TRANSIÇÃO ACADÊMICA ENTRE BRASIL E COLÔMBIA EM COOPERAÇÃO INTERNACIONAL. CASO BARRANQUILLA E FLORIANÓPOLIS

10 

Texto

(1)

Patrícia Justo Moreira, Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), e-mail

patriciajustomoreira@gmail.com

Ademilde Silveira Sartori, Professora do Departamento de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC),

e-mail ademildesartori@gmail.com

Eixo: Trajetória Acadêmica

Agência Financiadora: CAPES Resumo: este trabalho tem por objetivo ampliar o debate no eixo temático trajetória acadêmica no âmbito do projeto de cooperação internacional firmado entre o Grupo de Pesquisa Educação, Comunicação e Tecnologia, da Universidade do Estado de Santa Catarina, e o Observatório de Educação do Caribe Colombiano, da Universidad del Norte pelo Programa CAPES/COLCIÊNCIAS. Trata-se da missão de estudos de doutorandos de Programas de Pós-Graduação das universidades envolvidas. O presente projeto tem como objetivo fazer um estudo comparativo que permita identificar os fatores que determinam o nível de uso das TIC como ferramenta de ensino e aprendizagem nas instituições educativas públicas/oficiais no Brasil e Colômbia; tomando como estudo de caso Florianópolis e Barranquilla. Para isso, se propõe a aplicação de questionários semiestruturados dirigidos a docentes e estudantes de ambas as cidades. Com estes dados busca-se uma análise comparativa de cunho quali/quanti a respeito do tema, bem como publicar um livro sobre a pesquisa. Neste sentido, o foco desse trabalho é a disparidade das concessões feitas pelas agências de fomento de cada país, concedendo condições diferenciadas para pesquisadores em missão técnica, o mesmo ocorrendo para os doutorandos dos dois países em missão de estudos. Esta discussão se faz importante neste momento, no qual as questões financeiras e de câmbio monetário interferem diretamente na questão da transição acadêmica e na qualidade dos trabalhos em intercâmbio acadêmicos e da cooperação em futuros projetos.

Palavras-chave: transição acadêmica; intercâmbio; cooperação internacional; mobilidade estudantil.

(2)

INTRODUÇÃO

Nas últimas décadas, percebe-se que governos nacionais e locais têm promovido um maior investimento para melhorar a aquisição de equipamentos de computação e conexões com a Internet nas instituições públicas de ensino, tanto do Brasil como da Colômbia. Como consequência disso, professores e estudantes tem tido um maior uso destes recursos em seus processos de ensino-aprendizagem, dentro e fora da sala de aula, promovendo, em muitos casos, a possibilidade ampliada de apropriação e usos dos mesmos. Tal acesso traz alterações no fazer dentro e fora do ambiente escolar. A questão da formação continuada é uma problemática a ser levada em conta também, tendo em vista que não basta apenas “ter ao dispor” algumas possibilidades tecnológicas, mas deve ser levada em conta a qualidade desse emprego no contexto institucional educativo e fora dele. Outro fator fundamental é a qualidade dos equipamentos em termos de hardwares e softwares que devem ser levado em conta quando se pretende uma qualidade nos processos educacionais como um todo.

Na Colômbia, é a partir do início do séc. XXI que o Governo passa a investir mais amplamente na aquisição de equipamentos de computação e Internet nas escolas públicas. O Governo colombiano cria o Programa Difusão de Novas Tecnologias do Plano Estratégico de Educação 2000-2002 e o Programa Computadores para educar, o propósito principal é o de equipar escolas com computadores a fim de possibilitar o acesso as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). No ano de 2005 as escolas contavam com 2.334 computadores, em 2010 esse número passou para 6.621, demonstrando os esforços no sentido de suporte físico de inserção. A partir da Lei 1341 de 20091, as TIC passam a ser definidas enquanto um conjunto de recursos, ferramentas, equipamentos, programas informáticos, aplicativos, redes e meios, que permitem a compilação, processamento, armazenamento, transmissão de informações. O objetivo da Lei é promover o acesso e uso das TIC através da massificação, garantia de livre competência, uso eficiente da estrutura e fortalecer a proteção dos direitos dos usuários. E isso se reflete na educação quando no artigo 39 dessa Lei, traz a indicação de que o Ministério

