• Nenhum resultado encontrado

ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO"

Copied!
7
0
0

Texto

(1)

ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO

SACRAMENTO –

C O M I S S Ã O F A B R I Q U E I R A

«Enquanto comiam, Jesus tomou o pão e, depois de pronunciar a bênção, partiu-o e deu-o aos seus discípulos, dizendo: «Tomai, comei:

Isto é o meu corpo.» (Mt 26, 26)

ORAÇÕES INICIAIS

• Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

R: Amén.

Cântico: Meu Deus eu creio, adoro espero e Vos amo; peço-Vos perdão para os que não crêem,

não adoram, não esperam e não Vos amam. (3 vezes) • Graças e louvores se dêem a todo o momento.

R: Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento. (3 vezes).

• Bendito e louvado seja o Santíssimo Sacramento da Eucaristia.

R: Fruto do ventre sagrado da Virgem Puríssima Santa Maria.

• Deus, vinde em nosso auxílio.

R: Senhor, socorrei-nos e salvai-nos.

• Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o Preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que ele mesmo é ofendido. E, pelos méritos infinitos do Seu santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-vos a conversão dos pobres pecadores.

• Jesus manso e humilde de coração.

R: Fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

• Creio, meu Deus, que estou diante de Vós, que me olhais e escutais as minhas orações. Vós sois todo-poderoso e todo santo: eu Vos adoro! Vós me destes tudo: eu Vos agradeço! Vós fostes gravemente ofendido por mim: de todo o coração Vos peço perdão! Vós sois todo misericordioso: Eu Vos peço todas as graças que sabeis que me são úteis.

(Momento de silêncio)

INTRODUÇÃO

(Sr. Padre):

Palavras de Bento XVI: Levando no seio Jesus acabado de conceber, Maria dirige-se à

casa de sua idosa prima Isabel, a quem todos consideravam estéril, mas que apesar disso tinha chegado ao sexto mês de uma gravidez concedida por Deus (cf. Lc 1, 36) É uma jovem, mas não tem medo, pois Deus está com ela, dentro dela. De certo modo, podemos dizer que a sua viagem foi (…) a primeira «procissão eucarística» da história. Sacrário vivo do Deus feito carne, Maria é a Arca da Aliança, na qual o Senhor visitou e redimiu o seu povo. A presença de Jesus enche-a de Espírito Santo. Ao entrar na casa de Isabel, a sua saudação é transbordante de graça: João salta no ventre de sua mãe, como que advertindo

(2)

a vinda d’Aquele que haveria mais tarde de anunciar a Israel. Exultam os filhos e exultam as mães. Este encontro saturado da alegria do Espírito encontra a sua expressão no cântico do Magnificat. Não é também esta aliás, a alegria da Igreja, a alegria de incessantemente acolher a Cristo na sagrada Eucaristia e de O levar ao mundo, acompanhando tudo isso do testemunho das obras de caridade, um testemunho das obras de caridade, um testemunho todo ele permeado de fé e de esperança? Sim, acolher a Cristo e levá-lo aos outros é a verdadeira alegria do cristão! Caros irmãos e irmãs, sigamos e imitemos Maria, uma alma profundamente eucarística, e toda a nossa vida há-de converter-se num Magnificat (cf. Ecclesia de Eucharistia, 58)». (Bento XVI, Discurso de 31-05-2005).

SALMO

(em coros alternados):

Saboreai e vede como o Senhor é bom!

A toda a hora bendirei o Senhor.

O seu louvor está sempre na minha boca A minha alma gloria-se no Senhor: Ouçam e alegrem-se os humildes Enaltecei comigo ao Senhor

E exaltemos juntos o seu nome

Procurei o Senhor e Ele atendeu-me, Libertou-me de toda a ansiedade. Voltai-vos para Ele e ficareis radiante, O vosso rosto não se cobrirá de vergonha:

Este pobre clamou e o Senhor o ouviu, Salvou-o de todas as suas angústias.

TERÇO (Mistérios Luminosos):

1º Mistério. Jesus é baptizado no Rio Jordão.

