Programa de Pós-Graduação em Economia. Disciplina: Macroeconomia III Teoria e Estratégia do Desenvolvimento Econômico

Texto

(1)

Programa de Pós-Graduação em Economia

Disciplina:

Macroeconomia III – Teoria e Estratégia do Desenvolvimento Econômico

Professores: Luiz Carlos Bresser-Pereira e Nelson Marconi

Segundo SSeemmeessttrree ddee 22000077

PPRROOPPOOSSTTAA

Este curso visa dar uma visão do processo histórico do desenvolvimento e da teoria do desenvolvimento econômico. As duas trilhas do curso, uma que será ensinada às terças e a outra às quintas, correspondem a essa divisão. Tanto em uma quanto na outra a preocupação será pensar o desenvolvimento econômico como resultado de uma estratégia nacional de desenvolvimento no quadro de um sistema econômico capitalista caracterizado pela competição não apenas entre as empresas mas também entre os Estados-nação.

M

MEETTOODDOOLLOOGGIIAA EE PPEEDDAAGGOOGGIIAA

O curso inclui um trabalho semestral, uma prova parcial, e um exame final. O trabalho semestral deverá analisar uma experiência concreta de estratégia nacional de desenvolvimento de algum país que não o Brasil. O período analisado não poderá ser mais longo do que trinta anos, e deverá ser um período de rápido crescimento e transformação estrutural da economia. O paper “National development strategy: the key economic growth institution” de Bresser-Pereira deverá servir como um dos parâmetros para a elaboração da pesquisa. Este é o grande trabalho do curso, deve ter em torno de 25 páginas, e pode ser feito em conjunto por dois alunos no máximo. A prova parcial consistirá do conjunto de comentários de uma ou duas páginas, espaço duplo, que os alunos deverão entregar a cada aula sobre a(s) leitura(s) obrigatória(s) previstas para aquela aula. Trata-se de um comentário e não de uma resenha. O exame final constará de duas perguntas sobre matéria relevante do curso.

PPRROOGGRRAAMMAA

INTRODUÇÃO 1. O desenvolvimento definido

Sen, Amartya (1999) Desenvolvimento como Liberdade. São Paulo: Companhia das Letras. Introdução, "Desenvolvimento como Liberdade": 17-26 e Cap. 1, "A Perspectiva da Liberdade": 27-50.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2003) Desenvolvimento e Crise no Brasil: 1930-2003. Quinta edição. São Paulo: Editora 34.

Capitulo 1: “O conceito de desenvolvimento”: 31-40.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2007) “Crescimento e desenvolvimento econômico”. Notas para uso em curso de

Desenvolvimento Econômico na Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas. Versão de maio de 2007.

Disponível em www.bresserpereira.org.br.

Outra leitura obrigatória

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2004) “O conceito de desenvolvimento do ISEB”. Dados Revista de Ciências Sociais 47 (1), 2004: 49-84. Disponível em www.bresserpereira.org.br

(2)

2. O método histórico

Meek, Ronald (1967) “O método econômico de Karl Marx” Cap. 6 de Economia e Ideologia. Rio de Janeiro: Zahar Editores:

123-147. Ler apenas as cinco primeiras páginas.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2003) “Economics' two methods”. Paper apresentado ao Encontro Nacional de Economia Política Florianópolis, 19-20 de junho de 2003. Revisado em 2005. Disponível em www.bresserpereira.org.br (18 páginas).

Leitura complementar

Marx, Karl & Frederick Engels (1979 [1846]) A Ideologia Alemã I. Lisboa: Editorial Presença / Martins Fontes, sem data.

Volume I: 46-60.

Marx, Karl (1979 [1859]) “Prefácio” de Contribuição à Crítica da Economia Política. Livro publicado originalmente em alemão, em 1859. In Octavio Ianni, org. (1979) Marx. Cap. 4, “Infra-estrutura e Superestrutura”: 82-96.

Marx, Karl (1979 [1859]) “Pósfácio de Contribuição à Crítica da Economia Política”. In Octavio Ianni, org. (1979) Marx. Cap.

2: 62-73.

TRILHA 1: PROCESSO HISTÓRICO E ESTRATÉGIA DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

3. Instituição-chave do desenvolvimento econômico: garantia da propriedade e dos contratos (North) ou estratégia nacional de desenvolvimento (Bresser-Pereira)?

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2006) “National development strategy: the key economic growth institution”. Trabalho apresentado

North, Douglas C. (1990) Institutions, Institutional Change and Economic Performance. Cambridge: Cambridge University Press. Cap. 1, “An Introduction...” até Cap. 4, “A Transaction Cost Theory of Exchange”: 3-35, e Cap. 12, “Institutions, Economic Theory, and Economic Performance”: 107-117.

Leitura complementar

Chang, Ha-Joon (2005) “Understanding the relationship between Institutions and Economic Development – Some Key Theoretical Issues”. Paper presented to the WIDER Jubilee conference, June 17-18, 2005, Helsink.

Olson, Mancur (1997) “The New Institutional Economics: The Collective Choice Approach to Ec onomic Development”. In Christopher Clague, ed. (1997) Institutions and Economic Development. Baltimore: The John Hopkins University Press.:

37-64.

