MARVILA DÁ BOAS-VINDAS A 2017

Texto

(1)

Conselho Marvi

lense

inicia o ano

Obrigado Mário S

oares

MARVILA DÁ BOAS-VINDAS A 2017

Entrevista a Fernando Nabais

e Tiago Almeida

2017

JANEIRO

134

Mensal - Ano 12

REVISTA DA JUNT

A DE FREGUESIA

D I S T R I B U IÇ Ã O G R A T

U I T A

(2)

A Revista de Marvila usa o novo Acordo Ortográfico

Mensal - Ano 12 - n.º 134 Janeiro de 2017

Diretor:

Belarmino Ferreira Silva

Propriedade: Junta de Freguesia de Marvila Avenida João Paulo II, lote 526, 1.º A 1950-159 Lisboa – Telefone: 218 310 350 Fax: 218 310 359 Site: www.jf-marvila.pt Facebook: www.facebook.com/conselhomarvilense E-mail: comunicacao@jf-marvila.pt Depósito Legal: 237649/06 Tiragem: 17.500 exemplares Redação e Produção Gráfica: Pixel - Design e Comunicação, Lda. Impressão: Grafica Lda.

edi

torial

Belarmino Silva Presidente Atendimento ao público 2.ª feira das 15h30 às 17h30* secretaria.presidente@jf-marvila.pt

Coordenação dos Pelouros, Administração e Funcionamento, Relações Institucionais, Comunicação Institucional, Urbanismo e Património António Alves Vogal Substituição do Presidente, Pelouro Gestão Orçamental e Financeira, Economia e Sociedade (C.Marvilense) e Habitação; Atendimento ao público 5.ª feira das 10h00 às 12h00* antonio.alves@jf-marvila.pt Isabel Fraga Vogal

Pelouro Ação Social, Saúde, Educação, Conselho Educativo, Projeto Intervir, Organização Interna e CPCJ Atendimento ao público 6.ª feira das 14h30 às 16h30* isabel.fraga@jf-marvila.pt vitor.simoes@jf-marvila.pt Vítor Simões Vogal

Pelouro Espaço Público, Segurança e Mobilidade Atendimento ao público 5.ª feira das 16h00 às 18h00* Vítor Morais Secretário Vogal

Pelouro Desporto e Juventude Atendimento ao público 4.ª feira das 17h30 às 19h30*

vitor.morais@jf-marvila.pt

Joaquim Cerqueira Brito

Tesoureiro Vogal Pelouro Cultura Atendimento ao público 3.ª feira das 15h30 às 17h30* joaquim.brito@jf-marvila.pt Miguel Ferreira Vogal

Pelouro Espaços Verdes, Ambiente, Higiene Urbana e Saneamento Atendimento ao público 4.ª feira das 16h00 às 18h00*

miguel.ferreira@jf-marvila.pt *Por marcação prévia

ficha

técni

ca

o nosso executivo

Vamos continuar a evoluir

A

grande evolução que a nossa Freguesia tem tido ao longo dos tempos é bem visível, através da realização de muitas obras que vêm dignificar cada vez mais Marvila e que são um orgulho para este executivo. A nova sede da Junta de Freguesia e a Biblioteca de Marvila são duas das grandes conquistas que têm vindo a ser conseguidas e que assinalam momentos muito importantes na história de Marvila e dos seus fregueses, melhorando cada vez mais a qualidade de vida de todos nós. É por isso que a construção do novo Hospital de Lisboa Oriental terá com certeza um impacto enorme na nossa Freguesia, assim como também em toda a Zona Oriental de Lisboa. Esta obra vai reestruturar toda a rede hospitalar da cidade ao criar o novo hospital universitário de Lisboa, com um centro de ensino e um centro de investigação incluídos, que serão também muito importantes na criação de novos postos de trabalho. O hospital trará à nossa Freguesia uma nova centralidade que vai aumentar ainda mais a sua visibilidade, tornando-a mais atrativa e beneficiando também o nosso comércio local. O executivo continua a lutar para que esta obra comece o mais brevemente possível.

(3)

Marvila em Movimento

A

Junta de Freguesia de Marvila continua a promover hábitos de vida saudáveis para todos os seus fregueses, através da realização de uma prática desportiva regular. No dia 28 de dezembro, o Pelouro Desporto e Juventude reuniu com os clubes e instituições desportivas no Salão de Festas do Vale Fundão e distribuiu t-shirts a todos aqueles que diariamente implementam o desporto dentro e fora da Freguesia, promovendo as cores e o nome de Marvila. Foram contactadas todas as entidades com equipas inscritas nas várias competições que serão realizadas ao longo do ano, e os seus dirigentes, técnicos, funcionários e colaboradores fizeram questão de marcar presença no evento da Junta de Fregue-sia, representada esta noite pelos vogais Vítor Morais e Joaquim Cerqueira Brito.

O programa Marvila em Movimento tem uma relação muito próxima com as atividades da Câmara Municipal de Lisboa e muitas destas entidades representam a Freguesia nas Olisipíadas, onde muito têm contribuído para que Marvila ocupe sempre um lugar de destaque. O vogal do Pelouro Desporto e Juventude, Vítor Morais, reconhece o esforço e

dedicação por parte de todos aqueles que estão envolvidos nos vários clubes e instituições e garante que a Junta de Freguesia os vai continuar a apoiar para que consigam cumprir os seus objetivos. É cada vez mais importante que as entidades também tenham a capacidade de criar os seus próprios eventos, além de todos aqueles promovidos pela Junta de Freguesia, para que a oferta desportiva em Marvila possa aumentar.

