APROVAÇÃO DAS CONTAS NO ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO SOCIAL GANHOS OU PERDAS DE CAPITAL NA ALIENAÇÃO DE BENS

11 

Loading.... (view fulltext now)

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

ANO 26 | EDIÇÃO 318

Gestão Contábil

CRC / MG 004.780/0

Boletim Informativo Decta Gestão Contábil. Elaborado com base na legislação vigente em 22/11/2016. Sujeito a alterações. 02 02 03 03 04 05 05 06 07 08 Tabela de Contribuições Tabela de IRPF mensal Pisos Salariais para mês de Dezembro/2016

Tabela de Contribuições Calendário das Obrigações Tributárias para o mês de Dezembro/2016

ÍNDICE

TABELAS

APROVAÇÃO DAS CONTAS NO ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO SOCIAL

O encerramento do exercício social e a necessidade de reunião ou assembleia para deliberar sobre contas e outros assuntos.

PARCELAMENTO DE DÉBITOS DO SIMPLES NACIO-NAL

Procedimentos para o parcelamento de débitos do Simples Nacio-nal buscando evitar a exclusão do contribuinte.

PODERES DISCIPLINARES DO EMRPEGADOR

Poderes disciplinares e consequências cabíveis pelo descumprimento por parte do empregador e do empregado.

PROTESTO DE CERTIDÕES DE DÍVIDA ATIVA É CONS-TITUCIONAL, DECIDE STF

Segundo o STF, o protesto em cartório de certidões de dívida ativa é constitucional.

GANHOS OU PERDAS DE CAPITAL NA ALIENAÇÃO DE BENS

Apuração dos ganhos ou perdas de capital na alienação de bens e sua tributação em cada pessoa jurídica.

02

Aprovação das contas no encerramento do exercício social

Ganhos ou Perdas de Capital na Alienação de Bens Parcelamento de Débitos do Simples Nacional

Poderes Disciplinares do Empregador

Protesto de Certidões de Dívida Ativa é Constitucional, Decide STF

Magistrados Aprendem Novas técnicas para localizar bens de empresas que tentam burlar dívidas trabalhistas dívidas trabalhistas 02 02 03 03 04

MAGISTRADOS APRENDEM NOVAS TÉCNICAS PARA LOCALIZAR BENS DE EMPRESAS QUE TENTAM BUR-LAR DÍVIDAS TRABALHISTAS

Justiça do Trabalho se alia à Polícia Federal e à Receita Federal para aprimorar técnicas de investigação que favoreçam a identificação de fraudes patrimoniais e frustrem a tentativa de não pagamento dos direitos dos trabalhadores.

DEZEMBRO

12

2016

(2)

Conforme previsto no Código Civil, as sociedades deverão realizar anualmente, nos qua-tro meses seguintes ao término do exercício social, reunião ou assembleia, conforme previsto no contrato social, para delibe-rar sobre os seguintes assuntos: I - Tomar as contas dos

ad-ministradores e deli-berar sobre o balan-ço patrimonial e o resultado econômico; II - Designar administra-dores, quando for o caso; III - Tratar de qualquer outro as-sunto constante da ordem do dia. A deliberação em assembleia não é obrigatória para as sociedades em que o

núme-ro de sócios for inferior a 10 (dez). Torna-se dispensável a reunião ou assembleia quan-do toquan-dos os sócios decidi-rem, por escrito, sobre a ma-téria que dela seria objeto. Para que tenha efeito legal, o documento elaborado e assi-nado pelos sócios deverá ser encaminhado à Junta Comer-cial ou Cartório de Registro de Pessoas jurídicas para registro.

São considerados ganhos ou perdas os resultados obtidos na alienação, na baixa por perecimento, extinção, des-gaste, obsolência ou exaus-tão, ou na liquidação de bens ou direitos do ativo per-manente. Esses ganhos ou perdas serão computados na determinação do lucro real. O ganho ou a perda é a dife-rença, positiva (ganho) ou ne-gativa (perda/prejuízo), entre o valor pelo qual o bem ou di-reito houver sido alienado ou baixado e o seu valor contábil. O resultado encontrado será computado englobadamente no respectivo período de

ocor-rência para apura-ção do lucro real. Valor contábil do bem é aquele que estiver registrado na escritura-ção do contribuinte, diminuído, se for o caso, da depreciação. Sobre o valor do ganho apu-rado pela pessoa jurídica tri-butada pelo lucro real, presu-mido ou arbitrado, haverá a incidência de Imposto de Ren-da e Ren-da Contribuição Social. No caso de pessoa jurídica tri-butada pelo lucro real, o ganho será computado no resultado do período e será tributado em conjunto com as demais opera-ções da empresa. Na empresa tributada pelo lucro presumido, o ganho será adicionado ao

valor do lucro presumido e à base de cálculo da CSLL deter-minado sobre a receita bruta da empresa, ou seja, o ganho será tributado de forma direta em 15% pelo IRPJ e 9% pela CSLL. Os ganhos apurados na aliena-ção de bens pela pessoa jurídi-ca não serão computados na base de cálculo do Pis e Cofins. Em relação às pessoas jurí-dicas optantes pelo Simples Nacional, o ganho será tri-butado pelo IRPJ em 15%, em separado das receitas operacionais da empresa. Neste caso, o imposto é recolhi-do em DARF separarecolhi-do sob o có-digo 6297, com vencimento até o último dia útil do mês seguinte ao evento e não incidirá CSLL.

