LEVANTAMENTO DE ESPÉCIES ARBOREAS FRUTÍFERAS NOS QUINTAIS RURAIS DA COMUNIDADE SANTA ROSA DE LIMA, IRITUIA-PARÁ

Texto

(1)

LEVANTAMENTO DE ESPÉCIES ARBOREAS FRUTÍFERAS NOS QUINTAIS RURAIS DA COMUNIDADE SANTA ROSA DE LIMA, IRITUIA-PARÁ

SURVEY OF FRUIT TREE SPECIES IN THE RURAL QUINTAIS OF THE SANTA ROSA DE LIMA COMMUNITY, IRITUIA-PARÁ

Apresentação: Comunicação Oral

Antonio Maricélio Borges de Souza1; Jiselly de Oliveira Leão2; Whesley Thiago dos Santos Lobato3 Ayla Julliane da Silva Leal4; Adriano Vitti Mota5

DOI: https://doi.org/10.31692/2526-7701.IIICOINTERPDVAGRO.2018.00158 Resumo

O presente trabalho teve como objetivo realizar o levantamento das espécies arbóreas frutíferas da comunidade rural Santa Rosa de Lima, afim de saber a riqueza dessas espécies presentes nesses quintais. Os quintais são muitos comuns nas pequenas propriedades rurais da Amazônia e as fruteiras apresentam papel fundamental na sua composição, destacando-se como um dos principais componentes. O trabalho foi realizado na comunidade rural Santa Rosa de Lima pertencente ao município de Irituia, Pará. A coleta de dados se deu por meio de entrevista à 25 proprietários dos quintais da comunidade em questão no início do mês de setembro de 2018, com aplicação de questionários semiestruturados contendo questões à cerca da idade, tamanho, número de espécies arbóreas frutíferas, dentre outras questões referentes aos quintais presentes na comunidade. As entrevistas foram executadas somente nas propriedades onde se tinham o consentimento e a disponibilidade dos referidos donos. Foram anotadas todas as espécies arbóreas frutíferas, bem como o número de cada indivíduo presente nos quintais observados.

Após a coleta das informações, construiu-se um banco de dados com o auxílio do Software Microsoft Excel versão 2013, ao qual também foi utilizado para a confecção dos elementos gráficos, com o intuito de se ter um melhor entendimento dos dados obtidos, bem como utilização de estatística descritiva para a distribuição de porcentagens. Para elaboração do trabalho escrito, utilizou-se o software Microsoft Word versão 2013. Com base nos dados obtidos em relação ao tamanho dos quintais, as dimensões destes variavam de 250 a 40.000m2, sendo que 8 quintais (32%) estavam na faixa de 251 a 500m2, 6 quintais (24%) possuem de 0 a

1 Graduando do curso de Agronomia, Universidade Federal Rural da Amazônia, Capitão Poço, PA, Brasil, E-mail:

maricelio_@hotmail.com

2 Graduanda do curso de Agronomia, Universidade Federal Rural da Amazônia, Capitão Poço, PA, Brasil, E-mail:

jisellyleao2@gmail.com

3 Graduando do curso de Agronomia, Universidade Federal Rural da Amazônia, Capitão Poço, PA, Brasil, E-mail:

whesleylobatospfc@hotmail.com

4 Graduanda do curso de Agronomia, Universidade Federal Rural da Amazônia, Capitão Poço, PA, Brasil, E-mail:

aylaju@gmail.com

5 Professor Dr., Universidade Federal Rural da Amazônia, Capitão Poço, PA, Brasil, E-mail:

adriano_vitti@hotmail.com

(2)

250m2 e, 4 quintais (16%) têm entre 1.501 a 2.000m2. Em relação as espécies arbóreas frutíferas, foram identificadas 18 famílias botânicas, sendo a Arecaceae presente em 16 dos quintais. No que se refere a frequência das espécies nos quintais, o açaizeiro foi a que mais se sobressaiu.

