REGULAMENTO DO PROGRAMA DE AMPARO E ASSISTÊNCIA MÚTUA (PAAM)

24 

Texto

(1)
(2)

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE AMPARO

E ASSISTÊNCIA MÚTUA (PAAM)

A CONECTA Associação de Benefícios Mútuos, sociedade civil, sem fins lucrativos, regida em consonância com seu Estatuto Social e legislação aplicável, vem expor suas finalidades e descrever os benefícios oferecidos aos seus Associados, disponibilizando aos mesmos um rol de benefícios e amparo em situações indicadas nesse regulamento, por meio da assistência mútua ou através de prestadores contratados, com todas as suas atividades fundamentadas pelo princípio do associativismo por meio do presente regulamento.

A CONECTA NÃO É UMA SEGURADORA, é uma associação dotada de personalidade jurídica, não devendo ser tratada em hipótese alguma como uma sociedade empresária, consideradas as peculiaridades do Programa de Amparo e Assistência Mútua, especialmente no que tange ao rateio das despesas com eventos entre os associados e a completa ausência de finalidade lucrativa.

A Adesão ao Programa de Amparo e Assistência Mútua é voluntária e formalizada através da assinatura da proposta constante deste regulamento.

CAPÍTULO I - DO PROGRAMA DE AMPARO E ASSISTÊNCIA MÚTUA

Art.1º - O presente Programa de Amparo e Assistência Mútua (PAAM), tem como um de seus objetivos primordiais proporcionar benefícios aos associados e quando necessário, partilhar prejuízos dos seus automóveis em casos de colisão, capotamento, abalroamento,

queda, acidente durante transporte por meio apropriado, queda de árvores, chuva de granizo, submersão por inundação ou alagamento de água doce, roubo, furto, e/ou

(3)

incêndio acidental por meio do sistema cooperativista de rateio. Todos os associados

arcam com os gastos decorrentes dos danos comprovadamente apurados pela ASSOCIAÇÃO, com vistas a promoverem a integração sócio comunitária de seus associados.

Art.2º - Para participar do Programa de Amparo e Assistência Mútua o associado deve estar devidamente filiado a CONECTA e, voluntariamente, indicar seu interesse na participação do referido programa, através de termo de adesão próprio. Ao aderir voluntariamente aos programas, o associado se compromete a contribuir com as cotas necessária referente às despesas apuradas para a consecução dos benefícios através do MUTUALISMO, ou seja, repartição proporcional dos programas de assistência de eventos danosos já ocorridos através de rateio de despesas.

Parágrafo Único – O presente Programa de Amparo e Assistência Mútua poderá oferecer aos Associados benefícios adicionais e opcionais tais como: carro reserva, troca de vidros, assistência diferenciada e demais benefícios eventualmente oferecidos pela ASSOCIAÇÃO através da contratação de empresas e/ou gestoras de riscos especializadas em benefícios de proteção ao associado, mediante regulamentação própria podendo as regras serem alteradas em conformidade com os procedimentos internos dos prestadores. Os pagamentos de valores adicionais a estes serviços serão pagos pelo Associado ao prestador diretamente ou através da associação, ficando esta escolha a critério da Diretoria Executiva da CONECTA. O associado deverá, ainda, observar rigorosamente os termos do contrato de assistência 24h por ele firmado, sobretudo quanto dos limites dos benefícios contratados. As Condições dos benefícios adicionais e optativos constam no manual do Associado e/ou no site da CONECTA (www.conectadobrasil.org.br).

CAPÍTULO II - DO REGULAMENTO

Art.3º - O presente Regulamento tem como objetivo a fidelidade de informações necessárias ao Associado no tocante a seus direitos e obrigações, como participante do Programa de Amparo e Assistência Mútua.

CAPÍTULO III – DAS REGRAS E CONDIÇÕES DO PROGRAMA DE AMPARO E ASSISTÊNCIA MÚTUA

Art.4º - Para aderir ao PAAM da CONECTA, o associado deverá encaminhar à Diretoria os seguintes documentos, além de pagar a taxa de adesão (despesas administrativas e custo para verificação das condições do veículo):

- Termo de adesão em modelo próprio;

(4)

- CRV do veículo, ou nota fiscal em caso de veículo Zero Km, atualizada e dentro de

vigência;

- Cartão de CNPJ e Contrato Social / Estatuto Social, caso seja pessoa jurídica.; - Comprovante de residência atualizado;

- Inspeção com fotos, realizada por profissional conveniado à CONECTA.

Art. 5º - O Associado que aderir ao Programa de Amparo e Assistência Mútua cadastrando o veículo de sua propriedade ou de terceiros deverá obrigatoriamente:

I. Informar corretamente todos os dados necessários para o preenchimento dos Termos de Associação e Adesão ao Programa;

II. Entregar e/ou enviar cópia autenticada de todos os documentos previamente exigidos;

III. Submeter o veículo a ser cadastrado no PAAM à inspeção com fotos realizada por prestadores de serviços conveniados pela CONECTA, dentro do prazo previsto no presente regulamento;

IV. Arcar com o pagamento de todas as despesas operacionais consubstanciadas na Taxa de Adesão ao Programa de Amparo e Assistência Mútua, que será devida individualmente por cada veículo a ser cadastrado no PAAM, no ato de sua inclusão, valores estes destinados a custear inspeção com fotos e despesas operacionais.

Parágrafo Único - Fica desde já ciente o associado de que para efetivação da adesão ao PAAM, serão realizadas as consultas abaixo, sendo que a existência de registros que desabonem o associado ou o veículo pode obstar a aceitação da adesão ao programa: – Do associado: Histórico criminal, consulta de pontuação/validade de CNH, consulta de SPC/SERASA, consulta de histórico de acidentes e indenizações anteriores, etc. – Do veículo: Consulta de multas, consulta de busca e apreensão, consulta de histórico de indenização e leilão, remarcação de chassi, etc.

CAPÍTULO IV - DO INÍCIO DO PROGRAMA E VERIFICAÇÃO DO VEÍCULO

Art. 6º - O Programa de Amparo e Assistência Mútua inicia-se às 00:00 horas do dia seguinte à análise cadastral e aceitação do veículo.

I. Caso haja algum impedimento na análise técnica do veículo e/ou seja constatado alguma inconformidade de informações ou com o que disciplina o presente regulamento, a CONECTA tem o prazo de 15 (quinze) dias para notificar o Associado para correção do impedimento ou inconformidade;

II. O Associado conta com o prazo de 7 (sete) dias, contados da data do recebimento da notificação, para corrigir o impedimento ou inconformidade e solicitar a realização de segunda inspeção mediante pagamento de nova Taxa de Inspeção;

(5)

III. Não sendo corrigido o impedimento ou inconformidade pelo Associado no prazo de 07 (sete) dias, mencionado no art. 6º item II acima, o Associado será informado sobre o cancelamento do Termo de Adesão do Programa de Amparo e Assistência Mútua;

IV. Entre a data da notificação para a correção de impedimento ou inconformidade e a data de sua correção, o veículo não participará do Programa de Amparo e Assistência Mútua.