PARCELAMENTO DE DÉBITOS DO SIMPLES NACIONAL

A Instrução Normativa nº 1.670 estabeleceu procedi-mentos preliminares referentes ao parcelamento do Simples Nacional, previsto no art. 9º da Lei Complementar nº 155, de 27 de outubro de 2016. O contribuinte com débitos até a competência do mês de maio de 2016 e que foi notificado para exclusão do Simples

Na-cional em setembro de 2016, em face da existência de débitos tributários, poderá ma-nifestar previamente a opção pelo parcelamento, no período de 14 de novembro de 2016 a 11 de dezembro de 2016, por meio do formulário eletrô-nico “Opção Préviaao Parce-lamento da LC 155/2016”, disponível na página da Re-ceita Federal (RFB) na Internet. Para fazer a opção prévia pelo parcelamento, o

contri-buinte deve acessar link que está disponível em mensagem encaminhada à Caixa Pos-tal do contribuinte no Domi-cílio Tributário Eletrônico do Simples Nacional (DTE-SN). A opção prévia tem tão somen-te o efeito de evitar a exclusão do contribuinte em virtude de débitos apurados na forma do Simples Nacional até a compe-tência de maio de 2016, e não o dispensa de efetuar o pedi-do definitivo pedi-do

parcelamen-APROVAÇÃO DAS CONTAS NO ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO SOCIAL

GANHOS OU PERDAS DE CAPITAL NA ALIENAÇÃO DE BENS

(3)

to a partir de 12/12/2016, com vistas ao processo de consolidação dos débitos e pagamento da primeira par-cela, conforme regulamenta-ção a ser editada pelo Comitê Gestor do Simples Nacional. Em setembro de 2016 a

Recei-ta Federal enviou notificação para 584.677 contribuintes devedores do Simples Nacio-nal, que respondem por dívi-das de R$ 21,3 bilhões, e que agora podem se regularizar fa-zendo a opção prévia e, poste-riormente, aderindo ao

parce-lamento do Simples Nacional. O contribuinte que quer sa-ber se recebeu a notificação para exclusão do Simples

Na-cional e precisa fazer a op-ção prévia deverá entrar em contato com a contabilidade.

PODERES DISCIPLINARES DO EMPREGADOR

O empregador tem o direito de fiscalizar, controlar, disciplinar, organizar suas atividades, de-corrente do seu poder diretivo e garantido pela legislação, pois é ele quem contrata seus empregados e assume os ris-cos da atividade econômica. O empregado, por sua vez, tem obrigação de obedecer às normas da empresa e do contrato de trabalho por existir um vínculo empregatício que possui, como uma de suas ca-racterísticas, a subordinação. Os empregados, apesar de serem considerados hipossu-ficientes na relação de traba-lho, por serem a parte mais

fraca, gozam de to-dos os direitos fun-damentais estabeleci-dos na Constituição Federal, como os direitos da intimidade e da vida priva-da, além do princípio da dig-nidade da pessoa humana. Portanto, existe uma colisão de direitos fundamentais, sen-do que de um lasen-do aparece o poder de direção do empre-gador, com fundamento em seu direito de propriedade, e do lado oposto os direitos da personalidade do emprega-do. Deve-se, para solucionar o conflito, utilizar um critério de proporcionalidade, onde se busca medir o peso dos direi-tos envolvidos em cada caso concreto, para ao final preva-lecer o direito fundamental que

melhor solucione a questão. O poder de direção, sem dú-vida nenhuma, deve sofrer limitações, devendo isso ser observado em cada caso, sob pena de ser o contrato rescindido por culpa do em-pregador, que ainda poderá suportar eventual indenização por danos materiais e morais. Por outro lado, o controle e as ordens não abusivas devem ser obedecidas pelos empre-gados, pois, se descumpridas, poderá o empregador fazer uso das sanções que lhe com-petem, inclusive rescindindo o contrato de trabalho por justa causa, sob a alegação de in-subordinação ou indisciplina.

