ASBAC Notícias. Memórias Asbaquianas Entrevista com Cláudio Banana. Crônica. Em nome da Ciência Por José Valério. O que acontece nos bastidores

16 

Texto

(1)

1 • ASBAC Notícias

Ano 2 - Número 04 - Setembro de 2015

ASBAC

Notícias

Em nome da Ciência

Por José Valério

Crônica

O que acontece

nos bastidores

Fique Sabendo

Aconteceu

Festa Junina e

Dia dos Pais

Entrevista com Cláudio Banana

Memórias

Asbaquianas

(2)

Posso

Ajudar?

Para maior comodidade e rapi-dez no atendimento, informa-mos que a Sede Administrativa da Asbac-RJ está com uma central PABX. Assim, basta ligar para os tel.: (21) 2189-5128 e (21) 2213-2680 e solicitar ao atendente que transfira para o setor desejado.

Sócio Cultural

sociocultural@asbacrj.com.br Contato: Márcia / Fernanda Consórcio e Seguros consorcioseguro@asbacrj. com.br Contato: Wagner

ASBAC

Notí-MAIORES INFORMAÇÕES: E-mail: sociocultural@asbacrj.com.br Tel.: (21) 2189-5128 (Setor Sócio Cultural)

ANUNCIE

AQUI!

A SEDE COMARY ESTA DE BRAÇOS ABERTOS

PARA RECEBER VOCÊ E SUA FAMÍLIA

VENHA APROVEITAR O AR

DA MONTANHA COM ESTILO

(3)

ASBAC Notícias - Ano 02 - Número 04 • 3

Revista ASBAC-RJ

Publicação oficial da Associação dos Servidores do Banco Central - RJ. DIRETORIA Diretor Presidente: Carlos Alberto Filardi Diretor Administrativo: Antonio da Costa Alves Diretor Social: Anselmo Duarte dos Santos Pereira Diretor de Patrimônio: Carlos José Pontes Villas Boas CONSElhO DE ADMINISTRAÇãO Presidente: José Bispo Nascimento Vice- Presidente: Carlos José Pontes Villas Boas CONSElhEIROS Carlos Alberto Filardi Dirceu Carmelo da Silva Rangel Ana Maria das Graças Santos Carvalhal SUPERVISãO DE PAUTA Rodrigo Moraes REDAÇãO Fernanda Almeida DIAGRAMAÇãO Zingue Comunicação COlABORADORES José Valério Silva Dr. Roberto Tschoepke Aires ASBAC-RJ Sede Administrativa Av.Presidente Vargas, 730- 11º andar Centro – Rio de Janeiro RJ – Cep: 20071-001 Tel.: (21) 2189-5128 www.asbacrj.com.br E-mail: secretaria@asbacrj.com.br SEDE ANDARAí Rua Barão de Mesquita, 872 Andaraí – Rio de Janeiro RJ – Cep: 20540-004 Tel.: (21) 3174-3576 / 2570-8449 E-mail: sedeandarai@asbacrj.com.br SEDE CAMPO Rua Júlio do Carmo, 83 Praça Onze – Rio de Janeiro RJ – Cep: 20211-160 Tel.: (21) 2504-3130 E-mail: sedecampo@asbacrj.com.br SEDE COMARy Rua Tobias Barreto, 380 Teresópolis – Comary Rio de Janeiro - Cep: 25958-455 Tel.: (21) 2642-1530 / 2642-2270 E-mail: sedecomary@asbacrj.com.br

EXPEDIENTE

EDITORIAL

SUMÁRIO

Eleições!

A ASBAC, mais uma vez, passará pelo processo democrático de eleger seus representantes para 2016/2018. Ao longo de sua já extensa trajetória acredito que este seja o triênio mais emblemático de sua história, pois comemoraremos o seu cinquentenário, enquanto que, paralelamente, na nossa Cidade Maravilhosa acontecerão as Olímpiadas. Devemos frisar que a responsabilidade dos novos dirigentes se torna maior, uma vez que a condução desses processos exigirá muito mais dedicação e empenho. É necessário, também, que os associados em condições de votar compareçam em grande número para dar respaldo ao mandato dos novos dirigentes. É importante, também, que novos associados se apresen-tem como candidatos, já conhecendo, antecipadamente, que o trabalho é voluntário e os desafios e agruras pelas quais passarão só terão como recompensa a satisfação pessoal e a sensação do dever cumprido. Esperamos uma grande participação, direta ou não, no processo eleitoral que se aproxima. Compareçam para manifestar a sua vontade!

