Agricultura Promoção da Sustentabilidade para o Setor Europeu do Vinho

36 

Texto

(1)

Agricultura 4.0 - Promoção da Sustentabilidade

para o Setor Europeu do Vinho

(2)
(3)

António Graça

António Graça é Diretor de Investigação e Desenvolvimento da Sogrape. Mestre em Enologia pela UTAD, participou na fundação da PORVID – Associação Portuguesa para a Diversidade da Videira, sendo membro da sua Direção. É secretário-científico do Grupo de Desenvolvimento Sustentável e Alterações Climáticas da OIV – Organização Internacional da Vinha e do Vinho em Paris. É ainda membro do Comité Executivo da rede Oenoviti Internacional, da Comissão Técnica do Comité Europeu das Empresas de Vinhos, da Comissão Técnica da Federação Espanhola de Vinhos e do Comité Consultivo Internacional da Plataforma Tecnológica do Vinho de Espanha. É autor de diversos trabalhos científicos sobre temáticas de viticultura, enologia, climatologia e desenvolvimento sustentável.

(4)

António Jorge Marquez Filipe

António Jorge Marquez Filipe nasceu na freguesia da Sé, Porto em 1964. É licenciado em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, do curso de 1982-1987. Entre 1992 e 1993 concluiu um MBA na EGE – Atlantic Business School, tendo também frequentado várias ações de formação profissional, nomeadamente na Ashridge Business School, ESADE Barcelona, INSEAD Fontainebleau e na Porto Business School.

É Administrador e Chief Operating Officer da Symington Family Estates, empresa que, há mais de 130 anos, produz vinhos do Porto e Douro, vendidos em mais de 90 países, para além de membro da direção da Associação das Empresas de Vinho do Porto e do Conselho Interprofissional da Região Demarcada do Douro.

Foi Treasurer da “British Association – The Factory House” do Porto, em 2020. É também membro do Conselho de Administração da Fundação Casa da Música, do Conselho Geral da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, da Direção da Associação Bagos d’Ouro, Instituição Particular de Solidariedade Social, reconhecida pela elevada dinâmica social em vários concelhos da Região Demarcada do Douro, membro do Conselho Consultivo do Fórum para a Competitividade, do Conselho Diretor da Associação Portuguesa de Gestão e Engenharia Industrial, do Conselho

(5)

António Jorge Marquez Filipe

Estratégico do Turismo do Porto e Norte e Presidente da Liga dos Amigos do Douro Património Mundial, associação sem fins lucrativos criada com o objetivo de, enquanto representante da sociedade civil, pugnar pela salvaguarda, preservação, valorização e projeção dos atributos de património mundial do Alto Douro Vinhateiro.

(6)

Constance Demestihas

Constance Demestihas é gestora de projetos no Departamento de Vinhas do Comité Interprofissional do Vinho de Champagne. É especializada não só em nutrição vitícola, gestão do solo e ecofisiologia, como também no acompanhamento do crescimento vegetativo da videira recorrendo à viticultura de precisão. Trabalha especificamente em indicadores fisiológicos da vinha, a fim de compreender o impacto do clima, solo e práticas nas vinhas de Champanhe. Em 2017, completou a sua tese de doutoramento sobre os serviços dos ecossistemas dos pomares de maçãs, utilizando modelos de simulação de desenvolvimento de culturas.

(7)

Elisa González-Domínguez

Elisa González-Domínguez é doutorada em Fitopatologia pela Universidade Politécnica de Valência (Espanha) e licenciada em Engenharia Agronómica pela Universidade de Córdoba (Espanha). De 2014 a 2018 fez um pós-doutoramento na Universidade Cattolica del Sacro Cuore em Piacenza (Itália). A sua atividade de investigação centrou-se escentrou-sencialmente na biologia e epidemiologia dos agentes fúngicos patogénicos das plantas e no desenvolvimento de modelos de mecanismos epidemiológicos e sistemas de apoio à decisão para a gestão sustentável das principais doenças das culturas mediterrânicas (nespereira, videira, oliveira, trigo). Desde 2018 trabalha para a empresa

spin-off Horta srl. como consultora para o mercado espanhol. Participa no

desenvolvimento e implementação de sistemas de apoio à decisão para a gestão sustentável das videiras e azeitonas em Espanha .

