A GLÓRIA É DE DEUS ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - 2º TRIMESTRE / REVISTA CPAD ADULTOS

Texto

(1)

A GLÓRIA É DE DEUS

Acesse: www.proflucasneto.wordpress.com 1

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - 2º TRIMESTRE / 2017 - REVISTA CPAD ADULTOS

LIÇÕES BÍBLICAS - O CARÁTER DO CRISTÃO

MOLDADO PELA PALAVRA DE DEUS E PROVADO COMO OURO LIÇÃO 13 – JESUS CRISTO, O MODELO SUPREMO DE CARÁTER INTRODUÇÃO

Jesus Cristo, cujo nome significa "Salvador Ungido", com infinito amor se dispôs a deixar a sua

condição de glória para salvar a humanidade da condenação eterna através de sua morte e morte de cruz. Nesta lição estudaremos sobre uma resumida biografia de Jesus, seu ministério, suas qualidades de caráter, sua morte, ressurreição e sua volta gloriosa para busca a sua igreja.

I – JESUS DE NAZARÉ, O FILHO DO HOMEM

Jesus, o carpinteiro, nascido na cidade de Belém, da genealogia do rei Davi e Abraão, foi filho de José

(pai terreno) e de Maria, tendo como irmãos ( Tiago, José, Simão, e Judas) e diversas irmãs cujos nomes a Bíblia não menciona.( Lc 3:23;31-32; Mt 13:53-58; Jo 6:42)

Jesus, é apresentado sem exceção em todos os livros da Bíblia, tendo como principais títulos o de

Criador, Redentor, Profeta, Sacerdote, Rei, Pastor e Juiz.

A missão de Jesus foi a de salvar a humanidade de seus pecados pelo derramamento de seu precioso

sangue na cruz do Calvário, porém, Jesus ressuscitou promovendo também a ressurreição dos pecadores. Jesus em breve voltará para buscar a sua igreja santa e gloriosa composta pelos salvos em Cristo Jesus.

II - SEU MINISTÉRIO E CARÁTER SUPREMO

1. O MINISTÉRIO DE JESUS

Jesus em seu ministério atuou em três grandes áreas com ações no ensino, na pregação e na operação de sinais, prodígios e milagres. Neste ministério tríplice de Jesus podemos mencionar o seguinte número de ações por área registrados na Bíblia, porém, sabemos que todos os livros do mundo não poderiam registrar os atos notáveis de Jesus enquanto esteve entre nós, a saber:

i. Na área de ensino existem pelos menos 40 parábolas registradas na Santa Bíblia, sendo uma

das mais notáveis, a parábola do bom samaritano em que Jesus nos ensina como reconhecer o nosso próximo. (Lc 10:30-37)

ii. Na área da pregação existem pelos menos 10 sermões pregados registrados na Bíblia

Sagrada, sendo um do mais notáveis, o sermão da montanha em que Jesus prega e ensina sobre o modelo ideal para o caráter e a ética de um cristão. (Mt 5-7)

iii. Na área dos sinais e prodígios pelos menos 35 milagres foram realizados por Jesus com

registro bíblico, sendo talvez o mais notável, a ressurreição de Lázaro (Jo11:1-44)

2. O CARÁTER SUPREMO DE JESUS

2.1. COM RELAÇÃO A DEUS PAI

ACONTECIMENTO DESCRIÇÃO VIRTUDES DE JESUS

2.1.1. Jesus no monte das Oliveiras

Jesus pouco antes de ser preso, ora a Deus Pai e declara que seja feita a vontade do Pai e não a dEle, demonstrando a totalidade de obediência ao Pai. (Lc 22:39-46).