13

Então, veio Jesus da Galileia ao Jordão ter com João, para ser baptizado por ele.14João opunha-se, dizendo: «Eu é que tenho necessidade de ser baptizado por ti, e Tu vens a mim?»

15*

Jesus, porém, respondeu-lhe: «Deixa por agora. Convém que cumpramos assim toda a justiça.» João, então, concordou. 16*Uma vez baptizado, Jesus saiu da água e eis que se rasgaram os céus, e viu o Espírito de Deus descer como uma pomba e vir sobre Ele. 17*E uma voz vinda do Céu dizia: «Este é o meu Filho muito amado, no qual pus todo o meu agrado.» (Mt 3, 13-17)

(1 P.N. – 10 A.M. – 1 Glória – Jaculatórias)

Pai, eu Te adoro 1 Pai, eu Te adoro.

Te ofereço a minha vida. Como eu Te amo.

2 Jesus Cristo, eu Te adoro. Te ofereço a minha vida.

Como eu Te amo. 3 Espírito Santo, eu Te adoro.

Te ofereço a minha vida. Como eu Te amo.

4 Trindade Santa, eu Te adoro. Te ofereço a minha vida.

(3)

2º Mistério. Jesus revela-se nas Bodas de Caná.

1*Ao terceiro dia, celebrava-se uma boda em Caná da Galileia e a mãe de Jesus estava lá.

2Jesus e os seus discípulos também foram convidados para a boda. 3Como viesse a faltar o

vinho, a mãe de Jesus disse-lhe: «Não têm vinho!» 4*Jesus respondeu-lhe: «Mulher, que tem isso a ver contigo e comigo? Ainda não chegou a minha hora.» 5*Sua mãe disse aos serventes: «Fazei o que Ele vos disser!» 6*Ora, havia ali seis vasilhas de pedra preparadas para os ritos de purificação dos judeus, com capacidade de duas ou três medidas cada uma. 7Disse-lhes Jesus: «Enchei as vasilhas de água.» 8Eles encheram-nas até cima. Então ordenou-lhes: «Tirai agora e levai ao chefe de mesa.» 9E eles assim fizeram. O chefe de mesa provou a água transformada em vinho, sem saber de onde era - se bem que o soubessem os serventes que tinham tirado a água; chamou o noivo 10*e disse-lhe: «Toda a gente serve primeiro o vinho melhor e, depois de terem bebido bem, é que serve o pior. Tu, porém, guardaste o melhor vinho até agora!» 11*Assim, em Caná da Galileia, Jesus realizou o primeiro dos seus sinais miraculosos, com o qual manifestou a sua glória, e os discípulos creram nele. 12Depois disto, desceu a Cafarnaúm com sua mãe, os irmãos e os seus discípulos, e ficaram ali apenas alguns dias.» (Jo 2, 1-12).

(1 P.N. – 10 A.M. – 1 Glória – Jaculatórias)

Quero ser como Tu 1 Quero ser como Tu…

2 Quero servir Jesus… 3 Quero aprender a amar,....

4 Quero dizer meu sim... 5 Quero-me consagrar... 6 Quero ser como Tu...

Como Tu, Maria, Como Tu, um dia,

Como Tu, Maria.

3º Mistério. Jesus anuncia o Reino de Deus e convida à conversão.

13Depois, abandonando Nazaré, foi habitar em Cafarnaúm, cidade situada à beira-mar, na

região de Zabulão e Neftali, 14para que se cumprisse o que o profeta Isaías anunciara:

15*Terra de Zabulão e Neftali,

caminho do mar,

região de além do Jordão, Galileia dos gentios. 16

O povo que jazia nas trevas viu uma grande luz;

e aos que jaziam na sombria região da morte surgiu uma luz.

17*A partir desse momento, Jesus começou a pregar, dizendo: «Convertei-vos, porque está

próximo o Reino do Céu.» (Mt 4, 13-17)

(1 P.N. – 10 A.M. – 1 Glória – Jaculatórias)

Tu, que nas margens do lago

1 Tu, que nas margens do lago não buscaste nem sábios nem ricos Mas só quiseste que eu Te seguisse:

Senhor Tu fixaste meus olhos ternamente meu nome disseste Nesse lago eu deixei minha barca pois

em Ti encontrei outro mar.