PROTESTO DE CERTIDÕES DE DÍVIDA ATIVA É CONSTITUCIONAL, DECIDE STF

O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) julgou improce-dente a Ação Direta de Incons-titucionalidade (ADI) 5135, em que a Confederação Nacional da Indústria (CNI) questionou norma que incluiu, no rol dos tí-tulos sujeitos a protesto, as Cer-tidões de Dívida Ativa (CDA) da União, dos estados, do Dis-trito Federal, dos municípios e das respectivas autarquias e fundações públicas. Por maio-ria, o Plenário entendeu que a utilização do protesto pela Fazenda Pública para

promo-ver a cobran-ça extrajudi-cial de CDAs e acelerar a recupera-ção de créditos tributários é constitucional e legítima. A norma questionada pela CNI é o parágrafo único do artigo 1º da Lei 9.492/1997, que foi acrescentado pelo ar-tigo 25 da Lei 12.767/2012 para incluir as CDAs no rol dos títulos sujeitos a protesto. De acordo com a lei, protesto é o ato formal e solene pelo qual se prova a inadimplência e o descumprimento de

obri-gação originada em títulos e outros documentos de dívida. A tese fixada pelo relator, o ministro Luís Roberto Barroso, e acolhida pela maioria foi: “O protesto das certidões de dívida ativa constitui mecanis-mo constitucional e legítimecanis-mo por não restringir de forma desproporcional quaisquer direitos fundamentais garanti-dos aos contribuintes e, assim, não constituir sanção política”. A minoria divergente seguiu o entendimento segundo o qual o protesto de CDAs representa sanção política, viola o devido

(4)

processo legal e o direito de ampla defesa do contribuinte. Para o ministro Lewandowski, o protesto é um ato unilateral da administração, sem qual-quer participação do contri-buinte e tem como único ob-jetivo constranger o devedor. Contudo, prevaleceu o enten-dimento de que o protesto de CDAs não configura sanção política, porque não restringe de forma desproporcional di-reitos fundamentais assegura-dos aos contribuintes. Em seu

voto, o relator salientou que essa modalidade de cobrança é menos invasiva que a ação judicial de execução fiscal, que permite a penhora de bens e o bloqueio de recursos nas contas de contribuintes inadimplentes. O ministro Barroso acrescentou na sessão de hoje que o protes-to não impede o funcionamenprotes-to de uma empresa e que a pos-sibilidade de a Fazenda Públi-ca efetuar a cobrança judicial não representa um impedimen-to à cobrança extrajudicial.

O relator destacou, ademais, que a redução do número de cobranças judiciais deve fa-zer parte do esforço de desju-dicialização das execuções fiscais, pois, segundo levan-tamento do Conselho Nacio-nal de Justiça (CNJ), cerca de 40% das ações em tramitação no País são dessa categoria. Fonte:http://www.stf.jus. b r / p o r t a l / c m s / v e r N o t i - ciaDetalhe.asp?idConteu-do=329103 - com adaptações.

MAGISTRADOS APRENDEM NOVAS TÉCNICAS PARA LOCALIZAR BENS DE EMPRESAS QUE TENTAM BURLAR DÍVIDAS TRABALHISTAS

Foi realizado, no dia 11 de novembro último, no Tribunal Superior do Trabalho, em Bra-sília, o I Workshop de Efetivi-dade da Execução Trabalhista. O evento, que contou com a participação de representantes da Polícia Federal, de audito-res fiscais, procuradoaudito-res do trabalho e magistrados, visou aprimorar as técnicas de in-vestigação da análise patrimo-nial, para identificar tentativas de fraudes no pagamento de direitos do que foi determina-do pela Justiça determina-do Trabalho.

Fraudes Patrimoniais:

Foram apresentadas, pelo co-ordenador da Rede Nacional de Laboratórios de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro (Rede Lab-LD), as metodologias e a tecnologia para análise de dados aplicada para iden-tificar fraudes patrimoniais. Através dela são apurados pro-cedimentos que envolvem lava-gem de dinheiro, corrupção,

c r i m e organi-z a d o , crimes contra o patrimônio público e outros ilícitos envolvendo que-bra de sigilo bancário, fiscal ou grandes volumes de dados de diferentes fontes e formatos. Em outubro, o CSJT firmou acor-do de cooperação com o Minis-tério da Justiça regulamentando a implantação da Rede Lab-LD na Justiça do Trabalho. A ferra-menta permitirá que empresas que tentam fraudar falência na tentativa de se isentar do paga-mento de direitos trabalhistas sejam facilmente identificadas.

Dossiê integrado da Recei-ta Federal:

Outro método apresentado foi o dossiê integrado da Recei-ta Federal, sistema que forne-ce informações compiladas sobre operações de locação imobiliária, operações de car-tão de crédito, declarações de rendas de pessoas físicas, alterações de propriedades imobiliárias, operações de co-mércio exterior, entre outras.

