• Nenhum resultado encontrado

ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DOM ORLANDO DOTTI RUA IRMÃO TOMAZ 293 BAIRRO BOM JESUS CAÇADOR SANTA CATARINA CEP CÓDIGO DO INEP:

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DOM ORLANDO DOTTI RUA IRMÃO TOMAZ 293 BAIRRO BOM JESUS CAÇADOR SANTA CATARINA CEP CÓDIGO DO INEP:"

Copied!
10
0
0

Texto

(1)

ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DOM ORLANDO DOTTI

RUA IRMÃO TOMAZ 293 – BAIRRO BOM JESUS

CAÇADOR – SANTA CATARINA – CEP 89504670

CÓDIGO DO INEP: 42072379

PLANO DE ENSINO UNIFICADO – 2021

CURSO: ENSINO MÉDIO – NOVO ENSINO MÉDIO (PREPARATÓRIO)

Os eixos que compõem os Componentes Curriculares Eletivos do Novo Ensino Médio (NEM) são voltados para habilidades variadas e

estrutura-dos por diferentes focos pedagógicos, dividindo-se em: investigação científica, mediação e intervenção sociocultural, processos criativos e

empre-endedorismo.

ÁREA DE CONHECIMENTO: CIÊNCIA DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS COMPONENTE: QUÍMICA

1. DEZ COMPETÊNCIAS ESPERADAS DE ACORDO COM LDB, BNCC e PCSC

1ª- Conhecimento: Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.

2ª- Pensamento Crítico e Criativo: Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a reflexão, a análise crítica, a imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas.

3ª- Repertório Cultural: Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversifica-das da produção artístico-cultural.

4ª- Comunicação: Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, bem como co-nhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.

5ª- Cultura Digital: Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diver-sas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.

6ª- Trabalho e Projeto de Vida: Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as relações próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade,

(2)

autono-mia, consciência crítica e responsabilidade.

7ª- Argumentação: Argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta.

8ª- Autoconhecimento e Autocuidado: Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana e reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e capacidade para lidar com elas.

9ª- Empatia e Cooperação: Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialida-des, sem preconceitos de qualquer natureza.

10ª- Responsabilidade e Cidadania: Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando de-cisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

2. PROFESSORES Turmas relacionadas a cada professor

Roberto Manoel Gonçalves Lins.

101, 102, 103, 104, 105, 106, 201, 202, 203, 204, 205, 206, 207, 301, 302, 303, 304 e 305.

3. OBJETIVOS ESPECÍFICOS DO COMPONENTE CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS

3.1 Analisar fenômenos naturais e processos tecnológicos, com base nas interações e relações entre matéria e energia, para propor ações individuais e cole-tivas que aperfeiçoem processos produtivos, minimizem impactos socioambientais e melhorem as condições de vida em âmbito local, regional e global. 3.2 Analisar e utilizar interpretações sobre a dinâmica da Vida, da Terra e do Cosmos para elaborar argumentos, realizar previsões sobre o funcionamento e

a evolução dos seres vivos e do Universo, e fundamentar e defender decisões éticas e responsáveis.

3.3 Investigar situações-problema e avaliar aplicações do conhecimento científico e tecnológico e suas implicações no mundo, utilizando procedimentos e linguagens próprios das Ciências da Natureza, para propor soluções que considerem demandas locais, regionais e/ou globais, e comunicar suas desco-bertas e conclusões a públicos variados, em diversos contextos e por meio de diferentes mídias e tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC).

4. HABILIDADES ESPECÍFICAS DAS CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS Ano/Faixa Cód. Hab. Habilidades

1º, 2º, 3º EM13CHS606

Analisar as características socioeconômicas da sociedade brasileira - com base na análise de documentos (dados, tabelas, mapas etc.) de diferentes fontes - e propor medidas para enfrentar os problemas identificados e construir uma sociedade mais próspera, justa e inclusiva, que valorize o protagonismo de seus cidadãos e promova o autoconhecimento, a autoestima, a au-toconfiança e a empatia.

(3)

1º, 2º, 3º EM13CNT101

Analisar e representar, com ou sem o uso de dispositivos e de aplicativos digitais específicos, as transformações e conserva-ções em sistemas que envolvam quantidade de matéria, de energia e de movimento para realizar previsões sobre seus com-portamentos em situações cotidianas e em processos produtivos que priorizem o desenvolvimento sustentável, o uso conscien-te dos recursos naturais e a preservação da vida em todas as suas formas.