As t-shirts foram distribuídas pelas Associações Capoeira Beija-Flor, Ester Janz, Inter-Ajuda de Jovens Eco-Estilistas, Quinta Marquês de Abrantes e Tempo de Mudar. Foram também presenteados o Clube de Futebol de Chelas, o Clube Oriental de Lisboa (nas modalidades de andebol, ginástica e piscina), o CRC Marvila Jovem e o Futebol Clube Recreativo do Rossão. A Casa do Concelho de Arcos de Valdevez, a Sociedade Musical 3 d’Agosto de 1885, o Grupo Desportivo de Chelas e o Grupo Recreativo Bruno Janz também receberam as t-shirts, tal como os vários funcionários da Junta de Freguesia que trabalham diariamente para que o desporto possa ser praticado nas melhores condições.

Marvila 1

Aconteceu

Vítor Morais,

Vogal Pelouro Desporto e Juventude “As Olisipíadas já começaram e esperamos que 2017 seja um ano ainda mais entu-siasmante em termos desportivos com a colaboração de todos os clubes e insti-tuições. Queremos que todos participem nas atividades que vão ser desenvolvidas e que representem a Freguesia dentro e fora de Marvila.”

(4)

Ação Social

Junta de Freguesia ouve cantar as Janeiras

N

o dia 6 de janeiro, a Junta de Freguesia de Marvila recebeu na sua sede a visita de crianças e seniores do Centro Social e Paroquial de São Maximiliano Kolbe, que cantaram as Janeiras com uma alegria contagiante, encantando os membros do executivo e todos os funcionários que assistiram e aplaudiram com muito entusiasmo.

As Janeiras começaram a ser cantadas por grupos de amigos que se juntavam, durante o primeiro mês do ano, para percorrer de porta em porta as ruas da vizinhança, ao som de diferentes canções que desejavam a todos um bom início de ano. Em tempos mais distantes, esta era

uma maneira dos mais pobres receberem uma dádiva por parte dos que tinham um pouco mais, sem ser de forma humilhante, sendo que o objetivo destes grupos, no final de cada canção, era receber petiscos da época natalícia, aos quais chamavam de Janeiras.

Dadas as boas-vindas a 2017, a Junta de Freguesia de Marvila também cumpriu a tradição e presenteou o grupo com um apetitoso lanche, em forma de agradecimento pelo momento especial que se viveu neste dia. O Centro Social e Paroquial de São Maximiliano Kolbe seguiu o seu caminho e foi cantar as Janeiras para outras paragens, mas ficou a promessa de que iria regressar no próximo ano.

2 Marvila

Isabel Fraga,

Vogal Pelouro Ação Social

(5)

Marvila dá boas-vindas a 2017

N

o dia 8 de janeiro, os fregueses encheram a Igreja de São Maximiliano Kolbe, no Bairro do Condado, para assistir ao grande concerto de ano novo organizado pela Junta de Freguesia em parceria com a Associação para o Desenvolvimento Cultural e Social de Marvila (ACULMA).

O maestro Fernando Mota dirigiu a Banda Filarmónica da ACULMA que mostrou mais uma vez o seu enorme talento através das composições inovadoras e comoventes, como é o caso do tema original “ACULMA”, escrito por Tiago Loureiro, um dos elementos desta banda. Sofia de Castro foi a convidada especial que abrilhantou ainda mais o espetáculo, com as suas magníficas interpretações de alguns temas bem conhecidos, adaptados para banda pelo pianista Abel Chaves, que também atuou esta tarde. A artista natural de Lisboa terminou o seu curso de canto em 2004 na Escola de Música do Conservatório Nacional e desde então o seu trabalho tem vindo a ser reconhecido. Já foi solista em várias obras e é de destacar a sua participação na gala televisiva de apresentação dos

candidatos às 7 Maravilhas do Mundo, onde representou o templo budista Kiyomizu-dera, em Quioto, com um excerto da ópera “Madame Butterfly” dirigida por António Leal e Filipe La Féria. Desde 2005 que Sofia de Castro se dedica à produção musical e já conta com dois CDs gravados com o guitarrista Silvestre Fonseca.

Todo o executivo fez questão de marcar presença neste evento onde a presidente da ACULMA, Fátima Duarte, agradeceu à Junta de Freguesia de Marvila todo o apoio que tem dado a esta associação e à cultura em geral. Joaquim Cerqueira Brito, vogal do Pelouro Cultura, agradeceu todo o trabalho que a ACULMA tem vindo a desenvolver e lembrou a importância de “todas as associações criarem as suas próprias iniciativas, além daquelas desenvolvidas pela Junta de Freguesia, porque só assim vamos conseguir fazer mais e melhor.” O Frei Fabrízio, representante desta Paróquia, também quis deixar umas palavras e desejou a todos os presentes um ano de paz neste que “é o dia em que toda a Freguesia está representada na Igreja de São Maximiliano Kolbe”.

Marvila 3

Cultura

Joaquim Cerqueira Brito,

Vogal Pelouro Cultura

“Esta é a melhor maneira da cultura iniciar mais um ano. Vai ser mais um ano de muito trabalho que a Junta de Freguesia quer desenvolver com todas as associações de Marvila e com a participação de toda a comunidade.”

(6)

I Encontro de Tunas Académicas em Marvila

O

espírito académico fez-se sentir em Marvila no I Encontro de Tunas Académicas realizado no dia 14 de janeiro, no Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL), no Bairro das Amendoeiras. Os fregueses assistiram a uma tarde recheada de animação e momentos musicais de grande talento, num evento organizado pelo ISEL em parceria com a Junta de Freguesia de Marvila, que se fez representar pelos vogais Joaquim Cerqueira Brito, António Alves, Isabel Fraga e Vítor Simões.