(3)

de Tecnologias da Informação e Comunicação da Colômbia coordenará a articulação do Plano de TIC com o Plano de Educação e seus setores. A partir especialmente deste marco é que o país passa a ter uma maior representatividade no item acesso às TIC nas instituições educativas. Por esse motivo, no ano de 2010 as escolas públicas da Colômbia tiveram um grande salto quantitativo no que diz respeito a aquisição de equipamentos e acesso a Internet, no qual 75% das escolas primárias e secundárias estavam conectadas a Internet. Ainda com o Programa governamental Red Educativa Nacional “Conexión

Total”2, desenvolvido pelo Ministerio de Educación Nacional (MEN), cerca de 89% dos

estudantes colombianos de escolas mantidas pelo governo (oficiais) tiveram acesso a Internet, o que em 2005 era de 19%.

No caso brasileiro, guardadas as devidas proporções de quantidade de escolas e de população3 entre os dois países, é a partir de 1986 que o Ministério da Educação do Brasil (MEC) inicia mais fortemente seus esforços quanto a equipar escolas com computadores e suportes informáticos com o Programa de Ação Imediata em Informática na Educação de 1º e 2º graus, investindo em formação e infra-estrutura para as secretarias estaduais de educação, escolas técnicas e universidades. Em 1989 o MEC institui o Programa Nacional de Informática na Educação (Proninfe) com o objetivo de promover o desenvolvimento da informática educativa e seu uso nos sistemas públicos de ensino (1º, 2º, 3º graus e Educação Especial). Em 1997 o MEC reformula o Proninfe que passa a ser, o então vigente, Programa Nacional de Tecnologia Educacional (ProInfo). No ano de 2007 o MEC inicia o Projeto Um computador por Aluno (ProUCA), em sua fase piloto, passando a ser Programa a partir da Lei nº 12.249 de 2010. Em 2008 lança o Programa Banda Larga nas Escolas (PNBLE), investindo no acesso à Internet nas escolas públicas.

Conforme a Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nas Escolas Brasileiras, TIC Educação 20114, realizada e publicada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (Cetic.Br) em 2012, 73% dos professores dizem possuir computador

2 Para maiores detalhes ver o site do MEN. Disponível em: http://www.mineducacion.gov.co/1621/w3-propertyvalue-39471.html

3 Brasil tem 201.032.714 habitantes (população estimada), dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicado no Diário Oficial da União. Colômbia tem população estimada pelo Departamento Administrativo Nacional de Estadística (DANE) de cerca de 47.255.835.

(4)

de mesa ou computador portátil e 8% destes possuem tablet. Cerca de 50% destes que possuem os equipamentos móveis os levam para o trabalho (escola). Segundo a pesquisa em questão, 22% dos professores que acessaram a Internet nos últimos três meses da coleta de dados da pesquisa afirmaram utilizar a mesma por meio do telefone celular. Os dados mostram que no Brasil 92% dos docentes de escolas públicas têm acesso a Internet de seus domicílios.

Esta pesquisa do Cetic.Br nos demonstra também que o modo de acesso desses professores a cursos de capacitação específico para o uso de computador ou Internet se manteve quase que estável desde o ano de 2010 e que o maior fator determinante da capacitação para o uso de TIC foi a partir de investimento pessoal. Mostra ainda que o uso dos computadores em sala de aula aumentou nas escolas públicas e que a sala de aula passou a ter um aumento significativo no que se refere ao uso do computador e Internet nas atividades com os alunos. O uso era de 7% em 2010, 13% em 2011 e 19 % em 2012, enquanto que o laboratório de informática apresentou queda considerável, sendo 76% em 2011 e 63% em 2012. Nota-se ainda neste estudo realizado pelo Cetic.Br que 71% dos professores não costuma ensinar a usar o computador e nem a Internet como atividade escolar educativa.

Vemos que os dois países em questão passaram e ainda passam por processos parecidos em relação às TIC na educação, sendo que o Brasil iniciou este processo um pouco mais cedo que a Colômbia. Mas, os esforços são muito similares quando se fala em termos de educação mantida pelos governos (chamadas escolas públicas no Brasil e escolas oficiais na Colômbia), das dificuldades estruturais e financeiras na busca pela melhoria na educação.