North, Douglas, William Summerhill, and Barry R. Weingast (2000) “Order, Disorder, and Economic Change: Latin America versus North America”. In Mesquita, Bruce Bueno de e Hilton L. Root, orgs. (2000) Governing for Prosperity. New Haven:

Yale University Press: 17-58.

North, Douglas C. (1991) “Institutions”. Journal of Economic Perspectives, 5(1) Winter 1991: 97-112.

Olson, Mancur (1996) “Distinguished Lecture on Economics and Governance: Big Bills Left on the Sidewalk: Why Some Nations are Rich and Others Poor”. Journal of Economic Perspectives, 10(2) primavera 1996: 3-24.

Acemoglu, Daron, Simon Johnson e James Robinson (2004) “Institutions as the Fundamental Cause of Long-run Growth”.

Cambridge, MA: National Bureau of Economic Research, Working Paper 10481, May 2004. (92 pp) 4. O desafio: catching up

Abramovitz, Moses (1991) Thinking about Growth and Other Essays on Economic Growth & Welfare. Cambridge: Cambridge University Press. Cap. 7 “Catching up, Forging ahead, and Falling Behind”: 220-242.

Economist, The (2006) “Emerging economies climbing back”. The Economist, 19.1.2006: 69-70.

Leitura complementar

Maddison, Angus (1998) “Income Growth, Income Gaps, and the Ranking of Nations”. In Seligson, Mitchell A. and John T Passé-Smith, eds. (1998) Development and Underdevelopment. Boulder, Co.: Lynne Rienner Publishers: 17-26.

(3)

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (1968/2003) Desenvolvimento e Crise no Brasil: 1930-2003, quinta edição. São Paulo: Editora 34.

Cap. 1: “O Conceito de Desenvolvimento”: 31-39.

Passé-Smith, John (1998) “The Persistence of the Gap Between Rich and Poor Countries: Taking Stock of the World Economic Growth, 1930-1993”. In Seligson, Mitchell A. and John T Passé-Smith, eds. (1998) Development and Underdevelopment.

Boulder, Co.: Lynne Rienner Publishers: 27-42.

Easterlin, Richard A. (2000) “The Worldwide Standard of Living Since 1800”. Journal of Economic Perspectives, 14(1), winter 2000: 7-26.*

5. O quadro geral: desenvolvimento econômico na globalização

Nayyar, Deepak (2003) “Globalization and development”. In Ha-Joon Chang, org. (2003) Rethinking Development Economics.

Londres: Anthem Press: 61-82.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2007) “Globalização e Estado-nação”. EESP/FGV: 29 de março de 2007. Disponível em www.bresserpereira.org.br.

Wade, Robert (1996) “Globalization and its Limits: Reports of the Death of the National Economy are Grossly Exaggerated”. In Suzanne Berger and Ronald Dore, eds. (1996) National Diversity and Global Capitalism. Ithaca: Cornell University Press:

60-88.

Leitura complementar

Krieckhaus, Jonathan (2002) “Reconceptualizing the Developmental State: Public Savings and Economic Growth”. World Development, 30(10): 1697-1712, outubro 2002.

Bresser-Pereira (2004) Democracy and Public Management Reform. Oxford: Oxford University Press. Capítulo: 7 (The Global System and the State).

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2003) “Da Diplomacia do Equilíbrio de Poderes à Política da Globalização”. Novos Estudos Cebrap, 65, março 2003: 91-110.

Rodrik, Dani (1999) The New Global Economy and Developing Countries: Making Openness Work. Washington: Overseas Development Council, and Baltimore: John Hopkins University Press: “Foreword”; “Executive Summary”; Cap. 1,

“Introduction”; Cap. 2, “Openness in Perspective” (pp. vii-41).

Sachs, Ignacy (2004) Desenvolvimento Includente, Sustentável, Sustentado. Rio de Janeiro: Garammond & SEBRAE. Capítulo 2: “Desenvolvimento Includente e Trabalho Decente para Todos”: 25-68.

Souza, Nali de Jesus de (1999) Desenvolvimento Econômico. 4ª. Edição. São Paulo: Editora Atlas. Capítulo 8 “Estratégias de Industrialização e Desenvolvimento Econômico”: 236-265. Xerox não disponível.

Sutcliffe, Bob and Andrew Glyn (1999) “Still Underwhelmed: Indicators of Globalization and Their Misinterpretation”. Review of Radical Political Economics 31(1) março 1999: 111-131.

6. Nação, Estado, Estado-nação, capitalismo e nacionalismo

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2007) “O processo histórico do desenvolvimento econômico.Idéias Básicas”. EESP/FGV: Versão 22 de agosto de 2007. Disponível em www.bresserpereira.org.br.

Gellner, Ernest (2000[1993]) “O Advento do Nacionalismo e sua Interpretação: Os Mitos da Nação e da Classe”. In Balakrishnan, Gopal e B. Anderson, orgs. (2000) Um Mapa da Questão Nacional. Editora Contraponto: 107-154.

