PROJETO VOCÊ ANIVERSARIA E A ALEGRIA É NOSSA : RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA

Texto

(1)

Pesquisas e Práticas Educativas

PROJETO VOCÊ ANIVERSARIA E A ALEGRIA É NOSSA : RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA

Mirtes Gonçalves Honório de Carvalho Teresa Christina Torres Silva Honório

Universidade Federal do Piauí

O presente trabalho relata nossa experiência com o projeto “Você Aniversaria e a Alegria é Nossa”, desenvolvido no Módulo XVIII apresentando sua história, seu objetivo e estratégias, bem como diretrizes que fundamentam nossa proposta de trabalho.

Este projeto resultou de trocas de experiências, diálogos e conversas informais com coordenadores setoriais, coordenadores municipais, monitores, alfabetizadores e alfabetizandos, dos municípios de Joca Marques – PI e Regeneração –PI. E tem como objetivo resgatar a auto-estima dos alfabetizandos, através do seu reconhecimento como sujeito participante de uma realidade concreta.

(2)

Pesquisas e Práticas Educativas

PROJETO VOCÊ ANIVERSARIA E A ALEGRIA É NOSSA : RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA

Mirtes Gonçalves Honório de Carvalho Teresa Christina Torres Silva Honório

Universidade Federal do Piauí

Antes de relatar nossa experiência com o projeto “Você Aniversaria e a Alegria é Nossa” faz-se necessário situar um pouco a construção de nosso trabalho nos municípios de Joca Marques e Regeneração, a fim de mostrarmos nossas convicções e utopias.

Desde que iniciamos nosso trabalho como Coordenadoras Setoriais no Programa de Alfabetização Solidária (PAS), tem nos mobilizado a convicção de que para alfabetizar jovens e adultos deve existir um projeto intencionado, inspirando e direcionando sua prática educativa, como temos na UFPI. Por outro lado, esse projeto não pode vir pronto e acabado deve ser gestado no contexto onde estiver situada cada sala de aula e construído no processo, cotidianamente, pois é a existência de um projeto que vai dando consistência ao processo de ensino e de aprendizagem, mostrando transparência a comunidade e seu compromisso com o processo de leitura e produção de texto.

Com isso, queremos ressaltar que foi a partir desta convicção e da reflexão sobre a prática pedagógica, feita em nossos encontros mensais, bem como na avaliação final de vários módulos, onde a problemática era a evasão ocasionada pela falta de interesse e este por sua vez motivado pela baixa auto-estima justificada pelos alfabetizandos com o dito popular “papagaio velho não aprende a falar”.

(3)

Para nós não bastava avaliarmos o nosso trabalho, precisávamos propor algo que anunciasse uma nova realidade dentro das salas de aulas do PAS nos municípios que coordenávamos. Foi assim, que a partir de discussão com alfabetizadores e alfabetizandos, fizemos opção de trabalhar com a pedagogia de projeto e um dos temas escolhido foi “Aniversário”. Tema este que se justifica pelo desejo de todos os alfabetizandos em ter uma festa de aniversário.

Tendo como base esta justificativa e o nosso objetivo de transformar o espaço da sala de aula em um ambiente em que os alfabetizandos possam, através da reflexão e análise de situações do cotidiano, construir e dar novos significados aos conteúdos trabalhados em sala de aula, como enfatiza nossa proposta da UFPI, incorporando-os no exercício cotidiano da cidadania dentro e fora da escola, além disso estamos acrescentando uma nova opção que é trabalhar com a pedagogia de projetos. Pois desenvolvendo uma prática pedagógica nesta perspectiva, acreditamos na possibilidade de desenvolver habilidades e atitudes necessárias para a formação de cidadãos críticos, participativos e conscientes dos seus direitos e deveres.