A inserção das TIC na educação traz importantes reflexões. A educação é um dos meios pelo qual se torna possível que o próprio ser humano se perceba enquanto sujeito da sua própria história. De acordo com o educador Paulo Freire (1979, p.69). “A educação é comunicação, é diálogo, na medida em que não é a transferência de saber, mas um encontro de sujeitos interlocutores que buscam a significação dos significados.” Para o teórico da comunicação Martín-Barbero (1996) estamos vivendo em meio a um ecossistema comunicativo, um ambiente tecnológico e comunicativo que nos envolve,

(5)

que mistura múltiplas linguagens remodelando as formas de aquisição do saber e do conhecimento. Por isto, faz-se urgente repensar o quadro de inserção das TIC nas escolas, nas práticas docentes e na cotidianidade escolar no âmbito da rede pública de ensino.

Sancho (2006), afirma que as TIC têm caráter transformador em nossa sociedade e destaca três classes de efeitos que são: alteração das estruturas de interesse; alteração do caráter dos símbolos; e modificação da natureza da comunidade. Em praticamente todos os contextos sociais e econômicos passou a ser possível notar as diferenças a partir da inserção das TIC, sendo de forma direta ou indireta. E isso não foi diferente na educação.

Desta forma, o projeto em parceria internacional pretende explorar e ampliar essa reflexão, discussão e entendimento dessas alterações em nosso mundo dito globalizado ou mundializado, especialmente no âmbito da vida de professores e estudantes e seus possíveis impactos na sociedade.

COOPERAÇÃO INTERNACIONAL FLORIANÓPOLIS (BRASIL) E

BARRANQUILLA (COLÔMBIA)

O Programa Capes/Colciências foi promulgado pelo Decreto 92.502 em 26 de março de 1986, e no Memorando de Entendimento para a Cooperação Científica, Tecnológica, Acadêmica e de Inovação entre a CAPES e o COLCIÊNCIAS, em 26 de outubro de 2011. O objetivo exposto desse programa é estimular, por meio de projetos conjuntos de pesquisa, o intercâmbio de docentes e pesquisadores brasileiros e colombianos, vinculados a Programas de Pós-Graduação de Instituições de Ensino Superior (IES). Sua finalidade é promover a formação de recursos humanos de alto nível no Brasil e na Colômbia, nas diversas áreas do conhecimento.

O projeto “Fatores associados ao nível de uso das TIC como ferramenta de ensino e aprendizagem nas instituições educativas públicas/oficiais da Colômbia e Brasil: caso Barranquilla e Florianópolis” em parceria Brasil e Colômbia foi aprovado em edital no item cooperação internacional CAPES/COLCIÊNCIAS, Edital CGCI 048/2012, terá duração de um ano e provável renovação por período igual. Conta com verba para missões de trabalho e estudos o que fortalece a parceria, amplia contatos e promove uma interlocução acadêmica buscando uma melhoria na qualidade do ensino nos dois países.

(6)

Conta com financiamento no Brasil da Cooperação Internacional da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), cujo objetivo é desenvolver as atividades da pós-graduação brasileira no contexto mundial, buscando dar apoio por meio de incentivos a grupos de pesquisa brasileiros por meio do intercâmbio internacional, buscando ampliar e impulsionar a pós-graduação. E sob financiamento do Departamento Administrativo de Ciência, Tecnologia e Inovação da Colômbia (COLCIÊNCIAS) cuja missão implica em desenvolver a produção de conhecimentos, construir capacidades para Ciência, Tecnologia e Inovação, e propiciar a circulação e usos dos mesmos para o desenvolvimento integral do País como um todo. Para isso são realizados acordos bilaterais com programas de fomento estrangeiros.

No Brasil, está sob coordenação da Dra. Ademilde Silveira Sartori, professora do Departamento de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), coordenadora do Laboratório de Mídias e Práticas Educativas (LAMPE) e líder do Grupo de Pesquisa Educação, Comunicação e Tecnologia (EducomFloripa). A professora coordena também o Observatório Ibero americano de Educomunicação (OIEducom) entre outras participações na linha Educação, Comunicação e Tecnologias.

