MANUAL DE CORREÇÃO DE REDAÇÃO

Texto

(1)

DE REDAÇÃO

CORREÇÃO

MANUAL DE

(2)

Sumário

INTRODUÇÃO 3

A NOTA DA REDAÇÃO NO SIMULADO 4 Roteiro para verificação de anulação da redação 4

Avaliação das competências 5

Grade básica de correção de redação Enem 6

PROPOSTA DE REDAÇÃO 8

Grade CPB 2º Semestre de 2016, Caderno 36 9

(3)

Introdução

Todo o trabalho do Enem Interativo é feito para que a experiência do Enem seja reproduzida em detalhes. Na elaboração dos itens (questões), nos preocupamos em construir uma prova calcada nas Competências e Habilidades da matriz oficial, distribuindo corretamente assuntos e níveis de dificuldade. Na prova de redação, os temas são atuais e seguem a mesma estrutura da prova oficial, exigindo que o aluno reflita a respeito da realidade que o cerca e proponha intervenções na sociedade que promovam a cidadania.

Além da elaboração, nós também trabalhamos com a correção da prova. Nessa etapa também é muito importante que nos mantenhamos alinhados com a metodologia adotada pelo Inep para o Enem. Por isso, para a correção da parte objetiva do exame, fazemos o cálculo da nota utilizando a Teoria de Resposta ao Item (TRI) na mesma “régua” do Enem, o que permite a comparação entre a nota da prova do Enem Interativo e a da prova oficial. Para a correção da redação, uma equipe de corretores competentes e com experiência na correção do Enem oficial é imprescindível para que haja o máximo de sinergia entre critérios usados em nossa correção e na do Inep. Além dos profissionais, estruturamos o trabalho da correção de redação de forma que os critérios adotados sejam os mesmos utilizados no Enem, por meio de uma plataforma on- line que colabora para a praticidade do processo.

O objetivo principal desse manual é, portanto, contribuir para que a assimilação dos critérios de correção seja o mais homogênea possível, de forma a garantir a qualidade das correções e facilitar o trabalho dos profissionais. Esse manual é, em parte, uma compilação das orientações dadas no documento Manual de capacitação para avaliação das redações do Enem 2013 , de autoria da Cespe e do Inep, e, em parte, uma complementação tratando de especificidades do procedimento de avaliação de redação pelo Enem Interativo.

(4)

4

A nota de redação nos simulados do Enem Interativo segue exatamente a mesma metodologia adotada no Enem, com notas que variam de 0 a 1000.

As notas da redação do Enem vão de 0 a 1000, sendo que cada corretor atribui notas com valores múltiplos de 40.

1 Há texto na folha de redação?

Não: marcar na ficha de correção: 2 (Redação em branco).

2 O texto tem 8 linhas ou mais?

Não considerar linhas em branco e trechos copiados dos textos motivadores apresentados no caderno de prova; o título (se houver) deve ser contado.

Não: marcar na ficha de correção: 5 (Texto insuficiente).

3 O participante aceitou fazer a redação proposta?

Não: por exemplo, o texto dirige-se ao avaliador todo o tempo, texto feito em língua estrangeira etc; marcar na ficha de correção: 1 (Anulada).

4 A redação tratou do tema/assunto proposto?

Não: marcar na ficha de correção: 3 (Fuga ao tema)

5 A redação atendeu ao tipo dissertativo-argumentativo?

Não: marcar na ficha de correção: 4 (Não atendimento do tipo textual)

6 O texto está livre de impropérios, desenhos ou outras formas propositais de anulação?

Não: marcar na ficha de correção: 1 (Anulada)

7 O texto respeita os direitos humanos?

O texto manifesta apoio a ações que signifiquem violência praticada por agentes não qualificados, supressão de direitos ou liberdades, racismo, discriminação de credo religioso etc.

Não: marcar na ficha de correção: 1 (Anulada)

8 O texto está livre de parte deliberadamente desconecta das com o tema proposto?

Não: marcar na ficha de correção: 1 (Anulada) Sim: deixar campo ANULAÇÃO em branco.

Motivos de anulação

1

Anulada (impropério, dese- nho, parte propositalmente desconectada do tema, desrespeito aos direitos humanos)

2 Em branco 3 Fuga ao tema

4 Não atendimento à estru- tura dissertativo-argumen- tativa

5 Texto insuficiente (menos que 8 linhas)

6 Redação ausente

A NOTA DA REDAÇÃO NO SIMULADO

Primeiramente, a redação é ava- liada quanto a sua validade (se dever ser anulada ou não). Caso ela possa ser enquadrada em um dos casos de anulação, a nota será 0 (zero).

