algo inteligente, por que não encomendou a Gore Vidal ou Woody Allen? TRINTA ANOS DE UMA FRASE INFELIZ

Texto

(1)

TRINTA ANOS DE UMA FRASE INFELIZ

Ele não podia ter arrumado outra frase? Vá lá que haja perpetrado grande feito indo à Lua, embora tal empreendimento soe hoje exótico como uma viagem de Gulliver. Mas Neil Armstrong, o primeiro astronauta a pisar na Lua, precisava ter dito:

“Este é um passo pequeno para um homem, mas um salto gigantesco para a humanidade”? Não podia ter se contentado com algo mais natural (“Quanta poeira”, por exemplo), menos pedante (“Quem diria, conseguimos”), mais útil como informação (“Andar aqui é fácil/difícil/gostoso/dói a perna”) ou mais realista (“Estou preocupado com a volta”)? Não podia.

Convencionou-se que eventos solenes pedem frases solenes. Era preciso forjar para a ocasião uma frase

“histórica”. Não histórica no sentido de que fica guardada para a posteridade - a posteridade guarda também frases debochadas, como “Se eles não têm pão, comam brioches”. Histórica, no caso, equivale à frase edificante. É a história em sua versão, velhusca e fraudulenta, de “Mestra da Vida”, a História rebaixada a ramo da educação moral e cívica. À luz desse entendimento do que é “histórico”, Armstrong escolheu sua frase. Armstrong teve tanto tempo para pensar, no longo período de preparativos, ou outros tiveram tempo de pensar por ele, no caso de a frase lhe ter sido oferecida de bandeja, junto com a roupa e os instrumentos para a missão, e foi sair-se com um exemplar do primeiro gênero. Se era para dizer algo bonito, por que não recitou Shakespeare? Se queria

algo inteligente, por que não encomendou a Gore Vidal ou Woody Allen?

(Roberto Pompeu de Toledo. Veja, 21/07/99)

01) O tema central do texto é:

(A) A indignação pelos poucos dados enviados sobre a aventura da ida do homem à Lua.

(B) A narrativa da aventura do primeiro homem a pisar na Lua.

(C) A importância do acontecimento do homem ter chegado à Lua.

(D) A discordância com respeito à frase escolhida para um momento grandioso.

Texto para a questão 02

Essas moças tinham o vezo de afirmar o contrário do que desejavam. Notei a singularidade quando principiaram a elogiar o meu paletó cor de macaco.

Examinavam-no sérias, achavam o pano e os aviamentos de qualidade superior, o feitio admirável.

Envaideci-me: nunca havia reparado em tais vantagens. Mas os gabas se prolongaram, trouxeram- me desconfiança. Percebi afinal que elas zombavam e não me susceptibilizei. Longe disso: achei curiosa aquela maneira de falar pelo avesso, diferente das grosserias a que me habituara. Em geral me diziam com franqueza que a roupa não me assentava no corpo, sobrava nos sovacos.

RAMOS, G. Infância. Rio de Janeiro: Record, 1994.

02) Por meio de recursos linguísticos, os textos mobilizam estratégias para introduzir e retomar ideias, promovendo a progressão do tema. No fragmento transcrito, um novo aspecto do tema é introduzido pela expressão:

(A) “a singularidade”

(B) “tais vantagens”

(C) “os gabos”

(D) “longe disso”

(2)

Charge para a questão 03

03) Os meios de comunicação podem contribuir para a resolução de problemas sociais, entre os quais o da violência sexual infantil. Nesse sentido, a propaganda usa a linguagem conotativa do pesadelo para:

(A) Informar crianças vítimas de abuso sexual sobre os perigos dessa prática, contribuindo para erradicá-la.

(B) Denunciar ocorrências de abuso sexual contra meninas, com o objetivo de colocar criminosos na cadeia.

