• Nenhum resultado encontrado

Figura 1 - Localização da Área de Estudo. Fonte: Google Maps e Google Earth.

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Figura 1 - Localização da Área de Estudo. Fonte: Google Maps e Google Earth."

Copied!
5
0
0

Texto

(1)

IDENTIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DAS PRINCIPAIS CONDIÇÕES METEOROLÓGICAS LIMITANTES DAS ATIVIDADES NO TERMINAL

PORTUÁRIO PONTA DA MADEIRA EM SÃO LUÍS, MARANHÃO

Carolina Bitencour Bernardes1, Diego Felipe dos Santos2, Bruno de Campos3, Vanessa Silveira4, Marcos Eduardo Cordeiro Bernardes5

1,2,3,4,5

UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá, Av. BPS 1303 – Itajubá, MG – Brasil

1

carolina_b09@yahoo.com.br, 2dfsantos17@hotmail.com, 3campos.met@gmail.com,

4

vanessa.silveira@gmail.com, 5marcos.bernardes@gmail.com

RESUMO:

Este trabalho apresenta um estudo sobre as características das condições meteorológicas que podem interferir nas atividades do porto Ponta da Madeira, em São Luis, Maranhão. Muitos fatores ambientais como marés, o clima e a geografia local interferem na manutenção das atividades de portos, além de influir na segurança operacional destes. Nesse contexto, a caracterização de condições meteorológicas pode traçar o perfil de eventos extremos podendo auxiliar na tomada de decisão para prevenção ou preparação para estes. A proximidade com a região equatorial caracteriza a região com estações não muito definidas, sendo nas estações de transição a maior ocorrência de eventos extremos. Também foi possível identificar uma relação entre esses eventos extremos, havendo nevoeiros mais frequentes em períodos de ventos de calmaria o que gerava menor visibilidade.

PALAVRAS-CHAVE: Eventos extremos, atividades portuárias, análise de dados.

ABSTRACT:

This paper presents a study about the weather characteristics conditions that may interfere in the activities of the Ponta da Madeira seaport in São Luis, Maranhão, northeastern Brazil. Many environmental factors such as tides, climate and local geography interfere in the maintenance of the port activities, furthermore affects its operational safety. Thus, the characterization of weather events can describe the profile occurrences to assist in decision-making to be prevented or prepared for these. The proximity to the equatorial zone characterizes the region with not-well defined seasons and in the transition seasons most extreme events. It was also possible to identify a relationship between these extremes events; there are fogs more frequent in periods of calm winds which generated less visibility.

KEYWORDS: Extreme events, seaport activities, data analysis.

1. INTRODUÇÃO

O Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, localizado em São Luís do Maranhão, Baía de São Marcos, desempenha muitas atividades importantes no campo de exportação de minérios de ferro, chegando a um fluxo anual de 72.941.142 toneladas (CAMELO, 2010). Segundo

(2)

Amaral (2006), sua profundidade natural beneficia os grandes navios atracarem e minimiza serviços como os de dragagem, sendo o canal do qual faz parte o mais longo, largo e profundo das áreas portuárias no Brasil.

O funcionamento de atividades em portos e terminais é afetado pelos fatores meteorológicos que dinamizam com o sistema aquático sendo importante identificá-los. Parâmetros como o vento, a visibilidade e a precipitação interferem diretamente na segurança das atividades portuárias (VAISALA, 2011). Nesse contexto, o presente estudo objetiva caracterizar as principais condições atmosféricas que afetam as atividades do Terminal Ponta da Madeira focando, principalmente, na ocorrência de eventos extremos dos parâmetros citados anteriormente.

2. MATERIAL E MÉTODOS

Para avaliar os impactos meteorológicos nas atividades portuárias, foram considerados dados horários para um período de 9 anos (entre Janeiro de 2003 e Dezembro de 2011). Os dados de vento (direção e intensidade), visibilidade e tempo presente foram obtidos a partir do código METAR do aeroporto Marechal Cunha Machado (localizado em São Luis, MA), disponibilizado no site da Rede de Meteorologia do Comando da Aeronáutica (REDEMET). Dados de precipitação para o mesmo período foram obtidos a partir de uma Plataforma de Coleta de Dados (PCD) localizada em São Luis (MA), na latitude -2° 35’24’’ e longitude -44º 12’36’’. Estes foram disponibilizados pelo Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC). Vale ressaltar que o Terminal Marítimo Ponta da Madeira fica a, aproximadamente, 16,06 km de distância do aeroporto Marechal Cunha Machado e a cerca de 20 km de distância da estação meteorológica considerada (Figura 1).

