LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

Texto

(1)

COMOB

COMOB

PROVAS QUESTÕES

Língua Portuguesa 01 a 15

COMPANHIA DE OBRAS E HABITAÇÃO DO MUNICÍPIO

DE GOIÂNIA

-

COMOB

CONCURSO PÚBLICO - EDITAL N° 001/2007

SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

1. Quando for permitido abrir o caderno, verifique se ele está completo ou se

apresenta imperfeições gráficas que possam gerar dúvidas. Em seguida,

verifique se ele contém 50 questões.

3. O c

é personalizado e não haverá substituição, em caso de erro.

Ao recebê-lo, verifique se seus dados estão impressos corretamente, caso

contrário, notifique ao aplicador de prova.

4. A dura

das provas é de 4 horas, já incluídos o tempo da marcação do

c

5. Você só poderá se retirar, definitivamente, da sala e do prédio, a partir das

16h10min.

2. Cada questão apresenta 4 alternativas de resposta, das quais apenas uma é a

correta. Preencha no cartão-resposta a letra correspondente à resposta

assinalada na prova.

artão-resposta

ção

artão-resposta, a leitura dos avisos e a coleta de impressão digital.

O

N

C

U

R

S

O

P

Ú

B

L

IC

O

ARQUITETO

16 a 50 Conhecimentos Específicos

(2)

LÍNGUA PORTUGUESA

LÍNGUA PORTUGUESA

Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02.

ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São Paulo. 24 abr. 2007, p. E5. Ilustrada.

QUESTÃO 01 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Nos quadrinhos, pode-se interpretar da criação do 13º trabalho de Hércules que

(A) o esforço físico do herói foi proporcional ao seu esforço intelectual.

(B) o trabalho burocrático também requer um esforço de herói.

(C) os heróis gregos despendiam mais energia que os trabalhadores atuais.

(D) os gregos atribuíam ao trabalho burocrático um caráter divino.

QUESTÃO 02▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Na seqüência dos quadrinhos, o efeito de humor é cons-truído com o auxílio da

(A) metáfora. (B) ironia. (C) polissemia. (D) intertextualidade.

Leia o texto para responder às questões de 03 a 07.

Simplicidade é a norma

Grande parte dos produtos de sucesso no setor de eletrô-nicos [...] compartilha uma característica: a facilidade de uso.

Design e desempenho continuam a ser trunfos

importan-tes para atrair o consumidor, mas o plug and play — ou seja, o aparelho que entra em funcionamento assim que é ligado na tomada e se aperta o botão liga — é um argu-mento de venda mais poderoso do que nunca.

“Muito mais que oferecer as tecnologias de ponta ou os aparelhos mais sofisticados, toda a indústria deve facilitar a vida de quem usa tais tecnologias”, diz Flávio Gomes, diretor-geral da divisão de fotografia da K. para a América Latina. A área em que Gomes trabalha é um bom exem-plo das virtudes da simplicidade. No século XIX, o francês Louis-Jacques Daguerre inventou um processo de fixação de imagens, o daguerreótipo, precursor da fotografia mo-derna. Mas ela só se popularizou meio século depois, quando o americano George Eastman criou um processo simples de tirar e revelar fotos, o rolo de filme, que preva-leceu até o surgimento da fotografia digital, há uma déca-da. Hoje as máquinas digitais são cheias de recursos, mas as mais populares são as que simplificam a transfe-rência das fotos para o computador e a impressão. Nem tudo é tão fácil no mundo digital — prova disso é a varie-dade de formatos de arquivos de áudio e de vídeo, capaz de confundir o mais bem informado consumidor —, mas cada vez mais eletrônicos lidam com esses padrões dife-rentes sem a necessidade de intervenção do usuário. VEJA, São Paulo: Abril, no. 52, nov. 2005, p. 50. Edição Especial.

QUESTÃO 03 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

A aplicação da norma da simplicidade ao mundo da alta tecnologia é justificada pela

(A) dificuldade de acesso das pessoas às novas tecno-logias.

(B) satisfação de necessidades imediatas dos consu-midores.

(C) alta popularidade alcançada pelas máquinas foto-gráficas digitais.

(D) adaptação dos eletrônicos aos diferentes formatos de arquivos.

QUESTÃO 04 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Na organização do texto, a progressão das idéias se realiza segundo o esquema

(A) geral / particular / geral. (B) facilidade / dificuldade. (C) causa / conseqüência. (D) exemplo / citação / conjectura.