(C) Destacar que a violência sexual infantil predomina durante a noite, o que requer maior cuidado dos responsáveis nesse período.

(D) Chamar a atenção para o fato de o abuso infantil ocorrer durante o sono, sendo confundido por algumas crianças com um pesadelo.

Texto para a questão 04

Eu acho um fato interessante… né… foi como meu pai e minha mãe vieram se conhecer… né… que…

minha mãe morava no Piauí com toda família… né…

meu… meu avô… materno no caso… era

maquinista… ele sofreu um acidente… infelizmente morreu… minha mãe tinha cinco anos… né… e o irmão mais velho dela… meu padrinho… tinha dezessete e ele foi obrigado a trabalhar… foi trabalhar no banco… e… ele foi… o banco… no caso…

estava… com um número de funcionários cheio e ele teve que ir para outro local e pediu transferência prum local mais perto de Parnaíba que era a cidade onde eles moravam e por engano o… o… escrivão entendeu Paraíba… né… e meu… e minha família veio parar em Mossoró que era exatamente o local mais perto onde tinha vaga pra funcionário do Banco do Brasil e:: ela foi parar na rua do meu pai… né… e começaram a se conhecer… namoraram onze anos…

né… pararam algum tempo… brigaram… é lógico…

porque todo relacionamento tem uma briga… né… e eu achei esse fato muito interessante porque foi uma coincidência incrível… né… como vieram a se conhecer… namoraram e hoje… e até hoje estão juntos… dezessete anos de casados…

CUNHA, M. A. F. (Org.) Corpus discurso &

gramática: a língua falada e escrita na cidade do Natal.

Natal: EdUFRN, 1998

04) Na transcrição de fala, há um breve relato de experiência pessoal, no qual se observa a frequente repetição de “né”. Essa repetição é um (a):

(A) Índice de baixa escolaridade do falante.

(B) Estratégia típica de manutenção da interação oral.

(C) Marca de conexão lógica entre conteúdos na fala.

(D) Manifestação característica da fala regional nordestina.

Texto para a questão 05

Nos anos que antecederam a Segunda Guerra Mundial, alguns escritores, pressentindo certamente a era tecnológica que se avizinhava e o conflito bélico que abalaria as raízes de um universo ainda estruturado com base na Nação-Estado, dedicaram-se à antevisão do mundo do futuro. H.G. Wells, Aldous Huxley, George Orwell, entre outros, iniciando a série de Science-fiction, procuraram descrever a sociedade do futuro, como uma projeção das linhas que as descobertas científicas indicavam como prováveis.

Em todas essas profecias havia uma constante: o

(3)

mundo novo não conheceria mais a liberdade, pelo menos com a latitude e o conceito que dela então se tinha”.

(L. G. Nascimento Silva. A liberdade e o computador. Revista brasileira de estudos pedagógicos. Rio de Janeiro, nº 116, 1969)

05) No texto acima, há uma série de fragmentos de orações adjetivas sublinhados; o adjetivo que substitui adequadamente um desses fragmentos é:

(A) Que antecederam a Segunda Guerra Mundial / antecipadores da Segunda Guerra Mundial.

(B) Que se avizinhava / eminente.

(C) Que abalaria as raízes de um universo / abalador das raízes de um universo.

(D) Que as descobertas científicas indicavam como prováveis / cientificamente identificadoras.

06) A frase em que está correto o emprego de um dos parônimos mandado/mandato é:

(A) O mandado de senador dura 8 anos.

(B) Impetrou mandato de segurança com pedido de liminar.

(C) Todos desejavam que seu mandado de diretor acabasse.

(D) O mandato de apreensão não havia sido expedido.