Obediência

2.1.2. Jesus fala de sua

morte aos

religiosos

Jesus pede ao Pai que glorificasse a si mesmo, demonstrando a sua adoração ao Pai. (Lc 12:20-30)

Adoração

2.1.3. Uma oração sacerdotal

Jesus não precisava orar, porém, orava de forma incessante em grande parte de seu ministério e o exemplo mais sublime de oração foi a prece sacerdotal. (Jo 17:1-26)

(2)

A GLÓRIA É DE DEUS

Acesse: www.proflucasneto.wordpress.com 2

2.2. COM RELAÇÃO AOS HOMENS

VIRTUDE DESCRIÇÃO VIRTUDES DE JESUS

2.2.1. O jugo de Jesus Jesus proferiu em voz solene que Ele é manso e humilde de coração. (Mt 11:25-30).

Mansidão e humildade

2.2.2. A salvação é pela graça

Jesus deu a sua própria vida em sacrifício para salvar a humanidade em todas as gerações (Ef 2:1-10)

Amor

2.2.3. A serviço do próximo

Jesus proferiu em voz solene que Ele veio para servir e não ser servido. (Mt 20:28).

Disposição de servir

2.3. COM RELAÇÃO A SI MESMO

Jesus sendo Deus é possuidor dos atributos naturais (onisciência, onipotência e onipresença) e ao

mesmo tempo como homem e sem pecado é possuidor dos atributos morais (santidade, retidão, justiça, fidelidade, bondade, graça, misericórdia, etc). Logo, não podemos exaurir aqui todas as virtudes de Jesus, porém, todas elas, com exceção dos atributos naturais devem nos servir de referência e de perfil para uma vida cristã piedosa. (Hb 4:15)

III – A MORTE, RESSURREIÇÃO E VOLTA DE CRISTO 1. A CRUCIFICAÇÃO E MORTE DE JESUS

ACONTECIMENTOS DESCRIÇÃO

1.1 Jesus foi entregue aos soldados

Os soldados tomaram a Jesus, o despiram e o cobriram com um manto escarlate, teceram uma coroa de espinhos e puseram sobre sua cabeça e colocaram na sua mão direita um caniço e escarneceram de Jesus. Vestiram-no com suas próprias vestes e o levaram para ser crucificado. (Mt 27:27-31)

1.2. Simão, um cirineu, carrega a cruz de Cristo

Jesus muito fragilizado fisicamente e emocionalmente não tem forças para carregar a cruz, então, os romanos obrigam a Simão, um cirineu, que vinha do campo a carregar a cruz de Cristo (Lc 23:26)

1.3. A lamentação das mulheres

As mulheres, muito provavelmente as que o acompanhavam em seu ministério, choravam e batiam nos peitos pelo sofrimento de Jesus. Entretanto, o mestre profetiza que elas deviam chorar por elas mesmas, pois, Jerusalém seria destruída e muitos preferiam as catástrofes naturais do que viver em um Jerusalém destruída, contemporaneamente tipificada para as demais gerações o dia do juízo final.(Lc 23:27-31)

1.4. A Bebida

entorpecente dada a Jesus

Era comum dar aos condenados a cruz bebidas entorpecentes para aliviar ou neutralizar as dores, porém, Jesus rejeitou esta bebida, pois, deveria estar sóbrio e consciente em sua missão. (Mt 27:33-34).

1.5. A Repartição das vestes e da túnica de Jesus entre os soldados

Os soldados repartiram as vestes de Jesus para o cumprimento da profecia no Salmo 22:18, pois era prerrogativa dos executores se apropriarem das vestes das pessoas crucificadas. (Jo 19:23-24)

1.6. A Crucificação entre os dois malfeitores

Jesus foi crucificado entre dois ladrões para o cumprimento da profecia de Isaías 53:12. (Mc 15:27-28)

1.7. A zombaria de

Jesus Cristo

Com a epigrafe sobre a sua cabeça , "Este é o Rei dos Judeus" em letras gregas, romanas e hebraicas, parte do público, autoridades eclesiásticas, os soldados, sacerdotes, anciãos, escribas e até mesmo um dos ladrões escarneciam de Jesus (Mt 27:37-44)

(3)

