ETNIAS E CULTURAS SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por

Texto

(1)

POR QUE TRABALHAR COM A COLEÇÃO ARTE E RAÍZES?

SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓGICO PARA

TURMAS DE 1

a

A 4

a

SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL:

QUE MOEDA É ESSA?

F F F F

F Roteiro de apreciação comparada de duas

imagens reproduzidas no livro

Baianas, Caribé (p. 19).

A Oriental, Emmanuel Zamor (p. ).

Para o trabalho de leitura dessas obras, apresentamos algumas sugestões de per-guntas:

w O que essas imagens possuem em co-mum?

w O que elas possuem de diferente? w O que as mulheres estão fazendo? w Como as mulheres estão vestidas em Baianas? E a mulher em A Oriental?

w Compare as cores utilizadas nas duas pinturas. Qual das imagens possui cores mais apagadas? Qual delas possui cores mais bri-lhantes?

w Qual das duas obras é um retrato? Por quê?

w Como são os lugares onde estão a mu-lheres das duas pinturas?

w Como foram pintadas as mulheres nas duas obras? Com muitos detalhes?

w Com qual obra você mais se identificou? Justifique a sua resposta.

Após a realização dessa leitura compara-da, pergunte aos alunos se a roupa que al-guém usa pode mostrar a etnia a que perten-ce. Questione também se o material com que as roupas são confeccionadas depende do lo-cal onde se vive. Polemize a questão, pergun-tando: as roupas podem dizer sobre a origem social de uma pessoa, por exemplo?

Deixe que a polêmica se estabeleça; ape-nas organize o grupo de modo que cada um possa expressar sua opinião livremente, res-peitando as opiniões alheias em relação ao assunto.

No final, comente que em cada épo-ca e lugar as pessoas vestem-se conforme a classe social, a matéria-prima disponível, o

ETNIAS E CULTURAS

clima, o sexo e a idade. Isso pode suscitar certos preconceitos, como a discriminação social. Questione: será que esse comporta-mento poderia ser diferente?

ATIVIDADES PARA DEPOIS DA LEITURA

Que tal propor a produção de um desfi-le de modas com as roupas típicas das etnias mostradas nesta obra?

Na atividade realizada durante a leitura, as etnias já foram listadas. Aproveite essa lis-ta para que os alunos, divididos em grupos de três, escolham uma delas. Eles poderão criar um traje típico da etnia ou trazê-lo de casa, caso a família possua. Essa roupa pode ser feita em papel crepom, e os acessórios, com sucata e o que mais a imaginação do grupo mandar. Utilize as imagens do livro como referência para a confecção das rou-pas típicas. Um dos membros do grupo de-verá ser o modelo.

Após terminar esse trabalho, o grupo deverá elaborar um pequeno texto para descrever a roupa no momento do desfile e falar sobre a etnia que ela representa. Aqueles que ainda não estiverem alfabeti-zados poderão criar o texto, que deverá ser escrito pelo professor.

Faça desse desfile um momento especial e aproveite para socializar o trabalho de sua classe com as outras classes e séries da escola. F

FF F

F Avaliação

A avaliação dessa atividade poderá ser feita após o desfile. Avalie o resultado com os alunos, questionando:

w O que acharam do conjunto das roupas? w Como foi que conseguiram confeccio-nar cada roupa?

w Os trajes que criaram representam um tipo de etnia. Por que isso acontece?

w De qual imagem do livro você gostou mais? Por quê?

A coleção Arte e Raízes se distingue pelo fato de discutir os temas propostos por meio de obras de artistas populares e eruditos, representantes de diferentes épocas e luga-res. Com isso o aluno é levado a refletir so-bre os temas da cultura popular.

Nas páginas iniciais, a definição de cultu-ra servirá como fio condutor pacultu-ra o desen-volvimento do assunto abordado. As ima-gens selecionadas, além da qualidade visual, imprimem vida aos assuntos tratados. As lações estabelecidas entre as diferentes re-presentações visuais incluídas na obra elimi-nam qualquer possibilidade de o tema cul-tura ser entendido como algo estático, con-gelado, antigo ou em extinção. O diálogo é aberto, e o leitor a todo o momento é convi-dado a refletir acerca do tema a partir de suas experiências pessoais.

No livro sobre etnias e cultura, os textos e as imagens estão concatenados de modo a permitir que o aprimoramento e o exercício de leitura das obras de arte acabem aconte-cendo de forma espontânea e natural, pos-sibilitando ao leitor dirigir o olhar para pro-duções artísticas mais complexas.

Durante a leitura, podem-se apreciar ima-gens de artistas estrangeiros, embora a ên-fase esteja nas produções brasileiras, que, nesta obra, foram organizadas de acordo com a temática que retratam.

Por meio da reunião de imagens feitas em torno de um mesmo tema, sem hierarquia ou separação entre arte erudita e arte po-pular, este livro configura-se em valioso ins-trumento para iniciar, sob o viés da cultura, discussões a respeito das etnias, dos usos e costumes que caracterizam nosso povo.

Professor

Neste suplemento você encontrará duas sugestões de projetos pedagógicos para desenvolver com alunos do ensino fundamental: a primeira é destinada a turmas de 1a a 4a série do ensino fundamental; a segunda, a turmas a partir da 5a série.

Cada um desses projetos tem como base o conteúdo do livro estudado. Para apoiar o trabalho do professor são aprofundadas questões sobre o movimento a que pertence o artista, além da contextualização de uma de suas obras.

Fica a critério do professor aproveitar as atividades para outros projetos, adaptando-as ao perfil de sua turma.

A Editora

2 3 4

F FF

FF Objetivo

Reconhecer, no vestuário, manifestações das etnias (as diversas misturas de povos que caracterizam o povo e a cultura brasileira). F

FF F

F Conteúdos gerais (com referência

nos PCNs de Arte)

w A arte como expressão e comunicação dos indivíduos.

w Diversidade das formas de arte e con-cepções estéticas da cultura regional, nacio-nal e internacionacio-nal: produções, reproduções e suas histórias.

w A arte na sociedade, considerando-se os produtores em arte, as produções e suas for-mas de documentação, preservação e divul-gação em diferentes culturas e momentos históricos.

w Criação e construção de formas plásti-cas em espaço bidimensional.

w Convivência com produções visuais (em originais e reproduzidas) e suas concepções estéticas nas diferentes culturas (regional, nacional e internacional). F FF F F Conteúdos específicos w Usos e costumes. w Etnias e cultura.

F Tema transversal: Pluralidade cultural. F Trabalho interdisciplinar: História e Geografia.

ATIVIDADE PARA ANTES DA LEITURA

F FF

FF Conversa inicial

Comece perguntando aos alunos sobre a origem de suas famílias, de que povo eles descendem. Peça-lhes que conversem sobre o assunto com os pais ou responsáveis e

diga-lhes que tragam para a escola fotogra-fias e objetos (peças de artesanato, roupas, utensílios domésticos) da etnia de origem da família. Marque um dia para trazerem o que conseguiram, a fim de socializar com a classe.

No dia combinado, organize-os em círcu-lo para que cada um mostre o que trouxe e fale um pouco sobre a história da família. Solicite que observem o que há em comum e o que há de diferente entre os objetos tra-zidos por eles.

ATIVIDADES PARA DURANTE A LEITURA

Durante a leitura, verifique se alguns dos objetos trazidos por seus alunos na ati-vidade anterior também aparecem no li-vro. Além disso, convide-os a comparar as informações obtidas na atividade anterior com as informações sobre os usos e costu-mes das diversas etnias que aparecem no livro.

Eles deverão listar as etnias e criar um censo da classe em relação à origem de suas famílias, num grande quadro aluno/etnia. Caso ainda não estejam alfabetizados, aju-de-os a realizar essa listagem.

Pergunte-lhes como, na opinião deles, diferentes etnias podem caracterizar a cul-tura de um povo. Comente que cada povo tem seus próprios usos e costumes em rela-ção à alimentarela-ção, ao vestuário, ao artesa-nato, às tradições e às crenças, pois, apesar de vivermos em plena globalização, os dife-rentes povos do mundo ainda mantêm mui-tas de suas características regionais.

Proponha uma pesquisa a respeito das etnias que os alunos não conhecem e que estão representadas no livro. A pesquisa pode ser feita pela internet ou em bibliote-cas, especializadas ou não.

Nereide Schilaro Santa Rosa

(Formada em Pedagogia, com aperfeiçoamento na Faculdade de Educação da USP, é autora premiada de livros infanto-juvenis.)

