• Nenhum resultado encontrado

SAS P R E F E I T U R A M U N I C I PA L S E C R E T A R I A M U N I C I PA L D E P O L Í T I C A S E A Ç Õ E S S O C I A I S E C I D A D A N I A

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "SAS P R E F E I T U R A M U N I C I PA L S E C R E T A R I A M U N I C I PA L D E P O L Í T I C A S E A Ç Õ E S S O C I A I S E C I D A D A N I A"

Copied!
16
0
0

Texto

(1)

CCI Vovó Zizá

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L

D E C A M P O G R A N D E

SAS

S E C R E T A R I A M U N I C I P A L D E P O L Í T I C A S

E A Ç Õ E S S O C I A I S E C I D A D A N I A

(2)

e favorecer o acesso da população vulnerabilizada socioeconomicamente a bens e serviços, com vista à inclusão social. A seguir, são apresentadas as atividades desenvolvidas, os atendimentos e as parcerias realizadas por esta Secretaria durante o exercício de 2011.

O Centro de Referência de Assistência Social – CRAS é a unidade estatal de base territorial, nas áreas de vulnerabilidade e risco social, em torno do qual se organizam os serviços de Proteção Social Básica do Sistema Único de Assistência Social, com os seguintes serviços: Atenção Integral à Família, de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para crianças, adolescentes, jovens, gestantes e idosos.

Campo Grande conta com 19 CRAS que realizam o Cadastro Único para os programas sociais do governo federal, estadual e municipal, sendo o local onde as famílias são atendidas, orientadas, encaminhadas e acompanhadas.

Proteção Social Básica – PSB

(3)

2011

Centro de Convivência do Idoso

Centro de Convivência do Idoso - CCI

Atendimento à Família

Nos quatro Centros de Convivência para Idosos são ofertadas atividades diversificadas de recreação, esporte, lazer e cultura visando sempre a melhoria da qualidade de vida pela segurança da vivência familiar e da convivência comunitária.

O Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) é um trabalho de caráter continuado que visa fortalecer a função de proteção das famílias, prevenindo a ruptura de laços, promovendo o acesso e usufruto de direitos e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida.

O trabalho social utiliza-se também de ações nas áreas culturais, recreativas e de lazer para o cumprimento de seus objetivos, de modo a ampliar o universo informacional e proporcionar novas vivências às famílias usuárias do serviço.

(4)

Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos

Todos os serviços de convivência e fortalecimento de vínculos organizam-se em torno do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF), sendo a ele articulados. Previnem a institucionalização e a segregação de crianças, adolescentes, jovens e idosos e oportunizam o acesso às informações sobre direitos e participação cidadã. Ocorrem por meio do trabalho em grupos ou coletivos e organizam-se de modo a ampliar trocas culturais e de vivências, desenvolver o sentimento de pertença e de identidade, fortalecer vínculos familiares e incentivar a socialização e a convivência comunitária.

*Base de dados da Diretoria de Proteção Básica – 2011

Especificação Famílias

Atualização Cadastral 25.846

Atualização Cadastral dos Beneficiários do PBF 25.846

Cadastro Único* 55.504

Família Beneficiária do Programa Bolsa Família/PBF 27.870 Serviço de Proteção e Atenção Integral à Família: Estudo Social; Visita Domiciliar;

Orientação e Encaminhamentos; Grupos de Famílias; Acompanhamento Familiar; Atividades Comunitárias; Campanhas Socioeducativas; Informação, Comunicação e Defesa de Direitos; Promoção ao Acesso à Documentação Pessoal; Desenvolvimento do Convívio Familiar e Comunitário

(5)

2011

6.915 230 6.772 10.394 10.252 3.143 Criança/adol Pessoa Idoso Criança Criança/adol Jovem

Serviços Unidade Quantidade

Pessoa com Deficiência Pessoa Idosa

783 962 Pessoa

Pessoa

Atendimento Unidade Quantidade

Serviço de Atendimento para Pessoas em Domicílio

Benefícios Eventuais e Outros

Este serviço contribui com a promoção do acesso de pessoas com deficiência e pessoas idosas, através de visitas domiciliares, escuta, orientações sociofamiliares e encaminhamentos.