(3)

QUESTÃO 05 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

A fala de Flávio Gomes referenda os argumentos do autor do texto, pois

(A) prevê uma nova realidade no mundo da tecnologia de ponta.

(B) inibe a produção de aparelhos plug and play pela indústria tecnológica.

(C) traduz a autoridade proveniente de sua atividade profissional.

(D) pressupõe o lucro como o interesse principal da indústria.

QUESTÃO 06 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

No texto, um contra-argumento à tendência do mundo tecnológico para a busca da simplicidade é:

(A) O surgimento de máquinas digitais cheias de recur-sos.

(B) A existência de vários formatos de arquivos de áu-dio e vídeo.

(C) A invenção do rolo fotográfico pelo americano Ge-orge Eastman.

(D) O fato de design e desempenho serem grandes trunfos para vender produtos.

QUESTÃO 07 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Na constituição do nome plug and play observa-se uma estratégia metonímica, mostrada na relação de proximi-dade entre

(A) o inventor do aparelho e o aparelho inventado. (B) o mundo tecnológico e os recursos digitais.

(C) as ações do usuário e o modo de funcionamento do aparelho.

(D) as funções do aparelho e a conquista do público consumidor.

Leia o texto a seguir para responder às questões de 08 a 10. Conde Empreiteira de Mãos Obra Ltda

Av: Santos Dumont - 1.229 - telefax: 3364722 –Londrina - Pr.

CGC/MF 00.617.933/0001-00 Prezado Sr (a) Síndico (a)

1 Venho por esta vos comunicar-lhe que nossa empresa é especializada, em serviços de pinturas de edifícios, residências, salas comerciais, com finíssimo acaba-mento.

2 Nossos funcionários são todos profissionais treinados em suas funções, com seguro de vida, para oferecer-lhes á nossos clientes, proficionalismo, segurança de quem tem 10 anos de tradição em pinturas.

3 Nos garantimos nossos serviços prestados aos nossos clientes por um período de 05 anos.

4 Responsabilizaremos pelas obrigações trabalhista e fiscais, de modo em que nosso pessoal que prestará os serviços de mão-de-obra, sob seu comando.

5 A responsabilidade civil, trabalhista e penas de danos pessoais, acidentes de trabalho, serão por conta de nossa empresa prestadora de serviços.

6 Faremos seu orçamento sem compromisso

7 Consulte-nos pelo fone (043) 3364722 falar com Sr. Marcelino.

Conde Empreiteira de Mão de Obra LTDA LOPES, H. V. et al. Língua portuguesa. São Paulo: Editora do Brasil, 2004. p. 157.

QUESTÃO 08 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

No primeiro parágrafo, a redundância no uso pronominal tem por conseqüência

(A) estabelecimento inadequado do interlocutor.

(B) informações limitadas a respeito das especialidades da empresa.

(C) incoerência entre os objetivos da carta e o conteúdo comunicado.

(D) ocultação do referente sujeito na frase inicial.

QUESTÃO 09 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Os argumentos usados para convencer o síndico a aderir aos serviços da empreiteira

(A) são recorrentes em gêneros textuais oficiais. (B) são apropriados aos fins a que a carta se destina. (C) prejudicam a composição da imagem da empresa. (D) desconsideram o tipo de cliente visado.

QUESTÃO 10 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

No segundo parágrafo, entre os vários problemas de desvio das normas da escrita, pode-se apontar como

(4)

LÍNGUA PORTUGUESA

Para responder às questões 11 e 12, leia o texto que segue.

Para mim brincar

Nada mais gostoso do que mim sujeito de verbo no infiniti-vo. Pra mim brincar. As cariocas que não sabem gramática falam assim. Todos os brasileiros deviam falar como as cariocas que não sabem gramática.

As palavras mais feias da língua portuguesa são quiçá,

alhures e amiúde.

BANDEIRA, M. Seleta em prosa e verso. 4. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1986. p. 19.

QUESTÃO 11 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Segundo o texto, a beleza das palavras está em perten-cerem

(A) à fala coloquial. (B) ao dialeto carioca. (C) às mulheres. (D) aos brasileiros.

QUESTÃO 12 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Qual regra da gramática normativa as pessoas contrari-am quando dizem pra mim brincar?

