• Nenhum resultado encontrado

NOVA Medical School | Faculdade Ciências Médicas Universidade NOVA de Lisboa

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2019

Share "NOVA Medical School | Faculdade Ciências Médicas Universidade NOVA de Lisboa"

Copied!
16
0
0

Texto

(1)

Relatório Final de

Estágio

Ano lectivo

2016/2017

André Pina Monteiro Pereira

nº 2010186

NOVA Medical School | Faculdade

Ciências Médicas

(2)

Índice

1. Introdução ... 3

2. Objectivos Globais ... 3

3. Síntese das Atividades Desenvolvidas ... 4

3.1 Estágio Parcelar de Medicina Geral e Familiar ... 4

3.2 Estágio Parcelar de Pediatria ... 4

3.3 Estágio Parcelar de Ginecologia-Obstetrícia ... 5

3.4 Estágio Parcelar de Saúde Mental ... 5

3.5 Estágio Parcelar de Medicina ... 6

3.6 Estágio Parcelar de Cirurgia ... 6

3.7 Estágio Parcelar Opcional Pediatria ... 7

3.8 Preparação para a Prática Clínica (PPC) - 2º Semestre ... 7

4. Reflexão Crítica ... 8

5. Anexos ... 11

Anexo 1 ... 11

Anexo 2 ... 12

Anexo 3 ... 13

Anexo 4 ... 14

Anexo 5 ... 15

(3)

1. Introdução

O sexto e último ano do Mestrado Integrado em Medicina da NOVA Medical School | Faculdade de Ciências Médicas, através de um sistema de estágios parcelares nas áreas nucleares da Medicina, procura fazer uma transição gradual entre o ensino pré-graduado e o desenvolvimento autónomo da profissão médica, cujo objectivo primordial é preparar os alunos com atributos profissionais adequados e com um núcleo de conhecimentos e competências fundamentais para a prática da Medicina. O estágio profissionalizante é constituído pelos seguintes estágios parcelares: Medicina Interna, Cirurgia Geral, Medicina Geral e Familiar, Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia, Saúde Mental e um estágio opcional.

Neste contexto, surge o presente relatório sob a forma de resumo crítico do meu percurso entre setembro de 2016 e maio de 2017. O presente relatório tem como objectivo sintetizar o conjunto de atividades desenvolvidas ao longo do presente ano letivo. Começa por sucintamente falar de cada uma delas, passando por uma componente crítica das mesmas, havendo ainda uma breve referência a atividades extracurriculares que, de acordo com o meu julgamento, ajudaram a desenvolver o meu raciocínio, personalidade e carácter.

2. Objectivos Globais

(4)

dirigido e ser capaz de discutir casos e transmitir informação clínica entre os pares. No horizonte, a vontade de terminar o curso não só com confiança para triar e tratar as condições de doença mais comuns em doentes de todas as faixas etárias e em vários contextos, como também de me considerar um agente informado da promoção da saúde e de estilos de vida saudável.

3. Síntese das Atividades Desenvolvidas

3.1 Estágio Parcelar de Medicina Geral e Familiar

O estágio parcelar de Medicina Geral e Familiar (MGF) decorreu na Unidade de Saúde Familiar (USF) de Venda Nova sob a tutela do Dr. Dadilson Lopes no período de 12 de Setembro a 7 de Outubro de 2016. Os principais objetivos estabelecidos para este estágio parcelar foram: conhecer a dinâmica dos Cuidados de Saúde Primários; adotar uma abordagem bio-psico-social da pessoa; treinar aptidões de diagnóstico e tratamento adequadas ao exercício da MGF; e melhorar aptidões comunicativas essenciais ao estabelecimento de uma boa relação médico-doente. Pude acompanhar e inclusive realizar de forma autónoma consultas e procedimentos em áreas como a Saúde do Adulto/Idoso, Saúde Infantil, Planeamento Familiar, bem como consultas de grupos de risco como diabéticos e hipertensos. De referir neste contexto a importância dada à realização dos rastreios preconizados, vacinação e promoção da saúde. Além disso foi-me possível acompanhar o Dr. Dadilson Lopes nas suas consultas e visitas domiciliares.