A GLÓRIA É DE DEUS

Acesse: www.proflucasneto.wordpress.com 3

P PALAVRAS DE JESUS CRISTO NA CRUZ DO CALVÁRIO

P1 "Pai perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem"

Jesus libera o perdão para os seus algozes demonstrando o seu grande amor para com todos os pecadores (Lc 23:34)

P2 "Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso"

Jesus mostra a simplicidade da salvação como sendo universalmente para aqueles que se arrependem dos seus pecados e creem em Jesus como o único e suficiente Salvador e Senhor (Lc 23:39-43)

P3 "Mulher, eis aí o teu filho... Eis aí a tua mãe"

Jesus neste contexto tem uma preocupação com os cuidados de sua mãe e designa o apóstolo João como o cuidador dela de forma que ela não ficasse desamparada (Jo 19:25-27)

P4 "Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?

Jesus neste episódio confirma a condição de homem e coloca a humanidade no centro da cruz com os seus pecados clamando por salvação que foi dada pela morte de Cristo em resposta a um sincero arrependimento e fé. Jesus não foi desamparado por Deus e nem separado de Deus porque Ele é Deus e nesta ocasião representou ali na cruz toda a humanidade pecadora carente de salvação e que clamava por Deus. (Lc 27:45-49)

P5 "Tenho sede" Jesus estava bastante desidratado e expressou que tinha sede e então deram-lhe vinagre para beber em uma esponja (Jo 19:28-29)

P6 "Está consumado" Jesus declara que o plano de salvação com a sua morte na cruz tivera o seu pleno cumprimento confirmado com a entrega de sua vida na cruz (Jo 19:30)

P7 "Pai, nas tuas mãos

entrego o meu

espírito"

Jesus assumindo a nossa humanidade morre se entregando de forma voluntária ao Pai, para a salvação de todos os homens em todas as gerações. Jesus morreu para posteriormente provar que é possível vencer a morte ressurgindo pelo amor e benevolência de Deus Pai. (Lc 23:45-46)

ACONTECIMENTOS DESCRIÇÃO

1.8. Um soldado abre o lado de Jesus com uma lança

Um soldado para certificar-se da morte de Jesus e dos dois ladrões quebra as pernas dos malfeitores, porém, as pernas de Jesus não as quebram, para que as escrituras fossem cumpridas, entretanto, o soldado abre o lado de Jesus com uma lança saindo sangue e água (Jo 19:31-36)

1.9. O véu do Santuário se rasga de alto a baixo, a terra treme,

as rochas se

fendem e muitos

dos santos

ressuscitam

Com a morte de Jesus, o nosso acesso ao Senhor não precisa mais de sacerdotes intermediários, mas, tão somente por Cristo podemos chegar a Deus. Fenômenos naturais e a ressuscitação de muitos dos santos demonstraram o poder de Jesus sobre a morte. (Mt 27:51-53)

1.10 O centurião

reconhece Jesus

como o Filho de Deus

Testemunhas oculares de todos os acontecimentos reconheceram Jesus como sendo verdadeiramente o Filho de Deus (Mt 27:54)

1.11 O sepultamento de Jesus

Jesus foi retirado da cruz a pedido de José de Arimateia a Pôncio Pilatos e sepultado em um sepulcro sob guarda vigiada a pedido dos sacerdotes e fariseus, pois, haviam lembrado que Jesus ressuscitaria ao terceiro dia e para evitar a retirado do corpo de Jesus pelos seus discípulos puseram guarda em frente ao túmulo. (Mt 27:57-66)

(4)

A GLÓRIA É DE DEUS

Acesse: www.proflucasneto.wordpress.com 4

1.12. SIGNIFICADO DA MORTE DE CRISTO

i. A morte de Jesus na cruz era o centro de sua missão e Jesus tinha a plena consciência de sua

missão (Lc 18:31-34)

ii. Jamais poderemos conhecer a Cristo se primeiro não tivermos a compreensão plena do que

ocorreu na cruz (Gl 6:11-18)

iii. Foi de forma voluntária e por amor que Jesus entregou a sua vida na cruz do Calvário (Jo 10:17-18)

iv. Jesus morreu por nós, para que fossemos conduzidos a Deus e por ter sofrido a nossa morte,

