Diário do Mercado I 18 de julho de 2017 Citi Corretora

Texto

(1)

Pag 1 de 11

Market Overview

Fechamento:

O Ibovespa encerrou a sessão em queda de 0,34%, a 65.212 pontos, pressionado pelo movimento de queda do petróleo e num movimento de realização de lucros após forte alta apresentada nos últimos cinco pregões. Bolsas americanas registraram poucas variações, com o S&P interrompendo também o rali, após atingir o nível máximo histórico na última sexta-feira. Dados do Caged decepcionaram as expectativas ao mostrarem uma criação de 9.821 vagas formais de trabalho em junho (vs 28,3 mil est.). O IGP-10 e o IPC-S mostraram deflação, com destaque para o IGP-10 que passou a registrar deflação no acumulado do ano de 1,79%, na menor leitura da série. Os DIs futuros apresentaram queda após a Pesquisa Focus apontar redução das projeções para inflação e juros, levando o mercado a reforçar aposta de queda da Selic em 1 ponto percentual no Copom da próxima semana. O dólar apresentou desempenho misto diante das principais divisas globais. O volume do Ibovespa foi de R$4,5 bilhões.

Mercado hoje:

As bolsas asiáticas fecharam em direções opostas nesta terça-feira.

No Japão, após o retorno do feriado, o fortalecimento do iene frente ao dólar impactou negativamente ações de empresas exportadoras e o índice Nikkei fechou em queda de 0,6%. Já o índice Shanghai Composto subiu 0,6%, seguindo a recuperação das commodities. As bolsas europeias e os futuros de NY operam sem tração e com sinais mistos, influenciadas por resultados corporativos e dúvidas sobre o avanço da agenda de reformas do governo Trump. A queda da confiança das empresas alemãs e desaceleração da inflação ao consumidor no Reino Unido também pesam nos negócios. O índice de expectativas econômicas da Alemanha caiu de 18,6 em junho para 17,5 em julho. Após a inflação ao consumidor do Reino Unido desacelerar de 2,9% (A/A) em maio, para 2,6% (A/A) em junho, a libra passou a cair e apagou o movimento de valorização observado mais cedo. Os juros dos GILTS acompanham a queda da moeda.

Por aqui, os investidores monitoram os riscos de não cumprimento da meta fiscal deste ano, que depende de receitas extraordinárias.

Não está descartada a possibilidade de um novo corte do Orçamento. Contudo, um aumento do contingenciamento para além dos R$ 39 bilhões em vigor, pode parar muitos órgãos públicos.

Outra possibilidade é o aumento de impostos, principalmente os que não dependem da aprovação do Congresso, como por exemplo, a CIDE.

Empresas & Setores

Vale (pg. 5), JBS (pg. 6), Educação (pg. 7), Aviação (pg. 8), Siderurgia (pg. 9), Papel e Celulose (pg. 10)

Ibovespa – Intra Day

64.900 65.000 65.100 65.200 65.300 65.400 65.500

10 11 12 14 15 17

Performance (%)

Fe c h. Dia S e m. Mê s Ano Ibovespa 65.212 (0,3) (0,3) 3,7 8,3 IBX- 50 10.919 (0,4) (0,4) 3,7 8,5 S&P 500 2.459 (0,0) (0,0) 1,5 9,8 Dow Jones 21.630 (0,0) (0,0) 1,3 9,4 Nasdaq 6.314 0,0 0,0 2,8 17,3 Dólar Ptax 3,182 (0,2) (0,2) (3,8) (2,4)

Maiores Altas/Baixas – Ibovespa (%)

Código Compa nhia V a r.

BRKM5 Braskem 5,20

MRVE3 MRV 2,67

SBSP3 #N/A 2,10

KLBN11 Klabin 1,52

FIBR3 Fibria² 0,93

NATU3 Vale - 3,86

UGPA3 Ultrapar - 3,63

ELET3 Eletrobras ON - 2,74

ELET6 Eletrobras PN - 2,38

BBSE3 BB Seguridade - 1,71

Performance por Setor (%)

0,7

0,6

0,3

0,1

0,0

-0,1

-0,1

-0,1

-0,3

-0,5

-1,0

Materials Industrials Saúde & Educação Consumo & Varejo

Telecom, Mídia &…

Imobiliário Transp. & Infra-…

Utilities Ibovespa Financials Energia

Fontes: Bloomberg, Ibovespa ANALISTAS RESPONSÁVEIS: Cauê Pinheiro, CNPI, Larissa Nappo, CNPI-P & Rafael Santos, CNPI