1º, 2º, 3º EM13CNT102

Realizar previsões, avaliar intervenções e/ou construir protótipos de sistemas térmicos que visem à sustentabilidade, conside-rando sua composição e os efeitos das variáveis termodinâmicas sobre seu funcionamento, consideconside-rando também o uso de tecnologias digitais que auxiliem no cálculo de estimativas e no apoio à construção dos protótipos.

1º, 2º, 3º EM13CNT103 Utilizar o conhecimento sobre as radiações e suas origens para avaliar as potencialidades e os riscos de sua aplicação em equipamentos de uso cotidiano, na saúde, no ambiente, na indústria, na agricultura e na geração de energia elétrica.

1º, 2º, 3º EM13CNT104

Avaliar os benefícios e os riscos à saúde e ao ambiente, considerando a composição, a toxicidade e a reatividade de diferentes materiais e produtos, como também o nível de exposição a eles, posicionando-se criticamente e propondo soluções individuais e/ou coletivas para seus usos e descartes responsáveis.

1º, 2º, 3º EM13CNT105 Analisar os ciclos biogeoquímicos e interpretar os efeitos de fenômenos naturais e da interferência humana sobre esses ciclos, para promover ações individuais e/ ou coletivas que minimizem consequências nocivas à vida.

1º, 2º, 3º EM13CNT106

Avaliar, com ou sem o uso de dispositivos e aplicativos digitais, tecnologias e possíveis soluções para as demandas que envol-vem a geração, o transporte, a distribuição e o consumo de energia elétrica, considerando a disponibilidade de recursos, a efi-ciência energética, a relação custo/benefício, as características geográficas e ambientais, a produção de resíduos e os impac-tos socioambientais e culturais.

1º, 2º, 3º EM13CNT107

Realizar previsões qualitativas e quantitativas sobre o funcionamento de geradores, motores elétricos e seus componentes, bobinas, transformadores, pilhas, baterias e dispositivos eletrônicos, com base na análise dos processos de transformação e condução de energia envolvidos - com ou sem o uso de dispositivos e aplicativos digitais -, para propor ações que visem a sus-tentabilidade.

1º, 2º, 3º EM13CNT201 Analisar e discutir modelos, teorias e leis propostos em diferentes épocas e culturas para comparar distintas explicações sobre o surgimento e a evolução da Vida, da Terra e do Universo com as teorias científicas aceitas atualmente.

1º, 2º, 3º EM13CNT202

Analisar as diversas formas de manifestação da vida em seus diferentes níveis de organização, bem como as condições ambi-entais favoráveis e os fatores limitantes a elas, com ou sem o uso de dispositivos e aplicativos digitais (como softwares de si-mulação e de realidade virtual, entre outros).

(4)

mecanismos de manutenção da vida, nos ciclos da matéria e nas transformações e transferências de energia, utilizando repre-sentações e simulações sobre tais fatores, com ou sem o uso de dispositivos e aplicativos digitais (como softwares de simula-ção e de realidade virtual, entre outros).

1º, 2º, 3º EM13CNT204

Elaborar explicações, previsões e cálculos a respeito dos movimentos de objetos na Terra, no Sistema Solar e no Universo com base na análise das interações gravitacionais, com ou sem o uso de dispositivos e aplicativos digitais (como softwares de simu-lação e de realidade virtual, entre outros).

1º, 2º, 3º EM13CNT205 Interpretar resultados e realizar previsões sobre atividades experimentais, fenômenos naturais e processos tecnológicos, com base nas noções de probabilidade e incerteza, reconhecendo os limites explicativos das ciências.

1º, 2º, 3º EM13CNT206 Discutir a importância da preservação e conservação da biodiversidade, considerando parâmetros qualitativos e quantitativos, e avaliar os efeitos da ação humana e das políticas ambientais para a garantia da sustentabilidade do planeta.

1º, 2º, 3º EM13CNT207

Identificar, analisar e discutir vulnerabilidades vinculadas às vivências e aos desafios contemporâneos aos quais as juventudes estão expostas, considerando os aspectos físico, psicoemocional e social, a fim de desenvolver e divulgar ações de prevenção e de promoção da saúde e do bem-estar.