Ele carregou sobre si os nossos pecados numa nova e perpétua aliança. (Jr 31:31-34)

v. Jesus morreu na cruz do Calvário para nos dar vida eterna. (Jo 3:16)

2. A NATUREZA DA RESSURREIÇÃO DE JESUS

A ressurreição de Cristo é fato irrefutável e indubitável, sendo a ressurreição de Cristo a base fundamental de toda a teologia cristã. Se Cristo não ressuscitou, a nossa fé é débil, insignificante, ineficaz, é vã, portanto, não temos nenhum motivo para ter a esperança para também uma dia provarmos a ressurreição para uma vida eterna no céu. (1 Co 15:12-19).

A verdade absoluta é que Cristo ressuscitou, num corpo glorificado, e nós também ressuscitaremos

num corpo igual ao dEle, imune ao pecado, sem limitação de tempo e espaço, num corpo glorificado pelo Senhor e aí viveremos para sempre com Ele nas mansões celestiais livres da morte física e espiritual. (1 Co 15:20-26)

2.1.EVIDÊNCIAS DA RESSURREIÇÃO DE JESUS

A Bíblia Sagrada nos apresenta passagens que evidenciam claramente a ressurreição do Senhor Jesus, tendo Ele sido visto por inúmeras testemunhas, após a sua crucificação e morte. A ressurreição de Cristo é a base fundamental da nossa fé, da nossa esperança, da nossa expectativa de um dia ser arrebatado pelo Senhor Jesus Cristo, para viver com Ele para sempre no céu. Podemos mencionar pelo menos os seguintes textos bíblicos que comprovam materialmente esta condição da ressurreição plena do Senhor Jesus:

APARIÇÃO DE JESUS DESCRIÇÃO

2.1.1 Maria Madalena Jesus aparece a Maria Madalena e dialoga com ela, embora, inicialmente ela não tenha reconhecido o Senhor, logo se apercebeu que era o Mestre quem falava com Ela. (Jo 20:10-18)

2.1.2 As mulheres Muitas mulheres foram testemunhas oculares da ressurreição de Jesus, pois, viram O Senhor ressurreto diante delas.(Mt 28:1-10)

2.1.3 Apóstolo Pedro Na conversa que os discípulos a caminho de Emaús empreenderam mencionaram que Jesus já havia se mostrado ressurreto a Pedro (Lc 24:32-35).

2.1.4 Aos discípulos Enquanto os discípulos estavam reunidos o Senhor Jesus aparece repentinamente diante deles com prova material do seu corpo ressurreto. (Jo 20:19-29)

2.1.5 Na Ascensão ao céu Jesus explica aos seus discípulos as Escrituras, dá instruções e ascende ao céu voltando para a Casa do Pai. (Lc 24:44-53)

2.1.6 Os dois discípulos na estrada de Emaús

Jesus conversa com dois discípulos na estrada de Emaús e eles não o reconhecem, porém, posteriormente o reconhecem, mas lamentam o fato que só tardiamente o reconheceram. (Lc 24:13-35)

2.1.7 A 500 pessoas - A Tiago - Ao Apóstolo Paulo

O apóstolo Paulo relata em sua epístola aos Coríntios que Jesus apareceu depois de ressurreto a 500 pessoas, a Tiago e a ele mesmo.(1 Co 15:1-8)

2.2. O PROPÓSITO DA RESSURREIÇÃO DE JESUS

O propósito da crucificação, morte e ressurreição de Jesus, foi vencer a própria morte física, num primeiro momento materializado pelo túmulo vazio, mas, principalmente vencer os grilhões da morte espiritual. Um

(5)

A GLÓRIA É DE DEUS

Acesse: www.proflucasneto.wordpress.com 5

Deus que se fez carne, habitou entre nós e derramou o seu precioso sangue pela remissão dos pecados de toda humanidade e de forma universal.