(2)

Pag 2 de 11

MONITOR DE MERCADO

(3)

Pag 3 de 11

AGENDA DE INDICADORES ECONÔMICOS

Segunda, 17/jul Período Expec. Anterior

06:00 EC IPC principal A/A Jun F 1,1% 1,1%

08:00 BZ IGP-10 Inflação FGV M/A Jul -0,91% -0,62%

08:00 BZ IPC-S IPC FGV 15/jul -- -0,18%

08:25 BZ Pesquisa Focus

09:30 US Índice Empire State, manufatura em Nova York Jul 15,00 19,80

15:00 BZ Balança comercial semanal 16/jul -- $1045m

22:30 CH China June Property Prices

Terça, 18/jul Período Anterior Expec.

05:30 UK IPC principal A/A Jun 2,60% 2,60%

05:30 UK Produção IPP NSAZ A/A Jun 3,40% 3,60%

06:00 GE Pesquisa ZEW Situação atual Jul 88,00 88,00

06:00 EC Pesquisa ZEW (Expectativas) Jul -- 37,70

06:00 GE Pesquisa ZEW (Expectativas) Jul 18,00 18,60

09:30 US Índice de preços de importação M/M Jun -0,20% -0,30%

09:30 US Índice do preço de exportação M/M Jun 0,10% -0,70%

09:30 US Índice do preço de exportação A/A Jun -- 1,40%

Quarta, 19/jul Período Anterior Expec.

03:00 JN Pedidos de ferramentas para máquinas A/A Jun F -- 31,1%

05:00 BZ IPC FIPE- Semanal 15/jul -- 0,0%

06:00 EC Produção de construção M/M May -- 0,3%

08:00 BZ IGP-M 2ª prévia Jul -- -0,6%

09:30 US Construção de casas novas Jun 1160k 1092k

12:30 BZ Fluxo cambial

20:50 JN Balança comercial Jun ¥488.0b -¥203.4b

20:50 JN Exportações A/A Jun 9,5% 14,9%

20:50 JN Importações A/A Jun 14,4% 17,8%

BZ Confiança industrial CNI Jul -- 51,90

Quinta, 20/jul Período Anterior Expec.

01:30 JN Índice de atividade de toda a indústria M/M May -0,8% 2,1%

03:00 GE PPI MoM Jun -0,1% -0,2%

04:00 JN Vendas em lojas de conveniência A/A Jun -- 1,0%

08:45 EC Taxa de refinanciamento principal ECB 20/jul 0,0% 0,0%

08:45 EC ECB Marginal Lending Facility 20/jul 0,3% 0,3%

08:45 EC Taxa de facilidade de depósito BCE 20/jul -0,4% -0,4%

08:45 EC ECB Asset Purchase Target Jul EU60b EU60b

09:00 BZ IPCA-15 Inflação IBGE M/M Jul -0,1% 0,2%

09:00 BZ IPCA-15 Inflação IBGE A/A Jul 2,9% 3,5%

09:30 US Novos pedidos seguro-desemprego 15/jul 245k 247k

09:30 US Panorama dos negócios Fed da Filadélfia Jul 23,40 27,60 11:00 EC Confiança do consumidor Jul A (1,10) (1,30)

11:00 US Índice antecedente Jun 0,4% 0,3%

Sexta, 21/jul Período Anterior Expec.

05:00 EC Pesquisa BCE

10:30 BZ Saldo em conta corrente Jun $1300m $2884m

10:30 BZ Investimento Estrangeiro Direto Jun $2500m $2926m

(4)

Pag 4 de 11

Julho 2017

SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA

17 18 19 20 21

Weg (A) Localiza (D)

SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA

24 25 26 27 28

Fibria (A) Energias do Brasil (D) Ambev (A) Embraer (A) Grupo Pão de Açúcar (D) Eternit Bradesco (A) Hypermarcas (D)

Lojas Renner (A) Lojas Marisa Copasa (D) Santander (A)

Whirlpool Natura (D) Ecorodovias (D) Usiminas (A)

Tim Participações Odontoprev Engie Brasil (D) Telefônica Brasil (A) Estácio (D)