Figura 1 - Localização da Área de Estudo. Fonte: Google Maps e Google Earth.

Inicialmente, os dados do METAR foram decodificados para que cada variável fosse analisada individualmente. Para caracterizar o regime de ventos na região, foram construídas rosas dos ventos com o software Wind Rose Plots (WRPlot).

(3)

No caso da visibilidade, além do próprio campo no METAR, também foram analisadas as condições de tempo presente que indicam, por exemplo, a ocorrência de nevoeiro (FG). Focaram-se nesse estudo, principalmente, a ocorrência e a distribuição mensal de eventos com baixa visibilidade (inferior a 2 km). Esses eventos foram separados em duas categorias: eventos com visibilidade inferior a 1 km ou com visibilidade entre 1 e 2 km. Segundo AHRENS (1993), valores de visibilidade abaixo de 1000 m caracterizam a ocorrência de nevoeiros.

Os dados da PCD foram analisados para determinar a ocorrência de chuva forte na região. Preliminarmente, para a identificação destes foi utilizado o limiar de 50 mm/dia. Assim como no caso da visibilidade, também foram utilizados para verificação destes, as informações de tempo presente obtidas com o METAR. Os códigos considerados foram SH, que indica a ocorrência de pancadas de chuva, e +RA, que indica chuva forte.

3. RESULTADOS E DISCUSSÕES

A rosa dos ventos apresentada na Figura 2 revela a predominância de ventos nordeste (NE). A mesma predominância foi verificada em todas as estações do ano (não mostrado). As maiores intensidades foram registradas durante a tarde e na primavera, quando os menores percentuais de calmaria foram registrados (Tabela 1). Ventos fortes acima de 22 nós foram verificados apenas em 48 ocasiões, principalmente entre os meses de outubro e dezembro.

Tabela 1 - Índice de Calmaria (2003-2011). Período do Dia Percentual de Calmaria Estação do Ano Percentual de Calmaria Manhã 9,01 Verão 3,6 Tarde 1,41 Outono 13,71 Noite 3,1 Inverno 5,13 Madrugada 9,23 Primavera 0,21

A análise dos valores de visibilidade de 2003 a 2011, durante a primavera, quando os ventos são mais intensos, indicou que praticamente não foram verificados eventos de baixa visibilidade (apenas 3 ocorrências com visibilidade abaixo de 2 km em todo período). O outono foi a estação do ano que apresentou o maior numero de ocorrências de baixa visibilidade (229 ocorrências) como pode ser visto na Tabela 2. As informações de tempo presente no METAR (presença do indicativo FG) também indicaram a predominância de nevoeiros durante o outono

(4)

(48 registros no total), com alguns eventos no verão, com 4 ocorrências, e 3 no inverno. Não foi registrada a ocorrência de nevoeiros na primavera. A maior parte dos eventos foi verificada no período da manhã, entre cinco e seis horas. Na figura 3, pode-se observar a distribuição anual de eventos com visibilidade abaixo de 2 km. Eventos com essas características foram verificados, em média, durante 11% dos registros. O maior número de registros foi verificado para 2011.

Figura 3 - Distribuição da porcentagem de eventos de baixa visibilidade por ano em Ponta da madeira,MA.

Tabela 2- Comportamento sazonal das ocorrências de visibilidade baixa.

Eventos extremos de precipitação podem afetar significativamente diversas atividades portuárias. Para a identificação destes eventos foram analisados os dados do METAR e da PCD. A distribuição média mensal dos dados de precipitação intensa obtidos a partir da PCD e os indicativos de pancadas de chuva e chuva forte podem ser observados na Tabela 3. A partir desta, verifica-se que de fevereiro a abril há maior ocorrência de extremos de precipitação, havendo um perfil similar. O dado de ocorrência de chuvas fortes (+ RA) coincide, porém, com menor frequência que os demais. Isso pode ser justificado porque foi analisado apenas o registro de chuvas fortes, excluindo-se chuvas fracas ou moderadas, e também pelo fato das ocorrências de chuva forte na vizinhança não terem sido contabilizadas (+VCRA). Verifica-se, então, que o outono é a estação do ano em que há maior ocorrência de chuvas fortes ou pancadas e a primavera a estação com menor número de eventos.