Jesus demonstrando o seu infinito amor para conosco, se deixou ser crucificado, morto e sepultado e ao terceiro dia ressuscitou consolidando plenamente a nossa salvação da morte, da mais profunda sepultura, a justificação de nossos pecados diante de Deus, nos redimindo para nos reconciliarmos e termos uma corpo glorificado igual ao dEle. (Rm 5:1-21)

Nossa grande esperança foi relatada por Paulo na sua carta aos coríntios que tipifica a nossa majestosa vitória sobre a morte, onde um dia viveremos plenamente e em abundância com O Senhor Jesus. (1 Co 15:50-57)

3. A VOLTA DE CRISTO

A volta de Cristo a este planeta será em duas etapas, sendo a primeira etapa reconhecida como o arrebatamento, (a retirada da igreja - retirada dos salvos da terra para o céu) e a segunda reconhecida como a volta gloriosa de Cristo, as quais passamos a apresentar as suas respectivas peculiaridades:

3.1. O ARREBATAMENTO - 1ª ETAPA DA VOLTA DE CRISTO

O arrebatamento da igreja do Senhor Jesus, será o mais extraordinário acontecimento a ser

contemplado pelos homens, sendo também o próximo evento profético a acontecer na história da igreja. Será a segunda revolução espiritual que marcará o início da volta de Cristo a esta terra e iniciará efetivamente a consumação dos acontecimentos preditos na Bíblia Sagrada quanto a doutrina da escatologia, (as últimas coisas), que só terão sentido e só poderão ser desencadeados com a volta de Jesus.

3.1.1. DEFINIÇÃO BÍBLICO TEOLÓGICA DO ARREBATAMENTO

Oriunda da palavra latina "RAPTUS" e do verbo grego "HARPAZÔ" , cujo significado é "retirar algo com

rapidez e de forma inesperada", definimos o arrebatamento da igreja do Senhor Jesus como sendo a retirada brusca, inesperada e de forma sobrenatural dos verdadeiros cristãos do planeta terra que serão transportados para as regiões celestiais, onde unir-se-ão eterna e plenamente com o Senhor Jesus.

3.1.2. O TEMPO DO ARREBATAMENTO

O arrebatamento dos salvos em Cristo Jesus, ocorrerá antes da grande tribulação em dia e hora que não sabemos, só Deus sabe, porém devemos vigiar e orar enquanto esperamos a segunda vinda do Senhor. (Mt 24:36-44)

Apesar de não sabermos nem o tempo e nem a hora da segunda vinda de Cristo, O Senhor Jesus

mencionou todos os sinais para a proximidade da sua volta, tais como: o aparecimento de falsos Cristos, perseguição aos cristãos, falsos profetas, pregação do Evangelho de Cristo em todo o mundo, apostasia da fé, ensino da doutrina de demônios, degradação total das relações sociais, multiplicação das iniquidades, falta de amor, fomes, pestes e epidemias, terremotos, sinais do céu e coisas espantosas, guerras e revoluções, conflitos entre as nações e desenvolvimento da ciência. Logo, devemos estar atentos aos acontecimentos de nosso tempo, tendo o cuidado de realizar uma leitura dos fatos com um olhar crítico e apurado com relação a proximidade da vinda de Jesus. (Mt 24:3-14)

3.1.3. A GRANDE ESPERANÇA DO ARREBATAMENTO

Segundo estudiosos da Palavra de Deus, existem pelo menos 300 referências bíblicas para o evento do arrebatamento, se consolidando como um tema importante que deve ser visto por nós cristãos, como a nossa grande esperança. (Tt 2:11-15)