A língua está viva Ivana Traversim

Na gramática, como muitos sabem e outros nem tanto, existe a exceção da exceção. Isso não quer dizer que vale tudo na hora de falar ou escrever. Há normas sobre as quais não podemos passar, mas existem também as preferências de determinado autor – regras que não são regras, apenas opções. De vez em quando aparece alguém querendo fazer dessas escolhas uma regra. Geralmente são os que não estão bem inteirados da língua e buscam soluções rápidas nos guias práticos de redação. Nada contra. O problema é julgar inquestionáveis as informações que esses manuais contêm, esquecendo-se de que eles estão, na maioria dos casos, sendo práticos –

deixando para as gramáticas a explicação dos fundamentos da língua portuguesa.

(...)

Com informação, vocabulário e o auxílio da gramática, você tem plenas condições de escrever um bom texto. Mas, antes de se aventurar, considere quem vai ler o que você escreveu. A galera da faculdade, o pessoal da empresa ou a turma da balada? As linguagens são diferentes.

Afinal, a língua está viva, renovando-se sem parar, circulando em todos os lugares, em todos os momentos do seu dia. Estar antenado, ir no embalo, baixar um arquivo, clicar no ícone – mais que expressões – são maneiras de se inserir num grupo, de socializar-se.

(Você S/A, jun. 2003.)

07) A tese da dinamicidade da língua comprova-se pelo fato de que:

(A) as regras gramaticais podem transformar-se em exceção.

(B) a gramática permite que as regras se tornem opções.

(C) a língua se manifesta em variados contextos e situações.

(D) os manuais de redação são práticos para criar ideias.

Texto para a questão 8.

Leite

Vocês que têm mais de 15 anos, se lembram quando a gente comprava leite em garrafa, na leiteria da esquina? (...)

Mas vocês não se lembram de nada, pô! Vai ver nem sabem o que é vaca. Nem o que é leite. Estou falando isso porque agora mesmo peguei um pacote de leite − leite em pacote, imagina, Tereza! − na porta dos fundos e estava escrito que é pasterizado ou pasteurizado, sei lá, tem vitamina, é garantido pela embromatologia, foi enriquecido e o escambau.

Será que isso é mesmo leite? No dicionário diz

(4)

que leite é outra coisa: “líquido branco, contendo água, proteína, açúcar e sais minerais”. Um alimento pra ninguém botar defeito. O ser humano o usa há mais de 5.000 mil anos. É o único alimento só alimento. A carne serve pro animal andar, a fruta serve para fazer outra fruta, o ovo serve pra fazer outra galinha (...) O leite é só leite. Ou toma ou bota fora.

Esse aqui examinando bem, é só pra botar fora.

Tem chumbo, tem benzina, tem mais água do que leite, tem serragem, sou capaz de jurar que nem vaca tem por trás desse negócio.

Depois o pessoal ainda acha estranho que os meninos não gostem de leite. Mas, como não gostam?

Não gostam como? Nunca tomaram! Múúúúúúú!

Millôr Fernandes. O Estado de São Paulo. 22/08/1999.

08) Ao criar a palavra “embromatologia” (ℓ. 10), o autor pretendeu ser:

(A) Irônico (B) Sério (C) Formal (D) Cordial

O teatro da etiqueta

No século XV, quando se instalavam os Estados nacionais e a monarquia absoluta na Europa, não havia sequer garfos e colheres nas mesas de refeição:

cada comensal trazia sua faca para cortar um naco da carne – e, em caso de briga, para cortar o vizinho.

Nessa Europa bárbara, que começava a sair da Idade Média, em que nem os nobres sabiam escrever, o poder do rei devia se afirmar de todas as maneiras aos olhos de seus súditos como uma espécie de teatro.

Nesse contexto surge a etiqueta, marcando momento a momento o espetáculo da realeza: só para servir o vinho ao monarca havia um ritual que durava até dez minutos.

Quando Luís XV, que reinou na França de 1715 a 1774, passou a usar lenço não como simples peça de vestuário, mas para limpar o nariz, ninguém mais na

corte de Versalhes ousou assoar-se com os dedos, como era costume. Mas todas essas regras, embora servissem para diferenciar a nobreza dos demais, não tinham a petulância que a etiqueta adquiriu depois. Os nobres usavam as boas maneiras com naturalidade, para marcar uma diferença política que já existia. E representavam esse teatro da mesma forma para todos.

