MEC - MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA

12 

Texto

(1)

MEC - MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UFF - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

PURO - PÓLO UNIVERSITÁRIO DE RIO DAS OSTRAS

RIR - DEPARTAMENTO INTERDISCIPLINAR DE RIO DAS OSTRAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

Uma experiência de Reforma Agrária no Brasil: Um

sonho possível?! A luta dos trabalhadores do

assentamento Prefeito Celso Daniel em Macaé (RJ)

pelo direito a terra.

Rio das Ostras 2011

(2)

MARCELO COSTA DE OLIVEIRA

Uma experiência de Reforma Agrária no Brasil: Um sonho possível?! A

luta dos trabalhadores do assentamento Prefeito Celso Daniel em

Macaé (RJ) pelo direito a terra.

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Departamento de Serviço Social de Rio das Ostras da Universidade Federal Fluminense como requisito parcial para obtenção do titulo de Bacharel em Serviço Social.

Orientador: Professor Wallace dos Santos de Moraes

Rio das Ostras 2011

(3)

MARCELO COSTA DE OLIVEIRA

Uma experiência de Reforma Agrária no Brasil: Um sonho possível?! A

luta dos trabalhadores do assentamento Prefeito Celso Daniel em

Macaé (RJ) pelo direito a terra.

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Departamento de Serviço Social de Rio das Ostras da Universidade Federal Fluminense como requisito parcial para obtenção do titulo de Bacharel em Serviço Social.

Aprovado em ____/ ____/ ______.

Banca Examinadora

______________________________________________________________ Professor Dr. Wallace dos Santos de Moraes - Orientador

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

______________________________________________________________ Professora Drª Maria Raimunda Penha Soares

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

______________________________________________________________ Professora Ma Lúcia Maria da Silva Soares

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

Rio das Ostras 2011

(4)

DEDICATÓRIA

Dedico este trabalho à minha família, em especial minha esposa, amiga e companheira Márcia Cristina da Costa Duarte, pelo apoio e a motivação prestada para eu concluir a graduação. Ao meu irmão Josemar Costa de Oliveira, pelas orientações e experiencias passadas sobre a luta por Reforma Agrária no Brasil, durante esses meus anos de graduação.

(5)

AGRADECIMENTOS

Nestes anos todo que passei na UFF em busca do conhecimento acadêmico compartilhei os meus dias com pessoas maravilhosas, que acima de tudo me ensinou a ser mais atencioso, amigo e feliz. Talvez, muito de vocês não faz a idéia de quanto contribuiu para o meu crescimento como pessoa. Nesse momento chegou a hora de agradecer vocês por eu ter chegado até aqui, pois sem vocês nada disso seria possível.

Agradeço a minha mãe e meu saudoso pai, pois sem eles não me formaria. Devo a eles toda educação, sei dos seus esforços com a criação e formação de oito filhos. Mãe, não poderia e nem posso me furtar falar da minha admiração por ti. Eu te amo!

Aos meus irmãos: às duas irmãs maravilhosas, Ana Márcia e Ana Maria, que muito me fizeram admirar esse universo feminino, que aprimorou o meu conhecimento acerca da questão de gênero; aos meus irmãos Antônio de Pádua, José Osvaldo, Josemar, Francisco Luiz (in memorian) e Luiz Antônio, pela paciência que tiveram com o seu “mano” mais novo, pelas experiências repassadas dos seus saberes.

À toda minha família: tios e tias, primos e primas, sobrinhos e sobrinhas, que me deram carinho, compreensão, força e apoio durante esses anos.

Aos meus dois filhos, Rayanne e Júnior, frutos do meu ser, que compartilharam as minhas angústias e o meu prazer, sempre me incentivaram a terminar o curso de serviço social.

Aos meus colegas de turma, a todos sem exceção. Dizer nomes neste momento seria de uma indelicadeza enorme com àqueles que, durante esses anos, tiveram a paciência de me aturar e passaram os seus conhecimentos com toda alegria e prazer.

