1. OBJETIVO DO TESTE 2. O TESTE DE PNEU FORAM UMA INICIATIVA DA PNEU FREE, SEM HOMOLOGAÇÃO DE ÓRGÃOS, INSTITUTOS OU LABORATÓRIOS

12 

Texto

(1)

Confira as regras do teste de pneu promovido

pela Pneu Free no Autódromo Internacional de

Curitiba, no dia 28 de setembro de 2015.

1. OBJETIVO DO TESTE

O objetivo do teste foi comparar pneus de grandes marcas – tendo como critério o modelo mais vendido de cada uma – e com diferentes características, para ajudar você na escolha da melhor opção, tanto em desempenho quanto em valores. O teste aconteceu em condições reais e extremas, para mostrar as vantagens e desvantagens de cada pneu nas categorias avaliadas.

2. O TESTE DE PNEU FORAM UMA INICIATIVA DA PNEU FREE, SEM

HOMOLOGAÇÃO DE ÓRGÃOS, INSTITUTOS OU LABORATÓRIOS

Durante o teste, procuramos a maior exatidão e precisão por meio de dois fatores: imparcialidade e transparência. Para isso, contratamos pilotos profissionais e filmamos tudo.

A perícia dos pilotos, Lucas Arnone e Sérgio Bueno, foi de extrema importância, pois realizaram o teste com maestria e precisão, colaborando para chegarmos aos resultados.

(2)

3. PROCESSO DE AVALIAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS POR PNEU

Durante o teste de pneu, as avaliações ocorreram de duas maneiras:

Avaliação subjetiva dos pilotos, nas categorias de Tração, Aderência e Estabilidade; Avaliação por medição, nas categorias de Frenagem no piso seco, Frenagem no piso molhado, Nível de Ruído e Tempo de Volta.

4. CARACTERÍSTICAS NÃO AVALIADAS

Não avaliamos as seguintes características:

Conforto, resistência à aquaplanagem, durabilidade e redução de consumo de combustível – critérios tão relevantes quanto as outras características testadas.

6. O EVENTO NÃO FOI PATROCINADO POR NENHUM FABRICANTE

OU IMPORTADORA DE PNEUS

5. OS RESULTADOS DO TESTE NÃO PODEM SER TOMADOS COMO

DADOS ABSOLUTOS

Resultados diferentes podem ser obtidos devido a fatores, como: diferentes carros, diferentes motoristas, diferentes tipos de pista, clima, umidade do ar,

altitude, temperatura da pista, temperatura dos pneus, calibragem dos pneus e muitas outras variáveis.

Ressaltamos também que o teste de pneu podem ter sofrido variações devido a: variação involuntária no modo de condução dos pilotos, variação da temperatura ambiente e da pista, variação da umidade do ar, diferença de performance entre os carros – mesmo sendo idênticos e novos –, desgaste dos carros entre os primeiros e os últimos pneus testados, fadiga dos pilotos entre os primeiros e os últimos testes, diferença do nível de combustível nos tanques e alguns outros fatores.

(3)

Pagamos todas as despesas do evento Pneu Free Tire Challenge, desde a compra dos pneus até o aluguel dos carros, e não aceitamos patrocínios ou suportes financeiros. Além disso, não foi

solicitado às marcas participantes amostras de seus produtos. Os pneus foram escolhidos de modo aleatório em nossos estoques e nas empresas que os comercializam.

7. TODOS OS PNEUS TESTADOS ESTÃO DISPONÍVEIS POR 30 DIAS

A PARTIR DE 01/11/15 NA SEDE DA PNEU FREE

Todos os pneus usados no teste estão disponíveis para todas as pessoas interessadas, sejam físicas ou jurídicas. Depois do período de 30 dias, enviaremos todos para a reciclagem, conforme a

legislação do IBAMA.