São benefícios da Política Nacional de Assistência Social (PNAS), de caráter suplementar e provisório, prestados aos cidadãos e às famílias em virtude de morte, nascimento, calamidade pública e situações de vulnerabilidade temporária.

A oferta de Benefícios Eventuais pode ocorrer mediante apresentação de demandas por parte de indivíduos e familiares em situação de vulnerabilidade, ou por identificação dessas situações no atendimento dos usuários nos serviços socioassistenciais e do acompanhamento sóciofamiliar no âmbito da Proteção Social Básica (PSB) e Proteção Social Especial (PSE).

Brinquedoteca Móvel Projovem Urbano

Serviço com Idoso – Grupos de Convivência Serviço de 0 a 6

Serviço de 6 a 15 – Projeto Ciranda Serviço de 15 a 17 – Projovem

(6)

Banco de Alimentos

O Banco de Alimentos atua no recebimento de doações de alimentos considerados impróprios para a comercialização, mas adequados ao consumo.

Os gêneros alimentícios são recepcionados, selecionados, processados ou não, embalados e distribuídos gratuitamente às entidades assistenciais, que se encarregam de distribuir os alimentos arrecadados à população, seja através do fornecimento de refeições prontas ou o repasse direto às famílias vulneráveis. Em contrapartida, as entidades atendidas pelos Bancos de Alimentos participam de atividades de capacitação e educação alimentar.

Auxílio-Documento Auxílio-Funeral Auxílio-Natalidade Carteira do Idoso 59 164 283 Ano Pessoa Pessoa

Serviços Unidade Quantidade

10.284 5.880 1.145 1.137 Passe/ano Pessoa/ano Pessoa Pessoa Passe Social PROINC Segurança Alimentar

Situação de Vulnerabilidade Temporária

230 1.181 Carteira/ano

(7)

2011

Inclusão Produtiva

Os serviços de Inclusão Produtiva buscam a autonomia das famílias usuárias da Política de Assistência Social, através do incentivo à geração de trabalho e renda, promovendo ações de capacitação, instrumentalização para o trabalho e formação de grupos de produção.

Ação Educativa Entidade Atendida

Kit Hortifruti – entregue pelos CRAS e CCIs Kit Hortifruti - entregue pelo CPA

Pessoa Atendida 115 123 25.205 865.000 51.413 Unidade Unidade kg kg Pessoa

Ação Unidade Quantidade

Curso para Inclusão Produtiva Pessoa Capacitada

156 3.171 Curso

Pessoa

Ação Unidade Quantidade

(8)

Com vistas ao combate da exclusão das pessoas em situação de vulnerabilidade, a Secretaria entende que através da inclusão digital mais pessoas poderão estar incluídas nesse mundo cada vez mais informatizado.

Os 15 Telecentros, muitas vezes também chamados de infocentros, são unidades com acesso público e gratuito às tecnologias da informação, da comunicação e à Internet. Abertos à comunidade local, oferecem cursos e, principalmente, uso livre dos equipamentos por um tempo determinado, em geral com orientadores para possíveis auxílios ao usuário.

Curso de Informática Pessoa Certificada Acesso ao Telecentro 25 230 20.950 Curso Pessoa Acesso

(9)

2011

*Centro Educativo de Múltiplas Atividades de Trânsito

Projetos Atendidos

Proteção Social Especial – PSE

Faixa Etária Qntd. Unidade Projetos Patrulha Florestinha Esperança CEMATRAN* Bombeiros do Amanhã

Banda de Música Mirim Crianças e adolescentes/mês Crianças e adolescentes/mês Crianças e adolescentes/mês Crianças e adolescentes/mês Crianças e adolescentes/mês 10 a 17 anos 50 12 a 15 anos 60 7 a 16 anos 64 12 a 15 anos 45 9 a 15 anos 55

A Proteção Social Especial (PSE) destina-se a famílias e indivíduos em situação de risco pessoal ou social, cujos direitos tenham sido violados ou ameaçados. Para integrar as ações da Proteção Especial, é necessário que o (a) cidadão (ã) esteja enfrentando situações de violações de direitos por ocorrência de violência física ou psicológica, abuso ou exploração sexual; abandono, rompimento ou fragilização de vínculos ou afastamento do convívio familiar devido à aplicação de medidas.

