I) Relatório. Processo nº 14397/2014 CM DE ALTO BOA VISTA GABINETE CONSELHEIRO MOISES MACIEL 1

19 

Texto

(1)

PROCESSO : 14397/2014

PROCEDÊNCIA : CÂMARA MUNICIPAL DE ALTO BOA VISTA ASSUNTO : CONTAS ANUAIS DE GESTÃO/2014

GESTOR : VALTUIR CANDIDO DA SILVA

RELATOR : CONSELHEIRO SUBSTITUTO MOISES MACIEL

I) Relatório

Trata-se das Contas Anuais de Gestão da Câmara Municipal de Alto Boa Vista, referentes ao exercício de 2014, sob a gestão do Sr. Valtuir Cândido da Silva, prestadas a esta E. Corte de Contas com fundamento nos artigos 31, §§ 1° e 2° da Constituição Federal; 212, inciso I, da Constituição Estadual; 1°, inciso I e 26 da Lei Complementar 269/2007 (Lei Orgânica TCE-MT); 29, inciso I e 176, § 3° da Resolução 14/2007 (Regimento Interno TCE-MT) e Resolução Normativa TCE-MT 10/2008.

A equipe de auditoria da Secretaria de Controle Externo da 4ª Relatoria realizou inspeção “in loco” na Câmara Municipal de Alto Boa Vista, e após efetuar análise por amostragem dos documentos de receitas e despesas das contas anuais e consolidar o resultado do exercício de controle externo concomitante dos atos e fatos administrativos, a equipe técnica elaborou o relatório preliminar de auditoria e anexos.

Consoante o disposto no artigo 6º, artigo 61, § 2º, da Lei Complementar nº. 269/2007, artigo 89, inciso VIII, artigo 140, da Resolução n. 14/2007 e mediante ofício nº. 212/2015/GAB-MM, o gestor foi citado para conhecimento e manifestação sobre o relatório técnico de auditoria. O gestor, exercendo o direito constitucional ao contraditório e à ampla defesa manifestou-se acerca das informações contidas no relatório, que foram analisadas pela equipe técnica da 4ª Secex.

Nos termos do artigo 141, § 2º, do RI/TCE/MT, o gestor foi devidamente notificado através do ofício n° 0050/2015/GAB-MM/TCE-MT, para apresentar alegações

(2)

finais, no entanto, deixou decorrer o prazo legal sem que tivesse apresentado as alegações.

A auditoria foi realizada no período de 01/12/2014, na sede da entidade, em atendimento à determinação contida na Ordem de Serviço nº 011/2014 e 2603/15, e em conformidade com as normas e procedimentos de auditoria aplicáveis à Administração Pública, bem como aos critérios contidos na legislação vigente.

2. RESPONSÁVEL PELO ÓRGÃO

Nome: Cargo: Período:

VALTUIR CANDIDO DA SILVA Vereador Presidente 01/01/2014 a 31/12/2014

Control- p

Nome: Cargo: CRC: Período:

MARIA NEUSA CIRQUEIRA MILHOMEM PORTUGAL

Responsável Contábil MT-06464/O-0 01/01/2014 a 31/12/2014

Control-p

3. DOS ATOS DE GESTÃO

Com base em elementos de conhecimento prévio sobre o órgão fiscalizado e os critérios de materialidade de recursos, relevância social e riscos associados ao fiscalizado foram selecionadas pela equipe técnica, com anuência do Subsecretário, os seguintes pontos de controle para a análise das contas anuais de gestão.

3.1 Regras Específicos – Poder Legislativo Municipal 3.1.1 Repasses recebidos

Para o exercício de 2014 foram previstos repasses no valor de R$ 792.182,39 conforme Lei Orçamentária nº 458/2013. Por meio de Decretos Legislativos

(3)

foram abertos créditos adicionais no valor de R$ 36.848,36 no orçamento da Câmara, atualizando a previsão para R$ 793.896,39 (Quadro 2.2), sendo efetivamente recebido o montante de R$ 793.896,20.