SIMBA na execução da Vara Vasp:

O juiz do trabalho responsável pelo processo da Vasp falou sobre as dificuldades e alterna-tivas para encontrar os bens da empresa para pagar os traba-lhadores. De acordo com ele, o Sistema de Investigação de Mo-vimentações Bancárias (SIM-BA), que permite a movimenta-ção de dados entre instituições financeiras e órgãos públicos, mediante prévia autorização judicial de afastamento de si-gilo bancário, foi um grande aliado na busca patrimonial.

Arranjo de pagamento:

Os arranjos de pagamento online por bitcoin, Paypal e cartões pré-pagos, segundo representante do Banco Cen-tral, “são possibilidades de uma doação de recursos nas contas de pagamento. Essas contas de pagamento vão inte-grar o Cadastro de Clientes do Sistema Financeiro Nacional (CCS) e vão poder ser acio-nadas via BacenJud assim que as instituições de pagamento estiverem autorizadas, essa é a contribuição dos arran-jos para Justiça Trabalhista." Ele destacou que os recursos mantidos em conta de paga-mento, constituem patrimônio separado, e não se confundem

(5)

FORMA DE PAGAMENTO CONTRIBUINTE INDIVIDUAL/ FACULTATIVO

A forma de contribuição para o INSS, nos casos de Contribuinte Individual e Facultativo, poderá se dar de duas maneiras: pelo plano normal de contribuição ou pelo plano simplificado de contribuição.

Plano normal de contribuição

Alíquota de 20% sobre o salário-de contribuição: os recolhimentos efetuados neste plano servirão para contagem de tempo e concessão de todos os benefícios previdenciários. O valor a ser pago, deverá respeitar o valor da alíquota multiplicada pelo valor do salário mínimo até o valor da alíquota multiplicada pelo teto previdenciário.

Observações:

O Contribuinte Individual, que prestar serviços à Pessoa Jurídica, terá descontado o valor de 11% da sua remuneração. A empresa é que ficará responsável pelo repasse deste valor ao INSS através da sua folha de pagamento. Caso o total de remunerações do mês deste contribuinte individual seja inferior ao valor mínimo vigente, ele terá que complementar a contribuição.

Planos simplificados de contribuição

Alíquota de 11% sobre o salário mínimo: poderá contribuir neste plano apenas o Contribuinte Individual e o Facultativo que não prestem

serviços e nem possuam relação de emprego com Pessoa Jurídica, com cálculo exclusivamente sobre o valor do salário mínimo vigente no momento do recolhimento. Alíquota de 5% sobre o salário mínimo: poderá contribuir neste plano apenas o Facultativo que se enquadre nos requisitos de pertencer a família de baixa renda e esteja inscrito no sistema Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal – CadÚnico, o qual é operacionalizado pelo Serviço Social dos municípios.

com o da instituição de paga-mento, não podendo ser obje-to de arresobje-to, sequestro, busca e apreensão ou qualquer ato de constrição judicial. Segun-do ele, as moedas virtuais não são emitidas nem garantidas por uma autoridade monetária e não tem garantia de conver-são em moeda oficial. Por ou-tro lado, elas têm variação de preços muito grande e rápida, são vulneráveis e tem rastreabi-lidade reduzida. Estão fora da regulamentação do Bacen e não conseguem ser rastreadas. De acordo com ele, as moe-das de bitcoin são como ati-vos de proteção em mercados politicamente instáveis e de-vido a isso, a preocupação é com a lavagem de dinheiro.

Técnicas de investigação e Análise Patrimonial:

A Polícia Federal apresentou a metodologia de investigação tradicional utilizada, a partir da autorização judicial, para elucidação de casos de sus-peitas de fraudes financeiras e de ocultação patrimonial, com o objetivo de identificar a autoria, realizar a prisão e apreensão, além de recuperar ativos. Ela relacionou a cada técnica a descoberta das for-mas de como empresas agem para realizar a ocultação pa-trimonial, o que reflete direta-mente em fraudes trabalhistas, que sem uma investigação efetiva com a elucidação do caso, propicia a ocorrência de abstenção ou retardamen-to de execuções trabalhistas. "O vínculo da Polícia Federal com a Rede Lab-LD é um am-biente técnico e de colabora-ção, no qual os servidores da Justiça do Trabalho" terão

ca-pacidade para realizar a cole-ta de dados para realizar uma análise financeira das empre-sas que possuem dívidas traba-lhistas. Realizando a análise de vínculos cadastrais, societários e empregatícios," salientou. http://www.tst.jus.br/noti-cias/-/asset_publisher/89Dk/ content/magistrados-apren- dem-novas-tecnicas-para-lo- calizar-bens-de-empresas- quesas-que-tentam-burlar-di- vidas-trabalhistas?redirec-t = h vidas-trabalhistas?redirec-t vidas-trabalhistas?redirec-t p % 3 A % 2 F % 2 F w w w. t s t . j u s . b r % 2 F n o t i c i a s % - 3Fp_p_id%3D101_INSTANC E _ 8 9 D k % 2 6 p _ p _ l i f e c y - cle%3D0%26p_p_state%3D- normal%26p_p_mode%3D- view%26p_p_col_id%3Dco- lumn-1%26p_p_col_pos%-3D2%26p_p_col_count%3D5 -Texto com adaptações.