Não se sabe ao certo quando surgiram as primeiras tunas em Portugal, mas crê-se que tenha sido em meados do sé-culo XIX, depois de um grupo de estudantes portugueses ter visitado Espanha e assistido a um espetáculo de tunas, decidindo depois trazer essa tradição para o nosso país. A tuna universitária portuguesa importou por isso muitas das características utilizadas pelas tunas espanholas, das quais podemos destacar vários exemplos como o bailar das bandeiras e das pandeiretas, os símbolos que têm nas capas ou ainda a postura de cantar de pé.

A tuna anfitriã deste espetáculo, a Estudantina Académica do ISEL, foi fundada em março de 1993 e desde então tem vindo a espalhar talento e alegria em todas as suas atuações e foi isso mesmo que voltou a fazer neste even-to, onde também atuaram as seguintes tunas académicas:

agriculTUNA – Tuna Académica do Instituto Superior de Agronomia, EST’eS – Tuna Feminina da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa e TADEL – Tuna Académica Dentária da Universidade de Lisboa. Num ambiente de proximidade e convívio entre quem assistia e quem atuava, o espetáculo terminou com chave de ouro, com a Estudantina Académica do ISEL a fazer uma serenata a algumas seniores Marvilenses, que subiram ao palco para viver um momento bastante emotivo.

A ligação entre a Junta de Freguesia e o ISEL já é antiga e o vogal Joaquim Cerqueira Brito do Pelouro Cultura fez questão de agradecer à instituição de ensino superior e à respetiva tuna, mostrando-se orgulhoso pelo trabalho notável que estes têm vindo a desenvolver e garantindo a todos que poderão continuar a contar com o apoio da Junta de Freguesia de Marvila.

XII Encontro de Concertinas

N

o dia 29 janeiro, o Salão de Festas do Vale Fundão recebeu o XII Encontro de Concertinas, numa iniciativa organizada pela Casa do Concelho de Arcos de Valdevez, com o apoio da Junta de Freguesia de Marvila, que se fez representar pelo seu executivo. Juntamente com os cantares tradicionais, este evento de homenagem à concertina animou as centenas de Marvilenses que encheram o Salão de Festas durante toda a tarde, com as atuações de grupos e tocadores individuais de vários sítios do país.

Joaquim Cerqueira Brito, presidente da Casa do Concelho de Arcos de Valdevez, conduziu o evento que superou as expectativas da organização com um elevado número de inscrições. A concertina parece estar novamente a conquistar as diferentes gerações e prova disso é a participação de muitos jovens tocadores, nesta festa que mantém viva a cultura tradicional portuguesa. Todos os participantes receberam medalhas para mais tarde recordarem este que foi o XII Encontro de Concertinas.

4 Marvila

Cultura

Joaquim Cerqueira Brito,

Vogal Pelouro Cultura

“A nossa Freguesia é bastante rica a nível cultural, temos várias formações artísticas que vão desde a tuna a grupos de teatro, bandas filarmónicas, folclore, escola de fado e muitas outras. A Estudantina Académica do ISEL vem enriquecer ainda mais a nossa cultura, elevando também o nome de Marvila e dando a conhecer a Freguesia aos estudantes universitários.”

Joaquim Cerqueira Brito,

Vogal Pelouro Cultura

(7)

Música Crescente

O

projeto Música Crescente realizou no dia 12 de janeiro uma Assembleia Comunitária na Biblioteca de Marvila, no Bairro Marquês de Abrantes, para apresentar este projeto aprovado pelo programa BIP/ZIP 2016 da Câmara Municipal de Lisboa. Desenvolvido pela Associação de Desenvolvimento Cultural e Social de Marvila (ACULMA) em parceria com a Junta de Freguesia de Marvila, Associação de Moradores do Bairro dos Alfinetes e Salgadas, Fundação Benfica e Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, o seu principal objetivo é promover a integração social recorrendo às diferentes origens e tradições dos moradores, originando uma troca de conhecimentos entre gerações e realizando encontros ou animações musicais que motivem para a utilização dos espaços públicos de Marvila.

As atividades elaboradas durante o projeto visam combater a desocupação dos fregueses e desenvolver ainda mais as competências pessoais e sociais dos Marvilenses no Bairro dos Alfinetes e Salgadas e no Bairro Marquês de Abrantes, que, de acordo com a Carta BIP/ZIP aprovada em novem-bro de 2010, são as principais inquietações destes locais. O projeto teatral “Assembleia” dirigido pelo artista Rui

Catalão é uma dessas atividades para toda a comunida-de, que irá apresentar um trabalho final nos dias 24, 25 e 26 de fevereiro no Teatro Maria Matos em Lisboa. Os encontros semanais da Assembleia realizam-se às 18h00 nos seguintes locais: Associação de Moradores do Bairro das Amendoeiras (segunda-feira), Bairro dos Lóios (terça--feira), Biblioteca Municipal de Marvila (quarta(terça--feira), Es-paço LX Jovem (quinta-feira) e Casa dos Direitos Sociais (sexta-feira).

A música é também muito importante e são esperados cerca de 30 alunos na Escola de Música criada pela ACULMA, que terá direito a uma apresentação final em Marvila e outra no centro de Lisboa. Jovens a partir dos 10 anos podem inscrever-se na Biblioteca de Marvila, no Centro de Promoção Social da Prodac ou na Gebalis. Será ainda realizada a formação de Facilitadores Comunitários que te-rão um papel fundamental na divulgação de tudo o que vai acontecer ao longo do projeto, funcionando como pontes de ligação com a comunidade, ao estabelecer uma ligação mais próxima com os moradores e incentivá-los a participar e contribuir para a criação de uma identidade coletiva na Freguesia de Marvila e também na cidade de Lisboa.