SUPLEMENTO DIDÁTICO

Elaborado por

Eliana Pougy – Mestranda em Psicologia e Educação pela Faculdade de Educação da

USP. É autora de coleção de livros didáticos de Artes Visuais para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental I e trabalhou como professora da rede particular

(2)

POR QUE TRABALHAR COM A COLEÇÃO ARTE E RAÍZES?

SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓGICO PARA

TURMAS DE 1

a

A 4

a

SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL:

QUE MOEDA É ESSA?

F F F F

F Roteiro de apreciação comparada de duas

imagens reproduzidas no livro

Baianas, Caribé (p. 19).

A Oriental, Emmanuel Zamor (p. ).

Para o trabalho de leitura dessas obras, apresentamos algumas sugestões de per-guntas:

w O que essas imagens possuem em co-mum?

w O que elas possuem de diferente? w O que as mulheres estão fazendo? w Como as mulheres estão vestidas em Baianas? E a mulher em A Oriental?

w Compare as cores utilizadas nas duas pinturas. Qual das imagens possui cores mais apagadas? Qual delas possui cores mais bri-lhantes?

w Qual das duas obras é um retrato? Por quê?

w Como são os lugares onde estão a mu-lheres das duas pinturas?

w Como foram pintadas as mulheres nas duas obras? Com muitos detalhes?

w Com qual obra você mais se identificou? Justifique a sua resposta.

Após a realização dessa leitura compara-da, pergunte aos alunos se a roupa que al-guém usa pode mostrar a etnia a que perten-ce. Questione também se o material com que as roupas são confeccionadas depende do lo-cal onde se vive. Polemize a questão, pergun-tando: as roupas podem dizer sobre a origem social de uma pessoa, por exemplo?

Deixe que a polêmica se estabeleça; ape-nas organize o grupo de modo que cada um possa expressar sua opinião livremente, res-peitando as opiniões alheias em relação ao assunto.

No final, comente que em cada épo-ca e lugar as pessoas vestem-se conforme a classe social, a matéria-prima disponível, o

ETNIAS E CULTURAS

clima, o sexo e a idade. Isso pode suscitar certos preconceitos, como a discriminação social. Questione: será que esse comporta-mento poderia ser diferente?

ATIVIDADES PARA DEPOIS DA LEITURA

Que tal propor a produção de um desfi-le de modas com as roupas típicas das etnias mostradas nesta obra?

Na atividade realizada durante a leitura, as etnias já foram listadas. Aproveite essa lis-ta para que os alunos, divididos em grupos de três, escolham uma delas. Eles poderão criar um traje típico da etnia ou trazê-lo de casa, caso a família possua. Essa roupa pode ser feita em papel crepom, e os acessórios, com sucata e o que mais a imaginação do grupo mandar. Utilize as imagens do livro como referência para a confecção das rou-pas típicas. Um dos membros do grupo de-verá ser o modelo.

Após terminar esse trabalho, o grupo deverá elaborar um pequeno texto para descrever a roupa no momento do desfile e falar sobre a etnia que ela representa. Aqueles que ainda não estiverem alfabeti-zados poderão criar o texto, que deverá ser escrito pelo professor.

Faça desse desfile um momento especial e aproveite para socializar o trabalho de sua classe com as outras classes e séries da escola. F

FF F

F Avaliação

A avaliação dessa atividade poderá ser feita após o desfile. Avalie o resultado com os alunos, questionando:

w O que acharam do conjunto das roupas? w Como foi que conseguiram confeccio-nar cada roupa?

w Os trajes que criaram representam um tipo de etnia. Por que isso acontece?

w De qual imagem do livro você gostou mais? Por quê?

A coleção Arte e Raízes se distingue pelo fato de discutir os temas propostos por meio de obras de artistas populares e eruditos, representantes de diferentes épocas e luga-res. Com isso o aluno é levado a refletir so-bre os temas da cultura popular.

Nas páginas iniciais, a definição de cultu-ra servirá como fio condutor pacultu-ra o desen-volvimento do assunto abordado. As ima-gens selecionadas, além da qualidade visual, imprimem vida aos assuntos tratados. As lações estabelecidas entre as diferentes re-presentações visuais incluídas na obra elimi-nam qualquer possibilidade de o tema cul-tura ser entendido como algo estático, con-gelado, antigo ou em extinção. O diálogo é aberto, e o leitor a todo o momento é convi-dado a refletir acerca do tema a partir de suas experiências pessoais.

No livro sobre etnias e cultura, os textos e as imagens estão concatenados de modo a permitir que o aprimoramento e o exercício de leitura das obras de arte acabem aconte-cendo de forma espontânea e natural, pos-sibilitando ao leitor dirigir o olhar para pro-duções artísticas mais complexas.

Durante a leitura, podem-se apreciar ima-gens de artistas estrangeiros, embora a ên-fase esteja nas produções brasileiras, que, nesta obra, foram organizadas de acordo com a temática que retratam.

Por meio da reunião de imagens feitas em torno de um mesmo tema, sem hierarquia ou separação entre arte erudita e arte po-pular, este livro configura-se em valioso ins-trumento para iniciar, sob o viés da cultura, discussões a respeito das etnias, dos usos e costumes que caracterizam nosso povo.

Professor

Neste suplemento você encontrará duas sugestões de projetos pedagógicos para desenvolver com alunos do ensino fundamental: a primeira é destinada a turmas de 1a a 4a série do ensino fundamental; a segunda, a turmas a partir da 5a série.

Cada um desses projetos tem como base o conteúdo do livro estudado. Para apoiar o trabalho do professor são aprofundadas questões sobre o movimento a que pertence o artista, além da contextualização de uma de suas obras.

Fica a critério do professor aproveitar as atividades para outros projetos, adaptando-as ao perfil de sua turma.

A Editora

F FF

FF Objetivo

Reconhecer, no vestuário, manifestações das etnias (as diversas misturas de povos que caracterizam o povo e a cultura brasileira). F

FF F

F Conteúdos gerais (com referência

nos PCNs de Arte)

w A arte como expressão e comunicação dos indivíduos.

w Diversidade das formas de arte e con-cepções estéticas da cultura regional, nacio-nal e internacionacio-nal: produções, reproduções e suas histórias.

w A arte na sociedade, considerando-se os produtores em arte, as produções e suas for-mas de documentação, preservação e divul-gação em diferentes culturas e momentos históricos.

w Criação e construção de formas plásti-cas em espaço bidimensional.

w Convivência com produções visuais (em originais e reproduzidas) e suas concepções estéticas nas diferentes culturas (regional, nacional e internacional). F FF F F Conteúdos específicos w Usos e costumes. w Etnias e cultura.

F Tema transversal: Pluralidade cultural. F Trabalho interdisciplinar: História e Geografia.

ATIVIDADE PARA ANTES DA LEITURA

F FF

FF Conversa inicial

Comece perguntando aos alunos sobre a origem de suas famílias, de que povo eles descendem. Peça-lhes que conversem sobre o assunto com os pais ou responsáveis e

diga-lhes que tragam para a escola fotogra-fias e objetos (peças de artesanato, roupas, utensílios domésticos) da etnia de origem da família. Marque um dia para trazerem o que conseguiram, a fim de socializar com a classe.

No dia combinado, organize-os em círcu-lo para que cada um mostre o que trouxe e fale um pouco sobre a história da família. Solicite que observem o que há em comum e o que há de diferente entre os objetos tra-zidos por eles.

ATIVIDADES PARA DURANTE A LEITURA

Durante a leitura, verifique se alguns dos objetos trazidos por seus alunos na ati-vidade anterior também aparecem no li-vro. Além disso, convide-os a comparar as informações obtidas na atividade anterior com as informações sobre os usos e costu-mes das diversas etnias que aparecem no livro.

Eles deverão listar as etnias e criar um censo da classe em relação à origem de suas famílias, num grande quadro aluno/etnia. Caso ainda não estejam alfabetizados, aju-de-os a realizar essa listagem.

Pergunte-lhes como, na opinião deles, diferentes etnias podem caracterizar a cul-tura de um povo. Comente que cada povo tem seus próprios usos e costumes em rela-ção à alimentarela-ção, ao vestuário, ao artesa-nato, às tradições e às crenças, pois, apesar de vivermos em plena globalização, os dife-rentes povos do mundo ainda mantêm mui-tas de suas características regionais.

Proponha uma pesquisa a respeito das etnias que os alunos não conhecem e que estão representadas no livro. A pesquisa pode ser feita pela internet ou em bibliote-cas, especializadas ou não.

Nereide Schilaro Santa Rosa

(Formada em Pedagogia, com aperfeiçoamento na Faculdade de Educação da USP, é autora premiada de livros infanto-juvenis.)

