E A CONTROLADORIA NA GESTÃO ESTRATÉGICA DAS ORGANIZAÇÕES

55 

Loading.... (view fulltext now)

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS, CONTÁBEIS,

ECONÔMICAS E DA COMUNICAÇÃO

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

João Luis Weschenfelder de Moura

O CONTROLLER E A CONTROLADORIA NA GESTÃO

ESTRATÉGICA DAS ORGANIZAÇÕES

Ijuí, RS

(2)

João Luis Weschenfelder de Moura

O CONTROLLER E A CONTROLADORIA NA GESTÃO

ESTRATÉGICA DAS ORGANIZAÇÕES

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado no Curso de Ciências Contábeis da UNIJUI, como requisito para obtenção do Título de Bacharel.

PROFESSORA ORIENTADORA: Stela Maris Enderli

(3)

RESUMO

A Contabilidade como ciência, surgiu da necessidade das pessoas em controlar o que possuía. No ambiente das organizações, a Contabilidade tem como finalidade fornecer informações sobre a situação e a variação de seu patrimônio, e tem sido utilizada como instrumento de gestão. A partir da Contabilidade surge a Controladoria, e tem como característica, colaborar na formação da gestão estratégica, elaborar informações relevantes à administração e gerar modelos decisórios coerentes e consistentes com a missão e a visão da empresa. Na atual concorrência do mercado, a Controladoria representa um diferencial na qualidade das informações geradas e tão necessárias para as estratégias das organizações. Na área da Controladoria o encarregado de gerar estas informações é denominado de Controller e seu papel é organizar e reportar os dados relevantes aos gerentes para a tomada de decisões lógicas e consistentes. Baseado nisso, esse estudo avalia o perfil da Controladoria e do Controller em empresas da Região Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, onde está apresentado o resultado de uma pesquisa realizada com 17 empresas a respeito da implantação e características das organizações e do profissional responsável pela área de Controladoria. A metodologia aplicada foi um questionário fechado com perguntas objetivas e de múltipla escolha. O dado mais relevante apontado foi que grande parte das organizações não possuem um departamento de Controladoria implantada, mas mesmo assim existe um profissional responsável pelas informações necessárias para a tomada de decisões.

(4)

LISTA DE FIGURAS

Figura 1: Ciclo de aprimoramento contínuo... 16

LISTA DE QUADROS

Quadro 1: As diversas atividades de planejamento e controle ... 19 Quadro 2: Vantagens e desvantagens do uso de questionário da coleta de dados. . 25

(5)

LISTA DE GRÁFICOS

Gráfico 1: Distribuição do retorno das pesquisas ... 27

Gráfico 2: Quantidade de funcionários ... 28

Gráfico 3: Faturamento mensal – Em R$ mil... 29

Gráfico 4: Empresas que tem área de Controladoria ... 30

Gráfico 5: Quantidade de funcionários de empresas com Controladoria ... 31

Gráfico 6: Faturamento mensal em R$ mil, de empresa com Controladoria ... 32

Gráfico 7: Área de subordinação da Controladoria ... 33

Gráfico 8: Origem do profissional responsável pela Controladoria ... 34

Gráfico 9: Idade do Profissional de Controladoria ... 34

Gráfico 10: Sexo do profissional de Controladoria ... 35

Gráfico 11: Quantidade de funcionários na área de Controladoria ... 36

Gráfico 12: Controladoria participa do processo de planejamento estratégico ... 37

Gráfico 13: Principais atribuições da área de Controladoria... 37

Gráfico 14: Importância da decisão na implantação da área de Controladoria ... 38

Gráfico 15: Nível de formação do profissional de Controladoria ... 39

Gráfico 16: Área de formação superior ... 40

Gráfico 17: Realização de pós-graduação ... 40

Gráfico 18: Área de especialização do profissional de Controladoria ... 41

Gráfico 19: Cargo ocupado pelo profissional da Controladoria ... 41

Gráfico 20: Principais funções desempenhadas pelo Controller ... 42

Gráfico 21: Principais habilidades do profissional de Controladoria ... 43

(6)

SUMÁRIO RESUMO... 2 SUMÁRIO ... 3 LISTA DE FIGURAS ... 3 LISTA DE QUADROS ... 3 LISTA DE GRÁFICOS ... 4 INTRODUÇÃO ... 7 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DO ESTUDO ... 9

1.1 Área do Conhecimento Contemplada ... 9

1.2 Caracterização das organizações ... 10

1.3 Problema ... 10 1.4 Objetivos ... 12 1.4.1 Objetivo Geral ... 12 1.4.2 Objetivos Específicos ... 12 1.5 Justificativa ... 12 2 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA ... 14 2.1 Controladoria ... 14 2.1.1 Funções da Controladoria ... 15 2.1.2 Missão da Controladoria ... 16

2.2 Profissional da Controladoria - Controller ... 17

2.3 Controladoria no Planejamento Estratégico ... 18

2.4 Controladoria no processo de gestão... 20

3 METODOLOGIA ... 21

3.1 Classificação da pesquisa ... 21

3.1.1 Do Ponto de Vista da Natureza ... 21

(7)

3.1.3 Quanto a Forma de Abordagem do Problema ... 22

3.1.4 Do Ponto de Vista dos Procedimentos Técnicos ... 23

3.2 Plano de coleta de dados ... 23

3.2.1 Instrumentos de Coletas de Dados ... 23

3.3 Plano de Análise e Interpretação dos Dados ... 26

4 ESTUDO APLICADO ... 27

4.1 Resumo das empresas pesquisadas ... 27

4.1.1 Perfil das empresas pesquisadas ... 28

4.2 Análise das Empresas com Controladoria Implantada ... 31

4.2.1 Classificação das Empresas com área de Controladoria ... 31

4.2.2 Informações sobre as empresas pesquisadas... 32

4.2.3 Análise do Perfil do Controller ... 39

CONCLUSÃO ... 45

BIBLIOGRAFIA ... 47

(8)

INTRODUÇÃO

A Contabilidade existe há muito tempo, e surgiu da necessidade das pessoas em controlar o que possuía. Nos dias atuais, o ambiente das organizações está cada vez mais complexo, e a Contabilidade como ciência, estuda o patrimônio destas, e tem como finalidade fornecer informações sobre a situação deste patrimônio e suas variações.

As mudanças estão cada vez mais presentes, e diante disto as organizações estão percebendo a necessidade de aumentar a busca constante de informações, a fim de garantir à empresa as informações necessárias para a tomada de decisões. Neste novo campo da Contabilidade, surgiu a Controladoria.

A Controladoria é conhecida como a área responsável por suprir os gestores com informações relevantes, que apoiados em um sistema de informações, possam de forma integrada traçar o futuro da organização. A influência da Controladoria implica na melhoria dos sistemas gerenciais, aumentando o desempenho dos gestores e a eficácia e a eficiência dos resultados das organizações.

Por ser uma área nova nas empresas, surgem duvidas sobre o real trabalho da Controladoria no processo de gestão e planejamento estratégico, e qual o papel do profissional da Controladoria - Controller nas organizações.

Perante esta realidade, o propósito deste trabalho é estabelecer um conhecimento dos conceitos e estudar os fatores que fazem parte de um modelo de Controladoria, o perfil do Controller nas organizações como gerador e controlador de informações para a gestão, o impacto da Controladoria no processo de planejamento, e por fim, demonstrar o papel da Controladoria como suporte no processo de gestão estratégica.

Para atingir este propósito, o trabalho se divide em capítulos. O primeiro capítulo apresenta a área do conhecimento contemplada, bem como a caracterização das organizações, o problema proposto, os objetivos e a justificativa. Posteriormente no capitulo dois consta a revisão bibliográfica envolvendo os conceitos sobre a Controladoria e o Controller.