2 Tu sabes bem o que eu tenho Em meu barco: nem ouro, nem

armas,

Somente as redes e meu trabalho. 3 Tu minhas mãos requisitas:

meu trabalho, que a outros descanse; minha amizade, que ao mundo abrace.

4 Tu, pescador de outros lagos, Ânsia eterna dos homens que

esperam,

(4)

4º Mistério. Jesus transfigura-se no Monte Tabor.

2*Seis dias depois, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João e levou-os, só a eles, a um monte

elevado. E transfigurou-se diante deles. 3As suas vestes tornaram-se resplandecentes, de tal brancura que lavadeira alguma da terra as poderia branquear assim. 4Apareceu-lhes Elias, juntamente com Moisés, e ambos falavam com Ele. 5*Tomando a palavra, Pedro disse a Jesus: «Mestre, bom é estarmos aqui; façamos três tendas: uma para ti, uma para Moisés e uma para Elias.» 6Não sabia que dizer, pois estavam assombrados. 7*Formou-se, então, uma nuvem que os cobriu com a sua sombra, e da nuvem fez-se ouvir uma voz: «Este é o meu Filho muito amado. Escutai-o.» 8De repente, olhando em redor, já não viram ninguém, a não ser só Jesus, com eles. 9Ao descerem do monte, ordenou-lhes que a ninguém contassem o que tinham visto, senão depois de o Filho do Homem ter ressuscitado dos mortos. (Mc 9, 2-9)

(1 P.N. – 10 A.M. – 1 Glória – Jaculatórias)

Seduziste-me Senhor

Seduziste-me, Senhor, e eu deixei-me seduzir,

Numa luta desigual, dominaste-me, Senhor, e foi Tua a vitória.

1 Vantagens e honras são perdas para mim Diante do conhecimento deste bem supremo

Que é Cristo meu Senhor.

5º Mistério. Jesus institui a Eucaristia.

26Enquanto comiam, Jesus tomou o pão e, depois de pronunciar a bênção, partiu-o e deu-o

aos seus discípulos, dizendo: «Tomai, comei: Isto é o meu corpo.»

27*Em seguida, tomou um cálice, deu graças e entregou-lho, dizendo: «Bebei dele todos.

28*Porque este é o meu sangue, sangue da Aliança, que vai ser derramado por muitos, para

perdão dos pecados. 29*Eu vos digo: Não beberei mais deste produto da videira, até ao dia

em que beber o vinho novo convosco no Reino de meu Pai.» (Mt 26, 26-29).

(1 P.N. – 10 A.M. – 1 Glória – Jaculatórias)

Grande, grande é o Amor

Grande, grande é o amor Que por nós tem o Senhor. Grande, grande é o amor…

1 …de Jesus sobre a cruz…

2 …de Jesus no altar… 3 …de Jesus nosso

irmão…

…Grande como o oceano, fundo como o mar, alto como o azul do céu, assim é o

amor.

3 Avé-Maria Salve-Rainha

Consagração a Nossa Senhora

REFLEXÕES

Reflexão 1: A Igreja vive da Eucaristia. Esta verdade não exprime apenas uma experiência

diária de fé, mas contém em síntese o próprio núcleo do mistério da Igreja. É com alegria que ela experimenta, de diversas maneiras, a realização incessante desta promessa: « Eu

(5)

estarei sempre convosco, até ao fim do mundo» (Mt 28, 20); mas, na sagrada Eucaristia, pela conversão do pão e do vinho no corpo e no sangue do Senhor, goza desta presença com uma intensidade sem par. Desde o Pentecostes, quando a Igreja, povo da nova aliança, iniciou a sua peregrinação para a pátria celeste, este sacramento divino foi ritmando os seus dias, enchendo-os de consoladora esperança. O Concílio Vaticano II justamente afirmou que o sacrifício eucarístico é « fonte e centro de toda a vida cristã ». Com efeito, «na santíssima Eucaristia, está contido todo o tesouro espiritual da Igreja, isto é, o próprio Cristo, a nossa Páscoa e o pão vivo que dá aos homens a vida mediante a sua carne vivificada e vivificadora pelo Espírito Santo ». Por isso, o olhar da Igreja volta-se continuamente para o seu Senhor, presente no sacramento do Altar, onde descobre a plena manifestação do seu imenso amor. (Carta Encíclica Ecclesia de Eucharistia).