1º, 2º, 3º EM13CNT208

Aplicar os princípios da evolução biológica para analisar a história humana, considerando sua origem, diversificação, dispersão pelo planeta e diferentes formas de interação com a natureza, valorizando e respeitando a diversidade étnica e cultural huma-na.

1º, 2º, 3º EM13CNT209

Analisar a evolução estelar associando-a aos modelos de origem e distribuição dos elementos químicos no Universo, compre-endendo suas relações com as condições necessárias ao surgimento de sistemas solares e planetários, suas estruturas e composições e as possibilidades de existência de vida, utilizando representações e simulações, com ou sem o uso de dispositi-vos e aplicatidispositi-vos digitais (como softwares de simulação e de realidade virtual, entre outros).

1º, 2º, 3º EM13CNT301

Construir questões, elaborar hipóteses, previsões e estimativas, empregar instrumentos de medição e representar e interpretar modelos explicativos, dados e/ou resultados experimentais para construir, avaliar e justificar conclusões no enfrentamento de situações-problema sob uma perspectiva científica.

1º, 2º, 3º EM13CNT302

Comunicar, para públicos variados, em diversos contextos, resultados de análises, pesquisas e/ou experimentos, elaborando e/ou interpretando textos, gráficos, tabelas, símbolos, códigos, sistemas de classificação e equações, por meio de diferentes linguagens, mídias, tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC), de modo a participar e/ou promover debates em torno de temas científicos e/ou tecnológicos de relevância sociocultural e ambiental.

(5)

considerando a apresentação dos dados, tanto na forma de textos como em equações, gráficos e/ou tabelas, a consistência dos argumentos e a coerência das conclusões, visando construir estratégias de seleção de fontes confiáveis de informações.

1º, 2º, 3º EM13CNT304

Analisar e debater situações controversas sobre a aplicação de conhecimentos da área de Ciências da Natureza (tais como tecnologias do DNA, tratamentos com células-tronco, neurotecnologias, produção de tecnologias de defesa, estratégias de con-trole de pragas, entre outros), com base em argumentos consistentes, legais, éticos e responsáveis, distinguindo diferentes pontos de vista.

1º, 2º, 3º EM13CNT305

Investigar e discutir o uso indevido de conhecimentos das Ciências da Natureza na justificativa de processos de discriminação, segregação e privação de direitos individuais e coletivos, em diferentes contextos sociais e históricos, para promover a equida-de e o respeito à diversidaequida-de.

1º, 2º, 3º EM13CNT306

Avaliar os riscos envolvidos em atividades cotidianas, aplicando conhecimentos das Ciências da Natureza, para justificar o uso de equipamentos e recursos, bem como comportamentos de segurança, visando à integridade física, individual e coletiva, e socioambiental, podendo fazer uso de dispositivos e aplicativos digitais que viabilizem a estruturação de simulações de tais riscos.

5. OBJETOS DE APRENDIZAGEM (CONTEÚDOS)

Obs. 01: Este item foi elaborado baseando-se no mapeamento geral dos conceitos, conteúdos e/ou habilidades trabalhadas no ano de 2020 (Pandemia – Covid 19) seguindo orientações da Secretaria de Educação do Estado de Santa Catarina. Portanto, a sequência e a escolha dos conteúdos e habili-dades representam a construção coletiva do planejamento pedagógico de 2021 e serão estratégias para a efetivação do currículo continuum.

Obs. 02: A revisão dos objetos de conhecimento estudados no 9° ano (EF), no 1° ano (EM) e no 2° ano (EM) em 2020 será realizada, respectivamente, no 1° ano (EM), no 2° ano (EM) e no 3° ano (EM) em 2021, conforme for detectada a necessidade e pode incluir atividades teóricas e atividades práticas, no tempo escola e no tempo casa.

1° Ano 1° SEMESTRE:

 Introdução ao estudo da química;  Modelos atômicos;

 Estrutura atômica;  Igualdades atômicas;  Distribuição eletrônica;  Números quânticos;

 Tabela periódica dos elementos;  Propriedades periódicas;

(6)

 Ligações químicas. 2° SEMESTRE:

 Sistemas, substâncias puras e misturas;  Geometria molecular;

 Química inorgânica e suas funções;  Quantidade de matéria;

 Estequiometria;  Estudo dos gases. 2º Ano 1° SEMESTRE:

 Soluções;

 Concentração e diluição de soluções;  Propriedades coligativas;  Termoquímica;  Cinética química. 2° SEMESTRE:  Equilíbrio químico;  Química nuclear;  Reações de oxirredução;  Pilhas e células eletroquímicas;  Eletrolise.