(8)

Emídio Ferreira dos Santos Gomes

Emídio Ferreira dos Santos Gomes é natural de Massarelos, Porto. Licenciado em Engenharia Zootécnica pela Universidade Trás-os-Montes e Alto Douro (1984), Mestre em Ciências Biomédicas pela Universidade do Porto (1987) e Doutorado em Ciências Biomédicas (Universidade do Porto, 1991).

Reitor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Professor Catedrático do Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar da Universidade do Porto (ICBAS) desde 2000.

• Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, 2013-2016.

• Diretor da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa, 2011-2013.

• Presidente da Portus Park, Rede de parques de Ciência e Tecnologia & Incubadoras, 2003-2013.

• Membro do Conselho Nacional para o empreendedorismo e Inovação, 2011-2015.

• Pró-Reitor da Universidade do Porto para a Inovação e Relações Empresariais, 2009-2011.

• Presidente do Conselho Geral da Universidade de Trás-os-Montes, 2009. • Administrador Executivo da Junta Metropolitana do Porto, 2005-2009.

(9)

Emídio Ferreira dos Santos Gomes

• Membro do Conselho Estratégico da Universidade do Minho, 2003-2009. • Gestor no setor agroalimentar e biotecnologia, 1991-2008.

• Presidente do Conselho de Administração da Agência de Inovação, 2002-2005. • Membro do Conselho Consultivo da COTEC, 2003-2006.

• Coordenador do Colégio de Engenharia Agronómica da Ordem dos Engenheiros (Região Norte), 1998-2004.

• Vice-Presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, 2002-2003. • Assessor da Administração do Grupo SOJA DE PORTUGAL, 1990-2002.

• Avaliador na Comissão Europeia de projetos de cooperação Universidade/Indústria, 1994-2002.

• Conselho Diretivo do Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar da Universidade do Porto, 1988-1990.

(10)

Fernando Alves

Graduado em Engenharia Agrícola, e pós-graduado em Ciências Agronómicas-Viticultura, ambos pela Universidade de Trás-os-Montes, Vila Real, Portugal. Trabalhou na ADVID, entre 1987 e 2013, ocupando diferentes funções, incluindo o cargo de Diretor Técnico e de Diretor Executivo desta associação, tendo sido responsável pela candidatura para reconhecimento da ADVID como Cluster da Vinha e do Vinho para a região do Douro, no âmbito da Estratégia de Eficiência Coletiva implementada pelo Governo de Portugal. É, desde 2013, Diretor Sénior de I & D em Viticultura da Symington Vinhos SA.

As suas maiores áreas de interesse englobam a pesquisa de alterações climáticas, proteção de culturas, fisiologia da videira, stress hídrico, eficiência produtiva em viticultura de montanha, e viticultura sustentável. Colabora também com a OIV como Delegado Científico no grupo ENVIRO. Participa em diversos projetos de I & D nacionais e internacionais, contando no seu curriculum com diversas apresentações em conferências e publicações científicas como autor e coautor.