SUPLEMENTO DIDÁTICO

Elaborado por

Eliana Pougy – Mestranda em Psicologia e Educação pela Faculdade de Educação da

USP. É autora de coleção de livros didáticos de Artes Visuais para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental I e trabalhou como professora da rede particular

(3)

POR QUE TRABALHAR COM A COLEÇÃO ARTE E RAÍZES?

SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓGICO PARA

TURMAS DE 1

a

A 4

a

SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL:

QUE MOEDA É ESSA?

F F F F

F Roteiro de apreciação comparada de duas

imagens reproduzidas no livro

Baianas, Caribé (p. 19).

A Oriental, Emmanuel Zamor (p. ).

Para o trabalho de leitura dessas obras, apresentamos algumas sugestões de per-guntas:

w O que essas imagens possuem em co-mum?

w O que elas possuem de diferente? w O que as mulheres estão fazendo? w Como as mulheres estão vestidas em Baianas? E a mulher em A Oriental?

w Compare as cores utilizadas nas duas pinturas. Qual das imagens possui cores mais apagadas? Qual delas possui cores mais bri-lhantes?

w Qual das duas obras é um retrato? Por quê?

w Como são os lugares onde estão a mu-lheres das duas pinturas?

w Como foram pintadas as mulheres nas duas obras? Com muitos detalhes?

w Com qual obra você mais se identificou? Justifique a sua resposta.

Após a realização dessa leitura compara-da, pergunte aos alunos se a roupa que al-guém usa pode mostrar a etnia a que perten-ce. Questione também se o material com que as roupas são confeccionadas depende do lo-cal onde se vive. Polemize a questão, pergun-tando: as roupas podem dizer sobre a origem social de uma pessoa, por exemplo?

Deixe que a polêmica se estabeleça; ape-nas organize o grupo de modo que cada um possa expressar sua opinião livremente, res-peitando as opiniões alheias em relação ao assunto.

No final, comente que em cada épo-ca e lugar as pessoas vestem-se conforme a classe social, a matéria-prima disponível, o

ETNIAS E CULTURAS

clima, o sexo e a idade. Isso pode suscitar certos preconceitos, como a discriminação social. Questione: será que esse comporta-mento poderia ser diferente?

ATIVIDADES PARA DEPOIS DA LEITURA

Que tal propor a produção de um desfi-le de modas com as roupas típicas das etnias mostradas nesta obra?

Na atividade realizada durante a leitura, as etnias já foram listadas. Aproveite essa lis-ta para que os alunos, divididos em grupos de três, escolham uma delas. Eles poderão criar um traje típico da etnia ou trazê-lo de casa, caso a família possua. Essa roupa pode ser feita em papel crepom, e os acessórios, com sucata e o que mais a imaginação do grupo mandar. Utilize as imagens do livro como referência para a confecção das rou-pas típicas. Um dos membros do grupo de-verá ser o modelo.

Após terminar esse trabalho, o grupo deverá elaborar um pequeno texto para descrever a roupa no momento do desfile e falar sobre a etnia que ela representa. Aqueles que ainda não estiverem alfabeti-zados poderão criar o texto, que deverá ser escrito pelo professor.

Faça desse desfile um momento especial e aproveite para socializar o trabalho de sua classe com as outras classes e séries da escola. F

FF F

F Avaliação

A avaliação dessa atividade poderá ser feita após o desfile. Avalie o resultado com os alunos, questionando:

w O que acharam do conjunto das roupas? w Como foi que conseguiram confeccio-nar cada roupa?

w Os trajes que criaram representam um tipo de etnia. Por que isso acontece?

w De qual imagem do livro você gostou mais? Por quê?

A coleção Arte e Raízes se distingue pelo fato de discutir os temas propostos por meio de obras de artistas populares e eruditos, representantes de diferentes épocas e luga-res. Com isso o aluno é levado a refletir so-bre os temas da cultura popular.

Nas páginas iniciais, a definição de cultu-ra servirá como fio condutor pacultu-ra o desen-volvimento do assunto abordado. As ima-gens selecionadas, além da qualidade visual, imprimem vida aos assuntos tratados. As lações estabelecidas entre as diferentes re-presentações visuais incluídas na obra elimi-nam qualquer possibilidade de o tema cul-tura ser entendido como algo estático, con-gelado, antigo ou em extinção. O diálogo é aberto, e o leitor a todo o momento é convi-dado a refletir acerca do tema a partir de suas experiências pessoais.

No livro sobre etnias e cultura, os textos e as imagens estão concatenados de modo a permitir que o aprimoramento e o exercício de leitura das obras de arte acabem aconte-cendo de forma espontânea e natural, pos-sibilitando ao leitor dirigir o olhar para pro-duções artísticas mais complexas.

Durante a leitura, podem-se apreciar ima-gens de artistas estrangeiros, embora a ên-fase esteja nas produções brasileiras, que, nesta obra, foram organizadas de acordo com a temática que retratam.

Por meio da reunião de imagens feitas em torno de um mesmo tema, sem hierarquia ou separação entre arte erudita e arte po-pular, este livro configura-se em valioso ins-trumento para iniciar, sob o viés da cultura, discussões a respeito das etnias, dos usos e costumes que caracterizam nosso povo.

Professor

Neste suplemento você encontrará duas sugestões de projetos pedagógicos para desenvolver com alunos do ensino fundamental: a primeira é destinada a turmas de 1a a 4a série do ensino fundamental; a segunda, a turmas a partir da 5a série.

Cada um desses projetos tem como base o conteúdo do livro estudado. Para apoiar o trabalho do professor são aprofundadas questões sobre o movimento a que pertence o artista, além da contextualização de uma de suas obras.

Fica a critério do professor aproveitar as atividades para outros projetos, adaptando-as ao perfil de sua turma.

A Editora

2 3 4

F FF

FF Objetivo

Reconhecer, no vestuário, manifestações das etnias (as diversas misturas de povos que caracterizam o povo e a cultura brasileira). F

FF F

F Conteúdos gerais (com referência

nos PCNs de Arte)

w A arte como expressão e comunicação dos indivíduos.

w Diversidade das formas de arte e con-cepções estéticas da cultura regional, nacio-nal e internacionacio-nal: produções, reproduções e suas histórias.

w A arte na sociedade, considerando-se os produtores em arte, as produções e suas for-mas de documentação, preservação e divul-gação em diferentes culturas e momentos históricos.

w Criação e construção de formas plásti-cas em espaço bidimensional.

w Convivência com produções visuais (em originais e reproduzidas) e suas concepções estéticas nas diferentes culturas (regional, nacional e internacional). F FF F F Conteúdos específicos w Usos e costumes. w Etnias e cultura.

F Tema transversal: Pluralidade cultural. F Trabalho interdisciplinar: História e Geografia.

ATIVIDADE PARA ANTES DA LEITURA

F FF

FF Conversa inicial

Comece perguntando aos alunos sobre a origem de suas famílias, de que povo eles descendem. Peça-lhes que conversem sobre o assunto com os pais ou responsáveis e

diga-lhes que tragam para a escola fotogra-fias e objetos (peças de artesanato, roupas, utensílios domésticos) da etnia de origem da família. Marque um dia para trazerem o que conseguiram, a fim de socializar com a classe.

No dia combinado, organize-os em círcu-lo para que cada um mostre o que trouxe e fale um pouco sobre a história da família. Solicite que observem o que há em comum e o que há de diferente entre os objetos tra-zidos por eles.

ATIVIDADES PARA DURANTE A LEITURA

Durante a leitura, verifique se alguns dos objetos trazidos por seus alunos na ati-vidade anterior também aparecem no li-vro. Além disso, convide-os a comparar as informações obtidas na atividade anterior com as informações sobre os usos e costu-mes das diversas etnias que aparecem no livro.

Eles deverão listar as etnias e criar um censo da classe em relação à origem de suas famílias, num grande quadro aluno/etnia. Caso ainda não estejam alfabetizados, aju-de-os a realizar essa listagem.

Pergunte-lhes como, na opinião deles, diferentes etnias podem caracterizar a cul-tura de um povo. Comente que cada povo tem seus próprios usos e costumes em rela-ção à alimentarela-ção, ao vestuário, ao artesa-nato, às tradições e às crenças, pois, apesar de vivermos em plena globalização, os dife-rentes povos do mundo ainda mantêm mui-tas de suas características regionais.

Proponha uma pesquisa a respeito das etnias que os alunos não conhecem e que estão representadas no livro. A pesquisa pode ser feita pela internet ou em bibliote-cas, especializadas ou não.