Pelouro Cultura da Câmara Municipal de Lisboa De 25 a 29 de maio de 2017

Festival de Arte Urbana

Bairro Marquês de Abrantes

em Marvila

Marvila 5

Cultura

(8)

“Hortas na Escola... Legumes no Prato”

N

o dia 4 de janeiro, o projeto “Hortas na Escola... Legumes no Prato” voltou a Marvila e às Escolas Básicas do Condado e Manuel Teixeira Gomes. Esta é uma iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa (CML) e da Agência de Energia e Ambiente de Lisboa (E-Nova) em parceria com as Juntas de Freguesia de Marvila, Alvalade, Belém, Carnide, Estrela, Olivais e S. Domingos de Benfica, que desde abril de 2016 pretende requalificar as hortas escolares e incentivar as crianças a ter uma alimentação mais saudável.

Já equipadas com o material necessário e adequado à sua medida, que a Missão Continente disponibilizou às escolas no ano letivo anterior, as crianças arregaçaram as mangas e foi com muita alegria que mexeram na terra e semearam

todos os alimentos que depois mais tarde vão poder comer. Tal como prometeram ao assistente técnico de Educação Ambiental da CML, Francisco Raposo, todos ficaram responsáveis pela manutenção das hortas e ninguém vai deixar crescer as ervas daninhas porque “quando estes alimentos crescerem, todos vão ser recompensados por eles”.

O vogal António Alves acompanhou o processo de requalificação das hortas, em representação da Junta de Freguesia de Marvila, que apoia a CML neste projeto educativo que pretende promover a valorização do espaço exterior das escolas e transmitir aos mais jovens Marvilenses competências cívicas e ambientais que lhes proporcionem um estilo de vida mais saudável e sustentável.

6 Marvila

Educação

Isabel Fraga,

Vogal Pelouro Educação

(9)

“Para ti Se não Faltares” continua a somar resultados

O

s alunos inscritos no projeto “Para ti Se não Faltares”, do qual faz parte a Escola Básica Damião de Góis e a Escola Básica 2+3 de Marvila, receberam os seus me-recidos prémios pelos resultados positivos que conseguiram alcançar durante o primeiro período letivo. A cerimónia contou com a presença do vogal António Alves, em representação da Junta de Freguesia de Marvila, do diretor do Agrupamento de Escolas D. Dinis, o professor José António Sousa, e do diretor da Fundação Benfica, Jorge Miranda. O Pelouro Educação continua a investir neste projeto, que tem como principal objetivo incentivar os jovens Marvilen-ses a não faltarem às aulas e a trabalharem com dedicação e empenho para melhorar os seus resultados escolares, sendo que os alunos são avaliados com base em três aspetos fundamentais: a assiduidade, o comportamento e o aproveitamento. De uma forma geral, a Escola

Básica 2+3 de Marvila melhorou e os jovens prometeram trabalhar mais na matemática para que o aproveitamento global seja ainda melhor. A Escola Básica Damião de Góis está melhor em todos os aspetos e vai continuar a melhorar porque, tal como lembrou o diretor da Fundação Benfica, o ano escolar está apenas no início e é necessário continuar a trabalhar para que os resultados sejam ainda mais positivos no próximo período.

A Benfica TV filmou o momento da entrega dos prémios que foram divididos em quatro níveis, em função do mérito de cada aluno, distinguidos pelos tamanhos dos sacos. No final do evento, o diretor Jorge Miranda recordou os jovens Marvilenses que são eles os responsáveis pelo futuro da Freguesia e que “com trabalho e resultados positivos, vão dignificar cada vez mais o nome da escola, o nome dos bairros e o nome de Marvila”.

Marvila 7

Educação

Isabel Fraga,

Vogal Pelouro Ação Social e Educação

“A Junta de Freguesia acredita nos jovens Marvilenses e o projeto “Para ti Se não Faltares” tem sido uma grande motivação para os alunos, que conseguem resultados cada vez mais positivos. Todos estão de parabéns pelo seu esforço e dedicação.”

(10)

8 Marvila

Higiene Urbana

Seja um bom freguês

O

cão é um animal de estimação que requer muitos cuidados e qualquer pessoa que se torne responsável por este amigo de quatro patas, deve proporcionar-lhe todas as condições para que ele tenha uma boa qualidade de vida, e isso inclui algumas obrigações como dar-lhe uma boa alimentação, levá-lo a passear, tratar-lhe da higiene ou cumprir certas regras como a vacinação, desparasitação, registo e licenciamento do animal. O registo e o licenciamento são dois fatores muito importantes que permitem regularizar a situação de vacinação dos animais existentes na Freguesia, garantindo

um maior controlo no que diz respeito ao perigo que representam para os Marvilenses.

Se for bem treinado, o cão é capaz de se controlar e esperar pela hora do passeio para fazer as suas neces-sidades, que de acordo com a legislação portuguesa é depois da responsabilidade dos donos recolher os dejetos e colocá-los devidamente nas papeleiras ou nos caixotes do lixo, devendo sempre ter consigo o equipamento necessário para o fazer. Além de contribuírem para a falta de higiene e mau cheiro no espaço público que é frequentado por toda a população, os dejetos dos animais podem ainda ser transmissores de vários tipos de doenças, constituindo um maior perigo para as crianças que brincam de forma mais frequente nos parques infantis. Neste sentido, a Junta de Freguesia de Marvila está a levar a cabo mais uma ação de sensibilização para resolver este problema, oferecendo sacos de plástico para apanhar os dejetos dos animais a quem fizer o registo ou o licencia-mento do seu cão em 2017, na Junta de Freguesia. Você é responsável pelo seu cão e é da responsabilidade de todos contribuir para que Marvila tenha um espaço público mais atrativo e com mais qualidade de vida.