Depois da Revolução Francesa, as pessoas começam a aprender etiqueta para ascender socialmente. Daí por que ela passou a ser usada de forma desigual – só na hora de lidar com os poderosos.

Revista Superinteressante, junho 1988, nº 6 ano 2.

09) Nesse texto, o autor defende a tese de que:

(A) A etiqueta mudou, mas continua associada aos interesses do poder.

(B) A etiqueta sempre foi um teatro apresentado pela realeza.

(C) A etiqueta tinha uma finalidade democrática antigamente.

(D) As classes sociais se utilizam da etiqueta desde o século XV.

A culpa é do dono?

A reportagem “Eles estão soltos” (17 de janeiro), sobre os cães da raça pit bull que passeiam livremente pelas praias cariocas, deixou leitores indignados com a defesa que seus criadores fazem de seus animais. Um deles dizia que os cães só se tornam agressivos quando algum movimento os assusta.

Sandro Megale Pizzo, de São Carlos, retruca que é difícil saber quais de nossos movimentos

“assustariam” um pit bull. De Siegen, na Alemanha, a leitora Regina Castro Schaefer diz que pergunta a si mesma que tipo de gente pode ter como animal de estimação um cachorro que é capaz de matar e desfigurar pessoas.

Veja, Abril. 28/2/2001.

10) O que sugere o uso de aspas na palavra

“assustariam”?

(A) Raiva

(5)

(B) Ironia (C) Medo (D) Insegurança

11) Um terreno quadrado de lados medindo 14 m, foi dividido em quatro lotes como ilustrado na figura a seguir:

Sabendo que o Lote 3 possui formato quadrado e sua área mede 64 m2, então a área do Lote 2 será igual à:

(A) 48 m2 (B) 32 m2 (C) 36 m2 (D) 30 m2

12) Uma escola resolveu fazer uma gincana entre três turmas de oitavo ano compostas, respectivamente, por 30, 36 e 48 alunos. Ao estabelecer as regras, o diretor exigiu que:

1. Todos os estudantes das turmas devem participar da competição.

2. Todas as três turmas devem ser divididas em equipes formadas com alunos da mesma turma.

3. Todas as equipes devem ter o mesmo número de alunos e com maior número de alunos possível.

Respeitando essas condições, o número máximo de alunos por equipe será de:

(A) 2 alunos (B) 3 alunos (C) 6 alunos (D) 9 alunos

13) Para prevenir a desidratação, quando uma pessoa apresenta vômito ou diarreia, costuma-se prescrever a ingestão de soro caseiro. No preparo do soro, para

cada litro de água, são misturados 3,5g de sal e 40g de açúcar. Nessa proporção quantos litros de água e quantos gramas de sal são necessários no preparo do soro, se forem utilizados 130g de açúcar?

(A) 3 litros de água e 11 gramas de sal (B) 3,25 litros de água e 11,375 gramas de sal (C) 3,2 litros de água e 11,8 gramas de sal (D) 3,4 litros de água e 11,9 gramas de sal

14) Em uma pesquisa sobre a preferência em relação a dois jornais, foram consultadas 800 pessoas e o resultado foi o seguinte:

 250 delas leem o jornal A,

 180 leem o jornal B e;

 50 leem o jornal A e B.

Escolhendo um dos entrevistados ao acaso, a probabilidade de que ele seja leitor apenas do jornal A será de:

(A) 25%

(B) 35%

(C) 45%

(D) 55%

15) Marcela está economizando de sua mesada todo mês para comprar um tablet. Ao dinheiro economizado durante 9 meses ela precisou acrescentar R$ 50,00, emprestado pelo seu amigo Jonas, e o objetivo é completar os R$ 836,00, que é o quanto custa o aparelho eletrônico. Visto que, o valor da mesada de Marcela foi fixo durante esse período, nessas condições qual é o valor da mesada de Marcela?

