• Nenhum resultado encontrado

Boletim Climatológico Mensal Outubro de 2014

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Boletim Climatológico Mensal Outubro de 2014"

Copied!
7
0
0

Texto

(1)

CONTEÚDOS

Imagem de satélite MSG (Natural Color RGB) de 14.10.2014 12 UTC..

01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas 02 Caracterização Climática Mensal 02 Precipitação total 04 Temperatura do Ar 05 Outros elementos 05 Vento 06 Radiação global 07 Referências

Figura 1. Anomalia do campo da pressão atmosférica à superfície para o mês de outubro de 2014, com

base nas reanálises NCEP/NCAR (Kalnay et al., 1996) relativamente ao período de referência de 1961-1990.

RESUMO MENSAL

Boletim Climatológico Mensal de outubro de 2014

Produzido por Instituto Português do Mar e da Atmosfera I.P. – Delegação Regional dos Açores

Também disponível em

www.ipma.pt

Outubro relativamente quente e seco.

No mês de outubro de 2014, o campo da pressão atmosférica à superfície continuou a apresentar uma zona de anomalias negativas (-2 a -3 hPa) sobre a região dos Açores, desta vez centrada a oeste das ilhas britânicas e estendendo-se para sul até aos trópicos. Esta região de anomalias negativas contrastava com uma região de anomalias positivas centrada no Ártico (Fig. 1). Esta situação resultou do enfraquecimento do anticiclone subtropical do Atlântico Norte, o qual se centrou mais a oeste da sua posição média. Por outro lado, o efeito de uma depressão entre os dias 19 e 25 sobre a região dos Açores acabou por contribuir também para esta anomalia. No entanto, os desvios mensais de precipitação apresentaram valores negativos em quase todas as estações. A temperatura média mensal apresentou valores superiores aos valores de referência em cerca de 1ºC.

(2)

A situação média à escala sinóptica na região dos Açores caracterizou-se pelo enfraquecimento do anticiclone subtropical do Atlântico Norte, o qual se localizava em média mais a oeste da sua posição de referência. Como resultado desta situação, o campo da pressão atmosférica média ao nível médio do mar apresentou uma região de anomalias negativas centrada a oeste das ilhas britânicas (fig. 1), estendendo-se para sul até aos trópicos. De registar também a ocorrência de uma depressão a sueste dos Açores que acabou por condicionar o estado do tempo entre os dias 19 e 25 causando vento e agitação marítima fortes e também precipitação intensa em especial nos grupos Central e Oriental. Nos primeiros nove dias do mês de outubro, a temperatura média da superfície do mar apresentou-se aproximadamente constante, entre 21 e 21,5ºC nos grupos Ocidental e Central e entre 21,5 e 21,9ºC no Grupo Oriental. A partir do dia 10, verificou-se uma descida generalizada das temperaturas até dia 21, permanecendo depois aproximadamente constante até o final do mês, atingindo mínimos de 19,1ºC no Grupo Ocidental, 19,2ºC no Central e 19,9ºC no Oriental.

O estado do mar caracterizou-se por ondas entre 1 e 3 m em todos os grupos até ao dia 14, aumentando depois até 7 m no Grupo Ocidental e até 5 m nos grupos Central e Oriental, entre os dias 15 e 20. Esta situação resultou da aproximação a norte de depressões polares muito cavadas que geraram grande ondulação, atingido sobretudo as costas norte e noroeste das ilhas açorianas. A direção das ondas foi inicialmente do quadrante noroeste, passando temporariamente para nordeste entre os dias 22 e 24, passando novamente para noroeste. No grupo Oriental, esta variação passou pelo quadrante sul.

1. Precipitação total

No gráfico da figura 2 representa-se para o mês de outubro no período 2000-2014, os desvios relativos das quantidades de precipitação em relação ao período de referência de 1961-1990.

Nesta figura, observa-se que no mês de outubro se registaram desvios negativos nas três estações de referência: -43% na estação do aeródromo das Flores, -41 % no Observatório José Agostinho em Angra do Heroísmo e -18% no Observatório Afonso Chaves em Ponta Delgada.

Resumo das Condições Meteorológicas

(3)

Figura 2. Anomalia relativa da quantidade total de precipitação nas Flores (Estação Meteorológica/Aeroporto), em

Angra do Heroísmo (Observatório José Agostinho) e em Ponta Delgada (Observatório Afonso Chaves) para o mês de outubro relativamente ao período de 1961-1990.

O quadro 1 apresenta um resumo das observações da precipitação no Arquipélago dos Açores para o mês de outubro de 2014.

Quadro 1. Resultados das observações da precipitação referentes ao mês de outubro de 2014. Esta

informação provém dos sistemas clássicos e automáticos instalados na rede do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Estação

Quantidade de Precipitação (mm) N.º de dias com

precipitação Máx/Dia Total Corvo 19 6,6/16 43,2 Flores 21 14,0/16 87,5 Faial (Aeroporto) 21 10,3/5 85,8 Faial (Horta) 23 21,6/12 129,6 Pico 24 15,5/30 99,2 S. Jorge 23 23,0/18 157,9 Graciosa 23 12,4/17 41,4 Terceira (Lajes) 24 7,3/30 44,2

Terceira (A. Heroísmo) 19 12,6/29 71,6

S. Miguel (P. Delgada) 24 20,3/30 92,8

S. Miguel (Aeroporto) 18 28,9/30 91,8

S. Miguel (Nordeste) 23 33,9/30 139,0

(4)

O valor mais elevado dos totais mensais da precipitação registou-se em S. Jorge (157,9 mm) e o menor valor na Graciosa (41,4 mm). Para o mês de outubro e relativamente ao período de referência de 1961-1990, a estação do Faial/Horta apresentou um desvio positivo tendo-se verificado desvios negativos nas restantes estações.