(6)

SEGURADOS EMPREGADO, EMPREGADO DOMÉSTICO E TRABALHADORES AVULSOS À PARTIR DA COMPETÊNCIA 1º. DE JANEIRO DE 2016

Salário de

Contribuição R$ Fins de recolhimento ao INSS (%)Alíquota para Alíquota para determinação da base de cálculo do IRPF (%)

Até 1.556,94 8,00 8,00

De 1556,95 até 2.594,92 9,00 9,00

De 2.594,93 até 5.189,82 11,00 11,00

TABELA PROGRESSIVA MENSAL DO IRPF-2.016 DE DEZEMBRO DE 2016

Base de Cálculo Mensal em R$ Alíquota (%) Parcela a Deduzir do Imposto em R$

Até 1.903,98 -

-De 1.903,99 até 2.826,65 7,5 142,80

De 2.826,66 até 3.751,05 15,0 354,80

De 3.751,06 até 4.664,68 22,5 636,13

Acima de 4.664,68 27,5 869,36

Dedução por dependente 189,59

06

SALÁRIO FAMÍLIA

Salários até (R$) Cota (R$)

Salários até 806,80 41,37

De 806,81 até a 1.212,64 29,16

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO À PARTIR DA COMPETÊNCIA JANEIRO DE 2016

Contribuinte Individual e Facultativo

Salário-Base Alíquota Valor da Contribuição

880,00 11% 96,80

De 880,01 até 5.189,82 20% 176,00 a 1.037,96

UFIR 1,0641 UPF/PBH R$24,08

UFEMG (2016) R$ 3.0109

(7)

PISOS SALARIAIS DE DEZEMBRO

DE 2016

SINDICATO DAS COSTUREIRAS

PISOS POR GRUPOS DE FUNÇÕES (CCT 2016/2017) FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORESNO COMÉRCIO E CONGENERES MG (CCT 2016/2017)

•GRUPO I R$ 889,00 •GRUPO II R$ 899,00 •GRUPO III R$ 919,00

•GRUPO IV R$ 940,00

•GRUPO Especial R$ 977,90 •Comércio: R$925,00•Serviços: R$925,00 SINDICATO EMP. COM. BH E REGIÃO

METROPO-LITANA (CCT 2016/2017) - PISOS POR FUNÇÃO

SINDICATO EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE BETIM (2016/2017)

•Office-boy, Copeiro, Faxineiro, Servente, Empacotador, Serviços gerais, Entregador e Vigia e demais empregados: R$ 997,05

•Balconista e Vendedores: R$ 1.033,31 •R$ 938,84 SINDICATO EMP. COM. DE CONTAGEM

(CCT 2016/2017) - PISOS POR FUNÇÃO

SINDICATO DE HOTÉIS, BARES, RESTAURANTES E SIMILARES(CCT 2015/2016)

A partir de janeiro de 2016. •Office-boy, Copeiro, Faxineiro, Servente, Empacotador, Serviços

gerais, Entregador e Vigia: R$ 950,00

•Vendedores, Balconistas e demais empregados:R$ 973,46

•Até 90 dd Dias : R$ 880,00 •Após 90 dd Dias: R$ 930,00 SINDICATO TRAB. IND. PANIFICAÇÃO

(CCT 2016/2017) PISOS POR FUNÇÃO

MOTORISTA Transporte Rodoviário de Carga CCT 2016/2017

•Atendimento ou Balcão: R$ 921,30

•Ajudante de Padeiro, Forneiro, Confeiteiro: R$ 943,50 •Promotora de Venda: R$ 943,50

•Padeiros, Confeiteiros, Doceiros, Baleiros, Forneiro: R$ 1.007,88 •Panifeiro: R$ 943,50

•Sub Gerente: R$ 960,15 •Gerente: R$ 1.055,61

•Aux. Adm./ Escritório:R$ 921,30 •Repositor: R$ 921,30

•Fiscal de loja: R$ 921,30 •Vigia:R$ 943,50

•Motorista de Carreta até 06 eixos: R$1.705,28 •Motorista não articulado até 9000KG: R$1.318,38 •Motorista outros e Operador Empilhadeira: R$1.160,73 •Conferente: R$ 1.046,09