Parágrafo Primeiro - Caso a inspeção do veículo não seja realizada, por culpa do Associado, no prazo máximo de 05 (cinco) dias, contados da data de assinatura do Termo do Programa de Amparo e Assistência Mútua, o mesmo poderá ser cancelado sem qualquer devolução dos valores pagos no ato do ingresso, porém não será cobrada do Associado nova taxa, caso o mesmo venha a firmar nova adesão ao Programa dentro do mesmo mês.

Parágrafo Segundo - A taxa de adesão deverá ser paga pelo Associado aderente através de boleto bancário ou como a Diretoria da CONECTA decidir, em um prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas da emissão do Termo de Adesão do Programa de Amparo e Assistência Mútua.

Parágrafo Terceiro - O comprovante de pagamento da taxa de adesão deverá ser apresentado no momento da inspeção do veículo, sob pena desta não ser realizada.

Parágrafo Quarto - Poderá haver adiamento da inspeção dos veículos 0km por até 10 (dez) dias, desde que este esteja no pátio da concessionária ou revenda e haja autorização da diretoria da CONECTA. Após esse período o programa estará suspenso até que seja feita a inspeção com fotos.

Parágrafo Quinto - A CONECTA não faz na inspeção inicial nenhuma avaliação do valor de mercado do Automóvel, nem da legalidade de sua procedência, sendo esta de inteira responsabilidade do associado.

Parágrafo Sexto - A ASSOCIAÇÃO reserva-se o direito de somente aceitar a inclusão de veículos no Programa de Amparo e Assistência Mútua por critério de valor de mercado fornecidos pela tabela FIPE (www.fipe.org.br), marca ou modelo do veículo e ano de fabricação do veículo, ficando esta escolha a critério da Diretoria Executiva da CONECTA.

CAPÍTULO V – DA TAXA ADMINISTRATIVA MENSAL E RATEIO

Parágrafo Único - A fim de custear a estrutura administrativa mantida em favor do associado, estes, após a aceitação da adesão ao PAAM, passarão a pagar a taxa administrativa mensal por cada veículo cadastrado, estando já incluído neste valor a contribuição associativa mensal da CONECTA. Além da taxa administrativa do (PAAM), o associado participante pagará também o rateio dos eventos danosos do Programa, previstos neste regulamento. A contribuição Associativa da Conecta é de obrigação de cada associado conforme previsto na proposta de admissão e no estatuto social independente da adesão ao (PAAM).

(6)

Art. 7º - O valor da taxa administrativa do PAAM é calculado de acordo com o valor do automóvel, tendo como referência o perfil do veículo de acordo a tabela FIPE (www.FIPE. com.br) considerando o ano modelo. Caso se desligue do PAAM, o associado voltará a pagar somente a contribuição associativa, nos termos do regimento interno da CONECTA.

Art.8º - A cobrança dos valores devidos pelo rateio e taxa administrativa do Programa de Amparo e Assistência Mútua será mensal por meio de boleto bancário endereçado ao Associado por correio, e-mail e SMS para o telefone Celular cadastrado. O associado poderá, ainda, obter o boleto para pagamento na área do Associado no site da Associação com o valor relativo à quantidade de quotas-parte subscritas pelo associado, sem direito a participação no patrimônio da Associação. Os valores da Taxa Administrativa serão livremente administrados pela Diretoria Executiva da CONECTA, aplicando os referidos recursos na manutenção das despesas administrativas da associação, de acordo com o estatuto social.

Parágrafo Único -O boleto referente à contribuição administrativa mensal e rateio será enviado para o endereço do associado, com vencimento no dia 10 de cada mês.

Parágrafo Primeiro - O boleto bancário mensal deverá ser pago no prazo ali previstos, sob pena da incidência de multa de 2% (dois por cento), juros de mora de 1% (um por cento) ao mês pro rata die e correção monetária pelo IGMP, além de taxas com cobrança extrajudicial e/ou judicial onde serão acrescidos honorários advocatícios de 10% a 20%, sem prejuízo da

inclusão dos dados dos associados juntos ao órgão de proteção ao crédito.

Parágrafo Segundo - Caso a data de vencimento do boleto bancário não se trate de dia útil, o mesmo poderá ser liquidado impreterivelmente, sem acréscimos, até o primeiro dia útil subsequente.

Parágrafo Terceiro - Caso não seja efetuado o pagamento do boleto até a data do vencimento, o Programa de Amparo e Assistência Mútua ficará automaticamente suspensa até a regularização do(s) débito(s) em aberto, voltando a vigorar a partir das 00:00hs do dia subsequente ao pagamento, caso o atraso não seja superior a 03 (três) dias.

Parágrafo Quarto – No caso de atraso superior a 03 (três) dias, o Programa de Amparo e Assistência Mútua somente voltará a viger a partir das 00:00hs da realização de nova inspeção no veículo cadastrado, com as despesas operacionais previamente pagas pelo Associado.

Parágrafo Quinto - A participação mensal do integrante do (PAAM) corresponderá à soma de todos os custos de reparação e ressarcimento despendidos pela conecta no mês anterior, dividido pelo número de integrantes do programa e de forma proporcional ao índice de rateio atribuído ao veículo cadastrado. Sendo o valor final acrescido do custo mensal dos serviços contratados pela conecta e acrescido da taxa de administração cobrada da

(7)

integralidade dos associados.

Os benefícios oferecidos e os prejuízos serão cobrados na modalidade pós-paga, ou seja, o associado utiliza os benefícios e paga no mês seguinte, sendo que o pagamento da mensalidade atual não quita a anterior.

Parágrafo Sexto - Não há cobrança pro-rata.

Art. 9º - O não recebimento do boleto bancário mensal não justifica o atraso no pagamento tampouco isenta o associado das consequências do inadimplemento. É dever do Associado, caso não receba o boleto bancário antes da data de vencimento, entrar em contato com a CONECTA, acessar o endereço eletrônico da ASSOCIAÇÃO e/ou optar pelos outros meios disponíveis para a obtenção do boleto de pagamento.

Art.10º - A taxa administrativa referente ao Programa de Amparo e Assistência Mútua será reajustada anualmente de acordo com a inflação, taxas de ressarcimentos parciais e integrais entre outros índices que compõe o rateio associativo.