O Decreto 53/2014 no valor de R$ 1.714,00 não indica a fonte de recurso, sendo esse valor relativo ao aumento do valor do orçamento inicial da Câmara.

3.1.2 Gasto Total

O total da despesa do Poder Legislativo Municipal, incluídos os subsídios dos vereadores e excluídos os gastos com inativos, foi de R$ 793.896,20 correspondente a 6,93% da receita base de R$ 11.452.653,30 estabelecida no art. 29-A da Constituição Federal, estando de acordo com o limite constitucional.

3.1.3. Despesa com folha de pagamento

A despesa com folha de pagamento da Câmara Municipal, incluídos os subsídios de seus vereadores, foi de R$ 371.980,95, correspondeu a 46,85% da sua receita de R$ 793.896,20, não ultrapassando o limite estabelecido no § 1° do art. 29-A da Constituição Federal.

3.1.3. Despesa com folha de pagamento

A despesa com folha de pagamento da Câmara Municipal, incluídos os

subsídios de seus vereadores, foi de R$ 371.980,95, correspondendo a 46,85% da sua receita de R$ 793.896,20, não ultrapassando o limite estabelecido no §1° do art. 29-A da Constituição Federal.

(4)

3.1.4. Despesa com pessoal

A despesa com pessoal da Câmara Municipal totalizou o montante de R$ 483.575,78 correspondente a 3,34% da RCL R$ 14.479.295,57 assegurando o cumprimento do limite máximo de 6% estabelecido no art. 20, inc. III, “a” da LRF.

3.1.5. Subsídio dos vereadores

O subsídio dos vereadores foi fixado em moeda corrente pela Câmara Municipal na legislatura anterior, para vigorar na presente legislatura, por meio da Lei nº 414/2012. CARGO SUBSÍDIO VEREADOR - PRESIDENTE R$ 2.800,00 VEREADOR R$ 1.600,00 PREFEITO R$ 13.000,00 DEPUTADO ESTADUAL R$ 20.042,34 POPULAÇÃO 5.553

% MÁXIMO SUBSÍDIO VEREADOR x SUBSÍDIO DO DEPUTADO 20,00%

Tabela: Remuneração Responsável do APLIC (Valor do subsídio fixado aos responsáveis)

Com objetivo de se avaliar se o subsídio dos vereadores estão de acordo com a legislação pertinente, apresentam-se os seguintes achados de auditoria:

1) O subsídio dos vereadores não excedeu o percentual estabelecido do subsídio do Deputado Estadual.

2) O total dos subsídios pagos aos vereadores no exercício obedeceu o percentual de 5% da Receita do Município.

O total dos subsídios pagos aos Vereadores foi de R$ 187.200,00, correspondendo a 1,27% da receita do município arrecadada em 2014 (R$ 14.732.196,33 - valor líquido da contribuição para o FUNDEB).

(5)

3) O pagamento de remuneração e subsídios não foram superiores ao subsídio mensal do Prefeito Municipal.

3.1.6 Sessões extraordinárias

Com objetivo de se avaliar se houve pagamento de indenização aos vereadores por participação em sessões extraordinárias, apresentam-se os seguintes achados de auditoria:

Não houve pagamento de indenizações aos vereadores por participação em sessões extraordinárias.

3.2 DESPESAS

A fim de se avaliar em que medida a gestão dessa área foi realizada de acordo com a legislação pertinente, apresentam-se os achados de auditoria resultantes da análise da amostra selecionada:

1) Foram constatadas despesas irregulares referente ao Contrato 01/2014, uma vez que o objeto contratual não foi cumprido.

2) Não foram constatadas aquisições de bens e/ou serviços com preços superiores aos praticados no mercado e/ou superiores ao contratado (superfaturamento).

3) Os pagamentos das despesas foram efetuados quando ordenados após sua regular liquidação.