(A) Verbos no infinitivo não exigem sujeito. (B) Pronomes oblíquos exercem função de objeto. (C) Advérbios podem se comportar como preposição. (D) Pronomes átonos dispensam preposição.

Leia o texto para responder as questões 13 e 14.

A preocupação da avó de Freyre

As avós, com as exceções de toda regra, torcem pelo sucesso dos netos. E se preocupam muito se eles têm alguma dificuldade. A avó paterna do sociólogo Gilberto Freyre (1900-1987) morreu quando ele tinha nove anos, muito preocupada porque ele estava demorando a apren-der a escrever. Supunha ela, até, que o neto fosse infrado-tado, quando depois da morte dela se constatou que, pelo contrário, ele era superdotado. Pois, aos 14 anos, o per-nambucano Gilberto Freyre não apenas escrevia muito bem em seu idioma, como ensinava inglês, e, antes de fazer 18 anos, ensinaria também francês e sabia grego. Bacharelou-se em ciências e letras aos 16 anos, aos 18 anos foi estudar nos Estados Unidos, diplomando-se em sociologia na Universidade de Baylor, no Texas. Entre suas amizades da juventude, incluíam-se os poetas Willian Yeats e Rabindranath Tagore.

O POPULAR, Goiânia, 5 mai. 2007. p. 12. Política.

QUESTÃO 13 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Segundo o texto, o que contraria as suposições da avó de Gilberto Freyre?

(A) A máxima de que toda regra tem exceções. (B) A demora do menino em aprender a escrever. (C) A precocidade e a qualidade da formação do neto. (D) A morte da avó quando ele ainda era menino.

QUESTÃO 14 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Infradotado faz parte de um grupo semântico diferente

da palavra (A) infrator. (B) infra-assinado. (C) infranasal. (D) infra-som. ▬ QUESTÃO 15 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Disponível em: www.uol.com.br/millor/aberto/charges/006/index.htm. Acesso em: 6 abr. 2007.

O cartum traz uma crítica à bioengenharia, pois questiona (A) a cientificidade dos métodos usados nas

experiên-cias com células humanas.

(B) a aplicação dos recursos financeiros de incentivo às pesquisas em genética.

(C) o uso de crianças como cobaias em experiências com células-tronco.

(D) a interferência de suas descobertas no desenvolvi-mento natural da espécie humana.

(5)

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

QUESTÃO 16 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

No software AutoCad, em suas versões mais recentes, na barra horizontal inferior da tela - “Menu Barra de Status”, qual o nome do botão que, ao ser acionado, cria a trilha de auxílio (um vetor que aparece ao mover o cursor) para captura de pontos de OSNAP?

(A) SNAP (B) GRID (C) OTRACK (D) POLAR

QUESTÃO 17 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Qual o nome da barra de tarefas do software AutoCad que, entre outros, contém as opções de desenho: SCALE, COPY e MIRROR?

(A) MODIFY – Modificar (B) DRAW - Desenhar

(C) PROPERTIES - Propriedades (D) INQUIRY - Pesquisar

QUESTÃO 18 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

No software AutoCad, na versão 2007, a interface de trabalho está disponível em dois layouts, AutoCAD

Clas-sic e 3D Modeling. A interface 3D Modeling possui um

layout de trabalho mais visual e facilitado para o traba-lho3D; já a interface AutoCAD Classic apresenta a confi-guração padrão de trabalho do AutoCAD. Qual o nome do painel que contém configurados os principais comandos de 3D, Render e acesso aos Tool Pallets de materiais, luzes, navegação, estilo de vistas e ferramentas de dese-nho 3D? (A) 3D Navigation (B) Boundary (C) Workspaces (D) Dashboard ▬ QUESTÃO 19 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

As praças, “espaços urbanos abertos como clareiras na floresta dos edifícios – os largos, os adros das igre-jas, as esplanadas, os jardins públicos e, principal-mente, as praças -, têm constituído através de milê-nios, o mais típico lugar da vida urbana, lugar do en-contro, da comunicação, do comércio direto de produ-tos, mercadorias, informações e idéias; lugar das grandes festas populares, das manifestações e, não raro, das mais graves decisões políticas”.

(GRAEFF, Edgar Albuquerque. Edifício. São Paulo: Editores Associados, 1986).