CAPÍTULO VI - DOS PROCEDIMENTOS PREVISTOS PARA DANOS MATERIAIS REPARÁVEIS

Art.11º - Em caso de eventos que acarretem danos materiais parciais, o pagamento é feito com base nos custos efetivos para reparação dos danos, peças e materiais a substituir, bem como a mão de obra necessária para reparação ou substituição. A ASSOCIAÇÃO providenciará o conserto do veículo acidentado e promoverá o fornecimento das peças necessárias, em oficinas conveniadas e fará o pagamento do valor correspondente diretamente à oficina. Em caso de danos ao veículo o Associado deverá:

I. Acionar a CONECTA imediatamente;

II. Proteger o veículo evitando agravamento dos danos e consequentemente aumento dos prejuízos;

III. Comunicar às autoridades policiais pertinentes e lavrar documento de fé pública: Boletim de Ocorrência (B.O) / Boletim de Registro de Acidentes de Trânsito (BRAT), dentre outros, conforme o Código de Trânsito Brasileiro, bem como legislação Municipal/Estadual/ Federal relatando completa e minuciosamente o fato no BOLETIM DE OCORRÊNCIA, mencionando dia, hora, local, circunstância do acidente, nome de quem dirigia o veículo, nome e endereço de testemunhas e providências de ordem policial tomadas;

IV. Preencher o Termo de Acionamento na sede da ASSOCIAÇÃO apresentando toda documentação necessária inerente ao andamento do processo, conforme constante em formulário específico (fornecido pela CONECTA);

V. Apresentar o veículo em local indicado pela ASSOCIAÇÃO ou nas oficinas indicadas para verificação de danos na data e horário previamente comunicados/agendados,

(8)

aguardando a autorização da ASSOCIAÇÃO para iniciar os reparos e/ou outras providências; VI. Acompanhar junto à ASSOCIAÇÃO o andamento dos reparos de seu veículo; VII. Não celebrar acordos relacionados ao evento sem prévia e expressa anuência da ASSOCIAÇÃO;

VIII. Identificar o causador do evento;

IX. O associado deve tomar todas as providências ao seu alcance para proteger o veículo acidentado e evitar o agravamento dos prejuízos, sob pena de ser considerado responsável pelos mesmos.

X. Empenhar todos os esforços para ser ressarcido de prejuízos causados por terceiros, e caso haja o ressarcimento pelo PAAM, a colaborar para que a CONECTA seja ressarcida junto aos terceiros causadores dos prejuízos.

XI. O Associado deverá ainda assinar a respectiva procuração, dando plenos poderes à ASSOCIAÇÃO para cobrança judicial dos valores dos danos indenizados/reparados pela ASSOCIAÇÃO.

XII. Exigir da empresa prestadora de serviço de guincho o Check list do veículo

acidentado, feito no local do acidente, antes do deslocamento do mesmo.

XIII. Para fazer o acionamento do PAAM, o associado deverá comparecer pessoalmente ou por representante legalmente constituído, na sede da CONECTA, para lavrar o Termo de Acionamento e Sub-Rogação de Direitos, com informações sobre o ocorrido.

XIV. Somente serão beneficiados aos associados cujos prejuízos em que o boletim de ocorrência for lavrado no dia e na hora do evento, sem ressalvas.

Art.12º - Para a autorização dos reparos de danos, o Associado deve apresentar:

I. Termo de acionamento devidamente preenchido, disponível na sede da ASSOCIAÇÃO;

II. Boletim de ocorrência (exceto boletim virtual, feito pela internet sem a participação da autoridade policial);

III. Comprovante de endereço atualizado; IV. Cópia do DUT e CRLV;

V. Contrato Social e/ou última alteração no caso de Pessoa Jurídica;

VI. Cópia da CNH, CPF e RG do associado, condutor e do proprietário do veículo; VII. Cópia dos três últimos comprovantes de pagamento das mensalidades anteriores ao acidente, que poderá ser obtido na sede da ASSOCIAÇÃO;

VIII. Em casos de eventos envolvendo terceiros, é de extrema necessidade a identificação de todos os envolvidos no Boletim de Acidente de Trânsito, inclusive as testemunhas, caso houver, sendo obrigatório que conste o nome, RG, CPF, endereço e telefone.

(9)

IX. Demais documentos que possam ser solicitados.

Parágrafo Primeiro - Somente com o protocolo do Termo de Acionamento, entrega de toda documentação exigida e depois de concluída a análise técnica é que se concluirá o processo de autorização de reparos, no prazo máximo de 15 (quinze) dias úteis.

Parágrafo Segundo - As avarias pré-existentes no veículo que forem observadas na inspeção de adesão ao Programa de Amparo e Assistência Mútua do veículo constarão em laudo técnico e em caso de necessidade de reparos no veículo (na mesma localidade das avarias), do valor do(s) serviço(s) e peça(s) será deduzido do orçamento a quantia correspondente à solução das avarias preexistentes.

Art.13º - A ASSOCIAÇÃO poderá a qualquer momento efetuar sindicância ou averiguação (técnica/policial) dos eventos e danos ao veículo, sendo que a autorização dos reparos se dará (ou não) somente após conclusão do processo, que poderá ter duração de até 15 (quinze) dias úteis.

Parágrafo Único: A sindicância ou averiguação (técnica/policial) visa promover a proteção contra fraudes e/ou atos ilícitos (contrários às leis nacionais de trânsito) de modo a preservar o interesse comum, e constatado ato de má fé ou dolo, será cobrado o ressarcimento de todos os custos inerentes ao processo além da adoção das medidas judiciais cabíveis. Art.14º - Em caso de dano parcial no veículo, o valor do reparo será definido pela análise técnica indicada pela ASSOCIAÇÃO, ficando desobrigada a utilizar somente peças originais, exceto nos casos de veículos com até 12 (doze) meses de uso com base na data da nota fiscal.

Art.15º - O conjunto de rodas, pneus e câmaras de ar estão protegidos, desde que não afetados isoladamente. Os pneus com até 6 (seis) meses de uso serão pagos integralmente. Aqueles com vida superior a 6 (seis) meses serão restituídos em 50% (cinquenta por cento) valor.

Art. 16º - A partir da entrega do veículo para reparo em uma das oficinas conveniadas da ASSOCIAÇÃO, não haverá estipulação de prazo para entrega do veículo em caso de danos reparáveis, visto que a monta dos danos sofridos, a disponibilidade de oficinas e a disponibilidade de peças no mercado fogem do controle da CONECTA.

CAPÍTULO VII - DOS PROCEDIMENTOS EM

CASOS DE FURTO/ROUBO E RESSARCIMENTO INTEGRAL DO VEÍCULO

Art.17º - No caso de furto ou roubo de veículo ou ressarcimento integral, o Associado deverá: I. Acionar imediatamente a autoridade policial competente para fins de registro da ocorrência policial em até 3 horas seguintes do ocorrido, salvo justificando a impossibilidade de fazê-lo a Diretoria da CONECTA;

(10)

II. Identificar e arrolar 2 (duas) testemunhas;

III. Havendo rastreador, acionar imediatamente a empresa de monitoramento. IV. Informar o evento para a ASSOCIAÇÃO imediatamente;

V. Apresentar toda documentação necessária, inerente ao andamento do processo, conforme constante em formulário específico.