No capitulo terceiro, apresenta-se a definição da metodologia aplicada na realização do estudo, envolvendo a classificação da pesquisa, o plano de coleta e de analise dos dados.

(9)

O quarto capítulo trata do desenvolvimento prático do estudo, onde se elaborou uma análise sobre a pesquisa desenvolvida nas empresas com a área de Controladoria implantada. Utilizou-se de um questionário, com perguntas que foram respondidas por correio eletrônico. E por fim a apresentação da conclusão e o relatório da bibliografia consultada.

(10)

1 CONTEXTUALIZAÇÃO DO ESTUDO

Neste capitulo consta, o tema em estudo, seguido da área do conhecimento contemplada, caracterização da empresa, o levantamento do problema, dos objetivos e da justificativa.

1.1 Área do Conhecimento Contemplada

As constantes mudanças que acontecem no complexo mundo empresarial nos dias de hoje, obrigam as empresas a constante aperfeiçoamento no que diz respeito a suas tomadas de decisões, e para que isso aconteça às empresas precisam de alguns conceitos e técnicas que ajudarão para que estas adaptações sejam inseridas dentro das organizações.

Baseado nisso, surge a Controladoria, que se utiliza cada vez mais de conhecimentos Contábeis para que o Contador possa acompanhar todo o processo gerencial, garantindo a empresa disponibilidade de informações para as tomadas de decisões, e otimizar os resultados da empresa, a fim de garantir sua continuidade.

Para Padoveze (2011), a controladoria é uma ciência autônoma e não se confunde com a contabilidade, apenas se utiliza desse instrumento contábil, a controladoria pode ser entendida como a Ciência Contábil evoluída, que como em todas as ciências, há o alargamento do campo de atuação, e essa ampliação da abrangência da contabilidade se faz bem representada pela denominação de Controladoria.

Nestes novos tempos não há mais espaço para o profissional que apenas cumpre suas tarefas rotineiras, as grandes mudanças que estão acontecendo nos processos produtivos e nas técnicas gerenciais e administrativas, as atribuições para o exercício do cargo de Controller acabaram tornando-se mais complexas e desafiadoras.

Neste sentido, o tema a ser abordado neste estudo é analisar o Departamento de Controladoria e o perfil do profissional de controladoria neste trabalho denominado de Controller, em empresas dos Municípios da região Noroeste do estado do Rio Grande do Sul.

(11)

1.2 Caracterização das organizações

A controladoria pode ser usada como ferramenta de gestão nas empresas, neste trabalho será aplicado um questionário fechado, em empresas situadas nos Municípios da região Noroeste do estado do Rio Grande do Sul, dos variados setores da economia. A definição das empresas foi através de pesquisa nos cadastros de entidades da região, ACI (Associação Comercial e Industrial), e através do link de consulta empresas do Rio Grande do Sul do site da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Foram enviados questionários por meio de correio eletrônico para 35 empresas, destes retornaram as respostas de 17 organizações.

1.3 Problema

Tornou-se claro que nos dias atuais precisa-se uma contabilidade que tenha como foco o controle empresarial, para manter sua continuidade e cumprir com sua missão, o modelo contábil precisa ser ampliado, agregando novos instrumentos de pesquisa e avaliação.

Neste sentido a contabilidade gerencial se transforma na controladoria, que identifica e avalia as variáveis com grande impacto sobre o resultado das empresas, que associadas a um modelo de gestão, podem formar um quadro geral de avaliação de desempenho, que tem um poder explicativo sobre a situação da empresa e também permite fazer projeções e simulações de cenários futuros, dando lugar a busca de novas oportunidades e minimizando riscos, todas estes de interesse dos gestores das organizações.

O aumento da complexidade na organização das empresas, o maior grau de interferência governamental por meio de politicas fiscais, (... a diferenciação das fontes de financiamento das atividades, a percepção das necessidades de consideração dos padrões éticos na condução dos negócios) e, principalmente a demanda por melhores praticas de gestão, criando a necessidade de um sistema contábil mais adequado para um controle gerencial mais efetivo, tem sido, entre outras, algumas das razoes para que a responsabilidade com o gerenciamento das finanças das empresas tenha aumentado de importância dentro do processo de condução dos negócios, (FIGUEIREDO; CAGGIANO, 1997, p.26)

(12)

Sendo assim o planejamento é a função mais básica das funções gerenciais, e a habilidade com que estas funções estão sendo utilizadas é que será determinante para o sucesso de todas as operações, o planejamento também pode ser definido como um meio de reflexão que antecede a ação e é dimensionado para a tomada de decisão com vistas para o futuro.

O Planejamento Estratégico é reservado a poucas pessoas na organização, normalmente aquelas que são responsáveis pelas funções de cúpula. Em síntese a função estratégica, é para os responsáveis pela alta administração da companhia, (PADOVEZE, 2004, p.81).

O planejamento é um objetivo permanente a ser perseguido pela empresa, o resultado de um planejamento é fundamental para a determinação dos objetivos a serem atingidos e dos meios pelos quais esses objetivos devem ser alcançados, esta é a ligação entre o ponto onde se esta para o ponto em que se quer chegar.

Para ser possível este planejamento, faz-se necessário o uso da controladoria, pois suas funções estão ligadas a um conjunto de produtos e atividades que viabilizam o processo de gestão.

A moderna controladoria deve estar estruturada para tanto atender a necessidade de controles sobre as atividades rotineiras como servir de ferramenta para o monitoramento permanente sobre todas as etapas do processo de gerenciamento da empresa. Em outras palavras, a estruturação da Controladoria deve estar ligada aos sistemas de informações necessárias a gestão, tanto dos aspectos rotineiros como dos gerenciais e estratégicos, (OLIVEIRA; PEREZ JR; SILVA, 2002, p.15).

Portanto, a Controladoria tem como papel assessorar a gestão da empresa, e cabe ao Controller, que deve ser um profissional que acumule experiências nas áreas da contabilidade, financeiras e administrativas, com conhecimentos de contabilidade internacional, informática, estatística e pesquisa operacional, contabilidade gerencial e liderança, a exercer influência na organização e nortear os gestores para que mantenham sua eficácia e a da organização.

Em decorrência das profundas mudanças que estão ocorrendo nos processos produtivos a nas técnicas gerenciais e administrativas, as exigências para o exercício do cargo de Controller tornaram-se complexas e desafiadoras. Não há mais espaço para o profissional do passado, contente apenas em cumprir satisfatoriamente as tarefas rotineiras, (OLIVEIRA; PEREZ JR; SILVA, 2002, p.21).

(13)

Diante do contexto, questiona-se: Qual a influência da Controladoria na tomada de decisão e o perfil do Controller nas empresas da região Noroeste do Rio Grande do Sul.

1.4 Objetivos

1.4.1 Objetivo Geral

Analisar o perfil do Controller e a contribuição da Controladoria no processo de gestão estratégica nas organizações.

1.4.2 Objetivos Específicos

 Estudar conceitos e fatores de um modelo de Controladoria;

Avaliar o papel do Controller nas organizações;

Identificar as atividades desenvolvidas pelo Controller e pela Controladoria nas organizações;

 Demonstrar o papel da Controladoria como suporte no processo de gestão estratégica.

1.5 Justificativa

Com este trabalho tem-se por objetivo conhecer melhor e poder demonstrar as contribuições da controladoria para a gestão estratégica nas organizações, bem como aumentar o conhecimento pessoal, qualificando-me para os objetivos profissionais futuros.

A contribuição deste trabalho para as empresas, parte da necessidade delas utilizarem a controladoria como parte de seu processo de planejamento estratégico, para que possa da melhor forma alcançar os objetivos traçados e satisfazer as necessidades da sociedade onde a empresa está inserida.