4) Na liquidação da despesa foram constatados documentos suficientes para comprovar a entrega do produto ou prestação do serviço.

(6)

fazê-lo.

3.2.1. Alterações Orçamentárias

Alterações orçamentárias realizadas pela Câmara Municipal através de Decretos Legislativos.

1) Foram constatadas alterações orçamentárias realizadas no orçamento do Poder Legislativo por meio de Decretos Legislativos. Os Decretos que abriram crédito adicional suplementar ao orçamento da Câmara não possuem o decreto correspondente emitidos pelo Poder Executivo, contrariando o artigo 42 da Lei 4320/64.

3.3. Licitações e contratações diretas

Não houve recondução integral dos membros da Comissão Permanente de Licitações da Câmara Municipal de Alto Boa Vista, conforme verificado a seguir:

A Portaria 002, de 2 de janeiro de 2014, dispõe sobre a nomeação da Comissão Permanente de Licitação da Câmara Municipal de Alto Boa Vista para o exercício de 2014, composta pelos seguintes membros:

Presidente: Frankcigerison Isaías Camelo Pereira Secretário: Terezinha de Jesus Dias Reis

Membro: Emiliano Graeff

A Portaria 009, de 30 de maio de 2014, dispõe sobre a nomeação do Pregoeiro e a equipe de apoio do Poder Legislativo Municipal de Alto Boa Vista, com a seguinte composição:

Pregoeiro: Cristiano Rubin Parizzoto

Equipe de apoio: Frankcigerison Isaías Camelo Pereira Terezinha de Jesus Dias Reis

(7)

Suely Ferreira Brito

A Câmara Municipal de Alto Boa Vista realizou apenas um procedimento licitatório no exercício de 2014, no montante de R$ 76.480,00:

Modalidade e Nº Licitação Data Homologação Data Julgamento Proposta Valor Vencedor (R$) Objetivo Vencedor Pregão Presencial 001/2014

23/06/14 13/06/14 76.480,00 Contratação de empresa para fornecimento dos sistemas/softwares e digitalização e gerenciamento eletrônico de documentos para a gestão pública Sydcon Tecnologia de Sistemas de Informática e Consultoria Ltda – ME

Com objetivo de se avaliar em que medida a gestão dessa área foi realizada de acordo com a legislação pertinente, apresentam-se os achados de auditoria resultantes da análise da amostra selecionada:

1) Os serviços, compras e alienações foram contratados mediante processo de licitação pública.

Não foram constatados fracionamentos de despesas para evitar licitação. 2) Não foram constatadas especificações excessivas, irrelevantes ou desnecessárias que restrinjam a competição do certame licitatório.

3) Não foram constatadas especificações imprecisas e/ou insuficientes do objeto da licitação.

4) Os editais das licitações garantiram tratamento diferenciado às microempresas e/ou empresas de pequeno porte.

5) Foram publicados os avisos e demais atos obrigatórios da licitação nos meios de divulgação previstos na legislação e/ou fora dos padrões e critérios estabelecidos.

(8)

6) Não foram constatadas irregularidades relativas às exigências de qualificação econômico-financeiro das licitantes.

7) Não foram constatadas irregularidades relativas às exigências de qualificação técnica das licitantes.

8) Não foram constatadas irregularidades relativas às exigências de regularidade fiscal e trabalhista das licitantes.

9) Não foram constatadas irregularidades relativas às exigências de habilitação jurídica das licitantes.