•Ajudante: R$ 902,80

•Jovem aprendiz e salário ingresso: R$ 880,00 Á Partir de novembro de 2016:

• Motorista de Carreta até 06 eixos: R$1.739,39 •Motorista não articulado até 9000KG: R$1.344,75 Motorista outros e Operador Empilhadeira: R$1.183,95 •Conferente: R$ 1.067,02

•Ajudante: R$ 920,86

•Jovem aprendiz e salário ingresso: R$ 880,00 SINDHOTEIS BETIM, CONTAGEM E REGIÃO

METROPOLITANA (2016/2017) Piso salarial em estudo •Admissão até 90 dias - R$ 880,00

•Após 90 dias - R$ 959,00

Govenanta, maitre, cozinheiro, pasteleiro, garçom, pizzaiolo, chur-rasqueiro, salgadeiro - R$ 981,00.

Trabalhador que comprove experiência não poderá ser admitido com salário mínimo do governo.

•Reajuste 9% 01/2016

CONSTRUÇÃO CIVIL (2015/2016) SINDICATO DOS TRAB. COM. DE MINÉRIOS E DERIVADOS DE PETRÓLEO (CCT 2016/2017) •Servente: 11/2015 A 01/2016 R$926,20 á partir 01/02/2016 R$965,80 •Vigia : 11/2015 A 01/2016 R$957,00 á partir 01/02/2016 R$998,80 •½ Oficial : 11/2015 A 01/2016 R$1.067,00 á partir 01/02/2016 R$1.113,20 •Oficial: R$ 11/2015 A 01/2016 R$1.416,80 á partir 01/02/2016 R$1.478,40 •Até 90dd. Dias: R$ 938,79 •Após 90dd. Dias: R$ 959,96

Periculosidade 30% s/salário contratual Quebra de caixa 10%.

Nota: Para melhor detalhamento consultar CCT. Sujeito a alterações

(8)

08

Calendário das Obrigações Tributárias para o mês de Dezembro

de 2016

ATÉ O DIA OBRIGAÇÃO HISTÓRICO

05 (2ª. feira)

ISSQN Belo Horizonte ref. 11/2016 Recolhimento do ISSQN devido pelos contribuintes em geral ou responsáveis, inclusive sociedades de profissionais liberais, relativamente aos fatos geradores ocorridos no mês de Novembro/2016.

ICMS / Prestador de Serviço de Transporte ref. 11/2016

Prestador de Serviço de Transporte. Último dia para o recolhimento de ICMS devido pelo prestador de serviço de transporte, referente ao mês de Novembro/2016. (Até o dia 9 (nove) do mês subsequente ao da ocorrência do fato gerador - Art. 85, § 3º, I, "b.3", do RICMS/MG).

06 (3ª. feira) Salários ref.11/2016 Pagamento dos salários mensais. O prazo para pagamento dos salários mensais é até 5° dia útil do mês subsequente ao vencimento. O sábado e contado como dia útil.

07 (4ª feira) FGTS ref. 11/2016

Depósito em conta bancária vinculada dos valores relativos ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, correspondentes á remuneração paga ou devida em Novembro/2016. aos trabalhadores.

Simples Doméstico ref. 11/2016 Unificação da contribuição INSS Empregador e empregado + FGTS + multa rescisória. Novembro/2016.

08 (5ª feira)

ICMS Comércio Atacadista ref.

11/2016 Recolhimento do imposto devido pelos demais atacadistas, referente ao mês de Novem-bro/2016. conforme Art. 85, I “b.1”, do RICMS/MG.

ICMS Comércio ref. 11/2016

Comércio Varejista, Inclusive Hipermercados, Supermercados e Lojas de Departamentos. Último dia para o recolhimento de ICMS devido pelo comércio varejista, inclusive hipermer-cados, supermercados e lojas de departamentos, referente ao mês de Novembro/2016. (Até o dia 9 (nove) do mês subsequente ao da ocorrência do fato gerador - Art. 85, § 3º, I, "b.2", do RICMS/MG).

ICMS / Substituição Tributária ref. 11/2016

ICMS-Substituição Tributária. Diversos Produtos. Último dia para o recolhimento do ICMS devido por Substituição Tributária dos produtos relacionados na Parte 2 do Anexo XV, no mês subsequente ao da saída das mercadorias dos estabelecimentos industriais situados no Estado de Minas Gerais ou nas unidades da Federação com as quais Minas Gerais tenham celebrado protocolo ou convênio para a instituição de substituição tributária, com destino a estabelecimento de contribuinte do Estado, referente à Novembro/2016.(Até o dia 9 (nove) do mês subsequente ao da saída da mercadoria, relativamente às operações com as mercadorias relacionadas nos itens 15, 18 a 24, 28 a 41 da Parte 2 do Anexo XV - Art. 46, III, "a", da Parte 1 do Anexo XV do RICMS/MG).