Portanto, em decorrência do exposto e neste momento do processo que vem se desencadeando desde 2003, foi necessário explicitar estas questões, problematizá-las e transformá-las em objeto do trabalho pedagógico. Ao lado de outras ações que desenvolvemos coletivamente, apresentamos como sugestão de trabalho desde 2004, o projeto “ Você Aniversaria e a Alegria é Nossa”, apoiado nos seguint es argumentos:

3 Existe um desejo do PAS na UFPI explicitado na proposta para se trabalhar com valores e atitudes tais como a solidariedade, colaboração, respeito, tolerância, valorização, justiça, amizade, sinceridade, lealdade, ajuda e resgate da auto-estima. Assim, a questão do aniversário apresenta-se oportuna e fértil como um tema de projeto que envolve todas as pessoas que estudam em sala de aula do PAS;

3 A realização de festas organizadas pelos alfabetizadores e alfabetizando, com o apoio das Secretarias Municipais de Educação dos Municípios envolvidos com o projeto, para comemorar os aniversários dos alfabetizandos, transforma-se em um momento de muita alegria para eles, já que a maioria nunca teve a oportunidade de comemorar seu próprio aniversário com amigos, inclusive temos depoimento de alguns que até já esqueceram a data em que fazem aniversário. Portanto, consideramos esse momento como oportuno para a conquista das atitudes acima descritas;

(4)

3 Reconhecimento de si mesmo e do outro como sujeito em permanente processo de construção de suas identidades e o PAS como instituição colaboradora neste resgate de cidadania.

MOMENTOS DE UMA CAMINHADA

Acreditamos que a educação só é legitima quando se torna mediadora da construção da cidadania, ou seja, quando contribui efetivamente para a emancipação dos sujeitos que ela envolve. Assim, para ser eficaz nesse processo emancipatório, a educação precisa ser exercida mediante prática dialógica, pois segundo SEVERINO(2000: 92) “ a educação só liberta na medida em que ela envolve todos os sujeitos numa prática democrática, respeitando a dignidade pessoal de todos”.

Partindo desta convicção e após análise e reflexão da prática pedagógica dos alfabetizadores, incluímos em nossa proposta de trabalho a pedagogia de projetos com temas significativos, acordados nos planejamentos. Estes temas contemplam valores e princípios, através dos quais fundamentamos nosso trabalho na capacitação continuada, como:

3 a pergunta como modo de abrir, problematizar e construir saberes;

3 a investigação crítica como modo de pensar nossa realidade individual e social; 3 o debate participativo, aberto e fundamentado como prática de conhecimento; 3 a democracia como forma de respeitar e valorizar nossas diferenças;

3 o trabalho solidário e colaborativo como forma de agir em educação; 3 a resistência crítica frente a toda forma de imposição

O projeto “Você Aniversaria e a Alegria é Nossa”, foi uma das temáticas que mais fez sucesso, principalmente pelo valor de cunho pessoal e social que ele impõe. Pensamos neste projeto como uma experiência piloto a ser multiplicado dependendo dos resultados. Iniciamos de forma sistemática este projeto nos municípios de Joca Marques e Regeneração no Módulo XVII. É relevante frisar que esta proposta de trabalho resultou de trocas de experiências, diálogos e conversas informais com coordenadores setoriais, coordenadores municipais, alfabetizadores e alfabetizandos, onde o ponto de convergência foi sempre o processo de alfabetização. A técnica e a metodologia nunca foi o ponto nevrálgico de nossas discussões. A

(5)

problemática era sem dúvida a evasão. Esta sim, polemizou e permeou nossas conversas e a partir daí, nossa investigação para melhor conhecer a realidade dos alfabetizandos, como vivem e porque buscam a escola e depois se evadem. Não que os métodos e técnicas não nos incomodassem; pelo contrário, convergíamos sempre para análises críticas dos aspectos metodológicos que favoreciam ou desfavoreciam o processo da alfabetização e sua necessária interdisciplinaridade.