(A) R$ 91,00 (B) R$ 101,00 (C) R$ 121,00 (D) R$ 131,00

16) O gráfico a seguir apresenta, levantamento feito pela SC Transplantes, com dados da Central Estadual de Transplantes do estado de Santa Catarina,

(6)

Com base nas informações do gráfico a média de transplantes realizado no estado, de 2013 até 2017, é igual à:

(A) 1279,2 (B) 1279,3 (C) 1279,4 (D) 1279,5

17) Ao resolver uma equação do segundo grau, Paulo descobriu que as suas raízes são 2 e 3, então propôs a sua amiga Mariana que descobrisse a equação que ele resolveu. Mariana surpreendeu Paulo afirmando que uma possível resposta é a equação:

(A) (B) (C) (D)

18) Três atletas percorrem um circuito saindo todos ao mesmo tempo, do mesmo ponto, e no mesmo sentido.

O primeiro faz o percurso em 20s, o segundo em 30s e o terceiro em 40s. Com base nessas informações, os três atletas se reencontrarão novamente no ponto de partida, pela primeira vez, depois de:

(A) 1 minuto (B) 2 minutos (C) 3 minutos (D) 4 minutos

19) Um anagrama é um código formado pela transposição (troca) da ordem das letras de uma palavra, podendo ou não ter significado na língua de origem. Por exemplo, PAVOR e RAPOV, são anagramas da palavra PROVA. Considere agora, a palavra ITAME, a quantidade de anagramas dessa palavra é:

(A) 90 anagramas (B) 100 anagramas (C) 120 anagramas (D) 140 anagramas

20) Marcos comprou um automóvel no valor de R$

30.000,00, visto que, o veículo adquirido sofre desvalorização anual de 10%, após 3 anos de uso o valor desse automóvel será de:

(A) R$ 21.870,00 (B) R$ 24.300,00 (C) R$ 27.000,00 (D) R$ 28.000,00

21) “Por seu papel contundente na detecção de diagnósticos clínicos, é necessário um profissional treinado para realizar a Tomografia Computadorizada, conhecimentos de Anatomia, Fisiologia, Radiologia, Física, entre outros, são cruciais para a formação do profissional e, posteriormente, para garantir uma imagem com qualidade para a abordagem clínica correta com o paciente” (MACIEL E JÚNIOR, 2015).

(7)

Observando a imagem acima e usando os conhecimentos sugeridos no trecho escrito escolha a opção que traz apenas as proposições verdadeiras.

I - A retirada do cólon, esplenectomia, pode ser importante em quadros complicados de digestão.

II - Ao contribuir diretamente com a hematose e enurese, o fígado executa outras inúmeras funções.

III - O rim promove o controle do equilíbrio hidroeletrolítico sendo a sede da filtração glomerular.

IV - O baço é o órgão que se lesiona com mais

_____________

frequência no abdômen quando há pancadas violentas no lado esquerdo.

Marque as opções verdadeiras:

(A) I e III (B) II e IV (C) III e IV (D) II e III

22) “Quando a quantidade ou a frequência de efeitos biológicos produzidos pela radiação começa a desequilibrar o organismo humano ou o funcionamento de um órgão, surgem sintomas clínicos denunciadores da incapacidade do organismo de superar ou reparar tais danos, que são as doenças.

Assim, “o aparecimento de um tumor cancerígeno radioinduzido, significa já quase o final de uma história de danos, reparos e propagação, de vários anos após o período de irradiação”. A ocorrência de leucemia nos japoneses, vítimas das bombas de Hiroshima e Nagasaki, teve um máximo de ocorrência cinco anos após. As queimaduras originárias de manipulação de fontes de 192Ir, em acidente com irradiadores de gamagrafia, aparecem horas após.