Nas condições da sociedade contemporânea, as praças terão maior sucesso se o seu programa

(A) buscar o templo como fonte inesgotável de conforto espiritual que a vida agitada impõe ao ser humano. (B) estimular atividades lúdicas e culturais.

(C) resgatar a credibilidade no poder político.

(D) aliar espaços verdes com grandes bolsões de esta-cionamento.

QUESTÃO 20 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Em seu livro Manual de Loteamentos, Juan Luis Mascaró considera que toda via deve permitir o escoamento das águas da chuva de forma superficial e as declividades exageradas produzem erosão. Sobre esse assunto e des-considerando o tipo de pavimentação adotado, é correto afirmar que as declividades devem variar entre:

(A) 0,3% a 14% (B) 0,4% a 12,5% (C) 0,5% a 15% (D) 0,6% a 13%

QUESTÃO 21 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

O ambiente construído de uma cidade não deve ser um fator ameaçador à identidade ou ao imaginário da popula-ção. Assim, o Poder Público com sua equipe de planeja-mento deve perceber

(A) a importância do adensamento das cidades. Os es-paços abertos, as vistas e os panoramas devem ser planejados para as áreas mais afastadas do centro urbano.

(B) a cidade como unidade homogênea. Assim os bair-ros não devem possuir identidade própria.

(C) a cidade como forma dinâmica. Cada novo prédio é um sensacional objeto de arte, visto que a história da cidade deve ser construída sem conflitos tipológicos e culturais.

(6)

ARQUITETO/COMOB

QUESTÃO 22 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Vários estudiosos têm refletido e percebido as cidades de formas variadas. Um destaque é dado a Frank Lloyd Wright (1869-1959), urbanista naturalista. Faz parte do pensa-mento desse arquiteto americano a afirmação:

(A) “A cidade e o campo podem ser considerados dois irmãos, cada um procurando atrair para si a popula-ção; a esta rivalidade vem interpor-se uma nova for-ma de vida, que participa das outras duas.”

(B) “A questão de significação dentro da cidade é com-plexa. Se pretendemos construir cidades para satis-fazer um grande número de indivíduos provenientes de meios extremamente diferentes – e se quisermos, além disso, que elas possam satisfazer igualmente as grandes necessidades imprevisíveis para o futuro – ganhamos ao concentrar nossos esforços sobre a clareza física da imagem e ao deixar que as signifi-cações se manifestem livremente sem nossa inter-venção direta.”

(C) “Se a livre disposição do solo se baseasse em condi-ções realmente democráticas, a arquitetura resultaria autenticamente da topografia: dito de outra forma, os edifícios assemelhar-seiam, em uma infinita variedade de formas, à natureza e ao caráter do solo no qual es-tiverem construídos, seriam parte integrantes dele.” (D) “Precisaríamos estabelecer uma linha que separasse

a cidade e o campo; um e outro poderiam estender-se de ambos os lados e interromper-estender-se nitidamente ao chegar à linha; evitaríamos desse modo essa margem irregular de aglomerações, de entulhos e de pardieiros que desonram os subúrbios de quase to-das as cidades modernas.”

QUESTÃO 23 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

“Goiânia foi concebida – no seu rosto e não na sua alma – pelo arquiteto Atílio Correia Lima”. Ao fazer esta afirma-ção, referindo-se principalmente às árvores da cidade, atribuía a concepção da alma de Goiânia

(A) ao modo de morar do povo goiano.

(B) ao político idealizador da cidade, Pedro Ludvico Tei-xeira.

(C) ao “Grande Arquiteto”, criador do céu e da terra. (D) ao eng° Armando Augusto de Gódoi, projetista do

Setor Sul.

QUESTÃO 24 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

“Quando não se estabelece coerência entre a proposta urbanística e a cultura de morar da população, a cidade não reproduz aquela proposta nos seus aspectos mais significativos”

GRAEFF, Edgar Albuquerque.1983 Goiânia: 50 anos, Brasília: Mec-Sesu, 1985

Em relação à cidade de Goiânia é correto afirmar:

(A) A população ignorou a proposta dos técnicos assim que a cidade ultrapassou os limites do traçado original. (B) Ao se desenvolver, o fenômeno de geração e de-senvolvimento cultural se manifestou no agencia-mento de novos bairros, reprodução sistemática dos asteriscos, largas avenidas acomodadas ao terreno, amplos passeios arborizados.