Foram totalizados 879 indivíduos arbóreos frutíferos de 28 espécies diferentes, destacando-se sete espécies, tendo predominância o açaizeiro a que mais se destacou, seguida da bananeira, do cajueiro, do cupuaçuzeiro, do coqueiro, da pupunheira e da mangueira. A pesquisa mostrou que os quintais presentes na comunidade rural de Santa Rosa de Lima possuem tamanhos variados e uma grande riqueza de espécies arbóreas frutíferas. Estas são utilizadas somente para consumo próprio, complementando na dieta familiar. A espécie que mais se destacou foi o açaizeiro com um total de 504 indivíduos.

Palavras-Chave: Comunidade Rural, Quintal, Variedades Alimentares.

Abstract

The present work had as objective to carry out the survey of the fruit tree species of the rural community Santa Rosa de Lima, in order to know the richness of these species present in these backyards. Backyards are very common on small farms in the Amazon and fruit plants play a fundamental role in their composition, standing out as one of the components. The work was carried out in the rural community Santa Rosa de Lima belonging to the municipality of Irituia, Pará. Data collection was done through an interview with 25 owners of the community yards in question at the beginning of September 2018, with the application of semi-structured questionnaires containing questions about the age, size, number of fruit tree species, among other issues related to backyards present in the community. The interviews were conducted only on the properties where they had the consent and availability of said owners. All fruit tree species were recorded, as well as the number of each individual present in the observed quintals.

After the information was collected, a database was built with the aid of Microsoft Excel Software 2013, which was also used to compile the graphic elements, in order to have a better understanding of the data obtained, as well as use of descriptive statistics for the distribution of percentages. To prepare the written work, the software Microsoft Word version 2013 was used.

Based on the data obtained regarding the size of the quintals, the dimensions varied from 250 to 40,000m2, with 8 quintals (32%) ranging from 251 to 500m2, 6 quintals (24%) from 0 to 250m2 and , 4 quintals (16%) are between 1,501 and 2,000m2. In relation to the fruit tree species, 18 botanical families were identified, being Arecaceae present in 16 of the quintals. With regard to the frequency of species in the backyards, the açai tree was the most prominent. A total of 879 fruit trees were collected from 28 different species, with seven species being the most prominent, followed by banana, cashew, cupuaçuzeiro, coconut, peach palm and mango trees.

The research showed that the backyards present in the rural community of Santa Rosa de Lima have varied sizes and a great wealth of fruit tree species. These are used only for their own consumption, complementing the family diet. The species that most stood out was the açai tree with a total of 504 individuals.

Keywords: Rural Community, Yard, Food Varieties.

Introdução

O presente trabalho teve como objetivo realizar o levantamento das espécies arbóreas frutíferas da comunidade rural Santa Rosa de Lima, afim de saber a riqueza dessas espécies

(3)

presentes nesses quintais. Segundo Amorozo (2002) o quintal se refere ao espaço do terreno situado ao redor da casa regularmente manejado, onde são cultivadas plantas e também são criados animais domésticos de pequeno porte.

Esse espaço produtivo permite que a unidade de produção familiar garanta a segurança alimentar da família, além de ser uma alternativa econômica viável para os agricultores familiares. Sendo uma complementação da dieta básica diária com vitaminas e sais minerais em função do consumo de espécies frutíferas (DUBOIS et al., 1996).

Fundamentação Teórica

No Brasil, quintal é o termo utilizado para se referir ao terreno situado ao redor da casa, definido, na maioria das vezes, como a porção de terra próxima à residência, de acesso fácil e cômodo, na qual se cultivam ou se mantêm múltiplas espécies que fornecem parte das necessidades nutricionais da família, bem como outros produtos, como lenha e plantas medicinais (BRITO; COELHO, 2000).

Os quintais são muitos comuns nas pequenas propriedades rurais da Amazônia e as fruteiras apresentam papel fundamental na sua composição, destacando-se como um dos principais componentes (LOURENÇO et al, 2009). O cultivo de diferentes espécies vegetais no quintal agroflorestal favorece a biodiversidade local contribuindo com a manutenção do equilíbrio entre as populações (FRAXES, 2012).

Os quintais são sistemas dinâmicos que assumem feições e desenhos variados, no meio urbano se apresentam nos espaços que circundam a moradia, e no meio rural são estes espaços que muitas vezes se prolongam e sobrepõem às áreas de cerrado, pantanal e/ou floresta (GUARIM NETO et al., 2010).