(11)

Filipe Neves dos Santos

Filipe Neves dos Santos é responsável pelo Laboratório de Robótica e IoT para Agricultura e Silvicultura de Precisão Inteligente no INESC TEC onde lidera dez projetos de I&D em curso relacionados com robótica para a agricultura e silvicultura. Tem mais de 50 trabalhos de revisão por pares em conferências internacionais e revistas internacionais. Nasceu em São Paio de Oleiros, Portugal, em 1979, e tem uma Licenciatura (5 anos) em Engenharia Eletrotécnica e Informática, em 2003, pelo Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), Mestrado em Engenharia Eletrotécnica e Informática pelo Instituto Superior Técnico (IST) da Universidade Técnica de Lisboa, em 2007 e obteve o grau de Doutor em Engenharia Eletrotécnica e Informática na Faculdade de Engenharia (FEUP), Universidade do Porto, Portugal, em 2014. A sua paixão profissional é desenvolver robôs e máquinas autónomas para resolver problemas reais, desejos e necessidades da nossa sociedade e contribuir para a autossustentabilidade e equidade da economia global. Atualmente está concentrado no desenvolvimento e pesquisa de soluções robóticas para o setor agrícola e florestal, onde é necessária uma maior eficiência para a nossa autossustentabilidade mundial.

(12)

Francisco Rovira-Más

Francisco Rovira-Más, graduado em Engenharia Agrícola pela Universitat Politècnica de Valência, Espanha, em 1996, obteve posteriormente o grau de Doutor em Engenharia Agrícola, em 2003, pela University of Illinois, em Urbana-Champaign, IL, EUA. Os seus principais interesses de investigação incluem a mecatrónica, robótica com aplicação agrícola, agricultura de precisão, e visão artificial, particularmente visão espectroscópica. Desempenhou funções como membro do Intelligent Vehicles System, no centro John Deere Technology Center (Moline, IL, EUA). Presentemente, é Diretor do Laboratório de Robótica com aplicação agrícola, e Professor na escola de engenharia agrícola e biológica na Universitat Politècnica de Valência, Espanha. Do seu trabalho na indústria resultaram seis patentes nos EUA, em visão artificial, perceção estereoscópica 3D, e em fusão entre dados de campo e GPS. É o autor principal do livro Mechatronics and

Intelligent Systems for Off-road Vehicles (Londres, RU: Springer-Verlag, 2010), tendo

também recebido quatro prémios ASABE (do inglês, American Society of Agricultural

and Biological Engeneers) atribuídos a publicações científicas. Atualmente, é o

coordenador do projeto de investigação internacional VineScout, financiado pela União Europeia.

Francisco Rovira-Más é membro da ASABE, e Diretor da Secção III do CIGR (do inglês,

International Commission of Agricultural Engineering).

(13)

Frederico Falcão

Enólogo com uma experiência acumulada nos mercados nacionais e internacionais.

Licenciado em Engenharia Agrícola pela Universidade de Évora, com pós-graduação em Enologia, pela Associação para a Escola de Biotecnologia da Universidade Católica do Porto.

Gestor da Qualidade no Esporão entre 1995 e 2001;

Diretor de Qualidade na Spaza (empresa de azeite do Esporão) entre 1998 e 2001;

Foi Diretor do Departamento de Viticultura e Azeite da Companhia das Lezírias (2001-2012), tendo sido responsável pela viticultura, enologia e comercialização de vinhos e azeites, visitando vários países do mundo para a promoção e venda de produtos;

Foi enólogo consultor em duas outras adegas em Portugal, onde também prestou apoio em viticultura e operações comerciais (Fundação Abreu Callado e Pegos Claros);

Foi membro do Conselho de Administração da Comissão Regional de Certificação do Tejo, de 2008 a 2012;

(14)

Frederico Falcão

Foi Presidente do Conselho Diretivo do Instituto da Vinha e do Vinho, o Instituto público que regula e controla o setor do vinho em Portugal, de 2012 a 2018;

Foi o representante de Portugal na Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), entre 2012 e 2018;

Participou em várias reuniões com a Comissão Europeia como representante do setor vitivinícola português;

Foi Diretor / CEO do Grupo Bacalhôa de julho de 2018 a agosto de 2019; É o Presidente da ViniPortugal desde maio de 2020;

É membro do Conselho Consultivo Internacional da Vinifera Euro Master (desde 2013); É membro da Ordem dos Engenheiros;

É Vice-Presidente da Associação Portuguesa de Enologia.