As atividades da Proteção Especial são diferenciadas de acordo com níveis de complexidade (média ou alta) e conforme a situação vivenciada pelo indivíduo ou família. Os serviços prestados de PSE atuam ligados, diretamente, ao sistema de garantia de direito, exigindo uma gestão mais complexa e compartilhada com o Poder Judiciário, o Ministério Público e outros órgãos.

(10)

O CREAS é a unidade pública estatal que oferta serviços da proteção especial, especializados e continuados, gratuitamente a famílias e indivíduos em situação de ameaça ou violação de direitos.

O PAEFI, realizado através de três Centros de Referência Especializados de Assistência Social, oferece atendimento a indivíduos e famílias em diversas situações de violação de direitos, violência (física, psicológica e negligência, abuso e/ou exploração sexual), afastamento do convívio familiar devido à aplicação de medida socioeducativa ou medida de proteção; tráfico de pessoas; situação de rua; mendicância; abandono; vivência de trabalho infantil; discriminação em decorrência da orientação sexual ou raça/etnia e outras formas de violação de direitos decorrentes de discriminações ou submissões.

Centro de Referência Especializada

em Assistência Social - CREAS

Serviço de Proteção e Atendimento Especializado

a Famílias e Indivíduos - PAEFI

Média Complexidade

Abuso e Exploração Sexual

Atendimento ao Idoso com Direito Violado Erradicação do Trabalho Infantil – PETI

Organização Não Governamental Menina Olhos de Deus*

Serviço de Proteção e Atendimento Especializado - PAEFI

Criança/adolescente Idoso Adolescente Pessoa Família 268 1.376 300 120 120 4.250

(11)

2011

O Serviço de Proteção Social a Adolescentes em Cumprimento de Medida Sócioeducativa de Liberdade Assistida e de Prestação de Serviços à Comunidade tem como objetivo a oferta de atenção socioassistencial e acompanhamento a adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto, determinadas judicialmente.

Esse serviço deve contribuir para o acesso a direitos e para a ressignificação de valores na vida pessoal e social dos adolescentes e jovens.

Serviço de Proteção Social a Adolescentes

em Cumprimento de Medida Socioeducativa

de Liberdade Assistida (LA) e de Prestação

de Serviços à Comunidade (PSC)

MSE – Liberdade Assistida

MSE – Prestação de Serviço à Comunidade

1.374 133 Adolescente

Adolescente

Ação Unidade Quantidade

(12)

Serviço ofertado para pessoas que utilizam as ruas como espaço de moradia e ou sobrevivência. Tem a finalidade de assegurar atendimento e atividades direcionadas para o desenvolvimento de sociabilidades, na perspectiva de fortalecimentos de vínculos interpessoais e/ou familiares que oportunizem a construção de novos projetos de vida.

em Situação de Rua - SEAS

Abordagem

Atendimento à População de Rua

4.182 1.461 Pessoa

Pessoa

Ação Unidade Quantidade

(13)

2011

Proteção Social Especial

Alta Complexidade

Acolhimento destinado a famílias e/ou indivíduos com vínculos familiares rompidos ou fragilizados, a fim de garantir proteção integral. O atendimento é personalizado e, em pequenos grupos, favorece o convívio familiar e comunitário, bem como a utilização dos equipamentos e serviços disponíveis na comunidade local.