Fleury Grendene (D) Klabin (A) Multiplan Raia Drogasil Vale

Agosto 2017

SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA

31 1 2 3 4

Itaú Unibanco (D) BTG Pactual (D) Arezzo (A) Iochpe Maxion Aes Tietê

Magazine Luiza (D) Cielo Cia Hering Multiplus Alpargatas

Equatorial Duratex (D) Renova Energia Cremer

Porto Seguro Suzano (D) Sanepar Ser Educacional

Totvs (D) Sonae Sierra Smiles (D)

Transmissão Paulista (D) Sul América

SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA

7 8 9 10 11

BB Seguridade Aliansce Shopping Center CVC Brasil B2W Alupar Investimento

Direcional Engenharia Banco Pine Energisa Banco do Brasil B3

Eletropaulo BR Properties Gerdau (A) BRF Bradespar

Linx Comgas Gol Linhas Aereas Copel Braskem

Marcopolo Iguatemi Guararapes Cosan Cesp

Valid Soluções Itaúsa Oi Cyrela Kroton

Locamerica QGEP EzTec Lojas Americanas

Mills Randon Fertilizantes Heringer LPS Brasil

Senior Solution Gafisa Movida

SLC Agrícola JSL Petrobras

T4F Entretenimento Light Saraiva

Taesa Mahle-Metal Leve Somos Educação

Tegma Sabesp Tecnisa

Ultrapar Tenda

Calendário de Divulgação dos Resultados referentes ao 2T17

(5)

Pag 5 de 11

Empresas & Setores

Vale

Possível aumento de royalties

Notícia – O Jornal Valor informou ontem que o governo brasileiro poderia anunciar uma elevação nos royalties de mineração no dia 25 de julho. Está notícia não é uma grande surpresa desde que ela foi discutida por muitos anos, mas nunca chegou a um acordo (e a data de 25 de julho poderia ser atrasada). O Valor menciona duas opções para o minério de ferro, ambas similares às propostas anteriores:

1) Manter um royalty estável, mas elevar a tarifa de 2%

para 3%.

2) Introduzir um royalty baseado nos preços do minério de ferro, potencialmente atingindo até 4% com o minério a

$100/t.

3)

Impacto no Ebitda da Vale: -2% - Uma elevação de 1% nos royalties reduziria o Ebitda da Vale em ~2% (1% de royalty é igual a $0,50/t baseado em nossa estimativa para o minério de $50/t.

Isto seria 2,5% do Ebitda no preço atual. O preço do minério de ferro representa 79% do Ebitda da Vale estimado para 2020).

Impacto no preço do minério de ferro: desprezível – Uma elevação de 1% no royalty de minério de ferro não seria significativo para a curva de preço global, em nossa opinião, dado que o Brasil não representa a maior parte da tonelagem marginal.

Frete e câmbio são drivers mais importantes para a curva de custos.

Fonte: Citi Research (baseado em Vale – Alert: Brazil may raise mining royalties, de Alexander Hacking, publicado em 17/07/2017)

Rating Código Preço-Alvo Último Preço Upside (%)

Trading

Market Cap (Milhões) Volume Médio 3M (Milhões) Máxima (52 semanas) Mínima (52 semanas)

Performance % Abs Vs. Ibov

1 Mês 14,8 9,0

3 Meses 9,4 -

12 Meses 111,7 96,2

Múltiplos (x) 2017E 2018E

VE/EBITDA 5,9 7,4 P/L 8,0 13,0 Compra

R$ 34,01 R$ 12,87 VALE5 R$ 37,07 R$ 27,92 32,8

R$ 149.616

R$ 499,5

(6)

Pag 6 de 11

Empresas & Setores

JBS

Reestruturação de dívida

Opinião – O acordo com os bancos para negociação de dívida endereça as preocupações com liquidez – Enquanto os detalhes não foram divulgados, estimamos que o pagamento à vista das dívidas de curto prazo com os bancos poderia variar de R$2 a R$3 bilhões (vs um total de dívida de curto prazo de R$18 bilhões no 1T17). Isto se compara com a posição de caixa de R$11 bilhões no 1T17, mais R$1 bilhão pendente do desinvestimento da JBS Mercosul Bovinos a ser fechado no 3T17 após a aprovação antitruste e a remoção da restrição legal. Destacamos que a JBS ainda possui uma proposta de venda de ativos de R$6 bilhões sendo revisada pelo seu Conselho. Isto inclui: uma participação de 19,2% na Vigor, 2) ativos de confinamento nos EUA, e 3) Moy Park, que poderia atingir R$1,0-1,2 bilhão, ligeiramente abaixo de R$1,0 bilhão, e R$4,0 bilhões, respectivamente, de acordo com nossas estimativas. Em nossa opinião, se a JBS for bem sucedida na venda do ativo de Confinamento nos EUA e de sua participação na Vigor, uma venda da Moy Park não seria necessária.