(C) Os planejadores abandonaram em parte a idéia ori-ginal, utilizou o traçado ortogonal devido à racionali-zação do trânsito, mas insistiu nas grandes avenidas com passeios e refúgios arborizados.

(D) O plano previu várias etapas de crescimento que só recentemente foi atingida. A partir de então, um novo plano, o Plano Participativo, tem sido elaborado.

QUESTÃO 25 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

“A Arquitetura Brasileira tem serviços prestados à nacionalidade nesse sentido. Mostrou ao mundo ad-mirado que o Brasil pode ergue-se para o concerto universal das nações, com linguagem própria, na qual o brasileiro e o universal se casam harmoniosamente. Ontem, construíamos timidamente alguns edifícios; hoje, fazemos Brasília – uma cidade inteira – com argumentos nossos. De Casa em Casa, de Cidade em Cidade, ficai certos, ajudaremos a reconquistar o Brasil para os brasileiros”.

Esse texto de J. B. Vilanova Artigas ilustra o que foi o movimento modernista na arquitetura brasileira. Sobre ela, é correto afirmar:

(A) O modernismo é uma evolução do tradicional, isto é, dos valores artísticos do passado, uma criação inte-gral dos tempos atuais.

(B) Le Corbusier, Lúcio Costa e Oscar Niemeyer apre-sentaram uma proposta de arquitetura na Semana de Arte Moderna de 22; a partir daí o movimento se desencadeou.

(C) A orientação moderna é construtiva, social e econô-mica, ao passo que a orientação tradicional era artís-tica, decorativa e simbólica.

(D) Oscar Niemeyer, ao assumir a direção da Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro, mudou os rumos da arquitetura no Brasil.

(7)

QUESTÃO 26 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

O Brasil desenvolveu, no século XX, a prática de riscar, planejar, construir cidades e direcionar o crescimento de cidades tradicionais ou planejadas. Pode-se atribuir o maior mérito dessa considerável experiência

(A) ao planejamento de Goiânia.

(B) à herança portuguesa em planejar cidades. (C) ao planejamento de Brasília.

(D) ao planejamento de Teresina.

QUESTÃO 27 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Com relação à composição média do custo de um edifício de apartamentos (entre divisas, com dez andares, térreo, sem garagem, com fundações diretas sobre terreno de boa qualidade), os elementos que representam a maior porcentagem de seu custo total são formados por

(A) planos horizontais – parte horizontal da estrutura; contrapisos; acabamentos horizontais.

(B) planos verticais – parte vertical da estrutura; alvena-ria; acabamentos verticais; esquadrias.

(C) instalações sanitárias, contra-incêndio; de gás; elé-tricas e de elevadores.

(D) canteiro de obras e outros trabalhos preparatórios.

QUESTÃO 28 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Sobre a variação dos custos dos ambientes por unidade de superfície em função de suas formas, quando compa-rados em edifícios habitacionais, os locais habitáveis (sala, dormitório, etc.) com as áreas de circulação, pode-se afirmar que, geralmente,

(A) os locais habitáveis são, pela sua forma, mais eco-nômicos.

(B) as áreas de circulação são, pela sua forma, mais econômicas.

(C) a diferença dos custos dos dois tipos de ambientes são desprezíveis em função de sua forma.

(D) os custos de ambientes nesses tipos de edifícios não variam de acordo com sua forma.

QUESTÃO 29 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Em seu livro A adoção do partido na arquitetura, Laerte P. Neves escreve que “O sistema estrutural é entendido como o conjunto de elementos de sustentação do edifício. A sustentação se expressa através de elementos como fundações, pilares, vigas e lajes.” Neste sentido, ele deixa subentendido que:

(A) as fundações são os elementos que ficam no solo e transmitem a carga do edifício sobre os pilares. (B) os pilares são os elementos verticais que recebem

as cargas das fundações e as transmitem às lajes.

QUESTÃO 30 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Em 1933, sob a liderança de Le Corbusier, reuniram-se no IV Congresso Internacional de Arquitetura Moderna, arquitetos que elaboraram um dos documentos mais completos e objetivos de análises e críticas sobre as ci-dades. A esse documento dá-se o nome de:

(A) Agenda 21 (B) Carta de Amsterdã

(C) Carta de Urbanismo da Cidade de Paris (D) Carta de Atenas

QUESTÃO 31 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

O edifício constitui o produto mais característico da arqui-tetura. Por edifício, entende-se

(A) o espaço contido na cidade.