O quintal exerce importante papel na vida das comunidades, pois deixam de ser apenas uma pequena extensão de terra e se converte em um espaço social e cultural, onde os residentes fazem uso de uma grande diversidade de espécies úteis, de forma sustentável, garantindo ainda, a conservação desses vegetais (GUARIM NETO; NOVAIS, 2008). Dentro das comunidades, o uso do quintal torna-se em parte, uma forma de preservar a história local, a cultura desses indivíduos e o etnoconhecimento (CRUZ et al., 2011).

Estudos de quintais realizados em vários países reportam altos níveis de diversidade genética de plantas inter e intraespecífica, que estão sendo conservadas nestes ambientes

(4)

(GALLUZZI et al.,2010). Segundo Figueiredo Jr et al., (2013), esses espaços não conservam apenas recursos vegetais, mas também a cultura de toda uma família.

Esses agroecossistemas demandam baixos insumos e representam uma fonte adicional de renda, caracterizando-se como uma atividade potencial para a obtenção de alimentos e para suprir as necessidades de lenha e madeira para consumo da família. Esse espaço produtivo permite que a unidade de produção familiar garanta a segurança alimentar da família, além de ser uma alternativa economicamente viável para os agricultores familiares (FIGUEIREDO JÚNIOR et al., 2013).

Metodologia

O trabalho em questão trata-se de uma pesquisa quantitativa.

ÁREA DE ESTUDO

O trabalho foi realizado na comunidade rural Santa Rosa de Lima pertencente ao município de Irituia, Pará. A mesma fica a uma distância de 25 km da sede do munícipio. O município de Irituia pertence à Mesorregião Nordeste Paraense e à Microrregião Guamá, com uma população de 31.664 pessoas e uma área de 1.379,523 Km² (Figura 01). A sede municipal tem as seguintes coordenadas geográficas: 01º 46´12” de latitude Sul e 48º 26´ 21” de longitude a Oeste de Greenwich, distando 170 km da capital Belém. No ano de 2010, a população estimada da área rural era 24.840, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE (FAPESPA, 2016).

Figura 01: Mapa de localização do município de Irituia, Pará. Fonte: ALEMIDA; FERREIRA, 2015.

COLETA DE DADOS

(5)

A coleta de dados se deu por meio de entrevista à 25 proprietários dos quintais da comunidade em questão no início do mês de setembro de 2018, com aplicação de questionários semiestruturados contendo questões à cerca da idade, tamanho, número de espécies arbóreas frutíferas, dentre outras questões referentes aos quintais presentes na comunidade. As entrevistas foram executadas somente nas propriedades onde se tinham o consentimento e a disponibilidade dos referidos donos. Foram anotadas todas as espécies e arbóreas frutíferas, bem como o número de cada indivíduo presente nos quintais observados.

Após a coleta das informações, construiu-se um banco de dados com o auxílio do Software Microsoft Excel versão 2013, ao qual também foi utilizado para a confecção dos elementos gráficos, com o intuito de se ter um melhor entendimento dos dados obtidos, bem como utilização de estatística descritiva para a distribuição de porcentagens. Para elaboração do trabalho escrito, utilizou-se o software Microsoft Word versão 2013.

Resultados e Discussão

Com base nos dados obtidos em relação ao tamanho dos quintais, as dimensões destes variavam de 250 a 40.000m2, sendo que 8 quintais (32%) estavam na faixa de 251 a 500m2, 6 quintais (24%) possuem de 0 a 250m2 e, 4 quintais (16%) têm entre 1.501 a 2.000m2 conforme é demonstrado na figura 02. Souza et al., (2017) em sua pesquisa realizada na comunidade rural de Santa Luzia do Induá no município de Capitão Poço-Pa em 70 quintais agroflorestais, observou que a maioria destes estavam em torno de 102 a 1.026,75m2, destacando assim, que estes espaços na região nordeste Paraense não são tão extensos. No que se refere a idade dos quintais, estabelecido na pesquisa como o tempo em que a família reside naquela propriedade, estas variavam de 0,6 meses a 52 anos.