Parágrafo Primeiro - É obrigação do Associado providenciar a regularização e liberação do veículo junto aos órgãos competentes em caso de recuperação do bem.

Parágrafo Segundo - Não será de responsabilidade da ASSOCIAÇÃO o pagamento de nenhum custo referente à diária(s) de estadia(s) do(s) veículo(s) em pátio(s) ou afins, após a recuperação do mesmo, dentre outras taxas cobradas pelos órgãos competentes.

Art.18º - Em caso de ressarcimento em razão de furto/roubo em que não houve a recuperação do veículo, o Associado deverá apresentar os seguintes documentos:

I. Cópia da carteira de habilitação e comprovante de endereço do condutor do veículo, do proprietário e do associado;

II. Cópia autenticada do contrato social e CNPJ (Pessoa Jurídica);

III. DUT – Documento Único de Transferência do veículo, preenchido a favor da ASSOCIAÇÃO ou de quem ela indicar, assinado com firma reconhecida por autenticidade; IV. Original do CRLV - Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo, Licenciamento e Seguro Obrigatório (DPVAT) do último exercício, todos devidamente quitados;

V. Boletim de ocorrência original;

VI. IPVA’s originais quitados (exercício atual e anterior) - ou a comprovação quando for o caso, da isenção do pagamento do IPVA, expedida pela Secretaria da Fazenda Estadual; VII. Extratos do DETRAN, onde deve constar a situação do veículo (proprietário, débitos, demais restrições, se houver). Caso haja alguma restrição, as mesmas devem ser regularizadas. Em seguida deve ser providenciada nova consulta ao DETRAN, com apresentação de novo extrato e dos originais dos documentos que comprovem a quitação dos débitos junto ao aludido órgão. Caso o DETRAN ou CETRAN-REGIONAL não forneçam a simples consulta, anexar o extrato com negativa de muitas expedidas pelo DETRAN; VIII. Chaves do veículo. Manual do proprietário;

IX. Termos de responsabilidade, contendo os dados do veículo, por eventuais multas e débitos existentes até a data do acidente com firma reconhecida por autenticidade; X. Em caso de dúvida fundada e justificável, fica facultada à ASSOCIAÇÃO a solicitação de documentos complementares.

Parágrafo Primeiro: Caso o veículo seja financiado ou arrendado deve ainda ser providenciada: I. Liberação de financeira ou Termo de Libertação do Bem (originais), com firma reconhecida das assinaturas, quando se tratar, respectivamente, de veículo financiado ou

(11)

arrendado;

II. Comprovante do último pagamento do serviço.

Parágrafo Segundo: Nos casos de extravio do DUT/recibo o Associado deverá fazer um boletim de ocorrência com tal informação e ainda repassar uma procuração pública dando plenos poderes à ASSOCIAÇÃO para futuras ações, além de cobrir taxas de expediente oriundas do processo.

Art.19º - Nos casos de roubo/furto, em que houver a recuperação do veículo, a Associação efetuará os reparos necessários exceto os relativos a seus acessórios e avarias pré-existentes constantes na inspeção prévia do veículo.

Parágrafo Primeiro - Nos casos de roubo/furto, em que houver a recuperação do veículo e o mesmo for caracterizado ressarcimento integral, o prazo para pagamento será de 60 (sessenta) dias úteis a contar da data de recebimento (protocolizados) de todos os documentos exigidos pela CONECTA no presente regulamento.

Parágrafo Segundo - Nos casos de roubo/furto, em que houver a recuperação do veículo e o mesmo for caracterizado com danos reparáveis, serão adotadas as regras dispostas no Capítulo VI deste regulamento.

Parágrafo Terceiro - O ressarcimento integral não inclui acessórios e limita-se ao valor previsto na tabela FIPE da data do Aviso de Acionamento ou valor de mercado da data da aprovação técnica do evento.

Parágrafo Quarto - Haverá pagamento de ressarcimento integral, quando o valor estimado para reparação do bem atingir ou ultrapassar 75% (setenta e cinco por cento) do valor do veículo, na data do aviso do acidente ou por decisão da Diretoria Executiva. O pagamento do benefício, em transferência bancária ou cheque, será feito pelo valor do veículo, conforme tabela FIPE ou valor de mercado da data da aprovação técnica do evento.

CAPÍTULO VIII - RESSARCIMENTO INTEGRAL

Art. 20º - Para ressarcimento integral de veículos cadastrados no PAAM, em casos de roubo ou furto (sem recuperação) ou dano irreparável citado por este regulamento, a ASSOCIAÇÃO terá o prazo de até 60 (sessenta) dias úteis para ressarcimento integral contados a partir da entrega de todos os documentos solicitados pela Associação ao Associado e finalizado o processo de análise cadastral e técnica.

Art.21º - Caso o veículo seja alienado (leasing, CDC ou outros) ou financiado, o pagamento do benefício ocorrerá da seguinte forma:

a) Alienação Fiduciária / Arrendamento Mercantil (leasing): O pagamento somente será efetuado ao Associado mediante a liquidação do financiamento. A ASSOCIAÇÃO poderá pagar o saldo devedor diretamente à financeira, desde que o saldo seja igual ou inferior ao

(12)

valor do ressarcimento e a diferença pecuniária caso exista, será devida ao Associado; b) Em caso do valor do saldo devedor ser superior ao valor do veículo na tabela FIPE do dia da abertura do evento, o Associado deverá quitar a diferença antecipadamente ao ressarcimento.

c) Quando o saldo devedor for superior ao valor do veículo na tabela FIPE do dia do comunicado do evento e se o Associado não realizar o pagamento da parte que lhe couber junto à financeira, a ASSOCIAÇÃO poderá suspender o pagamento da parte que cabe a ela, até que o Associado faça a quitação da diferença junto à instituição bancária.

Parágrafo Primeiro – Na existência de impedimento judicial ou qualquer outro impedimento no veículo, o direito ao recebimento ao ressarcimento será suspenso até que seja resolvida de fato a pendência. Neste caso a ASSOCIAÇÃO fica isenta de qualquer responsabilidade relativa ao fato pelo qual não deu causa, ficando isenta de quaisquer penalidades, correções e/ou juros de eventual mora.

Parágrafo Segundo – No caso de Associado que adquiriu o veículo com isenção de impostos e/ou taxas, o ressarcimento integral por roubo ou furto, será deduzido do percentual recebido quando da aquisição do veículo.

Parágrafo Terceiro – Veículos advindos de Leilão e/ou Recuperados, veículos com chassi remarcado e veículos cujo valor de mercado é diferenciado em razão da utilização do veículo, terão o deságio de 30% (trinta por cento) sobre o valor da tabela FIPE e/ou preço de mercado.