Nereide Schilaro Santa Rosa

(Formada em Pedagogia, com aperfeiçoamento na Faculdade de Educação da USP, é autora premiada de livros infanto-juvenis.)

SUPLEMENTO DIDÁTICO

Elaborado por

Eliana Pougy – Mestranda em Psicologia e Educação pela Faculdade de Educação da

USP. É autora de coleção de livros didáticos de Artes Visuais para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental I e trabalhou como professora da rede particular

(4)

POR QUE TRABALHAR COM A COLEÇÃO ARTE E RAÍZES?

SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓGICO PARA

TURMAS DE 1

a

A 4

a

SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL:

QUE MOEDA É ESSA?

F F F F

F Roteiro de apreciação comparada de duas

imagens reproduzidas no livro

Baianas, Caribé (p. 19).

A Oriental, Emmanuel Zamor (p. ).

Para o trabalho de leitura dessas obras, apresentamos algumas sugestões de per-guntas:

w O que essas imagens possuem em co-mum?

w O que elas possuem de diferente? w O que as mulheres estão fazendo? w Como as mulheres estão vestidas em Baianas? E a mulher em A Oriental?

w Compare as cores utilizadas nas duas pinturas. Qual das imagens possui cores mais apagadas? Qual delas possui cores mais bri-lhantes?

w Qual das duas obras é um retrato? Por quê?

w Como são os lugares onde estão a mu-lheres das duas pinturas?

w Como foram pintadas as mulheres nas duas obras? Com muitos detalhes?

w Com qual obra você mais se identificou? Justifique a sua resposta.

Após a realização dessa leitura compara-da, pergunte aos alunos se a roupa que al-guém usa pode mostrar a etnia a que perten-ce. Questione também se o material com que as roupas são confeccionadas depende do lo-cal onde se vive. Polemize a questão, pergun-tando: as roupas podem dizer sobre a origem social de uma pessoa, por exemplo?

Deixe que a polêmica se estabeleça; ape-nas organize o grupo de modo que cada um possa expressar sua opinião livremente, res-peitando as opiniões alheias em relação ao assunto.

No final, comente que em cada épo-ca e lugar as pessoas vestem-se conforme a classe social, a matéria-prima disponível, o

ETNIAS E CULTURAS

clima, o sexo e a idade. Isso pode suscitar certos preconceitos, como a discriminação social. Questione: será que esse comporta-mento poderia ser diferente?

ATIVIDADES PARA DEPOIS DA LEITURA

Que tal propor a produção de um desfi-le de modas com as roupas típicas das etnias mostradas nesta obra?

Na atividade realizada durante a leitura, as etnias já foram listadas. Aproveite essa lis-ta para que os alunos, divididos em grupos de três, escolham uma delas. Eles poderão criar um traje típico da etnia ou trazê-lo de casa, caso a família possua. Essa roupa pode ser feita em papel crepom, e os acessórios, com sucata e o que mais a imaginação do grupo mandar. Utilize as imagens do livro como referência para a confecção das rou-pas típicas. Um dos membros do grupo de-verá ser o modelo.

Após terminar esse trabalho, o grupo deverá elaborar um pequeno texto para descrever a roupa no momento do desfile e falar sobre a etnia que ela representa. Aqueles que ainda não estiverem alfabeti-zados poderão criar o texto, que deverá ser escrito pelo professor.

Faça desse desfile um momento especial e aproveite para socializar o trabalho de sua classe com as outras classes e séries da escola. F

FF F

F Avaliação

A avaliação dessa atividade poderá ser feita após o desfile. Avalie o resultado com os alunos, questionando:

w O que acharam do conjunto das roupas? w Como foi que conseguiram confeccio-nar cada roupa?

w Os trajes que criaram representam um tipo de etnia. Por que isso acontece?

w De qual imagem do livro você gostou mais? Por quê?

A coleção Arte e Raízes se distingue pelo fato de discutir os temas propostos por meio de obras de artistas populares e eruditos, representantes de diferentes épocas e luga-res. Com isso o aluno é levado a refletir so-bre os temas da cultura popular.

Nas páginas iniciais, a definição de cultu-ra servirá como fio condutor pacultu-ra o desen-volvimento do assunto abordado. As ima-gens selecionadas, além da qualidade visual, imprimem vida aos assuntos tratados. As lações estabelecidas entre as diferentes re-presentações visuais incluídas na obra elimi-nam qualquer possibilidade de o tema cul-tura ser entendido como algo estático, con-gelado, antigo ou em extinção. O diálogo é aberto, e o leitor a todo o momento é convi-dado a refletir acerca do tema a partir de suas experiências pessoais.

No livro sobre etnias e cultura, os textos e as imagens estão concatenados de modo a permitir que o aprimoramento e o exercício de leitura das obras de arte acabem aconte-cendo de forma espontânea e natural, pos-sibilitando ao leitor dirigir o olhar para pro-duções artísticas mais complexas.

Durante a leitura, podem-se apreciar ima-gens de artistas estrangeiros, embora a ên-fase esteja nas produções brasileiras, que, nesta obra, foram organizadas de acordo com a temática que retratam.

Por meio da reunião de imagens feitas em torno de um mesmo tema, sem hierarquia ou separação entre arte erudita e arte po-pular, este livro configura-se em valioso ins-trumento para iniciar, sob o viés da cultura, discussões a respeito das etnias, dos usos e costumes que caracterizam nosso povo.

Professor

Neste suplemento você encontrará duas sugestões de projetos pedagógicos para desenvolver com alunos do ensino fundamental: a primeira é destinada a turmas de 1a a 4a série do ensino fundamental; a segunda, a turmas a partir da 5a série.

Cada um desses projetos tem como base o conteúdo do livro estudado. Para apoiar o trabalho do professor são aprofundadas questões sobre o movimento a que pertence o artista, além da contextualização de uma de suas obras.

Fica a critério do professor aproveitar as atividades para outros projetos, adaptando-as ao perfil de sua turma.

A Editora

F FF

FF Objetivo

Reconhecer, no vestuário, manifestações das etnias (as diversas misturas de povos que caracterizam o povo e a cultura brasileira). F

FF F

F Conteúdos gerais (com referência

nos PCNs de Arte)

w A arte como expressão e comunicação dos indivíduos.

w Diversidade das formas de arte e con-cepções estéticas da cultura regional, nacio-nal e internacionacio-nal: produções, reproduções e suas histórias.

w A arte na sociedade, considerando-se os produtores em arte, as produções e suas for-mas de documentação, preservação e divul-gação em diferentes culturas e momentos históricos.

w Criação e construção de formas plásti-cas em espaço bidimensional.

w Convivência com produções visuais (em originais e reproduzidas) e suas concepções estéticas nas diferentes culturas (regional, nacional e internacional). F FF F F Conteúdos específicos w Usos e costumes. w Etnias e cultura.

F Tema transversal: Pluralidade cultural. F Trabalho interdisciplinar: História e Geografia.

ATIVIDADE PARA ANTES DA LEITURA

F FF

FF Conversa inicial

Comece perguntando aos alunos sobre a origem de suas famílias, de que povo eles descendem. Peça-lhes que conversem sobre o assunto com os pais ou responsáveis e

diga-lhes que tragam para a escola fotogra-fias e objetos (peças de artesanato, roupas, utensílios domésticos) da etnia de origem da família. Marque um dia para trazerem o que conseguiram, a fim de socializar com a classe.

No dia combinado, organize-os em círcu-lo para que cada um mostre o que trouxe e fale um pouco sobre a história da família. Solicite que observem o que há em comum e o que há de diferente entre os objetos tra-zidos por eles.

ATIVIDADES PARA DURANTE A LEITURA

Durante a leitura, verifique se alguns dos objetos trazidos por seus alunos na ati-vidade anterior também aparecem no li-vro. Além disso, convide-os a comparar as informações obtidas na atividade anterior com as informações sobre os usos e costu-mes das diversas etnias que aparecem no livro.

Eles deverão listar as etnias e criar um censo da classe em relação à origem de suas famílias, num grande quadro aluno/etnia. Caso ainda não estejam alfabetizados, aju-de-os a realizar essa listagem.

Pergunte-lhes como, na opinião deles, diferentes etnias podem caracterizar a cul-tura de um povo. Comente que cada povo tem seus próprios usos e costumes em rela-ção à alimentarela-ção, ao vestuário, ao artesa-nato, às tradições e às crenças, pois, apesar de vivermos em plena globalização, os dife-rentes povos do mundo ainda mantêm mui-tas de suas características regionais.

Proponha uma pesquisa a respeito das etnias que os alunos não conhecem e que estão representadas no livro. A pesquisa pode ser feita pela internet ou em bibliote-cas, especializadas ou não.