Este estudo ainda pode servir como uma importante fonte de informações para outros trabalhos desta área do conhecimento e no desenvolvimento de trabalhos

(14)

científicos do curso de Ciências Contábeis e outros cursos que venha de encontro a este estudo. Bem como contribuir com orientações para empresas que estejam implantando a controladoria na sua estrutura organizacional.

(15)

2 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Neste capítulo, a abordagem da revisão bibliográfica, tem o objetivo de evidenciar os conceitos de diversos autores, revisar e aprofundar o conhecimento, com o intuito de fundamentar e proporcionar um maior conhecimento da área em estudo.

2.1 Controladoria

Para Mosimann e Fisch (1999, p.88): “A Controladoria consiste em um corpo de doutrinas e conhecimentos relativos à gestão econômica e pode ser visualizada sob dois enfoques:”

a) como um órgão administrativo com missão, funções e princípios norteadores definidos no modelo de gestão e sistema empresa;

b) como uma área do conhecimento humano com fundamentos, conceitos, princípios e métodos oriundos de outras ciências.(MOSIMANN; FISCH, 1999, p.88)

Enquanto que Oliveira busca trazer um conceito referente Controladoria:

A Controladoria contribui para uma organização da qual faça parte ao desempenhar atividades como: colaborar na formação das estratégias, organizar, analisar e apresentar dados coletados, elaborar informações relevantes à administração e gerar modelos decisórios coerentes e consistentes com a missão e visão da empresa. (OLIVEIRA, 2009 p.16)

Segundo Padoveze (2004, p. 31) “Controladoria é a unidade administrativa dentro da empresa que, através da Ciência Contábil e do Sistema de Informações de Controladoria, é responsável pela coordenação da gestão econômica do sistema empresa”.

A Controladoria pode ser conceituada como o conjunto de princípios, procedimentos e métodos oriundos das ciências da Administração, Economia, Psicologia, Estatística e principalmente, da Contabilidade, que se ocupa da gestão econômica das empresas, com a finalidade de orienta-la para a eficácia. (MOSIMANN; FISCH, 1999 p.99)

(16)

O departamento responsável pelo projeto, elaboração, implementação e manutenção do sistema integrado de informações operacionais, financeiras e contábeis de determinada entidade, com ou sem finalidades lucrativas, sendo considerada por muitos autores como a atual estágio evolutivo da Contabilidade, (OLIVEIRA; PEREZ JR; SILVA, 2002 p.13)

Portanto chega-se a compreensão que a Controladoria pode ser uma área, nas organizações, com autoridade para decidir sobre eventos que otimizem o processo de gestão.

2.1.1 Funções da Controladoria

Segundo Oliveira (2009, p. 21) as várias funções desempenhadas pela Controladoria para cumprir sua missão de otimizar o resultado econômico de uma organização são:

 Mensuração do realizado;  Mensuração do planejado;  Sistemas de simulação;

 Avaliação de resultados e desempenhos;  Estruturação de modelos decisórios;

 Gestão dos sistemas de informação econômico-financeiros;  Análises e estudos econômicos;

 Resultado econômico otimizado.

Para Kanitz apud Mosimann e Fisch (1999, p.90) estabelece como função primordial da Controladoria a direção e a implantação dos sistemas de:

 Informações - compreendendo os sistemas contábeis e financeiros da empresa, sistema de pagamento e recebimento, folha de pagamento, etc.  Motivação - referente aos efeitos dos sistemas de controles sobre o

comportamento das pessoas diretamente atingidas.

 Coordenação – visando centralizar as informações com vistas à aceitação de planos sob o ponto de vista econômico e à assessoria da direção da empresa, não somente alertando para situações desfavoráveis em alguma área, mas também sugerindo soluções.

 Avaliação – com o intuito de interpretar fatos e avaliar resultados por centro de resultado, por área de responsabilidade e desempenho gerencial.

 Planejamento – de forma a determinar se os planos são consistentes ou viáveis, se são aceitos e coordenados e se realmente poderão servir de base para uma avalição posterior.

 Acompanhamento – relativo à continua verificação da evolução dos planos traçados por fins de correção de falhas ou revisão do planejamento.

(17)

A Controladoria deve usar de assessoria contínua, a fim de contribuir para o aprimoramento da empresa, por meio de criticas construtivas e inteligentes. Oliveira, Perez Jr, e Silva demonstram isso na figura a seguir.

Figura 1: Ciclo de aprimoramento contínuo Fonte: Oliveira, Perez Jr, e Silva, 2002, p. 18

Portanto, pode-se dizer que a função principal da Controladoria é a analise, planejamento e o controle gerencial, apoiado pelas informações contábeis disponíveis na empresa.

2.1.2 Missão da Controladoria

A Controladoria, que tem uma missão específica, e em consequência disso, objetivos a serem alcançados. (PADOVEZE, 2004). Para Mosimann e Fisch (1999), a missão da Controladoria é aprimorar os resultados econômicos da empresa, para garantir sua continuidade, por meio da integração dos esforços das diversas áreas da organização.

Na percepção de Figueiredo e Caggiano (1997, p.26), “a missão da Controladoria é zelar pela continuidade da empresa, assegurando a otimização do resultado global”.

Em Oliveira, Perez Jr e Silva (2002, p. 27), define missão da Controladoria desta maneira.

A missão deve ser motivadora e é melhor quando guiada por uma visão de como o negócio deve se orientar nos próximos dez anos ou mais. Finalmente, deve possibilitar a visão do negócio como um processo de Conscientização da empresa para o aprimoramento Análise das atividades e processos Identificação das oportunidades para o aprimoramento Eliminação de falhas e desperdícios

(18)

satisfação do consumidor, e não como um processo de fabricação de um produto determinado.

Portanto, os gestores devem ter conhecimento adequado sobre gestão de suas respectivas áreas, cabendo ao Controller assessorar as tomadas de decisões.

2.2 Profissional da Controladoria - Controller

A palavra Controller teve sua origem no século XV com a junção das palavras

conter e roller, que significa, aquele que possui a relação do que entra e do que sai

relativamente a dinheiro a mercadorias. Em seguida veio a expressão Countroller que eram as pessoas que controlavam as contas dos lordes ingleses. Posteriormente, a palavra foi deliberadamente alterada para comptroller. Nos Estados Unidos, ate hoje comptroller é o título dado à função na área governamental, e Controller, para o profissional da empresa privada. Ricardino Filho (1999 apud, OLIVEIRA, 2009, p. 17)

Hoje em dia nas empresas modernas, o Controller é um executivo de alto nível que comanda equipes altamente treinadas, como o proposito de possibilitar a empresa as melhores escolhas econômicas. Yoshitake, (1984 apud, OLIVEIRA, 2009, p.17).

Pelas palavras de Oliveira (2009, p.17)

O Controller e o executivo financeiro de uma grande ou media empresa que combina as responsabilidades por contabilidade, auditoria, orçamento, planejamento de lucros, relatórios de desempenho, controle de impostos e outras atividades da empresa.

Este novo campo de atuação para os profissionais da Contabilidade requer o conhecimento e o domínio de conceitos de outras áreas como Administração, Economia, Estatística e Informática, (FIGUEIREDO e CAGGIANO, 1997).

“O Controller é o chefe da contabilidade [...] embora suas funções não tenham que se restringir apenas as funções contábeis e o que mais se espera é que ele amplie sua atuação ao desenvolvimento da contabilidade em aplicações gerenciais”, (FIGUEIREDO; CAGGIANO, 1997, p.27)

(19)

O Controller é o gestor encarregado do departamento de Controladoria; seu papel é, por meio do gerenciamento de um eficiente sistema de informação, zelar pela continuidade da empresa, viabilizando as sinergias existentes, fazendo com que as atividades desenvolvidas conjuntamente alcancem resultados superiores aos que alcançariam se trabalhassem independentemente.