Na Colômbia, acontece sob orientação do Dr. Elias Said Hung, professor do Departamento de Comunicação Social e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e em Comunicação na Universidad Del Norte no distrito de Barranquilla na Colômbia, é também o responsável geral pelo Observatorio de Educación del Caribe Colombiano (OECC). Os dois professores em questão foram contemplados por período igual para missão de trabalho, sendo possível ficar até quinze dias no outro país, contando com ajuda de custo para o deslocamento e estadia fornecida pelas empresas de fomento de cada país.

Neste caso, estas duas agências de fomento se unem para viabilizar o desenvolvimento e ampliação dos conhecimentos a cerca da educação e da inserção das TIC nos contextos educativos. A CAPES fornece bolsa de estudos por um período de três a seis meses (modalidade Doutorado Sanduíche - DS), ajuda de custo com aluguel e auxílio saúde, além de ajuda para a compra das passagens aéreas de ida e volta para a

(7)

efetivação do intercâmbio da estudante brasileira. Também fornece uma quantia para o custeio de atividades do projeto para o Grupo de Pesquisa Educação, Comunicação e Tecnologia, ligado ao Programas de Pós-graduação em Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), bem como custas de missão de trabalho por até quinze dias para professora brasileira.

A COLCIÊNCIAS fornece auxilio financeiro para o Observatorio de Educación del Caribe Colombiano ligado a Universidad Del Norte de Barranquilla, na Colômbia. Promovendo o custeio das duas missões (estudos e trabalho) com passagem aera de ida e volta, alimentação e estadia, além de outros recursos para a efetivação do projeto. O período de tempo disponibilizado para a missão de estudos foi de 15 dias no total, bem como a de missão de trabalho.

Esta cooperação internacional esta possibilitando um amplo campo de reflexões, de construção coletiva de significados para o contexto Iberoamericano, de trabalhos em parceria. E seus frutos já estão sendo colhidos desde a aprovação do projeto. Em maio contamos com a presença do coordenador do projeto na Colômbia aqui no Brasil. Na ocasião podemos aprofundar reflexões e questões atinentes ao projeto, além de estreitar laços acadêmicos e impulsionar futuras parcerias.

Em outubro deste mesmo ano, tivemos a presença do doutorando da Colômbia aqui no Brasil. Foi concedido pelo COLCIÊNCIAS um curto período de tempo para a missão de estudos. O engenheiro de sistemas, atualmente doutorando, vinculado a Universidade Del Norte de Barranquilla, permaneceu no Brasil por onze dias completos, sendo nove dias de trabalho, dois dedicados a viajem de ida e volta, e um final de semana. Neste período o estudante pode: conhecer os trabalhos do Grupo de Pesquisa e os pesquisadores brasileiros envolvidos no projeto; a Universidade brasileira e parte do seu corpo gestor, docente e discente; pode apresentar sua proposta de tese, em fase inicial, e seu plano de trabalho no Brasil em aulas no curso de pedagogia da Faculdade de Educação e no Programa de Pós-Graduação em Educação da mesma instituição; e ainda realizou treze entrevistas com professores da UDESC e visitou três escolas as quais pode realizar entrevista com professores de educação básica e conhecer projetos que envolvem as TIC na educação em Florianópolis. Esta coleta de dados e reflexões a cerca das falas

(8)

dos docentes proporciona um importante conhecimento a cerca da visão brasileira de educação. Sua proposta de tese versa sobre a criação de um Software que auxilie professores e estudantes no processo de avaliação e auto-avaliação das competências necessárias para o uso das TIC na educação.

Em novembro de 2013 a doutoranda brasileira e a coordenadora do projeto no Brasil vão até a Colômbia para realizarem suas missões de estudos e trabalho respectivamente. A estudante brasileira ficará na Colômbia por 4 meses a fim de realizar sua missão de estudos contando com auxílio da CAPES. Desta forma estarão ampliando ainda mais o intercâmbio educativo, cultural, de experiências acadêmicas, teorias, metodologias fortalecendo a parceria institucional e ampliando o quadro referente à construção do conhecimento a cerca da educação em ambos os países.