Aos assistentes sociais do Pronto Socorro de Rio das Ostras e aos da Petrobras, em especial às minhas supervisoras de estágio, Leila e Adriana, pois todos me mostraram o saber profissional do serviço social no âmbito da empresa e da saúde.

(6)

À minha companheira de estágio e colega de disciplinas no curso, Larissa Gomes Tavares, que com sua jovialidade e sabedoria, impulsionou-me a seguir em frente e terminar a monografia, quando o desânimo e o cansaço me ocorriam.

Aos meus professores, por terem me passado os seus conhecimentos e me proporcionado um aprendizado diferenciado, com o saber crítico, durante a minha formação acadêmica. Em especial ao Professor Doutor João Bosco, que me transmitiu a simplicidade do conhecimento, pois não devemos ter medo, em hipótese alguma, de questionar os nossos mestres sobre o saber.

Ao meu orientador, Professor Doutor Wallace dos Santos de Moraes, por ter contribuído com seu conhecimento, sua dedicação, seu profissionalismo, sua disponibilidade e, principalmente, sua paciência nesta fase de construção do TCC. Sem esquecer a Professora Mestra Eblin Farage, que iniciou a minha orientação neste processo de construção da monografia.

Enfim, a todos do assentamento Prefeito Celso Daniel, que me receberam com muito carinho e com as suas sabedorias colaboraram para eu construir este trabalho de conclusão de curso. Principalmente, ao Presidente da Associação dos Produtos Rurais do Assentamento Celso Daniel, Sr. José Ribamar Coelho Filho (Gaúcho), que sempre me incentivou a escrever sobre o assentamento, a fim de mostrar a luta dos trabalhadores rurais por uma condição de vida mais justa.

(7)

A reforma agrária só prejudica a uma minoria de insensíveis, que deseja manter o povo escravo e a nação submetida a um miserável padrão de vida.

(8)

RESUMO

O presente trabalho de conclusão de curso tem como objetivo mostrar o processo de reforma agrária no Brasil e a luta dos trabalhadores rurais do Assentamento Prefeito Celso Daniel, em Macaé, no Estado do Rio de Janeiro, para obter a posse da terra, assim, poder cultivar e retirar da terra o seu sustento. Neste processo será mostrado como se deu a concessão de terras no Brasil colônia, culminando com a lei de terras de 1850. Tal lei batiza o latifúndio, regulamenta e consolida o modelo da grande propriedade rural, sendo a base, até os dias atuais, da estrutura injusta da propriedade de terras neste país (Stédile, 2005). Através da legislação agrária, realizar-se-á uma breve abordagem histórica da questão agrária, da formação dos movimentos sociais que lutam pela reforma agrária e dos conflitos que envolvem a posse da terra no Brasil. Na busca da construção de todo contexto em que se dá a luta pela terra, serão discutidas as condições de organização estrutural dos assentamentos. A fim de dar um enfoque mais específico, com uma visão mais próxima da realidade, foi realizado um trabalho de campo no Assentamento Prefeito Celso Daniel no município de Macaé. Antes, porém, para que os limites e possibilidades dos trabalhadores rurais desse assentamento sejam mais bem compreendidos, será feita uma contextualização do município em que está situado o assentamento em questão.

Palavras-chave: reforma agrária, questão agrária, movimentos sociais, trabalhadores rurais.