Para Horngren (apud PADOVEZE, 2011, p.33)

O Controller. O titulo de Controller se aplica a diversos cargos na área de contabilidade, cujo nível e cujas responsabilidades variam de um a empresa para outra (...). O Controller exerce uma força ou influência ou projeta uma atitude que impele a administração rumo a decisões lógicas e compatíveis com os objetivos.

O Controller dentro de uma organização, para os autores Heckert &Willson ( p. 13/17 apud PADOVEZE 2011 p.33), tem as seguintes funções :

 A função de planejamento.  A função de controle  A função de reporte  A função contábil.

Assim, O Controller tem como tarefa principal, manter o executivo principal da companhia informado sobre os rumos que ela deve tomar e quais os caminhos devem ser seguidos.

2.3 Controladoria no Planejamento Estratégico

Planejamento é a mais básica de todas as funções gerenciais, e a habilidade com que esta função esta sendo desempenhada determina o sucesso de todas as operações, e pode ser definido como o processo de reflexão que precede a ação e é dirigido para a tomada de decisão agora com vistas no futuro, (FIGUEIREDO E CAGGIANO, 1997).

Para Oliveira, Perez Jr e Silva (2002, p.19), “No planejamento estratégico, cabe ao Controller assessorar o principal executivo e os demais gestores na definição estratégica, fornecendo informações rápidas e confiáveis sobre a empresa”.

(20)

Nessas circunstâncias, pensar em uma Controladoria Estratégica significa, em primeiro lugar, a necessidade de planejar estrategicamente, o que exige do Controller a posse das informações e alta dose de sensibilidade para a correta identificação das ameaças e das oportunidades que surgem a todo o momento no ambiente empresarial, (OLIVEIRA; PEREZ JR; SILVA, 2002, p.29).

Segue um esquema hierárquico para as diversas atividades de planejamento e controle realizadas pelas organizações:

Quadro 1: As diversas atividades de planejamento e controle

Planejamento estratégico

Processo de decidir objetivos, mudanças nesses objetivos, recursos para atingir tais objetivos e políticas a governar a aquisição, uso e disposição desses recursos.

Controle gerencial

Processo pelo qual os gerentes que os recursos são obtidos e usados eficaz e eficientemente, na consecução dos objetivos da organização.

Controle operacional Processo de assegurar que tarefas sejam específicas sejam levadas a cabo de modo eficaz e eficiente.

Fonte: Oliveira, Perez Jr, e Silva, (2002, p. 30)

Pode-se dizer que a função principal da Controladoria é o planejamento e o controle gerencial, apoiado pelas informações contábeis e inerentes ao segmento de negócio em que a empresa esta inserida e o mercado como um todo.

A função básica da controladoria é comparar os resultados gerados pela atividade com os que haviam sido projetados. Para que isso possa ser adequadamente executado, é necessário o pleno conhecimento, por parte de toda a organização, dos objetivos estabelecidos e da forma como que se pretende alcançá-los. A documentação dessas informações é feita através de um documento chamado Plano ou Planejamento Estratégico, (PEREZ; PESTANA; FRANCO, 1995, p.41).

(21)

Padoveze (2011, p.99) descreve: “Planejar é uma estratégia para aumentar as chances de sucesso de uma empresa em um mundo de negócios que muda constantemente”.

2.4 Controladoria no processo de gestão

A Controladoria está completamente envolvida na busca da eficácia organizacional, portanto é imprescindível que sejam implementados processos e procedimentos que permitam alcançar esse objetivo. Os processos, as tecnologias e os procedimentos que tornam útil a atuação da controladoria configuram o processo de gestão e o sistema de informações econômico-financeiro, (OLIVEIRA, 2009).

Oliveira (2009, p.21) ainda descreve: “Nesse processo, são tomadas decisões em vários momentos. Trata-se de um processo organizado de planejamento, execução e controle”.

Sobre o papel da Controladoria no processo de gestão, Oliveira. Perez Jr e Silva (2002, p.19) enfatizam:

O papel da Controladoria, portanto, é assessorar as diversas gestões da empresa, fornecendo mensuração das alternativas econômicas e, por meio da visão sistêmica, integrar informações e reportá-las para facilitar o processo decisório. Diante disso, o Controller exerce influência na organização à medida que norteia os gestores para que mantenham sua eficácia e a da organização.

E para Mosimann e Fisch, (1999, p.114)

O processo de gestão, também denominado processo decisório, pode ser definido como um processo de planejamento e controle”. E ainda, “O processo de gestão é influenciado pela filosofia da empresa, por seu modelo de gestão e pelas variáveis ambientais que exercem influencia sobre ela.

A Controladoria não está relacionada somente aos sistemas contábeis, mas deve fazer parte de todo o processo de gestão, desde o planejamento até o controle, fornecendo as informações necessárias para o cumprimento da missão, otimização dos resultados e, principalmente contribuído para a continuidade da organização.

(22)

3 METODOLOGIA

A metodologia da pesquisa na realização do Trabalho de Conclusão de Curso é um processo que descreve o caminho de como o trabalho foi realizado e a busca de informações para o aperfeiçoamento do conhecimento. Esta etapa consiste em uma explicação detalhada do tipo de pesquisa e quais os instrumentos para a sua realização.

3.1 Classificação da pesquisa

A pesquisa é classificada de várias formas, nesse trabalho foi demonstrada a pesquisa sob o ponto de vista da natureza, dos objetivos e do ponto de vista dos procedimentos técnicos.

3.1.1 Do Ponto de Vista da Natureza

A pesquisa classifica-se do ponto de vista da natureza como básica. Para Silva e Menezes (2001, p.20), “objetiva gerar conhecimentos novos uteis para o avanço da ciência sem aplicação pratica prevista. Envolve verdades e interesses locais”.

Neste sentido, este estudo se classifica como uma pesquisa básica, pois analisou o perfil da Controladoria e do Controller em empresas dos Municípios da região Noroeste do estado do Rio Grande do Sul, onde todos podem acessar a pesquisa e utilizar o trabalho como fonte de pesquisa.

3.1.2 Do Ponto de Vista de seus Objetivos

Quanto ao ponto de vista de seus objetivos, fez-se a utilização da pesquisa exploratória, que se apresenta como o melhor meio para atingir o fim proposto.

Estas pesquisas têm como objetivo proporcionar maior familiaridade com o problema, com vistas a torná-lo mais explícito ou a constituir hipóteses. Pode-se dizer que estas pesquisas têm como objetivo principal o aprimoramento de ideias ou a descoberta de intuições. Seu planejamento é, portanto, bastante flexível, de modo que possibilite a consideração dos mais variados aspectos relativos ao fato estudado. Na maioria dos casos, essas pesquisas envolvem: (a) levantamento bibliográfico; (b) entrevistas com

(23)

pessoas que tiveram experiências práticas com o problema pesquisado; e (c) análise de exemplos que "estimulem a compreensão". Selltiz et al., (1967 apud GIL, 2002, p.41).

E ainda pode ser definida como explicativa, pois para Gil (2002, p.42), “Essas pesquisas tem como preocupação central identificar os fatores que determinam ou que contribuem para a ocorrência de fenômenos. Esse é o tipo de pesquisa que mais aprofunda o conhecimento da realidade.”.

Para atingir o objetivo proposto, a pesquisa baseou-se na elaboração e aplicação de um questionário com questões objetivas aos profissionais responsáveis pela Área de Controladoria nas empresas dos Municípios da região Noroeste do estado do Rio Grande do Sul, com o intuito de obter resultados, para assim traçar o perfil da Controladoria e do Controller. A partir destas respostas, pode-se fazer o comparativo entre as mesmas para alcançar o objetivo proposto nesta pesquisa.