Tabela 3 - Total de ocorrências de Extremos de Precipitação durante o período 2003-2011. Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

PCD 8 25 17 30 13 12 7 7 5 7 3 7 +RA 4 8 7 6 3 5 0 0 0 0 0 0 SH 25 42 43 59 44 27 16 6 1 1 4 10 Estação do Ano Abaixo de 1000 m Entre 1000 e 2000 m Verão 33 70 Outono 103 126 Inverno 37 30 Primavera 1 2

(5)

4. CONCLUSÕES

O objetivo principal deste trabalho foi caracterizar as principais condições atmosféricas que afetam as atividades do Terminal Ponta da Madeira focando, principalmente, na ocorrência de eventos extremos de parâmetros como ventos, precipitação e visibilidade. Em geral, entre os anos de 2003 e 2011, a maior ocorrência de eventos desse tipo foi registrada durante o outono e a menor, durante a primavera. Vale destacar que a variação anual mostra uma ligeira tendência de aumento no número de eventos de baixa visibilidade a partir de 2005.

A variação sazonal indicou um maior número de eventos com chuva forte e de ocorrência de nevoeiros. A maior frequência de nevoeiros durante o outono pode estar associada com ventos mais fracos. Durante períodos de primavera, praticamente não houve registros de chuva forte ou pancada. Também não foi registrada a ocorrência de nevoeiros. Ventos mais fortes, com índice de calmaria praticamente nulo, foram verificados. No verão e no inverno, eventos extremos acontecem com menor frequência. Dessa forma, conclui-se que, principalmente, nos meses de outono, as atividades do terminal portuário Ponta da Madeira podem ser mais afetadas devido a ocorrência de condições meteorológicas adversas.

5. AGRADECIMENTOS

Os autores agradecem à Pró-Reitoria de Graduação da UNIFEI pelo auxílio para a participação neste evento.

6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AHRENS, A. D. Essentials of Meteorology: an invitation to the atmosphere. West Publishing Company, New York, 1993. Cap. 1, p 1-22.

AMARAL, R. F. Caracterização hidrossedimentológica do Canal de Acesso do Complexo Portuário do Maranhão. São Paulo. 2006.

CAMELO, R. G. COELHO, S. A. BORGES R. M. SOUZA, R. M. Teoria das filas e da simulação aplicada ao embarque de minério de ferro e manganês no Terminal Marítimo de Ponta da Madeira. ENEGEP. São Carlos. 2010.

Rede de Meteorologia do Comando da Aeronáutica. Disponível em http://www.redemet.aer.mil.br/ Acesso em: 16 mai. 2012.

Sistema Nacional de Dados Ambientais. Disponível em: <http http://sinda.crn2.inpe.br/PCD/ > Acesso em: 14 mai. 2012.

Vaisala. Disponível em: http://www.vaisala.com/en/Pages/default.aspx Acesso em: 13 jun. 2012.

Referências

Documentos relacionados

A pesquisa em questão justifica-se pelas suas peculiaridades, pela relevância quanto ao caráter contributivo que esta tende a apresentar por tratar do de Avaliação de Reação

Este capítulo apresenta os passos para comunicar o módulo NodeMCU que faz uso do CI ESP8266 a internet, permitindo assim enviar periodicamente para o Twitter

O estudo de tais formulações possibilita assim, compreender as imbricações entre as influências das práticas sociais que permeiam o universo escolar e no qual são reelaboradas, e,

Aproveite e responda a essas perguntas junto com a criança e, se tiver algum outro adulto com vocês em casa, deixe que ela tente fazer essas perguntas para ele. Para expandir

Salvo acordo escrito da HP em contrário, e relativamente às ofertas que não sejam prestadas pelo Software HP, a HP apenas prestará serviços de suporte à versão em vigor e à

Na Argentina, onde a diferença entre os que revisaram para cima (57,1%) e os que revisaram pra baixo (42,9%) foi menor que a dos outros países desse grupo, destacam-se as

Recuperar na formação as diferentes concepções de direitos e de humanos próprias às diferentes gerações, com destaque para aquela que representa os movimentos sociais associados

Depois da observação dos co- laboradores de todas as áreas do hospital em suas atividades diárias, e da leitura dos registros realizados pela equipe de enfermagem, foram