Editorial ...3

Matéria de Capa ...4

Sua Saúde ...7

Fique Sabendo ...8

Crônica ... 10

Quebra-Cabeça ... 11

Aconteceu ... 13

Programação Cultural ... 13

Canal da Transparência ... 14

A SEDE COMARY ESTA DE BRAÇOS ABERTOS

PARA RECEBER VOCÊ E SUA FAMÍLIA

VENHA APROVEITAR O AR

DA MONTANHA COM ESTILO

INFORMAÇÕES NO SÓCIO CULTURAL

TEL.: (21) 2233-9568

Carlos Alberto Filardi

(4)

MATÉRIA DE CAPA

C

láudio José Paes de Oliveira, ex-servidor do Banco Central, admitido em 1967. Com os passar dos anos, foi membro do Conselho Nacional e diretor Sócio Cultural da ASBAC-Rio, estando sempre presente nos seus melhores e piores momentos. Há mais de 40 anos lutando pela nossa Associação, incentiva todos os funcionários a se filiarem ao nosso quadro social.

Cláudio Banana:

memórias asbaquianas

(5)

ASBAC Notícias - Ano 02 - Número 04 • 5

Como era a ASBAC quando você ingressou no

Banco Central?

A ASBAC mantinha forte ligação com o Banco Central, devido aos benefícios que recebia, tais como destinação de verba e liberação de

diretores em tempo integral. Daí advinha uma deformação porque algumas chefias do Banco agiam como se os dirigentes da Associa-ção fossem seus subordinados. Fato político marcante dessa conjuntura foi a realização de uma numerosa e expressiva assembléia de funcioná-rios, convocada para reivindicar a criação de um quadro de progres-são funcional. Como o Chefe de Ga-binete da Presidência do Banco era também o Presidente do Conse-lho de Administração da ASBAC, ele negou a cessão do auditório da Associação para o evento, e

somen-te após insomen-tensas discussões mudou de opinião. Em conversa recente com o Flavio Ramos, participante ativo daquele momento, ele considerou que aquele talvez tenha sido o primeiro dos nossos movimentos reivindicatórios.

Quais os setores do Banco em que trabalhou?

Trabalhei em diversos setores e me agradou muito o serviço na área de pessoal, em especial quando integrava o grupo de recepção e admissão dos novos concursados. Foi quando tive a primeira mis-são difícil pela ASBAC: informar aos futuros colegas que a filiação era obrigatória. Estávamos no período ditatorial e foi muito desgastante dizer isso a cada um dos que me coube atender, e ouvir os seus ques-tionamentos àquele absurdo. Em seguida trabalhei como coordenador dos cursos de ambientação dos “fraldinhas” da época, hoje aposentados.

Quais os fatos que você registra de sua

partici-pação na ASBAC?

No final de 1979 um grupo dos novos associa-dos, apoiado por muitos dos antigos, se candidatou e venceu com certa facilidade a eleição para a AS-BAC. A partir daí muitas mudanças ocorreram, sen-do a primeira bastante traumática. As festas de Natal eram realizadas no Canecão e aos ocupantes de altos cargos na hierarquia do Banco eram reservadas as

mesas mais bem localizadas para assistir aos shows, cabendo-lhes 60 a 80 delas. Quando os demais as-sociados chegavam para fazer suas reservas, o mapa das mesas, apelidado de aquário, já mostrava um grande bloqueio.

A “garotada”, como alguns cha-mavam os novos eleitos, não mante-ve as prioridades e ofereceu gratui-tamente os ingressos, fechando duas noites de shows com Roberto Carlos. Os primeiros associados que chega-ram para receber os seus ingressos, às 6 horas da manhã, encontraram o mapa inteiramente disponível para sua escolha. Como colaborador da di-retoria, eu estava presente para asse-gurar o cumprimento da sua decisão. Foi um sucesso com os associados e um desastre com a administração do Banco, que jogou pesado, tentando formas de desestabilizar a diretoria. Mas o tempo passou e a firmeza e a honestidade de propósitos triunfaram.