QUESTÕES METODOLÓGICAS DO PROJETO

Este projeto se propõe a realizar um levantamento dos fatores que determinam o nível de uso das mídias nas práticas escolares por parte dos docentes atuantes em escolas públicas de Florianópolis e de Barranquilla e de seus discentes matriculados. A coleta de dados nesse primeiro momento abarca os sextos anos do ensino fundamental das cidades de Florianópolis e Barranquilla. Os dados estão sendo coletados por meio de questionários estruturados de múltiplas escolhas, iguais para ambos os países, buscando abarcar as escolas públicas municipais e estaduais situadas na Ilha de Florianópolis e em Barranquilla.

No caso da capital catarinense são 22 escolas estaduais e 25 escolas municipais que possuem o ensino fundamental II, que é o foco de nossa coleta de dados. A escolha dos sextos anos se deu em parceria com a Colômbia, por ser o primeiro ano do ensino fundamental II e possui um maior numero de professores atuantes de áreas distintas. Pretende-se que seja ampliado futuramente para outros anos escolares.

Os pré-testes já foram realizados em ambos os países e os questionários ajustados. Agora está em vias de ser aplicado nas escolas, mas aguardando parecer favorável do

(9)

comitê de ética em pesquisa com seres humanos da UDESC e já possui autorização prévia das Secretarias de Educação municipal e estadual.

A tabulação e a análise dos dados serão feitas com a parceria entre as equipes de cada país e gerará além de relatórios e artigos científicos, um livro sobre a pesquisa, seus resultados e suas propostas, em versão espanhola e em português (será disponibilizado gratuitamente na Internet). Esta análise será feita de forma a contemplar tanto uma abordagem quantitativa quanto qualitativa dos dados.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Sendo assim, nossa finalidade é refletir sobre esse fenômeno particular e comparativo dessas duas cidades que nos permita compreender o que acontece quando os computadores e a Internet entram na escola e são utilizados de forma educativa. Pretende-se ainda detectar quais são as causas e conPretende-sequências das possíveis facilidades, dificuldades e resistências dos professores e estudantes para integrar as TIC em suas práticas pedagógicas e quais são os recursos midiáticos utilizados em suas práticas. Este estudo comparativo possibilitará um levantamento dos fatores institucionais, sociais, psicológicos e econômicos, particular e em comum entre os contextos, a respeito do uso das TIC como ferramenta de ensino-aprendizagem em escolas públicas.

Tanto no contexto do Brasil quanto da Colômbia faz-se necessário criar e aplicar novos modelos de ensino-aprendizagem que levem em conta a presença constante das TIC na vida dos professores e estudantes. A partir deste estudo será possível conhecer com mais profundidade estas duas realidades localizadas com a finalidade de poder desenvolver propostas viáveis e concretas para a transformação qualitativa destas realidades.

O intercâmbio de trabalho e de estudos é fundamental para o crescimento acadêmico, pois envolve construção coletiva, troca de experiências, amplia escopos teóricos e metodológicos. Grandes contribuições surgem de parcerias como esta que está sendo apresentada neste projeto. Possibilitar a promoção de um trânsito entre estudantes dos países traz inúmeras consequências positivas quanto a questão de formação da

(10)

pessoa, tanto no âmbito pessoal como no acadêmico e profissional. O intercâmbio de culturas diversas, a reflexão coletiva, as trocas de experiências educativas faz construir e ampliar o conhecimento científico e social.

Referencias

BRASIL. Pesquisa sobre o uso das Tecnologias de informação e comunicação nas escolas brasileiras: TIC Educação 2012. São Paulo: Comitê Gestor de Internet no Brasil, 2013. Disponível em: <http://www.cetic.br/educacao/2012/> . Acesso em set. 2013.

COLOMBIA. Sistema Nacional de Indicadores Educativos para los Niveles de Preescolar, Básica y Media en Colombia. Bogotá: Ministerio de educación nacional, 2013.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Heredando el Futuro. Pensar la Educación desde la Comunicación. Nómadas, Boggotá, septiembre de 1996, n. 5, p.10-22.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação? 4. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

SANCHO GIL, Juana Maria (org.). Tecnologías para transformar La educación. Madrid, Espanha. Universidad Internacional de Andalucía: Akal, 2006.

Imagem

temas relacionados :