3.1.3 Quanto a Forma de Abordagem do Problema

Em relação a abordagem do problema, este estudo abordou uma pesquisa quantitativa.

As pesquisas deste tipo caracterizam-se pela interrogação direta das pessoas cujo comportamento se deseja conhecer. Basicamente, procede-se à solicitação de informações a um grupo significativo de pessoas acerca do problema estudado para, em seguida, mediante análise quantitativa, obterem-se as conclusões correspondentes aos dados coletados. (GIL, 2002, p.50).

Segundo Gil (2002), o levantamento é um tipo de pesquisa que apresenta vantagens, e entre as principais estão, o conhecimento direto da realidade, a economia e rapidez, e a quantificação.

O universo de pesquisa foram 33 empresas de diversos ramos, localizadas na região Noroeste do estado do Rio Grande do Sul. A amostra utilizada na pesquisa foi de 13 questionários que retornaram ao pesquisador. Esta amostra é considerada não probabilística do tipo de amostragem por conveniência. Segundo Beuren (2006, p. 125), “os métodos não probabilísticos fazem uso do raciocínio, dependendo exclusivamente dos critérios do pesquisador para construir as amostras”.

(24)

3.1.4 Do Ponto de Vista dos Procedimentos Técnicos

Como procedimento de pesquisa, este trabalho pode ser caracterizado como uma pesquisa bibliográfica, pois segundo Gil Apud Silva e Menezes (2001, p. 21), “é quando se é elaborada a partir de material já publicado, constituído principalmente de livros, artigos de periódicos e atualmente com material disponibilizado na internet”. Também é um levantamento de dados, que segundo Gil Apud Silva e Menezes (2001, p. 21) conceitua que é “quando a pesquisa envolve a interrogação direta das pessoas cujo comportamento se deseja conhecer”.

3.2 Plano de coleta de dados

Para atingir o objetivo proposto, os dados foram coletados por meio de um questionário fechado que segundo Martins e Lintz (2009 apud SIMAS, 2009, p.22) é definido como “é um conjunto ordenado e consistente de perguntas a respeito de variáveis, e situações, que se deseja medir ou descrever”.

A coleta de dados foi realizada através de questionário composto por 17 questões de natureza fechada e de múltipla escolha, que foram enviados via correio eletrônico.

3.2.1 Instrumentos de Coletas de Dados

Segundo Silva e Menezes (2001), a definição do instrumento de coleta de dados dependerá dos objetivos que se pretende alcançar com a pesquisa e do universo a ser investigado. Os instrumentos tradicionais de coleta de dados utilizados são:

 observação;

 entrevista;

 questionário;

 formulário.

Dentre estas o questionário é uma séria ordenada de perguntas que devem ser respondidas por escrito pelo informante. O questionário deve ser objetivo, limitado

(25)

em extensão e estar acompanhado de instruções As instruções devem esclarecer o propósito de sua aplicação, ressaltar a importância da colaboração do informante e facilitar o preenchimento.

As perguntas do questionário podem ser:

 abertas: “Qual é a sua opinião?”;

 fechadas: duas escolhas: sim ou não;

 de múltiplas escolhas: fechadas com uma série de respostas possíveis. Young e Lundberg (apud SILVA; MENEZES, 2001) fizeram uma série de recomendações úteis à construção de um questionário. Entre elas destacam-se:

 o questionário deverá ser construído em blocos temáticos obedecendo a uma ordem lógica na elaboração das perguntas;

 a redação das perguntas deverá ser feita em linguagem compreensível ao informante. A linguagem deverá ser acessível ao entendimento da média da população estudada;

 a formulação das perguntas deverá evitar a possibilidade de interpretação dúbia, sugerir ou induzir a resposta;

 cada pergunta deverá focar apenas uma questão para ser analisada pelo informante;

 o questionário deverá conter apenas as perguntas relacionadas aos objetivos da pesquisa. Devem ser evitadas perguntas que, de antemão, já se sabe que não serão respondidas com honestidade.

A coleta de dados foi realizada através de questionário aplicado as empresas da região Noroeste do estado do Rio Grande do Sul. Esta coleta de dados ocorreu no período compreendido entre os dias 18 de outubro e 08 de novembro de 2013.

O questionário para a coleta de dados foi composto de 17 questões de natureza fechada e de múltipla escolha, que foram enviados as empresas via correio eletrônico, e retornaram posteriormente ao pesquisador. Segundo Marconi e Lakatos (2003, p. 201), “questionário é um instrumento de coleta de dados, constituído por uma série ordenada de perguntas, que devem ser respondidas por escrito sem a presença do entrevistador”.

(26)

Ainda segundo Marconi e Lakatos (2003), em media, de todos os questionários expedidos por meio eletrônico pelo pesquisador, cerca de 25% são devolvidos com respostas.

E como toda técnica de coleta de dados, o questionário também apresenta uma série de vantagens e desvantagens como verifica-se tabela seguinte.

Quadro 2: Vantagens e desvantagens do uso de questionário da coleta de dados.

Vantagens Desvantagens

Economiza tempo, viagens e obtém grande número de dados.

Percentagem pequena dos questionários que voltam.

Atinge maior número de pessoas

simultaneamente. Grande número de perguntas sem respostas.

Abrange uma área geográfica mais ampla. Não pode ser aplicado a pessoas analfabetas.

Economiza pessoal, tanto em adestramento quanto em trabalho de campo.

Impossibilidade de ajudar o informante em questões mal compreendidas.

Obtém respostas mais rápidas e mais precisas. A dificuldade de compreensão, por parte dos informantes, leva a uma uniformidade aparente.

Há maior liberdade nas respostas, em razão do anonimato.

Na leitura de todas as perguntas, antes de respondê-las, pode uma questão influenciar a outra.

Há mais segurança, pelo fato de as respostas não serem identificadas.

A devolução tardia prejudica o calendário ou sua utilização.

Há menos risco de distorção, pela não influência do pesquisador.

O desconhecimento das circunstâncias em que foram preenchidos toma difícil o controle e a verificação.

Há mais tempo para responder e em hora mais favorável.

Nem sempre é o escolhido quem responde ao questionário, invalidando, portanto, as questões.

Há mais uniformidade na avaliação, em virtude

da natureza impessoal do instrumento. Exige um universo mais homogêneo.

Obtém respostas que materialmente seriam inacessíveis.

(27)

3.3 Plano de Análise e Interpretação dos Dados

A interpretação dos dados foi elaborada por meio de técnicas de análises, interpretação e estatística. A técnica de analise e interpretação consiste em organizar os dados coletados, selecionando, codificando e tabulando as informações obtidas, e posteriormente procurar identificar tendências, padrões relevantes para poder analisa-los e compará-los.

A análise é a tentativa de evidenciar as relações existentes entre o fenômeno estudado e outros fatores. [...] Interpretação é a atividade intelectual que procura dar um significado mais amplo às respostas, vinculando-as a outros conhecimentos. Em geral, a interpretação significa a exposição do verdadeiro significado do material apresentado, em relação aos objetivos propostos e ao tema. Esclarece não só o significado do material, mas também faz ilações mais amplas dos dados discutidos. (MARCONI; LAKATOS, 2003, apud KLAUS, 2009, p.51).

O método estatístico consiste em transformar fenômenos em termos quantitativos, permitindo a manipulação estatística e possibilitando relações e generalizações.

Estatística é a teoria e método de analisar dados obtidos de amostras de observações com o fim de descrever populações, estudar e comparar fontes de variância. O objetivo é auxiliar a tomar decisões sobre aceitar ou rejeitar relações entre fenômenos e para ajudar a fazer inferências fidedignas de observações empíricas (BEUREN, 2006, apud KLAUS, 2009, p.51).