Fonte: Citi Research (baseado em JBS – Bank debt agrément authorization alleviates liquidity concerns & starts to rekindle focus on fundamentals, de Alexander Robarts, publicado em 17/07/2017)

Rating Código Preço-Alvo Último Preço Upside (%)

Trading

Market Cap (Milhões) Volume Médio 3M (Milhões) Máxima (52 semanas) Mínima (52 semanas)

Performance % Abs Vs. Ibov

1 Mês 8,9 3,1

3 Meses (30,0) -

12 Meses (28,5) (43,9)

Múltiplos (x) 2017E 2018E

VE/EBITDA 5,6 5,0 P/L 9,2 4,9 Compra / Risco Alto

R$ 12,91 R$ 5,25 JBSS3 R$ 12,50 R$ 7,21 73,4

R$ 19.674

R$ 104,4

(7)

Pag 7 de 11

Empresas & Setores

Educação

Possível aumento de royalties

Qual a novidade neste relatório? No mais recente relatório da série Citi GPS, analisamos em profundidade o tema da educação global fazendo as perguntas: Quanto vale a educação e como isso mudará ao longo do tempo? E se a educação realmente é “o oxigênio da oportunidade”, como podemos garantir que os sistemas educacionais em todo o mundo sejam adequados para o futuro diante dos desafios que veremos? Neste relatório, revisamos nossas conclusões e analisamos as possíveis implicações para as ações.

Educação: o básico: a educação é um recurso social crucial, muitas vezes visto como um direito básico em muitos países ao redor do mundo. Nosso trabalho mostra que a educação, em particular no nível terciário, não só beneficia os indivíduos (em termos de salários mais altos), mas os governos (através de impostos mais elevados) e a sociedade em geral (mais mobilidade social, vida média mais longa). É também um mercado de US$5 trilhões, quase 3 vezes maior do que o mercado global da saúde.

Embora muito disso seja representado pelos gastos do governo (representando 4,5% do PIB em média em toda OCDE), esperamos que o capital privado desempenhe um papel crescente ao longo do tempo à medida que os políticos incentivam mais investimentos em infraestrutura e serviços para ampliar o acesso e aumentar a produtividade.

Principais desafios: desequilíbrios de demanda/oferta e interrupção da automação – Os dois principais desafios temáticos que identificamos são o potencial para: a) as mudanças na população para criar desequilíbrios de oferta/demanda em diferentes níveis do sistema educacional (tipicamente primário/secundário em mercados desenvolvidos e terciário nos mercados em desenvolvimento) e b) interrupção da força de trabalho nas mãos da automação para impulsionar a demanda de reciclagem e impactar quais habilidades são necessárias em primeiro lugar.

Soluções propostas: Novas fontes de financiamento, aprendizagem do longo da vida – A Educação precisa de novas fontes de crescimento e vemos o capital privado desempenhando um papel cada vez mais importante no fornecimento de acesso à educação em pontos-chave, onde a demanda excede a oferta. A nível micro, no entanto, vemos uma oportunidade significativa para que a tecnologia desempenhe um papel importante de melhoria na produtividade (apenas 2% da educação global é digitalizada).

Também pensamos que a mudança para a educação como um processo ao longo da vida levará a uma maior ênfase no treinamento/certificação profissional, outra área em que o capital privado está sendo posto em prática.