Por uma Marvila mais limpa

C

om delegação de competências da Câmara Municipal de Lisboa para as Juntas de Freguesia, aumentaram as responsabilidades da Junta relativamente à limpeza dos espaços públicos e à preservação do ambiente. O Pelouro Higiene Urbana considera que a situação dos dejetos caninos é uma das suas preocupações e apenas com a ajuda de todos se poderá resolver o problema. É uma responsabilidade dos donos dos animais apanharem os dejetos dos seus cães.

O Motocão que a Junta de Freguesia recebeu, com a delegação de competências, era manifestamente insuficiente para uma Freguesia com a área de Marvila. Nesse sentido, em 2015, a Junta resolveu investir num segundo motocão para melhor resolver esta situação. O Vogal do Pelouro Higiene Urbana espera que dois motocães sejam suficientes para conservar o espaço público limpo, porque os dois podem trabalhar em simultâneo e dessa forma permitem a limpeza de uma área maior, no mesmo período de tempo.

Apesar dos esforços do executivo e dos constantes apelos do Presidente, o vogal teme que seja necessária a intervenção da Polícia Municipal e a aplicação das coimas previstas na legislação portuguesa. A Junta tem cumprido as suas obrigações e reforçou a equipa e os equipamentos para melhor servir a Freguesia. A Junta tem também dinamizado várias iniciativas para sensibilizar os fregueses, exemplo disso é o projeto Marvila Limpa, realizado em maio e outubro do ano passado. Este ano, todos os que

registarem ou licenciarem os seus canídeos têm a oferta de 30 sacos para apanhar os dejetos dos animais.

(11)

Voto de pesar a Mário Soares

M

ário Alberto Nobre Lopes Soares (Mário Soares) nasceu em Lisboa no dia 7 de dezembro de 1924, um domingo, e foi também em Lisboa, no passado sábado, dia 7 de Janeiro de 2017 que faleceu.

Foi uma vida inteira a lutar pela liberdade. Com apenas 18 anos, em 1942, aderiu ao Partido Comunista Português e mais tarde, em 1973, foi o principal fundador do Partido Socialista. Neste intervalo de tempo, destacaremos: • Foi preso pela PIDE em 1946 e nos 4 anos seguintes

seria detido por mais 4 vezes. Foi na cadeia do Aljube, aquando da 4ª detenção, que se casou com a mulher da sua vida – Maria de Jesus Barroso;

• Nesse mesmo ano (1946) começou a discursar em sessões públicas, pela primeira vez num comício comemorativo do 5 de outubro, realizado na Voz do Operário, em Lisboa;

• Apoiou as candidaturas oposicionistas de Norton de Matos e Humberto Delgado;

• Defendeu vários presos políticos nos Tribunais Plenários do Estado Novo;

• Foi deportado para São Tomé. Com Marcelo Caetano no poder foi autorizado a regressar a Lisboa e muitos lhe pediram que agradecesse pessoalmente essa decisão do Primeiro-Ministro, mas recusou.

• Exilou-se em Paris e ao regressar a Portugal para participar nas cerimónias fúnebres de seu pai foi obriga-do pela PIDE, que lhe deu apenas 4 horas, a abanobriga-donar o país, sob ameaça de ser novamente preso caso não o fizesse.

Entretanto aconteceu “o dia inicial inteiro e limpo onde emergimos da noite e do silêncio” de que falava Sophia e o resto da história é apenas o que demais importante aconteceu no Portugal democrático:

• Ministro sem Pasta;

• Ministro dos Negócios Estrangeiros; • Deputado;

• Deputado Europeu;

• Vice-Presidente da Internacional Socialista;

• Primeiro-Ministro em 3 diferentes ocasiões. Foi com ele que Portugal aderiu à CEE;

• Presidente da República em 2 mandatos sucessivos (1986 – 1996). Enquanto a primeira eleição foi uma luta muito difícil que obrigou a uma segunda volta, na última eleição teve um resultado superior a 70% dos votos expressos;

Mário Soares foi um cidadão empenhado, um político comprometido com valores e com uma visão clara do mundo em que vivemos. Nunca se resguardou em situações difíceis porque nunca foi um calculista à espera de ocasiões vantajosas. Teve muitas vitórias e algumas derrotas que aceitou com o espírito de grande senhor. Ensinou-nos que só é derrotado aquele que desiste de lutar.

A citação seguinte, de um discurso numa sessão do MUD (Movimento de Unidade Democrática) em 1946, pode ser a mensagem que todos nós aqui representados (de gerações diferentes e de partidos diferentes) deveremos assumir como bandeira:

“Os jovens de hoje são os homens e as mulheres de amanhã. Falar de juventude significa voltarmo-nos para o futuro. E nós democratas não tememos o futuro porque acreditamos no caminhar da História.”

Pelouro

Habit

ação

Tem uma lâmpada a precisar de ser substituída?

BEM SERVIR

Precisa de uma maçaneta nova para a sua porta?

A torneira da cozinha está a dar problemas?

Ligue para o 218 310 350 e o programa bem servir trata do problema!

O Bem Servir apenas inclui a mão de obra.

Marvila 9

Institucional

MARVILA SAÚDE

Marcações:

Todas as segundas de tarde, entre as 14h e as 17h30

e às quintas de manhã, das 10h às 13h

fazendo-se acompanhar da documentação exigida.

Balcão de atendimento na Junta de Freguesia de Marvila

(12)

Obrigado Mário Soares

U

m homem livre com um percurso de intervenção constante que marcou Portugal e também, de alguma forma, a Europa e o Mundo”, foi assim que João Soares recordou o pai Mário Alberto Nobre Lopes Soares, um homem com uma enorme capacidade de resistência e coragem, que viveu toda a sua vida numa luta constante pela liberdade e por Portugal.