(15)

Ignacio Sánchez Recarte

Ignacio Sánchez Recarte foi nomeado Secretário-Geral do CEEV, a associação que representa as empresas vitivinícolas europeias, em junho de 2015. Antes disso, desempenhou funções como Diretor no Mercado Interno e Sustentabilidade na spiritsEUROPE, a associação europeia de produtores de bebidas espirituosas, e como Diretor de Assuntos Ambientais e Inovação na Bodegas Chivite, um grupo vitivinícola espanhol.

Durante os 7 anos anteriores, trabalhou para a Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), primeiro como Chefe da Unidade de Viticultura, depois como Chefe da Unidade de Economia e Direito.

Previamente, foi investigador no Departamento de Tecnologia Alimentar da Universidade Pública de Navarra.

Ignacio é Engenheiro Agrónomo pela Universidade Pública de Navarra e obteve o seu doutoramento em Engenharia na Universidade de Lérida. Cidadão espanhol, Ignacio é fluente em espanhol, inglês, francês e italiano.

Em 2016, foi eleito Vice-Presidente da federação internacional de produtores de vinho e bebidas espirituosas (FIVS), e Vice-Presidente do CELCAA, a organização que representa as associações e empresas da UE ativas no setor do comércio agrícola e agroalimentar.

(16)

João Roquette

Nascido em 1974, viveu até aos seis anos fora de Portugal, primeiro em Inglaterra, depois no Brasil.

Formou-se em Gestão de empresas em 1997 e iniciou a sua atividade profissional no banco de investimentos Merrill Lynch, em Londres e depois em Madrid, durante 4 anos. Em 2001, decidiu dedicar-se profissionalmente a uma antiga paixão, a música. Vivendo em Espanha, criou uma editora discográfica, editando o seu próprio trabalho e de outros. Regressou a Portugal em 2003 dando continuidade aos seus estudos musicais de piano na Escola de Jazz do Hot Club, em Lisboa.

Iniciou em 2004 funções no Esporão, empresa fundada pelo seu pai em 1973. Em 2006 desafiou os acionistas com uma nova visão e estratégia, trazendo a sustentabilidade e internacionalização para o centro da cultura e atividade, passando a liderar o projeto enquanto CEO.

No âmbito das funções do Esporão, foi vice-presidente da Viniportugal, conselheiro do Conselho Geral da CVRA e diretor da ACIBEV.

(17)

João Roquette

A abordagem holística à sustentabilidade e inovação resultou em reconhecimentos nacionais e internacionais, de onde se destacam o prémio de “Empresa do Ano” por duas vezes pela Revista de Vinhos, por duas vezes a inclusão no “Top 50 wine brands of the

World” pela Drinks International, “Sustainability of the year award” nos “The Drinks Business Green Awards 2013”, os “Green Project Awards 2013” pelas práticas de

produção agrícola sustentável e, em 2014, os “European Business Awards for the

Environment” na categoria de “Produtos e Serviços”.

(18)

João Onofre

João Onofre é responsável pela unidade de vinhos, bebidas espirituosas e culturas hortícolas na Direção Geral da Agricultura e Desenvolvimento Rural desde 1 de outubro de 2016. Anteriormente, João Onofre foi chefe da unidade orgânica, entre 2012 e 2016, e chefe de uma unidade internacional, responsável pelas relações comerciais agrícolas com a Ásia e a América Latina, entre 2010 e 2012.

Cidadão português, João tem um Msc em Economia Agrícola pela Universidade Técnica de Lisboa e exerce funções na Comissão Europeia desde 1994. Tem uma vasta experiência em todas as áreas da Política Agrícola Comum. Ocupou cargos nas áreas do desenvolvimento rural, ajudas estatais, mercados de culturas arvenses, assistente do Diretor-Geral J.-L. Demarty, com responsabilidade pelos mercados agrícolas e questões internacionais.