3° Ano 1° SEMESTRE:

 Estudo do átomo de carbono;

 Fórmulas de representação de cadeias carbônicas;  Propriedades de compostos orgânicos;

 Funções orgânicas: hidrocarbonetos, álcool, fenol, éter, aldeído, cetona, ácido carboxílico e éster. 2° SEMESTRE:

(7)

 Principais reações orgânicas: substituição, adição, eliminação, fermentação, condensação, saponificação, esterificação, oxidação;  Isomeria;

 Polímeros;

 Glicídios, lipídios, aminoácidos e proteínas;  Ser humano e meio ambiente.

6. PROJETOS

6.1 Projeto(s) Integrador(es) incluindo Temas Transversais das Diretrizes Curriculares Nacionais – Ensino Fundamental e Médio

a) Semana da integração: busca a integração da comunidade escolar por meio de atividades diversificadas.

b) Projeto de vida: incentiva a construção do projeto de vida do estudante.

c)

Trânsito para a vida: objetiva o aumento da segurança no trânsito através de atividades de conscientização e atenção para as regras de trânsito, uso da faixa de pedestres, entre outros.

d) O dia da limpeza: conscientização e conservação no ambiente escolar.

e) Projeto No Caminho do Enem 2021: tem como objetivo a preparação dos estudantes do ensino médio para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)

através da abordagem de conteúdos mais próximos aos exigidos em tal avaliação e em exames vestibulares.

6.2 Projeto(s) da Área de Conhecimento

a) Olimpíadas de Ciências.

b) COVID-19 nas Ciências da Natureza: uma sequência didática interdisciplinar.

6.3 Projeto(s) do Componente

a) Olimpíada Catarinense de Química (OCQ) 2021. 7. METODOLOGIA DE ENSINO

Metodologia de ensino a ser executada é o percurso formativo. De acordo com PCSC 2014, o percurso formativo é processo constitutivo e constituinte da formação humana que norteia a importância da história, cultura, contexto social, linguagens, inteligência emocional, valores e virtudes, conhecimentos sistematizados e conhecimentos cotidianos do sujeito (aluno) numa interação intrapessoal e interpessoal.

As estratégias de ensino aprendizagem estão relacionadas ao percurso formativo da Proposta Curricular de Santa Catarina e às 10 (dez) competências da BNCC. Portanto, “é fundamental que as práticas pedagógicas a serem levadas a efeito nas escolas considerem a importância do desenvolvimento de

(8)

to-das as potencialidades humanas, sejam elas físicas/motoras, emocionais/afetivas, artísticas, linguísticas, expressivo-sociais, cognitivas, dentre outras, contri-buindo assim para o desenvolvimento do ser humano de forma unilateral”. (PCSC, 2014, p.31)

Respeitando o plano de contingência da Escola Dotti (Plancon-Edu) homologado, os alunos de cada turma serão divididos em dois grupos: A e B. Esses grupos participarão das aulas presencial e remota de forma alternada semanalmente.

Grupo A: 1ª semana = presencial, 2ª semana = remota, 3ª semana presencial... Grupo B: 1ª semana = remota, 2ª semana= presencial, 3ª semana = remota...

As aulas presenciais terão foco principalmente na metodologia ativa com ênfase na: investigação científica, mediação e intervenção sociocultural, pro-cessos criativos e empreendedorismo.

Não sendo possível a aula remota, isto é, a transmissão ao vivo das aulas presenciais do grupo A (B) aos alunos do grupo B (A), essas aulas não pre-senciais terão foco na leitura, análise, síntese, resumo, resolução de exercícios, vídeos e outras atividades que desenvolvam principalmente a autonomia e o protagonismo juvenil.

8. AVALIAÇÃO

O instrumento utilizado será avalição processual, cumulativa e formativa dando ênfase às habilidades, competências e socialização. Assim, a avaliação dos alunos será registrada através da observação do APRENDER A CONHECER, APRENDER A FAZER, APRENDER A SER e APRENDER A CONVIVER.