Acolhimento de Crianças, Adolescentes

e Migrantes Vitimados e Vitimizados

6.137 813 Ação Quantidade Criança e Adolescente Unidade Migrante Atendimento ao Imigrante SOS Abrigo

(14)

A Secretaria Municipal de Políticas e Ações Sociais e Cidadania oferece apoio técnico e operacional a toda rede socioassistencial, a fim de aprimorar a prestação dos serviços socioassistenciais do Município de Campo Grande, orientando quanto a execução dos serviços e programas socioassistenciais, prestando apoio técnico para elaboração dos Planos de Trabalho, orientações referentes às adequações necessárias para o cumprimento das normativas estabelecidas no SUAS, assim como apoio e auxílio nas questões inerentes a toda Rede.

Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos

Proteção Social Básica – PSB

Criança de 0 a 6 anos Criança/Adolescente de 7 a 14 anos Jovem Idoso 470 2.960 450 346 Atendimento Quantidade

Proteção Social Especial - PSE

Proteção Especial para Pessoa com Deficiência, Idoso e suas famílias Proteção Social – Defesa de Direitos

1.162 574

Serviços Prestados Quantidade Pessoas

Criança/Adolescente Idoso Migrante 130 269 120

(15)

2011

Coordenadoria de Políticas para Mulheres

Esta coordenadoria promoveu ações afirmativas aos direitos da mulher de forma espontânea ou compulsória, com objetivo de eliminar desigualdades historicamente acumuladas, visando a reparação de perdas provocadas pela discriminação e marginalização decorrentes de motivos raciais, étnicos, religiosos, de gênero, de classe social e outros.

Capacitação de Profissional do CREAS, CRAS, CEINFs e Delegacia da Mulher Conferência Municipal da Mulher

Blitz Educativa no Dia Internacional da Mulher Blitz 16 dias de Ativismo

200 1.000

(16)

Ação Cidadã

Apoio à Cidade do Natal

Araraúnas – Inclusão Digital no Aeroporto Internacional em Parceria com a Infraero

Capacitação Sistema de Informação e Gestão da Assistência Social - SIGAS

Especificação Atendimento 5.233 - -Criança e adolescente 53 Pessoa 150 Unidade Quantidade

Projetos Especiais

Atendimentos emergenciais com kits (vestuário, utensílios e móveis – recebidos em doação) para famílias em situação de vulnerabilidade;

• Arrastão da solidariedade em parceria com a Águas Guarirobas e Sociedade – Peças de Vestuário;

• Campanha do Natal – distribuição de brinquedos.

Coordenadoria de Apoio aos Órgãos

Colegiados – CAOC

Conferências Municipais

• 1ª Conferência Municipal da Juventude;

• 1ª Conferência Regional dos Direitos da Pessoa Idosa; • 2ª Conferência Municipal dos Direitos da Mulher; • Pré-Conferência Municipal de Assistência Social; • 4ª Conferência Municipal da Assistência Social;

Referências

Documentos relacionados

A fase da atribuição do perfil ao docente e fixação de objectivos tem lugar no mês de Abril do ano anterior a cada triénio que será objecto da avaliação de desempenho e decorre

O estudo da formação de palavras tanto pode se referir a uma visão des- critiva do léxico já constituído como pode dar conta das regras internas que propiciam a

O sufixo ‘–ista’, normalmente é usado para qualificar um ser, mostra-se como um formador de profissões em português, porém, nesse caso a palavra derivada pelo

O presente trabalho visa investigar os processos de formação e as estruturas morfológicas que constituem os nomes identificadores dos municípios da Mesorregião do

Esta análise aparece na obra História e Estrutura da Língua Portugue- sa, elaborada entre 1963 e 1965. Mais tarde, em Problemas de Lingüística Descritiva, 1969, Mattoso faz

À escola é reconhecido importante papel preventivo (informação, desenvolvimento de competências), todavia nas suas práticas escolares, as acções de prevenção tem

Como os recursos do projeto são descritos semanticamente, agentes podem ser desenvolvidos para auxiliar na interpretação do seu significado e realizar tarefas do projeto

(E) no âmbito dos contratos entre a EBSERH e as instituições de ensino os servidores titulares de cargo efetivo em exercício, que exerçam atividades relacionadas ao objeto