3.2 Estágio Parcelar de Pediatria

(5)

realizar atividades diárias de enfermaria. Acompanhei também o meu tutor no SU, e na consulta externa de Pediatria Geral. Foi-nos permitido também assistir a consultas de Imunoalergologia, bem como aulas teóricas-práticas. Tive ainda a oportunidade ir até ao serviço de Cardiologia Pediátrica do Hospital de Santa Marta, onde tive a oportunidade de assistir a diversas técnicas diagnósticas e terapêuticas. Assisti a múltiplas sessões formativas do serviço e elaborei uma história clinica para avaliação e por fim apresentei, juntamente com os meus colegas Filipe Silva e

Tiago Romão, um trabalho sobre “Intoxicação Alcoólica no Serviço de Urgência”.

3.3 Estágio Parcelar de Ginecologia-Obstetrícia

O estágio teve início no dia 6 de Novembro e término no dia 2 de Dezembro de 2016, no Hospital de Vila Franca de Xira. Tive o prazer de ter acompanhado a Dr.ª Paula Ambrósio nas primeiras duas semanas de estágio, com um maior enfoque na parte de Ginecologia, e nas restantes duas acompanhei a Dr.ª. Paula Tapadinhas, com foco na parte de Obstetrícia. Os meus principais objectivos para este estágio foram: averiguar e consolidar as patologias ginecológicas e obstétricas mais comuns, incluindo urgências e emergências, assim como a sua distribuição etária predominante e aperfeiçoar as minhas capacidades clínicas no âmbito da colheita da história clínica e realização do exame objectivo ginecológico e obstétrico assim como no pedido de exames complementares de diagnóstico. Acompanhei as diversas atividades do quotidiano hospitalar: no internamento, onde acompanhava puérperas e mulheres em contexto pré e pós-operatório, nas consultas de Obstetrícia, de Interrupção Voluntária da Gravidez e de ecografia ginecológica e no bloco, na realização de cesarianas eletivas. Frequentei o SU, as consultas de Diagnóstico Pré-Natal e de Ecografias do 2.º e 3.º trimestre e o bloco operatório. Tive a

oportunidade de apresentar o trabalho “Ooforectomia Profilática”. 3.4 Estágio Parcelar de Saúde Mental

(6)

estágio defini como objectivos práticos principais: o treino do exame de estado mental e a realização de pelo menos uma entrevista clínica em contexto de internamento, bem como a observação de procedimento em contextos frequentes de urgência psiquiátrica. No serviço de Psiquiatria Geriátrica, participei atentamente na observação de exame psiquiátrico bem como de alterações terapêuticas. Realizei uma entrevista a uma paciente internada por demência e acompanhei o Dr. Sérgio Henriques nas consultas externas de psiquiatria e em 2 turnos no serviço de urgência. Ainda como parte deste estágio, foi lecionado um seminário, pelo Professor Doutor Miguel Xavier, com o objectivo de nos preparar para casos com que possivelmente iremos contactar em contexto de urgência.

3.5 Estágio Parcelar de Medicina

Este estágio parcelar teve lugar no serviço de Medicina do Hospital de Santa Marta, sob a tutoria da Dr.ª Rita Barata Moura, no período entre 22 de Janeiro a 17 de Março de 2017. A unidade curricular preconizava que o aluno atingisse os seguintes objectivos: proceder de forma autónoma à observação do doente com consequente proposta de exames complementares e terapêutica; elaboração de diários clínicos, notas de alta e transferência; treinar a comunicação com o doente, os seus familiares e os restantes elementos da equipa; hierarquizar as situações de emergência médica; desenvolver as competências necessárias ao trabalho em equipa; e sensibilização para a problemática dos doentes em fim de vida. Estive integrado na equipa da minha tutora, desempenhando tarefas em contexto de internamento: diariamente verificava as vigilâncias/intercorrências do doente, observava-o, elaborava os diários clínicos e discutia o plano com a equipa, procedendo também à preparação de notas de alta. Neste período de 2 meses, em conjunto com colegas do 6ºano (Margarida Navio, Inês Martins, Carolina Ferreira) tive a oportunidade de desenvolver e apresentar ao serviço um trabalho sobre “Alterações do Sono”.