Art.22º - O valor de ressarcimento de veículos 0 km (zero quilometro) respeitará o valor de Nota Fiscal, caso o evento tenha ocorrido no prazo máximo de 90 (noventa) dias a partir da data de emissão da nota fiscal de aquisição do veículo e se tratar do primeiro evento no PAAM.

Art.23º - Em caso usufruto por parte do associado de benefício de reparação de danos causados ao veículo, deverá permanecer por um período mínimo de mais 06 (seis) meses contados da data do recebimento da reparação. O associado que receber da ASSOCIAÇÃO valor referente à Ressarcimento integral (destruição integral, incêndio, furto ou roubo) é obrigado a permanecer no PAAM por um período mínimo de 06 (seis) meses contados a partir do pagamento da indenização.

Art.24º – Havendo pagamento de benefício de ressarcimento integral a um Associado, será descontado valor de 06 (seis) vezes o último boleto no valor do ressarcimento caso do Associado não efetue a troca do veículo relacionado ao evento por outro até a data de pagamento do ressarcimento.

Art.25º - A CONECTA não se responsabiliza por qualquer depreciação sofrida no veículo protegido após a adesão, em especial em relação à informação lançada no CRLV e no CRV, conforme determina a RESOLUÇÃO Nº 544, DE 19 DE AGOSTO DE 2015 expedidas pela

(13)

CONTRAN. Esta é derivada única e exclusivamente de acidentes de trânsito, não tendo a CONECTA qualquer vínculo ou responsabilidade quanto ao lançamento realizado e a consequente depreciação do veículo. Desta forma, caso ocorra alguma depreciação no veículo protegido em face do lançamento da informação do dano no CRLV e CRV, não caberá a CONECTA qualquer responsabilidade para com a depreciação, visto se tratar de imposição legal cuja responsabilidade é tão somente vinculada ao proprietário do veículo.

Art. 26º - Em caso de ressarcimento integral, a CONECTA poderá fazê-lo de uma só vez ou parcelado, de acordo com as condições econômicas da Associação e mediante decisão fundamentada da Diretoria Executiva. Poderá ainda realizar o ressarcimento ao associado através da substituição do veículo por outro equivalente, a critério da Diretoria Executiva.

CAPÍTULO IX – PARTICIPAÇÃO DO ASSOCIADO EM CASO DE ACIONAMENTO DO PAAM

Art. 27º - Em qualquer hipótese de uso dos benefícios do PAAM, o associado responsável pelo veículo danificado participará dos custos decorrentes conforme cláusulas abaixo:

I. Veículos de uso particular: Com a importância de 4% (quatro por cento) do valor

de seu veículo (tabela FIPE), não podendo este ser inferior a R$ 900,00 (novecentos reais) em veículos no valor até R$ 15.000,00 e não podendo este ser inferior a R$ 1.000,00 (um mil reais) em veículos no valor de R$ 20.000,01 até R$ 25.000,00.

II. Veículos de passeio de uso Comercial, Aluguel, Transporte Privado (aplicativos), Táxi ou Fretamento: Com a importância de 5% (cinco por cento) do valor de seu veículo

(tabela FIPE), não podendo este ser inferior a R$ 1.500,00 (hum mil e quinhentos reais). III. Veículos a Diesel e Caminhonetes (Gasolina ou Diesel): Com a importância de 5% (cinco por cento) do valor do veículo (tabela FIPE), não podendo este ser inferior à R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais).

IV. Motocicletas: R$ 600,00 (seiscentos reais) para motocicletas no valor até R$ 5.000,00. R$ 700,00 (setecentos reais) para motocicletas no valor de R$ 5.000,01 até R$ 7.000,00. R$ 800,00 (oitocentos reais) para motocicletas no valor de R$ 7.000,01 até R$ 10.000,00. R$ 1.200,00 (um mil reais) para motocicletas no valor de R$ 10.000,01 até R$ 16.000,00.

V. Grupo Especial: Com a importância de 6% (seis por cento) do valor de seu veículo

(tabela FIPE), não podendo este ser inferior a R$ 1.800,00 (hum mil e oitocentos reais). Parágrafo Único - Os valores aqui dispostos deverão ser pagos no ato da autorização dos reparos para a oficina conveniada ou diretamente à Associação. Os reparos somente serão iniciados mediante a quitação da participação do associado. No caso de ressarcimento integral, o valor poderá ser descontado quando do ressarcimento.

(14)

meses é obrigatório ao Associado o pagamento de valor dobrado da participação ao evento. No caso de terceiro acionamento dentro do período de 1 (um) ano, o valor será triplicado, e assim por diante. Neste caso, o associado, poderá, ainda, ser excluído do quadro associativo caso represente grave prejuízo para os demais associados sua permanência no quadro associativo.

Parágrafo Primeiro- Será cobrada participação do associado no custo do evento em casos de roubo/furto e em danos em que não houver a recuperação do veículo.

Art.29º - Para os serviços adicionais (Troca de Vidros, rodas e assessórios, Carro Reserva) poderá haver a cobrança de participação do associado de acordo com as normas atinentes ao beneficio adicional constante no regulamento da Assistência 24 Horas.

CAPÍTULO X – PROCEDIMENTOS E CONDIÇÕES GERAIS

Art.30º - O Associado deverá, preferencialmente, utilizar as oficinas e demais fornecedores e ou prestadores de serviços conveniados à CONECTA.

Parágrafo Primeiro: Caso o Associado opte por fazer reparação do seu veículo em oficina não conveniada pela CONECTA, o associado automaticamente se responsabilizará pela qualidade, prazo e demais aspectos do reparo do veículo cadastrado no PAAM, isentando a ASSOCIAÇÃO de qualquer responsabilidade.

Parágrafo Segundo: Caso o Associado opte por oficina não conveniada pela CONECTA e não houver acordo com a ASSOCIAÇÃO em relação ao custo dos reparos a serem feitos, a ASSOCIAÇÃO poderá solicitar a troca de oficina ou pagar somente o valor apurado pela análise técnica feita pela Associação. Nesse caso também, será deduzida a participação do associado correspondente e o valor de avarias preexistentes no veículo, ficando a ASSOCIAÇÃO isenta de qualquer responsabilidade pela qualidade dos serviços.

Parágrafo Terceiro: Nas hipóteses previstas nos parágrafos primeiro e segundo acima, o pagamento pelos serviços prestados serão efetuados, exclusivamente, por meio de apresentação de Nota Fiscal emitida pela oficina escolhida pelo Associado e no valor apurado em análise feita pela Associação

Parágrafo Quarto: Caso seja necessária a substituição de peças ou partes do veículo e tais peças ou partes não possam ser adquiridas no mercado brasileiro, a ASSOCIAÇÃO assumirá a responsabilidade de tão somente pagar o custo das peças ou das partes similares existentes no mercado brasileiro. E neste caso, a ASSOCIAÇÃO não se responsabilizará pela indisponibilidade de peças ou partes do veículo inserido no PAAM, seja pela simples falta no mercado ou pela opção do fabricante de não mais produzi-la(s).