Nereide Schilaro Santa Rosa

(Formada em Pedagogia, com aperfeiçoamento na Faculdade de Educação da USP, é autora premiada de livros infanto-juvenis.)

SUPLEMENTO DIDÁTICO

Elaborado por

Eliana Pougy – Mestranda em Psicologia e Educação pela Faculdade de Educação da

USP. É autora de coleção de livros didáticos de Artes Visuais para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental I e trabalhou como professora da rede particular

(5)

ATIVIDADES PARA DURANTE A LEITURA

Durante a leitura, reforce o trecho da pá-gina 3, lendo-o com os alunos:

"Uma coisa é certa: nós, o povo brasileiro, somos resultado da miscigenação dos indíge-nas que aqui viviam com os africanos e os eu-ropeus que para cá vieram. Nossa cultura tão rica é fruto da combinação dos costumes, das línguas e dos dialetos, do estilo de vida dos povos que aqui se encontraram".

Depois, o seguinte trecho, da página 20: “Abolida a escravidão em 1888, o gover-no do Brasil, entre o final do século XIX e início do século XX, incentivou a vinda de imigrantes europeus e asiáticos para traba-lharem nas lavouras de café e nas indústrias que começavam a surgir.

Reiniciou-se, assim, o processo de misci-genação étnica. Com o passar dos anos, ja-poneses, italianos, árabes, alemães, espa-nhóis e outros povos se misturaram aos mulatos, caboclos, cafuzos, africanos, indí-genas, contribuindo para o que somos hoje: um povo culturalmente riquíssimo.“

A partir da leitura desses trechos, peça aos alunos que relacionem as etnias citadas no livro aos itens listados na atividade ante-rior (tipo físico, língua, vestuário, alimenta-ção, artesanato/arte, utensílios domésticos, organização social, modo de trabalho), cri-ando um grande quadro de referência etnia/ características.

F FF

FF Roteiro de apreciação comparada de

duas imagens reproduzidas no livro

Operários, Tarsila do Amaral (p. 2). Mercado, Caribé (p. 31).

Conduza uma discussão em que os alu-nos possam comparar as duas obras. Algu-mas sugestões de perguntas:

w O que essas imagens possuem em co-mum?

w Quais são as diferenças entre elas? w Como as pessoas estão agrupadas? w O que estão fazendo?

w Como é o lugar onde elas estão? w Qual das obras transmite mais ação? w Qual delas parece mais triste? Qual pa-rece mais alegre?

w Nas imagens, podemos perceber as di-ferentes etnias?

w Que idade as pessoas aparentam? w Qual das imagens parece ser mais rea-lista?

w Qual das duas mais lhe agrada? Por quê?

w Você consegue imaginar alguma histó-ria ao observar essas obras? Qual?

Após a realização dessa atividade, compare a sensação transmitida pelas obras às informações obtidas no livro. Converse sobre as diferentes caracterís-ticas físicas das etnias e sobre a influên-cia do lugar onde vivemos em nossos usos e costumes, como fonte de matéria-prima para a confecção de artesanato, utensílios domésticos, roupas, alimentos etc.

ATIVIDADES PARA DEPOIS DA LEITURA

A atividade sugerida é a criação e pro-dução de uma peça de teatro. Divida a turma em grupos de cinco. Cada grupo es-colherá uma etnia. Você pode, junto com seus alunos, criar a seqüência das apresen-tações dos grupos baseada na história da miscigenação étnica que ocorreu no Brasil e que é contada no livro.

Peça-lhes que criem um pequeno enre-do para a peça e, se possível, que incluam no texto um diálogo na língua da etnia.

Ao planejar a produção da peça, os alu-nos deverão levar em conta:

w roteiro w cenário w figurino w trilha sonora w iluminação

Peça-lhes que detalhem o planejamento no papel e que redijam o roteiro. Ajude-os a estipular funções para cada aluno do

gru-5 6 7

Arte-educação

ARGAN, G. C. Arte Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

BARBOSA, A. M. Arte-educação: conflitos / acertos. São Paulo: Ateliê Editorial, 1997.

_________. A imagem do ensino da arte: anos oitenta e novos tempos. São Paulo/ Porto Alegre: Perspectiva /Fundação Iochpe, 1981.

_________. Arte-educação no Brasil: das origens ao modernismo. São Paulo: Perspec-tiva,1997.

GOMBRICH, E. H. Arte e ilusão. São Pau-lo: Edusp,1992.

IAVELBERG, Rosa. Para gostar de apren-der arte: sala de aula e formação de profes-sores. Porto Alegre: Artmed, 2002.

JANSON, H. W. Iniciação à História da Arte. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

MARTINS, M. C. et alii. Didática do en-sino da arte: a língua do mundo — Poe-tizar, fruir e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998.

SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓGICO PARA TURMAS

A PARTIR DA 5

a

SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL:

NA PONTA DA LÍNGUA

F FF

FF Objetivo

A partir da leitura do livro, da apreciação de imagens e da produção de uma peça tea-tral, promover uma reflexão acerca das di-versas etnias que caracterizam nosso povo e nossa cultura.

F FF F

F Conteúdos gerais (com referência nos

PCNs de Arte)

w Criação e construção de formas plásti-cas e visuais em espaços diversos (bidimen-sional e tridimen(bidimen-sional).

w Identificação dos significados expressi-vos e comunicatiexpressi-vos das formas visuais.

w Contato sensível, reconhecimento e análise de formas visuais presentes na natu-reza e nas diversas culturas.

w Identificação de produtores em artes vi-suais como agentes sociais de diferentes épocas e culturas: aspectos de suas vidas e alguns produtos artísticos.

F FF F F Conteúdos específicos w Etnias e cultura. w Linguagem teatral.

F Tema transversal: Pluralidade cultural. F Trabalho interdisciplinar: História, Geo-grafia e Língua estrangeira.

ATIVIDADE PARA ANTES DA LEITURA

F FF F

F Conversa inicial

O tema etnias é um dos assuntos princi-pais deste livro. Com alunos a partir da 5a série, é possível promover uma conversa a respeito das diversas etnias que se misci-genaram e que caracterizam o nosso povo e sua cultura. Comece a discussão perguntan-do aos alunos de qual povo suas famílias

descendem, quais são as etnias que eles co-nhecem e quais etnias eles acham que se combinaram para formar o povo brasileiro. Leve-os a refletir e peça-lhes que listem o que caracteriza um povo, tal como:

w tipo físico

w local onde vivem w língua w vestuário w alimentação w artesanato/arte w utensílios domésticos w organização social w modo de trabalho

Após chegarem a essas conclusões, ques-tione o fato de alguns povos estarem em vias de extinção. Pergunte a eles se conhe-cem algum povo que não exista, como os incas, os maias e os astecas, por exemplo. Questione sobre o fato de um povo domi-nar outro povo e até explorar sua força de trabalho. Comente sobre a escravidão e outras formas de abuso de poder.

Questione também se a convivência pa-cífica entre os povos é possível. Fale sobre as trocas culturais que podem existir num processo de migração, por exemplo, que leva o conhecimento, a arte e os usos e cos-tumes de um povo para outro.

Essa também é uma excelente chance de conversar com seus alunos sobre a globa-lização, suas vantagens e seus problemas. Sabemos que a globalização impõe deter-minadas culturas a quase todos os povos do mundo e isso acontece principalmente por causa da mídia. Mas, ao mesmo tempo, pre-senciamos uma revitalização das culturas regionais como forma de resistência a essa unificação cultural.

Peça que os alunos façam uma pesquisa sobre o assunto em sites da internet ou em jornais e revistas.

F F F

F F Avaliação

A avaliação desse trabalho deverá ser fei-ta após a apresenfei-tação da peça. Atente para o cuidado com a produção e a interpreta-ção dos alunos. A auto-avaliainterpreta-ção, nesse caso, também vale.

po. Ensaie com eles, orientando-os em rela-ção à interpretarela-ção e à pronúncia correta das línguas.

Marque um dia especial para a apresen-tação. Convide outras classes e séries e pro-mova um dia de teatro na escola!

BIBLIOGRAFIA

Folclore – cultura popular

ARANTES, A. O que é cultura popular. São Paulo: Brasiliense, 1982.

BRANDÃO, C. R. O que é folclore. São Paulo: Brasiliense, 1982.

LARAIA, R. B. Cultura: um conceito antro-pológico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1986. ORTIZ, R. A consciência fragmentada:

en-saios de cultura popular e religião. São Pau-lo: Paz e Terra, 1980.