3.6 Estágio Parcelar de Cirurgia

(7)

período de formação numa área complementar, no meu caso a Anestesiologia. Os objetivos principais estabelecidos foram: contactar com a prática clínica cirúrgica em meio hospitalar, visando a consolidação dos conhecimentos adquiridos nas unidades curriculares anteriores, bem como a aquisição e desenvolvimento de novos conhecimentos e competências; saber avaliar corretamente as situações clínicas mais comuns; determinar as prioridades de atuação e estabelecer as medidas essenciais para a sua resolução adequada. O estágio iniciou-se com uma semana de sessões teóricas e teórico-práticas no Hospital Beatriz Ângelo (HBA), à qual se seguiu a componente prática de 7 semanas. Nesta última, frequentei diferentes áreas da prestação de cuidados, o que me permitiu consciencializar-me da real abrangência dos cuidados médico-cirúrgicos do doente no contexto de Cirurgia Geral, entre elas: atendimento médico permanente, Anestesiologia e Cirurgia Geral. A última componente decompunha-se em: consultas externas, pequena cirurgia, serviço de internamento, reuniões multidisciplinares e bloco operatório onde observei algumas cirurgias. Participei no mini-congresso de Cirurgia Geral com o tema

“Aneurisma Artéria Esplénica- Caso Clínico”.

3.7 Estágio Parcelar Opcional – Pediatria

Neste estágio, com a duração de 2 semanas e sob a regência do Professor Doutor José Delgado Alves, tive a possibilidade de escolher a especialidade e o local onde pretendia realizar o último estágio do ano letivo. Estagiei no Serviço de Pediatria da ULS da Guarda sob a orientação do Dr. António Mendes, e frequentei diversas valências, sendo de destacar a consulta bem como o serviço de urgência, tendo este sido um estágio sobretudo observacional.

3.8 Preparação para a Prática Clínica (PPC) - 2º Semestre

(8)

4. Reflexão Crítica

Findo o 6º ano do MIM cabe-me fazer então uma reflexão acerca do impacto que este teve na minha formação. À partida, este era o ano que despertava em mim uma curiosidade acrescida, uma vez que tinha no horizonte uma formação mais prática, mais ativa, sentindo-me talvez pela primeira vez autónomo, sendo sempre capaz de encarar o erro como uma oportunidade de aprendizagem e crescimento, tendo sempre em conta que iria procurar preparar-me para aquilo que será a minha atividade enquanto profissional num futuro próximo. Sendo assim, parti para este ano com um misto de emoções, entre medo e confiança, e no fim posso afirmar sem grandes dúvidas, que apesar das lacunas subjacentes à inexperiência, hoje sinto-me mais preparado e confiante face à realidade que irei encontrar. E afirmo-o uma vez que o facto de ter contactado e experienciado o desempenho da profissão médica em diferentes especialidades e contextos me permitiu ter uma visão mais global da Medicina, sabendo compreender a relevância de todas as suas áreas, cada uma com as suas particularidades.

De um ponto de vista geral, considero ter cumprido na quase totalidade os vários objectivos preconizados em cada estágio parcelar. Destaco a melhoria do meu método de recolha e interpretação de dados do doente e respetivo exame objectivo, o aperfeiçoamento do raciocínio hipotético-dedutivo no estabelecimento de um plano de cuidados com consequente pedido de meios complementares de diagnóstico e propostas diagnóstica e terapêutica. Realço ainda o aprimoramento na identificação de problemas conforme a sua prevalência e a sua gravidade.