Leitura complementar

Pagano, Ugo (2003) “Nationalism, Development and Integration: The Political Economy of Ernest Gellner”. Cambridge Journal of Economics 27: 623-646.

Alam, M. Shahid (1999) “Does Soverenity Matter for Economic Growth? An Analysis of Growth Rates Between 1870 and 1950”. In John Adams e Francesco Pigliaru, orgs. (1999) Economic Growth and Change. Cheltenham: Elgar Press: 46-70.

(4)

Tsai, Ming-Chang (1999) “Geopolitics, State, and Political Economy of Growth”. Review of Radical Political Economics 31(3) Summer 1999: 101:109.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2000) “Entre o Globalismo e o Velho Nacionalismo”. In Henrique Rattner, org., Brasil no Limiar do Século XXI. São Paulo: EDUSP, 2000: 39-55.

Bresser Pereira, Luiz Carlos (1977) Estado e Subdesenvolvimento Industrializado. São Paulo: Brasiliense. Capítulos: 7 “O Surgimento do Estado Tecnoburocrático-capitalista Dependente”; 8 “Apropriação e Acumulação do Excedente”; 9: “O Estado Planejador”: 131-158.

7. Acumulação primitiva e início do desenvolvimento (Marx e Furtado)

Marx, Karl (1867) “A chamada acumulação primitiva”. Capítulo 24 de O Capital, Livro I. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1968. Primeira edição alemã, 1867. Traduzido da quarta edição alemã, 1990: 828-894.

Furtado, Celso (1961) “O processo histórico do desenvolvimento”. In Bresser-Pereira e Rego, A Grande Esperança em Celso Furtado. São Paulo: Editora 34, 2002: 253-280. Originalmente publicado como capítulo 3 de Desenvolvimento e

Subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Editora Fundo de Cultura: 1961.

Leitura complementar

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2004) Democracy and Public Management Reform. Oxford: Oxford University Press. Capítulo 1:

“Historical forms of state”: 13-19; Capítulo 2: “The absolute state and patrimonial administration”: 21-25; Capítulo 3: “The liberal state and civil service reform”: 27-39.

Easterlin, Richard A. (1998) Growth Triumphant. Ann Arbor: The University of Michigan Press. Capítulo 2: “Revolution or Evolution? The Epoch of Modern Economic Growth”: 15-29.

8. Visão geral do processo histórico e revolução industrial

Landes, David S. (1999) The Wealth and Poverty of Nations. New York: W. W. Norton. Introdução e Capítulos 1 a 3: xvii-44.

(47 pgs.)

Rostow, Walt W. (1960) The Stages of Economic Growth: A Non-Communist Manifest. Cambridge: Cambridge University Press. Cap.2: “The Five Stages-of-Growth - A Summary”: 4-16. Existe tradução brasileira.

Leitura complementar

Bairoch, Paul (1967) Revolución Industrial y Subdesarrollo. México, Siglo XXI.(entender a relação entre a Revolução Industrial e a prévia revolução agrícola na Inglaterra).

9. O desenvolvimento atrasado nos países centrais

Gerschenkron, Alexander (1962) Economic Backwardness in Historical Perspective: A Book of Essays. New York: Praeger.

Cap.1: “Economic Backwardness in Historical Perspective”: 7-48. (em espanhol) Leitura complementar

Barbosa Lima Sobrinho, Alexandre (1973) Japão: O Capital se Faz em Casa. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra. Capítulos: 6

“O Capital se Faz em Casa”: 61-71; e 7 “Um Desenvolvimento Econômico Dirigido”: 73-82.

Arrighi, Giovanni (1998) A Ilusão do Desenvolvimento. Petrópolis: Vozes, 6ª. edição. “A ilusão desenvolvimentista: uma reconceituação da semiperiferia”: 207-252.

10. Imperialismo antigo e recente (a ortodoxia convencional)

Chang, Ha-Joon ([2002] 2004) Chutando a Escada. São Paulo: Editora da UNESP, 2004. Capítulo 1 e 2.

Bairoch, Paul (1993) Economics & World History. Chicago: Chicago University Press. Cap. 6: “The balance sheet of colonialism”: 88-98.

(5)

Leitura complementar

11. O subdesenvolvimento definido; por que a América Latina ficou para trás: forma de colonização Prado Jr., Caio (1945) História Econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1956. Primeira edição, 1945. Capítulos 1 a 3: 9-

28.

Furtado, Celso (1961) Desenvolvimento e Subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura. Capítulo 4: “Elementos de uma teoria do subdesenvolvimento”: 163-193.

Acemoglu, Daron, Simon Johnson and James Robinson (2001) “The colonial origins of economic development: an empirical investigation”. The American Economic Review, n°.91: 1361-1401.

Leitura complementar

Sachs, Jeffrey D. (2001) “Tropical Underdevelopment”. NBER Working Paper n°.8119, February 2001 (40pp).

12. Revolução nacional e desenvolvimento na América Latina apesar do imperialismo e da doença holandesa

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2003) Desenvolvimento e Crise no Brasil: 1930-2003. Quinta edição. São Paulo: Editora 34.

Capitulo 1: “Desenvolvimento econômico: revolução industrial e nacional”: 41-76.