REILY, S. A. Manifestações populares: do aproveitamento à reapropriação. In: Do folclore à cultura popular. Anais do Encontro de Pesquisadores nas Ciências Sociais, 1990. Departamento de Antropo-logia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

PARSONS, M. J. Compreender a arte. 1. ed. Lisboa: Presença, 1992.

ROSSI, M. H. W. A compreensão das ima-gens da arte. Arte & Educação em revista. Por-to Alegre: UFRGS/Iochpe. I: 27-35, out. 1995.

DICIONÁRIOS

DICIONÁRIO DA PINTURA MODERNA. São Paulo: Hemus, 1981.

DICIONÁRIO OXFORD DE ARTE. São Pau-lo: Martins Fontes, 1996.

MARCONDES, Luis Fernando (org.). Dicionário de termos artísticos. Rio de Janei-ro: Pinakotheke, 1988.

READ, Herbert (org.). Dicionário da arte e dos artistas. Lisboa: Edições 70, 1989.

ENCICLOPÉDIA

ENCICLOPÉDIA DOS MUSEUS. Museu de Arte de São Paulo. São Paulo: Melhoramen-tos, 1978.

CULTURA

A cultura é o conjunto de crenças,

condu-tas, linguagem e forma de vida de um gru-po de pessoas, em um determinado período de tempo. Da cultura fazem parte os costu-mes, as cerimônias, a tecnologia e a arte, além dos êxitos intelectuais de uma socie-dade.

Os costumes são valores sociais consagra-dos pela tradição e que se impõem de gera-ção em geragera-ção. Esses costumes podem mo-dificar-se com o passar do tempo, e a cultu-ra de um povo pode influenciar a cultucultu-ra de outro, em conseqüência das trocas culturais que geralmente acontecem em processos de migração ou mesmo em períodos de guer-ra. Em nossos dias, a mídia e os meios de co-municação também cumprem essa função de troca cultural.

Da cultura fazem parte tanto o conheci-mento científico e a arte erudita quanto o folclore e a cultura popular. É um mundo de entidades subjetivas e objetivas com extma pluralidade. A cultura é tudo o que re-sulta da criação humana. O homem produz cultura, promove transformações à sua vol-ta e por elas é influenciado. Não há cultura

sem homem e nem homem sem cultura. Ela está tanto fora quanto dentro de cada indi-víduo.

Quando alguém nasce, já encontra uma sociedade estruturada com regras, valores, filosofias, costumes, verdades, idioma, reli-giões etc. Aos poucos, vai interiorizando tudo o que a sociedade lhe oferece. A esse processo chamamos de socialização, feita por intermédio da família, da escola, da reli-gião, dos companheiros, da mídia, em sínte-se, de todo grupo social.

A socialização, no sentido de construir e assimilar uma cultura, é uma potencialidade do ser humano, mas que se desenvolve ape-nas na interação entre os indivíduos; e essa interação começa na família. A escola é a se-gunda instituição em que interagimos com outras pessoas da nossa sociedade. À educa-ção e à escola cabem a guarda do conheci-mento e o ensino dos códigos das diversas lin-guagens. Com conhecimento e linguagem se produz cultura. Por isso, a produção cultural também é uma preocupação relevante da educação, e formar futuros produtores cul-turais preparados também é sua função.

(6)

ATIVIDADES PARA DURANTE A LEITURA

Durante a leitura, reforce o trecho da pá-gina 3, lendo-o com os alunos:

"Uma coisa é certa: nós, o povo brasileiro, somos resultado da miscigenação dos indíge-nas que aqui viviam com os africanos e os eu-ropeus que para cá vieram. Nossa cultura tão rica é fruto da combinação dos costumes, das línguas e dos dialetos, do estilo de vida dos povos que aqui se encontraram".

Depois, o seguinte trecho, da página 20: “Abolida a escravidão em 1888, o gover-no do Brasil, entre o final do século XIX e início do século XX, incentivou a vinda de imigrantes europeus e asiáticos para traba-lharem nas lavouras de café e nas indústrias que começavam a surgir.

Reiniciou-se, assim, o processo de misci-genação étnica. Com o passar dos anos, ja-poneses, italianos, árabes, alemães, espa-nhóis e outros povos se misturaram aos mulatos, caboclos, cafuzos, africanos, indí-genas, contribuindo para o que somos hoje: um povo culturalmente riquíssimo.“

A partir da leitura desses trechos, peça aos alunos que relacionem as etnias citadas no livro aos itens listados na atividade ante-rior (tipo físico, língua, vestuário, alimenta-ção, artesanato/arte, utensílios domésticos, organização social, modo de trabalho), cri-ando um grande quadro de referência etnia/ características.

F FF

FF Roteiro de apreciação comparada de

duas imagens reproduzidas no livro

Operários, Tarsila do Amaral (p. 2). Mercado, Caribé (p. 31).

Conduza uma discussão em que os alu-nos possam comparar as duas obras. Algu-mas sugestões de perguntas:

w O que essas imagens possuem em co-mum?

w Quais são as diferenças entre elas? w Como as pessoas estão agrupadas? w O que estão fazendo?

w Como é o lugar onde elas estão? w Qual das obras transmite mais ação? w Qual delas parece mais triste? Qual pa-rece mais alegre?

w Nas imagens, podemos perceber as di-ferentes etnias?

w Que idade as pessoas aparentam? w Qual das imagens parece ser mais rea-lista?

w Qual das duas mais lhe agrada? Por quê?

w Você consegue imaginar alguma histó-ria ao observar essas obras? Qual?

Após a realização dessa atividade, compare a sensação transmitida pelas obras às informações obtidas no livro. Converse sobre as diferentes caracterís-ticas físicas das etnias e sobre a influên-cia do lugar onde vivemos em nossos usos e costumes, como fonte de matéria-prima para a confecção de artesanato, utensílios domésticos, roupas, alimentos etc.

ATIVIDADES PARA DEPOIS DA LEITURA

A atividade sugerida é a criação e pro-dução de uma peça de teatro. Divida a turma em grupos de cinco. Cada grupo es-colherá uma etnia. Você pode, junto com seus alunos, criar a seqüência das apresen-tações dos grupos baseada na história da miscigenação étnica que ocorreu no Brasil e que é contada no livro.

Peça-lhes que criem um pequeno enre-do para a peça e, se possível, que incluam no texto um diálogo na língua da etnia.

Ao planejar a produção da peça, os alu-nos deverão levar em conta:

w roteiro w cenário w figurino w trilha sonora w iluminação

Peça-lhes que detalhem o planejamento no papel e que redijam o roteiro. Ajude-os a estipular funções para cada aluno do

gru-Arte-educação

ARGAN, G. C. Arte Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

BARBOSA, A. M. Arte-educação: conflitos / acertos. São Paulo: Ateliê Editorial, 1997.

_________. A imagem do ensino da arte: anos oitenta e novos tempos. São Paulo/ Porto Alegre: Perspectiva /Fundação Iochpe, 1981.

_________. Arte-educação no Brasil: das origens ao modernismo. São Paulo: Perspec-tiva,1997.

GOMBRICH, E. H. Arte e ilusão. São Pau-lo: Edusp,1992.

IAVELBERG, Rosa. Para gostar de apren-der arte: sala de aula e formação de profes-sores. Porto Alegre: Artmed, 2002.

JANSON, H. W. Iniciação à História da Arte. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

MARTINS, M. C. et alii. Didática do en-sino da arte: a língua do mundo — Poe-tizar, fruir e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998.

SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓGICO PARA TURMAS

A PARTIR DA 5

a

SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL:

NA PONTA DA LÍNGUA

F FF

FF Objetivo

A partir da leitura do livro, da apreciação de imagens e da produção de uma peça tea-tral, promover uma reflexão acerca das di-versas etnias que caracterizam nosso povo e nossa cultura.

F FF F

F Conteúdos gerais (com referência nos

PCNs de Arte)

w Criação e construção de formas plásti-cas e visuais em espaços diversos (bidimen-sional e tridimen(bidimen-sional).

w Identificação dos significados expressi-vos e comunicatiexpressi-vos das formas visuais.

w Contato sensível, reconhecimento e análise de formas visuais presentes na natu-reza e nas diversas culturas.

w Identificação de produtores em artes vi-suais como agentes sociais de diferentes épocas e culturas: aspectos de suas vidas e alguns produtos artísticos.

F FF F F Conteúdos específicos w Etnias e cultura. w Linguagem teatral.

F Tema transversal: Pluralidade cultural. F Trabalho interdisciplinar: História, Geo-grafia e Língua estrangeira.