Caso alguma das perguntas a se- guir tiverem a resposta NÃO, a questão deve ser anulada e o có- digo do motivo da anulação ano- tado. Para cada resposta SIM, siga para a pergunta seguinte até o fim do roteiro.

Roteiro para verificação de anulação da redação

(5)

Se válida, ou seja, não preencher os requisitos de validação, a redação será avaliada em 5 competências do nível determinado, multiplicado por 40, será a nota do aluno da competência (nota máxima igual a 200).

A soma das notas nas 5 competências será a nota da redação (nota máxima na redação: 1000).

Competência Nível na competência Nota na competência

I Nv1 × 40 = Nt1

II Nv2 × 40 = Nt2

III Nv3 × 40 = Nt3

IV Nv4 × 40 = Nt4

V Nv5 × 40 = Nt5

Nota da Redação

Importante:

Os simulados não aceitam notas de 0 a 10.

Para atribuir o nível atingido por um estudante em uma competência, o avaliador deve analisar a matriz de referência enviada pelo Enem Interativo. Essa matriz é devidamente adaptada para cada um dos temas utilizados e enviada juntamente com a documentação que acompanha o simulado.

As matrizes específicas são baseadas na Matriz de Referências para Redação do Enem, diferindo dela nas Competências 2 e 5, em que há uma adaptação para facilitar ao avaliador a distinção entre os níveis.

Basicamente, para cada critério, os níveis seguem a regra geral:

Nível Proficiência Nota na competência

0 Inexistente 0

1 Precária 40

2 Insuficiente 80

3 Mediana 120

4 Boa 160

5 Excelente 200

Importante:

Na competência 2, não é possível atribuir a nota zero.

Caso isso ocorra, a redação deve ser enquadrada em um dos critérios de anulação.

Para cada prova, enviamos uma grade e comentários adaptados ao tema solicitado.

Avaliação das competências

(6)

6

Competência

Nível

0 1 2 3 4 5

I

Demonstra

desconhecimento da modalidade escrita formal da língua portuguesa.

Demonstra domínio precário da modalidade escrita formal da

língua portuguesa, de forma sistemática, com diversificados e frequentes desvios gramaticais, de escolha de registro e de

convenções da escrita.

Demonstra domínio insuficiente da

modalidade escrita formal da língua portuguesa, com muitos desvios

gramaticais, de escolha de registro e de

convenções da escrita.

Demonstra domínio mediano da

modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com alguns desvios gramaticais e de

convenções da escrita.

Demonstra bom

domínio da modalidade escrita formal da

língua portuguesa e de escolha de registro, com poucos desvios gramaticais e de

convenções da escrita.

Demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da

língua portuguesa e de escolha de registro.

Desvios gramaticais ou de convenções da escrita serão aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizem reincidência.

II

Anular redação:

“Fuga ao tema/

não atendimento à estrutura dissertativo- argumentativa”.

Apresenta o assunto, tangenciando o

tema ou demonstra domínio precário do texto dissertativo- argumentativo, com traços constantes de outros tipos textuais.

Desenvolve o tema recorrendo à cópia de trechos dos textos motivadores ou

apresenta domínio insuficiente do texto dissertativo- argumentativo, não atendendo à estrutura com proposição,

argumentação e conclusão.

Desenvolve o tema por meio de argumentação previsível e apresenta domínio mediano do texto dissertativo- argumentativo, com proposição, argumentação e conclusão.

Desenvolve o tema por meio de argumentação consistente e apresenta bom domínio do

texto dissertativo- argumentativo, com proposição, argumentação e conclusão.

Desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural

produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo/

argumentativo.

Grade básica de correção de redação Enem (parte 1)

(7)

III

Apresenta informações, fatos e opiniões não relacionados ao tema e sem defesa de um ponto de vista.

Apresenta informações, fatos e opiniões pouco relacionados ao tema ou incoerentes e sem defesa de um ponto de vista.

Apresenta informações, fatos e opiniões

relacionados ao tema, mas desorganizados ou contraditórios e limitados aos

argumentos dos textos motivadores, em

defesa de um ponto de vista.

Apresenta informações, fatos e opiniões

relacionados ao tema, limitados aos argumentos dos textos motivadores e pouco organizados, em defesa de um ponto de vista.

Apresenta informações, fatos e opiniões

relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, em defesa de um

ponto de vista.

Apresenta informações, fatos e opiniões

relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada,

configurando autoria, em defesa de um ponto de vista.

IV

Não articula as informações.

Articula as partes do texto de forma precária.

Articula as partes do texto, de forma insuficiente, com muitas inadequações e apreswnta repertório limitado de recursos coesivos.