Licenciou-se em Ciências Histórico-Filosóficas na Universidade de Lisboa, o que lhe permitiu estudar o passado, compreender o presente e ganhar as ferramentas necessárias para projetar um futuro melhor para o país. Iniciou muito cedo a sua atividade política e, depois de também se ter licenciado em Direito, na mesma universidade, tornou-se um grande defensor dos presos políticos e representou em tribunal personalidades como Álvaro Cunhal ou Humberto Delgado. Foi na univer-sidade que conheceu Maria de Jesus Barroso, a sua companheira de vida com quem viria a casar e ter dois filhos, João e Isabel. Ao lado

de um grande homem está sempre uma grande mulher e durante os 66 anos de vida em comum, Maria Barroso esteve sempre ao lado do marido que, de acordo com a filha Isabel Soares, “nunca teria feito o que fez ou chegado onde chegou sem a presença tranquila, serena, doce mas firme dessa mulher admirável”.

Mário Soares foi preso pela Polícia Internacional e de Defesa do Estado (PIDE) por 13 vezes, incluindo também a sua deportação para São Tomé e Príncipe em 1968, depois da qual partiu para um exílio de 4 anos em França. Mário Soares acreditava que “só é vencido quem desiste de lutar”, por isso nunca desistiu e em 1973 é o principal fundador do Partido Socialista, pelo qual se tornou, por 3 vezes, Primeiro-Ministro de Portugal. Voltou a fazer história no dia 12 de julho de 1985, quando assinou o Tratado de Adesão de Portugal à Comunidade Económica Europeia (CEE), e novamente em 1986 quando se tornou no primeiro Presidente da República eleito diretamente pelo povo português, completando dois mandatos consecutivos. “É bom não esquecer que ele viveu, com os seus 92 anos de vida, mais tempo em ditadura que em liberdade”, lembrou João Soares. Na sua incansável luta por um Portugal melhor, Mário Soares viveu 49 anos em ditadura e 43 anos em liberdade, com uma enorme capacidade de resistência e coragem e sem nunca se deixar incomodar pelo avanço da idade. Apesar das dificuldades que encontrou ao longo de toda a sua vida, manteve-se com um espírito jovem e tornou-se um exemplo de alegria e vontade de viver, sendo “em momentos decisivos, o rosto e a voz do nosso Portugal”, tal como mencionou o Primeiro-Ministro, António Costa.

“Só perde quem não luta”, dizia Mário Soares e isso

foi confirmado pela sua filha durante a cerimónia de homenagem no dia 10 de janeiro, no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, dizendo que o pai “partiu como viveu, a lutar até ao fim”. No primeiro funeral com honras de Estado realizado em democracia, estiveram presentes mais de 500 convidados, entre os quais se destacam algumas personalidades internacionais como o Rei de Espanha Felipe VI, o príncipe de Marrocos, Moulay Ra-chid, o Presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, o Presidente da República do Brasil, Michel Temer, ou o antigo primeiro-ministro de França, Lionel Jospin. A voz de Mário Soares ouviu-se através de uma gravação do seu discurso durante a assinatura do Tratado de Adesão à CEE e também na voz de Maria Barroso foram declamados “Os Dois Sonetos de Amor da Hora Triste” do poeta português Álvaro Feijó. Milhares de pessoas seguiram depois o cortejo fúnebre ao som de gritos que ecoavam pelas ruas “Soares é Fixe!” ou “Soares amigo, o povo estará contigo!”, num momento emotivo que acompanhou Mário Soares até ao Cemitério dos Prazeres, onde a sua urna foi colocada ao lado da esposa.

Os seus 40 anos de eleições autárquicas foram marcados por uma determinação e audácia que ficarão para sempre gravados na história de Portugal, um país em que sempre acreditou e que conhecia como ninguém, “dos lugares mais recônditos do continente às mais distantes freguesias dos Açores e da Madeira”, como lembrou João Soares. O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recorda-o como um “singular humanista e construtor de Portugalidade” e, na hora da despedida, falou pelos portugueses. “Em nome de Portugal, mas de todo o Portugal, obrigado Mário Soares!”.

(13)

Entrevista a Fernando Nabais e Tiago Almeida

C

omeçaram as obras na Piscina Municipal do Vale Fundão, uma intervenção que faz parte da dele-gação de competências da Câmara Municipal de Lisboa (CML) e cujo projeto e a execução ficaram a cargo da Junta de Freguesia de Marvila. Fernando Nabais, Presidente do Clube Oriental de Lisboa responsável pela gestão da piscina, e Tiago Almeida, o novo coordenador e diretor técnico, reconhecem todo o apoio que a Junta tem dado ao clube na gestão e divulgação da Piscina Municipal do Vale Fundão.

Revista de Marvila (RM) – Já começaram as obras de intervenção na Piscina Municipal do Vale Fundão. Quais as mudanças que já estão a ser realizadas? Fernando Nabais (FN) - Estas piscinas foram

original-mente construídas em 2005 com uma lacuna que se veio a verificar mais tarde em todas as piscinas que a CML construiu naquela altura: não foi salvaguardada a hipótese de haver balneários específicos para crianças. De alguma maneira esse constrangimento foi-se colmatando e a CML reconheceu a importância de fazer algumas alterações na estrutura da piscina, aproveitando também alguns espa-ços que já existiam. Nós temos uma zona de arrecadação bastante grande que já está em obras, onde vão passar a ser os balneários e a sala dos professores sendo que, à entrada da piscina, onde é hoje essa sala dos professores, vão ser criados os dois balneários infantis em falta.

Tiago Almeida (TA) - Esta intervenção vai resolver um

problema de constrangimento que existia e vai permitir também, eventualmente, ter uma maior taxa de solicitação da piscina, até porque temos um espaço específico para os mais pequenos e o facto dos pais quererem vir com as crian-ças e terem um balneário específico para eles é fundamental.

RM - Qual o apoio que Junta de Freguesia de Mar-vila tem dado na gestão da piscina, desde a delega-ção de competências da CML?