Parágrafo Quinto: A reparação dos danos citada no item anterior será feita obrigatoriamente com a reposição de peças originais dentro do período da garantia de fábrica do veículo 0km, limitada a 12 meses, sendo que no caso de veículos fora da garantia poderá ser feita

(15)

a substituição das peças danificadas pelas similares produzidas no mercado paralelo ou usadas, desde que não comprometam a segurança e a utilização do veículo.

Parágrafo Sexto: Não é obrigatório que os reparos sejam realizados em concessionários autorizados da marca do veículo, devendo a CONECTA encaminhar o veículo para reparos em oficinas previamente conveniadas que reúnam condições de realizar um serviço de qualidade.

Parágrafo Sétimo: Caso seja afetada uma única peça ou parte de um conjunto a ASSOCIAÇÃO somente será responsável pela peça ou parte diretamente afetada pelo dano causado pelo evento (nexo causal).

Parágrafo Oitavo - Serão incluídos nos benefícios os acessórios atingidos nos eventos danosos, somente se presentes no veículo ao momento da inspeção inicial, e desde que originais de fábrica e constantes na nota fiscal de compra do veículo (a cláusula se aplica aos equipamentos de som, rodas e pneus, kit gás, kit multimídia, DVD, e acessórios em geral). Os mesmos não serão ressarcidos caso sejam atingidos isoladamente nos eventos

danosos (casos de danos exclusivos ou furto somente dos acessórios).

Parágrafo Nono - Será permitida a transferência de titularidade de um veículo cadastrado no PAAM, desde que o adquirente seja associado e se filie ao programa. Caso o proponente não seja associado, deverá propor sua admissão ao quadro de associados da CONECTA. Este procedimento estará condicionado ao pagamento de uma nova taxa de adesão e estará condicionado à aprovação expressa da diretoria da CONECTA.

Parágrafo Décimo - Será permitida a substituição de um veículo cadastrado no PAAM. Este procedimento está condicionado a uma nova inspeção do veículo e ao pagamento de uma nova taxa de adesão, e o veículo deve estar dentro dos critérios de aceitação do PAAM. Este procedimento estará condicionado à aprovação expressa da diretoria da CONECTA.

Parágrafo Décimo Primeiro - A CONECTA tem o direito de solicitar exames laboratoriais ou ficha de atendimento médico em caso de suspeita de embriaguez. Caso o associado se negue a disponibilizar tais documentos perderá o direito ao PAAM.

CAPÍTULO XI –MONITORAMENTO

Art.31º - A ASSOCIAÇÃO reserva-se o direito de condicionar o cadastramento de determinados veículos à instalação de equipamentos rastreadores por empresas conveniadas da ASSOCIAÇÃO, sendo que o custo do serviço de instalação do equipamento, monitoramento e comodato deverão ser pagos pelo Associado ao prestador diretamente ou através da associação, ficando esta escolha a critério da Diretoria Executiva da CONECTA.

(16)

Parágrafo Primeiro - Para veículos cadastrados, com valores entre R$20.001,00 a R$40.000,00, poderá ser exigido o SISTEMA DE IDENTIFICAÇÃO DE PEÇAS ou SISTEMA DE RASTREAMENTO, a fim de coibir a ocorrência de furto/roubo dos mesmos, conforme determinação da diretoria, sob pena de não poder usufruir dos benefícios de ressarcimento integral em caso de furto e roubo na inobservância da obrigatoriedade.

Parágrafo Segundo - Para veículos cadastrados com valor superior a R$40.000,00 (quarenta mil reais) será obrigatória a instalação de equipamentos rastreadores, localizadores ou bloqueadores pré-determinados, com vista a aumentar a possibilidade de recuperação destes veículos sob pena sob pena de não poder usufruir dos benefícios de ressarcimento integral em caso de furto e roubo na inobservância da obrigatoriedade.

Parágrafo Terceiro – Será obrigatória a instalação de equipamento rastreador para todas as caminhonetes e motocicletas indicadas pela Diretoria Executiva da CONECTA, sob pena de não poder usufruir dos benefícios de ressarcimento integral em caso de furto e roubo na inobservância da obrigatoriedade.

Art.32º - A ASSOCIAÇÃO oferecerá a seus Associados, nos casos em que entender necessário, monitoramento através de empresas contratadas, conforme regulamento da mesma disponível em seu site ou em sua sede. A Associação, contudo, não garante a eficiência e confiabilidade dos serviços prestados por tais empresas.

Art.33º - No caso de inadimplência, por parte do Associado, o serviço de monitoramento do veículo poderá ser imediatamente suspenso, não cabendo obrigação e/ou responsabilidade da empresa contratada em fornecer dados de localização do mesmo. Neste caso, a ASSOCIAÇÃO estará isenta da responsabilidade de ressarcimento de furto/roubo caso o veículo não seja localizado.

Parágrafo Primeiro - Na instalação do equipamento rastreador (em regime de comodato), o Associado se tornará fiel depositário do mesmo, e na hipótese de cancelar o PAAM deverá promover com a devolução do equipamento no prazo improrrogável de 07 (sete) dias, sob pena de ser obrigado ao pagamento do valor do equipamento que corresponde o mínimo de R$ 480,00 (quatrocentos e oitenta reais).

Parágrafo Segundo - Uma vez o equipamento instalado no veículo, o Associado que retirá-lo sem prévia autorização da ASSOCIAÇÃO, terá automaticamente o seu benefício contra furto/ roubo suspensa ou cancelada, além de ser obrigado a arcar com as penalidades previstas no contrato entre a ASSOCIAÇÃO e o fornecedor do equipamento.

Parágrafo Terceiro - No caso de obrigatoriedade de instalação do equipamento rastreador, o ressarcimento do Programa de Amparo e Assistência Mútua somente passará a vigorar após a instalação do mesmo por fornecedor conveniado da ASSOCIAÇÃO.

(17)

CAPÍTULO XII – DA SUSPENSÃO, CANCELAMENTO E PRAZOS DO PAAM

Art. 34º - Caso o associado tenha o interesse em deixar o quadro associativo e/ou promover com o cancelamento do Programa de Amparo e Assistência Mútua, deverá dirigir-se a sede da ASSOCIAÇÃO e preencher requerimento de cancelamento do PAAM e desligamento da associação mediante protocolo, com antecedência mínima de 30 (trinta) dias.

Art. 35º - A inadimplência superior a 30 (trinta) dias ocasionará o cancelamento automático do cadastro do veículo no PAAM, independentemente de interpelação judicial ou extrajudicial por parte da ASSOCIAÇÃO.

Parágrafo Primeiro – O pedido de desligamento deverá ser realizado até o 15º dia do mês (data do fechamento e rateio) dos boletos com vencimento dia 10 do mês, para que não haja responsabilidade de pagamento do boleto do próximo mês, visto que caso se ultrapasse esta data, o associado é incluído no fechamento e rateio do mês corrente. Não existe cobrança pro-rata.