(19)

Jorge Manuel Morais Alves Dias

• Licenciatura em Engenharia Agrícola pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, 1986;

• Provas de Aptidão Pedagógica e Capacidade Científica pela UTAD, 1989.

Atividade profissional

• Diretor Geral e Gerente / Administrador das empresas do Grupo Gran Cruz (Gran Cruz Porto | Companhia União dos Vinhos do Porto e Madeira | C. da Silva Vinhos | Gran Cruz Turismo | Justino’s Madeira Wine | Henriques & Henriques | Vale de S. Martinho | Quinta de Ventozelo), 2009 / ;

• Vogal da Direção do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, 2004 / 2007;

• Chefe do Gabinete do Secretário de Estado do Desenvolvimento Rural, 2002 / 2004; • Vogal da Direção da Sociedade de Promoção de Empresas e Investimento do Douro

e Trás-os-Montes, 1997 / 2002;

• Delegado do Instituto do Vinho do Porto na Região do Douro e assessor da Direção, 1993 / 1997;

• Assistente da UTAD, cursos de Engenharia Agrícola e Enologia, 1986 / 1995;

(20)

Jorge Manuel Morais Alves Dias

Outras atividades

• Membro do Conselho Interprofissional do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto, 2015 / - ;

• Membro da Direção da Associação das Empresas do Vinho do Porto, 2015 /- ;

• Membro do Conselho Geral da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, 2009 / 2012;

• Perito do Comité Consultivo “Viticulture et Boissons Spiritueuses”, da Comissão Europeia, 2008 - 2010;

• Membro do Conselho de Administração do “Centre de Recherche, d'Études et de

Valorisation de la Viticulture de Montagne” | Aosta, Itália, 2004 / 2008;

• Presidente da Assembleia-geral da Lavradores de Feitoria, Vinhos S.A., 2000 / 2002; • Vice-coordenador da Candidatura do Alto Douro Vinhateiro a Património Mundial da

UNESCO e do Plano Intermunicipal de Ordenamento do Território do Alto Douro Vinhateiro, 1999 / 2002;

• Presidente do Conselho Fiscal das Caves Santa Marta, 1999 / 2002; • Membro do Conselho Pedagógico da UTAD, 1991 / 1993;

• Membro do Conselho Científico do Departamento de Fitotecnia e Engenharia Rural, 1991 / 1993;

(21)

Jorge Manuel Morais Alves Dias

• Membro do Concelho Regional de Viticultores da Casa do Douro, 1991 / 1997; • Membro do Concelho de Direção das Caves Santa Marta, 1990 / 1993.

Distinções

• Comendador da Ordem do Mérito Agrícola da República Portuguesa (2015); • Chevalier de l’Ordre du Mérite Agricole pelo Governo Francês (2012);

• Mestre da Confraria do Vinho do Porto (2010);

• Prodhome pela Jurade de Saint-Emilion, Bordéus (2007);

• Commandeur d’Honneur pela Commanderie du Bontemps de Médoc et des Graves, Bordéus (1991).

(22)

José Carlos Caldeira

José Carlos Caldeira é Administrador do INESC TEC. Entre outubro de 2014 e janeiro de 2018, foi Presidente da ANI – Agência Nacional de Inovação. Até 2014, foi Administrador Executivo do PRODUTECH – Pólo das Tecnologias de Produção e Diretor do INESC Porto. É ainda membro do High Level Group da Plataforma Tecnológica MANUFUTURE e Chairman do seu Implementation Support Group. É membro do Board da EFFRA –

European Factories of the Future Research Organization. É perito RIS3 da DG REGIO e

do JRC.