Articula as partes do texto, de forma mediana, com inadequações, e apresenta repertório pouco diversificado de recursos coesivos.

Articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos.

Articula bem as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos.

V

Não apresenta proposta de intervenção ou

apresenta proposta não relacionada ao tema ou ao assunto.

Apresenta proposta de intervenção vaga, precária ou relacionada apenas ao assunto.

Elabora, de forma insuficiente, proposta de intervenção

relacionada ao tema, ou não articulada com a discussão

desenvolvida no texto.

Elabora, de forma mediana, proposta de intervenção relacionada ao tema earticulada à discussão desenvolvida no texto.

Elabora bem proposta de intervenção

relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto.

Elabora muito bem proposta de

intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto.

Pontuação

0 40 80 120 160 200

Grade básica de correção de redação Enem (parte 2)

(8)

8

PROPOSTA DE REDAÇÃO

INSTRUÇÕES:

• O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.

• O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.

• A redação que apresentar cópias dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Receberá nota zero, em qualquer das situações expressas a seguir, a redação que:

• tiver até 7 (sete) linhas escritas, sendo considerada “insuficiente”.

• fugir ao tema ou não atender ao tipo dissertativo-argumentativo.

• apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos.

• apresentar parte do texto deliberadamente desconectada com o tema proposto.

1. Especialistas debatem: leitura na web substitui livros?

Pelo menos desde a invenção da televisão, os críticos alertam que a mídia eletrônica vai acabar com a leitura.

A diferença agora, dizem alguns especialistas em alfabet- ização, é que passar tempo na Internet, seja procurando alguma coisa no Google ou em evenbritneyspears.org, requer alguma interação com textos. Poucos que acredi- tam no potencial da internet negam o valor dos livros.

Mas eles argumentam que é pouco realista esperar que todas as crianças leiam O Sol É Para Todos ou Orgulho e Preconceito por diversão. E os que preferem contemplar a televisão ou apertar botões em um controle de videog- ame, eles dizem, ainda podem se beneficiar pela leitura na web. Na verdade, alguns especialistas em leitura dizem que a capacidade de leitura on-line vai ajudar muito mais as crianças quando elas começarem a procurar empregos da era digital.

Disponível em: http://tecnologia.terra.com.br.

2. Os livros não deveriam fazer parte da vida das crianças apenas no período escolar, mas, sim, acompan- há-las por toda a vida. Afinal, com eles, aprende-secultu- ra, exercita-se a imaginação e expande-se o vocabulário.

Felizmente, alguns educadores já se deram conta disso e desenvolveram projetos para incentivar a leitura nos pequenos.

Um bom exemplo são as oito iniciativas desenvolvidos há 14 anos pelo Projetos de Leitura, grupo sem fins lucrativos que se mantém por meio de patrocínios e atua na Grande São Paulo. Elas vão desde contação de histórias a carava- nas de venda de livros a R$ 2.

“A ideia é, por meio de textos agradáveis, criar o prazer da leitura, de forma que o livro faça parte da vida do aluno não só durante as aulas. Em um de nossos projetos, por exemplo, participam anualmente 300 escolas, benefician- do cerca de 50 mil alunos”, conta Laé de Souza, coorde- nador do Grupo.

Incentivos como esses são bem-vindos e já mostram resultados positivos, se compararmos hoje com doze anos atrás. Segundo a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada pelo Ibope e encomendada pelo Instituto Pro Livro (IPL), houve crescimento do índice de leitura no Brasil entre a população com mais de 15 anos — de 26 milhões de leitores em 2000, que liam por ano 1,8 livros cada, para 71,9 milhões, com 3,1 livros por ano por pessoa, em 2011.

DIsponível em: http://educarparacrescer.abril.com.br. (adaptado)

3. A dona de uma livraria em Volta Redonda, Dayane Marques, afirma que [...] está ocorrendo um interesse maior entre os jovens pela leitura.

— Funcionamos há quase três anos em Volta Redonda e tenho observado que o público infanto-juvenil tem frequentado bastante a livraria nestes últimos anos. Temos muitas coleções para jovens entre 12 a 15 anos com temas específicos para eles e temas bem de adolescentes mostrando o que eles passam. Enquanto para as meninas os livros abordam mais sobre o cotidiano, como obras da escritora Talita Rebouças, os direcionados para os meni- nos falam sobre filmes, desenhos, videogames e coleções como o Diário de um Banana — disse.

Dayane acredita que o interesse maior pela leitura entre as crianças e adolescentes é motivado pela variedade de opções de autores e temas, tornando a leitura mais atrativa.

— Hoje existem mais escritores voltados para esse tipo de público, além dos livros direcionados para o público jovem e transformados em filmes, como Diário de um Banana, Crepúsculo e Harry Potter, que têm atraído uma variedade de fãs atrás dessas obras literárias depois do sucesso no cinema — destacou.