8. OS DIREITOS SOBRE OS DADOS E RESULTADOS DO TESTE SÃO

EXCLUSIVOS DA PNEU FREE

Os dados do teste são de livre divulgação, seja para leitura, seja para compartilhamento na internet ou fora dela, desde que estejam sempre com seu texto original, sem edição ou subtração, bem como a impressão para uso próprio.

É proibida a sua utilização para fins comerciais, seja em parte, seja de forma integral, bem como a sua comercialização direta ou indireta. Os infratores estarão sujeitos às penalidades de quebra de direitos autorais, previstas em lei, salvo autorização expressa da Pneu Free.

9. CONHEÇA OS CRITÉRIOS SELECIONADOS PARA A ESCOLHA DAS

MARCAS, DA MEDIDA, DOS MODELOS E DOS ÍNDICES DE CARGA E

DE VELOCIDADE DOS PNEUS

Escolhemos os pneus testados a partir dos que melhor representam a experiência de compra quando você vai repor e/ou trocar um jogo de pneus.

(4)

MEDIDA

A medida escolhida foi a 205/55R16. As razões da escolha foram:

É a medida que melhor representa a ampla gama de medidas usadas no Brasil, tendo a maior média entre todas as outras opções;

É uma das mais vendidas por vários dos principais fabricantes e importadores do mercado brasileiro;

A medida equipa uma ampla gama de veículos médios, vários deles entre os mais vendidos do país, como Honda Civic, VW Golf, Jetta, GM Vectra, Astra, Toyota Corolla, Fiat Linea, Bravo, Renault Megane, Ford Focus, Citroen C4, Audi A3 e A4 e Peugeot 307 e 408;

É a representante de um segmento médio, sendo acessível a uma grande parte do mercado consumidor de automóveis. Porém, não está posicionada no seu segmento de entrada; É considerada pelo mercado como pertencente à gama “HP” (high performance), mas não é específica para carros esportivos.

MARCAS

No mercado brasileiro, existe uma infinidade de marcas e modelos e, por isso, vários não foram testados. Mesmo assim, consideramos e acreditamos que foi possível fazer uma comparação muito valiosa para o consumidor, ajudandoo na sua escolha.

A SELEÇÃO DAS MARCAS DE PNEUS A SEREM TESTADAS OBEDECEU AOS SEGUINTES CRITÉRIOS:

1. As marcas principais, entre os oito maiores fabricantes de pneus do mundo em 2014, de acordo com relatório público divulgado pelo canal de notícias de pneus mais relevante conhecido, a Tire Business (w ww.tirebusiness.com) . Todas com participação relevante no mercado brasileiro e conhecidas pelos consumidores e profissionais do ramo.

Abaixo a tabela com as marcas principais desses fabricantes conforme o critério, pela ordem da posição de faturamento no ano de 2014, da maior para a menor.

(5)

BRIDGESTONE MICHELIN GOODYEAR CONTINENTAL

PIRELLI HANKOOK DUNLOP YOKOHAMA

BFGOODRICH CONSTANCY GOODRIDE LINGLONG MOMO

2. As marcas comercializadas pela Pneu Free, na medida escolhida e que não estão listadas no rol das oito maiores do mundo:

ÍNDICE DE CARGA E VELOCIDADE

O índice de carga mínimo para o teste foi de “91”. São incomuns os veículos vendidos no Brasil com índice de carga inferior a esse número. Já os superiores são bastante comuns (índice 94, o que é XL – extra load – para a medida testada).

Os índices que representam quase que a totalidade do mercado são 91 e 94. Portanto, para que o teste refletisse a realidade da prática do mercado, comparamos, em igualdade de condições, pneus de índice 91 e 94, sem distinção.

ÍNDICE DE VELOCIDADE

O índice de velocidade mínimo para o teste foi o V (240 km/h).

São incomuns veículos vendidos no Brasil com índice de velocidade original de fábrica inferior a V (seja H ou inferior). Contudo, os superiores são bastante comuns (índice W ou Y).

