento

(13)

MODELO DE CAPA

FUNDAÇÃO TÉCNICO-EDUCACIONAL SOUZA MARQUES

FACULDADES

DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO

DE

ESTÁGIO

SUPERVISIONADO

AUTOR (NOME COMPLETO)

RIO DE JANEIRO

MÊS/ ANO

(14)

MODELO DE CONTRA CAPA

RELATÓRIO

DE

ESTÁGIO

SUPERVISIONADO

AUTOR (NOME COMPLETO)

CURSO

TURMA

MATRÍCULA

INSTITUIÇÃO DO ESTÁGIO

Referências

Documentos relacionados

- Toxicidade para órgãos-alvo específicos (STOT), a exposição repetida: Com base nos dados disponíveis, os critérios de classificação não são preenchidos, no entanto

6.4 O responsável pela atividade deverá preencher o formulário de Requerimento de Registro de Atividade de Comercialização de Produtos Agrotóxicos, Produtos

Os fundos deslocados podem dar suporte à lógica analítica para fornecer insights mais oportunos, desenvolvimento de aplicativos para melhor se envolver com os clientes ou até mesmo

Diante disso, tendo em vista que o Código de Defesa do Consumidor não teria conceituado o contrato fora do estabelecimento comercial, entende-se que a

Na prática clínica do reumatologista, as principais indicações de biópsia muscular são para o diagnóstico das miopatias autoi- munes sistêmicas (polimiosite, dermatomiosite,

Para validação da estimação de orientação, foi implementado em MatLab uma simulação onde varia- ções conhecidas de orientação foram aplicadas num corpo e utilizando

A área de contribuição direta do reservatório de Salto Grande no município de Americana apresenta elevadas taxas de industrialização e urbanização além de

h) cometer qualquer outra infração de natureza leve. 1.3.1.4 Avaliar-se-á quanto à prova prática a capacidade, atenção e percepção dos candidatos no trato das