Esses fatos ocorreram na gestão do Sergio Luiz Martins Coelho (1980/82) e marcaram a ruptura com as posturas anteriores, iniciando a autonomia de ges-tão da Associação no Rio de Janeiro. Desde a entrada da turma nova já havia grande efervescência social com festas, excursões, torneios de futebol, festivais e apresentações de música.

“A tudo isso veio se

somar a construção

dos primeiros 18

apar-tamentos em Comary,

favorecendo o convívio

social dos funcionários

e suas famílias,

inclu-sive as crianças, que

passaram a ter um local

para os fins de semana,

a preços muito baixos.”

Cláudio Banana, Sérgio, Valério e Irapuan no local onde foram construídos os apartamentos em Comary

(6)

Quais melhorias foram fundamentais para o

crescimento da ASBAC?

A tudo isso veio se somar a construção dos primeiros 18 apartamentos em Comary, favorecendo o convívio social dos funcionários e suas famílias, in-clusive as crianças, que passaram a ter um local para os fins de semana, a preços muito baixos. Aos que ainda não conhecem a sede em Comary, sugiro um passeio ou um fim de semana; o local é muito bonito e aconchegante, além de ser próximo da famosa feirinha de Teresópolis. A inauguração do Campo Carlos Noronha Gomes da Silva (antigo campo do Clube Canadá) foi outro fator importante, que agra-dou a turma do futebol e possibilitou a realização de ótimas festas juninas.

Este ciclo de intensa participação do quadro so-cial foi mantido na gestão do Ronaldo José de Souza, período em que foi construída uma sede de lazer no Edifício Delamare - Av Presidente Vargas, 446, cuja obra gerenciada pelo associado José Vieira Assump-ção, assim como a da piscina de Comary. Vieira foi eleito para a administração seguinte e tocou outras duas obras: a construção de mais 12 apartamentos em Comary e o início da sede do Andaraí. Diversos outros associados participaram e colaboraram com essas três administrações, destacando-se, pela extensão de tempo que o fizeram, os associados

Jose Valério Pereira da Silva, Jose Claudio Mendes da Silva Pinho e Eladio da Costa Nery. Mais adian-te dois fatos relevanadian-tes ocorreram: o Banco retirou a verba que disponibilizava para a Associação, fato que gerou muitas dificuldades para as administra-ções seguintes, e nosso Presidente Nacional passou a ser eleito, posto que anteriormente era assumido por pessoa indicada pelo Banco.

Qual é a sua relação com a ASBAC nos dias atuais?

Embora com uma participação menos intensa, a ASBAC continua a ocupar um lugar muito especial na minha vida. Conviver com um grupo de pessoas sérias e comprometidas com as questões coletivas foi muito gratificante e permitiu a concretização de diversos projetos aos quais nos dedicamos. O trabalho rea-lizado criou um relacionamento de confiança em grande parte do quadro social, e não temo em afir-mar que este ambiente colaborou para a unidade do funcionalismo do Rio de Janeiro em torno do SINAL. Inegavelmente, as mudanças nos hábitos e preferências sociais repercutiram na vida da ASBAC, mas as pessoas continuam gostando da convi-vência com familiares e amigos. E por isso, o conjunto de atividades que a ASBAC oferece pode proporcio-nar muitos momentos de alegria e descontração aos seus associados.

(7)

ASBAC Notícias - Ano 02 - Número 04 • 7

SUA SAÚDE

(21) 2288-5090

(21) 2570-4072

Rua Maxwell, nº 349, Loja B - Andaraí - Rio de Janeiro - RJ contato@wefengenharia.com.br

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

BAZAR

ENGENHARIA

Reformas com segurança

eficiência e qualidade.

Rinite Alergica: O perigo está em casa.

Se você é daqueles que acorda com uma sal-va de espirros, e durante o dia apresenta sintomas tais como nariz entupido e coçando, além de coriza, atenção; você pode ter RINITE ALÉRGICA.