3.4. Contratos

A Câmara Municipal de Alto Boa Vista celebrou 04 (quatro) contratos no exercício de 2014, no montante de R$ 123.500,00 e aditou outros dois no valor de R$ 31.719,00: Contratos celebrados Contrato Tipo Data Assinatura Data Vencimento Valor Principal Objetivo Contratado 001/2014 Prestação de Serviço

20/02/14 31/12/14 3.850,00 Implantação do portal transparência para esta casa de leis

Sydcon Tecnologia de Sistemas de Informática e Consultoria Ltda - ME 002/2014 Prestação de

Serviço

20/02/14 31/03/14 5.500,00 Prestação de serviços de pedreiro e pintor na reforma do prédio na câmara municipal

Antônio Neto Dias Costa

003/2014 Prestação de

Serviço 02/06/14 31/12/14 3.500,00 Associação da Câmara Municipal à UCMMAT – União das Câmaras Municipais do Estado de Mato Grosso

Ucmmat - União das Câmaras Municipais do Estado de MT 004/2014 Prestação de Serviço 01/07/14 30/06/15 54.600,00 Prestação de serviços de locação de softwares de administração pública,prestação de serviços de

concessão de direito de licença de software de gestão eletrônica de documentos

Sydcon Tecnologia de Sistemas de Informática e Consultoria Ltda - ME

(9)

Termos Aditivos Nº Contrato Principal Data Assinatura Aditivo Data Vencimento Valor Aditado

Objetivo Contratado Termo Aditivo 001/2013 02/01/14 30/06/14 27.219,00 Prestação de serviços de locação de softwares de administração pública - prestação de serviços de concessão de direito de licença de software de gestão eletrônica de documentos. Sydcon Tecnologia de Sistemas de Informática e Consultoria Ltda - ME 001/2014 002/2013 4.500,00 Associação da Câmara municipal e vereadores do município de Alto Boa Vista à Ucmmat - União das Câmaras Municipais do Estado de Mato Grosso. UCMMAT – União das Câmaras Municipais do Estado de Mato Grosso Total 31.719,00

Com objetivo de se avaliar em que medida a gestão dessa área foi realizada de acordo com a legislação pertinente, apresentam-se os achados de auditoria resultantes da análise da amostra selecionada:

1) Conforme as informações apresentadas no sistema APLIC, a execução dos contratos foi acompanhada e fiscalizada pelo servidor Frankcigerison Isaias Camelo Pereira, nomeado pela Portaria nº 003/2014.

2) Conforme cópias dos relatórios de fiscalização dos contratos, encaminhados via Sistema Aplic, o acompanhamento e fiscalização da execução dos contratos, por parte do representante da Administração especialmente designado, foi eficiente. O fiscal designado emitiu os relatórios, nos quais pode ser observado que foram feitas as verificações de todos os itens necessários para o acompanhamento da execução dos contratos (01, 02, 03 e 04, todos de 2014). Houve ainda o acompanhamento dos contratos prorrogados em 2014 (01/2013 e 02/2013)

3) A prorrogação contratual está em conformidade com as hipóteses, condições ou limites estabelecidos no art. 57 da Lei nº 8.666/93.

(10)

com o disposto no art. 65 da Lei n° 8.666/93.

5) O objeto do contrato foi executado nos termos previamente estipulados.

6) As alterações no objeto contratado ocorreram conforme as condições e limites estabelecidos pela legislação.

3.5 Encargos Previdenciários

A Câmara Municipal de Alto Boa Vista contribui para o Regime Geral de Previdência.

Com objetivo de se avaliar em que medida a gestão dessa área foi realizada de acordo com a legislação pertinente, apresentam-se os achados de auditoria resultantes da análise da amostra selecionada:

1) Houve contabilização da contribuição previdenciária patronal devida à previdência geral. Em 2014 a Câmara de Alto Boa Vista empenhou na dotação 3190.13 o montante de R$ 74.934,85, conforme registro no Anexo 2 da Despesa.

2) Houve pagamento da contribuição previdenciária patronal à previdência geral. A Câmara não deixou despesas em restos a pagar.

3) As quotas de contribuição previdenciária descontadas dos segurados foram repassadas à previdência geral.

3.6 Restos a pagar

Não havia saldo de dívida flutuante relativa a restos a pagar no exercício de 2013. No exercício de 2014 também não foi constatada a inscrição de despesas em restos a pagar.