Leitura complementar

Palma, Gabriel (2004) “Four sources of ‘de-industrialization’ and a new concept of Dutch Disease”. In José Antonio Ocampo, ed. (2005) Beyond reforms: structural dynamics and macroeconomic vulnerability. Stanford: Stanford University Press and World Bank.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos e Paulo Gala (2007) “Por que a poupança externa não promove o crescimento”. Revista de Economia Política 27 (1): janeiro: 3-19.

13. Teoria da dependência e a capitulação da América Latina

Cardoso, Fernando Henrique e Enzo Faletto (1969) Dependência e Subdesenvolvimento na América Latina. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1970. Publicado originalmente em espanhol, 1969. Capítulo 6: “Internacionalização do Mercado: O Novo Caráter da Dependência”: 114-138.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2005) “Do ISEB e da CEPAL à Teoria da Dependência”. In Toledo, Caio Navarro de, org. (2005) Intelectuais e Política no Brasil: A Experiência do ISEB. Rio de Janeiro: Editora Revan: 201-232.

Leitura complementar

Frank, Andre Gunder (1966) “The development of underdevelopment”. In Robert I. Rhodes (1970) Imperialism and Underdevelopment: a Reader. Nova York: Monthly Review Press: 4-17.

Cardoso, Fernando Henrique (1971) “O modelo político brasileiro”. In F.H. Cardoso (1972) O Modelo Político Brasileiro. São Paulo: Difusão Européia do Livro. Trabalho apresentado na Universidade de Yale, abril 1971 com o título “Associated dependent development: theoretical and practical Implications”.

Santos, Theotônio dos (1970) Dependencia y Cambio Social, Santiago: Centro de Estudios Socio-Económicos da Universidade do Chile, Cadernos de Estudos Sócio-Económicos n°.11. Capítulo 3: “Subdesarollo y Dependência”: 39-52.

Kay, Cristobal (1989) Latin American Theories of Development and Underdevelopment. Londres: Routledge. Capítulos: 5

“Reformist and Marxist Approaches to Dependency”: 125-162; e 6 “Dependency: Debates, Critiques and Beyond”: 163- 196.

Serra, José e Fernando Henrique Cardoso (1979) “As Desventuras da Dialética da Dependência”. Estudos CEBRAP, n°.23: 33- 80.

(6)

14. Ortodoxia convencional ou consenso de Washington

UNCTAD (2006) Trade and Development Report 2006. Capítulo 2: “Evolving development strategies – beyond the Monterrey consensus”: 41-72.

Leitura complementar

Williamson, John (1993) "Democracy and the ‘Washington Consensus’". World Development 21(8), August 1993.

15. O novo desenvolvimentismo e a ortodoxia convencional

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2007) “O novo desenvolvimentismo e a ortodoxia convencional”. In Eli Diniz, org. (2007) Pós- Consenso de Washington e Globalização. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Leitura complementar

16. Democracia e desenvolvimento

Przeworski, A. e F. Limongi (1993) “Political Regimes and Economic Growth”. In Journal of Economic Perspectives, 7(3) verão 1993.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2004) Democracy and Public Management Reform. Oxford: Oxford University Press. Capítulos 10 (The Republican State): 115-130, 11 (Republican Democracy): 131-144.

Leitura complementar

Przeworski, Adam e Michael Alvarez, José Antônio Cheibub e Fernando Limongi (2000) Democracy and Development : Political Institutions and Well-Being in the World, 1950-1990. Cambridge: Cambridge University Press. Cap.1

“Democracies and Dictatorships” (13-77) e Cap. 2, “Economic Development and Political Regimes” (78-141) Lipset, Seymour Martin (1959) “Some social requisites of democracy: economic development and political legitimacy”.

American Political Science Review, 53: 69-105.

TRILHA II - TEORIA DO DESENVOLVIMENTO 17. Uma introdução às teorias do desenvolvimento

Goldthorpe, J. E. (1996) The Sociology of Post-Colonial Societies. Cambridge: Cambridge University Press. Capítulo 1:

“Introduction and Argument”: 1-16.

Bresser Pereira, Luiz Carlos (1995) "A Teoria do Desenvolvimento Econômico e a Crise de Identidade do Banco Mundial".

Revista de Economia Política 15(1) janeiro 1995. Ensaio preparado para o “World Bank History Project, The Brookings Institution” (“Development Economics and the World Bank’s Identity Crisis”). Publicado originalmente em Journal of International Political Economy 2(2) 1995. Ler apenas a seção que discute a evolução e a crise da teoria do

desenvolvimento.

Hirschman, Albert (1981) “The Rise and Decline of Development Economics”. In Essays in Trespassing. Cambridge:

Cambridge University Press, 1981 (pp.1 - 24).

Leitura complementar

Bardhan, Pranab (1993) "Economics of Development and the Development of Economics". The Journal of Economic Perspectives, 7(2) Spring 1993: 129-142.

Souza, Nali de Jesus de (1999) Desenvolvimento Econômico. 4ª. Edição. São Paulo: Editora Atlas. Capítulo 7:

“Desenvolvimento segundo a CEPAL e o Desenvolvimentismo Brasileiro”: 198-235. Xerox não disponível.