(28)

4 ESTUDO APLICADO

Neste capitulo são apresentados os principais resultados da pesquisa realizada. Foram pesquisadas empresas da região Noroeste do estado do Rio Grande do Sul. A pesquisa foi realizada entre os dias 18 de outubro de 2013 a 08 de novembro de 2013, através do envio de mensagens eletrônicas. O questionário utilizado esta composto de 17 perguntas objetivas, de múltipla escolha, e está incluído no anexo 1 desse trabalho.

4.1 Resumo das empresas pesquisadas

O questionário foi enviado para 35 empresas localizadas na região Noroeste, sendo que 17 empresas deram retorno sobre o questionário, alcançando um índice de retorno de 48,57%, considerado um índice satisfatório para analise dos dados.

Porem, das 17 empresas que deram retorno, algumas respostas não vieram de encontro com o objetivo da pesquisa, neste sentido no gráfico a seguir apresenta-se a distribuição dos 17 empresas que retornaram.

Gráfico 1: Distribuição do retorno das pesquisas

Fonte: Dados da pesquisa

O gráfico anterior apresenta a distribuição do retorno das pesquisas. Pelo gráfico percebe-se que dos 17 retornos obtidos, a maior parte foi de empresas que

70,59% 23,53%

5,88%

Empresas que responderam o questionário

Empresas que não podem responder

Empresas que não tem Controladoria

(29)

responderam o questionário com 12 empresas, representando 70,59% do total. Pela ordem, seguiram 4 empresas com 23,53% que por motivos internos não podiam responder o questionário e 1 empresa com 5,88% respondeu informando que não possuía um departamento de Controladoria.

A partir da análise das respostas dos questionários encaminha-se para o próximo item de análise que é o perfil das empresas pesquisadas.

4.1.1 Perfil das empresas pesquisadas

Para definir o perfil e tamanho das empresas foram elaboradas 3 perguntas referente a quantidade de funcionários, o faturamento mensal e se a empresa possuía uma área de Controladoria implantada. O gráfico a seguir apresenta o tamanho das empresas, considerando o número de funcionários.

Gráfico 2: Quantidade de funcionários

Fonte: Dados da pesquisa

Nesta análise, a maioria das empresas que responderam se encontram na faixa de até 250 funcionários, do total são 7 empresas que representam 58,33%. Na faixa de 1001 a 2000 funcionários foram 3 empresas com 25%, 1 empresa na faixa de 501 a 1000 funcionários e também 1 empresa com mais de 2001 funcionários. Nenhuma das empresas que responderam ao questionário enquadra-se na faixa de 251 a 500 funcionários. 58,33% 0,00% 8,33% 25,00% 8,33% até 250 de 251 a 500 de 501 a 1000 de 1001 a 2000 mais de 2001

(30)

Ainda para definir o tamanho das empresas foi elaborada mais uma pergunta referente o faturamento mensal, como verifica-se na distribuição do gráfico a seguir.

Gráfico 3: Faturamento mensal – Em R$ mil.

Fonte: Dados da pesquisa

Neste gráfico apresenta-se a divisão das empresas pelo seu faturamento mensal em milhares de reais. A grande maioria das respostas estão na faixa de faturamento entre R$ 1.001.000,00 a R$ 10.000.000,00 por mês, com 6 empresas representando 50% do total das empresas pesquisadas. Seguindo pela ordem 4 empresas estão na faixa de mais de R$ 10.000.000,00 representando 33,33% do total, 1 empresa esta na faixa de ate R$ 200.000,00 com 8,33% e 1 empresa na faixa entre R$ 201.000,00 a R$ 500.000,00 com 8,33% do total das empresas pesquisadas.

Esta ultima questão da primeira parte do questionário perguntava se a empresa possuía a área de Controladoria implantada ou não. Dependendo da resposta o questionário terminava neste ponto, pois as demais perguntas estavam direcionadas apenas para as empresas que possuíam Controladoria.

A Controladoria é um conjunto de mecanismos utilizados para orientar a empresa no alcance de seus objetivos.

A Controladoria empenha-se em facilitar a analise [...] para a otimização do resultado. A compreensão do processo de gestão permite a administração da organização estruturar suas fases de tomada de decisão de forma

8,33% 8,33% 0,00% 50,00% 33,33% até 200 de 201 a 500 de 501 a 1.000 de 1.001 a 10.000 mais de 10.000

(31)

conveniente para a manutenção da estabilidade da empresa no mercado em que atua, pois tal processo comtempla o constante monitoramento do comportamento das variáveis ambientais. (OLIVEIRA 2009, p.47).

No gráfico a seguir, verifica-se as empresas tem uma área especifica de Controladoria e a quanto tempo ela está implantada.

Gráfico 4: Empresas que tem área de Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

Como pode-se perceber, das respostas recebidas, apenas 3 empresas possuem uma área de Controladoria implantada, 1 empresa representando 8,33% tem esta área a pelo menos 1 ano e 2 empresas com 16,67% possuem a 4 anos ou mais. A grande maioria das empresas, sendo 9 com 75% do total das respostas, declararam não possuir uma área de Controladoria especifica, ou seja, uma representação expressiva da amostra, indicando que as empresas ainda não estão preparadas para este novo modelo de gestão, e que suas decisões de gestão e estratégias são tomadas pela diretoria da empresa.

De posse desta informação segue-se para o próximo item onde se analisou a área de controladoria das empresas.

75,00% 8,33% 0,00% 0,00% 16,67% Não tem 1 ano 2 anos 3 anos 4 anos ou mais

(32)

4.2 Análise das Empresas com Controladoria Implantada

Nesta segunda etapa da analise da pesquisa, foram analisadas as 3 empresas que possuem uma área de Controladoria implantada e mais 6 empresas que mesmo não possuindo uma área de Controladoria especifica, responderam o questionário identificando o perfil de quem tem o controle das informações e do Controller.

Esta etapa está dividida em três partes, sendo que a primeira apresenta a classificação das empresas que possuem uma área de Controladoria implantada, a segunda e terceira etapa apresentam o resultado das 9 empresas que responderam as demais perguntas, sendo a segunda etapa com perguntas elaboradas para a empresa e a terceira com perguntas direcionadas ao profissional da Controladoria.

4.2.1 Classificação das Empresas com área de Controladoria

Os dois gráficos a seguir demonstram apenas as empresas com área de Controladoria implantada. Neste primeiro a divisão das empresas pelo seu número de funcionários.

Gráfico 5: Quantidade de funcionários de empresas com Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

Pode-se analisar nesse gráfico que as empresas que possuem uma área de Controladoria, são empresas com um numero significativo de funcionários, sendo

66,67% 33,33%

de 1001 a 2000 mais de 2001

(33)

duas empresas representando 66,67% com o numero entre 1001 e 2000 de funcionários, e uma empresa com 33,33% com mais de 2001 funcionários.

Neste próximo gráfico verifica-se a relação com o faturamento das empresas.

Gráfico 6: Faturamento mensal em R$ mil, de empresa com Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

Este gráfico mostra que das três empresas que possuem uma área de Controladoria, duas empresas o que representam 66,67% tem o faturamento mensal superior a R$ 10.000.000,00, e uma empresa com 33,33% tem o seu faturamento mensal entre 1.001.000,00 e 10.000.000,00.

Analisando os resultados pode-se perceber que uma área de Controladoria implantada tem mais importância para empresas com grande número de funcionários e um alto faturamento mensal. Evidenciando assim, que estas empresas procuram tem um melhor controle para suas ações futuras baseadas nas informações fornecidas pela área de Controladoria. Alicerçada na necessidade de um maior controle de sua gestão em função do seu porte econômico e financeiro.