(11)

3.7 Bens (imóveis e móveis)

A Câmara Municipal de Alto Boa Vista possui dois veículos:

Característica Propriedade Veículo ANO/FABRICAÇÃO PLACA

CAMINHONETE TOYOTA/HILUX SW4 Próprio da UG 2009 NPQ-0128

MOTO HONDA C-100 BIZ Próprio da UG 2004 KAG-5565

Cabe informar que o veículo Caminhonete Toyota Hillux SW4 foi doada pela Prefeitura de Alto Boa Vista, conforme Termo de Doação e lei municipal autorizativa.

1) Há controle dos custos de manutenção de veículos e equipamentos de forma individualizada (combustíveis, peças, serviços, etc).

Foi constatada compatibilidade entre os registros contábeis e a existência física dos bens permanentes.

3.8. Prestação de Contas

Cumpre destacar que os achados relativos a intempestividade no envio de informações e documentos ao TCE-MT serão objeto de processo de representação interna nos termos da Resolução Normativa TCE nº 17/2010.

Com objetivo de se avaliar em que medida a gestão dessa área foi realizada de acordo com a legislação pertinente, apresentam-se os achados de auditoria resultantes da análise da amostra selecionada:

1) As informações e os documentos relativos à carga mensal do Aplic de dezembro foram enviadas intempestivamente ao TCE/MT.

2) As informações constatadas pelas equipes técnicas não divergem das enviadas ao Tribunal de Contas.

(12)

3) Não foi constatado o envio de documentos ilegíveis e/ou em desconformidade com o exigido pelos normativos do TCE-MT.

3.9. Sistema de Controle Interno

O Sistema de Controle Interno do Município de Alto Boa Vista foi criado pela Lei Municipal nº 275, de 24 de outubro de 2007. O § 2º do artigo 3º, dispõe: “O Poder Legislativo Municipal submeter-se-á às normas de padronização de procedimentos e rotinas expedidas pelo Poder Executivo Municipal.”

O cargo de Coordenador de Controle Interno foi criado no Quadro permanente de pessoal da Prefeitura Municipal de Alto Boa Vista em provimento efetivo por meio da Lei 262/2007, passando a fazer parte integrante das Leis Municipais n.º 201/2004 e 241/2006, que dispõe sobre o plano de cargos, salários e carreira dos servidores públicos e sobre o lotacionograma do funcionalismo municipal, respectivamente.

O Manual de Rotinas Internas e Procedimentos de Controle do Município de Alto Boa Vista foi regulamentado por meio do Decreto nº 038/2011.

Com objetivo de se avaliar em que medida a gestão dessa área foi realizada de acordo com a legislação pertinente, apresentam-se os achados de auditoria resultantes da análise da amostra selecionada:

1) O cargo de controlador interno não pertence a estrutura do órgão/entidade. O Plano de Cargos, Salários e Carreira dos Servidores do Poder Legislativo foi criado mediante Lei Municipal 412, de 18.06.2012, conforme lei enviado pelo Sistema Aplic. Não consta nos anexos da lei, a criação do cargo de Controlador Interno.

(13)

ao quadro efetivo da Câmara Municipal.

3) Foi constatada omissão do responsável pela Unidade de Controle Interno em comunicar/notificar o gestor competente diante de irregularidades/ilegalidades constatadas. No decorrer do exercício, a Senhora Janaína Rodrigues Silva não emitiu nenhum documento de orientação ao gestor acerca de irregularidades. Foi evidenciado que o Controlador emitiu somente o Parecer sobre as contas do gestor, referentes ao primeiro semestre e sobre as contas anuais e sobre a nomeação de funcionários por meio de concurso público, conforme envio pelo Sistema Aplic.

4) Há observância do princípio da segregação de funções de autorização, aprovação, execução, controle e contabilização das operações.