Bardhan, Pranab (1988) “Alternative Approaches to Development Economics”. In H.Chenery e T.N.Sriniasan, orgs. (1988) Handbook of Development Economics. Amsterdam: North Holland: 40-71.

(7)

Waelbroeck, Jean (1998) “Half a Century of Development Economics: A Review Based on the Handbook of Development Economics”. The World Bank Economic Review, 12(2) maio 1998.

Rapley, John (1996) Understanding Development. Boulder, Co.: Lynne Rienner Publishers.

Singer, H. W. e Kunibert Raffer (2001) – The Economic North-South Divide: Six Decades of Unequal Development.

Northampton: Edward Elgar Publishing. Capítulo 3: “The Evolution of Development Thinking”: 32-47.

18. Desenvolvimento e estagnação: o modelo clássico

Furtado, Celso (1975) Teoria e Política do Desenvolvimento Econômico. 5ª. Edição. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

Cap. 1 e 2: “A concepção dos clássicos” e “O modelo de Marx”: 3-35.

Lowe, Adolph (1987) Essays in Political Economics. New York: New York University Press. Capítulo 3: “The Classical theory of economic growth”: 107-131.

Leitura complementar

Meyer, Gerald e Baldwin, Robert (1963) Desenvolvimento Econômico. São Paulo: Mestre Jou, 1968. Tradução da quinta edição inglesa, 1963. Cap.1, “Análises Clássicas”: 37-@@@@.

19. Desenvolvimento e distribuição: o modelo clássico de Bresser-Pereira

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2004) “A revised classical model of growth”. Paper submitted to the conference “Economic Growth and Distribution: On the Nature and Causes of the Wealth of Nations”. Lucca, June 16-18.

Outra leitura obrigatória

Bresser Pereira, Luiz Carlos (1986) Lucro, Acumulação e Crise. São Paulo: Brasiliense. Capítulos: 3, “Os Tipos de Progresso Técnico”: 43-63; 8 “Uma Teoria de Longo Prazo dos Salários”: 115-131; 9, “Modelo de Desenvolvimento Capitalista”: 132- 139; 10, “Etapas do Desenvolvimento Capitalista”: 140-170; e 11, “Acumulação e Capitalismo Rentista”: 171-179.

20. O modelo keynesiano de Harrod e Kaldor

Harrod, Roy F. (1939) “An Essay in Dynamic Theory”. In J. Stiglitz e H. Usawa, orgs. (1969) Readings in the Theory of Economic Growth. Cambridge, Ma.: MIT. Press, 1969: 14-33. Originalmente publicado em 1939.

Kaldor, Nicholas (1957) “A Model of Economic Growth”. The Economic Journal 67 (268): 591-624.

Okishio, Nobuo (1967) “On Mr. N. Kaldor’s Growth Model”. Kobe University Economic Review 13: 45-58.

Okishio, Nobuo (1964) “Instability of Harrod-Domar’s Steady Growth”. Kobe University Economic Review 10:19-27.

21. O modelo neoclássico de Sollow

Solow, Robert M. (1956) “A Contribution to the Theory of Economic Growth”. In Readings in the Theory of Economic Growth.

Cambridge, Mass.: M.I.T. Press, 1969: 58-87. Originalmente publicado em Quarterly Journal of Economics, vol.70, fevereiro 1956: 65-94.

Leitura complementar

Fine, Ben (2003) “New Growth Theory”. In Ha-Joon Chang, org. (2003) Rethinking Development Economics. Londres: Anthem Press: 201-217.

22. Os modelos endógenos

Krugman, Paul (1992) “Toward a Counter-Counterrevolution in Development Theory”: 15-38. The World Bank Economic Review: Proceedings of the World Bank Annual Conference on Development Economics, 1992.

Nelson, Richard R. (1997) “How new is new growth theory”. Challenge, setembro-outubro 1997.*

(8)

Leitura complementar

Bacha, Edmar Lisboa e Regis Bonelli (2005) “Uma Interpretação das Causas da Desaceleração Econômica do Brasil”. Revista de Economia Política 25(3): 163-189.

Romer, Paul M. (1988) “Capital Accumulation in the Theory of Long-Run Growth”. In Robert Barro, org. (1988) Modern Business Cycle Theory. Cambridge, Ma.: Harvard University Press: 51-127.*

Romer, Paul M. (1994) “The Origins of Endogenous Growth”. Journal of Economic Perspectives 8(1) inverno 1994.

Lucas, Robert (1988) “On the Mechanics of Economic Development”. Journal of Monetary Economics, n.22, 1988.*

Grossman, Gene M. (1990) “Promoting New Industrial Activities: a Survey on Recent Argument and Evidence”. OECD Economic Studies, n.14, primavera 1990.

Grossman, G. e Helpman, H. (1993) “Endogenous Innovation in the Theory of Growth”. NBER Texto para discussão n°. 4527, novembro 1993. Este é um resumo do livro: Grossman. e Helpman (1991) Innovation and Growth in the Global Economy.

Cambridge, Ma.: The MIT Press.