Pelos menos três motivações quanto ao arrebatamento nos traz segurança, consolação e alegria, a saber:

i. O arrebatamento nos dará a plena segurança de que não passaremos pelos nefastos

acontecimentos da grande tribulação, a igreja do Senhor Jesus estará livre deste grande sofrimento e flagelos que virá sobre a terra.

ii. O arrebatamento nos proporciona a consolação de que um dia vamos nos reencontrar e rever

os nossos entes queridos que já partiram para a glória na presença do Senhor.

iii. O arrebatamento consolidará de forma pragmática a nossa salvação tão esperada onde

viveremos com alegria eternamente com Cristo no céu num corpo glorificado incorruptível igual ao de Jesus.

(6)

A GLÓRIA É DE DEUS

Acesse: www.proflucasneto.wordpress.com 6

4. A VOLTA GLORIOSA DE CRISTO COM A SUA IGREJA - A 2ª ETAPA DA VOLTA DE CRISTO

O Nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo virá na segunda fase de sua volta a este planeta de forma

gloriosa montado num cavalo branco tendo olhos como de chama de fogo, usando coroas reais possuindo um nome secreto que só Ele sabe, vestido num manto tinto de sangue acompanhado dos santos, (a igreja), montados em cavalos brancos com vestiduras brancas e puras de linho finíssimo. Jesus Cristo em seu manto e na sua coxa terá uma inscrição, a saber: "Rei dos Reis e Senhor dos Senhores", e da sua boca sai uma espada afiada para ferir as nações. (Ap 19:11-16)

4.1. TEMPO E LOCAL DA VOLTA GLORIOSA DE CRISTO COM A SUA IGREJA

Esta volta gloriosa de Cristo se dará logo após a grande tribulação tendo como local no Monte das

Oliveiras e será precedida de sinais no céu onde o sol escurecerá, a lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do firmamento com um abalo sem precedentes dos poderes dos céus. Todo olho humano o verá vindo sobre as nuvens do céu com poder , majestade e glória com o ressoar de sons ensurdecedores de trombetas (Mt 24:29-31)

4.2. OS PROPÓSITOS DA VOLTA GLORIOSA DE CRISTO COM A SUA IGREJA

i. Derrotar o Anticristo e seus exércitos reunidos para atacar Israel no Armagedom, lançando o

falso profeta e o Anticristo vivos no lago de fogo e enxofre (Geena);(Ap 19:17-21)

ii. Destruir o império satânico implantado pela tríade diabólica (Satanás, Anticristo, falso profeta)

destruindo a Babilônia reconstruída pelo Anticristo e prendendo Satanás por mil anos no tártaro, o local mais profundo do Hades ou Sheol (inferno);(Ap 18: 9-10; 21-24;Ap 20:1-3)

iii. Julgar os anjos rebeldes que acompanharam Satanás em sua rebelião; (1 Co 6:1-3)

iv. Ressuscitar os santos e mártires da grande tribulação;(Ap 20:4-6)

v. Promover a reconciliação de Israel com o verdadeiro Messias, bem como a sua

restauração.(Mq 7:8-20)

vi. Realizar o julgamento das nações, (os gentios) separando os "bodes das ovelhas", punindo

severamente os ímpios, impedindo-os de entrar no reino milenial indo para o castigo eterno e abençoando os santos com a bênção da vida eterna e a livre entrada no reino milenial de Cristo.(Mt 25:31-46)

vii. Implantar o reino milenial de Cristo na terra depois de 75 dias da sua volta gloriosa com a sua

igreja.(Dn 12:11-12)

IV - CONCLUSÃO

O Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus, Marcos, Lucas e João nos apresenta Cristo como o Salvador da humanidade de forma detalhada, com historicidade, espiritualidade explicitando o seu nascimento e infância, ministério público, sermão, ensino sobre o reino de Deus, curas, milagres, morte, ressurreição de modo a embasar e fortalecer a nossa fé cristã.

Imagem

Referências

temas relacionados :