Considerada uma doença inflamatória crônica da mucosa nasal, a rinite alérgica chega a acometer 50 milhões de brasileiros. Agentes ambientais, tais como poeira domiciliar, fungos, pólen e epitélio de animais podem, ao serem inalados, provocar uma reação imunológica local e desencadear os sinto-mas. Sabendo disso, o alérgico é estimulado antes até de iniciar o tratamento medicamentoso, a fazer o que chamamos de “controle do ambiente”. Esse “controle” nada mais é do que evitar o contato com esses agentes, principalmente em casa. Qual alérgi-co nunca foi orientado a manter sua residência are-jada, sem tapetes, sem cortinas, sem bichinhos de pelúcia e usar sempre aspirador de pó? Essas são condutas que visam diminuir a concentração de áca-ros, inimigo número um dos alérgicos, na poeira domiciliar. O ácaro é um aracnídeo microscópico que

se alimenta de pele humana e de animais que des-camam naturalmente. Seus excrementos possuem enzimas que desencadeiam a crise de rinite quando inalados por pessoas sensíveis (alérgicas). O tra-vesseiro e colchão são os maiores reservatórios de ácaros de uma residência, podendo abrigar até 3.900 ácaros por grama de poeira recolhida desses locais, daí a importância de usar uma capa antialér-gica e lavá-la a cada 15 dias.

Embora negligenciada por muitos pais, a rinite alérgica pode causar prejuízo na qualidade de vida de muitas crianças. Dormir mal, sentir-se cansado, desânimo, rendimento escolar insatisfatório, podem fazer parte do dia-a-dia do alérgico. O não tratamen-to pode causar complicações como otites, sinusite e piora da asma.

O tratamento com anti-histamínicos (antialér-gicos) e corticoides nasais são bastante eficazes no controle dos sintomas e a imunoterapia prescrita pelo alergista, pode mudar a história natural da doença.

(8)

Reformas na Sede Campo

Finalizadas

As obras que estavam sendo realizadas na Sede Campo já foram concluídas; portanto, estamos com novos vestiários, sauna, banheiros e instalações elétricas e hidráulicas reformadas. Esperamos ter agradado a todos os associados e contamos com a sua participação.

(9)

ASBAC Notícias - Ano 02 - Número 04 • 9

ANUNCIE AQUI!

Tel.: (21) 2189-5128

Sócio Cultural

Curta a fanpage ASBAC RJ

no Facebook!

RIO DE JANEIRO

(10)

Filhinhos, eu escrevi a vocês

porque conhecem o Pai.

Pais, eu escrevi a vocês

porque conhecem

aquele que é desde o princípio.

Jovens, eu escrevi a vocês,

porque são fortes,

e em vocês a Palavra de Deus permanece,

e vocês venceram o Maligno.