ATIVIDADE PARA ANTES DA LEITURA

F FF F

F Conversa inicial

O tema etnias é um dos assuntos princi-pais deste livro. Com alunos a partir da 5a série, é possível promover uma conversa a respeito das diversas etnias que se misci-genaram e que caracterizam o nosso povo e sua cultura. Comece a discussão perguntan-do aos alunos de qual povo suas famílias

descendem, quais são as etnias que eles co-nhecem e quais etnias eles acham que se combinaram para formar o povo brasileiro. Leve-os a refletir e peça-lhes que listem o que caracteriza um povo, tal como:

w tipo físico

w local onde vivem w língua w vestuário w alimentação w artesanato/arte w utensílios domésticos w organização social w modo de trabalho

Após chegarem a essas conclusões, ques-tione o fato de alguns povos estarem em vias de extinção. Pergunte a eles se conhe-cem algum povo que não exista, como os incas, os maias e os astecas, por exemplo. Questione sobre o fato de um povo domi-nar outro povo e até explorar sua força de trabalho. Comente sobre a escravidão e outras formas de abuso de poder.

Questione também se a convivência pa-cífica entre os povos é possível. Fale sobre as trocas culturais que podem existir num processo de migração, por exemplo, que leva o conhecimento, a arte e os usos e cos-tumes de um povo para outro.

Essa também é uma excelente chance de conversar com seus alunos sobre a globa-lização, suas vantagens e seus problemas. Sabemos que a globalização impõe deter-minadas culturas a quase todos os povos do mundo e isso acontece principalmente por causa da mídia. Mas, ao mesmo tempo, pre-senciamos uma revitalização das culturas regionais como forma de resistência a essa unificação cultural.

Peça que os alunos façam uma pesquisa sobre o assunto em sites da internet ou em jornais e revistas.

F F F

F F Avaliação

A avaliação desse trabalho deverá ser fei-ta após a apresenfei-tação da peça. Atente para o cuidado com a produção e a interpreta-ção dos alunos. A auto-avaliainterpreta-ção, nesse caso, também vale.

po. Ensaie com eles, orientando-os em rela-ção à interpretarela-ção e à pronúncia correta das línguas.

Marque um dia especial para a apresen-tação. Convide outras classes e séries e pro-mova um dia de teatro na escola!

BIBLIOGRAFIA

Folclore – cultura popular

ARANTES, A. O que é cultura popular. São Paulo: Brasiliense, 1982.

BRANDÃO, C. R. O que é folclore. São Paulo: Brasiliense, 1982.

LARAIA, R. B. Cultura: um conceito antro-pológico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1986. ORTIZ, R. A consciência fragmentada:

en-saios de cultura popular e religião. São Pau-lo: Paz e Terra, 1980.

REILY, S. A. Manifestações populares: do aproveitamento à reapropriação. In: Do folclore à cultura popular. Anais do Encontro de Pesquisadores nas Ciências Sociais, 1990. Departamento de Antropo-logia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

PARSONS, M. J. Compreender a arte. 1. ed. Lisboa: Presença, 1992.

ROSSI, M. H. W. A compreensão das ima-gens da arte. Arte & Educação em revista. Por-to Alegre: UFRGS/Iochpe. I: 27-35, out. 1995.

DICIONÁRIOS

DICIONÁRIO DA PINTURA MODERNA. São Paulo: Hemus, 1981.

DICIONÁRIO OXFORD DE ARTE. São Pau-lo: Martins Fontes, 1996.

MARCONDES, Luis Fernando (org.). Dicionário de termos artísticos. Rio de Janei-ro: Pinakotheke, 1988.

READ, Herbert (org.). Dicionário da arte e dos artistas. Lisboa: Edições 70, 1989.

ENCICLOPÉDIA

ENCICLOPÉDIA DOS MUSEUS. Museu de Arte de São Paulo. São Paulo: Melhoramen-tos, 1978.

CULTURA

A cultura é o conjunto de crenças,

condu-tas, linguagem e forma de vida de um gru-po de pessoas, em um determinado período de tempo. Da cultura fazem parte os costu-mes, as cerimônias, a tecnologia e a arte, além dos êxitos intelectuais de uma socie-dade.

Os costumes são valores sociais consagra-dos pela tradição e que se impõem de gera-ção em geragera-ção. Esses costumes podem mo-dificar-se com o passar do tempo, e a cultu-ra de um povo pode influenciar a cultucultu-ra de outro, em conseqüência das trocas culturais que geralmente acontecem em processos de migração ou mesmo em períodos de guer-ra. Em nossos dias, a mídia e os meios de co-municação também cumprem essa função de troca cultural.

Da cultura fazem parte tanto o conheci-mento científico e a arte erudita quanto o folclore e a cultura popular. É um mundo de entidades subjetivas e objetivas com extma pluralidade. A cultura é tudo o que re-sulta da criação humana. O homem produz cultura, promove transformações à sua vol-ta e por elas é influenciado. Não há cultura

sem homem e nem homem sem cultura. Ela está tanto fora quanto dentro de cada indi-víduo.

Quando alguém nasce, já encontra uma sociedade estruturada com regras, valores, filosofias, costumes, verdades, idioma, reli-giões etc. Aos poucos, vai interiorizando tudo o que a sociedade lhe oferece. A esse processo chamamos de socialização, feita por intermédio da família, da escola, da reli-gião, dos companheiros, da mídia, em sínte-se, de todo grupo social.

A socialização, no sentido de construir e assimilar uma cultura, é uma potencialidade do ser humano, mas que se desenvolve ape-nas na interação entre os indivíduos; e essa interação começa na família. A escola é a se-gunda instituição em que interagimos com outras pessoas da nossa sociedade. À educa-ção e à escola cabem a guarda do conheci-mento e o ensino dos códigos das diversas lin-guagens. Com conhecimento e linguagem se produz cultura. Por isso, a produção cultural também é uma preocupação relevante da educação, e formar futuros produtores cul-turais preparados também é sua função.

(7)

ATIVIDADES PARA DURANTE A LEITURA

Durante a leitura, reforce o trecho da pá-gina 3, lendo-o com os alunos:

"Uma coisa é certa: nós, o povo brasileiro, somos resultado da miscigenação dos indíge-nas que aqui viviam com os africanos e os eu-ropeus que para cá vieram. Nossa cultura tão rica é fruto da combinação dos costumes, das línguas e dos dialetos, do estilo de vida dos povos que aqui se encontraram".

Depois, o seguinte trecho, da página 20: “Abolida a escravidão em 1888, o gover-no do Brasil, entre o final do século XIX e início do século XX, incentivou a vinda de imigrantes europeus e asiáticos para traba-lharem nas lavouras de café e nas indústrias que começavam a surgir.

Reiniciou-se, assim, o processo de misci-genação étnica. Com o passar dos anos, ja-poneses, italianos, árabes, alemães, espa-nhóis e outros povos se misturaram aos mulatos, caboclos, cafuzos, africanos, indí-genas, contribuindo para o que somos hoje: um povo culturalmente riquíssimo.“

A partir da leitura desses trechos, peça aos alunos que relacionem as etnias citadas no livro aos itens listados na atividade ante-rior (tipo físico, língua, vestuário, alimenta-ção, artesanato/arte, utensílios domésticos, organização social, modo de trabalho), cri-ando um grande quadro de referência etnia/ características.

F FF

FF Roteiro de apreciação comparada de

duas imagens reproduzidas no livro

Operários, Tarsila do Amaral (p. 2). Mercado, Caribé (p. 31).

Conduza uma discussão em que os alu-nos possam comparar as duas obras. Algu-mas sugestões de perguntas:

w O que essas imagens possuem em co-mum?

w Quais são as diferenças entre elas? w Como as pessoas estão agrupadas? w O que estão fazendo?

w Como é o lugar onde elas estão? w Qual das obras transmite mais ação? w Qual delas parece mais triste? Qual pa-rece mais alegre?

w Nas imagens, podemos perceber as di-ferentes etnias?

w Que idade as pessoas aparentam? w Qual das imagens parece ser mais rea-lista?

w Qual das duas mais lhe agrada? Por quê?

w Você consegue imaginar alguma histó-ria ao observar essas obras? Qual?

Após a realização dessa atividade, compare a sensação transmitida pelas obras às informações obtidas no livro. Converse sobre as diferentes caracterís-ticas físicas das etnias e sobre a influên-cia do lugar onde vivemos em nossos usos e costumes, como fonte de matéria-prima para a confecção de artesanato, utensílios domésticos, roupas, alimentos etc.