Portanto, para que o teste refletisse a realidade da prática do mercado, comparamos, em igualdade de condições, pneus de índice V, W e Y, sem distinção. Excluímos do teste pneus com índice H ou inferior por serem minoria no mercado brasileiro e pouco comum como item original de fábrica.

MODELO A SER TESTADO

(6)

disponibilidade de pneus para todas as estações (a ll season) , e mesmo quando há o mercado não os diferencia.

A oferta de pneus de inverno (w inter tires) não existe. Esse critério, portanto, não será levado em conta. Pneusa ll seasone ventualmente poderão ser comparados sem distinção a pneus de verão, desde que cumpridos todos os outros prérequisitos de seleção dos produtos testados.

Alguns fabricantes disponibilizam ao mercado mais de um modelo de pneu na medida testada. Por isso, após realizarmos uma pesquisa de mercado com os revendedores das marcas, fabricantes e exportadores e uma análise de nossos relatórios de venda, decidimos testar o modelo mais vendido de cada marca na época do teste, independente do motivo de ser o mais vendido da respectiva marca (maior oferta, menor preço, maior qualidade, por ser equipamento original ou por uma conjunção de um ou mais fatores).

A partir de todos os critérios acima, chegamos à lista abaixo (em ordem alfabética) dos 13 jogos de 205/55R16 testados e seus respectivos modelos, marcas e índice de carga e de velocidade.

BF GOODRICH GGRIP 91W

BRIDGESTONE TURANZA ER300 91V

CONSTANCY LY688 91V

CONTINENTAL CONTIPOWERCONTACT 91V

DUNLOP DIREZZA DZ101 91V

GOODRIDE RP28 91V

GOODYEAR EAGLE SPORT 91V

HANKOOK VENTUS PRIME 2 K115 91V

LINGLONG GREENMAX 94W

MICHELIN PRIMACY 3 91V

MOMO OUTRUN M3 94W

PIRELLI CINTURATO P7 94W

YOKOHAMA BLUEARTH AE01 91V

(7)

O veículo escolhido foi o Audi A3 Sedan 2015, que usa originalmente a medida 205/55R16.

Esse carro oferece potência suficiente para testar os pneus em condições extremas de uso, bem como comportamento dinâmico reconhecidamente bom e confiabilidade mecânica.

Foram usados quatro veículos idênticos, testados simultaneamente de dois em dois, ao passo que os outros dois recebiam os pneus e a devida preparação para a rodada seguinte.

Os pneus originais dos veículos não foram testados. Todos os pneus testados foram adquiridos no mercado de reposição (ou seja, pneus disponíveis para a venda no mercado, sem envolver pneus originalmente feitos para serem fornecidos à linha de montagem das fabricantes de veículos). Usamos dois carros de cor preta, um de cor branca e um de cor cinza.

10. CONFIRA OS CRITÉRIOS PARA A ESCOLHA DO VEÍCULO DE

TESTE

OCUPANTES: apenas o piloto.

CALIBRAGEM DOS PNEUS: a recomendada pelo fabricante do veículo.

TANQUE DE COMBUSTÍVEL: o teste foi iniciado com os tanques dos veículos cheios e não foram reabastecidos.

CONTROLE DE ESTABILIDADE: modo sport.

CONTROLE DE TRAÇÃO: ligado.

CÂMBIO: tipo DSG, usado em modo sport ou trocas sequenciais (tiptronic), conforme preferência do piloto.

AR CONDICIONADO: ligado.

JANELAS: fechadas.

LUZES: meialuz ligada.

FLUIDOS DO CARRO: nível máximo.

Carros 100% originais, sem nenhuma modificação (exceto os pneus testados).

(8)

Iniciamos o teste, aproximadamente, às 10h30 da manhã do dia 28 de setembro de 2015 e

encerramos aproximadamente às 15h30 da tarde do mesmo dia. O teste foi feito sem interrupção, no Autódromo Internacional de Curitiba, na Rua Iraí, 116, Pinhais, PR.