D Z I

A J V U W M A J L O P I

A B Y W S R Z B N Q Ç

D E U S F S T G B E C S T Y K E S C R E V I

K Ç M A

J U K B I

E O H L S O A U R C G H U E A L E O P F N

T O K E R Y K A M U M A K B C I

X A Ç E T G H A I

V

A U T V R A Q U E L E V O I

Y F A Q T V V I

U M X A

E Y B H U V C N U R O C K W T U V Y E C Y Y W V E P

G Y C T X Y H A Y N O B T P Q B H A T G I

M I

C A V

U J W H I

J I

V E N K I

C E W T X Ç E I

V A T C U Z

B U W V H N C T U F I

L H I

N H O S U Z I

C C I

M X

E I

M J S K I

S X H E B Ç C U Ç G U T F J A V A Q Ç

X I

V O Q L B Ç Ã E U V R I

W L C Y S E P Z E K O Ç

A S B T X I

O F E L H N B Y F O K A M I

G X M S A V

X A K R C O G I

T V O H L X P A L E N I

A Ç E L O N

C A O M A L I

G N O C A L B R X V A Q M O P A U R I

C I

N T X U N N B R U N I

R I

A L C C A Ç O V X V O

M O L U J I

C E T U M P A P N A V L Q I

U S O U B B

G I

H I

V X Y M Ç T E L H I

C F O R J V C C A R I

D

S A L U F P A U N I

C R F C I

S U L I

A T C M K E I

X A I

U T A J A C E R O L U P I

B R P E A D I

H E R

H U W M A M O M A A R M S A I

V T V I

R G Ç F A C R

A B N M R R V S Y W X L X I

O T T A V A C O Z K X T

S E I

C Y C E R I

N L D A D E A F A R T O B U S K H

H Y P P O L N M J E R M A V A B L I

T U J A I

R K A

N A Y P R C S X A A M H O W R A R A V P W I

O S C L

O

J

A

R

W

Q

O

A

T

R

E

A

U

M

L

R

A

X A K R C O G I

T V O H L X P A L E N I

A Ç E L O N

C A O M G I

F V E O C A L B R X V A Q M O I

A U R I

C I

N T X U N N B R U N I

R O A L C C A Ç O V X V O

M O L U J I

C E T U M P A P R A V L Q I

U S O U B B

U

M

L

R

Q

A

O

A

A

S

Z

Ninguém sabia como. Mas o fato é que, quando o dia amanheceu, a gigantesca nave espacial estava pou-sada no meio da plantação de trigo, a menos de dez quilômetros da capital do País. Houve pânico, é claro, mas as autoridades procuraram acalmar a população, informando que, apesar de alienígena, a nave não representava nenhum perigo. Vinha em missão de paz e já teria comunicado isso ao governo. Mas mui-tos ficaram desconfiados, ao saberem que dois cães haviam morrido carbonizados ao tentar se aproximar dela.

Uma semana depois os E.Ts. explicaram o motivo pelo qual vieram ao nosso planeta: Segundo eles, as doenças que acometiam os terráqueos, algumas delas consideradas incuráveis, poderiam perfeitamente ser tratadas, com a utilização da biotecnologia que eles possuíam, e que colocariam a nossa disposição. Em contrapartida, levariam para seu planeta alguns miné-rios e plantas de que necessitavam.

A esperança de que doenças terríveis como o câncer, aids, diabetes, e muitas outras, pudessem estar próximas de uma cura, fizeram a população exultar e apoiar a permuta sugerida pelos alienígenas.

Os dias foram passando e uma coisa terrível deixou a todos alarmados: pessoas começaram a desaparecer. Homens, mulheres, idosos e crianças, de diferentes lugares, sumiam misteriosamente. O governo teve que admitir que os E.Ts. Eram os responsáveis.

Inquiridos pelas autoridades, eles explicaram que esses humanos estavam sendo usados como cobaias, procedimento fundamental e imprescindível para o desenvolvimento dos medicamentos tão ansiados pela população. Alegaram que muitos laboratórios daqui da Terra já fazem esses experimentos com terráqueos de menor importância, como cães, macacos, ratos e ou-tros. Mas que no caso específico, era necessário o uso de humanos.

O País ficou em polvorosa, mas ninguém queria enfrentar os alienígenas. Alguma decisão precisava ser tomada.

O Congresso estava dividido: O Partido Realista, com muitos representantes da indústria farmacêutica, concordava com as experiências em prol do progresso

da ciência, e afirmava que os fins tão desejados por todos, justificavam os meios não muito éticos.

O Partido Humanista, alegando motivos “morais e religiosos”, não admitia que pessoas fossem usadas como cobaias, somente animais.

Já o minúsculo Partido Protetor da Vida, fez ver a todos que as atrocidades cometidas pelos humanos contra animais irracionais indefesos, feitas em nome da ciência, e aceitas pela maioria dos “racio-nais”, serviram de justificativa para que os E.Ts. usas-sem humanos em suas experiências. Propunham o ba-nimento completo de toda e qualquer utilização de seres vivos como cobaias.

Após uma votação tensa e acirrada, o Congresso decidiu que somente animais poderiam ser usados em experiências científicas.

Com esse argumento, o governo comunicou aos alienígenas sua decisão de anular os acordos anteriores.

Alguns dias depois, todas as rádios e emissoras de T.V. transmitiram ao vivo uma curta declaração vinda da nave espacial. Diziam os E.Ts.: “ Estamos dando por encerrada nossa missão nesse estranho planeta. Não conseguimos entender porque alguns terráqueos, chamados animais, possam ser usados como cobaias; enquanto outros, que seriam os reais beneficiados, não possam. Se for por compaixão, acreditamos que os seres mais indefesos também a merecem. Portan-to, e baseados na lógica vigente neste planeta, de que os mais fortes podem impor sua vontade aos mais fra-cos, resolvemos nos apropriar de todos os minérios e plantas de que necessitamos, apesar de não termos produzido nenhum medicamento”.

Em seguida partiram, levando nossas riquezas e nos deixando com as doenças físicas e morais da espécie humana.

N.A. – Essa é a minha homenagem a todos os que lutam contra as torturas que sofrem animais indefesos, em verdadeiros infernos chamados de “laboratórios”.

Em Nome Da Ciência

por José Valério Silva

(11)

ASBAC Notícias - Ano 02 - Número 04 • 11

Filhinhos, eu escrevi a vocês

porque conhecem o Pai.

Pais, eu escrevi a vocês

porque conhecem

aquele que é desde o princípio.