FN - A entrada da Junta de Freguesia de Marvila neste

projeto é muito importante. Desde a delegação

de competências da CML reforçámos os laços com a Junta de Freguesia, e há aqui uma relação diferente do que era com a CML porque há uma maior proximidade e porque o Oriental é Marvila e Marvila é o Oriental. Nós estamos aqui e sempre fomos daqui. No que diz respeito a estas obras, a facilidade que houve em conseguir gerir as sensibilidades que aqui havia e de tornear os problemas que estas obras inevitavelmente nos iriam trazer, só foi possível devido a esta comunhão entre nós. Contrariamente àquilo que aconteceu noutras piscinas, as obras não vão paralisar nem um pouco a atividade do equipamento, ou seja, nós não vamos fechar a piscina por causa das obras. Já está em curso a primeira fase que é a alteração da arreca-dação para a sala dos professores sendo que, quando estiver pronta, os professores vão-se instalar nessa nova sala, deixando disponível a sala dos professores atual, para que depois numa segunda fase seja então construído o balneário das crianças. Os técnicos da Junta de Freguesia de Marvila tiveram um papel importantíssimo no facto de se ter conseguido que as obras fossem realizadas desta maneira.

RM - Considerações Finais

FN - É preciso também salientar que a Junta de Freguesia

de Marvila está connosco neste projeto e vamos continuar a ter o seu apoio em todas as atividades que sejam aqui realizadas e neste sentido, futuramente, todos os funcionários da piscina, que hoje já estão devidamente identificados com os símbolos do clube, passarão a estar identificados com o símbolo do clube e com o símbolo da Junta de Freguesia. Das ideias já faladas com a Junta, uma das atividades que nós pretendemos realizar para criar também as tais sinergias e relações de afinidade, e fica desde já aqui o compromisso, é levar brevemente os nossos utentes a Fátima, tendo em atenção que é um espaço simbólico, como forma de abençoarmos o retomar de algumas atividades lúdicas. É para nós muito importante ter a gestão da piscina porque este equipamento e a ati-vidade que aqui se faz é fundamental para o crescimento sustentado do Clube Oriental de Lisboa.

Marvila 11

Melhorar Marvila

(14)

OBRA

CONCLUÍDA

PAVILHÃO DOS LÓIOS

12 Marvila

Melhorar Marvila

DEPOIS ANTES

Mais uma obra concluída

T

erminadas as obras de requalificação na Rua de Ovar, no Bairro do Condado, em mais uma intervenção que veio aumentar a qualidade de vida de todos os moradores, ao melhorar o espaço de lazer, arranjar os passeios e normalizar a área de estacionamento nesta zona. O Pelouro Espaço Público da Junta de Freguesia tem feito um grande investimento na requalificação de Marvila e vai continuar a fazê-lo com o objetivo de conseguir alcançar uma área cada vez maior.

O processo de descentralização da Câmara Municipal de Lisboa, iniciado em 2012, fez com que aumentassem as responsabilidades da Junta de Freguesia e a resposta por parte do executivo tem sido bastante positiva, no que diz respeito ao espaço público. Obra a obra Marvila melhora e a requalificação vai continuar, um pouco por toda a Freguesia, aumentando cada vez mais a qualidade de vida dos Marvilenses!

Requalificação na Rua do Açúcar

A

s obras de requalificação já começaram na rua do Açúcar, um projeto que faz parte das várias intervenções que a Câmara Municipal de Lisboa delegou para a Junta de Freguesia de Marvila. A zona histórica de Marvila está a ser alvo de um grande desenvolvimento comercial e este projeto pretende acom-panhar toda essa evolução, através de uma intervenção que pretende reparar o gradeamento do muro e construir uma nova escada, de forma a reduzir a inclinação que existia, facilitando a mobilidade de todos os fregueses e proporcionando uma maior segurança na circulação dos peões.

A cooperação entre o município de Lisboa e a Junta de Freguesia de Marvila vai continuar e já estão previstas mais obras de requalificação na Azinhaga dos Alfinetes,

(15)

Marvila 13

Voz Ativa

Conselho Marvilense inicia o ano

O

Conselho Marvilense reuniu pela primeira vez este ano, no dia 21 de janeiro, no Salão de Festas do Vale Fundão, onde esteve presente o executivo da Junta de Freguesia e algumas empresas e instituições de Marvila.

O presidente Belarmino Silva deu início a esta reunião onde o vogal António Alves apresentou o orçamento para o ano de 2017, aprovado em Assembleia de Freguesia no dia 19 de dezembro. O orçamento, que foi explicado de forma detalhada a todos os conselheiros, promove uma governação participada e a sua construção baseou-se em três eixos principais: as pessoas, as instituições e o espaço público. O vogal do Pelouro Gestão Orçamental e Financeira, Economia e Sociedade reforçou a ideia de que Marvila é uma responsabilidade de todos e garantiu que o executivo está sempre disponível para analisar os projetos que lhe sejam apresentados pelo Conselho Marvilense e por todas as instituições da Freguesia.

O vogal Vítor Morais iniciou o período seguinte desta reunião onde Ricardo Ribeiro, coordenador do Desporto da Junta de Freguesia, deu a conhecer o projeto Olisipíadas para 2017. No ano passado Marvila ganhou um Prémio de

Mérito devido ao excelente desempenho das 530 crianças, de 12 instituições diferentes, que representaram a Freguesia e conseguiram resultados bastante positivos em todas as modalidades praticadas. Este ano, a fase local vai decorrer de janeiro a maio, sendo que em Marvila podere-mos assistir a atividades como basquetebol (nos dias 4 de fevereiro e 22 de abril), natação (5 de fevereiro) e ginástica (4 de março). As Olisipíadas são muito importantes na for-mação das crianças e no reforço da imagem da Freguesia, e o vogal do Pelouro Desporto e Juventude, Vítor Morais, acredita que em 2017 Marvila vai conseguir superar os resultados que já foram muito positivos na edição anterior.