3.10. Transparência Pública

Com objetivo de se avaliar em que medida a gestão dessa área foi realizada de acordo com a legislação pertinente, apresentam-se os achados de auditoria resultantes da análise da amostra selecionada:

1) Os atos públicos foram praticados de acordo com o princípio da publicidade.

Constatou-se que a publicidade dos atos da Câmara Municipal de Alto Boa Vista realiza-se por meio do Diário Oficial do Estado, Jornal Folha do Estado e por afixação no mural da Câmara Municipal.

2) As informações sobre a execução orçamentária e financeira foram devidamente liberadas ao acesso da sociedade, por meios eletrônicos públicos.

A Câmara Municipal de Alto Boa Vista possui página oficial na internet. Contudo, as informações http://www.camaraaltoboavista.mt.gov.br/index.aspx sobre a

(14)

execução orçamentária e financeira relativas ao exercício de 2014 não foram liberadas, conforme captura de telas de consulta ao referido sitio.

3) Não foram cumpridas as disposições pertinentes a Lei de Acesso à informação.

4) Não foram implementadas as regras da Lei de Acesso à Informação de acordo com os padrões e prazos estabelecidos.

3.11. Outros aspectos relevantes Julgamentos anteriores:

EXERCÍCIO Nº PROCESSO ACÓRDÃO DT DECISÃO DECISÃO MULTA UPF

GLOSA UPF

2013 80004/2013 55/2014 12/08/2014 JULGAR REGULARES, COM DETERMINACOES LEGAIS E MULTAR

21

2012 69884/2012 79/2013 21/08/2013 JULGAR REGULARES, COM RECOMENDACOES E DETERMINACOES LEGAIS E MULTAR

31

Control-p

4. CUMPRIMENTO DAS DETERMINAÇÕES/RECOMENDAÇÕES DO TCE

As contas de gestão prestadas pelo mesmo gestor em exercícios anteriores, relativamente ao órgão analisado, serão listadas no quadro que segue:

EXERCÍCIO Nº PROCESSO ACÓRDÃO DATA DECISÃO DETERMINAÇÃO / RECOMENDAÇÃO SITUAÇÃO VERIFICADA

2013 80004/2013 55/2014 12/08/14

Cumpra a Lei da Transparência e disponibilize, na internet, todas as informações exigidas pela referida lei, no prazo de 90 dias.

Não cumprido

Realize as atividades dispostas no cronograma para implantação da Lei de Acesso à Informação, especialmente quanto ao SIC e às ouvidorias, nos termos do artigo 5º da Resolução Normativa nº 25/2012, no prazo de 90 dias.

Não cumprido

Envie os documentos referentes à licitação, modalidade convite, publicada na data de 9-1-2013, cujo objeto foi a prestação de serviços de locação de softwares, no valor de R$ 51.600,00, com a SYNDICON, bem como os contratos realizados com a SYNDICON e com a UCMMAT, no prazo de 90 dias.

(15)

EXERCÍCIO Nº PROCESSO ACÓRDÃO DT DECISÃO DETERMINAÇÃO / RECOMENDAÇÃO SITUAÇÃO VERIFICADA 2012 69884/2012 79/2013 21/08/2013

Atente-se aos lançamentos realizados no Sistema APLIC, de modo a não incidir em divergências.

Não foram

constatadas divergências. Adote providências urgentes tendentes a

adequar a Lei de Plano, Cargos e Salários da unidade, de modo que passe a prever o cargo de assessor jurídico como de provimento efetivo, viabilizando a realização do competente concurso público.

Foi cumprido. Por meio da Lei Municipal 412/2012, o cargo de Assessor Jurídico foi criado para provimento efetivo.

5. DENÚNCIAS

Não foram apresentadas denúncias contra atos de gestão ao TCE-MT praticados pelo administrador ou responsável durante o exercício de 2014.

6. REPRESENTAÇÕES

Não foram apresentadas ao TCE/MT representações internas e externas contra atos de gestão praticados pelo administrador ou responsável durante o exercício de 2014.