23. Desenvolvimento como inovação: Schumpeter e Nelson & Winter

Schumpeter, Joseph A. (1911) The Theory of Economic Development. Oxford: Oxford University Press, 1961. Primeira edição alemã, 1911. Capítulos 1 e 2: 3-94.

Nelson, Richard R. e Sidney G. Winter (1982) An Evolutionary Theory of Economic Change. Cambridge, MA: Harvard University Press. Cap. 1, “Introduction”: 3-22; Cap 2 “The Need of an Evolutionary Theory”: 24-48; Cap. 8, “Neoclassical Growth Theory: A Critique”: 195-205; Cap. 9, “An Evolutionary Model of Economic Growth”: 206-233.

Outras leituras obrigatórias

Nelson, Richard R. (1995) “Recent Evolutionary Theorizing About Economic Change”. Journal of Economic Literature 33(1) March 1995: 48-90.

Meyer, G. e Baldwin, R. (1963) Desenvolvimento Econômico. Cap.4: “Análise Schumpeteriana”: 121-139.

24. Modelo do big-push e da oferta ilimitada de mão de obra

Rosenstein-Rodan, Paul N. (1943) “Problems of Industrialization in Eastern Europe and South-Eastern Europe”. Economic Journal 53, June 1943. Reproduzido in Agarwala, A. N. e S. P. Singh, orgs. (1958) The Economics of Underdevelopment.

Nova York: Oxford University Press, 1958: 245-255.

Lewis, Arthur W. (1954) “Economic Development with Unlimited Supply of Labor” . In Agarwala e Singh, orgs. (1958) The Economics of Underdevelopment. New York: Oxford University Press: 400-449. Trabalho originalmente publicado em 1954.

Leitura complementar

Hirschman, Albert O. (1958) The Strategy of Economic Development. New Haven: Yale University Press. Capítulo 4:

“Unbalanced Growth: An Espousal”. (12 pp)

Murphy, Kevin M., Andrei Shleifer e Robert W. Vishny (1989) “Industrialization and the Big Push”. Journal of Political Economy, 97(5) 1989: 1003-1026.

25. Estruturalismo e crítica da lei das vantagens comparativas

Prebisch, Raúl (1949) “O desenvolvimento econômico da América Latina e seus principais problemas”. Revista Brasileira de Economia 3(4) dezembro 1949: 47-111.*

Bielschowsky, Roberto (1988) O Pensamento Econômico Brasileiro. Rio de Janeiro: IPEA/INPES. Capítulo 3: “O pensamento desenvolvimentista”: 91-212.

(9)

Leitura complementar

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2001) “Método e paixão em Celso Furtado”. In Bresser-Pereira e José Márcio Rego, orgs. (2001) A Grande Esperança em Celso Furtado. São Paulo: Editora 34. 19-44.

Prebisch, Raúl (1984) “Five Stages in My Thinking of Development”. In G. Meyer and D. Seers, orgs. (1984) Pioneers in Development. Washington: The World Bank.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos & José Márcio Rego (1993) "Um Mestre da Economia Brasileira: Ignácio Rangel". Revista de Economia Política 13(2) abril 1993: 98-119

26. Desenvolvimento como capital humano e conhecimento

Schultz, Theodore W. (1961) “Investment in human capital”. American Economic Review, 51(1) março 1961: 1-17.

Galbraith, John K. (1967) O Novo Estado Industrial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 1968. Originalmente publicada em inglês, 1967. Capítulo V: “Capital e Poder” (16 pp).

Leitura complementar

Becker, Gary S. (1993) Human Capital (Terceira Edição). Berkeley: Chicago: The University of Chicago Press. Cap. 2:

“Human capital revisited”: 15-25.*

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2004) “Capitalismo dos técnicos e democracia”. Trabalho apresentado ao “John Kenneth Galbraith International Symposium” promovido pelo Laboratório de Reorganização Industrial da "Université du Littoral".

Paris, 23-25 de setembro de 2004. Revisado em Março, 2005. A ser publicado na Revista Brasileira de Ciências Sociais.

Boyer, Robert (2004) The Future of Economic Growth. Cheltenham: Elgar Press. Capítulos: 1 “A Social Construct and an Analytical Challenge” (8 pp); 3 “A Growth Regime Driven by Information and Communications Technology?” (18 pp); 8

“The Emergence of an Anthropogenetic Model” (24 pp).

Schultz, T. Paul (1988) “Education Investments and Returns”. In H. Chenery e T.N.Srinivasan, orgs. (1988) Handbook of Development Economics, vol. 1. Amsterdam: North Holland: 543-630.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (1972) “A emergência da tecnoburocracia”. Ensaio in Luiz Carlos Bresser-Pereira (1972)

Tecnoburocracia e Contestação. Petrópolis: Editora Vozes. Republicado em A Sociedade Estatal e a Tecnoburocracia. São Paulo: Editora Brasiliense, 1981. Disponível em www.bresserpereira.org.br. Capítulo II “Técnica o Novo Fator

Estratégico” (20 pp)

27. Estado e desenvolvimento

Evans, Peter (1992) “The state as problem and solution: predation, embedded autonomy, and structural change”. In Haggard, S

& R. Kaufman, orgs. The Politics of Economic Adjustment. Princeton: Princeton University Press: 139-181.