É professor associado convidado da Faculdade de Economia da Universidade do Porto. É um especialista em valorização e transferência de tecnologia, tendo participado como responsável e/ou colaborador na elaboração, desenvolvimento e implementação de mais de 70 projetos de I&D e Inovação, que beneficiaram de financiamentos nacionais ou comunitários, abrangendo empresas e instituições dos setores metalomecânico, têxtil e confeções, calçado, madeira e mobiliário, cortiça, automóvel, fundição injetada e agroalimentar, entre outros.

(23)

José Manuel Menéres Manso

José Manuel Menéres Manso, natural de Lisboa (1961), licenciado em Engenharia Agrícola pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (1986).

Atualmente é o Diretor de Viticultura Douro da empresa SOGRAPE VINHOS S.A., tendo anteriormente exercido a atividade profissional de consultor no âmbito vitivinícola em várias explorações agrícolas e empresas, na Região Demarcada do Douro e Trás-os-Montes ao longo dos últimos 32 anos, com reconhecimento externo nomeadamente a nomeação do Técnico de Viticultura do Ano 2004 pela Revista De Vinhos (www.revistadevinhos.iol.pt), bem como confrade “experto” da Confraria dos Vinhos do Porto (http://www.confrariavinhodoporto.com).

Exerce atualmente também uma intensa atividade associativa desde 2006 , através da ADVID - Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense (www.advid.pt), cuja fundação remonta a 1982 e aonde foi eleito para a Presidência da Direção desde 2009, bem como integrou também a Direção da CAP (www.cap.pt) como representante da ADVID entre 2017 e 2020.

(24)

José Manuel Menéres Manso

A ADVID é atualmente a responsável pela implementação e dinamização no âmbito do PORTUGAL2020 do Cluster de Competitividade da Vinha e do Vinho de âmbito nacional, enquadrado nas medidas de Promoção da inovação e o Estímulo à Internacionalização da Economia, bem como pela implementação e dinamização do CoLAB da Vinha e Vinho, no âmbito da FCT, do PNR e da agenda “Compromisso com a Ciência e Conhecimento” no âmbito do PORTUGAL2020.

(25)

Mario de la Fuente

Presentemente, é o Diretor da Plataforma Tecnológica para o Vinho (PTV), de Espanha, entidade com a missão de alavancar o desenvolvimento de projetos de I & D, de interesse para o setor vitivinícola espanhol a nível nacional e internacional. É o responsável por coordenar e gerir toda a inovação do setor da vinha e do vinho em Espanha. É também o responsável pela Enologia e viticultura na Universidade Politécnica de Madrid (UPM), e membro da delegação espanhola da OIV (MAPA), na comissão de Viticultura, sendo o presidente do Grupo de Especialistas da OIV em técnicas de proteção do vinho e da vinha (PROTEC) a nível internacional.

Anteriormente Diretor da Unidade “Viticultura”, foi responsável por diversos trabalhos científicos e técnicos, dossiers técnicos, e pela elaboração de protocolos e padrões internacionais no âmbito deste grupo da OIV. Acresce a este cargo a gestão de Grupos de Trabalho de especialistas e delegações nacionais de 46 países membros da OIV. Neste contexto, participa ativamente no desenvolvimento e acompanhamento das regras da OIV, e em representações oficiais em eventos da OIV por todo o mundo. Participa também ativamente na negociação e gestão de acordos internacionais sobre regulamentos para o setor do vinho, interagindo com diversas organizações internacionais (FAO, CE, Codex, etc.) e nacionais (IFV, INRA, INIA, CREA, etc.).