7. TOMADA DE CONTAS

Não foram apresentados ao TCE/MT processos relativos a Tomada de Contas durante o exercício de 2014.

8. CONCLUSÃO PRELIMINAR

Irregularidades sob a responsabilidade do Sr. Valtuir Cândido da Silva – período de 01/01/2014 à 31/12/2014:

1) DB16 GESTÃO FISCAL/FINANCEIRA_GRAVE_16. Não liberação ao pleno conhecimento e acompanhamento da sociedade, em tempo real, de

(16)

informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira, em meios eletrônicos de acesso público (art. 48, II, 48-A da Lei Complementar nº 101/2000).

1.1) Não disponibilização das informações referentes à execução orçamentária e financeira do exercício de 2014 para pleno conhecimento e acompanhamento da sociedade, em tempo real, em meios eletrônicos de acesso público, contrariando o artigo 48, inciso II, e artigo 48-A da Lei Complementar nº 101/2000. - Tópico – 3.10. Transparência Pública – SANADA

2) EB04 CONTROLE INTERNO_GRAVE_04. Omissão do responsável pela Unidade de Controle Interno em comunicar/notificar o gestor competente diante de irregularidades/ilegalidades constatadas (art. 74, §1º, da Constituição Federal; art. 8º da Lei Complementar nº 269/2007; art. 6º da Resolução Normativa TCE nº 33/2012; art. 163 da Resolução Normativa TCE nº 14/2007; art. 6º da Resolução Normativa TCE nº 01/2007).

2.1) Omissão do servidor designado para as funções de controle interno da Câmara em notificar ou comunicar ao gestor sobre falhas constatadas no sistema de controle interno, contrariando Resoluções Normativas deste Tribunal. - Tópico – 3.9. Sistema de Controle Interno

3) EB09 CONTROLE INTERNO_GRAVE_09. Responsável pela Unidade Central de Controle Interno não pertencente ao quadro efetivo do órgão/entidade (art. 1º da Resolução Normativa TCE nº 05/2013).

3.1) O Controlador Interno da Câmara Municipal não pertence ao quadro efetivo do órgão, contrariando a Resolução Normativa 33/2012 e a Resolução de Consulta 24/2008 deste Tribunal. - Tópico - 3.9. Sistema de Controle Interno

4) EB10 CONTROLE INTERNO_GRAVE_10. Ausência de cargo de controlador interno na estrutura do órgão/entidade (art. 3º da Resolução Normativa TCE nº 33/2012; Resolução de Consulta TCE nº 24/2008 ).

4.1) Inexistência do cargo de Controlador Interno no Plano de Cargos e Salários da Câmara Municipal, criado pela Lei 412/2012, contrariando o artigo 3º da Resolução Normativa 33/2012 e Resolução Normativa 24/2008 do TCE/MT. - Tópico - 3.9. Sistema de Controle Interno

(17)

5) FB06 PLANEJAMENTO/ORÇAMENTO_GRAVE_06. Abertura de créditos adicionais por instrumento que não seja Decreto do Executivo (arts. 42 e 44 da Lei 4.320/1964).

5.1) Abertura de Créditos Adicionais por meio de decretos legislativos, no montante de R$ 36.848,36, contrariando o artigo 42 da Lei 4.320/64. - Tópico - 3.2.1.Alterações Orçamentárias – SANADA

6) JB01 DESPESAS_GRAVE_01. Realização de despesas consideradas não autorizadas, irregulares e lesivas ao patrimônio público, ilegais e/ou ilegítimas (art. 15 da Lei Complementar 101/2000; art. 4° da Lei 4.320/1964).