12. DATA, HORA E LOCAL DO TESTE

Tempo seco (sem chuva), temperatura entre 23 e 28 graus e umidade relativa do ar em torno de 80%.

13. CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DO DIA DO TESTE

Estavam presentes no teste nossos sócios e colaboradores; representantes dos fabricantes testados Michelin, Goodyear, Hankook e Bridgestone; representante da exportadora das marcas testadas Linglong, Goodride e Constancy; sócios, colaboradores e representantes comerciais da importadora RS Pneus (empresa do grupo da Pneu Free, importa as marcas testadas Momo, Constancy, Goodride e Linglong); sócios e colaboradores da empresa Magili (importadora da marca Sailun e que também é revendedora credenciada da marca testada Continental); revendedores independentes Antônio Pneus, Galvão Pneus, Chevromais, Pneutek e O Mundo das Câmaras (revendem eventualmente pneus, como Yokohama, Hankook, Dunlop); representante da revendedora autorizada Pirelli (Della Via); equipe de filmagem da Trunkshot (produtora contratada para o evento); fotógrafo; além de vários outros convidados amigos. Foram quase 100 pessoas convidadas e presentes.

14. PESSOAS PRESENTES

Escolhemos a ordem dos pneus testados na presença de todos os convidados, sorteando quais seriam as duas marcas a serem testadas naquela rodada. Os pilotos não assistiram ao sorteio e não tomaram conhecimento dos pneus a serem testados em cada rodada de teste.

Os pneus sorteados foram montados, calibrados (na calibragem recomendada pela fabricante do

(9)

veículo), balanceados e montados nos veículos.

Os pneus foram cobertos a cada vez que os pilotos entravam e saíam dos carros, de modo que em nenhum momento eles puderam ver os pneus que foram testados e tampouco o pneu que o outro piloto estava testando.

Os pilotos só souberam a ordem após o término do teste e da entrega das avaliações à Pneu Free, para que não houvesse qualquer influência de uma eventual preferência prévia dos pilotos por marca A, B ou C.

Os pilotos saíram dos boxes para duas voltas de aquecimento e reconhecimento dos pneus. E a terceira, quarta e quinta voltas foram feitas em maior velocidade e melhor traçado possível, na busca pelo menor tempo de volta com cada jogo de pneus, levando o carro próximo ao seu limite o tempo todo, mas adotando o mesmo ponto de frenagem para todos os pneus.

Nessas três voltas rápidas, os pilotos Lucas Arnone e Sérgio Bueno fizeram as três avalições subjetivas do teste: Estabilidade, Aderência e Tração. E também registramos, por meio de um sistema de cronometragem, o tempo de volta de cada jogo de pneu.

Após completarem essas voltas, os pilotos entraram na área interna em frente aos boxes a 100 km/h para o teste de Frenagem no seco. Nessa categoria, foi feita a medição da distância de frenagem de cada jogo testado por Eduardo Henrique Ferreia, Roberto Carlos Torres e Geovani Herberts Junior. Após o teste de Frenagem no seco, os pilotos conduziram os carros para a área de estacionamento, atrás dos boxes, a 80 km/h para o teste de Frenagem no molhado. Foi feita a medição da distância de frenagem de cada jogo de pneus testado por Carlos Eduardo Klein e Vinicius Wroblewski.

Depois do teste de Frenagem no molhado, Guilherme Vieira da Silva e Emerson Ferreira entraram um em cada carro, com um decibelímetro novo, para conferir o nível de ruído. A medição foi feita na reta principal da pista do AIC, na parte de concreto.

No fim de cada bateria de testes, os pilotos retornavam com os carros aos boxes, os pneus eram cobertos e então os pilotos trocavam de carro, e todo o procedimento descrito nesse item 13, bem como as medições e avaliações eram feitos novamente. Todos os resultados do teste que

(10)

apresentamos aqui são, portanto, uma média entre duas medições/avaliações. Fizemos isso com o objetivo de diminuir a margem de erro do teste.