Para o desenvolvimento do projeto “ Você Aniversaria e a Alegria é Nossa” organizamos o trabalho pedagógico partindo do levantamento dos aniversariantes de cada sala de aula, mês a mês, procurando relacionar aos aniversários temas ou assuntos referentes a datas comemorativas, possibilitando a exploração e compreensão da leitura e escrita presentes nesses temas, buscando o desenvolvimento e a apropriação de atitudes e valores de cidadania. Vale ressaltar que nesta proposta procuramos utilizar múltiplas linguagens com o objetivo de desenvolver trabalhos interdisciplinares para serem socializados e expostos na sala de aula, a fim de possibilitar maior integração entre os alfabetizandos.

O projeto aconteceu de acordo com a realidade de cada sala de aula. A turma é dividida em equipes e cada equipe fica responsável por uma atividade, como por exemplo:

confeccionar cartão de aniversário, com uma mensagem para ser entregue a(os) homenageados;

3 convite aos familiares e amigos dos aniversariantes; 3 decoração e preparação dos comes e bebes;

3 entrevista com o(s) aniversariantes; 3 discursos;

3 painel de fotos e ou pertences que identifiquem os aniversariantes; 3 biografia dos aniversariantes

3 surpresa;

3 registro da festa fotografado 3 encerramento da festa.

No dia da festa, alfabetizadores e alfabetizandos se organizam para dar conta deste grande acontecimento, onde a prioridade é o alfabetizando e o seu aprendizado. Aprendizado este que não se reduz a simples transmissão de conhecimento, nem o fortalecimento de valores

(6)

voltado para a sociedade de consumo, mas para o desenvolvimento de habilidades tais como: de cooperar, solidarizar-se, reconhecer a si mesmo e o outro como sujeito capaz de agir de forma crítica e participativa. Constituindo-se em um momento significativo na vida dos alfabetizadores e alfabetizandos.

Vejamos o que diz uma alfabetizadora:

“ Os alfabetizandos se sentem muito felizes e valorizados por serem lembrados no dia do seu aniversário”.

A manifestação dos alfabetizandos foi singular e significativa.

“ Hoje é o dia mais feliz de minha vida, já tinha esquecido a dia do meu aniversário.

“ Tinha muita vontade de comememorarr o meu aniversário com meus colega.” “ Eu nunca comemorei meu aniversário, mas pretendo fazer. E nesse dia serei muito feliz.”

A avaliação do projeto é feita oralmente por todos os participantes: alfabetizandos e alfabetizadores . Cada um tece um comentário crítico a respeito dos diferentes itens e aspectos da festa. Tendo como referência a avaliação, textos com esta temática serão produzidos e trabalhados.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Neste breve texto apresentamos os pontos de destaque do projeto “Você Aniversaria e a Alegria é Nossa!”, sua história, seu objetivo , suas estratégias, bem como as diretrizes que fundamentam nossa proposta de trabalho.

O projeto reafirma a pessoa como um ser social que se constitui a partir das relações que estabelece com outras pessoas e sua rede de relações interpessoais. Neste sentido, procura privilegiar relações onde os alfabetizandos dialoguem entre eles com atenção; sejam abertos a considerar seriamente outras posturas; sejam empáticas; estejam preocupadas com o coletivo, cuidando do crescimento dos outros membros do grupo, demonstrando assim seu crescimento pessoal e social.

(7)
(8)

BIBLIOGRAFIA

HERNÁNDEZ, F. Transgressão e mudança na educação: o projeto de trabalho. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

KOHAN, W. Filosofia na escola: algo mais do que um projeto. In: Caderno Linhas Críticas. Universidade de Brasília, Faculdade de Educação nº 5 e 6 jul 1998 – Brasília: UNB.

SEVERINO, A . J. O diálogo como estratégia de reconhecimento superando a dominação na relação pedagógica. In: Revista de educação AEC . v. 29 nº 114, jan/mar. 2000. Brasília.

Imagem

Referências

temas relacionados :