Fonte: Citi Research (baseado em Global Education – Back to basics – Looking at stock implications within Citi´s Global Coverage, de Lucio Aldworth, publicado em 17/07/2017)

Rating Código Preço-Alvo Último Preço Upside (%)

Trading

Market Cap (Milhões) Volume Médio 3M (Milhões) Máxima (52 semanas) Mínima (52 semanas)

Performance % Abs Vs. Ibov

1 Mês 7,7 1,9

3 Meses 10,0 -

12 Meses 0,8 (14,7)

Múltiplos (x) 2017E 2018E

VE/EBITDA 11,0 10,4 P/L 11,5 9,9 Venda / Risco Alto

R$ 16,76 R$ 11,76 KROT3 R$ 14,00 R$ 15,35 -8,8

R$ 24.923

R$ 218,2

(8)

Pag 8 de 11

Empresas & Setores

Aviação

Alerta: Brasil potencialmente revisitando reformas da política de aviação

O atual e o anterior governo federal tentou por vários anos implementar grandes mudanças na política da aviação. Embora a maioria desses esforços tenha falhado, juntamente com medidas provisórias ocasionais, isto não significa que tais mudanças nunca serão promulgadas. Dito isto, mantemos nosso julgamento sobre esses esforços, dado que permanece incerto se a atual administração possui capital político para implementar essas importantes mudanças. Dentro do setor, preferimos Azul Linhas Aéreas (Compra/Alto Risco). Considerando a utilização de aeronaves comerciais com menos de 100 assentos, a Azul parece a maior beneficiária do estímulo para a aviação regional, mesmo que a administração tenha mencionado durante o painel de aviação do Citi em São Paulo no mês passado que se opõe a subsídios.

Na manhã de segunda-feira, o noticiário (incluindo o Valor Econômico) reportou que o governo federal brasileiro fará uma nova tentativa de aprovar reformas na aviação, incluindo: a) uma eliminação de restrições a participações estrangeiras no capital votante das companhias aéreas brasileiras, b) uma proposta para limitar a taxação estadual sobre o querosene de aviação a 12%

em voos domésticos, c) um acordo de céu aberto com os EUA, que permitiria 301 voos por semana entre os dois países, sem necessidade de reciprocidade, d) mais privatizações de aeroportos, e) estímulo à aviação regional, no qual as empresas aéreas receberiam crédito fiscal ao lançar 70 voos por dia no nordeste, centro-oeste, e norte. Parece que o governo não iniciaria uma votação até o próximo mês – e está incerto se estas medidas seriam votadas separadamente ou se seriam propostas de uma forma unificada.

Em relação à viabilidade dessas medidas, as privatizações de aeroportos parecem enfrentar menores obstáculos. A privatização de quatro instalações de aeroportos em março passado foi executada sem dificuldade - Estamos otimistas que o governo pode continuar a privatizar aeroportos comerciais de uma forma bem sucedida,

dado que as instalações que serão colocadas no bloco de leilões tem razoavelmente boa qualidade de tráfego aéreo, forte volume diário de passageiros e uma variedade de provedores de serviços aéreos domésticos e internacionais.

Fonte: Citi Research (baseado em Industry Alert – Alert: Brazil Potentially revisiting aviation policy reforms, de Stephen Trent, publicado em 17/07/2017)

(9)

Pag 9 de 11

Empresas & Setores

Siderurgia

ZE pode impor tarifas anti-dumping para empresas siderúrgicas brasileiras

A Comissão Europeia está planejando medidas anti-dumping sobre as importações de bobinas laminadas do Brasil, Rússia, Ucrânia e Irã. Além disso, a Comissão Europeia propõe fixar um preço mínimo de importação de EUR 472,3/ ton (ou US$ 540/

ton) que é muito próximo do preço interno atual na Europa US$ 560/ ton. O novo preço mínimo de importação, juntamente com as taxas anti-dumping, provavelmente irá fazer com que as exportações brasileiras de bobinas para a Europa perca a atratividade. Não vemos um impacto significativo no curto prazo para as siderúrgicas brasileiras, dado que as vendas desses produtos para a Europa representam menos de 2% do total das vendas. No entanto, o impacto no médio prazo pode ser mais relevante dado que as exportações da Ucrânia e Rússia podem ser direcionadas para o mercado doméstico brasileiro.

A Usiminas e a CSN podem receber um documento anti-dumping, com imposto sobre importação de 17,5% e 15,7%, respectivamente. Em 2016, a Usiminas exportou 90 mil toneladas de bobinas laminadas, enquanto estimamos que a CSN tenha exportado aproximadamente 120 mil toneladas (vez que a empresa ainda não divulgou os dados do 4T16). A União Europeia recebe cerca de 25% a 35% dessas exportações e o impacto no total dos embarques é de 1% a 2%. Estamos mais preocupados com o impacto no médio prazo, vez que vemos uma possibilidade das exportações de bobinas do Mar Negro serem desviadas para o Brasil. De acordo com o Instituto Brasileiro de Aço, as importações brasileiras de aço plano aumentaram 111%

no ano, atingindo 14% do consumo aparente total.