(9)

LISTA DE SIGLAS

AACD - Associação dos Moradores e Produtos Rurais do Assentamento Celso Daniel (AACD)

ABRA - Associação Brasileira de Reforma Agrária ATES - Assessoria Técnica e Ambiental

CF - Constituição Federal

CNBB - Conferência Nacional dos Bispos do Brasil CGT - Central Geral dos Trabalhadores

COOPMAC – Cooperativa Agroindustrial dos Produtores Rurais da Agricultura Familiar do Assentamento Celso Daniel em Macaé – RJ

CONAB - Companhia Nacional de Abastecimento

CONTAG - Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura CPT - Comissão Pastoral da Terra

CUT - Central Única dos Trabalhadores EJA - Ensino de Jovens e Adultos

FAO - Food and Agriculture Organization (Organização de Comida e Agricultura) FASE - Federação de Órgãos Para Assistência Social e Educacional

FETAG - Federação dos Trabalhadores na Agricultura

IBAMA – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis IBASE - Instituto Brasileiro de Estudos Estatísticos

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

INCRA - Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária INESC - Instituto de Estudos Socioeconômicos

ITR - Imposto Territorial Rural

MASTER - Movimento dos Agricultores Sem-Terra

MDS - Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome MIRAD - Ministério da Reforma Agrária e do Desenvolvimento Agrário MST - Movimento dos Sem Terra

OAB - Ordem dos Advogados do Brasil PA - Projeto de Assentamento

PCB - Partido Comunista Brasileiro

PDA - Plano de Desenvolvimento do Assentamento PEA - Projeto de Exploração Anual

(10)

PIN - Programa de Integração Nacional

PNAE - Programa Nacional de Alimentos Escolar

PNATE - Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar PNRA - Plano Nacional de Reforma Agrária

POLINTER - Polícia Interestadual Cívil

POLOAMAZÔNIA - Programa de Pólos Agropecuários e Agrominerais da Amazônia POLONORDESTE - Programa de Desenvolvimento de Áreas Integradas do Nordeste

PROCERA - Programa Especial de Crédito para a Reforma Agrária PRONAF - Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar PRONERA - Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária

PROTERRA - Programa de Redistribuição de Terras e Estímulo a Agroindústrias do Norte e Nordeste

PROVALE - Programa Especial para o Vale do São Francisco RB - Relação de Beneficiários

SIPRA - Sistema de Informações de Projeto de Reforma Agrária UDR - União Democrática Ruralista

UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro ULTAB - União dos Lavradores e Trabalhadores Agrícolas UNE - União Nacional dos Estudantes

(11)

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO ...13-14 CAPÍTULO 1 – A LUTA PELA POSSE DA TERRA E A REFORMA AGRÁRIA NO BRASIL: UMA REALIDADE CONTRADITÓRIA.

1.1 A sesmaria: concessão de terras no Brasil colônia. ...17-21 1.2 A legislação agrária no Brasil: uma breve abordagem histórica da questão

agrária. ...21-30 1.3 A formação dos movimentos sociais que lutam pela posse da terra, seus

conflitos. ...30-40

CAPÍTULO 2 – A POSSE DA TERRA COMO DIREITO DE EXISTÊNCIA: A REALIDADE VIVENCIADA PELOS TRABALHADORES RURAIS DO ASSENTAMENTO PREFEITO CELSO DANIEL NA LUTA PELA SOBREVIVÊNCIA.

2.1 A constituição de um assentamento de trabalhadores rurais. ...44-49 2.2 Breve contexto do município de Macaé. ...49-51 2.3 A luta dos trabalhadores rurais do assentamento Prefeito Celso Daniel para efetivação do direito a terra: limites e possibilidades. ...51-63

CONSIDERAÇÕES FINAIS ...64-65

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ...66-68

ANEXOS

ANEXO I – Decreto Presidencial nº 222

ANEXO II – Mandado de Imissão na Posse nº 2698/2004 ANEXO III – Portaria INCRA/SR – 07/nº 17/05

ANEXO IV – Retificação da Portaria INCRA/SR – 07/nº 17/05

ANEXO V – Relação de Beneficiários do Assentamento Prefeito Celso Daniel

ANEXO VI – ATA da Associação dos Produtores Rurais do Assentamento Prefeito Celso Daniel

(12)

ANEXO VII – Roteiro de entrevista no Assentamento Prefeito Celso Daniel ANEXO VIII – Termo de Autorização

Imagem

Referências

temas relacionados :