Figura 02: Gráfico referente aos tamanhos dos quintais em m2 e sua frequência em porcentagem (%). Fonte:

Pesquisa de campo, 2018.

(6)

Em relação as espécies arbóreas frutíferas, foram identificadas 18 famílias botânicas, sendo a Arecaceae presente em 16 dos quintais (64%). No que se refere a frequência das espécies nos quintais, o açaizeiro (Euterpe oleraceae Mart.) foi a que mais se sobressaiu, sendo que a mesma pertence à família que obteve maior frequência, seguida do cupuaçuzeiro (Theobroma grandiflorum) sendo presente em 14 quintais, e o coqueiro (Cocos nucifera L.) distribuído em 12 quintais (Figura 03).

Figura 03: Gráfico referente a frequência das espécies nos quintais. Fonte: Pesquisa de campo, 2018.

Foram totalizados 879 indivíduos arbóreos frutíferos de 28 espécies diferentes, destacando-se sete espécies, tendo predominância o açaizeiro a que mais se destacou com um total de 504 indivíduos, seguida da bananeira (62 indivíduos), cajueiro (58 indivíduos),

(7)

cupuaçuzeiro (56 indivíduos), coqueiro (46 indivíduos), pupunheira (32 indivíduos) e mangueira (22 indivíduos) respectivamente, evidenciando desta forma a riqueza de árvores frutíferas na comunidade, conforme é demonstrado a tabela 01. O estado do Pará é responsável por 95% da produção de açaí no Brasil e, devido a sua importância cultural, o açaí transformou- se, através de lei na bebida e fruta símbolo do estado do Pará, e passou a ser priorizado como produto econômico, capaz de gerar renda para a população local e divisas para o país (ANDRADE et al., 2008). De acordo com Corrêa (2010) na região nordeste do Pará, nos açaizais de manejo sustentável a média é de 3 a 5 palmeiras por touceiras, o que torna essa característica um ponto favorável para a produtividade na região.

Tabela 01: Relação das espécies arbóreas frutíferas encontradas nos quintais agroflorestais na comunidade Santa Rosa de Lima, Irituia-Pa com seu respectivo nome comum, nome científico, família botânica e sua quantidade.

Fonte: Pesquisa de campo, 2018.

(8)

As espécies frutíferas amostradas nos quintais da comunidade em estudo são utilizadas somente para consumo próprio da família, complementando assim na dieta familiar. Segundo Freitas (2009), este sistema proporciona uma produção variada de alimentos, proporcionando melhoria de qualidade alimentar, em que a variedade de espécies é oferecida durante o ano todo.

Conclusões

A pesquisa mostrou que os quintais presentes na comunidade rural de Santa Rosa de Lima possuem tamanhos variados e uma grande riqueza de espécies arbóreas frutíferas. Estas são utilizadas somente para consumo próprio, complementando na dieta familiar. A espécie que

(9)

mais se destacou foi o açaizeiro com um total de 504 indivíduos.

Referências

ALMEIDA, B. J. X.; FERREIRA, C. P. Mapeamento da cobertura do solo de Irituia – Pa com auxílio das informações orbitais dos projetos Prodes e Terraclass. Anais XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, João Pessoa-PB, Brasil, 25 a 29 de abril de 2015.

AMOROZO, M. C. M. Agricultura tradicional, espaços de resistência e o prazer de plantar.

Pp.123-131. In: Albuquerque, U.P.; Alves, A. G. C.; BORGES, A. C. L.; SILVA, V. A. (Orgs.).

Atualidades em etnobiologia e etnoecologia. Recife, SBEE, 2002.

ANDRADE, L. C.; PORTELA, R. S.; FERRÃO, E. S.; SOUZA, A. L.; REIS, A. A. A Adoção de Novos Paradigmas na Organização e Gestão de Empreendimentos Solidários: um estudo sobre o processo produtivo do açaí através das associações e cooperativas no Território Rural do Baixo Tocantins – Pará – Brasil. XLVL Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. Anais. Rio Branco - Acre, 20 a 23 de julho 2008.