(B) o que, além de abarcar ou envolver uma certa por-ção de espaço, exerce influências sobre adjacên-cias.

(C) o que reflete a morada humana, portanto, excluem-se cavernas, abrigos, palhoças e tendas.

(D) o que se mostra como manifestação de interesses sociais e não pode ser encarado como manifestação artística.

QUESTÃO 32 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Sobre a atuação do arquiteto, é correto afirmar:

(A) Não é autor da obra, pois sua concepção e respon-sabilidade técnica é dividida com o engenheiro e os proprietários do imóvel.

(B) Os interessados no edifício não podem ser vistos como leigos, pois suas informações nascem espon-taneamente e não devem ser equacionadas pelo ar-quiteto.

(C) O arquiteto interfere no processo e o conduz com base no seu discernimento pessoal e na sua sensibi-lidade, os quais constituem fundamentos das inter-pretações e opções.

(D) O fato de a obra de arquitetura ocupar lugar na ma-lha urbana, faz com que o arquiteto reconheça que o valor imobiliário deva ser o principal norteador do processo construtivo.

QUESTÃO 33 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

A norma NBR 10068 da ABNT – “Folha de desenho – leiaute e dimensões” padroniza as características dimen-sionais das folhas em branco e pré-impressas a serem aplicadas em todos os desenhos técnicos. O formato final do dobramento de cópias de formatos designados AO, A1, A2 e A3 deve ser o formato A4. O formato básico para desenhos técnicos é o de tamanho AO. Quais as dimen-sões (comprimento x altura) da folha AO?

(8)

ARQUITETO/COMOB

QUESTÃO 34 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

“A Arquitetura é, antes de mais nada, construção; mas concebida com o propósito primordial de ordenar o espa-ço para determinada finalidade e visando a determinada intenção” (Lúcio Costa).

A respeito dos valores de natureza artística e utilitária na arquitetura, é correto afirmar:

(A) A funcionalidade de edifícios como mausoléus, arco de triunfo e outros monumentos correspondem ao conceito de utilidade prática.

(B) É natural falar de arquitetura diante de uma obra desprovida de valores artísticos.

(C) Os valores de natureza utilitária são superados em pouco tempo. Isto acontece por causa das modifica-ções que ocorrem na vida material dos homens no decorrer dos anos.

(D) A invenção de um simples mecanismo pode alterar as noções e exigências de conforto, superando em pouco tempo os valores que representavam um má-ximo de qualidades artísticas.

QUESTÃO 35 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

“... o grupo mineiro constituiu a vertente menos com-promissada com a tradição moderna local – e, em particular, as obras de Éolo Maia e Sylvio Podestá como as mais livres e ousadas formas, no mesmo plano das experimentações mais arrojadas em práti-ca fora do Brasil, mas presumivelmente com ele-mentos da cultura mineira...”

SEGAWA, Hugo. Arquitetura no Brasil 1900-1990. São Paulo, Editora da

USP, 1999.

O assunto deste texto refere-se ao

(A) Movimento Pós Moderno. (B) Movimento Moderno. (C) Movimento Regionalista. (D) Movimento International Style.

QUESTÃO 36 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

No Código de Edificações do Município de Goiânia, na Seção II – Classificação dos Compartimentos, do artigo 52, são considerados compartimentos de permanência transitória:

(A) Cozinhas e copas

(B) Salas de leitura e bibliotecas

(C) Locais de reuniões e salões de festas

(D) Locais fechados para a prática de esportes ou ginás-tica

QUESTÃO 37 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

O Código de Edificações do Município de Goiânia, na Seção II – Dimensão dos Compartimentos, especifica a área de certos ambientes, da seguinte forma:

I – área mínima de 11,00 m2;

II – Forma tal que permita a inscrição no plano do piso de um círculo de diâmetro mínimo de 2,80 m;

III – Pé-direito mínimo de 2,50 m.

Esta especificação refere-se ao seguinte ambiente: (A) Salas.

(B) Dormitórios. (C) Cozinhas. (D) Escritórios.