6.1) Pagamento de despesa relativa ao Contrato 01/2014, no montante de R$ 3.850,00, sem a efetiva prestação do serviço contratado, contrariando o inciso I do artigo 75 da

Lei 4.320/64. - Tópico - 3.2. Despesas – SANADA

DATA DO FATOR GERADOR DA

GLOSA

VALOR DA

GLOSA RESPONSÁVEL PELA GLOSA

19/12/2014 R$ 3.850,00 VALTUIR CANDIDO DA SILVA

Total: R$ 3.850,00

7) NB10 DIVERSOS_GRAVE_10. Descumprimento das disposições da Lei de Acesso à Informação (Lei nº 12.527/2011; Resolução Normativa TCE nº 25/2012, atualizada pela Resolução Normativa TCE nº 14/2013).

7.1) Ausência de manutenção e atualização do Portal da Câmara Municipal de Alto Boa Vista, contrariando a Lei nº 12.527/2011, Resolução Normativa do TCE-MT nº 25/2012 e 14/2013. - Tópico - 3.10. Transparência Pública – SANADA

8) NB11 DIVERSOS_GRAVE_11. Não implementação das regras da Lei de Acesso à Informação nos padrões e prazos definidos (art. 5º da Resolução Normativa TCE nº 25/2012, atualizada pela Resolução Normativa TCE nº 14/2013).

8.1) Não foi constatada a realização das atividades dispostas no cronograma para implantação da Lei de Acesso a Informação (art. 5º da RN TCE nº 25/2012, atualizada pela RN

(18)

TCE nº 14/2013). - Tópico – 3.10. Transparência Pública

9. Ministério Público de Contas

O Ministério Público de Contas, por meio do parecer n.º 4.549/2015, da lavra do D. Procurador de Contas Willian de Almeida Brito Júnior manifesta-se:

a) pelo proferimento de decisão definitiva pela regularidade das contas anuais de gestão da Câmara Municipal de Alto Boa Vista, referentes ao exercício de 2014, sob responsabilidade do gestor Sr. Valtuir Candido da Silva, nos termos do art. 21, §1º, da Lei Complementar nº 269/2007 c/c o art. 193, §2º, da Resolução nº 14/2007;

b) pela recomendação à Câmara Municipal de Alto Boa Vista para que:

b.1) disponibilize as informações relativas à transparência das contas públicas no site do próprio ente, por ser ele o local mais procurado por qualquer munícipe ou cidadão que queira conhecer as informações sobre a gestão do órgão;

b.2) faça constar as datas em que as informações foram publicadas, a fim de demonstrar o fiel cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal quanto à disponibilização em tempo real das informações ao pleno conhecimento e acompanhamento da sociedade;

c) pela determinação à Câmara Municipal de Alto Boa Vista para que:

c.1) adote as ações necessárias para aperfeiçoamento das atividades e rotinas do controle interno, a fim de que o setor exerça com excelência a sua função orientativa e preventiva;

(19)

Plano, Cargos e Salários da unidade, de modo que passe a prever o cargo de controlador interno como de provimento efetivo;

c.3) realize as atividades dispostas no cronograma para implantação da Lei de Acesso à Informação, especialmente quanto ao SIC, nos termos do artigo 5º da Resolução Normativa nº 25/2012, no prazo de 90 dias, sob pena de multa por reincidência no descumprimento de determinação do Tribunal de Contas;

d) pela aplicação de multa ao vereador presidente, Sr. Valtuir Candido da Silva, em razão da irregularidade evidenciada nos autos (EB04; EB09; EB10; NB11), com fundamento no art. 75, IV, da Lei Complementar nº 269/07 c/c art. 289, III, do Regimento Interno do TCE/MT, devendo ser considerados, na fixação do valor da penalidade, os patamares estabelecidos pela Resolução nº 17/2010, especificamente em seu art. 6º, II;

e) pela advertência de que a reincidência nas irregularidades aqui constatadas poderá ensejar o julgamento irregular das contas de gestão do próximo exercício, a teor do que dispõe o art. 194, § 1º, do Regimento Interno do TCE/MT.

Imagem

Referências

temas relacionados :