Temos recomendação de venda/alto risco para as ações da CSN, com preço-alvo de R$ 7,00/ ação e temos recomendação neutra para as ações da Usiminas, com preço-alvo de R$ 5,25/ ação.

Fonte: Citi Research (baseado em Brazil Steel – Alert: EU may impose anti-dumping duties on Brazilian HRC, de Thiago Ojea, publicado em 17/07/2017)

Rating Código Preço-Alvo Último Preço Upside (%)

Trading

Market Cap (Milhões) Volume Médio 3M (Milhões) Máxima (52 semanas) Mínima (52 semanas)

Performance % Abs Vs. Ibov

1 Mês 25,3 19,5

3 Meses 25,3 -

12 Meses 112,8 97,3

Múltiplos (x) 2017E 2018E

VE/EBITDA 8,5 7,6 P/L 47,3 16,4 Neutro

R$ 5,62 R$ 2,31 USIM5 R$ 5,25 R$ 5,00 5,0

R$ 9.887

R$ 52,7

(10)

Pag 10 de 11

Empresas & Setores

Papel e Celulose

Pros e contras de uma fusão entre Arauco & Eldorado – Como se posicionar?

Uma possível oferta da Arauco (subsidiária florestal da Copec do Chile) para a Eldorado, produtor brasileiro de celulose, afetaria toda a América Latina e o mercado global de celulose, incluindo Fibria e Suzano no Brasil. Arauco tem um acordo de exclusividade de due diligence e nós continuamos a discutir a probabilidade da Arauco fazer uma oferta firme. O Valor Econômico cita R$ 11 a R$ 14 bilhões, o que parece muito alto em nossa opinião. Nós vemos (1) sinergias limitadas, o que coloca a criação de valor em dúvida, caso o preço for muito alto; (2) disciplina do mercado pós fusão e valuation dependerá em grande parte do tamanho do potencial aumento de capital da Copec e (3) incertezas em torno da divulgação da Eldorado.

Encontramos espaço para posicionamento tático sob três notícias de M&A (1) Copec paga acima para Eldorado (>7,5x EV/

EBITDA), projetos de crescimento provavelmente serão adiados – upside para Fibria, Suzano e downside para Copec; (2) A Copec faz uma oferta atrativa (<7,0x EV/ EBITDA), o crescimento pode continuar com um aumento de capital – upside para Copec vs pressão para os players de celulose. (3) sem acordo; upside para Fibria (melhor posicionada) e neutro para Copec e Suzano.

A opção de crescimento em celulose é uma característica atraente em um acordo com a Eldorado, já que o crescimento de celulose da Arauco está limitado ao Chile. O segmento de celulose de 1,7 milhões de toneladas da Eldorado somaria 44%

para a capacidade da Arauco, com potencial para um segundo segmento. Sinergias que estimamos em apenas US$ 220 milhões a valor presente.

A Copec pode precisar de um aumento entre US$ 300 a US$ 700 milhões de capital se pretender manter o crescimento ativo em celulose, imediatamente após uma fusão com a Eldorado, para manter a alavancagem abaixo de 3,5x.

A Arauco e Eldorado se tornariam a 4a maior produtora global de celulose, com um Market share de 10%. A possibilidade de

mostrar disciplina para avançar nos dois projetos, dependerá do capital a ser investido.

Temos recomendação neutra para Fibria e Suzano, com preço- alvo de US$ 11/ ADR e US$ 15/ ADR, respectivamente.