Jovens, eu escrevi a vocês,

porque são fortes,

e em vocês a Palavra de Deus permanece,

e vocês venceram o Maligno.

D Z I

A J V U W M A J L O P I

A B Y W S R Z B N Q Ç

D E U S F S T G B E C S T Y K E S C R E V I

K Ç M A

J U K B I

E O H L S O A U R C G H U E A L E O P F N

T O K E R Y K A M U M A K B C I

X A Ç E T G H A I

V

A U T V R A Q U E L E V O I

Y F A Q T V V I

U M X A

E Y B H U V C N U R O C K W T U V Y E C Y Y W V E P

G Y C T X Y H A Y N O B T P Q B H A T G I

M I

C A V

U J W H I

J I

V E N K I

C E W T X Ç E I

V A T C U Z

B U W V H N C T U F I

L H I

N H O S U Z I

C C I

M X

E I

M J S K I

S X H E B Ç C U Ç G U T F J A V A Q Ç

X I

V O Q L B Ç Ã E U V R I

W L C Y S E P Z E K O Ç

A S B T X I

O F E L H N B Y F O K A M I

G X M S A V

X A K R C O G I

T V O H L X P A L E N I

A Ç E L O N

C A O M A L I

G N O C A L B R X V A Q M O P A U R I

C I

N T X U N N B R U N I

R I

A L C C A Ç O V X V O

M O L U J I

C E T U M P A P N A V L Q I

U S O U B B

G I

H I

V X Y M Ç T E L H I

C F O R J V C C A R I

D

S A L U F P A U N I

C R F C I

S U L I

A T C M K E I

X A I

U T A J A C E R O L U P I

B R P E A D I

H E R

H U W M A M O M A A R M S A I

V T V I

R G Ç F A C R

A B N M R R V S Y W X L X I

O T T A V A C O Z K X T

S E I

C Y C E R I

N L D A D E A F A R T O B U S K H

H Y P P O L N M J E R M A V A B L I

T U J A I

R K A

N A Y P R C S X A A M H O W R A R A V P W I

O S C L

O

J

A

R

W

Q

O

A

T

R

E

A

U

M

L

R

A

X A K R C O G I

T V O H L X P A L E N I

A Ç E L O N

C A O M G I

F V E O C A L B R X V A Q M O I

A U R I

C I

N T X U N N B R U N I

R O A L C C A Ç O V X V O

M O L U J I

C E T U M P A P R A V L Q I

U S O U B B

U

M

L

R

Q

A

O

A

A

S

Z

QUEBRA-CABEÇA

(12)

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DO BANCO CENTRAL

ASBAC/Rio de Janeiro CNPJ nº 02.321.793/0001-76

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA

ELEIÇÕES GERAIS

Fica convocada a Assembleia Geral Ordinária dos sócios efetivos com direito a voto, para deliberarem sobre a seguinte Ordem do Dia: I) Eleição dos membros do Conselho de Administração e Conselho Fiscal para o triênio 2016/2018.

A Assembleia será instalada no dia 20 de outubro de 2015 em 1ª convocação e, no dia 21 de outubro de 2015, em 2ª convocação, caso necessário, a partir das 10:00 horas até as 18:00 horas, no saguão dos elevadores, nas dependências do Banco Central do Brasil no Rio de Janeiro - Avenida Presidente Vargas, nº 730 e no salão do prédio do Meio Circulante, localizado à Avenida Rio Branco, 30. Caso necessário II turno, a Assembleia será instalada dias 29 e 30 de outubro de 2015, em primeira e segunda convocação, respectivamente.

O processo eleitoral se regerá pelos dispositivos estatutários, regimento interno e regulamento próprio, disponíveis aos interessados na secretaria administrativa da Asbac, a partir de 03/08/2015, até 11/09/2015, das 09 às 12h30m e das 13h30m às 17h, quando se encerram as inscrições de candidaturas.

Rio de Janeiro, 27 de julho de 2015.

José Bispo Nascimento

(13)

ASBAC Notícias - Ano 02 - Número 04 • 13

Festa Junina da Sede Andaraí

Queijos e Vinhos

Dia dos Pais na ASBAC RJ

PROGRAMAÇÃO CULTURAL

ACONTECEU

A festa Junina do Andaraí ocorreu no dia 11 de julho e contou com mais de 1500 pessoas que participaram com muita alegria e descontração. O evento teve boa música, belíssima decoração, comidas e bebidas típicas e, claro, não podia fal-tar a nossa tradicional quadrilha. As crianças se divertiram muito com as típicas brincadeiras e um maravilhoso casamento caipira.