ISSQN Contagem ref. 11/2016 Recolhimento do ISSQN devido pelos contribuintes em geral ou responsáveis, inclusive sociedades de profissionais liberais, relativamente aos fatos geradores ocorridos no mês de Novembro/2016.

ICMS/ Indústria ref. 11/2016

Demais Estabelecimentos Industriais. Último dia para o recolhimento de ICMS devido pelos demais estabelecimentos industriais, exceto pelos estabelecimentos fabricantes de brinquedos e outros jogos recreativos, classificados no CNAE-F nº. 3694-3/99, de fraldas descartáveis e absorventes higiênicos, classificados no CNAE-F nº. 2149-0/01 e de artigos de perfumaria e cosméticos, classificados no CNAE-F nº. 2473-2/00, referente ao mês de Novembro/2016. (Até o dia 15 (quinze) do mês subsequente ao da ocorrência do fato gerador - Art. 85, I, "c.1", do RICMS/MG).

09(6ª feira) GPS – INSS ENVIO AO SINDI-CATO Envio ao Sindicato da categoria profissional mais numerosa entre os empregados da cópia da guia da Previdência social – GPS referente a competência Novembro/2016. 12 (2º feira) ISSQN Nova Lima ref. 11/2016 Recolhimento do ISSQN devido pelos contribuintes em geral ou responsáveis, inclusive sociedades de profissionais liberais, relativamente aos fatos geradores ocorridos no mês

de Novembro/2016.

15 (5ª feira)

Escrituração Fiscal Digital – PIS/ COFINS ref. 11/2016

EFD-PIS/COFINS

Último dia para a transmissão das EFD-PIS/COFINS, que serão transmitidas mensalmente ao SPED, ao que se refira à escrituração, inclusive nos casos de extinção, incorporação, fusão e cisão total ou parcial, relativos a Novembro/2016. (Até o 10º dia útil do segundo mês subsequente ao que se refira a escrituração – Instrução Normativa RFB nº 1.052, de 05 de julho de 2010).

INSS ref. 11/2016 Recolhimento das contribuições previdenciárias relativas a competência Novembro/2016.devidas pelos contribuintes individuais, pelo facultativo e pelo segurado especial que tenha optado pelo recolhimento na condição de contribuinte individual.

Arquivo Eletrônico -Usuário de PED

Último dia para os contribuintes usuários de Processamento Eletrônico de Dados (PED) transmitirem, via internet, para a Secretaria de Estado da Fazenda, arquivo eletrônico re-ferente à totalidade das operações de entrada e saída de mercadorias ou bens e de aqui-sições e prestações de serviços realizadas em Novembro/2016. com o registro fiscal dos documentos recebidos e emitidos. Arts. 10 a 12 da Parte 1 do Anexo VII do RICMS/MG.

Arquivo Magnético – SINTEGRA

Último dia para entrega via internet, para a Secretaria de Estado da Fazenda de Minas Gerais, do arquivo magnético correspondente à totalidade das operações de entrada e saída de mercadorias ou bens e das aquisições e prestações de serviços realizadas no período de apuração, referente ao mês de Novembro/2016. Art. 11 da Parte 1 do Anexo VII do RICMS/MG.

ISSQN Santa Luzia ref. 11/2016

Recolhimento do ISSQN devido pelos contribuintes em geral ou responsáveis, inclusive sociedades de profissionais liberais, relativamente aos fatos geradores ocorridos no mês de Novembro/2016.

ISSQN Vespasiano ref. 11/2016 Recolhimento do ISSQN devido pelos contribuintes em geral ou responsáveis, inclusive sociedades de profissionais liberais, relativamente aos fatos geradores ocorridos no mês de Novembro/2016.

(9)

09

ATÉ O DIA OBRIGAÇÃO HISTÓRICO

20(3ª.feira)

INSS – Parcelamento Pagamento da parcela mensal acrescida de juros pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), pelos contribuintes que optaram pelo Parcelamento Especial de Débitos (Paes). Contribuição Previdenciária

Patronal

Recolhimento da contribuição Previdenciária sobre Receita Bruta – Desoneração da Folha de Pagamento. Relativamente aos fatos geradores ocorridos no mês de Novem-bro/2016.

IRRF ref. 11/2016

Rendimentos do Trabalho (Salários, Pró-Labore, Serviços de Autônomos, Aluguéis, Ser-viços Profissionais). Pagamento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 01/11/2016 a 30/11/2016 dos rendimentos do trabalho e outros

CSRF Retenção das contribuições - ref. Período 01 a 30/11/2016

Retenções federais - até o último dia útil do segundo decêndio do mês subsequente àquele mês em que tiver ocorrido o pagamento à pessoa jurídica fornecedora dos bens ou prestadora do serviço de Novembro/2016.