Parágrafo Segundo – Mesmo havendo o cancelamento, permanece o Associado responsável pelo pagamento dos valores que por ventura forem devidos em razão de rateios anteriores à data da efetivação do cancelamento, bem como permanecerá responsável pela devolução/ retirada do equipamento rastreador.

Parágrafo Único - Após o cancelamento do Programa de Amparo e Assistência Mútua por inadimplência, caso o Associado tenha interesse em cadastrar novamente o mesmo veículo deverá realizar todo o procedimento de adesão, incluindo a realização de inspeção, bem como a quitação de eventuais débitos pendentes com a associação.

CAPÍTULO XIII – OS BENEFÍCIOS DO PAAM NÃO SE APLICAM AOS SEGUINTES EVENTOS

I. Danos ocorridos no veículo cadastrado decorrentes da inobservância das leis em vigor;

II. Desgaste natural decorrente de uso, defeito de fabricação, defeitos mecânicos, elétricos, corrosão, ferrugem, umidade e chuva, bem como qualquer depreciação, perdas ou danos originados por falta de manutenção, defeitos de fabricação e/ou de projeto, e/ou falhas na execução de serviços prestados por oficina;

III. Quaisquer atos de hostilidade ou guerra, tumultos, motins, comoção civil, sabotagem e vandalismo;

IV. Poluição ou contaminação do meio ambiente e/ou despesas para sua contenção, causados pelo veículo Associado ou por veículo do terceiro envolvido em acidente e/ou pelas cargas que transportavam. Incluem-se, ainda, danos por poluição e/ou contaminação ocorridos durante operações de carga e descarga;

(18)

V. Radiação de qualquer tipo;

VI. Furacões, ciclones, terremotos erupções vulcânicas e outras convulsões da natureza;

VII. Atos de autoridade pública para evitar propagação de danos;

VIII. Negligência do Associado, terceiro, arrendatário ou cessionário na utilização do veículo, bem como na adoção de todos os meios razoáveis para salvá-los e preservá-los durante ou após a ocorrência de qualquer acidente;

IX. Acidentes ocasionados pela inobservância de disposições legais como dirigir sem possuir carteira de habilitação ou estar com a mesma suspensa, ou ainda, não ter habilitação adequada, conforme a categoria do veículo;

X. Utilizar, inadequadamente, o veículo com relação à lotação de passageiros, dimensão, peso e acondicionamento de carga transportada;

XI. Condução do veículo e/ou atos praticados em estado de insanidade mental e/ ou sob efeito de bebidas alcoólicas e/ou substâncias tóxicas. Também não usufruirão dos benefícios para o associado que se envolver em acidentes, e estando sob suspeita de embriaguez, e se recuse a realizar exames de etilômetro ou de sangue;

XII. Quando o veículo cadastrado no PAAM estiver sendo conduzido/utilizado por pessoa que esteja sob ação/efeito de álcool, drogas ou entorpecentes, quando da ocorrência do acidente. Essa hipótese aplica-se a qualquer situação e abrange não só os atos praticados diretamente pelo Associado, mas também os praticados por qualquer pessoa que estiver conduzindo o veículo, com ou sem o consentimento do Associado;

XIII. Atos reconhecidamente perigosos que não sejam motivados por necessidade justificada;

XIV. Lucros cessantes, Danos emergentes e danos morais de qualquer natureza; XV. Trânsito por trilhas, estradas ou caminhos impedidos, não abertos ao tráfego, ou de areias fofas ou movediças, bem como por praias e regiões ribeirinhas, ainda que um órgão competente tenha autorizado, ou não, o tráfego nestes locais;

XVI. Danos causados à carga transportada. Danos sofridos por pessoas transportadas em locais não especificamente destinados e apropriados tal fim;

XVII. Perdas ou danos ocorridos, durante a participação do veículo em competições, apostas, provas de velocidade, inclusive treinos preparatórios;

XVIII. Despesas e/ou danos, direta ou indiretamente decorrentes da paralisação do veículo do Associado, Danos a assessórios e/ou equipamentos, exceto os de fábrica; XIX. Dano moral de qualquer espécie para integrantes do programa, terceiros e ocupantes de quaisquer dos veículos envolvidos no evento.

(19)

a ações e processos criminais;

XXI. Avarias apontadas na inspeção do veículo;

XXII. Inversão de culpa pelo Associado em acidentes com terceiros;

XXIII. Avarias não relacionadas ao evento (nexo causal), bem como despesas que não sejam estritamente necessárias para o reparo do veículo e para seu retorno às condições de uso;

XXIV. Danos decorrentes de atos ilícitos cometidos pelo Associado, seus dependentes, representantes ou prepostos;

XXV. Reparos efetuados no veículo, mesmo que decorrentes de danos amparados pelo Programa, sem autorização prévia e formal da CONECTA;

XXVI. Danos causados devido à inobservância das leis em vigor e/ou infrações de trânsito previstas no Código Nacional de Trânsito;

XXVII. Danos causados a qualquer tipo de cargas transportadas;

XXVIII. Quaisquer danos, alterações e/ou descaracterização do veículo, (guidão menor/ insulfilm no pára-brisa/veículos rebaixados e demais modificações que agravam o risco de acidentes) entre outros ocorridos após a inspeção prévia dos mesmos;

XXIX. Roubo, furto ou danos materiais cometidos na condução do veículo pelo associado ou por/ou sócios, cônjuges, ascendentes ou descendentes do Associado ou empresa associada ao Associado.

XXX. Destruição, requisição ou apreensão por autoridade de fato ou de direito, civil ou militar;

XXXI. Perturbações de ordem pública, tais como: tumultos, desentendimentos/brigas no trânsito, motins, greve de empregados e paralisação de atividade provocada por terceiros; XXXII. Submersão total ou parcial em água salgada;

XXXIII. Reboque ou transporte do veículo do Associado por veículo não apropriado a esse fim;

XXXIV. Queda, deslizamento ou vazamento, sobre o veículo, da carga e/ou dos objetos por ele transportados;

XXXV. Roubo, furto ou danos materiais praticados com dolo ou ato culposo grave equiparado a dolo, cometidos por pessoas que dependam do Associado e/ou do condutor, por seus sócios, cônjuge, ascendentes e/ou descendentes por consanguinidade, afinidade, adoção, bem como por parentes e/ou pessoas que residam com o Associado e/ou com o condutor e/ou dependam deles economicamente;

XXXVI. DANOS MORAIS e ESTÉTICOS, nos casos em que o Associado ou condutor do veículo cadastrado no PAAM, mesmo que o Associado seja obrigado a indenizar por tais danos em face de reclamações extrajudiciais, acordos ou por sentença definitiva proferida em ação judicial;

(20)