A aprovação do aluno obedecerá às orientações do CEE e SED e tem como referência média anual igual ou superior a 6,0 (seis) em todos os componen-tes curriculares. A média anual será obtida aritmeticamente pelas médias semestrais obtida, no mínimo, por meio de: uma prova, uma prova de recuperação de nota, dois trabalhos individuais/grupo, uma nota de competências socioemocionais e atribuição ou não de pontos de CC.

a) Provas

Todos os alunos têm direito à recuperação de conteúdo e à recuperação de nota da prova. A prova de recuperação será aplicada após a recuperação de conteúdos, porém os alunos que obtiveram notas acima de 7,0 (sete) na(s) prova(s) podem optar por não fazê-la. Nesse caso, deverão ocupar-se de uma boa leitura de livros permanecendo em sala de aula. Em todas as disciplinas, a recuperação da prova teórica deverá ser realizada através da aplicação de uma nova prova individual e sem consulta.

Obs.: A prova poderá ser substituída por projeto pedagógico (Ex.: aplicação de metodologia ativa) mediante a discussão da importância desse projeto en-tre professor(a) e direção/coordenação e o aval dos mesmos. Essa substituição só poderá ser em 1(um) dos 2(dois) semesen-tres.

b) Trabalho

O trabalho será realizado para desenvolver as habilidades, atitudes e virtudes que contemplam as 10 competências da BNCC. Portanto, será um trabalho individual com consulta ou em equipe (trabalho online). Haverá recuperação de conteúdos, porém a recuperação de nota fica facultativa de acordo com o entendimento do professor titular podendo até não oferecer essa oportunidade considerando que o trabalho é feito online em equipe e/ou com consulta.

c) Competências socioemocionais

A nota de competências socioemocionais atende à exigência da RESOLUÇÃO Nº 183 (artigo nº 5) de 19 de novembro de 2013 e a da BNCC (10ª compe-tência), e tem o mesmo peso de uma prova ou de um trabalho e sua atribuição é da competência do professor da disciplina. Essa nota deve representar o resultado da observação do professor quanto às atitudes e valores do aluno. Não há recuperação de nota para competências socioemocionais.

(9)

Além das 4(quatro) avaliações em cada semestre, há um instrumento chamado de campo “conselho de classe”.

Não é uma nota a ser atribuída a cada semestre. É ponto a ser acrescentado à média final do primeiro semestre e, no segundo semestre, à média anual. O “Campo Conselho de Classe” serve para ajustar a discrepância observada entre a média final do semestre e o real nível de apropriação de conhecimento. Para o critério da atribuição maior, menor ou não dos pontos na disciplina, serão considerados a frequência dos(as): a) comentários e depoimentos do aluno que enriqueceram o conhecimento da turma durante as aulas; b) apresentação de raciocínio lógico, sistematizado e organizado, por escrito, na resolução de exercícios de cálculos, contextualizados, analíticos e interpretativos; c) habilidades motoras destacáveis durante as atividades físicas; d) criatividade ou origi-nalidade na produção de obras artísticas e textuais; e) clareza e segurança na argumentação da resolução de situações problemas.

Obs.: Os resultados do simulado interno/externo, provas regionais, OCQ e OBMEP poderão ser transformados em bonificação (máximo é 1,0 ponto) e acres-centados à média final do semestre. Simulado = a todas as disciplinas; OCQ: somente para Química; e OBMEP = somente para Matemática.

9. AVALIAÇÃO DIFERENCIADA PARA ALUNOS DE LAUDO (SUGESTÕES)

Os mesmos instrumentos de avaliação serão adotados. Porém, é essencial observar o que consta no laudo, ajustando-os como:

a) Concedendo maior espaço de tempo;

b) Solicitando o auxílio do segundo professor na realização das provas/trabalhos;

c)

Realizando as avaliações em outro ambiente escolar (sair da sala de aula em companhia do segundo professor);

d) Aumentando o tamanho das letras para deficientes visuais;

e) Realizando prova oral;

f)

Fazendo a avaliação em 2 (dois) momentos, principalmente para alunos TDH, espectro autista e deficiência mental;

g) Segundo professor auxiliando na leitura dos enunciados;

h) Utilizando imagens, jogos didáticos e materiais concretos.