(9)

confirmou a escolha acertada feita aquando da escolha do curso de Medicina. Foi um estágio que me sensibilizou particularmente para questões vitais e essências que abordam o espectro geral da vida de um ser Humano. Pela sua dimensão humana, muito presente no contacto com casos de grande gravidade que limitavam a qualidade de vida das crianças e dos pais, situações que provam que o Médico deve ser muito mais que um mero técnico. Além disto, pude compreender a complexidade e especificidade de toda uma faixa etária pouco estudada ao longo do curso. Quanto ao estágio de Ginecologia e Obstetrícia, não sendo uma das minhas áreas de maior interesse, acabou por se revelar um dos estágios mais produtivos. Começo por salientar a complexidade da abordagem de diagnóstico nestas doentes, pela patologia inerente ao género, específica da grávida e/ou médico-cirúrgica geral. Realço ainda a tremenda responsabilidade imposta ao Obstetra e o papel do diagnóstico pré-natal e a dificuldade da decisão de interrupção

(10)

apesar de poder de forma definitiva curar o doente com apenas um procedimento, as complicações cirúrgicas são uma realidade e o risco cirúrgico deve ser sempre avaliado.

Não poderia deixar de mencionar, pois penso atingir os alunos na sua generalidade, considero como maior dificuldade, conciliar o estudo para a Prova Nacional de Seriação com a dedicação e aproveitamento dos estágios na sua totalidade, tendo sido este o principal

“obstáculo” ao longo deste último ano.

Antes de realizar uma breve reflexão, gostaria de salientar algumas atividades realizadas extracurriculares. Saio desta casa com muitas dúvidas e com um longo caminho a percorrer, mas uma das poucas certezas que tenho é que não tratamos doenças, mas sim doentes. Ao longo do curso, sempre me deparei com uma questão “e quando a Medicina não chega?”. Com essa

questão sempre em mente, participei num curso de Cuidados Paliativos, bem como um estágio durante o Verão no IPO de Coimbra, onde frequentei o serviço de Cuidados Paliativos. Com essa motivação, sou voluntário na UCC (Unidade de Cuidados Continuados) integrada na Santa Casa da Misericórdia da Guarda, até aos dias de hoje.

Analisando este ano em retrospetiva, considero que o estágio profissionalizante foi fundamental para me preparar para os desafios que terei no próximo ano, no exercício da profissão e no processo de aprendizagem contínuo que é a carreira médica. Como último ponto desta análise crítica gostaria de agradecer a todos os intervenientes neste longo estágio profissionalizante, em especial aos excelentíssimos responsáveis pelos estágios parcelares, bem como aos meus tutores pelas excelentes receções, pelos ensinamentos fornecidos, pela motivação transmitida e acima de tudo pela constante preocupação por um ensino de qualidade e excelência, praticado nesta tão nobre e respeitável instituição.

Termina assim esta etapa, que não foi mais do que uma ponte para o futuro de contínua aprendizagem, desejando que com muita luta e querer possa um dia ser um verdadeiro Médico.

(11)

5. Anexos

(12)
(13)
(14)

Anexo 4

(15)
(16)

Referências

Documentos relacionados

A pesquisa sobre a viabilidade do Curso Técnico em Agrimensura iniciou-se a partir do levantamento de dados a respeito da localização e quantidade de técnicos, engenheiros e

Em primeiro lugar gostaria de agradecer à minha família por me apoiar e incentivar a frequentar o ensino superior. Sem eles nada seria possível e não poderia estar onde

gonistas do poder político e a Igreja Católica, procurando construir um regime de separação mais viável, dado, por um lado, o peso dos sectores que reclamavam a independência

Keywords: Bursaphelenchus xylophilus, Catalase, Endophyte, Reactive oxygen species, OxyR, Serratia, Oxidative stress, Pine wilt disease, Plant defenses.. *

(2009) que determinaram os fatores associados à prevalência de sobrepeso e à obesidade em escolares e verificaram que um maior tempo assistindo TV não apresenta relação com

Os EUA coagiram os japoneses a abrir o país ao exterior, foram Aliados do Japão na Primeira Guerra Mundial, inimigos durante a Segunda Guerra Mundial, ocuparam o país e

64 Sendo que as edições de 1693 (e não de 1711 como inicialmente previsto) e de 1819 seriam adotadas como base para a revisão, uma opção justificada ao longo do processo de

Concerning multiplicative components, although all equality constraints can be imposed with Lagrange multipliers, often this is uneconomical or inconvenient if a direct sparse solver