Porém, os efeitos orgânicos mais dramáticos, como a redução de tecido, ou possível perda dos dedos, podem levar até 6 meses para acontecer”.

As fases dos efeitos biológicos produzidas pela radiação ionizante podem ser físico, químicos, biológicos e orgânicos. O item que apresenta apenas efeitos biológicos seria:

(A) Ionização e quebra de ligações químicas.

(B) Mobilização e neutralização dos íons e radicais livres.

(C) Absorção de energia e indução de novas substâncias.

(D) Alteração do metabolismo local e aberração cromossomial.

23) “Assim como os raios-X e são extremamente penetrantes, sendo detido somente por uma parede de concreto ou metal. Têm altíssima velocidade próxima à velocidade da luz (300000 km/s)”. Escolha a opção que completa o espaço da frase de maneira correta.

(A) Raios gama.

(B) Partículas alfa.

(C) Partículas Beta.

(D) Microondas.

24) A Lei Orgânica Municipal estabelece que dentro das possibilidades de seu orçamento, o Município promoverá a destinação de crédito orçamentário específico de no mínimo_______ de seu orçamento para ser aplicado, em conjunto com os recursos específicos proveniente da União e/ou Estado, na execução de planos de saúde e saneamento.

(A) Cinco por cento (B) Oito por cento (C) Dez por cento (D) vinte por cento

25) O artigo 3º da Lei 919/90 que dispõe sobre o Regime Jurídico dos Funcionários Públicos da prefeitura de São Luís de Montes Belos, estabelece que:

(A) É autorizado o exercício gratuito de cargos públicos

(B) É vedado o exercício gratuito de cargos públicos

(8)

(C) É autorizado com ressalvas

(D) É vedado somente para o funcionário que ocupa função de chefia.

26) No Windows 7 ao pressionar CTRL + ESC o que ocorre:

(A) Abre o Menu Iniciar.

(B) Fecha a janela ativa.

(C) Inicia o aplicativo de escuta do Windows.

(D) Realiza uma busca avançada de arquivos.

27) Em relação a NOVA GUIA do navegador Google Chrome é correto afirmar:

(A) Possibilita abrir várias paginas de internet no navegador.

(B) Cria submenus para facilitar a visualização das páginas de internet.

(C) Apaga os históricos de navegação e senhas armazenadas.

(D) Ativa e Desativa a sincronização da conta Google e Gmail do navegador.

Interprete a imagem e responda à questão 28.

.

28) A charge é uma crítica ao(à) (A) desemprego.

(B) preconceito racial.

(C) desigualdade social.

(D) desigualdade de gênero.

Leia o texto e responda à questão 29.

O folclore goiano é muito rico em lendas, contos, danças, festas populares, folguedos e personagens folclóricos. A cultura popular em Goiás é valorizada e mantida, principalmente, através das tradições e literatura oral nas áreas interiores do estado.

O folclore goiano apresenta uma rica e bela mistura das culturas dos diversos povos que formaram a população brasileira (portugueses, índios e negros).

Aspectos religiosos (principalmente católicos), tradições populares e elementos simbólicos destas diversas culturas se fundiram a imagem e ao espírito criativo do povo goiano para compor o folclore de Goiás.

29) É uma manifestação folclórica goiana:

(A) Curupira.

(B) Boi-bumbá.

(C) Boi Mamão.

(D) Malhação do Judas.

Interprete a imagem e responda à questão 30.

30) A charge ironiza o sistema político brasileiro, revelando o(a)

(A) inoperância do Poder Judiciário.

(B) supressão de práticas corruptivas.

(C) poder do dinheiro em campanhas eleitorais.

(D) influência dos meios de comunicação no processo eleitoral.

Imagem

Referências

  1. abdômen qu
temas relacionados :