9.5. Importância de Unidade Demonstrativa de Sorgo no Instituto Federal - Campus Arinos

Loading.... (view fulltext now)

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

22 a 24 de Setembro de 2011 – Universidade Federal de Viçosa – Viçosa/MG

9.5. Importância de Unidade Demonstrativa de Sorgo no Instituto Federal - Campus Arinos

Hilton Lopes Galvão1, Sebastião Lourenço Henrique1, Daniela Fernandes Gomes1,Juliana Maria N. Pereira1,Fredson Ferreira Chaves2,Marco Aurélio Noce2

1

IFNMG - Campus Arinos - Rodovia MG-202 km 407, Zona Rural - Arinos/ MG - Cep: 38680-000 / Caixa Postal: 05 contato: (38) 9104-5074- hilton.galvao@ifnmg.edu.br

2

Embrapa Milho e Sorgo - Rod. MG 424 KM 45 - Sete Lagoas/MG - CEP 35701-970 / Caixa Postal 285

Resumo: Unidade demonstrativa é uma modalidade de transferência de tecnologia da

Embrapa que possibilita a demonstração e capacitação de produtores e extensionistas rurais. Com este objetivo foi implantada uma unidade demonstrativa Instituto Federal do Norte de Minas Gerais - Campus Arinos em parceria com a Embrapa/Milho-Sorgo e Emater-MG. Esta unidade demonstrou ser uma excelente forma de cultivo para o pequeno produtor por trazer tecnologias alternativas, além de ser utilizada para ministrar aulas práticas para estudantes e agricultores da região. A unidade de cultivo de sorgo é uma ótima ferramenta de observação, pois através do plantio e manejo foi possível avaliar como diferentes variedades adaptam a região, além de preparar o ambiente para a implantação do sistema de integração lavoura-pecuária otimizando as áreas de produção e auxiliando no melhor entendimento do sistema produtivo local.

Palavras-chave: Sorgo, lavoura-pecuária, sustentável, extensão rural.

Abstract: Demonstrative unit is a modality of Embrapa's technology transfer that enables

demonstration and training of producers and rural extension workers. The test fields used in Instituto Federal - Campus Arinos with the help of Embrapa/Milho-Sorgo and Emater - MG are an excellent way of growing the land for small farmers because it presented new technologies and for also being used as a place to teach students from occupational courses in Campus Arinos and also for teaching local farmers. The test filed for sorghum is a useful way of observation. Growing techniques made it possible to assess how different species can adapt to a certain region and to prepare the environment to deal with plants and animals altogether in order to maximize the area and helping to better understand the local productive system.

Key-words: Sorghum; plantation field and animal raising; sustainability; farming area. Introdução

A demanda de grãos no Brasil cresce sistematicamente e mais de 95% dessa demanda é, atualmente, atendida pela cultura do milho. Por outro lado, mesmo com o significativo aumento nas safras brasileiras de milho, ainda há dificuldades para o

(2)

atendimento a essa demanda em expansão, tendo em vista o crescimento dos setores da avicultura, da suinocultura e da bovinocultura (COELHO et al. 2011). Dentre as diversas espécies de gramíneas que se prestam para ensilagem, o milho e o sorgo são as que melhor se adaptam para tal finalidade, pela facilidade de cultivo, altos rendimentos de massa verde e grãos, e especialmente a qualidade da silagem produzida, sem necessidade de qualquer aditivo químico ou biológico (MIRANDA e PEREIRA, 2011). A importância da silagem de milho e sorgo para sistemas de produção de carne ou leite é de considerável relevância para uso em momentos estratégicos, quer seja por escassez de alimentos em determinadas épocas do ano ou em sistemas estratégicos de estabulamento de bovinos (SANTOS, 1996). No intuito de proporcionar aos agricultores da região do vale do Urucuia no Noroeste mineiro uma alternativa viável de produção de alimentos e forragem e de geração de renda, a Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas – MG) em parceria com o IFNMG – Campus Arinos e Emater – MG implantaram uma unidade demonstrativa (projeto de transferência de tecnologia) no Campus Arinos disseminando a cultura do sorgo, usando-a como instrumentos na capacitação de profissionais da assistência técnica e de produtores no manejo da cultura, a validação de cultivares adaptadas às condições da região e a disponibilização de informações. Em comparação com o milho, bastante comum em grande parte do meio rural, o sorgo é mais tolerante a altas temperaturas (típicas na região), mais eficiente na absorção de água e de nutrientes do solo, além de suportar melhor situações de déficit hídrico (MIRANDA e PEREIRA, 2011). Em termos de qualidade nutricional dos grãos e da forragem, o sorgo e o milho são praticamente idênticos; uma vantagem para o sorgo é seu custo de produção, que geralmente é menor. O objetivo desse artigo foi apresentar algumas atividades desenvolvidas através da unidade demonstrativa de Sorgo implantada no IFNMG - Campus Arinos entre novembro de 2010 e março de 2011.