(26)

Marisa Rio

Marisa Rio é investigadora sénior do Centro de Investigação Fraunhofer Portugal para a Agricultura Inteligente e Gestão da Água (FhP-AWAM), realizando investigação no campo da deteção de substâncias vestigiais em líquidos. Recebeu um Bacharelato em Química Aplicada em 2008 e um Mestrado em Micro e Nanotecnologias pela Universidade do Minho em 2011. O seu trabalho de tese de mestrado foi desenvolvido no Fraunhofer IZFP em Dresden, onde mais tarde obteve um doutoramento pela Technische Universität Dresden (TUD) com a tese intitulada "Microfluidic biochip for

study electrotaxis of cells under direct current electrical fields". Trabalhou em

investigação e desenvolvimento tanto no Fraunhofer IKTS como no TUD, nos campos de microfluidos e deteção de organofosforados e outros contaminantes da água através de nanopartículas de ouro e (bio)sensores nanoestruturados à base de ouro, que são atualmente os seus principais focos de investigação.

(27)

Miguel Pessanha

Nascido no Porto, em 1962, o entusiasmo de Miguel pela enologia remonta à infância. Habituado a passar fins-de-semana e férias na quinta vinícola da família no Douro, quando chegou a altura de escolher uma carreira tinha duas opções em mente: Medicina ou Enologia. Tendo escolhido a segunda, o futuro enólogo partiu em 1980, para Bordéus, em França, onde estudou durante 7 anos, tendo obtido o Diploma Nacional de Enólogo, uma licenciatura em Bioquímica e Biologia Celular e um Mestrado em Enologia e Ampelologia. Em 2012 enriqueceu a sua formação com um MBA em Administração e Gestão de Empresas.

Uma das suas outras grandes paixões é o mar e a prática da vela de competição, com várias participações em campeonatos europeus e mundiais.

A trabalhar para a Sogrape Vinhos desde 1988, Miguel Pessanha começou por colaborar ativamente no processo de diversificação de toda a oferta de vinhos da Empresa pelas regiões dos Vinhos Verdes, Douro, Bairrada e Alentejo, que na altura estava muito centrada no Mateus Rosé, tendo em 1999 assumido, a Direção de Enologia da gama Mateus e dos vinhos da Herdade do Peso, no Alentejo. Uns anos mais tarde, em 2007, ficou responsável pela coordenação das equipas de enologia e viticultura da empresa, fruto dos seus sólidos conhecimentos técnicos e da sua capacidade de organização e

(28)

Miguel Pessanha

liderança, cargo que assumiu em exclusivo a partir de 2012 e o conduziu à Administração da Sogrape Vinhos, em 2014, com responsabilidade pelo pelouro das operações, onde se incluem os departamentos de Enologia, Viticultura, Qualidade e Ambiente, Supply

chain, Produção manutenção e Logística e a Investigação e desenvolvimento.

Se em tempos a sua principal missão foi de no terreno, como enólogo, dar a cara e assegurar a produção de vários vinhos da empresa, hoje o papel de Miguel Pessanha é ainda mais desafiante! O seu papel de Administrador tem o objetivo claro de desenvolver e elevar os níveis de prestígio e reconhecimento dos vinhos da Sogrape Vinhos para patamares superiores.

(29)

Natacha Fontes

Bióloga, Doutorada em 2010 pela Universidade do Minho e pela Universidade de Bordéus Segalen, Pós-graduada em Enologia pela Universidade Católica Portuguesa, é Gestora de Investigação & Desenvolvimento da Sogrape Vinhos. Autora de vários artigos científicos e capítulos de livros, participa em programas de mentoring e é convidada a lecionar em cursos avançados em universidades. Entre 2019 e 2021, integrou a direção da ADVID, Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense. Natacha é Perita Independente, auxiliando a Comissão Europeia na avaliação de projetos de investigação e inovação submetidos a financiamento Europeu e integra um Júri Internacional de Especialistas em Vinhos no concurso Mundus Vini.