Disponível em: http://riocentro.com.br (adaptado).

4.

Disponível em: http://tribunadainternet.com.br.

Com base na leitura dos textos motivadores seguintes e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema A IMPORTÂNCIA DA LEITURA EM TEMPOS DE INTERNET, apresentando proposta de intervenção social que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

(9)

Grade específica de correção da redação 2016 - Caderno 36: A IMPORTÂNCIA DA LEITURA EM TEMPOS DE INTERNET (parte 1)

Competência

Nível

0 1 2 3 4 5

I

Demonstra

desconhecimento da modalidade escrita formal da língua portuguesa.

Demonstra domínio precário da modalidade escrita formal da

língua portuguesa, de forma sistemática, com diversificados e frequentes desvios gramaticais, de escolha de registro e de

convenções da escrita.

Demonstra domínio insuficiente da

modalidade escrita formal da língua portuguesa, com muitos desvios

gramaticais, de escolha de registro e de

convenções da escrita.

Demonstra domínio mediano da

modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com alguns desvios gramaticais e de

convenções da escrita.

Demonstra bom domínio da

modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com poucos desvios gramaticais e de convenções da escrita.

Demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita serão aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizem reincidência.

II

Anulação:

Ignora o tema

“Leitura”; fala, por exemplo, sobre educação. Se o

aluno ignorar o tema

“internet”, isso não deve ser suficiente para levar à anulação do texto.

Cita, ainda que de forma vaga, a questão da leitura.

Cita, ainda que de forma vaga, a questão da importância da leitura, mostrando a necessidade dela na época atual.

Discute de maneira aceitável, ainda que não profunda, a

questão da importância da leitura, mostrando a necessidade dela na época atual.

Desenvolve bem a questão da importância da leitura, mostrando a necessidade dela na época atual e menciona, pelo

menos, a sua relação com a internet.

Desenvolve bem a relação entre a importância da leitura e a presença da internet.

III

Apresenta informações, fatos e opiniões não relacionados ao tema e sem defesa de um ponto de vista.

Apresenta informações, fatos e opiniões pouco relacionados ao tema ou incoerentes e sem defesa de um ponto de vista.

Apresenta informações, fatos e opiniões

relacionados ao tema, mas desorganizados ou contraditórios e limitados aos

argumentos dos textos motivadores, em

defesa de um ponto de vista.

Apresenta informações, fatos e opiniões

relacionados ao tema, limitados aos argumentos dos textos motivadores e pouco organizados, em defesa de um ponto de vista.

Apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, em defesa de um ponto de vista.

Apresenta informações, fatos e opiniões

relacionados ao tema proposto, de forma

consistente e organizada, configurando autoria, em defesa de um ponto de vista.

(10)

10 IV

Não articula as

informações.

Articula as partes do texto de forma precária.

Articula as partes do texto, de forma insuficiente, com muitas inadequações e apresenta repertório limitado de recursos coesivos.

Articula as partes do texto, de forma mediana, com inadequações, e apresenta repertório pouco diversificado de recursos coesivos.

Articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos.

Articula bem as partes do texto e apresenta

repertório diversificado de recursos coesivos.

V

Não apresenta

proposta OU apresenta proposta sem relação alguma com o tema (ex: “temos que

combater a violência”).

Apresenta proposta subentendida na

argumentação, embora ligada ao tema (ex:

“a falta de incentivo à leitura leva os jovens a resultados ruins na escola”).

Apresenta proposta ligada precariamente ao tema, embora

explicitada no texto (ex:

“temos que incentivar a leitura”).

Apresenta proposta relacionada ao tema, MAS sem integração com a discussão (ex:

“as escolas deveriam incentivar a leitura” – mas no texto não há nenhum argumento mostrando a relação entre o leitura e a educação).

Apresenta proposta relacionada ao tema, MAS com explicitação precária dos meios para realizá-la (ex: “as escolas deveriam incentivar a leitura”

– mas não há explicação clara sobre como isso seria feito).

Apresenta proposta clara, relacionada ao tema, integrada à discussão e com meios explícitos de realização (ex: “as escolas deveriam promover

discussões com as crianças sobre os livros que elas mais gostam, ao invés de apenas obrigá- -las a ler textos de outras épocas, que não lhes despertam interesse”).

Pontuação

0 40 80 120 160 200

Grade específica de correção da redação 2016 - Caderno 36: A IMPORTÂNCIA DA LEITURA EM TEMPOS DE INTERNET (parte 2)

(11)

Imagem

Referências

temas relacionados :