Material e Métodos

A implantação da unidade demonstrativa iniciou em 26 de novembro de 2010 com plantio direto do sorgo com as variedades BRS 610 (forrageiro); BRS 310 (granífero) e BRS 800 (corte e pastejo) (FIGURA 1). A área em estudo utilizada foi de 1,0 ha no Instituto Federal de Educação do Norte de Minas Gerais (IFNMG) – Campus Arinos no município de Arinos, no Noroeste de Minas Gerais.

As variedades de sorgo plantadas foram desenvolvidas pela Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas - MG). Durante o desenvolvimento da unidade demonstrativa os estudantes do curso técnico em agropecuária acompanharam o trabalho com os técnicos e pesquisadores da Embrapa Milho e Sorgo e professores do IFNMG – Campus Arinos. O principal público alvo ou grupos de interesse das unidades demonstrativas são estudantes, agentes de desenvolvimento rural sustentável (ADRS) de cooperativas e os produtores locais, usando-a como forma de gerar multiplicadores que garantam a permanência das ações e a ampliação do conhecimento produzido (SOARES et al. , 2011). No dia 16 de dezembro de 2010 realizou-se um dia de campo na unidade demonstrativa. O evento foi realizado através da parceria entre o IFNMG - Campus Arinos, Prefeitura Municipal de Arinos, EMATER - MG e Embrapa Milho e Sorgo. No dia de campo montou-se uma estação que tratou sobre o Sistema de Plantio Direto e Integração Lavoura Pecuária com a cultura do sorgo.

(3)

Figura 1 – (A) BRS 610 – Forrageiro; (B) – BRS 310 - Granífero; (C) – BRS 800 Corte/pastejo

Resultados e Discussão

Na região do vale do Urucuia, a cultura do sorgo ainda é incipiente. Em comparação com o milho, bastante comum em grande parte do meio rural, o sorgo é mais tolerante a altas temperaturas (típicas na região), mais eficiente na absorção de água e de nutrientes do solo, além de suportar melhor situações de déficit hídrico, como aponta o Engº Agrônomo Marco Aurélio Noce (Embrapa Milho e Sorgo). Na época do plantio das variedades de sorgo, os estudantes do curso técnico em agropecuária acompanhados pelos professores do IFNMG - Campus Arinos tiveram instruções sobre mecanização agrícola, regulagem de plantadeira, métodos de plantio e sobre as diferentes variedades de sorgo, além de orientações sobre a aplicação de dessecantes (Figura 2). Foi um momento interessante para os alunos, pois, presenciaram na prática a instalação da unidade demonstrativa e o contato com alta tecnologia desenvolvida por uma empresa de pesquisa em agropecuária reconhecida internacionalmente.

Figura 2 – (A) Preparo para o plantio de sorgo pelos Técnicos da Embrapa Milho e Sorgo e

(B) Estudantes do curso técnico em agropecuária do Campus Arinos

acompanhando o plantio.