Simples Nacional ME e EPP - ref.

11/2016 Até o dia 20 do mês subsequente àquele em que houver sido auferida a receita bruta.

SIMEI - ref. 11/2016 Sistema de Recolhimento em Valores Fixos Mensais dos Tributos abrangidos pelo SIM-PLES NACIONAL. Último dia para o recolhimento do Pagamento do DAS em valor fixo por parte do Microempreendedor Individual (MEI) referente ao mês de Novembro/2016.

GPS - ref. 13º Salário Recolhimento das contribuições previdenciárias relativas ao 13º./2016, devidas pela empresa e equiparada, INSS/GPS - ref. 11/2016

Recolhimento das contribuições previdenciárias relativas à competência de Novem-bro/2016. devidas pela empresa e equiparada, inclusive da retida sobre cessão de mão-de-obra ou empreitada e da descontada do contribuinte individual que lhe tenha prestado serviço.

2 º parcela - 13º salário Pagamento ao colaborador relativo a 2º parcela do 13º salário/2016.

ISSQN Sabará ref. 11/2016

Recolhimento do ISSQN devido pelos contribuintes em geral ou responsáveis, inclusive sociedades de profissionais liberais, relativamente aos fatos geradores ocorridos no mês de Novembro/2016.

ISSQN Brumadinho Ref. 11/2016

Recolhimento do ISSQN devido pelos contribuintes em geral ou responsáveis, inclusive sociedades de profissionais liberais, relativamente aos fatos geradores ocorridos no mês de Novembro/2016.

23 (6º feira)

COFINS ref. 11/2016 Pagamento mensal da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social, cujos fatos geradores ocorreram no mês de Novembro/2016. IPI ref. 11/2016 Pagamento do IPI apurado no mês de Novembro/2016. incidente sobre “demais produ-tos”. PIS ref. 11/2016 Pagamento mensal da Contribuição ao Programa de Integração Social, cujos fatos gera-dores ocorreram no mês de Novembro/2016. SPED. Fiscal ref. 11/2016

SPED - Sistema Público de Escrituração Digital

Último dia para os contribuintes do Estado de Minas Gerais apresentarem a EFD com as informações relativas a um mês civil ou fração, ainda que as apurações dos impostos (IPI e ICMS) sejam efetuadas em períodos inferiores a um mês, referente ao mês de Novembro/2016.

28(4ª. feira) ISSQN Betim Ref. 11/2016 Recolhimento do ISSQN devido pelos contribuintes em geral ou responsáveis, inclusive sociedades de profissionais liberais, relativamente aos fatos geradores ocorridos no de Novembro/2016.

29 (5ª. feira)

IRPJ e CSLL ref. 11/2016 Recolhimento do IRPJ e CSLL devido pelas pessoas jurídicas, calculado com base no lucro estimado.

IRPF Carnê Leão ref. 11/2016 Pagamento do Imposto de Renda devido por pessoas físicas sobre rendimentos recebi-dos de outras pessoas físicas ou de fontes do exterior, no mês de Novembro/2016. Parcelamento Especial Simples

Nacional- Parcela 11/2016 Último dia para recolhimento, pelas ME/EPP optantes do SIMPLES NACIONAL que aderi-ram ao Parcelamento Especial da L.C. nº. 123/2006 nos termos da IN SRF nº. 750/2007.

Parcelamento Especial da Lei no. 11.941/2009

Parcelamentos Especiais Previstos na Lei nº. 11.941/2009 regulamentado pela Portaria Conjunta PGFN/RFB nº. 06/2009

Último dia para o recolhimento, pelas Pessoas Jurídicas e Físicas optantes pelos parce-lamentos especiais previstos na Lei nº. 11.941/2009, do pagamento à vista ou da parcela de acordo com os códigos de DARF estabelecidos pelo AD Executivo CODAC nº. 65, de 27.07.2009 (Até o último dia útil do mês).

Refis/PAES/PAEX – Parcelamentos

Programa de Recuperação Fiscal (REFIS); Parcelamento Especial/PAES e Parcelamento Excepcional/PAEX. Último dia para recolhimento, pelas pessoas jurídicas optantes pelos parcelamentos, da parcela relativa ao PAES e do REFIS, na forma do parcelamento vinculado à receita bruta e parcelamento alternativo.

(10)
(11)

PABX 31 3292.7400 - FAX 31 3291.4090

Rua João Lúcio Brandão, 183 Bairro Prado | Belo Horizonte/MG | 30.411-046

www.dectanet.com.br

GESTÃO CONTÁBIL, FATOR DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL

Gestão Contábil

Imagem

Referências

temas relacionados :