(30)

Ricardo Braga

Ricardo Braga é Licenciado em Engenharia Agronómica (1993) pelo Instituto Superior de Agronomia / Universidade de Lisboa, Portugal, Mestre em Produção Agrícola Tropical (1996) pelo Instituto Superior de Agronomia / Universidade de Lisboa, Portugal e Doutor em Agricultural Operations Management (2000) pela University of Florida, EUA. Atualmente é Professor Auxiliar (2013 -) no Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, onde ministra cursos de Licenciatura e Mestrado em Agricultura Geral e Maquinaria, Agricultura de Precisão, Modelação de Sistemas Agrícolas. É investigador do Centro de Robótica Industrial e Sistemas Inteligentes do INESC TEC -Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência. Participou de diversos projetos nas áreas de agricultura de precisão, otimização de sistemas agrícolas, modelos de culturas e disseminação e adoção de tecnologia.

(31)

Rui Figueira

Biólogo, nascido na Madeira, Portugal, em 1969. É Professor Assistente do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa e Gestor do Nó do GBIF para Portugal desde 2013. Participou em vários projetos nacionais e internacionais em informática de biodiversidade, infraestruturas de investigação, ecologia, biogeografia e biodiversidade e conservação. Representa Portugal no Grupo de Trabalho Estratégico Ambiental do ESFRI, e colabora com o Secretariado Internacional do GBIF como mentor de projetos e formação, e como membro do programa Biodiversity Open Data

Ambassador.

(32)

Sara Legler

Sara Elisabetta Legler, MSc em Biologia Vegetal na Universidade de Turim (outubro de 2007). De 2008 a 2011 frequentou a Escola de Doutoramento "Agrisystem" na Universidade Cattolica del Sacro Cuore em Piacenza (UCSC). A atividade de investigação de Sara Elisabetta Legler centrou-se, principalmente, no estudo epidemiológico do oídio na videira (Erysiphe necator) e na identificação de novos agentes biocontroladores (BCAs). Em 2012-2013, ocupou a posição de Pós-Doc na UCSC sobre a modelação do patogéneo vegetal da videira. Desde outubro de 2013, trabalha para a Horta Srl (Piacenza) como responsável de RTD para o setor vitivinícola. A principal atividade desta entidade é o desenvolvimento e entrega aos agricultores de um sistema de apoio à decisão para a gestão sustentável das culturas.

(33)

Sigfredo Fuentes

Sigfredo Fuentes é Professor Associado em Agricultura Digital, Ciências da Alimentação e do Vinho na Universidade de Melbourne. Anteriormente, trabalhou nas Universidades de Adelaide, Tecnologia, Sydney; Western Sydney (PhD) e Chile. Os seus interesses científicos vão desde os impactos das alterações climáticas na agricultura, desenvolvimento de novas ferramentas computacionais para fisiologia vegetal, ciências da alimentação e do vinho, tecnologia de sensores novos e emergentes, deteção remota de curto e longo alcance utilizando robôs e UAVs, aprendizagem automática e inteligência artificial.

(34)

Waldir Moreira

Waldir Moreira tem Doutoramento em Telecomunicações (‘14) pelas Universidades do Minho, Aveiro e Porto, com Mestrado (‘08) e Bacharelado (‘05) em Ciência da Computação obtidos da Universidade Federal do Pará e Universidade da Amazônia. Atualmente, ele é Investigador Sénior e Líder de Inovação para Agricultura Digital na Fraunhofer Portugal AICOS. Seus trabalhos, interesses de investigação e publicações incluem redes adhoc, mesh, baseadas em aspetos sociais, cooperativas, oportunistas, centradas nos utilizadores e informação, e definidas por software, bem como tecnologias da informação e comunicação para o desenvolvimento (ICT4D), serviços e ferramentas digitais para inclusão e empoderamento, implantação de redes em zonas desfavorecidas, internet das coisas, cidades inteligentes, agricultura digital e indústria 4.0.

(35)
(36)

O Evento Europeu Agricultura 4.0 - Promoção da Sustentabilidade para o Setor Europeu do Vinho foi promovido pela ADVID, através do CoLAB VINES&WINES.

Imagem

temas relacionados :