No período de outubro de 2013 a outubro de 2014, o total observado foi inferior ao total de referência nas estações da Terceira/Angra do Heroísmo (-23%), Graciosa (-14%), S. Miguel (-6%) e Flores (-4%), igual em Santa Maria e superior no Faial/Horta (27%).

2. Temperatura do Ar

De forma análoga, no gráfico da figura 3 representa-se para o mês de outubro e no período 2000-2014, os desvios das temperaturas médias do ar em relação ao período de referência de 1961-1990.

A temperatura média do ar apresentou desvios positivos nas três estações de referência: 1,2°C no Observatório José Agostinho em Angra do Heroísmo, 1,0ºC na estação do aeródromo das Flores e 0,7ºC no Observatório Afonso Chaves em Ponta Delgada.

Figura 3. Anomalia da temperatura do ar nas Flores (Estação Meteorológica /Aeroporto), em Angra do

Heroísmo (Observatório José Agostinho) e em Ponta Delgada (Observatório Afonso Chaves) para o mês de outubro relativamente ao período de 1961-1990.

(5)

O quadro 2 apresenta um resumo das observações da temperatura em todo o Arquipélago dos Açores para o mês de outubro de 2014.

Estação

Temperatura Mensal (oC) Máx/Dia Min/Dia Média Corvo 24,3/5 14,3/17 19,1 Flores 26,4/6 13,3/26 19,4 Faial (Aeroporto) 26,4/1 14,0/18 19,5 Faial (Horta) 24,1/1 12,1/17 18,6 Pico 25,5/2 12,0/13 19,0 S. Jorge 25,7/1 12,5/18 18,3 Graciosa 24,4/5 12,6/13,19 18,6 Terceira (Lajes) 27,1/6,7 13,4/18 19,7

Terceira (A. Heroísmo) 25,2/6 13,1/18 19,6

S. Miguel (P. Delgada) 25,6/6 13,4/18 19,7

S. Miguel (Aeroporto) 23,4/1 14,0/31 18,9

S. Miguel (Nordeste) 25,1/7 13,9/18 18,4

S. Maria 25,3/4 14,4/19 19,8

Quadro 2. Resultados das observações da temperatura do ar referentes ao mês de outubro de 2014.

Esta informação provém dos sistemas clássicos e automáticos instalados na rede do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O valor da temperatura média do ar variou entre 19,8°C (Santa Maria/Aeroporto) e 18,4°C (S. Miguel/Nordeste). Verificaram-se desvios positivos em relação aos do período de referência de 1961-1990 e para o mês de outubro nas estações consideradas, excepto nas estações do Observatório Príncipe Alberto do Mónaco (Faial/Horta) e Graciosa/Aeródromo onde ocorreram desvios positivos.

3. Outros elementos

3.1 Vento

A circulação de larga escala na região dos Açores foi predominantemente do quadrante oeste, devido à posição média do anticiclone subtropical do Atlântico Norte a sudoeste dos Açores. A Rosa-dos-Ventos da figura 4, mostra a predominância de ventos bonançosos a moderados de W e de WNW na estação meteorológica do aeroporto da Nordela, mas também moderados a frescos de NNE.

(6)

Figura 4. Rosa-dos-Ventos para o mês de outubro de 2014, correspondente aos

valores registados na Estação Meteorológica Automática do aeroporto da Nordela. A separação entre os círculos concêntricos é de 5%.

3.2 Radiação Global

Quanto à percentagem da irradiação global mensal relativamente ao valor esperado no topo da Atmosfera (figura 5), o mês de outubro apresentou valores superiores a 50% em três estações: Ponta Delgada, Corvo e Angra do Heroísmo. O valor mais baixo foi registado na estação da Graciosa, mas superior a 45%.

(7)

Figura 5. Percentagem da irradiação global mensal relativamente ao topo da atmosfera para o mês de outubro de 2014 para várias

estações dos Açores.

Referências

Kalnay, E. and Coauthors, 1996: The NCEP/NCAR Reanalysis 40-year Project. Bull. Amer. Meteor. Soc., 77, 437-471.

Referências

Documentos relacionados

Este trabalho tem como objetivo principal estimar, através dos modelos empíricos, o volume de percolado gerado no Aterro da Muribeca, comparando a produção de percolado medida com

Foi contudo possível observar, em relação a ambos os muros, que estes não seguiam canonicamente a orientação das paredesmestras, divisórias e media‑ neiras actuais da casa,

- Declaração de IRPF acompanhada de recibo de entrega à Receita Federal do Brasil e Declaração de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e extratos bancários dos

Em relação aos prefixos, Said Ali (1971) coloca em dúvida a autonomia ou não desses morfemas ao dizer que os prefixos são, na maior parte, preposições e advérbios, isto

Este artigo tem como objetivo analisar comparativamente o desempenho contábil-financeiro de empresas com boas práticas de governança corporativa e outras sem

Por exemplo, ao se locomover até um local para cumprir um objetivo do jogo, seja para capturar um Pokémon ou batalhar em um ginásio, o jogador utiliza o espaço

Nesta nova etapa, serão repassadas as principais orientações que todo condutor deve receber de modo que seu veículo esteja em condições de dar uma adequada resposta para o

Por esta razão, objetivamos analisar a política de expansão da Igreja Católica na Bahia, na década de 1950, e sua correlação com a criação do Primeiro Bispado em Vitória