Na noite do dia 15 de agosto, já marcado pelo frio serrano, ocorreu a nossa tradicional Festa de Queijos e vinhos que reuniu muitos as-sociados, seus familiares e visitantes. O evento foi maravilhoso, propiciando a integração en-tre todos os presentes. Além disso, contou com uma belíssima decoração e todos dançaram ao som de DJ.

A arte da ‘Degustação de Vinhos e Queijos estão entre os saudáveis alicerces do Amor e da Alegria de Viver’.

No dia 8 de Julho, na Sede Andaraí, contamos com a presença de pais associados e seus familiares para comemorarmos o dia dos pais com um espetacular grupo de pagode. Foi uma tarde agradabilíssima com sorteio de brindes e muito bate papo.

Já, no dia 06 de agosto, em nossa Sede Administra-tiva, comemorou-se em grande estilo o Dia dos Pais com um maravilhoso coffe break, sorteio de brindes para os pais associados e muita música. Agradecemos a presença de todos e contamos com a participação dos mesmos nos próximos eventos.

4

Sede Andaraí

Festa Dia das Crianças 03/10/2015 (10:00 às 15:00) Hallowen 31/10/2015 (19:00 às 23:00)

4

Sede Comary

Reveillon 31/12/2015

4

ASBAC/SINAL

Confraternização de Final de Ano 17/12/2015 (19:30 às 00:30)

(14)

CANAL DA TRANSPARÊNCIA

ATIVO PASSIVO

CIRCULANTE 669.521,70 CIRCULANTE 497.076,75

Disponível 564.565,69 Obrig. trabalhistas 478.361,75 Caixa 12.936,33 Obrig. Trabalhistas e enc. 447.824,02 Banco Conta Movimento 80.313,99 Provisões Prev. e Judiciárias 30.537,73

Aplicações Financeiras 471.313,37 -

-Realizável 104.956,01 Contas a Pagar 18.715,00 Valores a Receber 104.956,01 Fornecedores 8.679,87

- - Empréstimos 10.035,13

NÃO CIRCULANTE 454.268,20 PATRIMÔNIO SOCIAL 626.713,15 Imobilizado 454.268,20 Patrimônio Social 432.576,31 Equipamentos e Inst. 128.571,56 Superavit Acumulados 265.746,33 Outras Imobilizações 325.696,64 Déficit do Exercício (71.609,49) TOTAL DO ATIVO 1.123.789,90 TOTAL DO PASSIVO 1.123.789,90

RECEITAS OPERACIONAIS 2.063.682,87

Revendas de Mercadorias 268.498,39

Contribuições Sociais 913.951,43

Taxas de Serviços 46.112,00

Aluguéis 479.228,34

Arrend. Repasses e Convênios 92.100,59

Outras Receitas 230.017,78

Receitas Financeiras 33.774,34

DESPESAS OPERACIONAIS 2.135.292,36

Despesas com Pessoal 1.028.488,75

Custos com Revendas 182.474,63

Despesas Administrativas 875.478,90

Serviços e Encargos - Pessoa Física 32.557,73

Despesas Financeiras 16.292,35

SUPERAVIT DO PERÍODO 71.609,49

Balancete sintético em 30 de junho de 2015

(15)

ASBAC Notícias - Ano 02 - Número 04 • 15

A ASBAC Rio de Janeiro e o SINAL têm a satisfação de convidar você para participar do

evento de confraternização de Fim de Ano.

Será uma festa incrível e um momento para compartilhar muita alegria com nossos

asso-ciados, familiares e convidados.

Venha comemorar com a gente!

COMPARTILHE SUA ALEGRIA COM A GENTE

COMPARTILHE SUA ALEGRIA COM A GENTE

QUEREMOS COMEMORAR COM VOCÊ!

RIO DE JANEIRO

Realização:

17 DE DEZEMBRO DE 2015

CLUBE MONTE LÍBANO (SALÃO NOBRE)

AV. BORGES DE MEDEIROS, 701 LEBLON • RJ

De 19:30 às 00:30

Patrocínio:

(16)

Imagem

Referências

temas relacionados :