Leitura complementar

Fukuyama, Francis (2004) Construção de Estados. Rio de Janeiro: Editora Rocco. Prefácio e Capítulo 1 (“As Dimensões Perdidas da Estaticidade”): 9-64.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (1977) “Notas Introdutórias ao Modo Tecnoburocrático ou Estatal de Produção”. Estudos CEBRAP, n°.21, abril 1977: 75-110. Também como primeiro capítulo da primeira edição de Estado e Subdesenvolvimento Industrializado.

28. O ‘milagre’ asiático

Jomo K. S., (2001) “Growth After the Asian Crisis: What Remains of the East Asian Model ?”. G-24 Discussion Papers Series.

United Nations Conference on Trade and Development. Disponível em http://www.unctad.org/en/docs/pogdsmdpbg24d10.en.pdf

Singer, H. W. e Kunibert Raffer (2001) – The Economic North-South Divide: Six Decades of Unequal Development.

Northampton: Edward Elgar Publishing. Capítulo 9: “The Asian Tigers: What do They Prove ?”: 138-157.

(10)

Leitura complementar

Chang, Ha-Joon, (2003) “The East Asian development experience”. In Ha-Joon Chang, org. (2003) Rethinking Development Economics. Londres: Anthem Press: 107-124.

Wade, Robert (1990) Governing the Market. Princeton: Princeton University Press.

Amsden, Alice H. (1989) Asia's Next Giant. New York: Oxford University Press.

Amsden, Alice H. (1991) "The diffusion of development: the late industrialization model and Great Easter Asia". American Economic Review, vol.81, n.2, May 1991.

29. Crítica do desenvolvimento com poupança externa

Bresser-Pereira, Luiz Carlos e Paulo Gala (2007) “Por que a poupança externa não promove o crescimento”. Revista de Economia Política 27 (1): janeiro: 3-19.

Leitura complementar

Gala, Paulo (2006) Política Cambial e Macroeconomia do Desenvolvimento. Tese de doutoramento defendida na Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, 20006. Capítulo 6: “Estratégias de política cambial: América Latina e Ásia”.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2004) “Brazil’s Quasi-stagnation and the Growth cum Foreign Savings Strategy”. International Journal of Political Economy 32(4) 2004: 76-102.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos e Yoshiaki Nakano (2003) “Crescimento Econômico com Poupança Externa?”. Revista de Economia Política 22(2): 3-27.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2004) “Exchange Rate: Fix, Float, or Manage it?”. Prefácio de Mathias Vernengo, ed. (2004) Monetary Integration of Dollarization: No Panacea. Cheltenham: Edward Elgar: xiii-xix. Disponível em

www.bresserpereira.org.br

Orhangazi, Özgür (2002) “Turkey: Bankruptcy of Neoliberal Policies and the Possibility of Alternatives”. Review of Radical Political Economics 24(3): 335-341.

Flassback, Heiner (2001) “The Exchange Rate: Economic Policy Tool or Market Price?”. UNCTAD Discussion Paper n°.157, novembro.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2001) “Incompetência e Confidence Building por trás de 20 Anos de Quase-Estagnação da América Latina”. Revista de Economia Política 21(1): 141-166.

AULAS EXTRAS 30. Crise dos anos 60 e o ‘novo modelo’ dos anos 70

Bresser Pereira, Luiz Carlos (1973) "O Novo Modelo Brasileiro de Desenvolvimento". Dados, n.11 1973: 122-145.

Leitura complementar

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (1978) "Empresas Multinacionais e Interesses de Classe". Encontros com a Civilização Brasileira n°.4, outubro 1978. 11-29.

31. O novo desenvolvimentismo

Bresser-Pereira, Luiz Carlos & Yoshiaki Nakano (2002) “Uma Estratégia de Desenvolvimento com Estabilidade”. Revista de Economia política 21(3) julho 2002: 146-177.

Sallum Jr., Brasílio (1998) “Globalização e Estratégia para o Desenvolvimento: Brasil nos Anos 90”. In Alberto Dines et al.(1998) Sociedade e Estado: Superando Fronteiras. São Paulo: Edições Fundap: 243-280. Ler só até a pg. 256.

(11)

AAVVAALLIIAAÇÇÃÃOO

Prova Parcial: 20% - Conjunto de comentários de uma ou duas páginas espaço duplo que os alunos deverão entregar a cada aula sobre a(s) leitura(s) obrigatória(s) previstas para aquela aula. Trata-se de um comentário e não de uma resenha.

Trabalho Semestral: 30% - Trabalho sobre estratégias nacionais de desenvolvimento: estudo de caso, ou análise estatística e histórica comparando trabalhos. Pode ser escrito por grupos de dois.

Participação: 20% - Avaliação do professor.

Prova Final: 30% - Duas perguntas gerais.