4.2.2 Informações sobre as empresas pesquisadas

Nesta segunda etapa, analisou-se as principais questões relativas a áreas de Controladoria, compreendendo as 3 empresas com área de Controladoria

33,33%

66,67%

de 1.001 a 10.000 mais de 10.000

(34)

implantada e as 6 empresas que mesmo sem uma área de Controladoria especifica, responderam as perguntas identificando o perfil de quem executa este trabalho. Assim estas 9 empresas serão referidas como Controladoria nas questões a seguir.

Como primeira pergunta desta etapa, foi questionado a quem a Controladoria se reporta dentro da organização.

Gráfico 7: Área de subordinação da Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

Neste gráfico pode-se perceber que nas empresas pesquisadas a maioria se subordina a Diretoria da empresa, representando 55,56% com cinco empresas, demonstrando na pratica que a Controladoria tem sua importância e seu poder nas decisões da empresa. Para três empresas representando 33,33% a área de Controladoria está subordinada ao Setor Contábil, e uma empresa com 11,11% se subordina ao Setor Financeiro da empresa.

O gráfico a seguir trata da origem do profissional responsável pela área de Controladoria. 55,56% 33,33% 11,11% 0,00% Diretoria Setor Contábil Setor Financeiro Área Industrial

(35)

Gráfico 8: Origem do profissional responsável pela Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

Neste gráfico percebe-se uma grande concentração na questão da origem com

Controller, mostrando que 77,78% dos profissionais, ou sejam sete do total de

respostas, o profissional começou em outros setores e atualmente ocupa o cargo de responsável da controladoria. Enquanto isso apenas dois profissionais ou 22,22% do total foram contratados diretamente para o exercício da função de Controller.

Esta questão está ligada ao fato que as empresas de nossa região, mantem seus funcionários por muitos anos nas empresas, onde seu crescimento é gradativo. O grande conhecimento que estas pessoas tem sobre o modo de como a empresa é dirigida, é o que o qualifica para assumir esta função, isto está diretamente ligada as empresas que não possuem uma área de Controladoria especifica, pois estes profissionais ate o momento desempenham bem esta função.

No gráfico a seguir identificamos a idade do profissional de Controladoria.

Gráfico 9: Idade do Profissional de Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

22,22%

77,78%

Contratado no mercado

Cresceu dentro da empresa em outros setores 11,11% 33,33% 11,11% 22,22% 22,22% até 25 anos 26 a 35 anos 36 a 45 anos 46 a 55 anos mais de 56 anos

(36)

Pode-se verificar neste gráfico que os profissionais de Controladoria estão bem distribuídos em todas as faixas etárias da pesquisa, não tendo tendências para uma idade definida. A maior concentração esta na faixa entre os 26 e 35 anos com três profissionais representando 33,33% do total, seguindo pela ordem tem dois profissionais com 22,22% na faixa entre 46 a 55 anos, e também dois profissionais com mais de 56 anos de idade.

Ainda nas empresas pesquisadas temos um profissional com menos de 25 anos de idade e um na faixa de 36 a 45 anos, representando 11,11% cada.

Outro fator que a pesquisa pretendeu identificar era o sexo deste profissional. O gráfico a seguir demostra esta questão.

Gráfico 10: Sexo do profissional de Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

Analisando este gráfico identifica-se que a maioria dos profissionais de Controladoria são do sexo masculino, representando 66,67% com seis profissionais do total, assim apenas três representando 33,33% são do sexo feminino. Isso mostra que apesar das mulheres pelo seu espaço nas diversas áreas do conhecimento ele vem sendo conquistado pouco a pouco, principalmente em cargos de destaque e relevância como a responsabilidade pela área de Controladoria.

No gráfico a seguir apresenta-se quantos funcionários trabalham na área de Controladoria além do Controller

33,33%

66,67%

Feminino

(37)

Gráfico 11: Quantidade de funcionários na área de Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

Nos dados apresentados, verifica-se que em quatro empresas ou 44,44% do total, o trabalho é desempenhado por mais um funcionário além do Controller. Para três empresas que representam 33,33% o trabalho é executado por mais quatro funcionários, e em apenas duas empresas ou 22,22%, duas pessoas auxiliam as atividades do Controller.

Sabe-se que algumas empresas as rotinas de trabalho vem crescendo tendo a necessidade de ter mais profissionais trabalhando na Controladoria a fim de poder atender as necessidades de informações dos gestores da empresa.

Neste próximo gráfico foi questionado se a Controladoria participa do processo de planejamento estratégico.

A estratégia, no contexto do ambiente corporativo, é a determinação de metas básicas a longo prazo e dos objetivos de uma empresa, bem como a adoção de linhas de ação e aplicação dos recursos necessários para alcançar essas metas, (OLIVEIRA; PEREZ JR;SILVA, 2002, p.39).

Com as respostas obtidas, percebe-se a tendência e o objetivo da área de Controladoria sendo alcançada dentro do processo de gestão das empresas pesquisadas. 44,44% 22,22% 33,33% 1 funcionário 2 funcionários mais 4 funcionários

(38)

Gráfico 12: Controladoria participa do processo de planejamento estratégico

Fonte: Dados da pesquisa

Percebe-se que a grande maioria das empresas usa a Controladoria no planejamento estratégico. Do total pesquisado oito empresas representando 88,89% utilizam desta ferramenta, e apenas uma empresa com 11,11% não utiliza as informações geradas em seu planejamento.

Com esta próxima questão, busca-se identificar quais as atribuições da área de Controladoria.

Gráfico 13: Principais atribuições da área de Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

88,89% 11,11% Sim Não 7 6 6 6 5 0 1 2 3 4 5 6 7 8 Responsável pelas informações Contábeis Responsável pelas informações levadas a diretoria Responsável pelos Indicadores Gerenciais Responsável pela área de Custos Responsável pelo controle do Patrimônio

(39)

Esta questão por ser de alternativas livres para as empresas pesquisas, apresentou os seguintes dados. Sempre do total das nove empresas, sete responderam que a área de Controladoria é responsável pelas informações contábeis, seis empresas responderam ser responsáveis pelas informações levadas a Diretoria, pelos indicadores gerenciais e pela área de custo, e por fim cinco empresas também utilizam da Controladoria para o controle do Patrimônio.

Deste modo percebe-se que as empresas pesquisadas de nossa região, são responsáveis por praticamente toda parte administrativa das empresas, buscam com a Controladoria assegurar a eficácia da empresa fornecendo as informações requeridas, e também através da coordenação de todas as áreas na busca dos melhores resultados.

Por fim, a ultima pergunta desta etapa, pretende identificar com as empresas o que foi mais importante na decisão em implantar a área de Controladoria.

Gráfico 14: Importância da decisão na implantação da área de Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

Para a maioria das empresas a busca por melhorias nos controles e informações para a tomada de decisões, é o principal motivo para a implantação de uma área de Controladoria, do total oito empresas foram motivadas por isso. Para apenas uma empresa o motivo que a levou a implantação foi o aumento da competitividade entre as empresas.

8 1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9

Melhoria nos controles e informações para a tomada de decisões

Aumento da competitividade da empresa

(40)

4.2.3 Análise do Perfil do Controller

Nesta terceira e ultima etapa, pretende-se analisar as principais questões que envolvem o perfil do responsável pela área de Controladoria, do mesmo modo foram utilizadas as 3 empresas com área de Controladoria implantada e as 6 empresas que mesmo sem uma área de Controladoria especifica, responderam as perguntas identificando o perfil do profissional de Controladoria. Sendo assim estas 9 empresas são utilizadas para analise dos dados referente as questões sobre o profissional de Controladoria.

Nesta primeira pergunta foi questionado sobre o nível de formação do profissional de Controladoria. O gráfico a seguir demostra o resultado.