Tertúlia “O seu Bairro, a sua Freguesia; Histórias singulares”

N

o âmbito do projeto TransHumâncias do programa BIP/ZIP 2016, a AMBA - Associação de Moradores do Bairro das Amendoeiras realizou, no dia 16 de janeiro, uma tertúlia que teve como tema “O seu Bairro, a sua Freguesia; Histórias singulares”, onde esteve presente o vogal Vítor Simões da Junta de Freguesia de Marvila. O objetivo do projeto é motivar um sentimento de pertença ao bairro e à Freguesia, através de uma investigação sobre a história de Marvila, promovendo o convívio e a partilha de vivências entre todos os fregueses.

A artista plástica Teresa Palma Rodrigues e o diretor do Agrupamento de Escolas D. Dinis, José António Sousa, foram os convidados que partilharam com todos os moradores as suas diferentes experiências pessoais. Teresa Rodrigues é uma moradora recente na Freguesia e quando se mudou para Marvila viu que tudo estava a crescer e que os moradores dos vários bairros se sentiam cada vez mais felizes por viveram ali. Como

ambição de futuro deseja que a comunidade se torne cada vez mais unida e que todos se continuem a respeitar uns aos outros, como têm feito até agora.

Por outro lado, José António Sousa não é morador mas trabalha no bairro há 36 anos e já acompanhou várias mudanças na Freguesia. A realização da Expo98 é uma das mudanças que considera mais significativas pois proporcionou a construção de novas vias rodoviárias, que vieram dar muito mais visibilidade a Marvila, tornando--a mais movimentada e também mais atrativa. No futuro, quer ajudar os Marvilenses a melhorar ainda mais a imagem da Freguesia, criando um elemento de centralida-de ou dando mais visibilidacentralida-de aos elementos com bastante qualidade que já existem em Marvila, tais como a estação de metro, a biblioteca, o comércio local ou as instituições de ensino superior que até já têm algum reconhecimento. A história é construída por todos os fregueses e por isso o projeto pretende ligar as pessoas, os bairros, as culturas e as etnias, de forma a começar a construir uma história de Marvila, cujo resultado final será apresentado no Festival TransHumâncias. Todos os fregueses podem contribuir e participar nas tertúlias, que vão continuar a ser feitas ao longo de 6 meses, sendo sempre realizadas na 3ª segunda-feira de cada mês. A criadora do projeto, Dora Vicente, acredita que “a centralidade de Marvila deve ser construída através das artes” e é nisso que a freguesia deve apostar para se conseguir afirmar na cidade de Lisboa e mostrar que vale a pena conhecer Marvila.

(16)

Informações

Espaço Jovem Intervir

Apoio ao Estudo • Atividades lúdicas e pedagógicas

Dos 6 aos 18 anos

De segunda a sexta-feira das 14h00 às 17h15

Morada: Av. Paulo VI, Lote 8 R/C, Lojas 2, 3 e 4 (Lg. Luís Dourdill) 1950-299 Lisboa • Telf.: 967 884 642/218 371 432

Contamos contigo!

ATENDIMENTOS

Junta de Freguesia de Marvila Av. João Paulo II, Lote 526 - 1º A 1950-159 Lisboa

Tel.: 218 310 350

Das 9h30 às 17h30 de segunda a sexta-feira Horário de funcionamento da Tesouraria: Das 9h30 às 17h00 de segunda a sexta-feira Horário de licenciamento de canídeos: Das 11h00 às 17h00

ATENDIMENTO SOCIAL

Terças, das 10h00 às 13h00

Quartas e Quintas das 14h00 às 17h00 (Marcações pelo telefone)

info@jf-marvila.pt

SERVIÇOS PÚBLICOS

EPAL (Assistência Domiciliária) - Tel.: 800 201 101 EPAL (Roturas) - Tel.: 800 201 600

Lisboagás - Número Emergência: Tel.: 800 201 722 Lixo CML (Recolha de monos) - Tel.: 808 203 232 Semáforos avariados - Tel.: 800 911 990

Intoxicações - Tel.: 217 950 143 Linha Vida - Tel.: 1414 (gratuita) SOS Voz Amiga - Tel.: 213 544 545 R.S. Bombeiros - Tel.: 213 422 222

Loja do Cidadão de Marvila - Tel.: 707 241 107 CPCJ Lisboa Oriental - 218 311 233

Direção de Ação Social Local Oriental da SCML Tel.: 218 554 100

in

formações

úteis

sumári

o

Ação Social

• Junta de Freguesia ouve cantar as Janeiras

2

Aconteceu

• Marvila em Movimento

1

Cultura

• Marvila dá boas-vindas a 2017

3

• I Encontro de Tunas Académicas em Marvila

4

• Música Crescente

5

Educação

• “Hortas na Escola... Legumes no Prato”

6

• “Para ti Se não Faltares”

continua a somar resultados

7

Higiene Urbana

• Por uma Marvila mais limpa

8

Institucional

• Voto de pesar a Mário Soares

9

• Obrigado Mário Soares

10

Melhorar Marvila

• Entrevista a Fernando Nabais e Tiago Almeida

11

• Mais uma obra concluída

12

Voz Ativa

• Conselho Marvilense inicia o ano

13

Desfile de Carnaval 2017

Rua Luiz Pacheco (Bº das Amendoeiras)

10H

dia

24

fev

Inauguração do Pavilhão dos Lóios

Rua Gabriel Constante, 227 (Bº dos Lóios)

17H

dia

17

Imagem

Referências

temas relacionados :