TTEEXXTTOOSS EE LLIIVVRROOSS BBÁÁSSIICCOOSS Textos obrigatórios

Estão todos disponíveis, inclusive as Outras Leituras Obrigatórias. Excetuam-se os meus papers (que estão em

www.bresserpereira.org.br), todos os publicados na Revista de Economia Política (disponíveis para não-assinantes desde que com mais de dois anos), os papers de organizações que os disponibilizam na Internet como o NBER e a UNCTAD, e o livro de Ha-Joon Chang.

Livros selecionando leituras

Agarwala e Singh, orgs. (1958) The Economics of Underdevelopment. New York: Oxford University Press.

Siglitz, Joseph e H. Usawa, orgs. (1969) Readings in the Theory of Economic Growth. Cambridge, Ma.: MIT. Press, 1969.

Seligson, Mitchell A. e John T. Passé-Smith, eds. (1998) Development and Underdevelopment. Boulder, Co.: Lynne Rienner Publishers.

Chang, Ha-Joon, org. (2003) Rethinking Development Economics. Londres: Anthem Press.

Adams, John e Francesco Pigliaru, orgs. (1999) Economic Growth and Change. Cheltenham: Elgar Press.

Salvadori, Néri, org. (2003) Theories of Economic Growth. Cheltenham: Elgar Press.

Livros originais que servem de referência para o curso

Chang, Ha-Joon (2002) Chutando a Escada. São Paulo: Editora da UNESP, 2004. Originalmente publicado em inglês, 2002.

Recomenda-se a compra do livro.

Rostow, Walt W. (1960) The Stages of Economic Growth: A Non-Communist Manifest. Cambridge: Cambridge University Press. Existe tradução brasileira.

Furtado, Celso (1961) Desenvolvimento e Subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Editora Fundo de Cultura.

Cardoso, Fernando Henrique e Enzo Faletto (1969) Dependência e Subdesenvolvimento na América Latina. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1970. Publicado originalmente em espanhol, 1969.

Bresser Pereira, Luiz Carlos (1977) Estado e Subdesenvolvimento Industrializado. São Paulo: Brasiliense.

Bresser Pereira, Luiz Carlos (1986) Lucro, Acumulação e Crise. São Paulo: Editora Brasiliense.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2004) Democracy and Public Management Reform. Oxford: Oxford University Press.

Algumas resenhas da teoria do desenvolvimento

Bresser Pereira, Luiz Carlos (1995) "A Teoria do Desenvolvimento Econômico e a Crise de Identidade do Banco Mundial".

Revista de Economia Política 15(1) janeiro 1995. Ensaio preparado para o “World Bank History Project, The Brookings Institution” (“Development Economics and the World Bank’s Identity Crisis”). Publicado originalmente em Journal of International Political Economy 2(2) 1995. Ler apenas a seção que discute a evolução e a crise da teoria do

desenvolvimento.

Hirschman, Albert (1981) “The Rise and Decline of Development Economics”. In Essays in Trespassing. Cambridge:

Cambridge University Press, 1981 (pp.1 - 24).

Bardhan, Pranab (1993) "Economics of Development and the Development of Economics". The Journal of Economic Perspectives, 7(2) Spring 1993: 129-142.

(12)

Souza, Nali de Jesus de (1999) Desenvolvimento Econômico. 4ª. Edição. São Paulo: Editora Atlas. Capítulo 7:

“Desenvolvimento segundo a CEPAL e o Desenvolvimentismo Brasileiro”: 198-235. Xerox não disponível.

Bardhan, Pranab (1988) “Alternative Approaches to Development Economics”. In H.Chenery e T.N.Sriniasan, orgs. (1988) Handbook of Development Economics. Amsterdam: North Holland: 40-71.

Waelbroeck, Jean (1998) “Half a Century of Development Economics: A Review Based on the Handbook of Development Economics”. The World Bank Economic Review, 12(2) maio 1998.

Rapley, John (1996) Understanding Development. Boulder, Co.: Lynne Rienner Publishers.

Alguns livros-texto

Perkins, Dwight, Steven Radelet, Donald Snodgrass and Michael Roemer (2001) Economics of Development. New York: W.

W. Norton.

Ray, Debraj (1999) Development Economics. Princeton: Princeton University Press.

Souza, Nali de Jesus de (1999) Desenvolvimento Econômico. 4ª. Edição. São Paulo: Editora Atlas.

Sunkel, Oswaldo e Pedro Paz (1970) El Subdesarrollo Latino Americano y la Teoría del Desarrollo. México: Fondo de Cultura.

Thirwall, A.P. (1989) Growth and Development. Londres: Macmillan.

Todaro, Michael P. (1989) Economic Development in the Third World. Quarta edição. Nova York: Longman.

Alguns trabalhos adicionais sobre o desenvolvimento como estratégia nacional.

Amsden, Alice H. (1989) Asia’s Next Giant. Oxford: Oxford University Press.

Dooley, Michael, David Folkerts-Landau, and Peter Garber (2003). “An Essay on the Revived Breton Woods System”.

Cambridge, MA: National Bureau of Economic Research, Working Paper, 9971, September 2003.

Wade, Robert (1990) Governing the Market. Princeton: Princeton University Press.

World Bank (1993) The Asian Miracle. New York: Oxford University Press.

Imagem

Referências

temas relacionados :