(Momento de silêncio para reflectir)

Reflexão 2: «O culto prestado à Eucaristia fora da Missa é de um valor inestimável na vida

da Igreja, e está ligado intimamente com a celebração do sacrifício eucarístico. A presença de Cristo nas hóstias consagradas que se conservam após a Missa – presença essa que perdura enquanto subsistirem as espécies do pão do vinho – resulta da celebração da Eucaristia e destina-se à comunhão, sacramental e espiritual. Compete aos Pastores, inclusive pelo testemunho pessoal, estimular o culto eucarístico, de modo particular as exposições do Santíssimo Sacramento e também as visitas de adoração a Cristo presente sob as espécies eucarísticas. É bom demorar-se com Ele e, inclinado sobre o seu peito como o discípulo predilecto (cf. Jo 13, 25), deixar-se tocar pelo amor infinito do seu coração. Se actualmente o cristianismo se deve caracterizar sobretudo pela « arte da oração », como não sentir de novo a necessidade de permanecer longamente, em diálogo espiritual, adoração silenciosa, atitude de amor, diante de Cristo presente no Santíssimo Sacramento? Quantas vezes, meus queridos irmãos e irmãs, fiz esta experiência, recebendo dela força, consolação, apoio! (…) A Eucaristia é um tesouro inestimável: não só a sua celebração, mas também o permanecer diante dela fora da Missa permite-nos beber na própria fonte da graça. Uma comunidade cristã que queira contemplar melhor o rosto de Cristo, segundo o espírito que sugeri nas cartas apostólicas Novo millennio ineunte e

Rosarium Virginis Mariæ, não pode deixar de desenvolver também este aspecto do culto

eucarístico, no qual perduram e se multiplicam os frutos da comunhão do corpo e sangue do Senhor. (Carta Encíclica Ecclesia de Eucharistia).

(Momento de silêncio para reflectir)

Reflexão 3: «O Senhor Jesus, na noite em que foi entregue» (1 Cor 11, 23), instituiu o

sacrifício eucarístico do seu corpo e sangue. As palavras do apóstolo Paulo recordam-nos as circunstâncias dramáticas em que nasceu a Eucaristia. Esta tem indelevelmente inscrito nela o evento da paixão e morte do Senhor. Não é só a sua evocação, mas presença sacramental. É o sacrifício da cruz que se perpetua através dos séculos. Esta verdade está claramente expressa nas palavras com que o povo, no rito latino, responde à proclamação « mistério da fé » feita pelo sacerdote: « Anunciamos, Senhor, a vossa morte ». A Igreja recebeu a Eucaristia de Cristo seu Senhor, não como um dom, embora precioso, entre muitos outros, mas como o dom por excelência, porque dom d'Ele mesmo, da sua Pessoa na humanidade sagrada, e também da sua obra de salvação. (…) Quando a Igreja celebra a Eucaristia, memorial da morte e ressurreição do seu Senhor, este acontecimento central de salvação torna-se realmente presente e «realiza-se também a obra da nossa redenção ». (…) Esta é a fé que as gerações cristãs viveram ao longo dos séculos, e que o magistério da Igreja tem continuamente reafirmado com jubilosa gratidão por dom tão inestimável. É esta verdade que desejo recordar mais uma vez, colocando-me convosco, meus queridos irmãos e irmãs, em adoração diante deste Mistério: mistério grande, mistério de misericórdia. Que mais poderia Jesus ter feito por nós? Verdadeiramente, na Eucaristia demonstra-nos um amor levado até ao «extremo» (cf. Jo 13, 1), um amor sem medida. (Carta Encíclica Ecclesia de Eucharistia).

(6)

(ORAÇÃO PESSOAL)

Segura na Mão de Deus e vai 1 Se as águas do mar da vida

quiserem te afogar, Segura na mão de Deus e vai.