QUESTÃO 38 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Na Seção II da Lei Complementar n. 31/1994, que trata do zoneamento e das espécies de zonas, são considera-das Zonas de Revitalização Funcional as áreas urbanas (A) sobre os quais devem incidir ações de renovação

urbana visando resgatar o seu caráter de pólo eco-nômico regional, assim como de patrimônio histórico, através de aplicação do instrumento Operação Ur-bana.

(B) sobre as quais devem ser executados projetos de resgate do seu caráter histórico, mediante a restau-ração de sua morfologia e volumetria tradicionais e a fixação da população residente, bem como as ativi-dades compatíveis.

(C) onde serão implementadas medidas que concorram para a preservação, revalorização do seu patrimônio urbanístico e resgate do seu caráter residencial. (D) São áreas urbanas sobre as quais serão

implemen-tadas medidas volimplemen-tadas para a sua renovação estru-tural e preservação ambiental, através da aplicação do instrumento “Operação Urbana”.

QUESTÃO 39 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Quais as exigências de estacionamento de veículos esta-belecidas no Decreto n. 2081/1995 para as edificações destinadas a galerias comerciais

(A) Deverá ser reservada uma vaga para cada 25 m2. (B) Com até 540 m2 de área edificada deverá ser

reser-vada uma vaga para cada 45 m2 e acima de 540 m2, deverá ser reservada uma vaga para cada 25 m2 de área edificada.

(C) Com área edificada superior a 180 m2, deverá ser reservada uma vaga para cada 45 m2.

(D) Com área total edificada superior a 540 m2, será exigido uma vaga para cada 25 m2 de área privativa ou fração.

(9)

QUESTÃO 40 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

No Código de Edificações do Município de Goiânia, Zonas de Uso são frações das Zonas Urbana e de Expansão Urbana para as quais os usos conformes determinam a sua caracterização básica. Quais são as correspondentes à maior porção da área urbanizada do município de Goiânia? (A) Zonas de Predominância Residencial

(B) Zonas de Atividade Econômica (C) Zonas Mistas

(D) Zonas de Revitalização

QUESTÃO 41 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

O Estatuto da Cidade regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelecendo normas de ordem pública e interesse social que regulam o uso da proprie-dade urbana em prol do bem coletivo, da segurança e do bem-estar dos cidadãos, bem como do equilíbrio ambien-tal. Um dos instrumentos da política urbana são os institu-tos jurídicos e políticos. Qual deles confere ao Poder Pú-blico municipal preferência para aquisição de imóvel ur-bano objeto de alienação onerosa entre particulares? (A) Direito de preempção

(B) Direito de superfície

(C) Transferência do direito de construir (D) Usucapião especial de imóvel urbano

QUESTÃO 42 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

O código de posturas do município de Goiânia, na Seção IV – das infrações, em seu art. 71, considera que existe circunstância agravante, relativa à condição especial do infrator, quando a infração for cometida para facilitar ou assegurar vantagens ou em detrimento da coletividade. É agravante um dos seguintes motivos:

(A) Futilidade

(B) Ser o infrator primário e não revel

(C) Ser a infração corrigida após o prazo fiscal

(D) Haver ignorância ou errada compreensão das nor-mas das posturas municipais

QUESTÃO 43 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

A resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA n. 237/1997 que regulamenta o licenciamento ambiental, adota, entre outras, a seguinte definição: “ato administrativo pelo qual o órgão ambiental competente, estabelece as condições, restrições e medidas de contro-le ambiental que deverão ser obedecidas pelo empreen-dedor, pessoa física ou jurídica, para localizar, instalar, ampliar e operar empreendimentos ou atividades utiliza-doras dos recursos ambientais consideradas efetiva ou potencialmente poluidoras ou aquelas que, sob qualquer forma, possam causar degradação ambiental.” Esta defi-nição refere-se a:

QUESTÃO 44 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

O Código de Posturas do Município de Goiânia instituiu as normas disciplinadoras da higiene pública, do bem-estar público, da localização e do funcionamento de estabele-cimentos comerciais, industriais e prestadores de servi-ços, bem como as correspondentes relações jurídicas entre o Poder Público municipal e os munícipes. Em seu capítulo II – Da higiene dos logradouros públicos, relati-vamente às edificações, demolições ou reformas, é permi-tido

(A) utilizar os logradouros públicos para o preparo de concreto, argamassas e similares.

(B) depositar materiais de construção em logradouro público.

(C) construir tapumes com altura de 1,80 m, sendo 0,20 m acima do solo.