XXXVII. Deixar de comunicar imediatamente a ASSOCIAÇÃO da ocorrência de eventos e danos especialmente se tal omissão seja injustificada e tenha impossibilitado a ASSOCIAÇÃO de evitar ou atenuar as consequências do evento;

XXXVIII. Agravar intencionalmente o risco ao qual o bem cadastrado no PAAM está exposto; XXXIX. Quando o veículo cadastrado no PAAM for objeto de estelionato;

XL. Danos ocorridos com o veículo fora do território nacional; XLI. Negligência do associado.

XLII. Expor o veículo a atos imprudentes ou riscos desnecessários;

Art.36º - Tornar-se-á sem efeito os benefícios do Programa de Amparo e Assistência Mútua quando ocorrer:

I. O não pagamento da mensalidade dentro dos prazos previamente ajustados e estabelecidos neste regulamento;

II. Não cumprimento de qualquer regra estabelecida neste regulamento;

III. Falta de comunicação dentro do prazo legal, do evento ocorrido, ao atendimento de Eventos da ASSOCIAÇÃO em casos de acidente, furto/roubo;

IV. Falta de lavratura do Boletim de Ocorrência junto à competente Autoridade de Trânsito, no prazo de 24 h (vinte e quatro horas) da ocorrência de danos;

V. Omissão ou inexatidão das informações passadas à ASSOCIAÇÃO ou a seus serviços conveniados;

VI. Informações fraudulentas; VII. Fraudes e/ou atos contrários à lei;

VIII. Veículos que não são licenciados para trânsito no país;

CAPÍTULO XIV - DISPOSIÇÕES FINAIS

Art. 37º - É dever do Associado:

I. Manter seus dados atualizados;

II. Comunicar a alteração na forma de utilização do veículo;

III. Pagar o boleto em dia, sob pena de suspensão imediata ou cancelamento definitivo do PAAM;

IV. Manter o veículo em bom estado de conservação e em condições de segurança para o tráfego;

V. Submeter o veículo à inspeção, anualmente e/ou quando solicitado pela ASSOCIAÇÃO;

VI. Em casos de substituição de veículo ou transferência de titularidade do veículo protegido, o Associado deverá formalizar o procedimento junto à ASSOCIAÇÃO e proceder à nova inspeção;

(21)

VII. Comunicar formalmente e imediatamente à ASSOCIAÇÃO quando houver mudança nos seus dados cadastrais (endereço de e-mail e residencial e/ou comercial, telefone de contato, entre outros), alteração na utilização do veículo, alteração das características do veículo, reparos de defeitos apurados em inspeção do veículo, bem como quaisquer outras mudanças relativas ao veículo;

VIII. Dar conhecimento imediato à ASSOCIAÇÃO de qualquer citação, reclamação ou intimação relativa a qualquer evento com o veículo;

IX. Com o recebimento de ressarcimento integral, caberá ao associado sub-rogar à ASSOCIAÇÃO, até o limite do valor ressarcido, em todos os direitos e ações do Associado contra aquele que por ato, fato ou omissão tenha causado os prejuízos ou para eles contribuído.

X. Em caso de reparo das avarias preexistentes anteriores à inspeção inicial, o associado deverá solicitar nova inspeção, contraindo o ônus de pagamento de todas as despesas referentes à nova inspeção.

Parágrafo Único - Serão consideradas válidas todas as comunicações encaminhadas para o endereço eletrônico, telefone celular, ou endereço físico constante do presente termo, incluindo, mas não se limitando a: SMS; telegramas; cartas e e-mails, sendo de responsabilidade do integrante manter seus dados pessoais atualizados junto à CONECTA. Art.38º - Para situações de furto e roubo com veículos localizados:

I. Localizado o veículo, será o Associado imediatamente comunicado para que tome as providências necessárias, ficando o veículo sob sua responsabilidade assim como suspenso o direito a qualquer reembolso, a partir do momento da comunicação;

II. Recuperado o veículo após o ressarcimento integral, a ASSOCIAÇÃO utilizará da procuração/autorização e/ou documento de transferência entregue à associação quando da análise do evento, com vistas a providenciar transferência de titularidade do bem e sua eventual liberação junto aos órgãos competentes, tendo, a ASSOCIAÇÃO, todos os direitos sobre o veículo.

III. Recuperado o veículo após o ressarcimento integral estes poderão ser alienados independente da realização de assembléia e seus rendimentos serão revertidos em favor da associação, podendo inclusive ser destinado ao pagamento do rateio mensal dos prejuízos do grupo de associados que aderirem ao Programa de Amparo e Assistência Mútua. IV. É dever do Associado providenciar a transferência do veículo/bem recuperado para a titularidade da ASSOCIAÇÃO ou de quem ela indicar, livre e desembaraçado de quaisquer ônus;

V. Caso o Associado tenha sido ressarcido, o bem ou o valor obtido com a venda deste será inteiramente da ASSOCIAÇÃO;

(22)

Art.39º - A ASSOCIAÇÃO poderá a qualquer momento decidir pela exclusão de qualquer Associado de seu quadro associativo, bem como ao descadastramento de veículos de seus associados do Programa de Amparo e Assistência Mútua, em decorrência de estudo ou parecer técnico que tenha identificado riscos e ou fatores determinantes que possam comprometer a sustentabilidade econômica e financeira da associação e/ou do Programa de Amparo e Assistência Mútua.

Parágrafo Único - Sempre que a ASSOCIAÇÃO decidir pela exclusão de associado, tal fato deverá ser formalmente comunicado ao respectivo Associado por meio de envio de Carta com Aviso de Recebimento e sempre garantindo a ampla defesa e devido processo legal ao Associado.

Art.40º - O presente regulamento entra em vigor a partir do dia 20 de junho do ano de 2017, sendo obrigatório seu cumprimento por parte de todos os Associados que aderiram ao Programa de Amparo e Assistência Mútua.

Art.41º - O presente regulamento poderá ser alterado na forma do Estatuto Social desta entidade, por meio de Assembléia Extraordinária, estando a versão atual sempre disponível na sede e no site da ASSOCIAÇÃO.

Parágrafo Único - É de plena responsabilidade do Associado manter-se informado sobre todas as comunicações encaminhadas pela ASSOCIAÇÃO sobre alteração do regulamento e demais normas atinentes a relação associativa aqui prevista.

Art.42° - Os casos omissos a este regulamento serão resolvidos na forma da Lei vigente sobre a matéria.

Art.43º - Fica eleito a comarca onde estiver localizada a sede da CONECTA para dirimir quaisquer dúvidas que surgirem relativas ao PAAM, afastando quaisquer outros foros por mais privilegiados que sejam

Art.44º - O associado declara ter lido este regulamento e ter pleno conhecimento de todas as normas contidas no nele e no estatuto social da CONECTA, e que aceitam todas as condições estabelecidas neste documento para aderirem ao Programa.

(23)
(24)

Imagem

Referências

temas relacionados :