ATIVIDADES PARA DEPOIS DA LEITURA

A atividade sugerida é a criação e pro-dução de uma peça de teatro. Divida a turma em grupos de cinco. Cada grupo es-colherá uma etnia. Você pode, junto com seus alunos, criar a seqüência das apresen-tações dos grupos baseada na história da miscigenação étnica que ocorreu no Brasil e que é contada no livro.

Peça-lhes que criem um pequeno enre-do para a peça e, se possível, que incluam no texto um diálogo na língua da etnia.

Ao planejar a produção da peça, os alu-nos deverão levar em conta:

w roteiro w cenário w figurino w trilha sonora w iluminação

Peça-lhes que detalhem o planejamento no papel e que redijam o roteiro. Ajude-os a estipular funções para cada aluno do

gru-5 6 7

Arte-educação

ARGAN, G. C. Arte Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

BARBOSA, A. M. Arte-educação: conflitos / acertos. São Paulo: Ateliê Editorial, 1997.

_________. A imagem do ensino da arte: anos oitenta e novos tempos. São Paulo/ Porto Alegre: Perspectiva /Fundação Iochpe, 1981.

_________. Arte-educação no Brasil: das origens ao modernismo. São Paulo: Perspec-tiva,1997.

GOMBRICH, E. H. Arte e ilusão. São Pau-lo: Edusp,1992.

IAVELBERG, Rosa. Para gostar de apren-der arte: sala de aula e formação de profes-sores. Porto Alegre: Artmed, 2002.

JANSON, H. W. Iniciação à História da Arte. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

MARTINS, M. C. et alii. Didática do en-sino da arte: a língua do mundo — Poe-tizar, fruir e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998.

SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓGICO PARA TURMAS

A PARTIR DA 5

a

SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL:

NA PONTA DA LÍNGUA

F FF

FF Objetivo

A partir da leitura do livro, da apreciação de imagens e da produção de uma peça tea-tral, promover uma reflexão acerca das di-versas etnias que caracterizam nosso povo e nossa cultura.

F FF F

F Conteúdos gerais (com referência nos

PCNs de Arte)

w Criação e construção de formas plásti-cas e visuais em espaços diversos (bidimen-sional e tridimen(bidimen-sional).

w Identificação dos significados expressi-vos e comunicatiexpressi-vos das formas visuais.

w Contato sensível, reconhecimento e análise de formas visuais presentes na natu-reza e nas diversas culturas.

w Identificação de produtores em artes vi-suais como agentes sociais de diferentes épocas e culturas: aspectos de suas vidas e alguns produtos artísticos.

F FF F F Conteúdos específicos w Etnias e cultura. w Linguagem teatral.

F Tema transversal: Pluralidade cultural. F Trabalho interdisciplinar: História, Geo-grafia e Língua estrangeira.

ATIVIDADE PARA ANTES DA LEITURA

F FF F

F Conversa inicial

O tema etnias é um dos assuntos princi-pais deste livro. Com alunos a partir da 5a série, é possível promover uma conversa a respeito das diversas etnias que se misci-genaram e que caracterizam o nosso povo e sua cultura. Comece a discussão perguntan-do aos alunos de qual povo suas famílias

descendem, quais são as etnias que eles co-nhecem e quais etnias eles acham que se combinaram para formar o povo brasileiro. Leve-os a refletir e peça-lhes que listem o que caracteriza um povo, tal como:

w tipo físico

w local onde vivem w língua w vestuário w alimentação w artesanato/arte w utensílios domésticos w organização social w modo de trabalho

Após chegarem a essas conclusões, ques-tione o fato de alguns povos estarem em vias de extinção. Pergunte a eles se conhe-cem algum povo que não exista, como os incas, os maias e os astecas, por exemplo. Questione sobre o fato de um povo domi-nar outro povo e até explorar sua força de trabalho. Comente sobre a escravidão e outras formas de abuso de poder.

Questione também se a convivência pa-cífica entre os povos é possível. Fale sobre as trocas culturais que podem existir num processo de migração, por exemplo, que leva o conhecimento, a arte e os usos e cos-tumes de um povo para outro.

Essa também é uma excelente chance de conversar com seus alunos sobre a globa-lização, suas vantagens e seus problemas. Sabemos que a globalização impõe deter-minadas culturas a quase todos os povos do mundo e isso acontece principalmente por causa da mídia. Mas, ao mesmo tempo, pre-senciamos uma revitalização das culturas regionais como forma de resistência a essa unificação cultural.

Peça que os alunos façam uma pesquisa sobre o assunto em sites da internet ou em jornais e revistas.

F F F

F F Avaliação

A avaliação desse trabalho deverá ser fei-ta após a apresenfei-tação da peça. Atente para o cuidado com a produção e a interpreta-ção dos alunos. A auto-avaliainterpreta-ção, nesse caso, também vale.

po. Ensaie com eles, orientando-os em rela-ção à interpretarela-ção e à pronúncia correta das línguas.

Marque um dia especial para a apresen-tação. Convide outras classes e séries e pro-mova um dia de teatro na escola!

BIBLIOGRAFIA

Folclore – cultura popular

ARANTES, A. O que é cultura popular. São Paulo: Brasiliense, 1982.

BRANDÃO, C. R. O que é folclore. São Paulo: Brasiliense, 1982.

LARAIA, R. B. Cultura: um conceito antro-pológico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1986. ORTIZ, R. A consciência fragmentada:

en-saios de cultura popular e religião. São Pau-lo: Paz e Terra, 1980.

REILY, S. A. Manifestações populares: do aproveitamento à reapropriação. In: Do folclore à cultura popular. Anais do Encontro de Pesquisadores nas Ciências Sociais, 1990. Departamento de Antropo-logia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

PARSONS, M. J. Compreender a arte. 1. ed. Lisboa: Presença, 1992.

ROSSI, M. H. W. A compreensão das ima-gens da arte. Arte & Educação em revista. Por-to Alegre: UFRGS/Iochpe. I: 27-35, out. 1995.

DICIONÁRIOS

DICIONÁRIO DA PINTURA MODERNA. São Paulo: Hemus, 1981.

DICIONÁRIO OXFORD DE ARTE. São Pau-lo: Martins Fontes, 1996.

MARCONDES, Luis Fernando (org.). Dicionário de termos artísticos. Rio de Janei-ro: Pinakotheke, 1988.

READ, Herbert (org.). Dicionário da arte e dos artistas. Lisboa: Edições 70, 1989.

ENCICLOPÉDIA

ENCICLOPÉDIA DOS MUSEUS. Museu de Arte de São Paulo. São Paulo: Melhoramen-tos, 1978.

CULTURA

A cultura é o conjunto de crenças,

condu-tas, linguagem e forma de vida de um gru-po de pessoas, em um determinado período de tempo. Da cultura fazem parte os costu-mes, as cerimônias, a tecnologia e a arte, além dos êxitos intelectuais de uma socie-dade.

Os costumes são valores sociais consagra-dos pela tradição e que se impõem de gera-ção em geragera-ção. Esses costumes podem mo-dificar-se com o passar do tempo, e a cultu-ra de um povo pode influenciar a cultucultu-ra de outro, em conseqüência das trocas culturais que geralmente acontecem em processos de migração ou mesmo em períodos de guer-ra. Em nossos dias, a mídia e os meios de co-municação também cumprem essa função de troca cultural.

Da cultura fazem parte tanto o conheci-mento científico e a arte erudita quanto o folclore e a cultura popular. É um mundo de entidades subjetivas e objetivas com extma pluralidade. A cultura é tudo o que re-sulta da criação humana. O homem produz cultura, promove transformações à sua vol-ta e por elas é influenciado. Não há cultura

sem homem e nem homem sem cultura. Ela está tanto fora quanto dentro de cada indi-víduo.

Quando alguém nasce, já encontra uma sociedade estruturada com regras, valores, filosofias, costumes, verdades, idioma, reli-giões etc. Aos poucos, vai interiorizando tudo o que a sociedade lhe oferece. A esse processo chamamos de socialização, feita por intermédio da família, da escola, da reli-gião, dos companheiros, da mídia, em sínte-se, de todo grupo social.

A socialização, no sentido de construir e assimilar uma cultura, é uma potencialidade do ser humano, mas que se desenvolve ape-nas na interação entre os indivíduos; e essa interação começa na família. A escola é a se-gunda instituição em que interagimos com outras pessoas da nossa sociedade. À educa-ção e à escola cabem a guarda do conheci-mento e o ensino dos códigos das diversas lin-guagens. Com conhecimento e linguagem se produz cultura. Por isso, a produção cultural também é uma preocupação relevante da educação, e formar futuros produtores cul-turais preparados também é sua função.

Imagem

Referências

temas relacionados :