Fonte: Citi Research (baseado em M&A in Latam Pulp & Paper – Pros & Cons of na Arauco + Eldorado Merger – How to Position?, de Juan tavarez, publicado em 17/07/2017)

Rating Código Preço-Alvo Último Preço Upside (%)

Trading

Market Cap (Milhões) Volume Médio 3M (Milhões) Máxima (52 semanas) Mínima (52 semanas)

Performance % Abs Vs. Ibov

1 Mês (9,0) (14,8)

3 Meses 25,7 -

12 Meses 65,9 50,4

Múltiplos (x) 2017E 2018E

VE/EBITDA 5,7 4,8 P/L 18,8 17,1 Neutro / Risco Alto

R$ 39,28 R$ 17,82 FIBR3 R$ 33,70 R$ 33,66 0,1

R$ 18.621

R$ 45,4

(11)

Pag 11 de 11

Informações Importantes:

Este relatório foi elaborado por Cauê Pinheiro, Larissa Nappo & Rafael Santos (“Analistas”), analistas de investimentos credenciados junto à Apimec e vinculados à Citigroup Global Markets Brasil CCTVM S.A. (“CGMB”), uma afiliada do Citigroup Global Markets Inc. (“CGMI”). Cauê Pinheiro é o responsável principal pelo conteúdo deste relatório de acordo com a Instrução CVM nº 483, de 6 de julho de 2010.

Este material tem caráter meramente informativo, não constituindo oferta de compra ou de venda de títulos e/ou valores mobiliários pela CGMB, ainda que aqui mencionados. As informações constantes deste material podem auxiliar o investidor em suas decisões de investimento, porém o investidor será responsável, de forma exclusiva, pela verificação da conveniência e oportunidade da movimentação de sua carteira de investimentos e pela tomada de decisão quanto à efetivação de operações de compra e/ou venda de títulos e/ou valores mobiliários. Este material apresenta informações para diversos perfis de investimento e o investidor deverá verificar e atentar para as informações próprias ao seu perfil de investimento, uma vez que as informações constantes deste material não são adequadas para todos os investidores. Quaisquer projeções de risco ou retorno potenciais são meramente ilustrativas e não são e não devem ser interpretadas pelo investidor como previsão de eventos futuros e/ou garantia de resultados. Além disso, não garantimos a exatidão das informações aqui contidas e recomendamos ao investidor que não utilize este relatório com única fonte para embasar suas decisões de investimento. Os investimentos realizados pelo investidor para sua carteira estão sujeitos a diversos riscos inerentes aos mercados e aos ativos integrantes da carteira, incluindo, sem limitação, risco de mercado, risco de crédito, risco de liquidez, risco cambial, risco de concentração, risco de perda do capital investido e de disponibilização de recursos adicionais, entre outros.

Com relação às companhias, mercados e valores mobiliários ora analisados, nos termos da regulamentação em vigor, os Analistas declaram que:

(i) As recomendações do presente relatório de análise refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais, sendo certo que o relatório foi elaborado de forma independente, inclusive em relação à CGMB e da CGMI.

(ii) A remuneração recebida pelo Analista está condicionada ao cumprimento de premissas qualitativas e quantitativas estabelecidas pela CGMB, podendo inclusive levar em consideração o resultado total da CGMB, mas não é influenciada, direta ou indiretamente, por recomendações específicas ou opiniões expressas pelo Analista neste relatório de análise.

(iii) A CGMB é membro do grupo Citi, que possui empresas e negócios em mais de 100 países. Considerando a atual estrutura do grupo Citi, é provável que alguma empresa do grupo, inclusive as próprias CGMB e CGMI, tenham interesses financeiros e/ou comerciais relevantes em relação às companhias, mercados e aos valores mobiliários objeto do presente relatório de análise.

As opiniões aqui constantes foram elaboradas com base em informações e dados obtidos de diversas fontes, inclusive no material de análise elaborado pela Citi Investment Research & Analysis (“CIRA”), conforme devidamente identificadas e indicadas no corpo do documento. CIRA é a divisão de análise de investimento da CGMI, cuja política aplicável às suas opiniões e relatórios de análises está disponível em http://www.citigroupgeo.com. O presente relatório foi elaborado de forma independente pelo Analista vinculado à CGMB e não obstante a utilização do material de análise elaborado pela CIRA, as opiniões do Analista podem divergir das opiniões da CIRA.

SAC Citi - Serviço de Apoio ao Cliente Reclamações, Cancelamentos e Informações 0800 979 2484 (deficientes auditivos - 0800 724 2484)

Todos os dias, 24h

Se não ficar satisfeito com a solução apresentada, de posse do protocolo, contate a Ouvidoria 0800 970 2484 (deficientes auditivos - 0800 722 2484).

Em dias úteis das 9h às 18h Fale Conosco: www.citicorretora.com.br

Imagem

temas relacionados :