LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

Texto

(1)

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS EXATAS CURSOS:

ENGENHARIA CIVIL, MECÂNICA E PRODUÇÃO

LABORATÓRIO

DE

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

Título da Experiência:

Controles especiais

Prof. Oswaldo Tadami Arimura

(2)

OBJETIVOS:

- Identificar as principais características de uma instalação elétrica;

- Analisar os principais efeitos fisiológicos da corrente elétrica;

- Conscientizar sobre o manuseio correto e seguro dos equipamentos e medidores elétricos.

INTRODUÇÃO TEÓRICA:

Alguns componentes utilizados a instalação residencial possuem a finalidade de controlar o acionamento das lâmpadas, a luminosidade, o acionamento e velocidade do ventilador de forma manual ou automática. A forma programada com circuitos eletrônicos, controlam o acionamento de uma carga consumidora. Esses acionamentos podem ser através de um botão ou pela percepção de um sensor.

Esses componentes também podem ser utilizados em outras aplicações como sistema de alarme residencial, comercial, em maquinas produtivas industriais, controle de produção, etc.

5. Botão de campainha

Também conhecido como botão Normalmente Aberto (NA) ou Pulsador. Quando acionado fecha os contatos e posteriormente retorna a condição de contato aberto através de um sistema de mola. O circuito elétrico é análogo ao de um interruptor simples, ou seja, o condutor fase é interrompido pelo botão, o qual liga a cigarra através do um condutor retorno. Normalmente, os fabricantes de campainha apresentam o circuito elétrico para sua instalação, na embalagem do produto.

5.1 Esquema Eletrico

(3)

Figura: Esquema elétrico do botão de campainha.

O botão de Campainha é instalado normalmente na frente da residência e a cigarra num cômodo no interior da casa. Neste caso, não existe a necessidade de apresentarmos a representação das tubulações e a representação unifilar na planta civil.

1. Dimmer

O dimmer que basicamente é composto por um resistor variável. Sua finalidade é provocar uma queda de tensão para subtrai-la da carga principal. Assim, a tensão pode ser diminuída fazendo variar a luminosidade e a velocidade nos ventiladores, como mostra o esquema elétrico abaixo.

Existem varios tipos e modelos de Dimmer no mecado, entretanto eles são limitados pela corrente do ponto de luz a ser controlado; pois são dispositivos utilizados para variar a intensidade de uma corrente elétrica média em uma carga.

1.1 Esquema Elétrico

(4)

Figura: Esquema elétrico do dimmer.

Esse tipo de controle não pode ser utilizado com as lâmpadas fluorescentes tubular ou compacta, pois elas dependem de equipamentos auxiliares e uma tensão superior para sua partida.

2. Minuteria

A minuteria aciona a lâmpada e desliga automaticamente após alguns segundos. Alguns fabricantes mantem esse tempo fixo em torno de 1 minuto, outros permitem a regulagem do tempo. Esse tipo de equipamento garante que a lâmpada sempre será desligada, o que em muitos casos economiza energia elétrica.

Assim, a minuteria é ideal para iluminação temporizada de escadarias, hall, corredores, garagens ou para qualquer ambiente que não necessita de iluminação continua.

Como a minuteria pode ser acionada por vários pulsadores, desta forma, ela pode controlar a lâmpada de vários pontos diferentes, realizando a mesma operação dos interruptores paralelos e intermediários.

Assim, as principais vantagens são:

- Aciona quando desejado e desliga automaticamente;

(5)

2.1 Esquema Elétrico

Os esquemas elétricos de montagem da Minuteria varia de fabricante para fabricante. Normalmente esses esquemas vem impresso no corpo da própria minuteria ou num folheta dentro da embagem.

Figura: Esquema de ligação de uma minuteria

Alguns modelos encontrado no mercado utilizam apenas dois condutores, dessa maneira, sua instalação é a mesma de um interruptor simples.

Obs.: é importante observar a potencia que cada minuteria suporta nas tensões 127 e 220V.

3. Sensor de presença

Essse dispositivo aciona automaticamente a lâmpada quando há movimento no ambiente como pessoas, carros, etc. e, desliga automaticamente na ausência de movimento. Assim como a minuteria é ideal para iluminação temporizada de escadarias, hall, corredores, garagens ou para qualquer ambiente que não necessita de iluminação continua.

3.1 Sensor de Ultra-som e Infravermelho

(6)

Os sensores de Ultra-som detectam a presença através de ondas sonoras de ultra-som, sendo ideais para ambientes fechados e proporciona um acendimento rápido das lâmpadas.

Figura: Esquema de ligação de um sensor de presença

4. Sensor Foto-célula

Um sensor de Foto-Célula possui um elemento eletrônico para o controle de incidência de luz denominado de LDR( Light Dependent Resistor). É um tipo de resistor

cuja resistência varia conforme a intensidade de radiação eletromagnética do espectro visível que incide sobre ele.

Podemos afirmar que o LDR é um transdutor de entrada que converte a luz em valores de resistência. É feito de sulfeto de cádmio (CdS) ou seleneto de cádmio (CdSe). Sua resistência diminui quando a luz é muito alta, e quando a luz é baixa, a resistência no LDR aumenta.

• Escuridão (10 Lux): resistência máxima, geralmente acima de 1M ohms.

• Luz muito brilhante (1000 Lux): resistência mínima,aproximadamente 100 ohms.

O LDR é muito frequentemente utilizado nas chamadas fotocélulas que controlam o acendimento de poste de iluminação, hall de entrada, fachadas, jardim, garagem, etc. O

circuito eletrônico de controle de “liga-desliga” é através de um relê que comuta uma carga,

por exemplo, uma lâmpada, sendo controlado por um LDR.

(7)

MATERIAL UTILIZADO:

- Disjuntor tripolar – termomagnético;

- Interruptor DR;

- Minuteria;

- Dimmer;

- Interruptor simples;

- Sensor de presença;

- Multímetro digital;

- Botão de campainha;

- Cigarra;

- Fios e cabos de ligação

PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL:

1. Alimente a entrada do disjuntor Monopolar com a fase R a partir do Borne de entrada do Quadro de Proteção e ligue a saída na entrada L do Interruptor DR. Ligue o Neutro do QP na entrada N do Interruptor DR. (mantenha os dispositivos desligados);

2. Ligue os dispositivos e meça a tensão entre a saída do DR (Multímetro na escala de

(8)

3. Ligue a saida L do DR na entrada do interruptor; a saida do interruptor na entrada L1 da lampada; a saida L2 da lampada no Neutro do DR. Teste o circuito.

4. No circuito anterior substitua o Interrutor Simples pelo Dimmer. Desconecte o fio da entrada e saida do interruptor e conecte na entrada e saida do Dimmer.Teste o circuito.

(9)

6. Ligue o fio Vermelho do Sensor de Presença na saida L(fase)do DR ; o fio preto na entrada L2 da lampada; o fio azul e a saida L1 da lampada na saida N do interruptor DR.Teste o circuito.

Imagem

Referências