A B C

(4)

No dia 16 de dezembro de 2010 aconteceu o primeiro dia de campo na unidade demonstrativa instalada. O evento contou além da presença dos alunos dos cursos técnicos em agropecuária do Campus Arinos, com a presença de mais de 60 agricultores da região, sindicato de trabalhadores e trabalhadoras rurais e Agentes de Desenvolvimento Rural Sustentável de cooperativas locais. Durante o dia de campo, na estação que tratou do sistema de Plantio Direto e Integração Lavoura Pecuária, o Engº Agrônomo Marco Aurélio Noce (Embrapa Milho e Sorgo) utilizou a unidade demonstrativa de sorgo como exemplo para a capacitação de estudantes e agricultores da região. A unidade demonstrativa é um canal facilitador para o acesso de informações sobre os benefícios concedidos pelas tecnologias desenvolvidas aos produtores rurais de Arinos e região. A capilaridade da Emater-MG e do IFNMG – Campus Arinos e a proximidade de seus técnicos e estudantes, respectivamente, com os produtores são importantes instrumentos para agilizarmos a reestruturação do setor agrícola no vale do Urucuia. As variedades de sorgo testadas serviram como instrumento de difusão tecnológica da Embrapa, contudo, o cronograma de atividades previamente constava de utilizar o gado na área produtiva para adaptação do terreno no sistema de integração lavoura-pecuária, o que não foi possível pois não conta-se ainda com animais no Campus. Na região do vale do Urucuia em que situa o município de Arinos ocorreu um forte veranico, alta temperatura e longo período de estiagem, entre 18 de janeiro e 15 de fevereiro de 2011 (Tabela 1). O veranico afetou razoavelmente a qualidade do sorgo produzido, porém, não comprometeu o objetivo da unidade demonstrativa, pois demonstrou sua alta resistência às condições climáticas adversas, reagindo com as precipitações pluviométricas ocorridas logo após o período de estiagem. Tabela 1 - Precipitação pluviométrica durante o período de estudo, Arinos-MG

Período Nov - 2010 Dez - 2010 Jan - 2011 Fev - 2011 Mar* - 2011 Precipitação

pluviométrica 289 mm 235,50 mm 290,25 mm 72m 127mm *Somente foi coletado dados até o dia 11 de março.

Conclusão

As unidades demonstrativas, cuja função maior é a de mostrar resultados consistentes e funcionais no foco de estudo mencionado, funcionam também como pólos de difusão, junto a produtores da região, de tecnologias e práticas viáveis para a melhoria da produção e produtividade nestas terras. Quando inseridas nos campi de Universidades ou Institutos Federais, estas unidades tem também uma função didática para os estudantes destas instituições, conforme verificado no IFNMG – Campus Arinos.

Literatura Citada

COELHO, A. M.; WAQUIL, J.M.; KARAM, D.; CASELA, C.R.; RIBAS, P.M. Seja

doutor do seu sorgo. Arquivo do Agrônomo - Nº 14. Encarte informações agronômicas

nº 100 – dezembro/2002. http://www.cnpms.embrapa.br/sorgo/ doutorsorgo.pdf. Acesso em 01/07/2011.

MIRANDA, J.E.C.; PEREIRA, J.R. Plantio de sorgo para silagem. Artigos técnicos. http://www.centraldapecuaria.com.br/artigos/visualiza.asp?artigo=15. Acesso em 02/07/2011.

(5)

SANTOS, L.A. Silagens de milho e sorgo: rendimento, qualidade e custo operacional. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas. 131 p.; 1996.

SOARES, T.A.A.; GOMES, C.A.S.; PEIXOTO, N.M.; BARROS, H.; SANTANA, E.D.

Parceiros da terra: uma experiência de assistência técnica extensão rural em cumaru – PE. Universidade Federal Rural de Pernambuco.

http://www.prac.ufpb.br/anais/Icbeu_anais/anais/trabalho/parceiros.pdf. Acesso em 07/07/2011.

Imagem

Referências

temas relacionados :