No fim da repetição dos testes, os pilotos retornavam aos boxes e registravam em uma planilha suas impressões e notas sobre: Estabilidade, Aderência e Tração.

Depois, já partiam para as outras duas avaliações, com outros dois carros e outras duas marcas de pneus. Paralelamente, novos sorteios foram feitos para saber quais seriam as próximas marcas a serem testadas.

17. O SORTEIO/MONTAGEM NOS CARROS

1° SORTEIO:

Marca: Goodride, montado no carro branco Marca: Constancy, montado no carro preto 1.

2° SORTEIO:

Marca: Michelin, montado no carro cinza. Marca: Linglong, montado no carro preto 2.

3° SORTEIO:

Marca: BF Goodrich, montado no carro branco. Marca: Continental, montado no carro preto 1.

4° SORTEIO

Marca: Bridgestone, montado no carro cinza. Marca: Goodyear, montado no carro preto 2.

5° SORTEIO

Marca: Dunlop, montado no carro branco. Marca: Hankook, montado no carro preto 1.

(11)

6° SORTEIO

Marca: Momo, montado no carro cinza. Marca: Pirelli, montado no carro branco.

7° NÃO REALIZAMOS O SÉTIMO SORTEIO, POIS SÓ HAVIA RESTADO UMA MARCA

Marca: Yokohama, montado no carro preto 2.

CURRÍCULO DOS PILOTOS

PILOTO: LUCCAS ARNONE

2008 – 3o LUGAR CAT. 206 LIGHT

2009 – CAMPEÃO COPA PEUGEOT CAT. 206 LIGHT 2011 – CAMPEÃO COPA PEUGEOT CAT. 207 MASTER 2011 – CAMPEÃO PAULISTA CAT. A6

2011 – VICECAMPEÃO SULAMERICANO CAT. A6 2011 – CAPACETE DE BRONZE

2012 – VICECAMPEÃO CAT. 207 SUPER

2012 – VICECAMPEÃO BRASILEIRO CAT. 4X2 SUPER 2012 – VICECAMPEÃO PAULISTA CAT. A6

2012 – CAPACETE DE OURO

2013 – CAMPEÃO PAULISTA CAT. A6

2013 – 3o LUGAR CAMPEONATO BRASILEIRO CAT. 4X2 SUPER 2014 – CAMPEÃO BRASILEIRO CAT. RC3 2014 – CAMPEÃO CATARINENSE CAT. RC3

2014 – VICECAMPEÃO PARANAENSE CAT. RC3 2014 – CAPACETE DE PRATA

PILOTO: SÉRGIO BUENO

(12)

2002 – CAMPEÃO COPA SONY ERICSSON DE KART – PR E SC

2002 – 3o LUGAR CAMPEONATO METROPOLITANO RD 135 – RACELAND

2002 – CAMPEÃO CAMPEONATO METROPOLITANO DE ENDURANCE – RACELAND

2003 – CAMPEÃO ENDURO INTERESTADUAL RACELANDO 8 HORAS 2003 – 500 MILHAS DE KART – GRANJA VIANA – SP

2004 – CAMPEONATO SHOW CARS RACING TEAM (MARCAS E PILOTOS) – AIC 2005 – CAMPEONATO SHOW CARS RACING TEAM (MARCAS E PILOTOS) – AIC 2007 – COPA TURISMO SHOW (MARCAS E PILOTOS) – AIC

2009 – COPA TURISMO SHOW (MARCAS E PILOTOS) – AIC 2012 – TREINOS COPA PEUGEOT CAT. 206 LIGHT – RALLY 2013 – TREINOS MOTOVELOCIDADE CAT. 1000CC – AIC

2014 – PILOTO INSTRUTOR TOP CARS DAY – DREAM ROUTE – AIC 2014 – 500 MILHAS DE KART – BETO CARRERO – SC

2015 – TREINO MONTANA STOCK CAR – AIC

Imagem

Referências

temas relacionados :