Se as tristezas desta vida quiserem te sufocar, Segura na mão de Deus e vai.

Segura na mão de Deus, Segura na mão de Deus, Pois ela, ela te sustentará.

Não temas, segue adiante E não olhes para trás, Segura na mão de Deus e vai.

2 Se a jornada é pesada e te cansas da caminhada, Segura na mão de Deus e vai.

Orando, jejuando, confiando e confessando, Segura na mão de Deus e vai.

PRECES

• Irmãs e irmãos: Todos nós, que temos por alimento espiritual o mesmo pão descido do Céu, imploremos, numa só voz, o Senhor Jesus Cristo, dizendo:

• R. Cristo, ouvi-nos. Cristo, atendei-nos.

1. Pelos fiéis e pelos ministros que os servem, para que, ao celebrarem a Eucaristia, aprendam a oferecer-se a si mesmos, oremos, irmãos.

2. Pela justiça e paz em todo o mundo, para que os cristãos, fortalecidos pela Eucaristia, trabalhem pela concórdia entre os homens, oremos, irmãos.

3. Pelas necessidades de todos os homens, para que Jesus lhes dê remédio com a sua misericórdia, e os mais infelizes encontrem quem os acolha com amizade, oremos, irmãos. 4. Pelos pobres e aflitos e pelos que sofrem, para que encontrem junto de si quem os console e os faça participar dos seus próprios bens, oremos, irmãos.

5. Pelo eterno descanso dos nossos defuntos, para que a celebração da Eucaristia os purifique das suas faltas e os conduza à vida eterna, oremos, irmãos.

(Outras intenções).

BÊNÇÃO DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO

Veneremos, adoremos

1 Veneremos, adoremos A presença do Senhor, Nossa Luz e Pão da Vida, Cante a alma o seu louvor.

Adoremos no sacrário Deus oculto por amor. 2 Dêmos glória ao Pai do Céu,

Infinita Majestade,

Glória ao Filho e ao Santo Espírito! Em espírito e verdade. Veneremos, adoremos A Santíssima Trindade!

(7)

Bênção do Santíssimo Sacramento:

Vós sois o pão que desceu do céu.

R: Para dar a vida ao mundo.

Oremos:

Senhor Jesus Cristo, que neste admirável sacramento nos deixaste o memorial da vossa paixão, concedei-nos a graça de venerar de tal modo os mistérios do Vosso Corpo e Sangue, que sintamos continuamente os frutos da vossa redenção. Vós que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo. Ámen.

Louvor final:

Bendito seja Deus

Bendito o Seu santo Nome

Bendito Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem Bendito o Nome de Jesus

Bendito o Seu Sacratíssimo Coração Bendito o Seu Preciosíssimo Sangue

Bendito Jesus no Santíssimo Sacramento do Altar Bendito o Espírito Santo Paráclito

Bendita a excelsa Mãe de Deus, Maria Santíssima Bendita a sua Santa e Imaculada Conceição Bendita a sua gloriosa Assunção

Bendito o nome de Maria Virgem e Mãe Bendito São José, seu castíssimo Esposo

Bendito Deus nos Seus Anjos e nos Seus Santos. (REPOSIÇÃO)

Hinos de glória

Hinos de glória cantemos ao Senhor: Cantemos vitória. Aleluia!

1 Cantai povos todos: Cristo é nosso Rei, Nós somos Seu povo;

somos Sua grei.

2 Pela Eucaristia, Cristo é nosso pão, vida e alegria, nossa salvação. 3 Com Cristo queremos

um mundo melhor, onde reine a graça,

a paz e o amor.

Paróquia de

Santa Maria de Carreço

10 de Fevereiro de 2011

Referências

Documentos relacionados

Chegou o tempo da Justiça Do meu Senhor São João Peço Força nos trabalhos A Jesus Cristo Redentor Ao meu Mestre da Verdade E ao Padrinho do Amor Meu Padrinho está comigo

Toda esta família de Deus Também tem um Nome, esta família leva o Nome de Deus, o qual é Senhor Jesus Cristo.. João 17: 6 Eu revelei o teu Nome àqueles que do mundo