(D) utilizar os passeios para a colocação de entulhos no interior de tapumes feitos de forma regular.

QUESTÃO 45 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

A Norma Brasileira ABNT 9050, trata da garantia da acessibilidade ao portador de cuidados especiais. No caso de acesso através de rampas, é correto afirmar: (A) Em reformas, quando esgotadas as possibilidades,

podem ser utilizadas inclinações até 13%.

(B) Para inclinação entre 6,25% e 8,33%, devem ser previstas áreas de descanso nos patamares a cada 50 m de percurso.

(C) A largura das rampas deve ser estabelecida de a-cordo com fluxo de pessoas, sendo o mínimo admis-sível 1,60 m.

(D) Em rampas em curva, a inclinação máxima admissí-vel é de 10% e o raio mínimo, de 3,00 m.

QUESTÃO 46 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

De acordo com a ABNT 9050, sobre o dimensionamento de sanitários para portadores de cuidados especiais, a dimensão mínima de boxes para bacia sanitária, com porta com abertura para fora, é:

(A) 1,50 m x 1,70 m (B) 1,70 m x 1,90 m (C) 1,40 m x 1,60 m (D) 1,80 m x 1,70 m

(10)

ARQUITETO/COMOB

QUESTÃO 47 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

A cidade de Goiânia situa-se geograficamente na latitude 16º 41´ sul, cujas principais características climáticas são: radiação solar global intensa e constante o ano inteiro; temperatura elevada e umidade relativa alta durante o período chuvoso; amplitude térmica diária elevada, espe-cialmente no período seco. O objetivo do estudo da inso-lação dos edifícios e de suas proteções é proporcionar um instrumental para reduzir a entrada da radiação solar dire-ta, isto é, sombreando eficientemente as superfícies envi-draçadas. As proteções solares horizontais são elementos cuja dimensão preponderante está em um eixo longitudi-nal horizontal. Neste sentido,

(A) o estudo dos brises horizontais faz-se a partir da vista em planta baixa.

(B) as dimensões lineares e eventuais inclinações das placas horizontais que as constituem está ligado di-retamente com sua geometria de proteção.

(C) o número de peças e seus desenhos não determi-nam o desempenho de proteção.

(D) brises horizontais com desenhos diferenciados ofe-recerá diferentes proteção e desempenhos mesmo que o ângulo de sombra vertical seja o mesmo.

QUESTÃO 48 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

A Lei n. 15802/2006 institui o Código Estadual de Prote-ção contra Incêndio, Explosão, Pânico e Desastres. Ela veio dar um aspecto técnico específico para os mais di-versos avanços tecnológicos das últimas décadas, visan-do à segurança. Dentro visan-dos conceitos básicos de segu-rança contra incêndio, um dos aspectos importantes a considerar quanto aos meios de fuga é o projeto e a cons-trução de escadas de segurança. A largura mínima das escadas de segurança varia conforme os códigos e nor-mas técnicas, sendo normalmente

(A) 3,0 m para hospitais e entre 1,20 m e 1,50 m para as demais ocupações.

(B) 2,20 m para hospitais e entre 1,10 m e 1,20 m para as demais ocupações.

(C) 2,0 m para hospitais e 1,50 m para as demais ocu-pações.

(D) 2,5 m para hospitais e entre 1,40 m e 2 m para as demais ocupações.

QUESTÃO 49 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

A ABNT NBR 9050, que trata das questões da acessibili-dade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos, determina que o número de vagas para estacio-namento de veículos que conduzem ou sejam conduzidos por pessoas com deficiência deve ser estabelecido da seguinte forma:

(A) Entre 10 a 50 vagas, uma deve ser reservada. (B) 2% das vagas devem ser reservadas.

(C) Acima de 100 vagas, 5% devem ser reservadas. (D) Entre 11 e 100 vagas, uma deve ser reservada.

QUESTÃO 50 ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Paulo Mendes da Rocha é um dos principais expoentes da conhecida “Escola Paulista”, geração de arquitetos paulistas formada a partir de 1951. Nas fotos abaixo, qual é o edifício de que este arquiteto integrou a equipe de projeto?

(A)

Banco BANESPA S.A.

(B)

Clube Jaó

(C)

Centro Cultural Oscar Niemeyer

(D)

Estádio Serra Dourada

Imagem

Referências

temas relacionados :