BRITO, M. A.; COELHO, M. F. Os quintais agroflorestais em regiões tropicais – unidades auto-sustentáveis. Agricultura Tropical, v. 4, n. 1, p. 7-35, 2000.

CORRÊA, R. B. Do território recurso ao território abrigo: modo de vida e o processo de valorização do açaí no município de Cametá-PA. Dissertação de Mestrado. UFPA. Belém, 2010.

CRUZ, E. A. L.; SILVA, J. W. S.; GARCIA, W. M.; FERRAZ NETO, E.; NUNES, J. R. S.;

AÑEZ, R. B. S. Perfil e utilização de plantas medicinais em quintais da comunidade de Salobra Grande distrito de Porto Estrela-MT. UNICiências, v.15, n.1, p. 53-66, 2011.

DUBOIS, J. C. L.; VIANA, V. M.; ANDERSON, A. B. Manual Agroflorestal para a Amazônia. Rio de Janeiro: REBRAF. p. 228, 1996.

FREITAS, A. V. L. Recursos genéticos em quintais e comercialização de plantas de uso medicinal no município de São Miguel RN. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia), Universidade Federal Rural do Semi-Árido, 192f., 2009.

FUNDAÇÃO AMAZÔNIA DE AMPARO À ESTUDOS E PESQUISAS-FAPESPA.

Estatísticas Municipais Paraenses: Irituia. / Diretoria de Estatística e de Tecnologia e Gestão da Informação. – Belém, 2016. Disponível em: < http://www.parasustentavel.pa.gov.br/wp- content/uploads/2017/04/Irituia.pdf>. Acesso em 12 de setembro de 2018.

FIGUEIREDO JÚNIOR, O.; HAMADA, M. O. S.; SOUZA, S. P. O.; CORREA, R. F.

Levantamento florístico dos quintais agroflorestais do PDS Virola jatobá em Anapú, Pará.

Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, Goiânia, v.9, n.17; p. 1793, 2013.

FRAXE, T. J. P.; CHAGAS, J. C. N.; VASQUES, M. S.; SANTIAGO, J. L.; ELIAS, M. E. A.;

SOUSA, H. H. Importância dos Quintais Agroflorestais na Conservação de Plantas Aromáticas

(10)

e Condimentares em Duas Comunidades de Várzea no Amazonas. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPPAS, 6, Belém, 2012. Anais. Belém: SBCS, 2012.

GALLUZZI, G.; EYZAGUIRRE, P.; NEGRI, V. Home gardens: neglected hotspots of agrobiodiversity and cultural diversity. Biodiversity and Conservation, v. 19, n. 13, p. 3635- 3654, 2010.

GUARIM NETO, G.; GUARIM, V. L.; CARNIELLO, M. A.; MACEDO, M. Quintais urbanos e rurais em Mato Grosso: socializando espaços, conservando a diversidade de plantas, in Etnobiologia e Etnoecologia: pessoas e natureza na América Latina. Organizado por: V.V.

Silva; Almeida, A. L. S, pp. 321-328. U. P. Albuquerque. Recife: Nuppea, 2010.

GUARIM NETO, G.; NOVAIS, A. M. Composição florística dos quintais da cidade de Castanheiras. In: GUARIM NETO (Ed). Quintais mato-grossenses: espaço de conservação e produção de saberes. 1 ed. Editora Unemate, Cáceres/MT, p. 27-41, 2008.

LOURENÇO, J. N. P; SOUSA, S. G. A.; WANDELLI, E. V. et al. Agrobiodiversidade nos Quintais Agroflorestais em Três Assentamentos na Amazônia Central. VI Congresso Brasileiro de Agroecologia, p. 01124, Curitiba-PN, 2009.

SOUZA, A. M. B.; ALVES, K. N. A.; LOBATO, W. T. S.; LEAL, A. J. S.; ALMEIDA, G. M.;

SOUZA, A. A. S.; MOTA, A. V. Aspectos da segurança alimentar com base em quintais agroflorestais na comunidade rural de Santa Luzia do Induá no município de Capitão Poço, Pa.

Agroecossistemas, v. 9, n. 2, p. 275 – 287, 2017.

Imagem

temas relacionados :