Gráfico 15: Nível de formação do profissional de Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

Neste gráfico identifica-se que quatro respostas representando 44,44% dos responsáveis pela Controladoria possuem curso de especialização na área. Curso superior completo são três representando 33,33% dos profissionais, apenas um esta com o curso superior em andamento e um responsável pela Controladoria tem Mestrado, representando 11,11% cada.

Com estes resultados apresentados, pode-se verificar que estes profissionais estão na busca de mais conhecimento para garantir mais eficácia no trabalho executado. 11,11% 33,33% 44,44% 11,11% Superior Incompleto Superior Completo Especialização Mestrado

(41)

Com esta questão procurou-se identificar a área de formação superior dos responsáveis pela Controladoria.

Gráfico 16: Área de formação superior

Fonte: Dados da pesquisa

Analisando os resultados, verifica-se que a grande maioria os responsáveis pela Controladoria, tem formação superior em Ciências Contábeis, são sete profissionais representando 77,78% do total de pesquisas, sendo apenas um esta com o nível superior em andamento. Ainda temos um com formação em Administração e um com formação em Ciências Econômicas, representando 11,11% cada.

Com estas informações podemos concluir o profissional com formação em Ciências Contábeis, é o mais valorizado em função de seu amplo conhecimento da essência contábil.

Esta próxima questão é para identificar se o responsável pela Controladoria cursou alguma pós-graduação.

Gráfico 17: Realização de pós-graduação

Fonte: Dados da pesquisa

77,78% 11,11% 11,11% Ciências Contábeis Administração Ciências Econômicas 55,56% 44,44% Sim Não

(42)

Neste gráfico pode-se analisar que cinco responsáveis representando 55,56% cursaram uma pós-graduação, sendo que um deste já possui mestrado, e quatro profissionais com 44,44% não realizaram a continuidade de seus estudos da busca de novos conhecimentos específicos. Esta informação está diretamente relacionada com a primeira pergunta desta terceira etapa, referente o nível de formação dos profissionais de Controladoria.

Neste próximo gráfico a pergunta é relacionada a área de especialização do responsável pela Controladoria.

Gráfico 18: Área de especialização do profissional de Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

Este gráfico representa a área de especialização dos cinco responsáveis que declararam ter cursado pós-graduação no gráfico 17, destes três representando 60% declararam ter especialização na área contábil, um responsável declarou especialização em controladoria e um na área relacionada a finanças, cada um destes representando 20% do total.

Nesta próxima questão foi perguntado qual o cargo ocupado pelo profissional da Controladoria dentro da organização.

Gráfico 19: Cargo ocupado pelo profissional da Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

60,00% 20,00%

20,00% Especialização na área contábil

Especialização em controladoria Especialização em áreas relacionadas a Finanças 11,11% 33,33% 33,33% 11,11% 11,11% Diretoria Gerência Supervisão Coordenação Outra

(43)

Como pode-se analisar no gráfico, tem-se três profissionais que ocupam o cargo de Gerente e três que ocupam o cargo de Supervisão, ambos representam 33,33% cada do total das pesquisas. Dos três demais, um profissional declarou estar no cargo de Diretor, um declarou estar no cargo de Coordenador e o ultimo declarou estar em outro cargo, representando do total da amostra 11,11% cada.

No gráfico apresentado a seguir identificou-se as principais funções desempenhadas, relativas ao cargo de responsável pela área de Controladoria.

Gráfico 20: Principais funções desempenhadas pelo Controller

Fonte: Dados da pesquisa

Das empresas pesquisadas todos os profissionais responderam que a elaboração de relatórios gerenciais é uma das principais funções desempenhadas pelo Controller, seguindo em ordem, oito responderam que os sistemas gerencias fazem parte de suas funções, do mesmo modo o planejamento e o controle orçamentário e a coordenação de fechamentos contábeis mensais fazem parte de suas competências. Também seis profissionais responderam que a gestão de custos está sobre sua responsabilidade.

6 7 7 3 8 3 3 9 4 3 2 3 3 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 G es tão de c u s tos P lan ej am e nto e c on tr o le orç am en tá ri o Co orden aç ão d e f e c h am en to s c on táb e is me ns ai s P lan ej am e nto trib u tári o S is tem as ge re nc iai s E s tu do s d e v ia bi lid ad e de inv es ti m en to P arti c ipa ç ão na r e es tr utu raç ão s oc ie tári a E lab oraç ão de r e lat ório s ge re nc ia is E lab oraç ão de ma n ua is pa ra o c on tr o le int erno Re s p on s áv el pe lo ate n di me n to a cl ien tes , fo rne ce do re s e órgã os … A ud itori a i nte rna Co nta b ili d ad e E s tr até gi c a A c o mp a nh a me n to d e Ri s c o

(44)

Ainda quatro responsáveis também tem sobre sua responsabilidade a elaboração de manuais para o controle interno, três tem o planejamento tributário, estudo de viabilidade de investimento, participação na reestruturação societária, responsável pelo atendimento a clientes, fornecedores e órgãos, contabilidade estratégica e acompanhamento de risco. E apenas dois profissionais declararam ser responsáveis pela auditoria interna.

Com o questionário enviado, identificou-se como o profissional da Controladoria classifica suas habilidades, onde foram relacionadas 10 habilidades onde era para considerar 1 para o nível mínimo e 10 para o nível máximo. Segue abaixo resultado encontrado.

Gráfico 21: Principais habilidades do profissional de Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

Liderança Iniciativa Flexibilidade para mudanças Facilidade de relacionament o interpessoal Capacidade para implantação de novas ideias/ projetos Conhecimento de finanças Domínio de línguas estrangeiras Senso crítico Facilidade de gestão de conflitos Raciocínio lógico-matemático Nivel 1 8 1 Nivel 2 1 2 3 1 2 Nivel 3 2 1 1 2 2 1 Nivel 4 1 4 1 1 1 1 Nivel 5 1 1 1 1 1 1 3 Nivel 6 2 1 4 1 1 Nivel 7 2 2 1 1 2 1 Nivel 8 2 2 1 1 1 2 Nivel 9 2 2 1 1 3 Nivel 10 1 1 1 3 3 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9

(45)

Com os dados do gráfico pode-se analisar que não existe uma habilidade que se sobressaia entre os profissionais, por ordem, as que mais ganham destaque são o conhecimento de finanças e raciocínio logico-matemático, seguindo de liderança, iniciativa e senso crítico, o profissional possui ainda capacidade para implantação de novas ideias e projetos, facilidade de gestão de conflitos, flexibilidades para mudanças, facilidade de relacionamento interpessoal, e por ultimo possuir domínio em línguas estrangeiras.

E finalizando o estudo, no gráfico a seguir apresentam-se as atitudes, avaliando o nível de importância considerado 1 para o nível mínimo e 8 para o nível máximo.

Gráfico 22: Principais atitudes do profissional de Controladoria

Fonte: Dados da pesquisa

Das atitudes que o profissional da Controladoria deve possuir, a que todos consideram a mais importante é a ética, seguido pela visão para o futuro, persistência e cooperação, continuando pela ordem, o profissional considera a imparcialidade, comunicação oral e escrita e a cautela. E por ultima, a persuasão como a atitude de menor relevância para o exercício de sua função.

Ética Cooperação Persistência Persuasão Visão para o

futuro Cautela

Comunicação

oral e escrita Imparcialidade

Nivel 1 1 4 1 2 1 Nivel 2 2 3 3 1 Nivel 3 1 1 1 1 3 2 Nivel 4 1 1 3 4 Nivel 5 4 1 4 Nivel 6 1 3 1 2 1 Nivel 7 3 1 4 1 1 Nivel 8 9 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Imagem

temas relacionados :