O registro das atividades realizadas pelos alunos portadores de laudo será feito quinzenalmente por Segundo Professor através da ficha individual ou port-fólio de fatos observados em aulas presenciais e/ou remotas (quinzenal) e o seu relatório pedagógico será semestral.

10. REFERÊNCIAS

- ANTUNES, Murilo Tissoni. Ser protagonista: química – 1º ano ensino médio, 2ª edição, Edições SM, São Paulo, 2013. - ANTUNES, Murilo Tissoni. Ser protagonista: química – 2º ano ensino médio, 2ª edição, Edições SM, São Paulo, 2013. - ANTUNES, Murilo Tissoni. Ser protagonista: química – 3º ano ensino médio, 2ª edição, Edições SM, São Paulo, 2013. - Base Nacional Comum Curricular. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 11 fev. 2021.

- CARVALHO, Geraldo Camargo de; SOUZA, Celso Lopes de. Química de olho no mundo do trabalho. Volume único, editora Scipione, São Paulo, 2003. - Currículo Base da Educação infantil e do Ensino Fundamental do Território Catarinense. SED, 2019.

- Dez Competências da Base Nacional Comum Curricular. Disponível em: http://download.basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso 11 de fevereiro de 2021.

(10)

- FELTRE, Ricardo. Química – Físico-Química, volume 2, 6ª edição, editora Moderna, São Paulo, 2004. - FELTRE, Ricardo. Química – Química Orgânica, volume 3, 6ª edição, editora Moderna, São Paulo, 2004. - Lei Federal nº 9394, de 20 de dezembro de 1996.

- LISBOA, Julio Cezar Foschini. Ser protagonista: química – 1º ano ensino médio, 3ª edição, Edições SM, São Paulo, 2016. - LISBOA, Julio Cezar Foschini. Ser protagonista: química – 2º ano ensino médio, 3ª edição, Edições SM, São Paulo, 2016. - LISBOA, Julio Cezar Foschini. Ser protagonista: química – 3º ano ensino médio, 3ª edição, Edições SM, São Paulo, 2016.

- MORTINMER, Eduardo Fleury; MACHADO, Andréa Horta. Química – manual do professor, volume 2, 1ª edição, editora Scipione, São Paulo, 2011. - Orientações Curriculares com Foco no que Ensinar: Conceitos e conteúdos para a Educação Básica (documento preliminar) – SED – SC.

- PERUZZO, Francisco Miragaia; CANTO, Eduardo Leito do. Química na abordagem do cotidiano, volume 2, 4ª edição, editora Moderna, São Paulo, 2006.

- Plancon-Edu da EEB Dom Orlando Dotti homologado.

- Projeto Político Pedagógico 2020 da EEB. Dom Orlando Dotti. - Proposta Curricular de Santa Catarina, SED, 2014.

- Resolução CEE/ SC nº 183/2013 de 19 de novembro de 2013.

Referências

Documentos relacionados

Desenvolver programas de capacitação para os alunos e para os professores e servidores que não integrem o SCO, focando nas respostas comportamentais esperadas para cada segmento

Takeuchi e Nonaka (2008), apresentam a importância de se estimular e/ou proporcionar condição para a criação de conhecimento dos indivíduos, de modo que a organização

 Conhecer e explorar diversas práticas de linguagem (artísticas, corporais e linguísticas) em diferentes campos da atividade humana para continuar aprendendo, ampliar

Crenças religiosas e filosofias de vida Ensinamentos da tradição escrita (EF06ER04) Reconhecer que os textos escritos são utilizados pelas tradições religiosas de maneiras

Como consta no PPP da escola, a nota trimestral no boletim será calculada tendo, no mínimo, 4 (quatro) avaliações. Essas 4 avaliações são: a) umaprova teórica individual

Resolver e elaborar problemas em contextos que envolvem fenômenos periódicos reais (ondas sonoras, fases da lua, movimentos cíclicos, entre outros) e comparar

Elaborar um projeto de intervenção para minimizar a prevalência da obesidade na comunidade que recebe atendimento pela Equipe de Saúde da Família da UBS

3 - Investigar situações-problema e avaliar aplicações do conhecimento científico e tec- nológico e suas implicações no mundo, utili- zando procedimentos e linguagens próprios